21 de março de 2019, 20:45

BRASIL Após prisão de Temer, Carlos Bolsonaro compartilha frase anticrime de Moro

Foto: Fabio Motta/Estadão

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ)

Após a prisão de Michel Temer, Carlos Bolsonaro compartilhou frase de Sérgio Moro segundo a qual o combate ao crime não pode mais ser adiado. A fala consta em uma notícia, postada pelo filho do presidente, sobre troca de críticas entre o ministro da Justiça – e ex-juiz da Lava Jato – e Rodrigo Maia, presidente da Câmara. A frase é: “Talvez alguns entendam que o combate ao crime pode ser adiado indefinidamente, mas o povo brasileiro não aguenta mais”. No contexto da notícia compartilhada por Carlos, Moro rebate críticas de Maia sobre o pacote anticrime levado à Câmara pelo Ministério da Justiça.

Estadão

21 de março de 2019, 20:31

BRASIL Bretas mandou grampear oito celulares de Temer um dia antes da prisão

Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

o juiz Marcelo Bretas, responsável pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro

Um dia antes da prisão do ex-presidente Michel Temer, o juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal do Rio, autorizou que o emedebista tivesse oito linhas telefônicas grampeadas. A interceptação dos celulares de Temer, segundo o magistrado, seria uma ‘forma de viabilizar a deflagração da fase ostensiva da operação’. “Reitero os fundamentos da decisão anterior, na qual decretei a prisão preventiva dos investigados e determino a interceptação telefônica nos terminais indicados pelo MPF, abaixo relacionados, vinculados ao Michel Temer, como forma de viabilizar a deflagração da fase ostensiva da operação”, ordenou. Michel Temer foi preso nesta quinta-feira, 21. Também foram capturados o ex-ministro Moreira Franco (Minas e Energia), o coronel reformado da Polícia Militar a mulher de Lima, Maria Rita Fratezi, e os empresários Carlos Alberto Costa, Carlos Alberto Costa Filho, Vanderlei de Natale, Rodrigo Castro Alves Neves e Carlos Jorge Zimmermann. Até as 18h, a PF já havia prendido nove dos dez alvos da Descontaminação. Somente Carlos Alberto Montenegro Gallo ainda não havia sido capturado. Ele estava em negociação para apresentação. O magistrado ordenou busca e apreensão nos endereços desses investigados, assim como da filha do ex-presidente Maristela Temer, do almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, de Ana Cristina da Silva Toniolo e de Nara de Deus Vieira. Também foram realizadas buscas nas empresas vinculadas aos investigados. A ação que prendeu Temer e seus aliados é decorrente da Operação Radioatividade, que mirou um esquema de cartel, corrupção ativa e passiva, lavagem de capitais e fraudes à licitação que atuou na construção da usina nuclear de Angra 3. A nova investigação apura pagamentos ilícitos feitos por determinação do empreiteiro José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix, para ‘o grupo criminoso liderado por Michel Temer, bem como de possíveis desvios de recursos da Eletronuclear para empresas indicadas pelo referido grupo’. A Lava Jato identificou um ‘sofisticado esquema criminoso para pagamento de propina na contratação das empresas Argeplan, AF Consult Ltd e Engevix para a execução do contrato de projeto de engenharia eletromecânico 01, da usina nuclear de Angra 3’. O Ministério Público Federal afirmou que a Argeplan, de coronel Lima, ‘participou do consórcio da AF Consult LTD, vencedor da licitação para a obra da Usina Nuclear de Angra 3, apenas para repassar valores a Michel Temer’. Segundo a Procuradoria, a AF Consult do Brasil e a Argeplan não tinham pessoal e expertise suficientes para a realização dos serviços, e, por isso, houve a subcontratação da Engevix. No curso do contrato, conforme a investigação, coronel Lima solicitou ao sócio da empresa Engevix o pagamento de propina, em benefício de Michel Temer. A Lava Jato destaca que a propina foi paga no final de 2014 com transferências totalizando R$ 1,91 milhão da empresa da Alumi Publicidades para a empresa PDA Projeto e Direção Arquitetônica, controlada pelo coronel Lima. Para justificar as transferências de valores foram simulados contratos de prestação de serviços da empresa PDA para a empresa Alumi. O empresário que pagou a propina afirma ter prestado contas de tal pagamento para o coronel Lima e para Moreira Franco. As investigações apontaram que os pagamentos feitos à empresa AF Consult do Brasil ensejaram o desvio de R$ 10, 859 milhões, ‘tendo em vista que a referida empresa não possuía capacidade técnica, nem pessoal para a prestação dos serviços para os quais foi contratada’. De acordo com a Lava Jato, o esquema ‘praticou diversos crimes envolvendo variados órgãos públicos e empresas estatais, tendo sido prometido, pago ou desviado para o grupo mais de R$ 1,8 bilhão. A investigação aponta que diversas pessoas físicas e jurídicas usadas de maneira interposta na rede de lavagem de ativos de Michel Temer continuam recebendo e movimentando valores ilícitos, além de permanecerem ocultando valores, inclusive no exterior. Os procuradores afirmam que ‘quase todos os atos comprados por meio de propina continuam em vigência e muitos dos valores prometidos como propina seguem pendentes de pagamento ao longo dos próximos anos’. Segundo a força-tarefa, as apurações também indicaram uma espécie de braço da organização, especializado em atos de contrainteligência, a fim de dificultar as investigações, tais como o monitoramento das investigações e dos investigadores, a combinação de versões entre os investigados e, inclusive, seus subordinados, e a produção de documentos forjados para despistar o estado atual das investigações. O Ministério Público Federal requereu a prisão preventiva de alguns dos investigados, pois, todos esses fatos somados apontam para a existência de uma organização criminosa em plena operação, envolvida em atos concretos de clara gravidade.

