17 de fevereiro de 2018, 10:45

MUNDO Nigéria: atentado a bombas em mercado mata ao menos 20, diz polícia

Um trio de terroristas suicidas se explodiu em um lotado mercado de peixes no norte da Nigéria, matando pelo menos 20 pessoas, informou a polícia local. O porta-voz da polícia do Estado de Borno, Joseph Kwaji, confirmou o ataque da sexta-feira. Profissionais da área de saúde disseram que dois pacientes morreram por causa dos ferimentos. A polícia acredita que todos os suicidas eram mulheres. Dúzias de pessoas ficaram feridas no mercado em Konduga, na saída da capital do país, Maiduguri. A cidade é o local de nascimento da insurgência extremista do grupo Boko Haram e tem sido um alvo frequente. O Boko Haram continua a levar a cabo atentados suicidas mortais no estado de Borno e em outras partes do norte da Nigéria, como parte de sua campanha violenta para estabelecer um estado islâmico na nação da África Ocidental. Os extremistas têm usado cada vez mais mulheres e jovens como bombardeiros, muitas vezes depois de serem abduzidos e doutrinados. Fonte: Associated Press.

Estadão Conteúdo

15 de fevereiro de 2018, 07:40

MUNDO Tiroteio em escola da Flórida tem 17 mortes confirmadas

O governo da Flórida confirmou 17 mortes devido a um tiroteio em Stoneman Douglas High School, em Parkland – uma escola de ensino médio na Florida. A polícia divulgou a identidade do suspeito, o ex-aluno da escola Nikolaus Cruz, de 19 anos, que está sob custódia policial. Ele havia sido expulso da escola por razões não reveladas até o momento. Além das vítimas confirmadas, as autoridades afirmaram que há outros jovens feridos em hospitais, alguns em estado grave. O FBI e a polícia estão investigando quais foram as motivações para o ataque. Em uma entrevista coletiva transmitida pelas redes de TV americanas, a polícia da Flórida disse que o jovem tinha um rifle R-15. No Twitter, o presidente Donald Trump enviou condolências às famílias que perderam entes queridos. “Minhas orações e condolências aos familiares das vítimas do terrível tiroteio na Flórida. Nenhuma criança e professor nunca deveriam se se sentir inseguros em escolas americanas”, escreveu em sua conta. O tiroteio foi informado à polícia por volta de 15h no horário local (18h no horário brasileiro de verão). A escola tem cerca de 3 mil alunos de várias nacionalidades. O consulado brasileiro em Miami informou que há alunos brasileiros na escola, mas nenhum entre os feridos e vítimas.

Leandra Felipe, Agência Brasil

14 de fevereiro de 2018, 18:45

MUNDO Polícia prende atirador que matou um e feriu 20 em escola da Flórida

Foto: Reuters

Polícia prende atirador na Flórida

Um atirador invadiu uma escola secundária na cidade de Parkland, no condado de Broward, na Flórida, e atirou contra diversos estudantes. A polícia prendeu um suspeito de ser o responsável pelo ataque. A escola segue isolada e os estudantes estão sendo retirados. Segundo a polícia do condado de Broward ao menos uma pessoa morreu e diversas ficaram feridas. De acordo com a porta-voz da polícia Marjory Stoneman, a escola foi isolada. Um canal regional afiliado à rede de TV FOX informou que os feridos estão sendo tratadas por paramédicos. Vários estudantes postaram fotos em suas contas pessoais no Twitter mostrando as barricadas montadas dentro de salas de aula. A estudante Camila Fraser escreveu “tanto pelo Dia dos Namorados”. Outro estudante da escola, Aidan, escreveu “Ainda trancado. Chequei as notícias e havia 20 vítimas. Vida longa a Majory Stoneman Douglas High”. Por meio de sua conta no Twitter, a polícia local afirmou que havia ao menos 14 estudantes.

