30 de janeiro de 2012, 11:07

EXCLUSIVA Coité: Visita de Wagner acirra ânimos, antecipa campanha e leva Pinheiro a dar pito em grupos do PT e PP

Foto: Victor Pinto

Assis, Wagner e Renato: presença do governador em Coité reúne os principais concorrentes à Prefeitura

A visita do governador Jaques Wagner, na manhã do último sábado, à cidade de Conceição do Coité, distante 240 km de Salvador, antecipou a campanha eleitoral coiteense, pois os dois pólos principais da política local são da base do governador. O atual prefeito e pré-candidato à reeleição, Renato Souza, pertence ao PP e o principal adversário dele é Assis da Caixa, ex-vereador e presidente do PT municipal. O chefe do executivo estadual baiano e sua comitiva foram à cidade participar do ato de entrega de 500 residências do programa “Minha Casa, Minha Vida”.

Os dois pré-candidatos, junto aos políticos de suas bases, dividiram o palanque e ficaram lado a lado com o governador, como em outras ocasiões, mas desta vez com os ânimos exaltados, pois se trata de um ano eleitoral. A disputa começou dias antes do evento. Carros de som circulavam pela cidade fazendo o convite para a população, em nome dos dois grupos. Na noite anterior à entrega das casas, a oposição organizou uma carreata pela cidade, com um mini-trio, reafirmando o convite do PT e enfatizando que a obra seria do governo federal e estadual.

No dia do ato, logo cedo, partidários da situação e da oposição dividiam o mesmo espaço no toldo montado na praça do conjunto habitacional diante do palanque dos discursos. A cada citação dos nomes de Assis ou Renato, cada grupo gritava, pulava e aplaudia. Em determinado momento, os ânimos precisaram ser acalmados pelo senador Walter Pinheiro (PT). O parlamentar bradou que as duas lideranças eram convidadas de Wagner e que aquele palanque era institucional. “Mais adiante todos nós vamos tomar partido, mas deixem o calor da campanha para o tempo certo”, disse Pinheiro.

O governador foi frio no discurso, não fez grandes menções às lideranças políticas locais. Só declarou saber que em Coité eleição é “acirrada que nem BA-VI”. Em 2008, o chefe do executivo estadual não foi à cidade, o que provocou a revolta de muitos membros do PT local que fizeram sua campanha em 2002, 2006 e 2010, esta última com a participação, também, da ala do prefeito. Resta a dúvida na população, inclusive motivo de apostas: Jaques Wagner visitará Coité na campanha eleitoral ou se ausentará que nem o fez há quatro anos? Se aparecer, olhará para base ou para as atuações históricas dos correligionários?

Victor Pinto

30 de janeiro de 2012, 07:35

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Abreu organiza oposição, enquanto Moema busca formas de manter controle de Lauro

A reorganização das oposições, articulada, entre outros, por Abreu, teria levado Moema a pensar num plano ousado

Com carta branca concedida pelo presidente estadual do PR, o ex-senador César Borges, Marcelo Abreu (PR), secretário de Serviços Públicos do prefeito João Henrique (PP), começou a coordenar de maneira informal a oposição à prefeita Moema Gramacho (PT) em Lauro de Freitas, com o objetivo de vencer as eleições de outubro próximo e voltar ao poder no município vizinho a Salvador.

Abreu, que, segundo correligionários, teria conseguido reunir cerca de 15 mil pessoas em Lauro de Freitas, quando se filiou ao PR, em outubro passado, já foi prefeito e secretário municipal em Lauro de Freitas, motivo porque teria, além de experiência, grande conhecimento da política local. Hoje, o PR tem um candidato forte à Prefeitura da cidade. Trata-se do vereador Bitinho.

Mas Marcelo Abreu conseguiu atrair para a frente oposicionista Doutor Márcio (PP), que conta com o apoio de João Leão, chefe da Casa Civil de João Henrique, e estaria seduzindo Chico Franco (PCdoB), que, mesmo apoiando Moema, sabe que não terá seu apoio para a sucessão local. Por este motivo, a chegada de Abreu no PR está sendo considerada fundamental para os planos da oposição de vencer em Lauro de Freitas.

