10 de dezembro de 2017, 12:28

MUNDO Vaticano reitera posição em prol do status quo de Jerusalém

O Vaticano disse que o Papa Francisco está rezando para que os líderes das nações se comprometam a trabalhar para evitar uma nova “espiral de violência” sobre Jerusalém e está expressando tristeza pelos confrontos dos últimos dias, que produziram vítimas. O anúncio dos EUA reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel desencadeou a violência e, em uma declaração neste domingo o Vaticano recordou o apelo de Francisco na semana passada pela “sabedoria e prudência”, reiterando sua posição em prol do respeito ao status quo de Jerusalém. A mensagem do Vaticano diz que apenas uma solução negociada entre israelenses e palestinos pode levar a uma paz estável e duradoura e garantir a coexistência pacífica de dois estados dentro de fronteiras reconhecidas internacionalmente. O Vaticano chamou Jerusalém de “cidade sagrada para cristãos, judeus e muçulmanos de todas as partes o mundo”.

Estadão

10 de dezembro de 2017, 11:30

MUNDO Mercosul e UE podem anunciar acordo na quarta

Mercosul e União Europeia iniciam neste domingo, dia 10 de dezembro, uma rodada de reuniões que tem chances de terminar com um anúncio histórico: que as negociações do acordo de associação entre os dois blocos foram concluídas do ponto de vista político depois de 20 anos de altos e baixos. No melhor dos cenários, alguns pontos ainda ficarão em aberto, mas haverá um rumo claro a ser percorrido pelos técnicos até a efetiva assinatura do acordo. As conversas ocorrerão em Buenos Aires, a partir deste domingo, em paralelo à reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC). Para os negociadores, o ideal é anunciar o “acordo político” durante o evento, que termina na quarta-feira, dia 13. O presidente Michel Temer participará da cerimônia de abertura da reunião da OMC neste domingo ao lado do argentino Maurício Macri, e dos presidentes do Paraguai, Horácio Cartes, do Uruguai, Tabaré Vázquez, e do Chile, Michelle Bachelet. “O acordo é o primeiro grande lance de inserção do Mercosul na economia mundial”, disse ao jornal ‘O Estado de S. Paulo’ o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes. E o bloco sul-americano foi criado, há 26 anos, para ser uma zona de livre comércio e para buscar essa integração.

Agência Brasil

9 de dezembro de 2017, 10:30

MUNDO Reino Unido: eleitores poderão mudar acordo com UE, diz defensor do Brexit

Os eleitores britânicos poderão alterar a futura relação do Reino Unido com a União Europeia após o Brexit, se quiserem, afirmou um importante defensor do Brexit no governo britânico, o secretário do Meio Ambiente, Michael Gove. Os comentários ocorrem após a primeira-ministra, Theresa May, fechar um acordo sobre os termos do Brexit em relação a um futuro pacto comercial, na sexta-feira. Em artigo publicado no Daily Telegraph neste sábado, Gove afirma que “se os britânicos não gostarem do acordo celebrado com a União Europeia, o acordo permitirá um futuro governo divergir sobre pontos.” As próximos eleições gerais no Reino Unido estão marcadas para 2022, três anos após a previsão de saída do país da União Europeia.

Estadão

9 de dezembro de 2017, 10:15

MUNDO Iraque: Guerra contra Estado Islâmico ‘está encerrada’, diz general

A guerra contra o Estado Islâmico está encerrada, afirmou o comandante iraquiano General Abdul-Amir Rasheed Yar Allah. As operações de combate contra os extremistas, declarou, foram concluídas após forças iraquianas retomarem o controle da fronteira entre Iraque e Síria. “Todas as áreas do Iraque foram liberadas do controle de terroristas Daesh e nossas forças estão no controle da fronteira internacional Iraque-Síria”, diz o general em comunicado. No verão de 2014, combatentes do Estado Islâmico tomaram cerca de um terço do território iraquiano, incluindo a cidade de Mosul a segunda maior do país. Nos últimos três anos e meio, soldados iraquianos apoiados pela coalizão liderada por militares norte-americanos recuperaram os territórios dos extremistas, que ainda seguem capazes de fazer ataques-surpresa.