Estadão Conteúdo

13 de fevereiro de 2018, 10:53

MUNDO Não é responsabilidade do BCE regular bitcoin, diz Draghi

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou que não é responsabilidade da instituição proibir ou regular o bitcoin. Em breve vídeo no site do BCE, o presidente do banco central pediu cautela dos investidores em relação à moeda virtual. Draghi ressaltou que muitos jovens têm enviado questões pelo Twitter sobre se o BCE proibirá ou regulará o bitcoin. “Não é responsabilidade do BCE fazer isso”, comentou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Estadão Conteúdo

13 de fevereiro de 2018, 09:19

MUNDO Governistas entregam ao presidente ordem para que ele renuncie na África do Sul

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, se aferrava ao poder nesta terça-feira, apesar de uma ordem do partido governista, o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), para que deixe o posto, em meio a múltiplas alegações de corrupção. O secretário-geral da ANC e seu vice visitaram a residência presidencial em Pretória na manhã da terça-feira. Segundo a televisão oficial, eles entregaram uma carta a Zuma que ordenava sua saída do posto. No Parlamento, uma reunião de lideranças de todos os partidos está marcada para a manhã da quarta-feira, em uma aparente preparação para uma moção de censura contra o presidente. O ANC tem ampla maioria na Casa, por isso pode retirar Zuma mesmo sem o apoio da oposição. Os oposicionistas, de qualquer modo, já haviam pedido a queda do presidente. Representantes de Zuma e o ANC não responderam os pedidos de entrevista. O partido agendou entrevista coletiva para mais tarde nesta terça-feira para atualizar o país sobre sua decisão a respeito do futuro do presidente. A pressão pela saída de Zuma aumentou em dezembro, quando a ex-mulher e candidata favorita dela perdeu a disputa para ser a líder do ANC. Zuma passou dez anos na prisão junto com Nelson Mandela por seus esforços para derrotar o apartheid, mas agora é pressionado a deixar o partido antes da eleição geral do próximo ano, para melhorar a imagem da sigla, após várias acusações de corrupção contra ele, sua família e alguns de seus aliados mais próximos. Ele garante ser inocente. Pelas regras internas da ANC, o Comitê Executivo Nacional do partido, que se reuniu no início desta terça-feira, tem o direito de retirar do posto quem não cumprir as regras. Na prática, porém, depende do funcionário seguir as ordens. Pela Constituição sul-africana, um presidente pode ser removido com uma moção de censura do Parlamento ou um processo de impeachment. Isso forçaria Zuma e seu gabinete a sair e a presidente do Parlamento, Baleka Mbete, assumiria o posto por até 30 dias, até que os legisladores escolhessem um novo presidente. Fonte: Dow Jones Newswires.

Estadão Conteúdo

12 de fevereiro de 2018, 18:00

MUNDO Esposa de filho de Trump é levada a hospital após abrir carta com pó suspeito

A esposa de um dos filhos do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi levada nesta segunda-feira (12) a um hospital de Nova York para ser avaliada por um médico após abrir uma carta suspeita que tinha sido enviada para sua casa, informaram veículos de imprensa locais. A informação é da EFE. A carta, dirigida a Donald Trump Jr., foi aberta pela sua mulher, Vanessa, e continha um pó branco sem identificação, segundo o canal ABC News. Tanto ela como outras duas pessoas foram descontaminadas pelos bombeiros no local e levadas a um hospital próximo, por precaução. Segundo veículos de imprensa locais, aparentemente todos passam bem. Por enquanto, não há mais detalhes da situação, mas segundo a imprensa não há nenhuma indicação de que o envelope contivesse alguma substância perigosa ou agente biológico.

Agência Brasil

12 de fevereiro de 2018, 17:00

MUNDO Trump propõe “taxa recíproca” sobre o comércio exterior

O presidente dos EUA, Donald Trump propôs o que ele chamou de taxa recíproca sobre o comércio, durante um encontro sobre infraestrutura nesta segunda-feira. “Vamos cobrar territórios fora do nosso país que se beneficiam dos Estados Unidos”, disse Trump a autoridades estaduais e locais, de acordo com a Casa Branca. “Então, vamos fazer uma taxa recíproca e vocês vão ouvir muito sobre isso durante a semana e nos próximos meses.” Em discursos recentes sobre comércio exterior, Trump tem reiterado que quer acabar com “décadas de acordos comerciais injustos”, que, segundo ele, prejudicaram os EUA. Seu governo já deu início a discussões visando a renegociação do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês).

Estadão Conteúdo

12 de fevereiro de 2018, 10:11

MUNDO Trump promete “grande semana” para infraestrutura nos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou sua conta oficial no Twitter nesta segunda-feira para prometer que esta será uma semana importante para anúncios no setor de infraestrutura no país. Em sua mensagem, ele criticou os gastos americanos no Oriente Médio. “Esta será uma grande semana para infraestrutura. Após gastar tão estupidamente US$ 7 trilhões no Oriente Médio, agora é hora de investir em NOSSO País!”, escreveu Trump. Trump deve anunciar hoje uma plano de investimentos de US$ 1,5 trilhão, sendo US$ 200 bilhões para infraestrutura.

