22 de junho de 2017, 20:29

MUNDO EUA suspendem importação de carne bovina do Brasil

Foto: José Patrício/Estadão

Produto brasileiro teve mais de 100 lotes rejeitados devido a preocupações sanitárias

O secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdue, anunciou nesta quinta-feira, 22, a suspensão de todas as importações de carne bovina in natura do Brasil, por causa de preocupações recorrentes em relação à segurança do produto destinado ao mercado norte-americano. A suspensão ficará em vigor até que o Ministério da Agricultura do Brasil adote medidas que o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) considere satisfatórias. Desde março, o Serviço de Segurança Alimentar e Inspeção (FSIS) do USDA inspecionou 100% da carne in natura vinda do Brasil, e rejeitou 11% desses produtos. O número é bem maior do que a taxa média de rejeição de 1% para a carne importada de outros países, disse o USDA. Desde o início das inspeções mais rigorosas, foram rejeitados 106 lotes de produtos de carne bovina do Brasil, devido a preocupações de saúde pública, condições sanitárias e questões de saúde animal. O USDA ressaltou que nenhum dos lotes rejeitados entrou no mercado norte-americano. O governo brasileiro já tinha anunciado na terça-feira a suspensão das exportações da proteína animal de cinco frigoríficos brasileiros para os EUA. A decisão anunciada hoje pelo USDA se sobrepõe à decisão do governo brasileiro. “Garantir a segurança da oferta de alimentos de nossa nação é uma de nossas missões cruciais, e nós a levamos muito a sério”, disse Perdue em comunicado. “Embora o comércio internacional seja uma parte importante do que fazemos no USDA, e o Brasil seja um antigo parceiro, minha maior prioridade é proteger os consumidores americanos. É isso que fizemos ao proibir a importação de carne bovina in natura do Brasil.”

Estadão Conteúdo

22 de junho de 2017, 17:30

MUNDO Noruega corta R$ 196 mi de Fundo da Amazônia

Foto: Jamil Chade/Estadão

Os ministros do Meio Ambiente da Noruega, Vidal Helgeser, e do Brasil, Sarney Filho, reuniram-se nesta quinta-feira em Oslo

Em plena viagem oficial do presidente Michel Temer (PMDB) para Oslo, o governo da Noruega anuncia o corte de pelo menos 50% no valor enviado para o Brasil em projetos de combate ao desmatamento. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 22, em uma reunião entre as autoridades de Oslo e o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho. A Noruega é o maior doador ao Fundo da Amazônia e já destinou ao Brasil US$ 1,1 bilhão. Mas, para 2017, a liberação de recursos foi reexaminada. Em uma carta enviada pelos noruegueses ao governo brasileiro, publicada pelo Estado na segunda-feira, 19, o alerta já estava claro de que o dinheiro poderia secar diante das falhas do Brasil em suas políticas ambientais. Questionado se poderia garantir que a taxa de desmatamento seria reduzida para o futuro, Sarney Filho disse que “apenas Deus poderia garantir isso”. “Mas eu posso garantir que todas as medidas para reduzir o desmatamento foram tomadas, e a esperança é de que ele diminua”, afirmou o ministro brasileiro. Sarney Filho ainda culpou o governo de Dilma Rousseff (PT) pelo desmatamento. “O ministro norueguês é bem informado e sabe que (o aumento do desmatamento) é fruto do governo passado e do corte de orçamento nos órgãos de fiscalização”, disse.

 