8 de dezembro de 2017, 09:50

MUNDO Prefeito de Londres se diz decepcionado com acordo para avanço do Brexit

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, disse estar decepcionado com partes do acordo que a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou hoje com a União Europeia, mas destacou que ela fez o que era necessário para avançar para a próxima fase das conversas sobre o Brexit, como é conhecido o processo para a retirada do Reino Unido do bloco. Segundo Khan, o governo britânico precisa acelerar o progresso das negociações para evitar mais atrasos. Para ele, é fundamental que líderes empresariais sejam informados com clareza sobre eventuais planos para evitar que empresas deixem o país. Khan também afirmou ter aprovado decisões sobre os direitos de cidadãos da UE que residem no Reino Unido, mas ressaltou que é “extremamente decepcionante o fato de que o país deixará o mercado único e a união alfandegária. Ainda de acordo com Khan, apesar do progresso visto hoje, parece cada vez mais improvável que será fechado um acordo que atenda os interesses de Londres e proteja os empregos e crescimento em todo o Reino Unido. Mais cedo, autoridades da UE e May anunciaram um acordo sobre termos do Brexit que deverá permitir avançar para negociações sobre um futuro pacto comercial.

Estadão Conteúdo

7 de dezembro de 2017, 17:30

MUNDO Procurador pede pena máxima para vice-presidente do Equador no caso Odebrecht

O procurador-geral do Equador, Carlos Baca Mancheno, pediu nesta quinta-feira (7) a pena máxima de prisão para o vice-presidente afastado do país, Jorge Glas, acusado de formação de quadrilha no escândalo de propinas da construtora Odebrecht. A informação é da agência EFE. Mancheno apresentou hoje suas alegações finais contra Glas e outros 12 acusados do mesmo crime. A pena máxima de prisão para o vice-presidente nesse caso, segundo o Código Penal do Equador, é de seis anos de reclusão, informou a Procuradoria-Geral. De acordo com o pedido, foi considerado como agravante o fato de Glas ser parte do governo, portanto responsável por todas as anomalias que foram registrados em setores sob seu comando. O procurador-geral acusa Glas de ter recebido US$ 13,5 milhões em pagamentos feitos pela Odebrecht através de duas empresas. O dinheiro teria sido pago em troca da vitória na licitação de cinco projetos quando o vice-presidente era responsável de setores estratégicos do país, entre 2012 e 2016. Em sua alegação final, Mancheno explicou como foi cometido o crime de associação ilícita através de testemunhos e perícias de análise financeira, que corroboraria as transferências das propinas feitas pela Odebrecht no Equador, superiores a US$ 33,5 milhões. No início do julgamento, que se aproxima de sua segunda semana, Glas disse confiar que a Justiça agiria com probidade, dentro do estado de direito e não sob um “estado de opinião”. O advogado do vice-presidente, Eduardo Franco Loor, indicou na véspera do julgamento que a Procuradoria-Geral não apresentou evidências para provar as acusações contra Glas. Glas está preso preventivamente desde 2 de outubro. Em agosto, por causa de diferenças políticas, ele já tinha sido afastado de suas funções pelo presidente do Equador, Lenín Moreno.

Agência EFE

6 de dezembro de 2017, 18:01

MUNDO Câmara dos EUA arquiva pedido de impeachment contra presidente Donald Trump

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos arquivou por 364 a 58 uma resolução do deputado democrata Al Green, do Texas, que pede pelo impeachment do presidente Donald Trump. Na resolução, Al Green disse que Trump associou sua presidência a bandeiras ligadas à intolerância e ao racismo. Após a leitura da resolução, os republicanos realizaram uma votação para arquivá-la. Líderes democratas já haviam dito que se opunham à ideia. Green alegou que Trump havia cometido um grave erro e não servia para ser presidente, pedindo pelo impeachment, investigação e remoção do republicano. Os legisladores não debateram o mérito da resolução. A grande maioria dos democratas se uniu aos republicanos para arquivar o pedido. “Não é hora de considerarmos artigos de impeachment”, disse a líder democrata, Nancy Pelosi.

