22 de maio de 2018, 19:02

EXCLUSIVA Candidatura de Meirelles injeta ânimo na pré-campanha de João Santana na Bahia

Foto: Divulgação/Arquivo

João Santana está uma animação só com a candidatura de Fernando Meirelles à Presidência

Os emedebistas baianos se animaram ante a decisão do presidente Michel Temer de, ao invés de concorrer à reeleição, apoiar o seu ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Acreditam que, sem o desgaste de Temer, Meirelles pode pelo menos começar a fazer algum barulho bom na política, ajudando, inclusive, os candidatos a governador do partido, a exemplo de João Santana, na Bahia. Era tarefa impensável para o presidente da República, cuja impopularidade está nos píncaros da glória, o que levaria qualquer candidato que se aproximasse dele para a ribanceira, mas pode ser diferente com Meirelles, apesar da tentativa da oposição de colocar em seu colo todos os problemas econômicos gestados no governo Dilma Rousseff (PT). O pré-candidato emedebista na Bahia – não precisa dizer – está uma felicidade só com a troca da candidatura do partido, torcendo para que Meirelles se mantenha na disputa até o final.

22 de maio de 2018, 08:38

EXCLUSIVA Imbassahy sinaliza que pode disputar sucessão de ACM Neto em 2020

Foto: Divulgação/Arquivo

Antonio Imbassahy criticou retirada de árvores para o BRT e reforma da Previdência que tentou aprovar no Congresso

As declarações do deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB) criticando a derrubada de árvores no processo de construção do BRT, hoje praticamente único ponto de fricção entre a sociedade e ACM Neto (DEM) em Salvador, foi interpretado em setores políticos de oposição como um sinal de que ele deve começar a se distanciar da administração municipal assim que passar a eleição, visando à sucessão municipal de 2020, quando o prefeito de Salvador vai tentar eleger seu sucessor. Apesar de ter se notabilizado como um dos ministros mais fiéis do presidente Michel Temer (MDB) e de ter atuado como articulador do governo na tentativa de aprovar a reforma no Congresso, Imbassahy também criticou a proposta relacionada à Previdência. “Na verdade, eu quero dizer que o projeto (da reforma da Previdência) apresentado pelo governo não era bom. Digo isso com toda a tranquilidade. Era um projeto que castigava muita gente e teve que ser reformulado”, disse em entrevista à Rádio Metrópole.

21 de maio de 2018, 18:54

EXCLUSIVA João Henrique sugere chapa formada por Bolsonaro e o general da reserva Mourão

Foto: Divulgação/Arquivo

Pré-candidato ao governo João Henrique acha que união entre PSL e PRTB fortaleceria Bolsonaro e Mourão

Pré-candidato do PRTB a governador, o ex-prefeito João Henrique defendeu agora à tarde a união entre o novo filiado do partido, o general da reserva Antonio Hamilton Mourão, e o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro. Depois que a notícia de filiação de Mourão ao PRTB e de sua provável candidatura à Presidência da República pelo partido vazou, ele passou a ser considerado um nome que dividiria o eleitorado de Bolsonaro. Para João Henrique, a unidade entre os dois partidos poderia evitar exatamente esta situação. Quanto a quem seria o cabeça de chapa, o pré-candidato ao governo do PRTB não antecipa. “Sei apenas que, como militares, eles têm critérios suficientes e mesmo hierarquia para decidir como compor a chapa”, afirmou João Henrique. Mourão tem se envolvido em polêmicas, ao falar sobre política no país, motivo porque passou à reserva.

21 de maio de 2018, 08:29

EXCLUSIVA Processo de unidade avança entre oposições, por Raul Monteiro*

Foto: Divulgação/Arquivo

O ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, deve ser escolhido candidato único ao governo das oposições

O prefeito ACM Neto (DEM) deve celebrar no mais tardar esta semana a construção da unidade das forças oposicionistas entre o seu partido e o PSDB. Desde que desistiu de se candidatar ao governo, Neto apresentou para sucedê-lo na disputa o ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, trabalhando intensamente para que ele unificasse os partidos de sua base em torno de si. Pouco mais de um mês depois de sua importante decisão, da qual muitos dos seus aliados ainda tentam se recuperar, o prefeito vai, pela primeira vez, poder comemorar seu primeiro resultado.

