19 de setembro de 2017, 17:38

BAHIA Comissão de Finanças da ALBA aprova contas de Rui de 2015

Foto: Reprodução/Flickr

Governador Rui Costa (PT)

As contas do Governo Rui Costa relativas ao exercício de 2015 foram aprovadas hoje (19) na Comissão de Finanças, Orçamento, Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa da Bahia, quando a maioria dos membros acatou o parecer favorável do deputado Zé Raimundo(PT). Agora falta a votação no plenário do legislativo, que deve acompanhar a comissão, na expectativa do relator.“O nosso parecer foi embasado na avaliação prévia do TCE (Tribunal de Contas do Estado), que de forma unânime se manifestou favorável à aprovação das contas do governador. Tenho certeza que haveremos de aprovar as contas de 2015 no plenário de forma definitiva”, declarou Zé Raimundo, que tem sido escolhido nas comissões de Finanças e Constituição e Justiça, para relatar importantes e projetos e as contas do Executivo e dos Tribunais de Contas (TCE e TCM). Ele rebateu as críticas da Oposição, que considerou de caráter “doutrinário e conceitual, sem base ou elementos para uma rejeição”.De acordo com Zé Raimundo, as recomendações feitas pelo TCE, citadas pela oposição, foram no sentido de melhor planejar, racionalizar e executar o orçamento, tratando-se do aspecto mais técnico. Em seu parecer, ele ressaltou o esforço do Governo para manter o equilíbrio das contas públicas e ao mesmo tempo realizar investimentos, especialmente, na conclusão de obras em andamento e no início de projetos relevantes. Ao final da votação, o deputado parabenizou o governador Rui Costa, que como tem frisado no plenário, tem se destacado por manter a Bahia entre os estados que mais investem em obras e ações nesse momento de crise econômica, enquanto outros sequer conseguem manter a folha de pessoal em dia.

19 de setembro de 2017, 17:37

SALVADOR Kiki Bispo elogia reforma administrativa de Neto

Foto: CMS/Antônio Queiroz

Vereador Kiki Bispo (PTB)

O vereador Kiki Bispo (PTB) elogiou a reforma administrativa anunciada nesta terça-feira (19) pelo prefeito ACM Neto, durante inauguração do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do bairro de Valéria. Segundo o petebista, as mudanças realizadas foram para melhorar ainda mais a “competente gestão da administração municipal”. “O prefeito ACM Neto fez uma minirreforma administrativa, trocou a secretária de Educação, Paloma Duarte, que veio da iniciativa privada e acho que não se adaptou à gestão pública, que tem um ritmo totalmente diferente, e colocou Bruno Barral, que já vinha fazendo um trabalho de excelência numa área ‘espinhosa’, que é a iluminação pública da cidade, disse o vereador, que presidiu a sessão ordinária desta quarta-feira. “Além disso, o prefeito ACM Neto remanejou alguns gestores, como Sósthenes Macedo, que assumiu a Codesal, e Júnior Magalhães, que já foi deputado estadual, homem de confiança do prefeito, que vai assumir a diretoria de iluminação de nosso município”, disse o vereador.

19 de setembro de 2017, 17:29

BRASIL Petistas aproveitam ausência de Temer para voltar ao Planalto

Com o presidente Michel Temer fora do País, aliados da ex-presidente Dilma Rousseff voltaram a frequentar o Palácio do Planalto depois de um ano e quatro meses. O senador Humberto Costa (PT-PE) e os deputados federais do PT Paulo Teixeira (SP), Benedita da Silva (RJ) e Chico D’Ângelo (RJ), e do PCdoB Jandira Feghali (RJ) e Luciana Santos (PE) estiveram pela última vez no Palácio no dia 12 de maio de 2016, quanto do afastamento de Dilma Rousseff da Presidência. “Foi uma sensação muito ruim. Não nos sentimos confortáveis. Trouxe de volta à memória as lembranças daquele dia”, comentou Jandira. Eles afirmam que só cumpriram tal agenda porque Michel Temer está nos Estados Unidos. Recebidos pelo presidente em exercício, Rodrigo Maia (DEM-RJ), os parlamentares estavam acompanhando um grupo de artistas para tratar do veto presidencial à prorrogação, até 2019, de incentivos previstos na Lei do Audiovisual. Maia disse a eles que considera o veto de Temer um erro e que vai organizar a base para derrubá-lo.