Estadão Conteúdo

11 de fevereiro de 2018, 11:15

MUNDO Partido no comando da África do Sul marca reunião de emergência em meio a crise

O comitê executivo nacional do Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), partido no comando da África do Sul, vai realizar uma reunião de emergência nesta segunda-feira, enquanto o país espera uma decisão sobre a possível saída antecipada do presidente Jacob Zuma por causa de alegações de corrupção, informou a imprensa local. O anúncio da reunião ocorreu antes de um discurso esperado pelo vice-presidente, Cyril Ramaphosa, que diz ter negociado uma transição de poder com Zuma. Muitos antigos apoiadores do presidente querem que ele renuncie por causa de sua ligação com escândalos de corrupção que derrubaram o apoio do partido no poder e prejudicaram uma das maiores economias africanas. Há uma crescente sensação de desconforto pela falta de informações sobre as conversas confidenciais entre Zuma e Ramaphosa. Enquanto líderes do ANC pedem que os sul-africanos esperem pacientemente por uma solução, a oposição política especula que Zuma está tentando assegurar concessões, incluindo a proteção de acusações, em troca da renúncia. “Essa mediação não pode continuar”, disse o porta-voz do partido de oposição Aliança Democrática, Refiloe Nt’sekhe. “Jacob Zuma deve enfrentar todas as consequências de suas ações, sejam quais forem, e não pode haver acordo ou leniência para ele ou sua família.” Zuma nega os mal feitos, mas ele está desacreditado pelos escândalos, que incluem supostas melhorias multi milionárias em sua casa particular, que teriam sido pagas pelo estado, e envolvimento em acordo de armas fechado a cerca de duas décadas. Na semana passada, Ramaphosa cancelou uma reunião do comitê executivo nacional do ANC, que se espera que pressione pela saída antecipada do presidente, de modo que o partido possa reconquistar os eleitores antes das eleições em 2019. Tal reunião poderia exacerbar as divisões no partido que comanda a África do Sul desde o fim do apartheid em 1994. Ramaphosa disse que suas discussões privadas com Zuma visavam minimizar discórdia. O porta-voz do ANC, Pule Mabe, confirmou que uma reunião do comitê estava programada para esta segunda-feira, mas não comentou a agenda. A previsão é de que Ramaphosa fale na Cidade do Cabo neste domingo, na celebração do 28º aniversário da libertação de Nelson Mandela. Ramaphosa, ativista anti-apartheid, foi um negociador chave durante a transição para democracia no início dos anos 1990.

11 de fevereiro de 2018, 10:45

MUNDO Avião com 71 a bordo cai perto de Moscou

Um avião de uma companhia aérea russa que transportava 71 pessoas caiu na região de Moscou, depois de desaparecer do radar informaram agências de notícias internacionais. A aeronave An-148, um jato regional pertencente à Saratov Airlines, decolou do Aeroporto Internacional Domodedovo, ao sul de Moscou, com destino a Orsk, no Oeste do país, e desapareceu dois minutos depois da partida. Fontes não identificadas de serviços de emergência, ouvidas pela agência Interfax, disseram que “não há” chances de sobreviventes.

Estadão

7 de fevereiro de 2018, 21:22

MUNDO Sem valor, notas de bolívar viram artesanato e arte na Venezuela

Foto: Federico Parra/AFP Photo

Desvalorizada, moeda venezuelana é usada por ambulantes na confecção de bolsas e carteiras em Caracas

