30 de janeiro de 2017, 20:24

MUNDO Porta-voz diz que Obama está ‘sensibilizado’ com medidas de Trump

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama, está “sensibilizado” pelos protestos contra as medidas impostas pelo novo presidente do país, Donald Trump. Segundo um porta-voz, Obama se opõe ao que chama de esforço do novo governo para Import testes religiosos para a entrada de imigrantes no país. A declaração do porta-voz de Obama, Kevin Lewis, marca os primeiros comentários públicos do ex-presidente sobre as políticas de Trump desde que deixou a Casa Branca, em 20 de janeiro. “Com relação às comparações com o presidente Obama sobre as decisões de política externa, posso dizer que Obama discorda fundamentalmente da discriminação contra outras pessoas por sua fé ou religião”, afirmou o porta-voz.

Estadão Conteúdo

30 de janeiro de 2017, 17:11

MUNDO Canadá oferece residência temporária a refugiados barrados por Trump

O Canadá vai oferecer residência temporária às pessoas que ficarem bloqueadas no país devido à recente proibição migratória do presidente americano, Donald Trump, que bloqueou a entrada nos Estados Unidos de viajantes procedentes de sete países de maioria muçulmana, afirmou neste domingo (29) o ministro da Imigração canadense, Ahmed Hussen. As informações são da Radio France Internacionale. “Quero assegurar às pessoas que estejam bloqueadas no Canadá que vou usar a minha autoridade para conceder-lhes uma autorização de residência temporária, se necessário, como já fizemos no passado”, disse o chanceler, durante encontro com a imprensa. Ele não precisou, durante a coletiva, quantas pessoas ficaram bloqueadas no Canadá depois de Trump suspender, na sexta-feira (27), a entrada nos EUA, durante 120 dias, de refugiados, e o ingresso, por 90 dias, de cidadãos do Irã, Iraque, Síria, Iêmen, Sudão, Somália e Líbia. Hussen, que é de origem somaliana, informou ainda que os cidadãos dos sete países que sofrem a interdição migratória americana e que possuam um cartão de residente permanente canadense válido, ainda podem entrar nos Estados Unidos. O decreto de Trump se aplica aos cidadãos dos sete países listados que estivessem em trânsito no Canadá. Mais de 35 mil cidadãos canadenses binacionais também possuem a nacionalidade de um desses sete países, afirmou Hussen. “Para aqueles que estão fugindo da perseguição, do terror e da guerra, saibam que o Canadá os acolherá, independentemente de sua fé”, tuitou no sábado (28) o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau. O Canadá afirmou ter recebido garantias de Washington de que os canadenses com dupla nacionalidade não seriam afetados pelo decreto norte-americano.

Agência Brasil

30 de janeiro de 2017, 08:47

MUNDO Pelo menos cinco pessoas morrem em tiroteio em mesquita no Canadá

Pelo menos cinco pessoas foram mortas e outras ficaram feridas na noite desse domingo ( 29) quando homens armados atiraram contra pessoas que estavam rezando em uma mesquita de Quebec, capital da província do mesmo nome, no Canadá. A polícia de Quebec informou, pelo Twitter, que houve “mortes e ferimentos”, mas não especificou números. Um representante da polícia disse que dois suspeitos foram presos. “A situação está sob controle, as instalações estão seguras e os ocupantes foram evacuados”, disse a polícia na mensagem do Twitter. Testemunhas afirmaram que três homens armados e com capuz dispararam contra o Centro Cultural Islâmico de Quebec. No momento dos tiros havia cerca de 100 pessoas na mesquita, participando da última sessão de orações. Dois suspeitos foram presos. O primeiro-ministro do Quebec, Philippe Couillard, qualificou o ato de “violência bárbara” e expressou solidariedade às famílias das vítimas. O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, disse em mensagem no Twitter, que os os canadenses sofrem por aqueles mortos em um covarde ataque a uma mesquita em Quebec City. “Meus pensamentos estão com as vítimas e suas famílias”, acrescentou.

