23 de março de 2009, 12:17

EXCLUSIVO: Governistas também projetam chapa para 2010

Embalados pelo DataFolha, governistas também fizeram projeções, para o Política Livre, sobre a chapas com que o governador Jaques Wagner (PT) poderia disputar a reeleição em 2010. A mais forte delas, à luz dos números atuais, teria a deputada federal Lídice da Mata (PSB) na vice e Geddel Vieira Lima e Walter Pinheiro (atual secretário estadual de Planejamento) disputando o Senado. São, por enquanto, projeções.

23 de março de 2009, 12:14

Sob crise, Senado só aprovou um projeto em 50 dias

O Senado retornou das férias de final de ano no dia 2 de fevereiro, amanhã serão 50 dias do início do ano legislativo, mas, no entanto, os senadores aprovaram apenas um projeto neste período. A Casa tem sido marcada, nestes primeiros dias do ano, por uma crise que começou na disputa entre PT e PMDB e que continua com as recentes denúncias administrativas – de horas extras indevidas ao excesso de diretorias e que tem atrapalhado o trabalho legislativo. O único projeto votado foi um Projeto de Lei de Conversão (PLV) que nasceu da medida provisória 445, uma das MPs anticrise baixadas por Lula. Informações do blog do Josias.

23 de março de 2009, 11:38

OAB questiona no Supremo controle externo da polícia pelo MP

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando o controle externo pelo Ministério Público (MP) das polícias Federal, Rodoviária Federal, Ferroviária Federal, Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros. Segundo a entidade, a resolução do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) viola a Constituição, que não deu competência ao CNMP para regulamentar essa matéria. Informações da Folha Online.

23 de março de 2009, 11:35

Neto afirma que Bahia, sob Wagner, perdeu liderança no NE

Em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, o deputado federal ACM Neto (DEM) criticou o governo de Jaques Wagner, dando mostras de qual será o discurso utilizado pela oposição ao governador na disputa do ano que vem. Segundo o democrata, sob Wagner, a Bahia “perdeu a liderança do crescimento do Nordeste para Pernambuco”.

“Me aponte uma grande obra neste Estado. O acesso ao Aeroporto é uma obra importantíssima, mas não é uma obra do porte da Bahia. Fala-se na Via Portuária, será que ela sai? (…) A gente precisa de menos conversa e mais ação. Esse governo já tem todas as feições de um governo muito lembrado e rejeitado pela Bahia, que é o de Waldir Pires”, criticou o parlamentar.

Neto defendeu ainda a candidatura do ex-governador Paulo Souto (DEM) para a sucessão de Wagner, tirando o seu nome da disputa do ano que vem. Ele disse ainda que DEM e PSDB estarão juntos na Bahia e manteve aberta a porta para um possível diálogo com o PMDB. “O fato de não haver explicitamente conversa com o PMDB, não significa que lá na frente nós não possamos colocar numa mesa uma pauta de discussão. Tudo tem o seu tempo”, afirmou.

23 de março de 2009, 11:16

EXCLUSIVO: Oposicionistas já avaliam melhor chapa para confrontar Wagner

A pesquisa DataFolha divulgada hoje pelo jornal Folha de S. Paulo e reproduzida abaixo concede ao governador Jaques Wagner (PT) o status de favorito à sucessão de 2010 a pouco mais de um ano e meio das eleições, avaliaram há pouco setores da oposição para o Política Livre.

O governador oscila entre 36% e 38% das intenções de voto na pesquisa estimulada. Na espontânea – sem a apresentação de nomes -, também mantém a dianteira, com 24%. Isto significa, para oposicionistas, o forte teor de competitividade do nome de Jaques Wagner na disputa.

Neste cenário, acrescentam, uma alternativa de chapa verdadeiramente forte para confrontá-lo poderia ser aquela que congregasse Paulo Souto (DEM) para o governo, José Ronaldo (DEM), ex-prefeito de Feira de Santana, para vice, e Geddel Vieira Lima (PMDB) e César Borges (PR) ao Senado.

A cenário de hoje, assim montado, o grupo teria melhores condições de competir com Wagner do que num agrupamento que tivesse Geddel na cabeça de chapa com José Ronaldo de vice e Paulo Souto e César Borges disputando o Senado. É o que pensam os oposicionistas à luz dos números atuais.

23 de março de 2009, 10:56

DataFolha estimula candidatura de César Borges ao governo

O resultado da pesquisa DataFolha, em que aparece nos quatro cenários estimulados com uma média de 12%, deu impulso a uma eventual candidatura de César Borges (PR) ao governo, dizem correligionários seus. O senador, que teria dificuldades para eleger-se à Câmara dos Deputados, mostra que tem força para a reeleição ao Senado e já estaria sendo estimulado por amigos e setores do PR a disputar a sucessão de Jaques Wagner (PT). A pesquisa, confessou Borges a interlocutores, confirma a receptividade que tem registrado no interior, onde esteve na região Oeste, na semana passada.