Estadão

19 de setembro de 2017, 17:23

SALVADOR Circo Imperial da China promete voltar a Arena Fonte Nova em 2018

A receptividade do público baiano e a estrutura da Arena Fonte Nova encantaram os artistas do Circo Imperial da China. Esta hospitalidade pode render uma nova turnê da trupe formada por 45 profissionais, entre acrobatas, dançarinos, contorcionistas e produtores. “Já estamos estudado a possibilidade de trazer em 2018 um espetáculo exclusivo que será realizado numa pista de patinação no gelo com acrobacias incríveis”, revela Luciano Alves, da Boom Produções, responsável pelas apresentações do Circo Imperial da China em todo o Brasil.A capital baiana foi a primeira no Nordeste a receber o espetáculo com milhares de visitantes nestes três dias, superando a média nacional. Da Bahia, a trupe segue para Natal (RN) e Recife (PE) para novas apresentações. O espetáculo na Arena Fonte Nova teve seis sessões especiais e possibilitou um show de acrobacias, efeitos visuais e sonoros. “O formato da Arena permitiu uma excelente visão para os visitantes. O local é muito apropriado não só para eventos esportivos, mas para esse tipo de show”, comentou Alves. A inclinação mais vertical das arquibancadas também proporciona maior proximidade do público com a apresentação. E quem não conseguiu comparecer à Arena Fonte Nova teve a oportunidade de conferir o espetáculo através da transmissão de vídeo realizada por meio do Facebook do complexo multiuso. Os internautas puderam acompanhar as acrobacias emocionantes do Circo Mundial da China.Com mais este evento, a Arena Fonte Nova continua credenciando Salvador no circuito internacional de grandes shows musicais e eventos culturais. O espaço já recebeu artistas como Elton John, Playing for Change, David Guetta, Dire Strait Legacy, Hanson e em outubro será a única capital do norte e nordeste a receber o astro Paul McCartney.

19 de setembro de 2017, 17:21

BRASIL MTST ocupa portaria do Ministério da Fazenda em protesto contra ajuste fiscal

Cerca de 100 militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) promovem uma manifestação na portaria principal do Ministério da Fazenda. Desde as 15h, eles protestam contra o ajuste fiscal e pedem o fim do congelamento de recursos do Programa Minha Casa, Minha Vida. A mobilização faz parte do Dia de Lutas por Teto e Trabalho, que promove manifestações em 10 capitais brasileiras. Em nota em sua página oficial no Facebook, o MTST reivindica a liberação imediata dos recursos para a contratação das 35 mil moradias previstas no Orçamento de 2017 no Programa Minha Casa Minha Vida, modalidade entidades. O movimento pede também a ampliação dos recursos para a moradia popular no Orçamento de 2018. Até o momento, o protesto é pacífico. Os manifestantes gritam palavras de ordem e cantam hinos na portaria do ministério, que foi fechada. Uma bandeira foi estendida na marquise do prédio principal, que teve as luzes dos corredores apagadas. A entrada e a saída dos funcionários estão sendo feitas pelo prédio anexo. O ministro Henrique Meirelles não está no prédio. Ele e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, estão viajando para Nova York com uma comitiva de 12 ministros que participará de seminários e reuniões com investidores internacionais.

Agência Brasil

19 de setembro de 2017, 17:18

BRASIL Citados na Lava Jato pediram visto e compraram imóveis em Lisboa em 2014

Foto: Jornal do Comércio

Pedro Novis está na lista do jornal português "Expresso"

O baiano Pedro Novis, que presidiu a Odebrecht entre os anos de 2002 e 2009, adquiriu uma propriedade em Lisboa no ano de 2014 por € 1,7 milhões, o equivalente a R$ 6,3 milhões, de acordo com o jornal português “Expresso”, que cita dois outros investigados na Lava Jato que teriam comprado imóveis em Portugal no ano em que a maior operação policial contra a corrupção no país ganhou força. São eles Otávio Azevedo, ex-presidente da segunda maior empresa de construção do Brasil, a Andrade Gutierrez, que comprou um imóvel de € 1,4 milhões (R$ 5,25 milhões) em Lisboa e solicitou um “visto gold” em 2014, dois anos antes de ter sido condenado a 18 anos de prisão, depois de admitir ter cometido uma série de crimes de corrupção, e Sérgio Lins Andrade, presidente e principal acionista da mesma Andrade Gutierrez. Ele adquiriu, em 2014, um imóvel em Lisboa por € 665 mil (R$ 2,5 milhões). Todos solicitaram os chamados vistos “Gold”, que Portugal concede para quem investe ou compra propriedades no país. As informações são do jornalista da Folha Clóvis Rossi. O ano dos pedidos de visto e dos investimentos é exatamente aquele em que a Lava Jato ganha velocidade, o que reforça a inevitável impressão de que os nela envolvidos direta ou indiretamente estavam, primeiro, tirando dinheiro do país e, segundo, preparando terreno para uma eventual fuga, analisa Rossi.