Estadão

4 de dezembro de 2017, 09:41

MUNDO Estados Unidos e Coreia do Sul começam exercício aéreo

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul começaram hoje (4) um exercício aéreo conjunto previsto para durar cinco dias. A manobra – uma das maiores já realizadas pelos dois países – vai utilizar 230 aviões, entre eles, caças F-22 Raptor. A operação foi batizada de Vigilant Ice (vigilante de gelo) e também envolve, segundo comunicado do governo sul coreano, milhares de soldados. Há menos de uma semana, a Coreia do Norte lançou sobre o mar do Japão um míssil continental balístico considerado o maior até agora, desde sua escalada de testes com mísseis. No fim de semana, o jornal norte-coreano Rodong falou sobre o exercício militar realizado pelos exércitos americano e sul coreano. “É uma provocação aberta, em todos os níveis, contra a Coreia do Norte que poderia resultar em uma guerra nuclear a qualquer momento”, afirmou o editorial do jornal. Com o mesmo tom adotado anteriormente, o texto chama a vizinha Coreia do Sul de “marionete” dos Estados Unidos. “Faria bem recordar que seu exercício militar [dos Estados Unidos] dirigido contra a Coreia do Norte será tão estúpido como um ato que precipita sua autodestruição”. A troca de acusações entre os dois governos continua. Há duas semanas a Coreia do Norte foi incluída na lista dos países que os Estados Unidos classifica como terrorista. A reação da Coreia do Norte veio na quarta-feira passada, quando Pyongyang lançou o míssil no mar do Japão. Segundo um comunicado emitido na ocasião pelo país, comandado por Kim Jong Un, o míssil lançado semana passada, um Hwasong 15, poderia transportar uma ogiva nuclear e atingir todo o território continental dos Estados Unidos. O Pentágano não confirmou a informação, mas reconheceu que o míssil é o maior já lançado pelo país adversário. O governo norte-americano pediu novas sanções contra a Coreia do Norte ao Conselho de Segurança das Nações Unidas e interlocutores do governo Donald Trump afirmam que a possibilidade de uma guerra aumenta dia após dia.

Leandra Felipe, Agência Brasil

3 de dezembro de 2017, 10:40

MUNDO EUA se retiram do Pacto sobre Migração e Refugiados e ONU lamenta decisão

Os Estados Unidos anunciaram no sábado que vão sair em 2018 do Pacto Global sobre Migração e Refugiados, assinado pela administração do ex-presidente Barack Obama. A ONU lamentou a decisão. Em setembro de 2016, os 193 membros da Assembleia Geral da ONU adotaram a chamada Declaração de Nova York, que tem como princípio o entendimento que nenhum país pode gerir a migração internacional por conta própria. Além disso, os Estados se comprometeram a melhorar a gestão internacional dos movimentos de refugiados e migrantes, por meio do acolhimento e do apoio ao regresso a partir do ano que vem. A alegação da equipe diplomática do presidente Donald Trump é de que o texto contém “numerosas provisões” que são inconsistentes com os princípios da política imigratória americana agora em curso. “Nós vamos decidir como melhor controlar nossas fronteiras e quem estará apto a entrar em nosso país”, declarou, em comunicado, a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley. Em comunicado, o presidente da Assembleia Geral das Nações Unidos, o eslovaco Miroslav Lajcák, afirmou que o papel dos EUA no processo é “fundamental”. “O multilateralismo continua sendo a melhor forma de enfrentar os desafios globais”, disse.

Estadão Conteúdo

2 de dezembro de 2017, 12:15

MUNDO Senado dos EUA aprova reforma tributária em uma vitória para Trump

O Senado dos Estados Unidos aprovou neste sábado (2) uma ampla reforma tributária. A aprovação da matéria representa um passo significativo para que os republicanos e o presidente Donald Trump se aproximem do objetivo de reduzir impostos para empresas e ricos. As informações são da Agência Reuters. No que seria a maior reforma tributária do país desde a década de 1980, os republicanos querem aumentar a dívida nacional de 20 trilhões de dólares em 1,4 trilhão ao longo de 10 anos para financiar as mudanças, que eles dizem que aumentarão ainda mais uma economia já em crescimento. “Estamos um passo mais perto de entregar enormes cortes de impostos para famílias trabalhadoras em toda a América”, disse Trump na sua conta do Twitter. Comemorando a vitória no Senado, líderes republicanos projetaram que os cortes nos impostos encorajariam empresas americanas a investirem mais, reforçando o crescimento econômico. “Agora, temos uma oportunidade de tornar o país mais competitivo, de manter empregos que foram enviados para outros países e de fornecer um alívio significativo para a classe média”, disse Mitch McConnell, líder republicano no Senado. O Senado aprovou a lei por 51 a 49 votos, com os democratas reclamando que as emendas de última hora para conquistar republicanos céticos foram mal redigidas e são vulneráveis para serem exploradas, no futuro, por advogados e contadores da indústria da evasão fiscal.