Estadão Conteúdo

22 de junho de 2017, 10:26

MUNDO Aproximadamente 5% da população mundial consumiu drogas em 2015, diz ONU

De acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado nesta quinta-feira (21), 5% da população mundial consumiu algum tipo de droga em 2015, o que se traduz em aproximadamente 250 milhões de pessoas, e pelo menos 190 mil morreram neste mesmo ano por causas diretas relacionadas com entorpecentes. As informações são da Agência EFE. O Relatório Mundial sobre Drogas da ONU, divulgado hoje em Viena, mostra especial preocupação pela situação de 29,5 milhões de pessoas que sofrem com transtornos graves pelo consumo de drogas, incluída a toxicodependência, e que são os mais vulneráveis. Só uma de cada seis pessoas que requer tratamento por estes transtornos recebe assistência, a maioria nos países desenvolvidos, aponta o reporte elaborado pelo Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Delito (UNODC). O número de consumidores de drogas se mantém estável há cinco anos, mas os responsáveis pelo relatório advertem que o mercado das drogas está se diversificando com o surgimento de novas substâncias mais potentes e perigosas. “Aumentou a situação de risco para a saúde pela diversificação e a potência de novas substâncias”, explicou em uma coletiva de imprensa Angela Me, coordenadora do relatório. A especialista usou como exemplo o fentanil, um analgésico em pó que é até 50 vezes mais potentes que a heroína e que causou numerosas overdoses nos EUA nos últimos anos. A maconha é a droga mais consumida, com 183 milhões de usuários em 2015, mas os opioides, entre eles a heroína, seguem sendo as substâncias mais nocivas e as que causam mais mortes. “O consumo de opioides está associado ao risco de overdose fatais e não fatais, ao risco de contrair doenças infecciosas (como HIV e hepatite C) devido à prática perigosa de consumo de drogas por injeção”, aponta o relatório. O diretor da UNODC, Yuri Fedotov, aponta no relatório que “a nível mundial foram registradas pelo menos 190 mil mortes prematuras – na maioria dos casos, evitáveis – provocadas pelas drogas, na maioria atribuídas ao consumo de opioides.” As estimativas do relatório sobre mortes são muito conservadoras, como reconheceu a própria ONU, se levar em conta que só nos EUA houve 52,4 mil mortes por overdose em 2015.

Agência Brasil

22 de junho de 2017, 10:19

MUNDO Bombeiros controlam as chamas em Góis, o último foco do incêndio em Portugal

As autoridades consideram controlado, nesta quinta-feira (22), o incêndio em Góis, o último foco que permanecia ativo das chamas que se propagaram no último sábado (17) na região central de Portugal. O íncêndio causou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 feridas. A informação é da Agência EFE.O comandante Carlos Tavares, da Defesa Civil, disse aos jornalistas em Góis, no distrito de Coimbra, que os mais de 1.200 agentes terrestres que combateram as chamas na região durante a madrugada começarão agora os trabalhos para evitar que o fogo volte.Junto com eles trabalham 301 bombeiros, acrescentou Tavares,. Ele informou que espera a chegada de quatro aviões pesados e de dois helicópteros à região nas próximas horas para ajudar nos trabalhos e garantir o controle da área.O fogo em Góis era o último foco que ainda não havia sido controlado do incêndio que começou no último fim de semana em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria.As chamas na região foram controladas ontem e agora mais de 1.150 agentes se ocupam das tarefas posteriores, dedicadas a controlar um perímetro com extensão aproximada de 153 quilômetros.Tavares disse que o incêndio se alastrou com velocidade devido às altas temperaturas e ao forte vento. Acrescentou que esses fatores também foram os principais motivos que fizeram com que os bombeiros levassem cinco dias para controlar o fogo, o que foi dificultado ainda pela geografia do terreno.Pelo menos 64 pessoas morreram e 204 ficaram feridas no incêndio, considerado o maior da história de Portugal. Começa agora a tarefa de avaliar os danos e continuar a busca por explicações sobre a origem do fogo.