Estadão Conteúdo

21 de março de 2019, 20:30

EXCLUSIVA 2020: Cacá Leão analisa possibilidade de transferir título de Lauro para Salvador

Foto: Divulgação/Arquivo

Cacá Leão também teria se encontrado recentemente com um marqueteiro

O deputado federal Cacá Leão (PP) analisa a possibilidade de transferir seu título de eleitor de Lauro de Freitas para Salvador até abril próximo. Se à informação for acrescentada outra, de que ele também teria se entrevistado recentemente com um marqueteiro político, não fica difícil deduzir que pode estar, de fato, avaliando a possibilidade de concorrer à Prefeitura da capital baiana em 2020. No partido do filho do vice-governador João Leão, se diz que Cacá não tem nada a perder se decidir avançar para a disputa. Aliás, construiria um palanque não só para ele, mas para o pai, que muitos acreditam que pode se tornar um nome forte para a sucessão estadual de 2022 se conseguir transformar o sonho da ponte Salvador-Itaparica em realidade.

21 de março de 2019, 20:16

BRASIL Coronel Lima sentou no sofá e tentou esconder celular da PF

Foto: Divulgação/PF

Coronel Lima tentou esconder celular embaixo do sofá após a chegada da Polícia Federal a sua casa

O coronel reformado da Polícia Militar João Baptista Lima Filho preso nesta quinta-feira, 21, pela Operação Descontaminação, tentou esconder celular após a chegada da Polícia Federal a sua casa em São Paulo. O coronel Lima disse aos agentes que estava passando mal e sentou no sofá da sala de sua residência. Quando ele se levantou, a PF encontrou os aparelhos embaixo de uma das almofadas do sofá. Coronel Lima é amigo do ex-presidente Michel Temer (MDB) há mais de 40 anos. A Descontaminação, desdobramento da Lava Jato, afirma que o militar reformado da Polícia Militar de São Paulo é um dos operadores financeiros do emedebista. Ambos foram presos. O juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Criminal Federal do Rio, mandou custodiar por tempo indeterminado também a mulher de Lima, Maria Rita Fratezi, o ex-ministro Moreira Franco (Minas e Energia) e os empresários Carlos Alberto Costa, Carlos Alberto Costa Filho, Vanderlei de Natale e Carlos Alberto Montenegro Gallo. O juiz ainda decretou as custódias temporárias de Rodrigo Castro Alves Neves e Carlos Jorge Zimmermann. Até as 18h, a PF já havia prendido nove dos dez alvos da Descontaminação. Somente Carlos Alberto Montenegro Gallo ainda não havia sido capturado. Ele estava em negociação para apresentação. O magistrado ordenou busca e apreensão nos endereços desses investigados, assim como da filha do ex-presidente Maristela Temer, do almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, de Ana Cristina da Silva Toniolo e de Nara de Deus Vieira. Também foram realizadas buscas nas empresas vinculadas aos investigados. A ação que prendeu Temer e seus aliados é decorrente da Operação Radioatividade, que mirou um esquema de cartel, corrupção ativa e passiva, lavagem de capitais e fraudes à licitação que atuou na construção da usina nuclear de Angra 3. A nova investigação apura pagamentos ilícitos feitos por determinação do empreiteiro José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix, para ‘o grupo criminoso liderado por Michel