Informações de bastidores dão conta de que o deputado federal Maurício Trindade (PR), um dos que trabalham no partido pela aproximação com o governo Jaques Wagner, queria controlar a legenda em Lauro de Freitas para colocar a sigla à disposição de Moema. César Borges preferiu dar o controle do partido, entretanto, a Abreu, que tem buscado criar as chances reais de vitória para os partidos que fazem oposição à prefeita.

“Com Marcelo, que é muito habilidoso, cria-se um cenário de reais dificuldades para Moema. Ela quer vencer de qualquer jeito. Afinal, uma derrota enfraquece sobremaneira o PT de maneira geral para a sucessão estadual de 2014″, disse um político local ao Política Livre. Moema já escolheu como seu candidato à Prefeitura o vice-prefeito, João Oliveira, que pertenceu ao PSDB e ela filiou ao PT.

Pressentindo o fechamento do cerco contra ela, a prefeita estaria avaliando seriamente a possibilidade de renunciar ao cargo para se tornar secretaria do amigo e governador Wagner, o que abriria a possibilidade de o vice concorrer em outubro próximo sentado na cadeira de prefeito, o que, em tese, reforça infinitamente a sua candidatura. Na hipótese de vitória, Moema poderia retornar ao comando da cidade em 2016, já que, na condição de prefeito, Oliveira não poderá mais se reeleger naquele pleito.

O fato de ser secretário de Serviços Públicos de João Henrique e colega de secretariado de João Leão, ambos do PP, representaria ainda outro trunfo para Abreu, que também tem o nome lembrado para candidato dos partidos de oposição na cidade. Ele conta, entretanto, com a oposição do próprio prefeito ao projeto de abrir mão da secretaria, embora tenha até abril, prazo final de desincompatibilização, para decidir.

30 de janeiro de 2012, 07:10

EXCLUSIVA Reforma: Gabrielli no Planejamento, Zezéu na Sedes, Moema na Administração, Vitório na Fazenda?

Foto: Montagem/Política Livre

Manoel Vitório, Zezéu Ribeiro, Moema Gramacho e José Sérgio Gabrielli

As mais novas especulações sobre a reforma administrativa do governo Jaques Wagner (PT), que serviriam também para acomodar o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli na Bahia, dão conta de mudanças até na estrutura atual da gestão de Lauro de Freitas. Entre os secretários que mudariam, está Carlos Brasileiro, da secretaria estadual de Desenvolvimento Social (Sedes). Ele deve deixar o posto para concorrer mais uma vez à Prefeitura de Senhor do Bonfim.

O lugar de Brasileiro seria ocupado por Zezéu Ribeiro, atual titular da secretaria estadual de Planejamento, que seria entregue a Gabrielli. E onde entra a prefeita Moema Gramacho, de Lauro de Freitas? Ela renunciaria ao cargo no município numa ousada operação para viabilizar a difícil eleição do seu candidato à sucessão municipal, João Oliveira (PT), que é vice-prefeito e, desta forma, participaria do pleito de outubro aboletado no cargo de prefeito. Um empurrãozinho em João!

O cargo mais especulado para Moema é a secretaria estadual de Administração. Para viabilizar sua indicação, Wagner levaria para a secretaria da Fazenda o atual titular da pasta, Manoel Vitório, cuja sustentação vem do Tribunal de Justiça da Bahia, ou seja, de desembargadores baianos alinhados ao governo do Estado. Uma beleza! Sobre Vitório e suas relações privilegiadas, dizem que ele montou uma “República de Desembargadores” na Administração, com a contratação de vários filhos de magistrados.

Mas, na Fazenda, Vitório poderia fazer o mesmo? O posto é hoje de Carlos Martins, amigo do peito do governador Jaques Wagner que também vai disputar as eleições municipais em Candeias. Ao que se comenta na secretaria, Martins gostaria de deixar em seu lugar alguém da estrutura da pasta, provavelmente seu chefe de gabinete ou um auditor de carreira de sua absoluta confiança. Pelo visto, é melhor que se concentre em sua eleição para prefeito da cidade natal.