José Romildo, Agência Brasil

30 de janeiro de 2017, 07:56

MUNDO Mais de 40 são detidos por incêndios no Chile

Mais de 40 pessoas foram detidas até esse domingo (29) como suspeitas de terem provocado os piores incêndios florestais da história do Chile, que começaram a ceder depois de terem arrasado milhares de hectares. A informação é da Agência France Presse (AFP). A polícia chilena prendeu 43 pessoas “por sua responsabilidade eventual em incêndios florestais”, que afetam sete regiões do Centro e do Sul do Chile na maior catástrofe florestal da história do país, informou a presidente Michelle Bachelet ao fazer um balanço da tragédia. A maioria dos suspeitos foi detida nas regiões de O’Higgins e Biobío (Sul) e Maule (Norte), as mais afetadas pelo fogo, A Justiça local apresentou acusações contra eles. As penas por provocar incêndios chegam a 20 anos de prisão. “Estamos certos de que houve intencionalidade em alguns dos focos; vamos seguir as responsabilidades até o final”, afirmou Bachelet. Embora 90% dos incêndios no Chile sejam causados pelo homem, na atual situação as chamas também foram avivadas por fortes ventos, altas temperaturas e uma seca que castiga as zonas afetadas há oito anos. Em nível nacional ainda há 118 incêndios ativos, dos quais 59 são combatidos, 51 foram controlados e oito extintos. Os incêndios deixaram cerca de 3 mil desabrigados, dezenas de povoados arrasados e mais de mil residências destruídas, segundo informações da Corporação Nacional Florestal (Conaf). O número de hectares afetados diminuiu de 396 mil para 351 mil, o que, segundo as autoridades, indica uma diminuição do avanço do fogo. “Temos uma situação que tem melhorado devido às ações de combate”, declarou Aaron Cavieres, diretor da Conaf. Quinhentos e vinte mil hectares foram destruídos durante a temporada 2016-2017, iniciada em julho passado, 4.776% a mais que no período compreendido entre 2015 e 2016. Mais de 11 mil bombeiros voluntários, brigadistas (bombeiros florestais), militares, policiais, funcionários públicos e vizinhos combatem as chamas nas zonas atingidas. Mais de 500 brigadistas estrangeiros também colaboram. Eles integram o foi definido pelo governo como a maior operação de emergência da história do país. Nesse domingo chegaram 80 brigadistas venezuelanos e outros da Argentina e do Panamá. O Brasil e os Estados Unidos enviaram aviões-tanque para jogar água sobre as chamas.

Agência Brasil

30 de janeiro de 2017, 07:31

MUNDO Protestos nos aeroportos aumentam pressão contra Donald Trump

A reação da população norte-americana, que compareceu em massa e de forma espontânea, nesse fim de semana, a vários aeroportos dos Estados Unidos para protestar contra a ordem executiva que suspendeu o programa de acolhimento de refugiados colocou o governo do presidente Donald Trump na defensiva. A medida também proibiu viagens ao país de pessoas originárias de sete países de maioria muçulmana. Trump está pressionado por um número crescente de parlamentares do Partido Republicano, agremiação partidária pela qual se elegeu, pedindo mudanças urgentes na ordem executiva.No exterior, administradores de aeroportos e operadores de linhas aéreas – responsáveis pelo gerenciamento de vários voos com destino aos Estados Unidos – estão reclamando das contradições e da falta de clareza da medida aprovada pelo presidente.Menos de 24 horas depois de o governo ter informado que os portadores do Green Card (documento que dá direito a emprego legal nos Estados Unidos) também estavam sujeitos ao rigor da ordem executiva, assessores de Donald Trump desmentiram essa informação. Em entrevista, o chefe de gabinete da Casa Branca, Reince Priebus, disse que a medida “não afeta” os detentores do Green Card.