Temer, bem como de possíveis desvios de recursos da Eletronuclear para empresas indicadas pelo referido grupo’. A Lava Jato identificou um ‘sofisticado esquema criminoso para pagamento de propina na contratação das empresas Argeplan, AF Consult Ltd e Engevix para a execução do contrato de projeto de engenharia eletromecânico 01, da usina nuclear de Angra 3’. O Ministério Público Federal afirmou que a Argeplan, de coronel Lima, ‘participou do consórcio da AF Consult LTD, vencedor da licitação para a obra da Usina Nuclear de Angra 3, apenas para repassar valores a Michel Temer’. Segundo a Procuradoria, a AF Consult do Brasil e a Argeplan não tinham pessoal e expertise suficientes para a realização dos serviços, e, por isso, houve a subcontratação da Engevix. No curso do contrato, conforme a investigação, coronel Lima solicitou ao sócio da empresa Engevix o pagamento de propina, em benefício de Michel Temer. A Lava Jato destaca que a propina foi paga no final de 2014 com transferências totalizando R$ 1,91 milhão da empresa da Alumi Publicidades para a empresa PDA Projeto e Direção Arquitetônica, controlada pelo coronel Lima. Para justificar as transferências de valores foram simulados contratos de prestação de serviços da empresa PDA para a empresa Alumi. O empresário que pagou a propina afirma ter prestado contas de tal pagamento para o coronel Lima e para Moreira Franco. As investigações apontaram que os pagamentos feitos à empresa AF Consult do Brasil ensejaram o desvio de R$ 10, 859 milhões, ‘tendo em vista que a referida empresa não possuía capacidade técnica, nem pessoal para a prestação dos serviços para os quais foi contratada’. De acordo com a Lava Jato, o esquema ‘praticou diversos crimes envolvendo variados órgãos públicos e empresas estatais, tendo sido prometido, pago ou desviado para o grupo mais de R$ 1,8 bilhão. A investigação aponta que diversas pessoas físicas e jurídicas usadas de maneira interposta na rede de lavagem de ativos de Michel Temer continuam recebendo e movimentando valores ilícitos, além de permanecerem ocultando valores, inclusive no exterior. Os procuradores afirmam que ‘quase todos os atos comprados por meio de propina continuam em vigência e muitos dos valores prometidos como propina seguem pendentes de pagamento ao longo dos próximos anos’. Segundo a força-tarefa, as apurações também indicaram uma espécie de braço da organização, especializado em atos de contrainteligência, a fim de dificultar as investigações, tais como o monitoramento das investigações e dos investigadores, a combinação de versões entre os investigados e, inclusive, seus subordinados, e a produção de documentos forjados para despistar o estado atual das investigações. O Ministério Público Federal requereu a prisão preventiva de alguns dos investigados, pois, todos esses fatos somados apontam para a existência de uma organização criminosa em plena operação, envolvida em atos concretos de clara gravidade.

Estadão Conteúdo

21 de março de 2019, 20:01

BRASIL ‘Não estou preocupado com pesquisas porque não têm credibilidade’, diz Bolsonaro

Foto: Alberto Valdés/EFE

Presidente Jair Bolsonaro durante coletiva de imprensa em Santiago, Chile, durante primeira viagem oficial ao País

