21 de novembro de 2007, 11:20

PT anima-se com declarações de Rui Costa

Cairam bem no PT as declarações do secretário estadual Rui Costa (Relações Institucionais) de que o partido e o PMDB, as duas principais legendas da base de sustentação do governo Jaques Wagner, devem evitar confronto nos municípios que governavam em 2006.

 “É um princípio que estava implícito, mas que é importante deixar claro”, disse a este Política Livre Ivan Alex, secretário de Comunicação do PT e coordenador da campanha de reeleição de Marcelino Galo à presidência do partido.

Ele também elogiou a iniciativa do governo, anunciada pelo secretário, de criar um Conselho Político com a participação de todos os partidos que compõem a base (PT, PMDB, PSB, PDT, PCdoB, PV, PSDB, PTB, PRTB, PP, PR, PSC, PMN, PPS e PSL).

 “É uma iniciativa importante para a saúde política do governo e que o diferencia”, afirma Alex.

21 de novembro de 2007, 10:51

Sefaz envia hoje ao banco dinheiro para pagar agentes de saúde

A Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz) acaba de informar que encaminha hoje para o banco os recursos previstos para o pagamento dos salários dos agentes de saúde, que paralisaram suas atividades em protesto contra o atraso. O pagamento aos agentes ficará, portanto, dependendo apenas do tempo de compensação bancária, informa a Sefaz.

21 de novembro de 2007, 09:34

João Henrique endurece com aliados e não vai retirar PDDU da Câmara

O prefeito João Henrique (PMDB) não está disposto a amolecer frente aos partidos de sua base que o pressionam pela retirada de pauta, na Câmara Municipal, do projeto de revisão do PDDU (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano).

Em entrevista agora há pouco à rádio Metrópole, ele disse que seria “até anti-ético” suspender a tramitação da proposta, que, em sua avaliação, se encontra “sob os auspícios, sob a competência” da Câmara Municipal.
 
“A Câmara tem 41 representantes do povo, que estão promovendo a discussão”, disse o prefeito, que não falou sobre o ponto mais polêmico do PDDU, a verticalização da Orla, contida no artigo oitavo, cuja supressão PT, PCdoB, PSB, PV, PPS e até PDT exigem.

João Henrique destacou o apoio nacional e estadual que vem recebendo desde que se filiou ao PMDB, após desligar-se do PDT, afirmando que seu ingresso na legenda promoveu uma mudança na qualidade da administração.

“Quem mais se beneficiou foi a cidade”, declarou.

20 de novembro de 2007, 19:26

Trapalhada da Secretaria de Cultura no Dia da Consciência Negra

No dia da Consciência Negra, hoje, Secretaria de Cultura, Ipac e Sudesb se desentenderam com o Mestre Moraes e o Grupo de Capoeira Angola Pelourinho.

Os novos representantes da oficialidade cultural baiana queriam entregar o Forte de Santo Antônio para o evento de entrega de premiações da Regata Jacques Vabre.

Mas o Mestre e o Grupo reagiram, alegando que toda a programação da entidade, sediada há quase 25 anos no Forte, uma antiga Casa de Detenção, iria naufragar.

O barco balançou, mas depois de baterem o pé e ameaçarem denunciar o fato à imprensa, os capoeiristas conseguiram manter a programação no local.

Quanto à premiação, foi transferida para outro lugar.

20 de novembro de 2007, 18:31

EXCLUSIVO: PDT desiste de pedir mandato de João Henrique

O PDT não vai requisitar mais o mandato do prefeito João Henrique (PMDB) por infidelidade partidária. A decisão foi tomada hoje pela manhã pela maioria dos nove membros presentes à reunião da Executiva Estadual, depois de uma exposição sobre o tema feita pelo advogado do partido, Eduardo Rodrigues, que considerou o pedido injustificável.

No mesmo encontro, os pedetistas decidiram, por unanimidade, requerer junto ao TRE o mandato do deputado federal Sérgio Brito, além daqueles dos vereadores de Amargosa, Bom Jesus da Lapa, São Francisco do Conde, Iguai, Jequié, Inhambupe, Jussara, Pedrão e São Sebastião do Passe, que trocaram a legenda por outras fora do prazo definido pelo TSE.

A mulher do prefeito, a deputada Maria Luíza (PMDB), já teve seu mandato requisitado pelos pedetistas.