30 de janeiro de 2012, 06:54

EXCLUSIVA Segurança: Tarcízio Pimenta diz que é aliado, mas mete o pau no governo no twitter

O prefeito de Feira de Santana, Tarcízio Pimenta (PDT), é daqueles que se diz aliado mas desce o malho no governo estadual nas redes sociais. Hoje, ele usou seu perfil no microblog twitter para atacar a política de segurança pública de Jaques Wagner (PT), considerado por opositores um dos principais problemas do governo. “Sete homicídios em 24 horas em Feira de Santana, 16 foram baleados. A Prefeitura está fazendo a sua parte, contribuido (sic) com a segurança no que pode. Veja como está SSA. Será o Prefeito o responsável(?)”.

30 de janeiro de 2012, 06:45

EXCLUSIVA Wagner anuncia mudanças no governo na segunda quinzena de fevereiro, diz Rui Costa

Segundo Rui Costa, a pasta que Gabrielli assumirá no governo é assunto de Wagner

O chefe da Casa Civil do governo Jaques Wagner, Rui Costa, em entrevista ao Política Livre, na cidade de Conceição do Coité, durante a entrega das residências do programa “Minha Casa, Minha Vida”, desconversou quando questionado sobre que pasta o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, ocupará na Bahia. “Já tivemos reuniões para tratar sobre o assunto, mas essa história é só com o governador(…). O anúncio será feito por ele na segunda quinzena de fevereiro”, declarou Costa. Indagado sobre as especulações da imprensa de ele ter saído da Câmara dos Deputados e ter vindo para o governo por ser o preferido de Jaques Wagner como o seu sucessor em 2014, o secretário riu. “Estamos com os pés no chão. Não vamos adiantar a debate eleitoral de 2014 para agora, estamos em ano de eleições para prefeito. No tempo certo, vamos discutir isso. Eu deixei meu mandato de deputado para ajudar o governador. Nosso foco, neste momento, é no trabalho”, garantiu.

Victor Pinto

30 de janeiro de 2012, 06:40

EXCLUSIVA Pré-candidato em Salvador, Leão confirma volta ao Congresso em março

Foto: Victor Pinto

Leão afirma que candidatura à Prefeitura de Salvador está "firme e forte"

O secretário da Casa Civil da Prefeitura de Salvador, João Leão (PP), durante a entrega das casas do programa “Minha Casa, Minha Vida” na cidade de Conceição do Coité, confirmou a sua volta à Câmara dos Deputados, em Brasília. Leão afirmou, em entrevista ao Política Livre, que a sua volta já tem data marcada. “Voltarei a exercer meu mandato no Legislativo nacional no dia 30 de março, isso já é certo. Deixarei a Casa Civil por conta minha candidatura a prefeito de Salvador que está firme e forte. Vamos com todo o gás”, disse. Com o retorno de Leão ao Congresso, o quinto suplente da coligação, deputado Zé Carlos da Pesca (PP), perde a vaga. Ele assumiu o mandato no início deste mês com a ida de Rui Costa para o governo do Estado.

Victor Pinto

29 de janeiro de 2012, 19:12

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Abreu organiza oposição, enquanto Moema busca formas de manter controle de Lauro

A reorganização das oposições, articulada, entre outros, por Abreu, teria levado Moema a pensar num plano ousado

Com carta branca concedida pelo presidente estadual do PR, o ex-senador César Borges, Marcelo Abreu (PR), secretário de Serviços Públicos do prefeito João Henrique (PP), começou a coordenar de maneira informal a oposição à prefeita Moema Gramacho (PT) em Lauro de Freitas, com o objetivo de vencer as eleições de outubro próximo e voltar ao poder no município vizinho a Salvador.

Abreu, que, segundo correligionários, teria conseguido reunir cerca de 15 mil pessoas em Lauro de Freitas, quando se filiou ao PR, em outubro passado, já foi prefeito e secretário municipal em Lauro de Freitas, motivo porque teria, além de experiência, grande conhecimento da política local. Hoje, o PR tem um candidato forte à Prefeitura da cidade. Trata-se do vereador Bitinho.

Mas Marcelo Abreu conseguiu atrair para a frente oposicionista Doutor Márcio (PP), que conta com o apoio de João Leão, chefe da Casa Civil de João Henrique, e estaria seduzindo Chico Franco (PCdoB), que, mesmo apoiando Moema, sabe que não terá seu apoio para a sucessão local. Por este motivo, a chegada de Abreu no PR está sendo considerada fundamental para os planos da oposição de vencer em Lauro de Freitas.