O presidente Jair Bolsonaro minimizou, durante viagem ao Chile nesta quinta-feira, 20, a pesquisa do Ibope divulgada nesta quarta-feira, 20, que apontou queda de 49% em janeiro para 34% em março no índice de aprovação de seu governo no Brasil. Ao desembarcar em Santiago para uma agenda de três dias, Bolsonaro declarou que levantamentos como esse não têm credibilidade. “Eu não estou preocupado com pesquisas porque também não têm credibilidade, assim como pesquisas eleitorais”, declarou, citando que institutos de pesquisa haviam apontado, em 2018, que ele perderia para qualquer candidato que enfrentasse no segundo turno. Para este sábado, 23, protestos estão convocados na capital chilena durante a agenda bilateral do presidente brasileiro com o presidente do Chile, Sebastian Piñera. Bolsonaro afirmou que há manifestações contrárias a ele em qualquer lugar que viaja e que os brasileiros que o elegeram votaram “do coração”. “Essas pessoas que reclamam hoje acho que eles não queriam que o Brasil caminhasse para a situação que se encontra a nossa Venezuela, onde o povo luta bravamente para se libertar das garras da ditadura”. Para a ocasião, líderes do Congresso chileno recusaram convites para o almoço que será oferecido a Bolsonaro. Perguntado sobre o tema, o brasileiro afirmou apenas que não foi responsável pelos convites e que quem os distribuiu – ou seja, o governo do Chile – sabia quem estava convidando. Na sexta-feira, 22, Bolsonaro se junta a outros seis presidentes sul-americanos para uma cúpula de integração da região. A proposta é oficializar a criação de um bloco em substituição à Unasul (União de Nações Sul-Americanas). A expectativa do presidente brasileiro é, durante o encontro, “selar o fim da Unasul”, conforme declarou ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Santiago.

Estadão Conteúdo

21 de março de 2019, 19:45

SALVADOR Prefeitura entrega escola reformada no bairro de Tancredo Neves

Foto: Betto Jr/Secom PMS

Escola Municipal Maria da Conceição Santiago Imbassahy, localizada no bairro de Tancredo Neves

Os alunos e professores da Escola Municipal Maria da Conceição Santiago Imbassahy, em Tancredo Neves, passarão o ano letivo em um ambiente mais confortável e adequado ao aprendizado. Isso porque a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Smed), reformou a unidade de ensino, que foi reinaugurada nesta quinta-feira (21) pelo vice-prefeito Bruno Reis, na companhia do secretário de Educação, Bruno Barral. Em conversa com as crianças, Bruno Reis destacou a importância dos estudos para a realização dos sonhos, especialmente na vida adulta. “É a educação que nos dá independência, assim como o conhecimento necessário para enfrentarmos as dificuldades e lutarmos pela conquista dos nossos sonhos”, assinalou. Ele ainda elogiou o trabalho da equipe da rede pública de ensino da capital baiana. De acordo com o vice-prefeito, a administração municipal investiu R$ 362 mil para reformar a Escola Maria da Conceição Santiago Imbassahy, que recebeu serviços de pintura, impermeabilização de lajes e instalação de forros e telhados. “Agora, vocês estudam em uma escola que não deve nada a qualquer colégio particular de Salvador”, afirmou. Renovação – O vice-prefeito também garantiu a manutenção do serviço especializado para estudantes com deficiência da rede municipal de ensino. Acompanhado do secretário de Educação, Bruno Reis assinou o documento de renovação do termo de fomento ao Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral (NACPC), em solenidade na sede da instituição, no Alto de Ondina, na manhã desta quinta-feira.

21 de março de 2019, 19:30

BRASIL Aos gritos de ‘ladrão’, Temer chega à sede da PF no Rio

Foto: Ricardo Moraes/Reuters

O ex-presidente Michel Temer chega à sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro

O ex-presidente Michel Temer (MDB) chegou à Superintendência da Polícia federal no Rio de Janeiro, onde ficará preso preventivamente. Um grupo de cerca de dez manifestantes esperava a chegada do ex-presidente, que foi chamado de golpista e ladrão. Dois deles ergueram uma bandeira do Brasil. O juiz Marcelo Bretas, que determinou a prisão de Temer, decidiu mantê-lo no local e afirmou que o tratamento deve ser o mesmo dado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Polícia Federal de Curitiba desde abril de 2018.