23 de março de 2009, 10:47

DataFolha: Confira os cenários sobre a eleição na Bahia

Confira agora os cenários avaliados pela pesquisa DataFolha divulgada hoje no jornal Folha de S. Paulo sobre a eleição na Bahia:

Primeiro cenário:

Jaques Wagner (PT) – 36%
Paulo Souto (DEM) – 19%
César Borges (PR) – 10%
Raimundo Varela (PRB) – 7%
Geddel Vieira Lima (PMDB) – 7%
Lídice da Mata (PSB) – 4%
Hilton Coelho (PSOL) – 2%
Brancos/ nulos e nenhum – 8%. NS/NR – 6%

Segundo cenário:

Jaques Wagner (PT) – 36%
ACM Neto (DEM) – 17%
César Borges (PR) – 12%
Geddel Vieira Lima (PMDB) – 8%
Raimundo Varela (PRB) – 7%
Lídice da Mata (PSB) – 5%
Hilton Coelho (PSOL) – 2%
Brancos/ nulos e nenhum – 8%. NS/ NR – 6%

Terceiro cenário:

Jaques Wagner (PT) – 38%
Paulo Souto (DEM) – 18%
César Borges (PR) – 14%
Raimundo Varela (PRB) – 7%
Lídice da Mata (PSB) – 6%
Hilton Coelho (PSOL) – 2%
Brancos/ nulos e nenhum – 9%. NS/ NR – 6%

Quarto cenário:

Jaques Wagner (PT) – 37%
ACM Neto (DEM) – 17%
César Borges (PR) – 14%
Raimundo Varela (PRB) – 8%
Lídice da Mata (PSB) – 6%
Hilton Coelho (PSOL) – 2%
Brancos/ nulos e nenhum – 10%. NS/NR – 6%

A pesquisa ouviu 991 pessoas e a margem de erro é de 3%.

23 de março de 2009, 10:09

Queda do FPM aumenta dificuldades de municípios

A segunda parcela de março do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), repassada pelo governo federal na sexta-feira, aprofundou o quadro de adversidade para mais de 80% dos municípios do país, que têm no fundo sua principal fonte de recursos. O valor ficou 14,4% abaixo da previsão do Tesouro, o que aponta para um fechamento de mês com queda maior que os 18% inicialmente estimados. No Norte e no Nordeste, há cidades que não receberam nenhum centavo. A capital mais problemática é Fortaleza.

No norte de Minas, algumas prefeituras cortaram 50% do expediente. No dia 7, a Confederação dos Municípios vai a Brasília para uma reunião com o ministro José Múcio (Relações Institucionais). O FPM é calculado com base no IR e no IPI, cuja redução deverá ser prorrogada como medida de combate à crise. O reajuste do salário mínimo e o novo piso dos professores ajudam a sangrar o caixa das prefeituras. Informações da Folha.

23 de março de 2009, 09:38

Dilma começa a articular aliança com o bloquinho

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), já começou a articular sua candidatura presidencial com os partidos de esquerda que formam o “bloquinho” (PC do B, PSB e PDT). Nas conversas, Dilma tem afirmado que, apesar de valorizar a aliança com o PMDB, pretende reagrupar os parceiros históricos do PT.

A ministra tem dito a estes partidos que seu destino político depende do êxito do governo Lula. Ela teria comentado, em café da manhã com dirigentes do PC do B, no dia 5, que quer continuar a obra de Lula, mas que será difícil sem ele. O argumento oficial para essas reuniões é aproximar mais os partidos de esquerda do Planalto. O PSB do deputado Ciro Gomes (CE), por exemplo, é um dos que mais reclamam do “esquecimento” do governo.

Integrantes do PSB e do PDT afirmam que uma eleição muito polarizada logo no primeiro turno entre Dilma e um candidato do PSDB – provavelmente o governador de São Paulo, José Serra – pode derrotar a chefe da Casa Civil. Por esse diagnóstico, o cenário ideal contemplaria o lançamento de pelo menos dois concorrentes de partidos da base, com a união dos governistas na segunda rodada. Informações do Estadão.