Tudo indica que o tucano João Gualberto, que segurou com garra até agora a pré-candidatura ao governo em seu partido, vai desistir da disputa sob o argumento verdadeiro da defesa da unidade, e anunciar seu apoio ao pré-candidato do DEM. É possível dizer, sem risco de erro, que o jogo começa agora para Ronaldo, embora a eleição seja, no entanto, um outro processo, muito mais difícil, cuja disputa vai depender de inúmeros fatores, entre os quais sua capacidade de articulação, uma vez que vai enfrentar um adversário favorito e no pleno comando da máquina estadual, o governador Rui Costa (PT).

Se resolve a questão da unidade em torno do cabeça de chapa, o virtual apoio do PSDB ao pré-candidato do DEM, as duas mais importantes legendas do grupo, não define automaticamente o nome dos demais membros do time com que Ronaldo vai partir para o confronto com o PT em outubro, embora o transforme naturalmente num pólo de aglutinação na direção do qual as demais legendas oposicionistas deverão marchar. A exceção é o pré-candidato tucano ao Senado Jutahy Magalhães Jr., figura de grande estatura tanto política quanto moral essencial ao projeto do democrata de buscar o voto mais qualificado na sociedade baiana cuja posição já está igualmente consolidada na chapa.

Restam, portanto, ainda duas vagas a serem preenchidas, uma outra de senador e a do candidato a vice. É em torno delas que o time de aliados do prefeito deve agora se debruçar ou mesmo abrir disputa, como a registrada na semana passada entre o PRB e o PSC para o Senado. O primeiro partido defende o nome da vereadora em Salvador Ireuda Silva para a posição, enquanto o PSC diz que não abre mão de ver concorrendo o hoje deputado federal Irmão Lázaro, cujas posições religiosas mais radicais e preconceituosas tornam, no entanto, sua eventual indicação mais difícil.

A outra posição disponível em torno da qual os partidos que apóiam o prefeito devem iniciar negociações depois que o PSDB formalizar a aliança com o DEM é a de vice. Embora poucos nomes tenham manifestado publicamente interesse na vaga até agora, o estágio em que a campanha entra no plano oposicionista depois da declaração de unidade de tucanos e democratas produzem como consequência natural tratativas em torno da escolha de seu representante. Por enquanto, no entanto, as especulações levam a crer que será alguém da cozinha do prefeito ACM Neto.

* Artigo do editor Raul Monteiro publicado originalmente na Tribuna.

18 de maio de 2018, 20:15

EXCLUSIVA Benito antecipa que Câmara vai apreciar auxílio-moradia na próxima terça-feira

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado federal Benito Gama é o relator da comissão dos Supersalários na Câmara

O deputado federal Benito Gama (PTB), relator na Câmara da comissão especial dos Supersalários, disse hoje a este Política Livre que pretende colocar em votação o relatório final do colegiado na Casa na próxima terça-feira. A comissão analisa um projeto de lei do Senado que impõe limites aos salários acima do teto constitucional de R$ 30 mil para os servidores dos três Poderes, mas, segundo o parlamentar baiano, questões como o auxílio-moradia para os magistrados também serão analisadas pelos parlamentares. “Absurdos como o fato de casais de magistrados que moram na mesma casa receberem auxílio-moradia não podem continuar”, afirmou Benito, dizendo que outros penduricalhos que servem para elevar a remuneração de servidores públicos serão também tratados pelos parlamentares na sessão.