Agência Brasil

22 de junho de 2017, 08:01

MUNDO Maduro troca ministros na Venezuela, de olho na Assembleia Constituinte

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, deu posse na quarta-feira a novos ministros do governo. Alguns dos colaboradores do presidente deixaram o poder porque participarão da eleição dos 545 membros da Assembleia Constituinte que redigirá uma nova Constituição, iniciativa vista como inconstitucional pelos oposicionistas.Na lista de candidatos a integrar a Assembleia Constituinte estão, entre outros, a primeira-dama Cilia Flores e a ex-chanceler Delcy Rodríguez, que deixou seu cargo ontem. As mudanças no gabinete ocorreram na data limite dada a funcionários públicos para abandonar seus cargos para que possam se apresentar como candidatos.O novo ministro das Relações Exteriores da Venezuela é o historiador Samuel Moncada, até então vice-ministro para a América do Norte e embaixador da Organização dos Estados Americanos (OEA). Antes de anunciar a designação de Moncada, Maduro disse que está disposto a dialogar com o governo do presidente americano, Donald Trump. Segundo ele, Washington solicitou reuniões “importantes de muito alto nível” e ele as autorizou. “Claro que temos que dialogar. Se o presidente Donald Trump conseguisse ver com um facho de luz por lá a verdade da Venezuela, eu inclusive poderia dialogar com ele algum dia. Tomara”, disse o presidente.Entre os novos membros do gabinete estão o major-general Carlos Osorio, ex-ministro de Alimentação, que volta à equipe como titular do Gabinete da Presidência, no lugar da almirante Carmen Meléndez, candidata na Assembleia Constituinte. O major-general Juan García Toussaintt, que estava como comandante geral do Exército, ficará à frente do Ministério dos Transportes.No ato transmitido por rádio e televisão, o presidente também designou o major-general Antonio Benavides Torres como chefe de governo do Distrito Capital, cargo criado após o opositor Antonio Ledezma ter sido eleito prefeito de Caracas, em 2008.

21 de junho de 2017, 13:04

MUNDO Aeroporto é esvaziado nos EUA após ataque à faca contra policial

O ataque à faca contra um policial fez com que o aeroporto international de Flint, em Michigan, nos Estados Unidos, fosse fechado e esvaziado nesta quarta-feira (21), disseram as autoridades, que acrescentaram que nenhum passageiro ficou ferido no incidente. A informação é da agência EFE. O agente policial foi levado para um hospital e seu estado é considerado grave, indicou a polícia de Michigan. A corporação disse que um suspeito foi preso, mas não soube precisar o motivo da agressão, nem ofereceu detalhes sobre o detido. “O agente está em estado grave. Por favor, tenham o agente em suas orações. O aeroporto está fechado como medida de precaução”, afirmou a polícia estadual na seu perfil oficial no Twitter, ao detalhar que o FBI, a polícia federal investigativa dos EUA, ficará responsável pelo caso. O ataque ocorreu por volta das 9h45 locais (10h45 de Brasília) no segundo pavimento do terminal principal do aeroporto, o terceiro maior do estado de Michigan, com trânsito anual de cerca de 800 mil passageiros. Uma testemunha contou à emissora de televisão local MLive que viu um homem detido perto de uma faca e um policial de joelhos “com sangramento no pescoço”. A polícia aconselhou os passageiros que utilizam o aeroporto a entrar em contato com suas companhias aéreas, pois o terminal “ficará fechado até segundo aviso”.

Agência Brasil

21 de junho de 2017, 10:30

MUNDO Portugal diz que incêndio em Pedrogão Grande está quase controlado

Os bombeiros já controlaram 95% do incêndio que começou no sábado em Pedrogão Grande, o mais fatal da história de Portugal com pelo menos 64 mortos, e lutam agora para extinguir os 5% restantes, que “têm um grande potencial de risco”. As informações são da agência de notícias EFE. Segundo o último balanço anunciado pelo comandante de Proteção Civil de Portugal, Vitor Vaz Pinto, o fogo que ainda falta controlar equivale a uma extensão de 20 quilômetros se estivesse em uma linha reta. O que há no momento, explicou, são “focos repartidos” em zonas de “difícil acesso” nas quais estão trabalhando mais de 1,2 mil bombeiros, entre eles, 40 militares da Espanha. Pinto remarcou que a sensação dos bombeiros é “otimista” com relação ao incêndio de Pedrogão Grande. Trinta mil hectares foram afetados pelas chamas.
LlllCom relação às vítimas, as autoridades atualizaram o balanço, que subiu para 179, número ao qual se somam outros 25 feridos em outro incêndio que atinge o município de Góis – situado a 40 quilômetros ao norte -, onde permanecem ativos dois focos. Os bombeiros que trabalham em Góis se mostraram hoje otimistas no combate às chamas.

