19 de agosto de 2017, 10:00

SALVADOR Travessia Salvador-Mar Grande tem intenso movimento após período de parada

Com manhã de sol na capital e em toda a Ilha de Itaparica, o movimento de embarque no Terminal Náutico é bom neste sábado (19), com muitas pessoas utilizando a travessia Salvador-Mar Grande para se deslocarem para as praias da Ilha. Como ocorreu uma parada por conta da maré baixa entre as 6h30 e 8h15, foram feitas saídas extras no Terminal Náutico. A expectativa é de que o fluxo de passageiros cresça e se isso ocorrer as saídas passam a ser de 15 em 15 minutos – normalmente são de meia em meia hora. A travessia está com oito embarcações em tráfego e a Baía de Todos os Santos registra excelentes condições de navegação, com mar calmo e ventos fracos. O período de maré baixa prolongada começou hoje e vai até o dia 25. Os usuários devem ficar atentos pois neste sábado o último horário saindo de Salvador será às 19h e não às 20h, como normalmente acontece. De Mar Grande, a última embarcação deixará o Terminal de Vera Cruz às 18h30. O tempo de viagem da travessia fica entre 35 e 40 minutos. Morro de São Paulo e Escunas – A travessia para Morro de São Paulo também está sendo bastante requisitada e com previsão de que todos os catamarãs deixxem o Terminal Náutico com lotação completa. O primeiro catamarã partiu às 8h30 e depois ocorrem saídas às 9h, 10h30, 13h e 14h30. Para quem vem do Morro para Salvador, os horários são às 9h, 11h30, 13h e 15h. A viagem de catamarã é direta dura duas horas e 20 minutos. Com grande procura neste sábado, as escunas de turismo que fazem o passeio pelas ilhas da Baía de Todos os Santos vão zarpar do Terminal Náutico, às 9h com lotação completa. Muitos baianos e turistas vão fazer o tour hoje, com paradas na Ilha dos Frades e em Itaparica e retorno a Salvador às 17h30.

19 de agosto de 2017, 09:47

BRASIL Governo prevê economia de R$17 bi com fim de fraudes

O governo prevê economizar R$ 17 bilhões até o fim de 2018 com o cancelamento de auxílios-doença que estão sendo pagos de forma irregular e com a restrição de novas concessões. O balanço parcial da revisão no programa, iniciada em agosto do ano passado, já registra uma economia de R$ 3 bilhões, de acordo com dados do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) até o mês passado antecipados ao ‘Estadão/Broadcast’. O auxílio doença é um benefício pago a trabalhadores que, por conta de uma doença ou um acidente, fiquem temporariamente incapazes para o trabalho. Mas os peritos do INSS detectaram fraudes que fazem com que o pagamento seja efetuado por anos a fio. Os casos incluem uma mulher que obteve o auxílio por gravidez de risco e que ainda recebia o benefício cinco anos depois, ou de uma pessoa que quebrou a perna e recebia o benefício havia 12 anos, mesmo depois de a fratura ter sido corrigida. O pente-fino deve ser concluído até dezembro de 2018. Do que já foi cancelado até agora, o governo concluiu que cinco doenças são as mais recorrentes entre os auxílios irregulares: transtorno de disco da coluna, dor lombar, depressão leve, alterações no nervo ciático e paniculite (inflamação na pele). Com as medidas, o número de benefícios pagos mensalmente já caiu de 1,8 milhão para 1,4 milhão, e a projeção do MDS é que o “ponto de equilíbrio” futuro seja o pagamento de 1 milhão de auxílios-doença. Quando isso acontecer, a economia será de R$ 12 bilhões a R$ 13 bilhões ao ano em relação ao valor gasto antes das revisões, que era de R$ 30 bilhões.

Estadão Conteúdo

19 de agosto de 2017, 09:34

BRASIL Depoimento de Marcos Valério dura três horas

Foto: Divulgação

O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza

O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza depôs ontem por três horas à Polícia Federal em Belo Horizonte, no âmbito da proposta de colaboração premiada firmada com a corporação. Com cerca de 60 anexos, a proposta cita políticos do PT e do PSDB. O delegado regional de Combate ao Crime Organizado, Marcílio Miranda, disse que ele foi intimado porque citados no acordo estariam tentando cooptar testemunhas. “Acho que estamos no caminho certo”, disse o advogado de Valério, Jean Kobayashi. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadão Conteúdo