Começou como uma brincadeira. O ambulante Wilmer Rojas, de 25 anos, recolhia notas de 2, 5, 10 e 20 bolívares – descartadas e indesejáveis em um país no qual a hiperinflação deve chegar a 13.000% este ano – para fazer barquinhos de papel. Conforme o tempo passa, a moeda se desvaloriza e a repulsa a ela cresce, ele passou a confeccionar de tudo com as notas que ninguém quer: de carteiras a caixas de cigarro para vendê-las numa barraca em uma das estações de metrô de Caracas, a capital da Venezuela. “As pessoas jogam essas notas fora porque não servem para comprar nada, ninguém as aceita”, explica. “Não servem nem para comprar uma bala”. Para confeccionar uma carteira, são necessárias 400 notas. Mesmos as notas maiores, como as de 100, e as de denominações maiores, emitidas recentemente, como 500, mil e 10 mil, também perdem o valor rapidamente em consequência da hiperinflação. Hoje, somados, os bilhetes em circulação – 100, 500, mil, 2 mi, 5 mil. 10 mil, 20 mil e 100 mil – equivalem a 50 centavos de dólar no mercado negro. “Com esse bolo de 50 notas de mil consigo fazer uma caixa de cigarros”, conta o vendedor. “Posso fazê-las com jornal ou revista, mas com dinheiro é mais fácil. Não vale nada, é do mesmo tamanho e não preciso cortar”. Apesar disso, Wilmer diz que está cada vez mais difícil vender seus produtos. “Os clientes apenas me cumprimentam pois não tem mais dinheiro vivo”, diz. “Sem dinheiro para comida, por que gastariam com isso?”. No centro de Caracas e na fronteira com a Colômbia, também é comum a venda de bolsas e mochilas feitas a partir de notas de bolívares. “A moeda ser usada dessa forma é a melhor expressão de sua perda de valor”, disse a economista. Com mil notas de 2 bolívares que ninguém aceita, o desenhista de José León, de 26 anos, começou um protesto no Instagram chamado “Venezuela Desvalorizada”. Ele pintou as notas com imagens de heróis de histórias em quadrinhos, paisagens e cenas cotidianas da crise venezuelanas, sobrepostas sobre o rosto do libertador Simón Bolívar. Seus clientes pagam até 20 dólares por uma peça. “Com um pouco de tinta, eu revalorizo minha moeda em 5.00%”, brinca.

Estadão Conteúdo

4 de fevereiro de 2018, 10:55

MUNDO Colisão entre trens nos EUA deixa 2 mortos e 70 feridos

A colisão entre um trem de passageiros e outro trem de carga no Estado norte-americano da Carolina do Sul deixou ao menos dois mortos e aproximadamente 70 feridos. O veículo com passageiros era operado pela empresa Amtrak e havia saído da cidade de Nova York com destino a Miami. Já o trem de cargas estava a serviço da companhia de transportes CSX. De acordo com o porta-voz do condado de Lexington Harrison Cahill, os veículos se chocaram quando passavam pela cidade de Cayce, por volta das 2h45 (horário local) deste domingo. Ele não soube informar se as duas pessoas que faleceram estavam no trem de passageiros ou no de carga. Conforme informações da Amtrak, o motor principal do veículo e alguns vagões descarrilaram, com oito tripulantes e 139 passageiros a bordo. A empresa também colocou à disposição uma linha telefônica para prestar informações sobre os passageiros envolvidos no acidente. Os feridos estão sendo levados para abrigos da região, de acordo com o porta-voz da polícia do condado de Lexington, Adam Myrick.

Estadão Conteúdo

3 de fevereiro de 2018, 18:22

MUNDO PF prende em Portugal operador de propinas da Lava Jato

Foto: Reprodução

Raul Schmidt

A Polícia Federal prendeu na tarde deste sábado, 3, em Portugal, o operador de propinas Raul Schmidt, acusado no esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na Petrobras alvo da Operação Lava Jato. Ele era procurado desde que o processo de extradição para o Brasil foi concluído pela Justiça portuguesa. Schmidt chegou a ser preso em março de 2016 na primeira fase internacional da Lava Jato, mas foi solto. Ele morava em Portugal e tem cidadania portuguesa. A Justiça portuguesa negou os recursos do brasileiro e em janeiro determinou que a extradição seja executada, conforme acórdão de dezembro de 2016. A Secretaria de Cooperação Internacional da Procuradoria-Geral da República (PGR) atuou em conjunto com a Advocacia-Geral da União (AGU) para garantir a extradição. A prisão ocorreu por volta das 12h30, com a Polícia Judiciária de Portugal, PF e equipes do Ministério Público Federal. O alvo estava em uma residência em Sabugal, localidade há uma hora de Lisboa. A PF divulgou nota em que informou que: “Na última semana as autoridades portuguesas decretaram sua prisão e, em trabalho conjunto de inteligência entre a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Interpol, Adidância da Polícia Federal em Portugal e as autoridades portuguesas, ele foi localizado nesta tarde e preso”. O Ministério da Justiça de Portugal autorizou o envio de Schmidt. Raul Schmidt é investigado pelo pagamento de propinas aos ex-diretores da Petrobras Renato de Souza Duque, Nestor Cerveró e Jorge Luiz Zelada, todos envolvidos no esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa instalado na estatal. A polícia aguarda agora autorização para envio do preso ao Brasil. Ele ficará detido em Curitiba, onde foi expedida a ordem de prisão originária, do juiz federal Sérgio Moro. A extradição foi autorizada com a condição de que o julgamento no Brasil só ocorra por atos praticados antes da obtenção da nacionalidade portuguesa. Schmidt é brasileiro nato e foi naturalizado português em dezembro de 2011. Além de atuar como operador financeiro no pagamento de propinas aos agentes públicos da Petrobras, ele também aparece como preposto de empresas internacionais na obtenção de contratos de exploração de plataformas da estatal petrolífera. Antes de sua prisão em março de 2016, Schmidt estava foragido desde julho de 2015. Ele morou em Londres, onde mantinha uma galeria de arte, mas, após o início da Lava Jato, se mudou para Portugal em virtude da dupla nacionalidade – em 2014, Raul Schmidt foi entrevistado pelo site do museu Victoria and Albert. Ele foi preso em seu apartamento, localizado em uma região nobre de Lisboa. “A confirmação da extradição é mais um marco na luta transnacional contra a corrupção e a lavagem de dinheiro e reforça os inúmeros laços entre o sistema de Justiça português e brasileiro. Também demonstra que os vínculos artificiais de nacionalidade não são óbice na repressão ao crime organizado”, afirmou a secretária de Cooperação Internacional da PGR, Cristina Romanó.