20 de novembro de 2007, 17:14

EXCLUSIVO: relatoria do Orçamento promete colocar de novo PMDB e PT em lados opostos na Assembléia

Há sinais de que PMDB e PT vão se estranhar de novo na Assembléia, depois do episódio da indicação do deputado estadual Zilton Rocha (PT) para conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado).

Desta vez, o motivo é a relatoria de projetos importantes que os peemedebistas não aceitam que seja entregue a outro partido da base que não o deles, principalmente depois que o comunista Álvaro Gomes (PCdoB) foi o relator da LOJ.

O PMDB acha que tem agora o direito de relatar o projeto de Orçamento 2008, mas o líder governista Valdenor Pereira (PT) resiste à idéia. Numa conversa com ele, peemedebistas ouviram que a relatoria já estava prometida ao PT.

“Valdenor disse que já assumiu compromissos com outros partidos, mas não vamos aceitar isso”, disse há pouco a este blog um deputado peemedebista, antecipando que o partido não vai abrir mão de mais nada na Casa, numa alusão à escolha de Zilton para conselheiro.

Na conversa com os peemedebistas, Valdenor afirmou que pretendia entregar a relatoria do Orçamento ao deputado petista Yulo Oiticica.

20 de novembro de 2007, 16:48

Verticalização da Orla é ponto da discórdia entre aliados e João Henrique

No documento que os cinco partidos da base de sustentação do prefeito João Henrique (PMDB) pretendem entregar a ele, ainda hoje, condenando o PDDU, PT, PCdoB, PV, PPS e PCdoB vão exigir a retirada de pauta do projeto na Câmara ou a supressão de seu capítulo oitavo, que trata da verticalização da Orla.

20 de novembro de 2007, 16:06

Gilmar Santiago confirma tese de retirada do PDDU da Câmara

O secretário municipal Gilmar Santiago (Governo) confirmou há pouco a este blog sua posição de que se os partidos que compõem a base governista municipal não se sentem confortáveis em votar o PDDU, o prefeito João Henrique (PMDB) deve retirar a matéria de pauta na Câmara Municipal.

“O prefeito tem o espírito democrático para ouvir os partidos e eventualmente evitar a votação”, afirmou Santiago, informando que João Henrique vai aguardar a entrega do documento elaborado pelos partidos sobre o PDDU para se posicionar “de forma democrática”. “Agora, o momento é de diálogo e debate”, afirmou.

20 de novembro de 2007, 15:34

CCJ vive paradeiro na Assembléia

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, o deputado estadual Zé Neto (PT) chegou cedo hoje à Assembléia para abrir a reunião do colegiado, mas não conseguiu por falta de quorum. É um quadro que se repete com mais frequência do que se imagina.

“Esta é a oitava vez no semestre que a CCJ não se reúne por este motivo”, desabafa o parlamentar, informando que existem 20 projetos de deputados prontos para serem votados pelo colegiado.  A maioria dos deputados da CCJ é do governo.

Para o petista, não há explicação para que o colegiado não consiga se reunir, a não ser o da cultura que, em sua opinião, foi construída em legislaturas passadas na Assembléia. “No governo passado, havia uma determinação para que projetos de deputados não fossem votados”, diz.

A medida obedecia a dois interesses: evitar a projeção dos deputados oposicionistas, ligados em sua maioria ao PT e PCdoB, considerados na época os “CDFs” da Casa, e não permitir a obstrução da pauta de interesse do governo.

“Neste governo, não há orientação neste sentido e a Comissão funciona com liberdade total”, diz Zé Neto, segundo quem a CCJ já distribuiu mais de 600 projetos para deputados relatarem. “Precisamos de um esforço conjunto para superar isto”, analisa.

20 de novembro de 2007, 11:55

Neutralidade de Wagner facilitou aprovação das contas de Souto

Ao receber uma enxurrada de 40 votos pela aprovação das contas relativas ao último ano de sua gestão (2006), o governador Paulo Souto (DEM) foi beneficiário direto da neutralidade de seu sucessor, Jaques Wagner (PT), cujo discurso, desde a posse, é o de que não se “deve olhar pelo retrovisor”, isto é, não cabe buscar formas de retaliar adversários.