19 de agosto de 2017, 09:21

BRASIL Ex-secretário de Paes diz que ‘Rei do Ônibus’ pediu ‘pesquisa sobre quadro político do Rio’

O ex-secretário Rodrigo Bethlem, da gestão Eduardo Paes (PMDB), afirmou em depoimento à Polícia Federal que o empresário Jacob Barata Filho, o ‘Rei do Ônibus’, solicitou a ele ‘pesquisas sobre o quadro político da cidade do Rio de Janeiro’. Bethlem declarou que seu relacionamento com Barata Filho era ‘profissional’. Segundo a força-tarefa da Lava Jato, no Rio, Bethlem é ‘homem de confiança’ do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e de Paes. O ex-secretário do Rio foi alvo de mandado de busca e apreensão na terça-feira, 15, em desdobramento da Operação Ponto Final – que prendeu, em julho, a cúpula dos Transportes no Rio. “Não detinha amizade pessoal com o mesmo; que o mesmo não foi nenhum doador ou financiador de suas campanhas; que não se recorda de ter o celular pessoal de Jacob Barata FIlho, tendo, salvo engano, o telefone de seu escritório; que mantinha pouco contato com Jacob”, relatou. Durante o depoimento, Bethlem foi questionado sobre um e-mail de Jacob Barata Filho. Na mensagem havia ‘solicitação de realização de reuniões com o empresário, em 10 de março de 2016 para tratar de ‘assunto político’, com urgência’. Leia mais no Estadão.

Estadão

19 de agosto de 2017, 09:08

BRASIL ‘Se isso prevalecer o rabo abana o cachorro’, diz Gilmar

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, reagiu enfaticamente às críticas da Procuradoria da República que pede sua suspeição e impedimento por mandar soltar o empresário Jacob Barata Filho, o ‘rei do ônibus’. Ele atacou o que chama de ‘inversão’ de valores. “Se isso acontecer, o rabo abana o cachorro”, disse o ministro. “Aí, o Supremo passa a ser um órgão inferior em relação a promotores e juízes”, argumenta. Em 24 horas, entre quinta-feira, 17, e sexta, 18, Gilmar despachou duas vezes, esticando um habeas corpus em favor do ‘rei do ônibus’. Ele revogou decreto de prisão preventiva expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal do Rio. Barata é o alvo maior da Operação Ponto Final, desdobramento da Lava Jato que desmontou esquema de corrupção no setor de transportes do Rio. Os procuradores se apegam ao fato de Gilmar ter sido padrinho de casamento da filha de Barata Filho, Beatriz, em julho de 2013. E que sua mulher, Guiomar Mendes, trabalha num escritório de advocacia que defende investigados da Lava Jato, o escritório Sergio Bermudes. “As regras de impedimento e suspeição para atuar no processo estão previstas em lei”, diz o ministro. “A minha mulher é tia do noivo. Era madrinha. Eu a acompanhei. Só. Não tenho qualquer relacionamento com a família (Barata). A primeira vez que os vi e isso foi só. Além disso, o casamento se desfez em seguida. O casal se separou. Eu não tenho nenhuma relação.” O ministro mostra indignação com o cerco que sofre cada vez que manda soltar algum investigado da Operação Lava Jato. “Toda vez que se concede habeas corpus vem essa onda toda. Eles imaginam que não se pode soltar as pessoas, não pode dar liberdade.” “Você sabe como é a vida pública. Se a gente ficar impedida de julgar todas as pessoas com quem cruzamos ia ser uma tragédia. Não poderia nem julgar. Eu dei habeas corpus para o Edinho (filho de Pelé). Conheço o pai dele. Então, estava impedido?”