18 de maio de 2018, 17:10

EXCLUSIVA Marcelo Neves vai assumir coordenação de campanha de José Ronaldo

Foto: Divulgação/Arquivo

Marcelo Neves ocupa atualmente o cardo de superintendente da Sudene

Enquanto aguarda o anúncio de apoio do PSDB à sua pré-candidatura ao governo, José Ronaldo (DEM) monta sua coordenação de campanha, que deve ser feita pelo superintendente da Sudene, Marcelo Neves. Segundo apurou este Política Livre, Neves foi convidado e aceitou a tarefa, mas organiza sua despedida do órgão e aguarda uma conversa com o presidente Michel Temer (MDB) a fim de pedir, pessoalmente, sua exoneração. O superintendente da Sudene é advogado de formação, foi diretor da União dos Municípios Baianos (UPB) e coordenou a campanha de Paulo Souto ao governo, em 2014.

18 de maio de 2018, 10:35

EXCLUSIVA Na Prefeitura, desistência de Gualberto em favor de Ronaldo já é dada como certa

Foto: Divulgação/Arquivo

João Gualberto é pré-candidato a governador pelo PSDB

No Palácio Thomé de Souza, gabinete oficial do prefeito ACM Neto (DEM), os palpites esta manhã têm sido de 10 para um que o deputado federal João Gualberto, pré-candidato a governador do PSDB, vai abrir mão da disputa em favor do pré-candidato do DEM, José Ronaldo, formalizando no mais tardar a unidade da chapa entre DEM e PSDB na semana que vem, sem a participação do MDB. A idéia é usar o resultado de uma pesquisa apontando que as chances de vitória das oposições são maiores unidas do que divididas para justificar a desistência de Gualberto, a quem caberá fazer o anúncio e proclamar, como presidente estadual do PSDB, a unidade dos dois partidos, num evento a ser marcado para os próximos dias. Apesar de o nome de Gualberto ser o preferido entre os deputados de oposição, cuja sobrevivência política está em jogo nestas eleições, o que predominará na decisão é o peso da estrutura partidária e política do DEM em meio às forças oposicionistas. Ronaldo tem, além do apoio manifesto de ACM Neto, que também é presidente nacional do Democratas, o respaldo do prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho (MDB), que assumiu o governo na cidade no lugar do pré-candidato.

18 de maio de 2018, 10:14

EXCLUSIVA Além de Neto, assessores de Bolsonaro pensam em aproximação com José Ronaldo

Foto: Igo Estrela/Estadão/Arquivo

Jair Bolsonaro virá a Salvador cumprir agenda de dois dias na próxima semana

Apesar de o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, ter dado preferência a um encontro com o prefeito ACM Neto, que é também presidente nacional do DEM, na visitá que fará a Salvador nos próximos dias 24 e 25, seus representantes na Bahia não descartam um convite ao pré-candidato do DEM ao governo, José Ronaldo, para participar da palestra que ele dará no Grande Hotel Stella Maris na quinta-feira da próxima semana. O entendimento seria facilitado pelo fato de o núcleo da equipe do presidenciável na Bahia ser de Feira de Santana, onde o pré-candidato do DEM foi prefeito e fez política a vida toda. A assessoria de José Ronaldo, no entanto, não confirma ainda se ele aceitará participar do evento. Oficialmente, o PSL tem um pré-candidato ao governo, Vank Medrado.

17 de maio de 2018, 19:27

EXCLUSIVA Félix diz que apoio a candidatura de Ciro está se “avolumando” no PT

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado federal Félix Mendonça Jr. é presidente do PDT na Bahia

Presidente estadual do PDT, o deputado federal Félix Mendonça Jr. acredita que o apoio à pré-candidatura presidencial de Ciro Gomes está se avolumando no PT, motivo porque ele também acha que o pedetista vai, a qualquer momento, poder contar com o palanque do governador Rui Costa (PT) na Bahia. Ele classificou como extremamente positivo o fato de o governador do Ceará, Camilo Santana, do PT, cujo padrinho político é Ciro, ter afirmado hoje, em entrevista ao Estadão, que seu partido não pode amargar o isolamento e deveria apoiar a candidatura de Ciro, indicando o ex-prefeito petista de São Paulo, Fernando Haddad, para seu vice. Lembrou também que o ex-governador Jaques Wagner foi o primeiro nome a indicar esta opção. Wagner recuou logo depois devido à grande pressão que se estabeleceu no PT diante de sua proposta. As declarações de Santana levaram as bancadas do PT na Câmara e no Senado a divulgarem hoje nota dizendo que o partido não abre mão da candidatura de Lula à Presidência.