Informações de bastidores dão conta de que o deputado federal Maurício Trindade (PR), um dos que trabalham no partido pela aproximação com o governo Jaques Wagner, queria controlar a legenda em Lauro de Freitas para colocar a sigla à disposição de Moema. César Borges preferiu dar o controle do partido, entretanto, a Abreu, que tem buscado criar as chances reais de vitória para os partidos que fazem oposição à prefeita.

“Com Marcelo, que é muito habilidoso, cria-se um cenário de reais dificuldades para Moema. Ela quer vencer de qualquer jeito. Afinal, uma derrota enfraquece sobremaneira o PT de maneira geral para a sucessão estadual de 2014”, disse um político local ao Política Livre. Moema já escolheu como seu candidato à Prefeitura o vice-prefeito, João Oliveira, que pertenceu ao PSDB e ela filiou ao PT.

Pressentindo o fechamento do cerco contra ela, a prefeita estaria avaliando seriamente a possibilidade de renunciar ao cargo para se tornar secretaria do amigo e governador Wagner, o que abriria a possibilidade de o vice concorrer em outubro próximo sentado na cadeira de prefeito, o que, em tese, reforça infinitamente a sua candidatura. Na hipótese de vitória, Moema poderia retornar ao comando da cidade em 2016, já que, na condição de prefeito, Oliveira não poderá mais se reeleger naquele pleito.

O fato de ser secretário de Serviços Públicos de João Henrique e colega de secretariado de João Leão, ambos do PP, representaria ainda outro trunfo para Abreu, que também tem o nome lembrado para candidato dos partidos de oposição na cidade. Ele conta, entretanto, com a oposição do próprio prefeito ao projeto de abrir mão da secretaria, embora tenha até abril, prazo final de desincompatibilização, para decidir.

29 de janeiro de 2012, 16:19

EXCLUSIVA Segurança: Tarcízio Pimenta diz que é aliado, mas mete o pau no governo no twitter

O prefeito de Feira de Santana, Tarcízio Pimenta (PDT), é daqueles que se diz aliado mas desce o malho no governo estadual nas redes sociais. Hoje, ele usou seu perfil no microblog twitter para atacar a política de segurança pública de Jaques Wagner (PT), considerado por opositores um dos principais problemas do governo. “Sete homicídios em 24 horas em Feira de Santana, 16 foram baleados. A Prefeitura está fazendo a sua parte, contribuido (sic) com a segurança no que pode. Veja como está SSA. Será o Prefeito o responsável(?)”.

29 de janeiro de 2012, 12:27

EXCLUSIVA Wagner anuncia mudanças no governo na segunda quinzena de fevereiro, diz Rui Costa

Segundo Rui Costa, a pasta que Gabrielli assumirá no governo é assunto de Wagner

O chefe da Casa Civil do governo Jaques Wagner, Rui Costa, em entrevista ao Política Livre, na cidade de Conceição do Coité, durante a entrega das residências do programa “Minha Casa, Minha Vida”, desconversou quando questionado sobre que pasta o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, ocupará na Bahia. “Já tivemos reuniões para tratar sobre o assunto, mas essa história é só com o governador(…). O anúncio será feito por ele na segunda quinzena de fevereiro”, declarou Costa. Indagado sobre as especulações da imprensa de ele ter saído da Câmara dos Deputados e ter vindo para o governo por ser o preferido de Jaques Wagner como o seu sucessor em 2014, o secretário riu. “Estamos com os pés no chão. Não vamos adiantar a debate eleitoral de 2014 para agora, estamos em ano de eleições para prefeito. No tempo certo, vamos discutir isso. Eu deixei meu mandato de deputado para ajudar o governador. Nosso foco, neste momento, é no trabalho”, garantiu.