Estadão

19 de agosto de 2017, 08:54

BRASIL Delação da PF ganha apoio no Supremo

Foto: Estadão

Sessão no plenario do Supremo Tribunal Federal

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ouvidos pelo Estado sinalizam apoio à possibilidade de que a Polícia Federal celebre acordos de delação premiada. Ao menos quatro integrantes da Corte consideram que é constitucional que a colaboração seja feita por delegado de polícia, como prevê a legislação. A avaliação interna de um ministro é de que o plenário deve formar maioria para permitir que a PF feche os acordos. A Procuradoria-Geral da República (PGR) propôs no Supremo, em abril do ano passado, uma ação pedindo para que seja declarada a inconstitucionalidade do trecho da lei de organizações criminosas que permite ao delegado de polícia firmar acordos. A Procuradoria-Geral da República (PGR) propôs no Supremo, em abril do ano passado, uma ação pedindo para que seja declarada a inconstitucionalidade do trecho da lei de organizações criminosas que permite ao delegado de polícia firmar acordos. Relator da ação que pede que a PF não possa celebrar os acordos, o ministro Marco Aurélio Mello já sinalizou publicamente que se posicionará a favor da possibilidade de a corporação realizar a delação. Ao Estado, o decano Celso de Mello apontou entendimento semelhante e disse que “não há dúvida” de que a polícia tem legitimidade para fechar os acordos. Outros dois ministros admitem reservadamente não ver problemas na celebração do acordo pela PF. Desde o início deste mês, o diretor-geral da PF, Leandro Daiello, tem feito um périplo em gabinetes de ministros para explicar o posicionamento dos policiais.

Estadão Conteúdo

19 de agosto de 2017, 08:42

ECONOMIA Tecnologia puxa reação da indústria

As indústrias que usam mais tecnologia em suas linhas de montagem, como as fabricantes de eletroeletrônicos, automóveis e máquinas, têm puxado a reação da produção industrial este ano. Um estudo do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) obtido com exclusividade pelo Estadão/Broadcast revela que esses setores cresceram acima da média no primeiro semestre deste ano. O movimento foi puxado pela produção de telefones celulares, computadores, televisores, automóveis e máquinas para o setor agrícola. Uma demanda impulsionada pela liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviços (FGTS) inativo, pelas exportações e pela supersafra de grãos. O estudo do Iedi divide a indústria em quatro categorias de intensidade tecnológica: alta, média-alta, média-baixa e baixa. No primeiro semestre, as duas primeiras categorias cresceram acima da produção industrial total, que avançou 0,5% ante 2016, o primeiro crescimento após seis semestres de queda. A produção da indústria de alta intensidade avançou 1,4%, enquanto a de média-alta cresceu 2,7%. Já as indústrias de média-baixa e baixa intensidade ficaram com desempenho abaixo da média, com quedas de 3,1% e 0,2%, respectivamente. O cenário mais positivo já surgiu, por exemplo, no balanço da Weg do segundo trimestre, divulgado há um mês. A fabricante de equipamentos eletroeletrônicos para automação registrou lucro líquido de R$ 272 milhões, crescimento de 6,7% sobre o mesmo período de 2016, embora a receita líquida tenha caído 2,3%, para R$ 2,3 bilhões. Nos comunicados ao mercado sobre os resultados, a Weg citou que “o cenário doméstico é de relativa melhora”. Além disso, houve recuperação de vendas nos principais mercados da companhia no exterior, embora a receita com exportações tenha sido atrapalhada pelo câmbio, disse o diretor André Luís Rodrigues, a analistas no mês passado.

Agência Brasil

19 de agosto de 2017, 08:30

ECONOMIA Governo prorroga regime aduaneiro especial para setor petroleiro até 2040

O governo federal anunciou hoje (18) a renovação do regime aduaneiro especial de exportação e de importação de bens destinados às atividades de pesquisa e de lavra das jazidas de petróleo e de gás natural (Repetro) até 2040. O Repetro tinha um prazo de conclusão em 2019 e sua prorrogação era uma medida aguardada pelo mercado e pelo setor de óleo e gás. O governo também publicou nesta sexta-feira, no Diário Oficial da União, a Medida Provisória (MP) 795/2017, que “institui regime tributário especial para as atividades de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos.” Para a Petrobras, a renovação do Repetro é mais um aperfeiçoamento importante do ambiente regulatório. Segundo a estatal, a medida combinada com o fim da obrigatoriedade da Petrobras de ser operadora única e deter pelo menos 30% em todos os campos do pré-sal, completa o conjunto de três ações, que inclui o aperfeiçoamento do sistema de conteúdo local. ”[A renovação do Repetro] completa um tripé que aumenta a competitividade dos ativos que serão oferecidos nos próximos leilões, destrava investimentos e dá à indústria um horizonte seguro para suas atividades”, disse a empresa por meio de nota.