Agência Brasil

29 de janeiro de 2017, 10:00

MUNDO Justiça barra parte de ordem de Trump que restringe entrada de imigrantes

A Justiça dos Estados Unidos determinou, na noite desse sábado (28), a permanência nos Estados Unidos de refugiados e imigrantes de sete países muçulmanos que estavam prestes a serem deportados em razão de uma ordem executiva do presidente Donald Trump que barrava a entrada de cidadãos do Iraque, Síria, Irã, Sudão, Líbia, Somália e Iêmen. Quando a ordem do presidente Trump foi anunciada, na última sexta-feira (27), entre 100 e 200 pessoas estavam em voo para os Estados Unidos ou já se encontravam em solo americano. Elas foram detidas e aguardavam ser deportadas, apesar de terem visto para entrar no país. A suspensão foi decidida pela juíza Ann Donnelly, da corte distrital de Brooklyn, em Nova York, e vai contra o veto aplicado pelo presidente Donald Trump à entrada de imigrantes e refugiados, principalmente de países com população de maioria muçulmana. No entanto, a decisão da corte se limita a autorizar que as pessoas atualmente detidas em aeroportos sejam liberadas. Instâncias superiores da Justiça americana ainda vão examinar queixas de advogados e instituições de direitos humanos contra o mérito da ordem executiva do presidente Trump.

29 de janeiro de 2017, 09:21

MUNDO Trump fala com líderes mundiais após gerar alarme com decreto anti-imigração

Após uma semana como presidente, Donald Trump falou neste sábado (28) por telefone com vários líderes mundiais, em meio a um crescente alarme internacional gerado por seus anúncios para limitar a imigração de muçulmanos nos Estados Unidos. As informações são da Agência France Presse. Trump tem previsto se comunicar com vários líderes estrangeiros: o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe; a chanceler alemã, Angela Merkel; o presidente russo, Vladimir Putin; o presidente francês, François Hollande; e o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull. Essas conversas darão a Trump uma oportunidade de explicar suas novas políticas contra refugiados e imigrantes, que causaram comoção em grande parte do mundo, em particular o seu decreto para frear temporariamente as chegadas de refugiados e a imposição de controles estritos para viajantes de sete países muçulmanos. Estas ligações também lhe permitem começar a construir vínculos com Estados que são tradicionais aliados dos Estados Unidos, assim como com a Rússia, país com o qual Trump afirmou estar disposto a melhorar as relações durante seu mandato.

Agência Brasil

28 de janeiro de 2017, 11:30

MUNDO Nos EUA, Trump critica jornais em mensagens no Twitter

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, utilizou sua conta no Twitter (@realDonaldTrump) neste sábado para criticar dois jornais americanos: The New York Times e Washington Post. Trump afirmou na primeira das mensagens que o NYT se equivocou sobre ele desde o início. “Disseram que eu ia perder as primárias, depois a eleição geral. NOTÍCIA FALSA!”, escreveu o republicano. Trump disse que a cobertura sobre ele no New York Times e no Washington Post tem sido “tão falsa que o Times teve na verdade de pedir desculpa a seus cada vez menos numerosos assinantes e leitores”. Na avaliação do presidente, os jornais não o entenderam desde o início, não mudaram de rumo “e nunca mudarão”. Trump ainda finaliza as mensagens com a palavra “desonesto”, toda em maiúsculas. Nas mensagens, o presidente dos EUA não cita nenhuma reportagem em particular que teria motivado as críticas aos veículos de comunicação.

Estadão Conteúdo

27 de janeiro de 2017, 21:40

MUNDO Primeira semana de Trump é marcada por decretos e oposição a medidas de Obama

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tomou várias medidas desde a sua posse na última sexta-feira, 20, que vão da retirada dos EUA da Parceria Transpacífico à construção de um muro na fronteira com o México. As medidas de Trump também fizeram com que os investidores voltassem a optar pelo risco – o que impulsionou o mercado acionário americano, com o Dow Jones superando a barreira psicologicamente importante dos 20 mil pontos e o Nasdaq e o S&P 500 renovassem suas máximas históricas.

