Frase do dia

“O sentimento que nos move - PSDB, DEM e Solidariedade - é garantir a ida de Aécio para o segundo turno. Se não for possível, avalizar a transição para o segundo turno. Ou seja, com uma aliança com Marina Silva, por exemplo.”

José Agripino Maia, presidente do DEM, e coordenador da campanha de Aécio Neves a presidente. comentar

2 de setembro de 2014, 21:03

ECONOMIA Produção de petróleo e gás natural no Brasil é recorde em julho

A produção brasileira total de petróleo e gás natural atingiu o recorde de 2,82 milhões de barris de óleo equivalente (BOE) por dia em julho, informou hoje (2) a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Desse total, foram 2,267 milhões de barris diários de petróleo e 87,9 milhões de metros cúbicos de gás natural. Os dados constam do Boletim da Produção da ANP. A produção de petróleo aumentou 1% em julho, em comparação com o mês anterior, e 14,8% ante julho do ano passado. Já a produção de gás natural subiu 1,5% em relação a junho deste ano e 12% contra julho de 2013. O boletim mostra diminuição de 0,1% na produção em 34 poços do pré-sal em julho, na comparação com junho, somando 582,8 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 480,8 mil barris diários de petróleo e 16,2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Os poços estão localizados nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca, Jubarte, Barracuda, Caratinga, Búzios, Linguado, Lula, Marlim Leste, Pampo, Sapinhoá e Trilha e nas áreas de Iara e entorno de Iara, informou a ANP. Na comparação com julho do ano passado, houve aumento. Naquele mês em 2013, a produção média no pré-sal atingiu 358,8 mil barris de óleo equivalente/dia – 296,4 mil barris diários de petróleo e 9,9 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Leia mais na Agência Brasil.

Alana Gandra, Agência Brasil

2 de setembro de 2014, 20:47

BRASIL Luciana Genro propõe fim da terceirização no serviço público

A candidata à Presidência da República Luciana Genro (PSOL) recebeu hoje (2) documento da Intersindical, central representativa de trabalhadores, com os pontos que a entidade considera importantes para que o próximo presidente do país invista. Segundo a assessoria de comunicação de Luciana Genro, um dos principais pontos é a luta contra terceirizações no serviço público. Luciana Genro prometeu adotar mecanismos para combater a prática. De acordo com a candidata, em seu governo, caso seja eleita, adotará medidas como concurso público e valorização salarial do servidor para combater a terceirização dos trabalhadores. Ela disse que constrói uma campanha vinculada à luta por direitos sociais e trabalhistas e que a pauta contrária às terceirizações é um ponto importante de seu programa de governo. Luciana Genro conversou com os dirigentes da Intersindical no Sindicato dos Bancários de Santos e Região.

Mariana Branco, Agência Brasil

2 de setembro de 2014, 20:34

BRASIL Marina ultrapassa Dilma no Rio, aponta Ibope

Pesquisa realizada pelo Ibope e divulgada nesta terça-feira, 02, no Rio, aponta a candidata Marina Silva (PSB) pela primeira vez liderando a corrida para a Presidência da República entre os eleitores do Rio de Janeiro, com 38% das intenções de voto. Dilma Rousseff (PT) tem 32% e Aécio Neves (PSDB), 11%. No levantamento anterior, divulgado há uma semana, a candidata do PSB aparecia com 30% das intenções de voto, atrás de Dilma, candidata à reeleição, que tinha 38%. Aécio somava os mesmos 11% de agora. Pastor Everaldo (PSC) tem 2%. Os candidatos Eduardo Jorge (PV), Eymael (PSDC), Levy Fidélix (PRTB), Luciana Genro (PSOL), Mauro Iasi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU) somam, juntos, 1%. Brancos e nulos somam 10%, e 6% não sabem ou não responderam. A pesquisa, encomendada pela TV Globo, foi realizada entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro. Foram entrevistados 1.610 eleitores de 44 municípios do Rio de Janeiro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) sob o número 00026/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR- 00491/2014.