Agência Brasil

19 de agosto de 2017, 08:17

BRASIL Crítico de ladrão deve entrar na política, diz Lula

Foto: Ricardo Stuckert

Mulher se emociona ao encontrar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no município de Cruz das Almas (BA)

Condenado a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Lava Jato no caso do triplex do Guarujá, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira, 18, no segundo dia da caravana ao Nordeste, que, se o cidadão não quiser ser governado por “ladrão”, deve ele mesmo entrar na política. “Quando você disser que o Lula é ladrão, que o deputado tal é ladrão, que o prefeito tal é ladrão, quando todo mundo for ladrão e ninguém prestar, ainda assim você vai ter que tomar uma decisão que é a de entrar na política. Porque o político honesto que vocês querem está dentro de vocês”, disse o ex-presidente em palestra com ares de comício na 4.ª Jornada da Juventude em Cruz das Almas. Proibido pela Justiça de receber o título de doutor honoris causa da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Lula participou de dois atos públicos na cidade. O primeiro, na entrada da universidade, foi organizado às pressas para preencher o buraco na agenda da caravana. Antes, visitou a universidade fundada em 2006, no final de seu primeiro governo, e foi recebido pela direção, professores e funcionários que lhe presentearam com a escultura de uma machadinha de Xangô, o orixá guerreiro do candomblé. Leia mais no Estadão.

Estadão

19 de agosto de 2017, 08:04

SALVADOR Maurício Trindade pede a criação da Secretaria de Segurança Municipal

Foto: Divulgação

O vereador Maurício Trindade (DEM)

O vereador Maurício Trindade (DEM) se pronunciou sobre o ato do governador Rui Costa, que determinou a volta aos batalhões de 10 policias da Assistência Militar da Câmara Municipal. O parlamentar reforça a importância da criação de uma secretaria de segurança do município. “Sou o autor do Projeto de Indicação (37/2017), que solicita à Prefeitura a criação desta secretaria. Se nosso Projeto tivesse recebido a devida atenção, hoje não estávamos passando por esta situação”, afirmou. Em reunião nesta manhã na Câmara, Leo Prates e demais vereadores presentes decidiram entrar com mandado de segurança contra a decisão do governador e pediram reforço para a Guarda Municipal. “A segurança pública é uma das maiores prioridades de um governo, por isso precisamos ter independência nesta questão e criar uma Secretaria de Segurança que será gerida pelo município”, concluiu Maurício Trindade.

19 de agosto de 2017, 07:51

BRASIL Duas Lava Jato em uma otimizam recursos, diz PF

Foto: Divulgação

Delegado nega que faltem verbas para investigações e que 43.ª e 44.ª fases foram deflagradas no mesmo dia por questão operacional

A deflagração de duas fases da Operação Lava Jato no mesmo dia foi uma forma de “otimização dos recursos”, segundo o delegado da Polícia Federal Igor Romário de Paula, chefe das investigações em Curitiba. A 43.ª e 44.ª fases, batizadas de Abate e Sem Fronteiras, foram colocadas na rua de forma conjunta nesta sexta-feira, 18. “Quando falo em otimização dos recursos, não é porque eles faltaram. Não houve ordem para limitar recursos ou faltou recurso, e a gente foi obrigado a fazer ao mesmo tempo”, afirmou o delegado, em entrevista em que foi divulgado o balanço das operações. O ex-deputado Cândido Vaccarezza (ex-PT-SP) foi alvo de mandado de prisão expedido pelo juiz federal Sérgio Moro na Operação Abate. O ex-parlamentar, que foi líder dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, é investigado pelo recebimento de cerca de US$ 500 mil em propina. “Nós estamos trabalhando numa perspectiva de que os recursos para o Ministério da Justiça, assim como para todos os ministérios, estão escassos, e a gente tem que, usando um jargão antigo, fazer mais com menos.” Leia mais no Estadão.

Estadão

19 de agosto de 2017, 07:40

BRASIL O mensalinho dos gregos na Petrobrás

Foto: Estadão

Costa é o primeiro delator da Lava Jato

O cônsul honorário da Grécia no Rio, Konstantinos Georgios Kotronakis, alvo da Operação Sem Fronteiras – deflagrada nesta sexta-feira, 18 -, intermediava o pagamento de um “mensalinho” de propina para o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa para obter informações privilegiadas na estatal e beneficiar os estaleiros gregos nos milionários contratos de afretamento de embarcações. Em sua delação premiada com a Lava Jato, o ex-diretor da Petrobrás confessou – ainda em 2014 – que recebia de R$ 15 mil a R$ 30 mil mensais para repassar ” informações privilegiadas” para Konstantinos. “Tais informações privilegiadas eram posteriormente repassadas por Konstantinos para as companhias gregas, as quais poderiam reservar navios para as licitações da Petrobrás”, contou Costa – primeiro delator da Lava Jato. A força-tarefa afirma que Konstantinos e Georgios Kotronakis, seu filho, articularam pagamentos de propinas, no esquema criminoso articulado com Paulo Roberto Costa “em grande maioria, oriundos de contratos assinados e intermediados pelas empresas do Grupo Aegean e do Grupo Tsakos, estaleiros da Grécia. “A investigação ainda apura se outros armadores gregos integraram o esquema de pagamento de propinas comandado por Georgio Kotronakis e Kostantinos Kotronakis.” A Lava Jato já havia localizado mensagem do genro de Costa Humberto Mesquita em que ele fazia referência aos pagamentos dos Kotronakis por “navios” na Petrobrás.