Agência Brasil

21 de junho de 2017, 08:38

MUNDO Ministério Público belga revela que suposto terrorista é marroquino

O Ministério Público da Bélgica anunciou hoje (21) que o suposto terrorista, responsável pela detonação ontem à noite, de uma pequena carga explosiva na estação central de Bruxelas e que foi morto por militares, é um marroquino de 36 anos, morador do bairro de Molenbeek. As informações são da agência de notícias EFE. O porta-voz do Ministério Público, Eric Van der Sypt, também confirmou em uma entrevista coletiva que a mala detonada pelo homem levava “pregos e pequenas garrafas de gás”, mas que ele não tinha nenhuma arma de fogo ou facas, nem tampouco um cinto com explosivos, como foi divulgado anteriormente pela imprensa local. A polícia da Bélgica realiza nesta quarta-feira uma operação na residência do suposto terrorista. A intervenção acontece no bairro de Molenbeek, em Bruxelas, bem próximo de Anderlecht. A imprensa belga diz que o suspeito tinha 37 anos e morava em Molenbeek, bairro conhecido por ter servido de abrigo para supostos terroristas no passado. A Agência Belga afirma que ele não era fichado em casos de terrorismo, mas era conhecido pela Justiça por tráfico de drogas, segundo fontes governamentais. A Promotoria federal informará hoje, em uma entrevista coletiva, mais detalhes da investigação.

Agência Brasil

21 de junho de 2017, 08:31

MUNDO Ministro da Justiça deixa o governo Macron

O ministro da Justiça da França, François Bayrou, pediu demissão do governo de Emmanuel Macron nesta quarta-feira, deixando o presidente privado de um aliado chave, que reuniu centristas para a bem-sucedida campanha eleitoral.O partido de Bayroun, o Movimento Democrático (MoDem), está sendo alvo de uma investigação preliminar sobre alegações de ter se beneficiado de violações em relação a assessores parlamentares de integrantes do partido no Parlamento Europeu. O MoDem, no entanto, negou qualquer irregularidade.À agência de notícias France-Presse, Bayrou afirmou que dará uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira para explicar sua decisão de sair do governo. A ministra da Defesa, Sylvie Goulard anunciou no dia anterior que deixaria o governo. “Foi uma escolha pessoal, assim como a de Sylvie Goulard ontem”, disse Christophe Castaner, porta-voz do governo. “Isso simplifica a situação.”Castaner também disse não saber se a ministra de Relações Europeias, Marielle de Sarnez, que também pertence ao MoDem e está sendo investigada, renunciaria ao cargo.Bayrou apoiou a campanha eleitoral de Macron em fevereiro, dando impulso surpresa ao candidato. Uma aliança com o MoDem forneceu assentos extras ao presidente francês – o que garantiu uma maioria absoluta no Parlamento após as eleições legislativas do último domingo. Como ministro da Justiça, Bayrou apresentou uma lei para a melhoria moral da vida pública, após uma série de escândalos sobre o financiamento do partido com assessores parlamentares.

Estadão

21 de junho de 2017, 08:02

MUNDO Envolvido no caso Odebrecht, controlador-geral do Equador renuncia

Foto: Divulgação

O controlador-geral do Estado do Equador, Carlos Pólit, apresentou nessa terça-feira (20) renúncia irrevogável ao cargo, em meio a um julgamento politico contra ele no Parlamento, por causa do escândalo de propinas da construtora Odebrecht. A informação é da Agência EFE.O anúncio sobre a saída de Pólit foi feito pelo presidente da Assembleia Nacional (Parlamento), o governista José Serrano, no Twitter. Ele disse que a carta de renúncia do controlador foi entregue à tarde na Secretaria-Geral do Legislativo.Pólit, única autoridade do Estado até agora a renunciar por causa do caso Odebrecht, com o qual negou qualquer ligação, está em Miami, nos Estados Unidos, desde o dia 26 de maio, quando viajou com permissão médica.O presidente da Assembleia Nacional, em rápida entrevista, disse que Pólit enviou a carta de renúncia e anexou um atestado médico escrito em inglês.A carta de demissão e o atestado médico serão encaminhados à apreciação do Conselho de Administração do Legislativo, para que tome conhecimento e faça contato com os órgãos competentes, que deverão promover outro concurso público para a designação de um novo controlador-geral ou juiz de contas do Estado, acrescentou Serrano.