Folhapress

21 de março de 2019, 19:15

BRASIL Procurador afirma que grupo de Temer movimentou R$ 1,8 bilhão em propinas

Foto: Alan Santos/PR

O ex-presidente Michel Temer

A força-tarefa da Operação Lava Jato afirma que ao esquema atribuído ao ex-presidente Michel Temer (MDB) foi ‘transferido ou prometido’ R$ 1,8 bilhão em propina até o momento. Temer e o ex-ministro Moreira Franco (Minas e Energia) foram presos nesta quinta-feira, 21. “Esse grupo criminoso que está sendo investigado e foi objeto hoje das medidas cautelares adotava como modus operandi no recebimento de propina o parcelamento dessa propina por vários e vários anos. Todas as propinas que nós identificamos ou que já tenham sido objeto de denúncia ou que estejam em investigação em relação a essa organização criminosa promessa de propina ou propina paga nós somamos e chegamos a essa cifra de R$ 1,8 bilhão”, afirmou o procurador regional da República José Augusto Vagos. “Esse parcelamento de propina também é fundamento para o pedido de prisão e para a prisão efetivamente porque algumas dessas empresas envolvidas, elas permanecem sendo contratadas com órgãos públicos, o que pode denotar ainda propinas previamente acertadas que podem ainda estar sendo pagas ou acertadas para serem pagas mais para frente”. No pedido de prisão, a Lava Jato incluiu uma tabela com três colunas: área de influência, valor de propina paga/prometida ou desviado e situação atual. Na primeira linha, os procuradores ligaram a Usina EPE & J&F ao valor de R$ 720 milhões (R$ 500 mil por semana, durante 30 anos) e à informação ‘interrompida pela deflagração das investigações’. A Lava Jato indicou relacionou ‘Câmara dos Deputados (OAS)’ ao valor de R$ 7,8 milhões. A situação atual, segundo a Procuradoria, é ‘dinheiro em espécie, empresas de fachada, pagamento de boletos, doleiros, crédito em conta no exterior (recebida e ocultada)’. Os investigadores incluíram na tabela o valor de ‘R$ 5,9 milhões (valores comprovadamente recebidos, muito inferiores aos prometidos pelos próximos 70 anos)’ ao Decreto dos Portos. De acordo com o Ministério Público Federal, a situação atual é ‘empresas de fachada, contratos fictícios (parte recebida e ocultada, maior parte a receber)’. A tabela aponta que o somatório de todas as propinas pagas ou prometidas alcançou R$ 1,8 bilhão. “Os valores ilícitos até agora recebidos ou prometidos, além dos desviados, passam, portanto, de R$ 1,816 bilhão, sendo que boa parte desses valores da organização criminosa permanecem ocultos, por meio de ações atuais e permanentes de lavagem, com outros ainda permanecem pendentes de recebimento. Trata-se de fundamento bastante evidente para decretação de prisão preventiva do líder da organização criminosa”, apontou a Lava Jato. Leia mais no Estadão.

Estadão Conteúdo

21 de março de 2019, 19:01

BAHIA Audiência pública debate projeto da Ponte Salvador-Itaparica

Foto: Elói Corrêa/GOVBA

Projeto da Ponte Salvador-Itaparica é tema de audiência pública promovida pelo governo do Estado

Representantes da sociedade civil conheceram o projeto do Sistema Rodoviário Ponte Salvador-Ilha de Itaparica em audiência pública realizada nesta quinta-feira (21), no auditório da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra). Composto por moradores da região e empresários do ramo da construção civil, o público também apresentou contribuições ao projeto. O secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, conduziu a audiência, com a presença do vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão, e outros secretários. “Até o fim de março, qualquer pessoa pode participar da consulta pública [no site da Seinfra] sobre a construção da Ponte Salvador-Itaparica e dar a opinião ou sugestão, para que a gente possa aprimorar o edital e, no segundo semestre deste ano, na Bolsa de Valores, seja aberta a proposta vencedora da licitação”, explicou Cavalcanti. Para o secretário de Infraestrutura, além de garantir a legalidade e os anseios da comunidade, “com a consulta pública, a gente percebe se a equação financeira que está sendo montada e as garantias que estão sendo oferecidas são suficientes para que possa haver uma proposta vencedora”. Presidente da ONG Pró-Mar, voltada para a conservação da Baía de Todos-os-Santos, José Roberto Caldas Pinto, conhecido como Zé Pescador, destacou que “o projeto é muito importante e deve ser pensado não apenas no sentido de ser um atalho entre a Ilha de Itaparica e a capital. É preciso pensar também a questão da sustentabilidade. As audiências são importantes porque dão legitimidade e reforçam o compromisso de uma obra bem executada. Então, a gente vê o projeto com bons olhos”. Já a prefeita de Itaparica, Marlylda Barbuda, disse torcer para “que a ponte chegue o quanto antes. Temos certeza que ela trará benefícios, como maior arrecadação e proximidade com a capital. Nós já temos visto um movimento de aquisição de imóveis. Com a ponte, temos a possibilidade de organizar a cidade de uma melhor forma”. Segundo João Leão, em breve haverá a licitação. “Este é um grande passo, importantíssimo para o desenvolvimento econômico da Bahia. Nós vamos fazer com que 250 municípios baianos fiquem mais próximos da capital. Belmonte vai ficar 283 quilômetros mais próximo de Salvador, e Porto Seguro vai ficar 250 quilômetros mais perto”, afirmou.