19 de agosto de 2017, 07:33

BRASIL Lava Jato vê ‘intrincadas relações’ entre Gilmar e Rei do Ônibus

Foto: Divulgação

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF)

A Procuradoria da República no Rio afirma que o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e seus familiares têm ‘intrincadas relações’ com os empresários Jacob Barata Filho, o ‘Rei do Ônibus’, e Lélis Marcos Teixeira. A força-tarefa da Operação Lava Jato quer a suspeição do ministro para processos da Operação Ponto Final, que prendeu a cúpula dos Transportes do Rio. Em ofício de nove páginas enviado ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a Procuradoria criou um ‘diagrama’ sobre as ‘intrincadas relações’. Nele, os procuradores incluíram Gilmar Mendes, sua mulher Guiomar Mendes, o cunhado Francisco Feitosa e os empresários do ônibus. Gilmar deu um habeas corpus ao ‘Rei do Ônibus’ e a Lélis Teixeira na noite de quinta-feira, 17. Os dois nem chegaram a sair da prisão. O juiz federal Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal, do Rio, expediu novos mandados de prisão contra os empresários. Leia mais no Estadão.

Estadão

19 de agosto de 2017, 07:21

BRASIL MEC prorroga prazo de inscrições para cursos técnicos do Pronatec

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou até terça-feira (22) o prazo de candidatura ao Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) – Oferta Voluntária, que terminaria hoje. São oferecidas mais de 500 mil vagas gratuitas, tanto presenciais, quanto a distância, em cursos de formação inicial e continuada e cursos técnicos. As inscrições devem ser feitas pela internet, na página do Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica. Podem se candidatar todos os cidadãos brasileiros com mais de 15 anos. Os cursos, com duração mínima de 160 horas, são oferecidos por instituições privadas de educação profissional e tecnológica, de forma voluntária, e englobam as mais diversas áreas. Após efetivar a inscrição online, o candidato deverá validar a matrícula entre os dias 28 de agosto e 22 de setembro, no site da Instituição que ofertará o seu curso. As aulas terão início a partir de 28 de agosto.

Agência Brasil

19 de agosto de 2017, 07:08

BRASIL Presidente de instituto do PSDB diz que reação de tucanos é legítima

O ex-senador tucano José Aníbal, presidente do Instituto Teotônio Vilela, afirmou que a avaliação do senador Ricardo Ferraço (ES) de que a reação negativa à nova propaganda nacional do partido partiu de governistas é “uma intolerância que não contribui em nada”. “Acho que Ferraço comete um grande erro quando diz que quem não gostou do programa foram os governistas. Isso não faz sentido, ele está trazendo para o PSDB o discurso do ‘nós contra eles’”, disse Aníbal ao Broadcast Político. Ele também minimizou a participação do ex-presidente da República e presidente honorário do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, na elaboração do material, junto com o presidente interino da legenda, senador Tasso Jereissati (CE). “E daí que (o vídeo) foi aprovado por FHC? Ele é uma grande figura, mas e daí? Os outros não podem divergir?”, questionou. Aníbal afirmou que diversos integrantes do partido não gostaram do programa de maneira legítima, pois consideram que a peça traz “generalizações indevidas que confundem a população”. “É uma ação que, ao invés de olhar adiante, de ser uma ação assertiva, positiva, fica remoendo o passado”, disse o tucano. “O fundamental é uma ação que produza efeitos agora, é tentar fazer mudanças que são fundamentais avançarem e parar de ficar só no retrovisor”, continuou. O tucano defendeu que a discussão sobre a permanência da legenda ou não no governo se tornou “menor” e que o PSDB preciso focar a sua atuação nos próximos meses na aprovação de propostas em tramitação no Congresso Nacional, como a reforma política e a previdenciária. “Existem divergências internas, mas elas não podem deixar de nos fazer convergir em uma posição a favor do Brasil.” (Julia Lindner)

Estadão Conteúdo