27 de janeiro de 2017, 20:59

MUNDO Donald Trump assina decreto que reforça controle imigratório

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou hoje (27) um decreto que institui novos mecanismos de controle imigratório. De acordo com o republicano, as medidas visam a impedir a entrada de terroristas no país. As informações são da Agência Ansa.”Não esquecemos as lições do 11 de setembro”, disse Trump no Pentágono, referindo-se ao maior atentado terrorista da história dos EUA, cometido pela Al-Qaeda contra o World Trade Center.rump também assinou outra ordem executiva para reforçar as atividades do Exército norte-americano, o que o magnata chamou de “reconstrução”.Em sua primeira semana como presidente dos EUA, já que tomou posse no último dia 20, o republicano tem cumprido por meio de decretos algumas das suas principais promessas de campanha, inclusive a polêmica construção do muro na fronteira com o México.

27 de janeiro de 2017, 20:20

MUNDO Peru diz que cinco empresas têm interesse em oleoduto, após saída da Odebrecht

Foto: Divulgação

O ministro das Finanças do Peru, Alfredo Thorne, afirmou que pelo menos cinco companhias têm interesse em investir no projeto do gasoduto de gás natural no sul do país. A autoridade disse que as empresas se aproximaram dele para tratar do tema no Fórum Econômico Mundial em Davos.Nesta semana, o Peru cancelou o contrato para o projeto após o consórcio liderado pela Odebrecht não conseguir cumprir um prazo para obter financiamento. O presidente Pedro Pablo Kuczynski disse esperar que um leilão do projeto ocorra em nove meses. O presidente prometeu expulsar a Odebrecht do Peru, após a companhia admitir que pagou propina a autoridades.As medidas do governo para fortalecer a economia peruana podem contrabalançar o escândalo de corrupção da Odebrecht e também o fim da Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), segundo a BMI Research. O maior risco é haver atrasos nos projetos de infraestrutura, já que o governo planeja expulsar a Odebrecht do país, na avaliação da consultoria. Thorne mostrou preocupação similar, ao dizer que será difícil o Peru crescer 4,8% neste ano. “Eu acho que poderíamos crescer 1 ponto porcentual menos”, comentou o ministro.

Estadão Conteúdo

27 de janeiro de 2017, 16:18

MUNDO Reunião de Trump e May deve ter comércio no topo dos interesses

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebe nesta sexta-feira a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, na primeira reunião do republicano com um líder estrangeiro após a posse. No topo da agenda bilateral está o comércio, no momento em que os dois líderes buscam conduzir a relação bilateral enquanto Londres prepara-se para deixar a União Europeia. May buscará lançar as bases para um novo acordo comercial com os EUA e deve receber uma recepção calorosa de um presidente que busca reformular os laços econômicos globais do país, em busca de acordos bilaterais em vez de acordos regionais amplos. A dupla deve conceder entrevista coletiva nesta tarde. May busca apoio para acordos de livre-comércio pelo mundo, com a intenção de mostrar que o plano de tirar o Reino Unido da UE não afetará o crescimento econômico do país. Ela deseja reforçar a relação com aliados como os EUA e construir laços com economias que crescem rapidamente, como a Índia. Em contraste com Trump, ela é uma defensora do livre-comércio e do internacionalismo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Estadão Conteúdo

27 de janeiro de 2017, 09:29

MUNDO Trump deve conversar com Putin e Merkel neste sábado

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve telefonar para o presidente russo, Vladimir Putin, e para a chanceler alemã, Angela Merkel, neste sábado (28), no primeiro contato oficial com os dois líderes mundiais. A informação que não foi confirmada pela Casa Branca ainda, deve começar a apontar qual será o caminho adotado pelo novo presidente norte-americano em dois pontos muito importantes no cenário internacional: qual será sua relação com o Kremlin e como ele se portará na questão da crise ucraniana. Segundo fontes, os dois temas estarão na conversa com Merkel – que é uma das maiores defensoras das sanções aplicadas pelo Ocidente contra os russos pela invasão de parte do território da Ucrânia e pela anexação da Crimeia. Com Putin, a conversa deve ser mais longa. O porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, confirmou que os dois devem conversar neste sábado, mas não deu detalhes do conteúdo do debate. Durante a campanha eleitoral à Presidência dos EUA, Putin foi acusado de fazer com que espiões russos ajudassem Trump a se eleger o novo líder de Washington.