19 de setembro de 2017, 17:09

SALVADOR Barroso diz que reforma política é indispensável para o país

Em palestra hoje (19) na 8ª Conferência Brasileira de Seguros (Conseguro), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, defendeu uma reforma política urgente para o país. Ele discursou sobre o tema O momento institucional brasileiro: uma agenda para o futuro.“O Brasil precisa desesperadamente da reforma política. É triste constatar que aparentemente não vai sair. Ao lado da impunidade, o sistema político brasileiro é a causa de boa parte da corrupção que nós ainda enfrentamos”, disse. O ministro defende que a reforma traga normas para evitar que partidos sem representatividade recebam recursos do fundo partidário e da venda do tempo de televisão. “O sistema partidário brasileiro hoje é a institucionalização da desonestidade, porque os partidos políticos vivem do acesso ao fundo partidário e da venda do tempo de televisão. Todo mundo sabe disso, convivemos com esse modelo. Já há proposta aprovada no Senado relevante, para terminar com as coligações nas eleições proporcionais, que é o que dá sobrevida a esses partidos de aluguel, e já há emenda aprovada para se introduzir a cláusula de barreira a partidos sem preencher um mínimo de votação no âmbito nacional”, disse.Barroso acrescentou que é preciso virar a “página da corrupção”. Segundo ele, há no país um pacto oligárquico “feio” de saque ao Estado.O ministro do Supremo não atribui os casos de corrupção a falhas individuais ou fraquezas humanas. “Estamos com dificuldade de nos livrar dela, porque é uma corrupção sistêmica, endêmica, que vem de muito longe e foi se aprofundando a ponto de se criarem esquemas profissionais de arrecadação e distribuição que envolviam agentes públicos, agentes privados, empresas estatais, empresas privadas, partidos políticos, membros do Congresso Nacional. Foi um fenômeno que se irradiou de uma maneira muito abrangente, a um tal ponto de se ter naturalizado o que é errado e as pessoas deixaram de perceber a gravidade do que faziam.”Barroso destacou que, em 30 anos de redemocratização, o Brasil passou por muitas crises. “Desde a hiperinflação até o impeachment de dois presidentes”, mas “sem nenhum arranhão relevante na legalidade constitucional”. Algo que, para ele, merece ser celebrado, assim como a derrota de uma ditadura, da hiperinflação e da pobreza extrema.Para Barroso, é preciso retomar uma agenda de desenvolvimento da iniciativa privada, que, segundo ele, é a principal geradora de riqueza. “Nós precisamos revalorizar a iniciativa privada e o empreendedorismo no Brasil, que é vítima do preconceito daquele capitalismo de estado que distribuía favores, paternalismos. Sem mencionar concessões como favorecimentos e licitações duvidosas”.“Capitalismo pressupõe risco, concorrência e igualdade entre os atores. E nós criamos um modelo no Brasil em que as pessoas não gostam de risco, preferem financiamento público, não gostam de concorrência, preferem reserva de mercado, e os atores não são iguais, porque tem sempre alguém atrás de um favorecimento, uma desoneração que o coloque em uma posição mais vantajosa”, acrescentou.Barroso também defendeu a privatização de empresas públicas, como a companhia de água e esgoto no Rio de Janeiro, a Cedae, como forma de desoneração e redução do estado.