Estadão

2 de fevereiro de 2018, 21:16

MUNDO Maduro é oficializado candidato à reeleição na Venezuela

Foto: Estadão/Reprodução

Nicolás Maduro é indicado candidato à reeleição pelo chavismo

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi proclamado candidato da situação para tentar a reeleição nas presidenciais antecipadas para antes de 30 de abril. O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira dois, Diosdado Cabello, no congresso do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). Eleições no país foram antecipadas para o primeiro trimestre em meio à grave crise econômica e a oposição ainda não decidiu se participará da votação. Vestindo camisa vermelha e acompanhado da primeira-dama, Cilia Flores, Madurorecebeu o estandarte do PSUV, em meio a um sonoro “sim”, proferido por mais de 500 delegados do partido, que responderam a uma pergunta de Cabello sobre a candidatura do presidente. “Era lógico, total e absolutamente lógico, que o candidato da revolução bolivariana para estas eleições seja Nicolás Maduro. Um irmão, um companheiro de conduta revolucionária irrepreensível (…). Vamos vencer, não tenho dúvidas… Com folga”, acrescentou Cabello, vice-presidente do PSUV. Maduro, um ex-motorista de ônibus de 55 anos, enfrenta uma impopularidade de 70%, segundo o instituto de pesquisas Delphos, pois parte da população o associa com a hiperinflação – projetada em 13 mil % pelo FMI para 2018 – e a grave escassez de alimentos e medicamentos. A governista Assembleia Nacional Constituinte, que rege o país com poderes absolutos, decidiu em 23 de janeiro antecipar as eleições para o primeiro quadrimestre do ano – tradicionalmente são celebradas em dezembro -, embora não haja uma data precisa. Assim que a Constituinte anunciou a antecipação do pleito, Maduro iniciou sua campanha, enquanto a decisão deixou desorientada a oposição, que sofre divisões e ainda não decidiu se disputará primárias ou elegerá um candidato único por consenso.

Estadão Conteúdo

2 de fevereiro de 2018, 10:00

MUNDO ONU elogia Brasil por ratificação de acordo em prol dos empregados domésticos

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) elogiou esta semana a ratificação, pelo governo brasileiro, do instrumento formal da Convenção para o Trabalho Decente dos Trabalhadores Domésticos (Convenção 189). Segundo a agência da ONU, o Brasil tem cerca de 7 milhões de trabalhadores domésticos, mais do que qualquer outro país do mundo, e tornou-se a 27° nação a ratificar o documento. A OIT explica que ratificar essa convenção é um passo importante, depois do governo brasileiro ter tomado várias medidas para proteger os trabalhadores domésticos. Uma delas foi o estabelecimento da jornada máxima de trabalho de 44 horas por semana, assim como uma lei que proíbe o trabalho doméstico para menores de 18 anos. A maioria dos domésticos no Brasil são mulheres, indígenas e pessoas de descendência africana. A agência da ONU destaca que até recentemente, eles não estavam protegidos pela lei trabalhista.

Agência Brasil