Por este motivo, apesar da decisão de seu partido, o PT, que se associou ao PCdoB no sentido de reprovar as contas de Souto, o líder do governo na Assembléia, o deputado petista Valdenor Pereira, liberou os deputados governistas para votar com “suas consciências”, repetindo o que fazem normalmente lideranças frente a polêmicas consideradas desnecessárias.

“O governador realmente se manteve neutro em todo o processo e, desde o princípio, a bancada do PT entendeu que não cabia criar constrangimentos para ele nem para a base governista, onde pontuam deputados que eram ligados ao governo passado”, disse ao Política Livre um deputado petista.

Ao liberar a bancada, o governo permitiu que aliados tradicionais, como PT e PCdoB, e novos, como PR e PP, mantivessem a coerência de postura ao apreciar as contas de Souto. Mas concedeu também, acessoriamente, ao PMDB, segunda mais importante legenda do consórcio governista depois do PT, a liberdade para mover-se como quisesse, inclusive flertar abertamente com o ex-governador.

Como avalia o mesmo parlamentar do PT, o partido percebeu que não deveria fazer da votação “um cavalo de batalha”, no momento em que os peemedebistas sinalizaram que estavam fechados com a aprovação das contas do ex-governador. “Mesmo considerando que tecnicamente as contas eram passíveis de desaprovação, neste quadro nos restou exercer nossa coerência”, completou.

Antes de liberar a bancada, o líder Valdenor Pereira reuniu os deputados governistas para tomar o pulso da votação. Ouviu da bancada que a “liberação” era o melhor caminho a seguir. No dia de ontem, governistas, neo-governistas e peemedebistas assumiram seus postos para cravar um resultado anunciado há pelo menos uma semana.

20 de novembro de 2007, 11:16

PT faz prévia em Feira de Santana em janeiro

O PT de Feira de Santana marcou ontem para o próximo dia 20 de janeiro as prévias para a escolha do candidato petista à Prefeitura do município. Estão no páreo os deputados Zé Neto (estadual) e Sérgio Carneiro (federal).

O escolhido não sai, entretanto, com condições de unificar a oposição no município, porque o PMDB, aliado regional dos petistas, tem no deputado federal Colbert Martins seu candidato local contra o grupo do prefeito José Ronaldo (DEM).

20 de novembro de 2007, 10:44

Tucanos querem mandato de vereadores no interior

Os ex-tucanos Norma Modesto, vereadora em Jacobina, e Mivaldo Araújo, em Caldeirão Grande, estão com os mandatos ameaçados por infidelidade partidária. Quem solicita o espaço para seus respectivos suplentes é o próprio PSDB, em ação dada entrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). São os primeiros, mas não serão os únicos.

19 de novembro de 2007, 20:02

Ministério esclarece que não houve concorrência para transposição

O Ministério da Integração Nacional informa que ainda não houve licitação para a execução das obras de transposição do Rio São Francisco, conforme anunciado pela revista Veja desta semana.

Segundo a assessoria do Ministério, a empresa Encalso apenas ganhou na Justiça o direito de participar da concorrência, mas sequer foram abertas propostas de preço nem definidos lotes de execução.

19 de novembro de 2007, 19:58

TCE elege novo presidente amanhã

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) realiza amanhã eleições para renovar sua presidência. Há grandes chances de Antônio Honorato ser reeleito, mas até o princípio da tarde havia indicativos de que o conselheiro Pedro Lino poderia correr por fora, como candidato da oposição.

19 de novembro de 2007, 19:20

Correio da Bahia quer ser líder de mercado na Bahia

O grupo espanhol que deve comandar a transformação do Correio da Bahia não tem nada a ver com aquele da Universidade de Navarra, na Espanha, responsável por reforma ainda executada no jornal A TARDE.

O pessoal em questão tem trabalhado em projetos jornalísticos nos EUA e, no Brasil, foi responsável pela bem-sucedida virada de “O Globo”, cuja circulação cresceu nos últimos meses e já ameaça a antes sólida liderança da Folha de S. Paulo como impresso nacional.

Confessou a este blog um dos executivos da Rede Bahia, grupo de comunicação da família do ex-senador ACM do qual faz parte o jornal, que o plano do Correio é assumir a liderança do mercado baiano em, no máximo, três anos.

Como a tradição na Rede é de alto profissionalismo na gestão, as notícias não poderiam ser melhores.