Agência Reuters

2 de dezembro de 2017, 11:45

MUNDO Honduras decreta toque de recolher para conter violência

Honduras suspendeu o direito à livre circulação, na sexta-feira (1º), impondo um toque de recolher do anoitecer ao amanhecer, e dando ao exército e à polícia mais poderes, depois que confusões e protestos, motivados por uma eleição contestada, deixaram pelo menos uma pessoa morta. Cinco dias depois do fechamento das urnas, nenhum claro vencedor emergiu da votação de domingo. O presidente Juan Orlando Hernández conseguiu uma pequena vantagem sobre seu adversário, mas milhares de votos contestados ainda podem mudar o resultado. Pelo menos um manifestante morreu, mais de 20 pessoas foram feridas e mais de 100 foram presas, depois que líderes da oposição acusaram o governo de tentar roubar a eleição, manipulando a contagem de votos. “A suspensão de garantias constitucionais foi aprovada para que as forças armadas e a polícia nacional conseguiam conter esta onda de violência que atingiu o país”, disse Ebal Díaz, membro do conselho de ministros. A preocupação internacional tem crescido em relação à crise eleitoral no país da América Central, que sofre com gangues violentas de traficantes e uma das maiores taxas de assassinatos no mundo. Honduras é fonte de ondas de imigrantes pobres para os Estados Unidos e se localiza no meio de uma das maiores rotas de tráfico de cocaína do mundo. O toque de recolher nacional será imposto durante 10 dias, começando na noite de sexta-feira, afirmou o ministro do governo Jorge Ramón Hernández, em um comunicado simultaneamente transmitido por emissoras de TV e rádio.

Agência Reuters

2 de dezembro de 2017, 11:00

MUNDO Síria: Israel disparou mísseis contra posto militar perto de Damasco

Israel disparou vários mísseis superfície-superfície contra um posto militar perto da capital da Síria, Damasco, causando danos materiais, mas sem mortes, informou a agência de notícias estatal da Síria Sana. A violência foi retomada nos subúrbios de Damasco depois de dias de calma em que delegações do governo e da oposição participaram de conversações de paz em Genebra. O exército israelense não comentou o ataque com mísseis, que ocorreu na madrugada de sábado, tendo como alvo uma área militar perto do subúrbio de Kiswah, ao sul de Damasco. A agência Sana disse que o ataque causou danos materiais, mas não deu detalhes. A reportagem disse ainda que as defesas aéreas sírias derrubaram dois mísseis israelenses. Israel realizou uma série de ataques aéreos contra supostos carregamentos de armas que seriam destinados ao grupo militante do Líbano Hezbollah, que está lutando ao lado das forças do governo sírio na guerra civil. Israel também atingiu várias instalações militares do Iraque desde o início do conflito, principalmente perto das Colinas de Golã. Em setembro, aviões de guerra israelenses atingiram uma posição militar perto da costa mediterrânea no oeste da Síria, matando dois soldados e causando danos materiais. Nos subúrbios de Damasco, forças do governo retomaram ataques aéreos e bombardearam as áreas rebeldes no sábado, matando e ferindo várias pessoas, de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos e um grupo de busca e salvamento da Defesa Civil da Síria conhecido como Capacetes Brancos. A TV estatal síria disse que rebeldes atacaram vários bairros de Damasco, ferindo pelo menos três pessoas. A TV disse que uma das artilharias explodiu perto da Catedral de Al-Mariamiyah, no bairro central Bab Touma. O governo e a oposição retomaram as negociações de paz em Genebra na terça-feira. As negociações promovidas pelas Nações Unidas foram interrompidas para o fim de semana, mas estão programadas para ser retomadas na terça-feira.