Mônica Ciarelli, Agência Estado

2 de setembro de 2014, 20:18

BAHIA Lideranças acreditam que Rui é o melhor para a região de Feira avançar

Foto: Divulgação

Evento aconteceu na tarde desta terça-feira

Em evento realizado  no município de Feira de Santana, nesta terça-feira (2), vereadores, dirigentes sindicais, estudantes e donas de casa, declararam apoio a Rui Costa PT, candidato a governador da Bahia pela coligação “Pra Bahia Mudar Mais”. Para o vereador Pablo Roberto (PT), Rui sempre esteve engajado em todos os projetos sociais que a Bahia experimentou nos últimos anos, “o que o credenciou para ser o sucessor de Jaques Wagner”, diz. Pablo acredita na vitória de Rui Costa no dia 5 de outubro. Segundo ele, as pesquisas anunciadas pela oposição “parecem que foram feitas em outro planeta”. “Por aqui, quando a gente pergunta, é Rui na cabeça. Ninguém quer o retrocesso”, comenta. Já o vereador, Alberto Nery, também do PT, afirma que nenhum governo investiu tanto em Feira de Santana quanto o governo Jaques Wagner e Rui vai continuar avançando. “Nunca se investiu tanto em saneamento nesta cidade, na educação e na mobilidade urbano como agora. O feirense não vai andar para trás, não vai mesmo”, diz. A diretora estadual da CUT, Conceição Borges, trabalhadora rural de Feira de Santana, lembra que, com o governo Wagner, a Bahia avançou muito, “especialmente para o homem do campo. “Foi nesse governo que construímos habitação rural, que ampliamos o abastecimento de água e melhoramos a assistência técnica. A vida no campo mudou para melhor nos últimos oito anos”, comenta Conceição. A estudante de engenharia, Marcelina Góes, acha que Rui Costa tem nome limpo, é jovem e vai fazer ainda mais que Wagner fez pela Bahia. “Estou confiante que o 13 vai vencer. Dilma presidente, Rui governador será o melhor para todos, especialmente para nós que estamos iniciando uma carreira. Teremos mais oportunidades profissionais, sem dúvida”. Já a dona de casa Joventina de Araujo diz que vota em Rui por um simples motivos: “ele está do lado de Lula e Dilma, isso é o bastante para mim e toda minha família”, afirma.

2 de setembro de 2014, 20:05

BRASIL Planejamento corta aumento para ministros do STF, diz tribunal

Foto: Divulgação

O salário atual é de R$ 29.462,25

O Supremo Tribunal Federal (STF) foi informado que o Ministério do Planejamento decidiu cortar, da proposta de Orçamento Geral da União de 2015, o aumento de salário aprovado na semana passada pelos ministros da Corte. Conforme o projeto de lei, a partir do dia 1º de janeiro do ano que vem, os integrantes do Supremo passariam a ganhar R$ 35,919 mil, caso o reajuste fosse aceito pelo Congresso Nacional. O salário atual é de R$ 29.462,25. Após receber a informação, o Supremo encaminhou hoje (2) ofício à Procuradoria-Geral da República (PGR) para informar oficialmente o corte de R$ 154,8 milhões, referentes ao aumento para os ministros e servidores do STF. O aviso poderá motivar ação da PGR contra a retirada da proposta. No entendimento dos ministros, o governo deve encaminhar o projeto original diretamente ao Congresso Nacional, responsável pela apreciação do Orçamento, sem retirar a proposta de reajuste aprovada pelo Supremo. Segundo o ministro Celso de Mello, o corte unilateral do aumento é inconstitucional. “O Supremo não tem poder de interferir em um projeto de lei orçamentária; é iniciativa da presidenta. O Supremo apresenta uma proposta, mas é insuscetível de corte unilateral por parte do Poder Executivo. O único árbitro constitucionalmente qualificado é o Congresso Nacional”, diz o ministro. Para calcular o aumento, os ministros levaram em conta a recomposição inflacionária de 16,11%, referente ao período de 2009 a 2014. Outro reajuste para os ministros já está previsto para o dia 1º de janeiro de 2015, de acordo com a Lei 12.771, de 28 de dezembro de 2012, que definiu o valor dos vencimentos dos ministros até 2015. Os vencimentos vão passar para R$ 30.935,36. A Agência Brasil procurou o Ministério do Planejamento, que até o fechamento da matéria não se pronunciou.

André Richter, Agência Brasil

2 de setembro de 2014, 19:53

BRASIL Senado aprova projeto de apoio às vítimas de violência contra a mulher

Foto: Divulgação

Senadora Lídice da Mata (PSB-BA)

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado aprovou nesta terça-feira (2) projeto que destina recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) para vítimas de exploração sexual e de tráfico de pessoas. A matéria segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). De acordo com o PLS 374/2012 – Complementar, de autoria da senadora Lídice da Mata (PSB-BA), os valores arrecadados com multas impostas em casos de peculato, corrupção ativa e corrupção passiva serão destinados à reparação de danos causados pela exploração sexual e tráfico de pessoas. Segundo a autora, o objetivo do projeto é facilitar a utilização dos recursos para casos de tratamento e recuperação de pessoas que foram vítimas de crimes de exploração sexual e tráfico humano. A senadora Ana Rita (PT-ES) recomendou a aprovação do projeto e o arquivamento de outro, o PLS 297/2013 -Complementar, que tramitava em conjunto. O texto rejeitado previa mais uma possibilidade para a aplicação de verbas do Funpen: a assistência às vítimas de violência doméstica e familiar, mas a senadora Ana Rita lembrou que o Senado já aprovou proposta semelhante em março deste ano (PLS 298/2013).