Agência Brasil

27 de janeiro de 2017, 09:19

MUNDO Europa celebra o Dia da Memória pelas Vítimas do Holocausto

No dia 27 de janeiro de 1945, as tropas do Exército soviético destruíram a entrada do campo de concentração de Auschwitz, na atual Polônia, e, desde então, a Europa faz uma série de celebrações para lembrar os horrores do Holocausto nazista. O Dia da Memória pelas Vítimas do Holocausto contará com uma celebração em um dos locais das atrocidades da Segunda Guerra Mundial, o campo de concentração de Auschwitz, mas a Itália também lembra o episódio com eventos e mostras fotográficas sobre o tema. “Recordar é o antídoto mais forte contra o esquecimento e a indiferença e o instrumento mais importante para traçar uma nova estrada”, disse a prefeita de Roma, Virginia Raggi, durante uma celebração com estudantes de escolas da capital italiana. Há cerimônias ainda em Florença, Veneza e Milão. Em Roma, uma mostra que lembra o sofrimento das pessoas nos campos de concentração nazistas e a vida dos sobreviventes, feita pelo fotógrafo Simone Gosso, também está ocorrendo na capital. O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, divulgou uma mensagem pelos 72 anos do fim dos campos de concentração e lembrou que “nesses tempos desafiadores, a memória não é apenas uma lembrança do passado, mas é o compasso para não repetir os mesmos erros no futuro, sem cair nas mesmas armadilhas que fizeram com que permitíssemos que a discriminação e o ódio se espalhassem”.

Agência Brasil

27 de janeiro de 2017, 06:45

MUNDO Juiz peruano ordena prisão preventiva de ‘testa de ferro’

Foto: Divulgação

Por obra de metrô, Odebrecht teria pago em parcelas propina de US$ 8,1 milhões a funcionários do Ministério das Comunicações e Transportes

Um juiz peruano condenou a 18 meses de prisão preventiva o ex-funcionário do governo Miguel Ángel Navarro, que aceitou ser testa-de-ferro do ex-vice-ministro de Comunicações Jorge Cuba, suposto beneficiário dos subornos pagos pela construtora Odebrecht no país. Navarro, que está preso temporariamente desde terça-feira, 24, foi funcionário do assessor do Ministro de Transportes e Comunicações quando Cuba também ocupava um cargo no gabinete. O juiz Richard Concepción, titular do Primeiro Tribunal de Investigação Nacional do Peru, aceitou a denúncia do procurador anticorrupção Marcial Páucar. O magistrado considerou que há indícios graves que incriminam Navarro no delito de lavagem de dinheiro e que, se o ex-funcionário do governo ficasse em liberdade, poderia prejudicar as investigações. Durante a audiência, o procurador Páucar mostrou provas que sugerem que Navarro abriu contas da sociedade offshore Hispamar Internacional no Banco Privado de Andorra e que as compartilhou com diversas pessoas, entre eles a ex-jogadora de vôlei Jessica Tejada, namorada do ex-vice-ministro Cuba. Páucar afirmou que Navarro registra um patrimônio muito acima de sua renda. O ex-funcionário tem em seu nome quatro imóveis e quatro veículos, apesar do salário de 10,5 mil soles (US$ 3.180). Navarro confessou o crime e aceitou as penas impostas pela Procuradoria-Geral. Ele também pediu perdão por seus atos e à sociedade peruana. A Procuradoria-Geral sustenta que Cuba pediu a Odebrecht propina de US$ 8,1 milhões em troca de ajudar a companhia com a licitação da Linha 1 do Metrô de Lima, concedida à empresa em 2009 por um investimento inicial de US$ 410 milhões. Os subornos se pagaram supostamente em 2013 em um banco de Andorra por meio de empresas offshore, mediante transferências parciais, conforme o avanço das obras. Na terça-feira, o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, disse que a Odebrecht deve vender seus projetos e deixar o país após reconhecer o pagamento de propina que somam US$ 29 milhões em troca de licitações de obras públicas entre 2005 e 2014. Na semana passada, o governo da Colômbia sinalizou que pretende expulsar a Odebrecht do país.

Estadão