Agência Brasil

20 de junho de 2017, 18:56

MUNDO Cristina Kirchner cria aliança política para concorrer em eleição na Argentina

A ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner, que governou entre 2007 e 2015, lançou publicamente nesta terça-feira (20) a coalizão política “Frente de Unidade Cidadã” para concorrer nas eleições legislativas de 22 de outubro e “colocar um limite ao governo e aos ajustes”, apesar de não ter dito se virá como candidata.”Peço a união do povo, a união de todos os argentinos e de todas as argentinas, porque estou convencida de que esta etapa histórica de agressão neoliberal em todos os níveis da sociedade não é uma questão de partidos políticos”, exclamou ela em um comício na província de Buenos Aires. Cristina não esclareceu se irá se apresentar como candidata a senadora nas eleições primárias abertas simultâneas e obrigatórias pela província de Buenos Aires como parte dessa coalizão que inclui às principais forças da Frente para a Vitória (FpV), exceto, a priori, o Partido Justicialista – principal do peronismo – e manterá a expectativa sobre uma possível candidatura até o próximo dia 24, quando termina o prazo para definir as listas de quem estará nas primárias. “O que precisamos é colocar um limite no governo nas próximas eleições para que pare com os ajustes”, disse ela para cerca de 50 mil pessoas que foram ao estádio Julio Grondona, em Sarandí, na região metropolitana de Buenos Aires. Em um discurso no qual evitou falar o nome do atual presidente Mauricio Macri, Kirchner criticou o desemprego, o fechamento de empresas, o aumento das tarifas dos serviços públicos e a elevada inflação que marcaram, em sua opinião, o atual governo. No evento, Cristina esteva acompanhada de vários dirigentes kirchneristas, como o ex-ministro da Economia Axel Kicillof, o ex-candidato presidencial Daniel Scioli e seu filho Máximo Kirchner, além de importantes nomes do Partido Justicialista da província de Buenos Aires, principal distrito eleitoral do país.

Agência Brasil

20 de junho de 2017, 08:53

MUNDO Polícia do Iraque mata 37 terroristas do Estado Islâmico em Mossul

Pelo menos 37 combatentes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) morreram hoje (20) em um ataque das forças de elite da polícia iraquiana na entrada da zona da Al Farouq, no lado antigo de Mossul, informou o comandante da Polícia Federal, Raide Shaker Yaudat. A informação é da agência de notícias EFE. As unidades especiais da Polícia Federal avançaram na Cidade Velha e chegaram à entrada da zona de Al Farouq, onde aconteceram violentos enfrentamentos com os terroristas. Yaudat assegurou, ainda, que as forças policiais também destruíram sete carros-bomba e tomaram o controle da mesquita de Al-Huda e o edifício da Defesa Civil, com um apoio da aviação iraquiana e de drones da Polícia Federal. No domingo passado, as forças conjuntas iraquianas lançaram a última fase da ofensiva contra os jihadistas que estão entrincheirados num casco antigo. As forças governamentais conseguiram expulsar os combatentes do Estado Islâmico da parte oriental de Mossul em uma campanha que durou cerca de três meses, entre outubro de 2016 e janeiro de 2017, e desde fevereiro desenvolvem a ofensiva nos bairros ao oeste do rio Tigre.