23 de março de 2009, 09:31

Mercado vê economia estagnada e inflação abaixo de 4,5%

O mercado financeiro brasileiro reduziu fortemente sua estimativa para o crescimento econômico do país, vendo a economia praticamente estagnada em meio a uma forte contração prevista para a produção industrial, segundo o relatório Focus, divulgado nesta segunda-feira. As instituições financeiras também cortaram os prognósticos para a taxa de juro Selic e para a inflação no ano, colocando-a abaixo do centro da meta perseguido pelo governo de 4,5%. A previsão para o avanço do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 caiu de 0,59% na semana anterior para 0,01%. O cenário para 2010 permaneceu em crescimento de 3,50 por cento. Informações da agência Reuters.

23 de março de 2009, 09:26

PT antecipa negociações com PMDB visando 2010

Na certeza de que não terá o PMDB por inteiro, embora lute pela parceria oficial que vai lhe garantir cerca de cinco minutos a mais no horário eleitoral gratuito, o PT investe na estratégia de fincar estacas nos Estados onde a aliança com a legenda é mais fácil. A antecipação da negociação é para garantir desde já palanques regionais fortes para a ministra da Casa Civil e pré-candidata, Dilma Rousseff. Para construir uma candidatura que poderá ter de enfrentar um adversário de peso e temido pelos petistas – o governador de São Paulo, o tucano José Serra -, o PT poderá abrir mão de disputar governos estaduais e cadeiras no Senado em favor dos acordos com os aliados, em estados importantes como Rio de Janeiro e Minas Gerais. Informações da Agência Estado.

23 de março de 2009, 08:45

Marcos Valério negocia delação premiada

O Ministério Público Federal (MPF) e advogados do publicitário Marcos Valério de Souza negociam acordo de delação premiada – acordo que permite a redução ou isenção da pena em troca de novas informações – que pode levar a novas provas do mensalão. A Procuradoria acredita que poderia reunir provas substanciais, ampliando, inclusive, o rol de acusados. Outra hipótese seria recuperar recursos no exterior desviados pelo publicitário. Como tramita ação penal contra 39 réus do caso, cabe ao relator Joaquim Barbosa decidir sobre a delação premiada, que terá ainda de ser aprovada pelos outros ministros do Supremo. Informações da Folha.

23 de março de 2009, 08:38

DataFolha: Wagner está em 1º na Bahia e Geddel não passa do 4º lugar

Cotado a vice em uma eventual chapa presidencial encabeçada pela chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB), aparece apenas em quarto lugar na intenção de voto dos eleitores da Bahia para o governo do Estado, a pouco mais de um ano e meio das eleições.

Quatro cenários projetados pelo Datafolha com oito possíveis candidatos ao governo indicam liderança folgada do atual governador baiano, Jaques Wagner (PT). Ele oscila entre 36% e 38% das intenções de voto na pesquisa estimulada. Na espontânea – sem a apresentação de nomes -, também mantém a dianteira, com 24%.

Geddel aparece em 2 dos 4 cenários. Em um deles, com a presença dos ex-governadores Paulo Souto (DEM) e César Borges (PR), tem 7%. No outro, em que Souto é substituído pelo deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM), fica com 8%. Nos dois casos, ele aparece tecnicamente empatado com o radialista Raimundo Varela (PRB).

23 de março de 2009, 08:38

DataFolha: Diretor diz que percentual de Geddel pode melhorar

O diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, diz acreditar que, caso Geddel se candidate de fato ao governo da Bahia, a intenção de voto deve aumentar. Geddel nunca disputou cargos majoritários. “Acredito que seja desconhecimento da população, que pode ser revertido a partir do momento em que começar a campanha. Muitas vezes as articulações de bastidores não atingem os eleitores”, diz Paulino, em referência ao cenário das eleições municipais de Salvador, em outubro, quando o candidato de Geddel venceu o apadrinhado de Wagner.

23 de março de 2009, 08:37

DataFolha: Paulo Souto e ACM em segundo lugar

O segundo lugar nas pesquisas é disputado entre os dois principais nomes do DEM baiano, ACM Neto e Paulo Souto. O partido vem sendo considerado cambaleante no Estado após três fatos: a morte do senador Antonio Carlos Magalhães, a perda da hegemonia no governo para o PT e a derrota de ACM Neto na disputa pela Prefeitura de Salvador no ano passado, quando não chegou ao segundo turno.

Quando confrontados, nos cenários, com o senador César Borges, ambos se saem melhor. ACM Neto fica com 17% nos dois cenários em que é citado. Em um deles, Borges tem 14%. Em outro, com Geddel Vieira Lima, o senador fica com 12%. Quando o possível candidato é Paulo Souto, a diferença chega a ser de nove pontos percentuais (19% x 10%) quando Geddel é incluído na disputa.

Sem o ministro, a diferença cai para quatro pontos (18% x 14%). O Datafolha entrevistou 991 pessoas em 36 municípios baianos, entre os dias 16 e 19 deste mês. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.