21 de março de 2019, 18:45

BRASIL Lava Jato não precisa de pirotecnia para sobreviver, diz Lula sobre prisão de Temer

Foto: Nilton Fukuda/Estadão

O ex-presidente Lula

A conta oficial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso em Curitiba, divulgou críticas à força-tarefa da Lava Jato, que prendeu o ex-presidente Michel Temer (MDB) nesta quinta-feira (21). “A Lava Jato tenta desviar a atenção do descrédito em que estava caindo e do fundo de R$ 2,5 bilhões que negociaram com os EUA. A Força Tarefa não precisa de pirotecnia para sobreviver, precisa de sobriedade”, diz o tuíte. Em outra publicação, também definida como um recado de Lula, o petista afirma que ninguém pode ser preso sem o devido processo legal. “Instituições poderosas como o MP e a PF não podem ficar fazendo espetáculo. Todo aquele que cometer um crime, se o crime for provado, tem que ser punido. Seja o Temer, ou o Lula. Seja o FHC ou o Bolsonaro. Ninguém pode ser preso sem o devido processo legal”.

Folhapress

21 de março de 2019, 18:26

BRASIL Por ‘isonomia’ a Lula, Temer ficará preso na PF

Foto: Ed Ferreira/Estadão

Os ex-presidentes Lula e Michel Temer

O juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Criminal Federal do Rio, determinou que o ex-presidente Michel Temer (MDB) fique preso na sede da Superintendência da Polícia Federal. O magistrado acolheu um pedido da defesa do ex-presidente. A força-tarefa da Operação Lava Jato havia requerido que ‘o investigado Michel Temer’ ficasse custodiado na Unidade Prisional da Polícia Militar do Estado. “A despeito da manifestação do Ministério Público Federal, que reiterou o requerimento anterior, para que o investigado Michel Temer fique custodiado na Unidade Prisional da PMERJ, entendo que o tratamento dado aos ex-presidentes deve ser isonômico, uma vez que o ex-presidente Lula está custodiado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba”, ponderou Bretas. O juiz destacou que a Superintendência da PF no Rio informou a ele que ‘tem condições’ de custodiar Temer. “Defiro o requerimento de fls. 5559/5560, para que o investigado preso Michel Miguel Elias Temer Lulia fique custodiado na sede da Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro”. A PF pediu orientação sobre itens que eventualmente pode oferecer ao prisioneiro, como aparelho de TV e frigobar. “Quanto aos itens mínimos, remeto também ao tratamento dado ao ex-presidente Lula, dentro, porém, das possibilidades desta Regional”.

Estadão Conteúdo

21 de março de 2019, 18:26

EXCLUSIVA Assembleia descobre, indignada, que Cícero Monteiro solta tudo para um privilegiado

Foto: Divulgação/Arquivo

Cícero Monteiro é chefe de Gabinete do governo estadual

Corre na Assembleia Legislativa a história de que, esta semana, um aliado teria levado ao governador Rui Costa (PT) uma queixa contra o seu chefe de Gabinete, o super-simpático, “que não faz mal a uma mosca”, Cícero Monteiro. Contou ele a Rui que não há conversa que se tenha com Monteiro, por mais sigilosa que os interlocutores a considerem, que não chegue imediatamente aos ouvidos de um “intrometido” empresário baiano e daí se espalhe pelos mais diversos canais, todos de interesse do executivo. Segundo relatos, depois de fazer uma careta, para o que não precisou mover muitos músculos da face, Rui teria saído com uma tese, meio que disfarçando o desconforto e colocando panos quentes na conversa, de que seu chefe de Gabinete só vaza conteúdos de baixo teor ofensivo. O interlocutor, entretanto, mesmo não se considerando bom em tiro, teria saído do encontro sentindo que atingiu o alvo em cheio.