Victor Pinto

29 de janeiro de 2012, 10:30

EXCLUSIVA Pré-candidato em Salvador, Leão confirma volta ao Congresso em março

Foto: Victor Pinto

Leão afirma que candidatura à Prefeitura de Salvador está "firme e forte"

O secretário da Casa Civil da Prefeitura de Salvador, João Leão (PP), durante a entrega das casas do programa “Minha Casa, Minha Vida” na cidade de Conceição do Coité, confirmou a sua volta à Câmara dos Deputados, em Brasília. Leão afirmou, em entrevista ao Política Livre, que a sua volta já tem data marcada. “Voltarei a exercer meu mandato no Legislativo nacional no dia 30 de março, isso já é certo. Deixarei a Casa Civil por conta minha candidatura a prefeito de Salvador que está firme e forte. Vamos com todo o gás”, disse. Com o retorno de Leão ao Congresso, o quinto suplente da coligação, deputado Zé Carlos da Pesca (PP), perde a vaga. Ele assumiu o mandato no início deste mês com a ida de Rui Costa para o governo do Estado.

Victor Pinto

28 de janeiro de 2012, 12:10

EXCLUSIVA Reforma: Gabrielli no Planejamento, Zezéu na Sedes, Moema na Administração, Vitório na Fazenda?

Foto: Montagem/Política Livre

Manoel Vitório, Zezéu Ribeiro, Moema Gramacho e José Sérgio Gabrielli

As mais novas especulações sobre a reforma administrativa do governo Jaques Wagner (PT), que serviriam também para acomodar o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli na Bahia, dão conta de mudanças até na estrutura atual da gestão de Lauro de Freitas. Entre os secretários que mudariam, está Carlos Brasileiro, da secretaria estadual de Desenvolvimento Social (Sedes). Ele deve deixar o posto para concorrer mais uma vez à Prefeitura de Senhor do Bonfim.

O lugar de Brasileiro seria ocupado por Zezéu Ribeiro, atual titular da secretaria estadual de Planejamento, que seria entregue a Gabrielli. E onde entra a prefeita Moema Gramacho, de Lauro de Freitas? Ela renunciaria ao cargo no município numa ousada operação para viabilizar a difícil eleição do seu candidato à sucessão municipal, João Oliveira (PT), que é vice-prefeito e, desta forma, participaria do pleito de outubro aboletado no cargo de prefeito. Um empurrãozinho em João!

O cargo mais especulado para Moema é a secretaria estadual de Administração. Para viabilizar sua indicação, Wagner levaria para a secretaria da Fazenda o atual titular da pasta, Manoel Vitório, cuja sustentação vem do Tribunal de Justiça da Bahia, ou seja, de desembargadores baianos alinhados ao governo do Estado. Uma beleza! Sobre Vitório e suas relações privilegiadas, dizem que ele montou uma “República de Desembargadores” na Administração, com a contratação de vários filhos de magistrados.

Mas, na Fazenda, Vitório poderia fazer o mesmo? O posto é hoje de Carlos Martins, amigo do peito do governador Jaques Wagner que também vai disputar as eleições municipais em Candeias. Ao que se comenta na secretaria, Martins gostaria de deixar em seu lugar alguém da estrutura da pasta, provavelmente seu chefe de gabinete ou um auditor de carreira de sua absoluta confiança. Pelo visto, é melhor que se concentre em sua eleição para prefeito da cidade natal.

28 de janeiro de 2012, 07:07

EXCLUSIVA Camaçari: Maurício Bacelar acusa Luiz Caetano de ser a favor dos pedágios

Foto: Divulgação

Mauricio Bacelar

O pré-candidato a prefeito de Camaçari e presidente do PTN local, Maurício Bacelar, em contato com este Política Livre, rebateu as acusações proferidas, segundo ele, pelo prefeito Luiz Caetano (PT) de que o desembargador Clésio Rômulo Carrilho Rosa, da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), havia cedido aos pedidos dele para conceder liminar a favor da Concessionária Litoral Norte (CLN) e fechar o desvio do pedágio da BA-099. Bacelar declarou não ter ligações com a conssecionária e que não teria motivos “para usar de favorecimentos com o desembargador para tomar a decisão do desvio” e disse não acreditar que Justiça tomaria uma medida por questões de amizades. O pré-candidato afirmou ser contra as cobranças nas rodovias e acredita ser “um absurdo Camaçari ser cercado por cinco praças de pedágio”. ”A acusação é um factóide de politização do chefe do executivo de Camaçari e de sua mulher, deputada Luiza Maia (PT). Eu acho estranho, Luiz Caetano, amigo íntimo do governador, coordenador financeiro da campanha de reeleição de Wagner, não ser consultado por chefe do Executivo baiano para colocar essas praças de pedágio em torno da cidade”, acusou Bacelar.