Agência Brasil

19 de setembro de 2017, 17:03

SALVADOR Vereador protesta contra fechamento da UPA da Cidade Baixa

Foto: Antônio Queiroz/CMS

Vereador Vado Malssambrado protesta no plenário da Câmara contra fechamento da UPA da Cidade Baixa

O vereador Vado Malassombrado (DEM) protestou, nesta terça-feira (19), contra o fechamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade Baixa. Com um cartaz pendurado no pescoço, com a frase “Queremos nossa UPA Cidade Baixa de volta”, o vereador chamou atenção dos colegas na sessão ordinária da Câmara Municipal de Salvador. Segundo Vado, o governo estadual prometeu que a unidade de saúde seria reativada assim que terminassem as obras do Hospital da Mulher, no antigo PAM Roma, o que até hoje não ocorreu. Por meio da Comissão de Saúde da Câmara, o vereador convocou uma audiência pública para esta quarta-feira (20), às 18h30, no Centro de Cultura. Além dos moradores da região da Cidade Baixa, foram convidados também representantes da Prefeitura de Salvador, do governo do Estado, além de vereadores e deputados. “É uma falta de compromisso do governo do Estado com os moradores da Cidade Baixa, dos bairros do Lobato e de Santa Terezinha, que estão sendo prejudicados pelo fechamento da UPA, sendo forçados a se dirigir à UPA de San Martin para atendimento”, disse Vado, ao salientar que “se for preciso, os moradores irão também à Assembleia Legislativa ou farão protesto em via pública, com oferta de serviços de saúde”. Ele ainda lembrou que “já se passaram 10 meses da promessa de reabrir a UPA da Cidade Baixa e até hoje nada. Os moradores já recorreram até ao Ministério Público, porque é necessário construir um hospital para a Cidade Baixa e não reduzir ainda mais a oferta dos serviços médicos para os moradores da região, como fez o governo do Estado”.

19 de setembro de 2017, 16:58

BRASIL Lúcio reaparece, circula no Congresso e diz que Geddel se defenderá nos autos

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado federal Lúcio Vieira Lima

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), que estava sumido desde no último dia 8 de setembro, data da segunda prisão de seu irmão, Geddel Vieira Lima, reapareceu hoje no Congresso, onde circulou entre colegas, conversou com alguns jornalistas e disse que o ex-ministro se defenderá nos autos. À repórter Andrea Sadi, da Globo News, Lúcio afirmou que desapareceu porque estava na Bahia cuidando da família e em especial da mãe, Marluce Vieira Lima. Ele não quis falar sobre a possibilidade de delação de Geddel, fato que preocupa imensamente o Palácio do Planalto. Também afirmou que estava em Brasília para ficar e tocar o mandato parlamentar. Ele declarou que sempre defendeu o direito de defesa a qualquer acusado. Em Brasília, os comentários são de que o ex-ministro dos governo Lula e Temer está na iminência de assinar um acordo de delação premiada cujo objetivo será preservar a família, em especial o irmão Lúcio, de qualquer envolvimento no caso do bunker com os R$ 51 milhões “estourado” pela Polícia Federal no bairro da Graça.

19 de setembro de 2017, 16:52

MUNDO Terremoto de 7,1 graus de magnitude abala Cidade do México

Um forte terremoto de 7,1 graus de magnitude na escala Richter foi registrado nesta terça-feira, 19, na Cidade do México apenas 12 dias depois de um tremor de 8,2 graus atingir a costa sul do país. O fenômeno sacudiu edifícios e causou pânico, forçando a saída de pessoas de edifícios para as ruas, no mesmo dia em que se completa 32 anos do poderoso tremor que deixou milhares de mortos na capital do país. No momento em que foi registrado, alguns indivíduos participavam de um treinamento para lidar com sismos. O Centro Geológico dos EUA (USGS, na sigla em inglês) estimou a magnitude do tremor em 7,1, enquanto o Instituto Sismológico do México o calculou em 6,8, e informou que o epicentro do tremor localizou-se 7 km a oeste de Chiautla de Tapia, no Estado de Puebla. Luis Felipe Puente, coordenador nacional de Proteção Civil da Secretaria de Governo, escreveu em sua conta no Twitter: “No momento, não há relatos de danos. Os protocolos de atenção e resposta estão ativados”. Pouco depois, o departamento de proteção civil mexicano informou que vários incêndios foram reportados em diversos prédios da Cidade do México após o tremor e algumas pessoas ainda estariam presas nos edifícios. O serviço de emergências disse que o aeroporto do México suspendeu as operações após o abalo. ”Estou consternada, não consigo conter o choro, é o mesmo pesadelo de 1985″, disse Georgina Sánchez, de 52 anos, que chorava em uma praça. No dia 19 de setembro de 1985, um terremoto matou mais de 10 mil pessoas na Cidade do México. / EFE, REUTERS, AFP e AP