Estadão Conteúdo

2 de dezembro de 2017, 09:30

MUNDO Protestos por eleição em Honduras deixam 1 morto e dezenas de feridos

Foto: Divulgação

Protestos por eleição em Honduras deixam 1 morto e dezenas de feridos

Ao menos um manifestante morreu, mais de 20 pessoas ficaram feridas e mais de 100 foram presas em Honduras após uma contagem de votos polêmica da eleição presidencial gerar protestos em meio a acusações da oposição de fraude eleitoral. O país irá publicar o resultado final da eleição presidencial de domingo às 21h (horário local) desta sexta-feira, disse o chefe do órgão eleitoral hondurenho, David Matamoros. A corte eleitoral irá contar a mão cerca de 1.031 urnas, ou cerca de 6% do total, que possuíam irregularidades, disse Matamoros. Resultados da eleição inicialmente favoreciam o candidato da oposição e estrela da TV, Salvador Nasralla, por cinco pontos, com metade dos votos apurados. Os votos então giraram a favor do presidente Juan Orlando Hernández, apoiado pelos Estados Unidos, após a votação ser interrompida na segunda-feira e retomada mais de um dia depois. Com a contagem regular de urnas finalizada, Hernández, do Partido Nacional, de centro-direita, tinha uma liderança de menos de 50 mil votos. Luis Larach, presidente do lobby empresarial COHEP, disse à Reuters que a pequena diferença, de 1,5 ponto percentual entre os candidatos, significa que a contagem a mão será crucial. Fontes da polícia disseram que pelo menos um homem foi baleado e morto em um protesto na cidade de La Ceiba, enquanto cerca de 12 membros da força militar e policial foram feridos em manifestações que geraram caos no trânsito nesta sexta-feira.

Agência Brasil

1 de dezembro de 2017, 20:24

MUNDO Apostas de que Trump sofrerá impeachment avançam após delação premiada de Flynn

A notícia de que o ex-conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca Michael Flynn pretende depor contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no âmbito da investigação da suposta interferência do governo russo na eleição presidencial americana fez com que as apostas para o impeachment de Trump saltasse nas últimas horas, de acordo com o site de apostas PredictIt.Por volta das 16h20 (de Brasília), os investidores acreditavam que Trump tem 42% de chances de sofrer impeachment em seu primeiro mandato, enquanto nos dias anteriores essa possibilidade estava pouco acima de 30%. Ainda de acordo com o PredictIt, as chances do presidente americano sofrer impeachment até o fim do próximo ano subiram de 18% para 25%.

1 de dezembro de 2017, 19:10

MUNDO Saiba como ficaram os grupos para a Copa 2018 na Rússia

Nesta sexta-feira (1º), às 13h, horário de Brasília (18h em Moscou), foram definidos os oito grupos da primeira etapa da Copa do Mundo. O Brasil está no Grupo E, junto com Suíça, Costa Rica e Sérvia. O grupo do Brasil é o que soma o maior número de pontos no ranking da Fifa. Foram 4.415 pontos, sendo 1.619 do Brasil, 1.134 da Suiça, 914 da Costa Rica e 748 da Sérvia.O jogo de estreia da seleção canarinho será contra a Suíça. O jogo será no dia 17 de junho, em Rostov-on-Don. As seleções só se encontraram uma vez em Copas. Na Copa de 50, em São Paulo.Já Brasil e Costa Rica se enfrentaram duas vezes na história dos mundiais. Sendo duas vitórias do Brasil. São seis gols para o Brasil, contra dois no saldo de Costa Rica.Brasil e Sérvia, por sua vez, já fizeram quatro jogos em mundiais. O Brasil obteve uma vitória, uma derrota e dois empates. No história das Copas, são quatro gols da seleção brasileira e três dos sérvios.A Rádio Nacional vai transmitir os jogos na Copa da Rússia, em 2018.

Veja como ficaram os grupos:

Grupo A

Rússia, Arábia Saudita, Egito, Uruguai

Grupo B

Portugal, Espanha, Marrocos, Irã

Grupo C

França, Austrália, Peru, Dinamarca

Grupo D

Argentina, Islândia, Croácia, Nigéria

Grupo E

Brasil, Suíça, Costa Rica, Sérvia

Grupo F

Alemanha, México, Suécia e Coreia do Sul

Grupo G

Bélgica, Panamá, Tunísia, Inglaterra

Grupo H

Polônia, Senegal, Colômbia e Japão

Agência Brasil