Victor Pinto

27 de janeiro de 2012, 20:25

EXCLUSIVA O que Wagner tanto cochichava com Lídice?

Foto: Aurélio Nunes

Wagner na maior intimidade com Lídice, observado de perto por Pelegrino

A senadora Lídice da Mata (PSB) comemorou a inauguração do novo Centro de Atendimento Psicossocial Álcool Drogas (CAPS-AD) Gregório de Matos, na tarde desta sexta-feira, no anexo da antiga Faculdade de Medicina, no Centro Histórico de Salvador. “Este CAPS é resultado do esforço de muita gente e muitas instituições, um trabalho feito a muitas mãos para dotarmos a cidade de Salvador de uma estrutura eficiente de atendimento para pessoas com algum tipo de dependência química”, destacou a senadora, autora de duas emendas parlamentares no valor de R$ 400 mil que serviram para a compra dos equipamentos e mobiliário da unidade de saúde. A atuação de Lídice foi destacada ainda pelo governador Jaques Wagner, pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e pelo secretário de Saúde, Jorge Solla, presentes à solenidade. Mas o que mais chamou a atenção no evento foi a flagrante intimidade do governador com Lídice, registrada pelo fotógrafo Aurélio Nunes e publicada com exclusividade por este Política Livre. O cochicho entre os dois deixou muita gente intrigada, inclusive o pré-candidato do PT à Prefeitura, Nelson Pelegrino, como é notório.

27 de janeiro de 2012, 19:59

EXCLUSIVA Camaçari: Maurício Bacelar acusa Luiz Caetano de ser a favor dos pedágios

Foto: Divulgação

Mauricio Bacelar

O pré-candidato a prefeito de Camaçari e presidente do PTN local, Maurício Bacelar, em contato com este Política Livre, rebateu as acusações proferidas, segundo ele, pelo prefeito Luiz Caetano (PT) de que o desembargador Clésio Rômulo Carrilho Rosa, da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), havia cedido aos pedidos dele para conceder liminar a favor da Concessionária Litoral Norte (CLN) e fechar o desvio do pedágio da BA-099. Bacelar declarou não ter ligações com a conssecionária e que não teria motivos “para usar de favorecimentos com o desembargador para tomar a decisão do desvio” e disse não acreditar que Justiça tomaria uma medida por questões de amizades. O pré-candidato afirmou ser contra as cobranças nas rodovias e acredita ser “um absurdo Camaçari ser cercado por cinco praças de pedágio”. “A acusação é um factóide de politização do chefe do executivo de Camaçari e de sua mulher, deputada Luiza Maia (PT). Eu acho estranho, Luiz Caetano, amigo íntimo do governador, coordenador financeiro da campanha de reeleição de Wagner, não ser consultado por chefe do Executivo baiano para colocar essas praças de pedágio em torno da cidade”, acusou Bacelar.

Victor Pinto

26 de janeiro de 2012, 15:52

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Petistas querem usar metrô para demolir Memorial a Luis Eduardo, mas Wagner pede alternativa

Governador foi amigo pessoal de Luis Eduardo e quer solução melhor para o caso do Memorial do deputado

Ao assumir as obras do metrô da Paralela, o governo do Estado chamou para si um impasse representado pelo Memorial do ex-deputado Luis Eduardo Magalhães, localizado exatamente no centro do canteiro central da pista onde o equipamento vai ser construído. Petistas mais radicais têm defendido abertamente que o trator passe, sem dó nem piedade, sobre a homenagem, concebida pelo arquiteto carioca Luis Paulo Conde e cuja inauguração, da época em que o carlismo vivia o seu auge, trouxe à Bahia o então presidente da República Fernando Henrique Cardoso, amigo pessoal do parlamentar falecido prematuramente aos 43 anos, de um infarto. A sugestão, entretanto, não teria agradado o governador Jaques Wagner (PT), que também foi amigo pessoal de Luis Eduardo. Wagner já teria pedido a setores do governo que estudem uma alternativa para o Memorial, que se tornou um ponto de visitação na capital e já foi motivo de polêmica por causa de sua manutenção e, inclusive, pelo fato de obrigar o Estado a manter policiais na área, para evitar a ação de vândalos.