Agência Brasil

20 de junho de 2017, 08:33

MUNDO Petrobras aprova acordo para encerrar ação judicial nos Estados Unidos

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou hoje (19) a celebração de um acordo para encerrar uma ação individual proposta perante a Corte Federal da Pensilvânia, nos Estados Unidos, por um grupo de afiliadas do The Vanguard Group. De acordo com a nota divulgada pela estatal, o Vanguard é um dos maiores acionistas da petroleira, após a União Federal e entidades relacionadas. As ações judiciais são de investidores que se sentiram prejudicados após as denúncias do esquema de corrupção apuradas pela Operação Lava Jato.A companhia já havia concluído acordos, entre outubro de 2016 e fevereiro de 2017, para encerrar outras 19 ações individuais apresentadas perante a Corte Federal de Nova York, também nos Estados Unidos.Ainda conforme a Petrobras, um total de 27 ações individuais foram consolidadas, para fins de julgamento, em conjunto com uma ação coletiva (class action) na Corte Federal de Nova York. A ação judicial do Vanguard era a única proposta fora daquela cidade.Para cobrir os valores correspondentes aos acordos realizados e as negociações em curso, o total de provisões estimado atingiu US$ 445 milhões para o 2º trimestre de 2017. Desse valor, segundo a estatal, já tinham sido provisionados US$ 372 milhões no exercício de 2016.A Petrobras informou que, no momento, não é possível fazer uma estimativa confiável sobre o desfecho da class action.“Esses acordos, cujos termos são confidenciais, têm como objetivo eliminar incertezas, ônus e custos associados à continuidade dessas disputas e não constituem qualquer reconhecimento de responsabilidade por parte da Petrobras, que continuará se defendendo firmemente nas demais ações em andamento”, completou a empresa.

Agência Brasil

20 de junho de 2017, 08:22

MUNDO Estados Unidos enviam dois bombardeiros estratégicos B-1 para península coreana

Os Estados Unidos decidiram hoje (20) enviar dois bombardeiros estratégicos B-1 para a península da Coreia, onde farão manobras com as forças aéreas sul-coreanas, segundo disse à aAgência de notícias EFE um porta-voz de Defesa, em Seul. Os B-1 executarão exercícios com dois caças F-15K das forças aéreas sul-coreanas, explicou o porta-voz, detalhando que são “manobras programadas com regularidade”. Apesar da afirmação, o envio dos bombardeiros a partir da base aérea americana Andersen, na ilha de Guam, acontece após a confirmação da morte do estudante americano Otto Warmbier, detido pela Coreia do Norte no ano passado e repatriado na semana passada em coma para os Estados Unidos na Coreia do Norte. O regime norte-coreano diz que Warmbier sofreu um surto de botulismo, após ele tomar um comprimido para dormir e que não voltou a acordar, versão que seus familiares questionam. A última vez que os Estados Unidos enviaram bombardeiros B-1 para a península coreana foi no dia 29 de maio, horas depois do regime norte-coreano lançar um míssil balístico durante um teste.

Agência Brasil

20 de junho de 2017, 07:55

MUNDO Bombeiros combatem quatro focos do incêndio em Portugal

O incêndio que atinge desde o último sábado o centro de Portugal continua ativo em quatro focos nos distritos de Leiria e Coimbra. No entanto, as perspectivas são favoráveis após o controle de 70% das chamas nas últimas horas, segundo dados da Proteção Civil.Após os progressos registrados durante a madrugada de hoje (20), dois mil bombeiros, apoiados por meios terrestres e aéreos, trabalham para reduzir o incêndio.No último balanço oficial, o número de mortos está em 64 e os feridos são 62 no município de Pedrogão Grande, onde se iniciaram as chamas no sábado, aparentemente pelo impacto de um raio em uma árvore seca, segundo a Polícia Judicial.Hoje cedo, as equipes reestruturaram o plano de ação, mais otimista que ontem, porém, elas seguem cautelosas pelas condições meteorológicas, que podem complicar as tarefas de extinção.O Instituto Português do Mar e Atmosfera prevê para hoje temperaturas em torno de 39 graus e ventos moderados nas áreas afetadas dos distritos de Leiria e Coimbra.
O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, apelou ontem para que se concentrem os esforços em combater o fogo, em vez de discutir as causas e suas possíveis responsabilidades.”A prioridade agora é o combate ao incêndio e o apoio às vítimas e seus familiares”, disse o presidente, acrescentando que “depois teremos todo o tempo do mundo” para debater outros assuntos.

Agência Brasil