21 de março de 2019, 18:08

BRASIL Maia diz que prisão de Temer não deve atrapalhar a reforma da Previdência

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quinta-feira, 21, ao Broadcast Político que a prisão do ex-presidente da República Michel Temer não deve atrapalhar a reforma da Previdência, em tramitação na Casa. Há um temor no mercado financeiro e também na classe política de que os acontecimentos tenham um efeito similar ao que ocorreu em 2017, com as delações da JBS, que acabaram impactando negativamente a tentativa anterior de reformar a máquina previdenciária do País. Em relação ao adiamento da indicação do relator da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Nova Previdência na Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ), Maia disse apenas que, no colegiado, a responsabilidade é do PSL. A comissão é presidida pelo deputado Felipe Francischini (PSL-PR) que decidiu hoje adiar a escolha do relator até que o governo dê mais explicações sobre o projeto de lei dos militares. “CCJ é do partido do presidente. Lá é com ele”, disse Maia. O presidente da Câmara está sofrendo ataques nas redes sociais, inclusive no perfil do filho de Bolsonaro, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSL-RJ). No Instagram, Carlos escreveu: “Por que o presidente da Câmara está tão nervoso?” e reproduziu um texto que fala sobre o embate recente entre Maia e o ministro da Justiça, Sergio Moro. Nesta quinta-feira, 21, Maia respondeu com firmeza as declarações de Moro. O ministro da Justiça queria que Maia revisse o prazo dado ao pacote de medidas de segurança pública enviado à Câmara. No entanto, o parlamentar já havia decidido anteriormente que a Casa só iria analisar os projetos de segurança, após a aprovação da Previdência. Em nota, Moro afirmou que “talvez alguns entendam que o combate ao crime pode ser adiado indefinidamente, mas o povo não aguenta mais”. A frase foi interpretada como um recado para Maia sobre os episódios de hoje. Questionado se ele vê nas declarações de Moro e Carlos Bolsonaro um ataque à classe política, Maia disse que não. “Eu apenas estou respeitando a Constituição. Os poderes são independentes”, declarou.

Estadão Conteúdo

21 de março de 2019, 18:00

BRASIL Bolsonaro: acordos políticos em nome da governabilidade levaram à prisão de Temer

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O presidente Jair Bolsonaro

Ao desembarcar em Santiago, no Chile, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 21, que a prisão do ex-presidente Michel Temer foi resultado dos acordos políticos feitos pelo emedebista em nome da governabilidade. “O que levou a essa situação, pelo que parece, são os acordos políticos dizendo-se em nome da governabilidade”, disse Bolsonaro, quando perguntado sobre a prisão de Temer. Ele procurou se diferenciar do antecessor afirmando que governa sem esse tipo de acordo. “A governabilidade você não faz com esse tipo de acordo, no meu entender. Você faz indicando pessoas sérias e competentes para integrar o seu governo. É assim que fiz no meu governo, sem acordo político, respeitando a Câmara e o Senado brasileiro.” Por duas vezes, Jair Bolsonaro declarou que a Justiça é para todos. “Cada um responda pelos seus atos. A Justiça nasceu para todos”, disse, sobre Temer.

Estadão Conteúdo

21 de março de 2019, 17:50

ECONOMIA Empresa de calçados deve gerar 400 empregos em Madre de Deus

Foto: Divulgação

Empresa gaúcha Conforto Calçados de Segurança vai investir R$ 8 milhões em fábrica na cidade de Madre de Deus

A empresa gaúcha Conforto Calçados de Segurança assinou protocolo de intenções com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), nesta quinta-feira (21), para implantar uma fábrica de calçados e luvas de couro, voltados para linha de EPI, no município de Madre de Deus. O empreendimento vai investir R$ 8 milhões e deve gerar 280 empregos diretos e mais 150 indiretos. “Temos avançado na atração de empresas para o interior do nosso estado e isto significa criar postos de trabalho para os baianos. A Conforto é uma empresa séria, há 34 anos no mercado, e vai contribuir com o desenvolvimento econômico do município, onde montarão uma filial produtiva de qualidade”, comentou João Leão, vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico. De acordo com o executivo da Conforto, Davi Santos, o grupo deseja expandir o percentual de venda da marca na Bahia, que atualmente é de 4%. “A Bahia tem muitas novas possibilidades de negócios e este foi um dos motivos que nos levou a escolher o estado, pelo bom posicionamento estratégico em relação à região Nordeste do país. Isto nos ajuda com novos clientes e facilidade de venda, além, é claro, dos incentivos fiscais que o governo oferece”, afirmou. A empresa é uma das 5 marcas mais lembradas e reconhecidas do país e está aumentando suas exportações. A planta industrial de Madre de Deus terá uma produção mensal de 80 mil pares. O prefeito do município, Jeferson Andrade, e o deputado estadual Niltinho participaram do ato.