Estadão

19 de setembro de 2017, 16:45

BRASIL Doria convida cúpula do DEM para jantar em sua residência em São Paulo

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), convidou integrantes da cúpula do DEM para um jantar nesta quinta-feira, 21, em sua residência, na capital paulista. O convite é mais um gesto político do tucano em busca de apoio para viabilizar uma eventual candidatura sua à Presidência da República em 2018. O presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia (RN), confirmou o convite. “Esse jantar está previsto, sim”, afirmou ao Estadão/Broadcast. O parlamentar potiguar, porém, disse que não poderá comparecer, pois está de licença do Senado para tratamento médico. Outros democratas, como o prefeito de Salvador, ACM Neto, porém, já confirmaram presença. Como vem mostrando o Estadão/Broadcast, Doria faz ofensiva sobre outros partidos em busca de apoio político para viabilizar sua candidatura ao Palácio do Planalto em 2018. Ele trava, no PSDB, uma disputa com seu padrinho político, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para ser o candidato do partido a presidente. Pré-candidato declarado, Alckmin também já jantou pelo menos duas vezes com a cúpula do DEM neste ano. Um dos jantares aconteceu no final de julho, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. O outro, no início de setembro,ocorreu na residência oficial do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em Brasília.

Estadão

19 de setembro de 2017, 16:30

SALVADOR Parceria entre Prefeitura e Banco do Nordeste garante crédito para microempresários

Foto: Max Haack/Secom-PMS

O prefeito ACM Neto durante a inauguração do CRAS do bairro de Valéria

A partir de agora, os empreendedores informais e de baixa renda da capital baiana terão acesso a um programa de microcrédito, cujos valores disponíveis vão de R$ 100 a R$ 15 mil, atendendo a moradores de comunidades carentes e que não dispõem de outras formas de alavancar seus negócios. A iniciativa, realizada em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), foi lançada nesta terça-feira (19) pela Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), durante a reinauguração do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Valéria. A cerimônia foi comandada pelo prefeito ACM Neto, e contou com a participação da titular da Semps, Tia Eron, do vice-prefeito Bruno Reis, de lideranças locais, membros do secretariado municipal e moradores da comunidade. ”Esta é uma forma de aproximar as políticas sociais da Prefeitura dos moradores de Valéria. Isso é importante e mostra porque Salvador é a capital brasileira com mais avanços no setor social. Este é um assunto levado a sério em Salvador, e temos um volume importante de investimentos na área. E esse trabalho, hoje liderado pela secretária Tia Eron, só nos ajudou a reforçar a estrutura de apoio às pessoas mais pobres e suas comunidades. A parceria com o Banco do Nordeste veio para coroar este trabalho, numa ação que será estendida para iniciativas maiores, como um embrião de um dos eixos do Salvador 360, no que tange o auxílio à economia local, ajudando quem mais precisa como microcrédito, auxiliando no desenvolvimento de atividades econômicas das famílias mais carentes”, ressaltou ACM Neto.

19 de setembro de 2017, 16:15

BAHIA Mais de cinco milhões de baianos já foram atendidos por cubanos no Mais Médicos

Desde 2013, quando foi criado o programa Mais Médicos, mais de 2,5 mil profissionais cubanos atenderam a população baiana em 315 municípios e 16 territórios indígenas. Ao todo, cinco milhões de pacientes foram beneficiados com a ampliação do acesso aos serviços de atenção básica. As informações foram apresentadas pelo embaixador de Cuba, Rolando Gómez, durante encontro, nesta terça-feira (19), com o governador Rui Costa, e os secretários da Saúde do Estado, Fábio Vilas Boas, e de Relações Institucionais, Josias Gomes. ”Cuba está muito orgulhosa pelo desempenho dos nossos médicos. Eles são comprometidos e competentes. Ficamos felizes e contribuir com a Bahia para que a população tenha melhor acesso à saúde”, destaca Gómez. De acordo com Vilas Boas, o Mais Médicos proporcionou um impacto positivo na saúde pública. “Este programa que trouxe um grande número de médicos cubanos e que, progressivamente, têm sido substituídos por médicos brasileiros, foi responsável pela expansão da atenção primária, levando médicos para municípios e bairros onde muitos profissionais brasileiros não se sentiam motivados para trabalhar. Já podemos mensurar o efeito desta presença com a melhoria da saúde em vários segmentos”, afirma o secretário de Saúde. Mais de 778 mil consultas médicas são realizadas por mês na Bahia, no âmbito da Atenção Básica, por meio do programa, que consiste em três pilares. O primeiro é o provimento emergencial, com médicos brasileiros formados no Brasil, médicos brasileiros e estrangeiros voluntários formados em diversos países (intercambistas individuais) e médicos cubanos (intercambistas cooperados) através de convênio com a Organização Panamericana de Saúde (OPAS). Outro pilar é a melhoria da infraestrutura, por meio de recursos do Governo Federal diretamente aos municípios para reforma, adequação e construção de unidades de saúde na atenção básica. Por último, mas não menos importante, vem a Formação de Recursos Humanos, através de cursos de especialização.