2 de setembro de 2014, 19:42

BRASIL Dilma defende mobilização social pela reforma política

A presidenta da República e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, reforçou hoje (2) a importância dos movimentos sociais e centrais sindicais, mobilizados até o dia 7 de setembro, para chamar a atenção sobre a reforma política e para um plebiscito sobre o assunto. Dilma visitou o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e fez uma caminhada até a Igreja Matriz de São Bernardo do Campo. “Isso para que possamos de fato construir as condições necessárias para a adoção de uma reforma política mais ampla e democrática que assegure e transparência e a preservação dos interesses da população com relação ao uso da coisa pública. Uma reforma política tem um conteúdo eleitoral, mas tem também um conteúdo ligado à reforma das instituições políticas”. Dilma disse que desde o início da discussão sobre o assunto tem a convicção de que a participação do povo é fundamental e sem isso não haverá reforma política. “Tanto é assim que nós enviamos para o Congresso Nacional uma proposta de reforma política com a convocação de um plebiscito e até agora não foi aprovado”. Antes de começar a caminhar por uma das principais avenidas de comércio popular da cidade, a candidata disse que pretende receber as propostas de reforma política. “É uma questão fundamental para o futuro do nosso país. Se queremos mesmo um processo democrático que resulte em transformações para o nosso país, que garanta uma governabilidade muito melhor e mais efetiva, precisamos da reforma política”. Leia mais na Agência Brasil.

Flávia Albuquerque, Agência Brasil

2 de setembro de 2014, 19:31

BRASIL Ao lado de FHC, Aécio sobe o tom com relação a Marina

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, subiu nesta terça-feira o tom contra a adversária do PSB, Marina Silva, alçada à cabeça de chapa após a morte do ex-governador Eduardo Campos, e que já ultrapassou sua candidatura nas mais recentes pesquisas de intenção de voto. Ao lado do ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso e de outras lideranças, Aécio voltou a falar da confiança de que estará na disputa do segundo turno, classificando a candidatura Marina de “metamorfose ambulante”. Em coletiva no comitê de campanha em São Paulo, Aécio disse que o improviso não é o melhor conselheiro. “De um lado temos um governo que reage aos índices de pesquisa, alterando suas convicções com certo desespero, o que não é bom. De outro lado o que vejo é uma candidatura que mais se assemelha a uma metamorfose ambulante, que altera suas convicções ao sabor das circunstâncias.” Nas críticas a Marina, o presidenciável tucano a acusou de plagiar, no capítulo dos Direitos Humanos de seu programa de governo, lançado na semana passada, o texto do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH) de 2002, do governo de Fernando Henrique Cardoso. “O capítulo do programa de Marina é uma cópia exata do PNDH de FHC, ela poderia ter pelo menos dado crédito aos autores verdadeiros da proposta e a FHC”, cobrou. Além de Marina, Aécio voltou a criticar a adversária do PT, presidente Dilma Rousseff, dizendo, mais uma vez, que sua candidatura fracassou e que está convencido de que Dilma vai perder essas eleições. E justificou que isso vai ocorrer porque “o governo do PT vai entregar o País em condições piores, com inflação e juros em alta, recessão e crise de confiança”. E defendeu o seu pleito: “Somos a candidatura mais consistente, temos um grande time, uma verdadeira seleção para realizar um projeto de País, que não pode ser feito na base de improvisos.”

Elizabeth Lopes e Pedro Venceslau, Agência Estado

2 de setembro de 2014, 19:14

BRASIL Ibope: Em SP, Marina sobe de 35% para 39%

Foto: Leonardo soares/Agência Brasil

Marina Silva

Pesquisa Ibope encomendada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo mostra liderança da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, em São Paulo, com 39% das intenções de voto. Na pesquisa anterior, feita entre 23 e 25 de agosto, Marina aparecia com 35% das intenções de voto. No maior colégio eleitoral do País, a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) se manteve em 23% das intenções de voto. O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, oscilou de 19% para 17% das intenções de voto no Estado. O levantamento divulgado nesta terça-feira também mostra que o pastor Everaldo manteve 2% de intenções de voto entre os eleitores paulistas. Eduardo Jorge (PV) ficou igualmente em 1%. Brancos e nulos somam 7% e indecisos, 10%. No fim de agosto, brancos e nulos eram 9% e indecisos, 10%. A pesquisa ouviu 1.806 eleitores em 87 municípios de São Paulo entre 30 de agosto e 1º de setembro. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais e o nível estimado de confiança, de 95%. Ou seja, se fossem feitas 100 pesquisas idênticas a esta, 95 deveriam apresentar resultados dentro da margem de erro. O levantamento foi registrado junto ao Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-0492/2014.