19 de setembro de 2017, 16:00

BRASIL ‘Esse é um valor por dentro’, diz compadre de Lula a Moro sobre dinheiro para corretora de imóveis

O advogado do ex-presidente Lula, Roberto Teixeira, foi interrogado nesta terça-feira, 19, como o último réu a ser ouvido pelo juiz federal Sérgio Moro em ação penal na qual o ex-presidente é investigado por supostas propinas de R$ 75 milhões da Odebrecht. Nesta mesma ação, o compadre de Lula é acusado de intermediar o suposto recebimento de propinas ao petista por meio da aquisição de dois imóveis, pela Odebrecht. O advogado foi o último réu interrogado e, agora, o processo entra na em que as defesas e o Ministério Público Federal vão apresentar as considerações finais. Um imóvel, em Sâo Paulo, no valor de R$ 12 milhões, onde supostamente seria sediado o Instituto Lula, e o outro, em São Bernardo do Campo, no valor de R$ 504 mil, vizinho do apartamento aonde mora o ex-presidente. A atuação do advogado teria sido em torno da ocultação da propriedade dos imóveis, atribuída a Lula, segundo o Ministério Público Federal. Em depoimento, Teixeira, que alegou ter atuado apenas como advogado de Glaucos da Costamarques, primo de José Carlos Bumlai, foi questionado por Moro sobre pagamento de honorários em espécie. A solicitação do advogado, objeto de pergunta do magistrado, consta na denúncia do Ministério Público Federal como um pagamento extra, ‘por fora’, para a corretora de imóveis Edna Barros de Castro’. “Esse valor é um valor por dentro porque inclusive foi objeto de e-mail meu para a empresa pedindo para substituir o cheque por valor, porque assim foi solicitado. Evidente que isso não é por fora. É por dentro. Se não fosse por dentro eu não teria colocado isso no e-mail. Até porque inclusive, em espécie é dinheiro que tem curso normal. isso não é proibido. seria proibido negar curso à moeda brasileira”.

Estadão

19 de setembro de 2017, 15:45

BRASIL Para Barroso, é preciso concluir investigações antes de ‘virar a página’

Foto: Divulgação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, defendeu nesta terça-feira, 19, a conclusão das investigações dos casos de corrupção do País antes de “virarmos a página”. “Se virarmos a página antes de fatos relevantes terem sido concluídos, analisados, não nos beneficiaremos das lições que a história pode nos trazer”, afirmou em palestra na 8.ª Conseguro, feira do setor de seguros promovida pela Confederação Nacional das Empresas Seguradoras (CNseg), no Rio. Na quarta-feira, 20, o plenário do STF decide se acata recurso da defesa do presidente Michel Temer (PMDB) que pede suspensão da análise da segunda denúncia contra o peemedebista até que novos áudios de delatores do grupo J&F juntados aos autos sejam totalmente analisados. A denúncia contra Temer chegou ao STF na quinta-feira, 14, mas o relator, ministro Edson Fachin, já havia decidido que o plenário deve dar a última palavra sobre a solicitação dos advogados de Temer. O ministro do STF destacou que a corrupção que houve no Brasil não foi fruto de alguns equívocos pessoais e envolveu diversas esferas da sociedade, como a iniciativa privada e partidos políticos, se tornando um fenômeno que se irradiou a ponto de ser naturalizado. “Foi um pacto oligárquico de saque ao Estado, que envolveu a iniciativa privada”, disse o ministro. Apesar da gravidade do quadro, o ministro do STF afirmou não ter se deixado contaminar pela onda de negatividade que atingiu o País. “Derrotamos a ditadura, a inflação, a pobreza extrema. Não há por que achar que a corrupção seja um desafio que não possamos vencer. A fotografia do momento brasileiro pode não ser particularmente inspiradora, mas gostaria de dizer que o filme é um filme bom. E se nós acertamos o passo vai ter um final feliz”, afirmou.

Estadão