Letícia Sorg. Estadão

2 de setembro de 2014, 19:00

ECONOMIA Senado eleva porcentagem de biodiesel no óleo diesel

O plenário do Senado aprovou nesta terça-feira, 02, em votação simbólica, a medida provisória que eleva a porcentagem de biodiesel e de etanol misturados, respectivamente, no óleo diesel e na gasolina. A mudança, prevista na Medida provisória 647/2014, segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff. A MP eleva para 6% o porcentual obrigatório de mistura do biodiesel ao óleo diesel, que antes da edição da proposta era de 5%. Pela norma, a partir de 1º de novembro, o porcentual subirá novamente, passando para 7%. Esse porcentual, no entanto, poderá ser reduzido pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), caso haja motivo justificado, até o limite de 6%. A MP editada pelo Executivo tratava originalmente apenas de biodiesel. Na Câmara dos Deputados, a proposta foi alterada para incluir ainda o aumento no porcentual obrigatório de adição de álcool anidro à gasolina para 27,5%, desde que constatada sua viabilidade técnica. Atualmente, segundo a Lei 8.723/1993, o governo pode elevar o porcentual de mistura do etanol anidro até o limite de 25%, ou reduzi-lo até 18%. O parecer mantém o piso de 18%. Havia um receio de que a MP não fosse votada durante a sessão de esforço concentrado, a última antes das eleições. Se isso ocorresse, a MP perderia validade, uma vez que ela venceria no dia 27 de setembro e somente após as eleições de outubro o plenário do Senado vai se reunir novamente.

Ricardo Brito, Agência Estado

2 de setembro de 2014, 18:45

BAHIA Souto apresenta propostas para saúde, segurança e educação em Sabatina

Foto: Valter Pontes

Paulo Souto durante Sabatina

“A desassistência à saúde hoje na Bahia é impressionante”, afirmou o candidato a governador, Paulo Souto, da coligação “Unidos pela Bahia”, durante a Sabatina, promovida pela TV Aratu, Grupos A Tarde e Metrópole, no final da tarde desta terça-feira (02). A rejeição das pessoas à central de regulação do estado foi apontada por ele como um problema que precisa ser resolvido. “No interior, os pedidos são para acabar com a regulação, quando ela deveria ser um instrumento para melhorar o atendimento”, observou. Na opinião de Paulo Souto, a gestão da central de regulação, sistema que controla a oferta e procura dos atendimentos, deve ser melhorada, mas faltam leitos hospitalares para atender a demanda do estado. “Para melhorar a situação da assistência à saúde na Bahia, além de mudanças na regulação, é preciso aumentar a eficiência dos hospitais estaduais, assim como também contratar leitos do setor privado. É inadmissível que os baianos continuem morrendo por falta de atendimento”. A questão da violência também esteve na pauta da Sabatina. Para Paulo Souto, a situação da “insegurança pública” esta insustentável. “A Bahia passou a ser um dos estados mais violentos do País. E a situação começou a ficar mais grave a partir de 2007″, disse, propondo o restabelecimento da confiança entre governo e polícias, cuja relação se esgarçou ultimamente. O aumento e a melhor distribuição do contingente policial foi outra proposta apresentada pelo candidato oposicionista, que ainda defendeu a integração das polícias militar e civil por meio de grupos especiais, as chamadas forças-tarefas, com participação também do Ministério Público. Além disso, propôs o policiamento mais intensivo nas fronteiras para coibir a entrada de drogas no estado, a recuperação da capacidade das Companhias Especiais de Polícia e o investimento em inteligência e tecnologia para o combate ao crime. O candidato Paulo Souto também considerou que mais escolas em tempo integral precisam ser implantadas no estado. “É fundamental que nossos jovens tenham a mesma carga horário de países, como o Chile, onde hoje é o dobro, em matemática e outras disciplinas essenciais”.

2 de setembro de 2014, 18:45

BRASIL Aécio liga para aliados e nega renúncia, por Fernando Rodrigues

Foto: Divulgação/Arquivo

A um empresário, o tucano afirmou que o importante é se manter na disputa e acumular capital para eleições seguintes

O candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves, ligou para aliados hoje para negar que estivesse propenso a desistir. O tucano permanecerá candidato, apesar de sua posição ruim nas pesquisas (está em 3º lugar). Houve uma forte onda de boatos nesta semana dando conta de uma possível desistência de Aécio. A um grande empresário, o tucano afirmou que o importante é se manter na disputa e acumular capital para eleições seguintes. E que agora precisa dar muita atenção para Minas Gerais, seu Estado natal, pois o PSDB está com dificuldades para manter o governo de lá, como mostram os últimos levantamentos de intenção de voto. Leia mais no Blog do Fernando Rodrigues.

Fernando Rodrigues