17 de maio de 2018, 17:50

EXCLUSIVA Jutahy defende candidatura única entre José Ronaldo e João Gualberto

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado federal Jutahy Magalhães Jr.

O deputado federal Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) defendeu há pouco uma candidatura de unidade das oposições ao governo da Bahia, destacando que o processo de escolha seja equacionado o mais rápido possível. O deputado disse ter a convicção de que o pré-candidato do PSDB, João Gualberto, que é também presidente estadual do partido, tomará a decisão correta dentro da sua tradição de espírito público, encontrando a melhor solução para fortalecer a luta das oposições no Estado. “Sei que estará presente na sua decisão (de Gualberto) a melhor estratégia para fortalecer as candidaturas dos nossos companheiros candidatos a deputado estadual e federal e, no meu caso específico, pré-candidato que sou ao Senado, sei que ele terá uma preocupação especial para construir a vitória de minha candidatura, além do fato de termos também interesse direto no processo sucessório nacional no sentido de facilitar a aliança nacional PSDB-DEM”, afirmou Jutahy.

17 de maio de 2018, 15:16

EXCLUSIVA Bolsonaro tenta agenda com ACM Neto durante passagem por Salvador dias 24 e 25

Foto: Dida Sampaio/Agência Estado/Arquivo

Jair Bolsonaro gostaria de montar um palanque político para sua candidatura em Salvador com apoio de ACM Neto

Os articuladores políticos do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) tentam agendar um encontro dele com o prefeito ACM Neto (DEM) em Salvador entre os dias 24 e 25 próximos, quando o político vai estar na cidade. Eles tiveram uma rápida reunião em março, quando Neto não havia ainda anunciado que não pretendia concorrer ao governo do Estado, intermediado pelo deputado democrata Onix Lorenzoni (RS), que provocou grande polêmica, mas não fecharam qualquer entendimento. A presidente estadual do PSL, Daiane Pimentel, não confirma nem nega as tratativas em torno de uma aproximação entre Bolsonaro e Neto, aproveitando a passagem do presidenciável por Salvador na próxima semana, mas ressalva que os dois só se encontrarão se o entendimento fizer parte da agenda que o comando da pré-campanha do candidato tem definido para ele. Por enquanto, ela adiantou, as únicas programações definidas para Bolsonaro são uma recepção no dia 24, no Aeroporto, onde ele pode fazer um pronunciamento, seguindo a tradição que tem adotado em todos os Estados onde chega, “se houver clamor popular”, e uma palestra no Grande Hotel Stella Maris, no mesmo dia, prevista para as 19h. A chegada de seu vôo é esperada para as 11h30. Bolsonaro permanece até o dia 25 na cidade, onde tem programados várias atividades políticas. No encontro com Neto, que é também presidente nacional do DEM, ele pretende tratar da criação de um palanque na Bahia, caso o prefeito fique órfão de presidenciável.

17 de maio de 2018, 10:18

EXCLUSIVA Jantar que deveria aproximar pode ter afastado vereadores de José Ronaldo

Foto: Divulgação/Face

José Ronaldo

Um jantar promovido na última terça-feira com o objetivo de aproximar o pré-candidato do DEM ao governo, José Ronaldo, dos vereadores de Salvador, incentivando-os a trabalharem seu nome nos bairros da capital baiana, pode ter saído pela culatra. Pelo menos três deles ouvidos pelo Política Livre após o encontro disseram ter saído sem esperança de que o pré-candidato do DEM possa empolgar o eleitorado, se continuar fazendo discursos sem conteúdo político, voltado a cobranças de que o apresentem à população.

Exatamente por este motivo, alguns vereadores alegam que ficam com muita dificuldade de levar Ronaldo às suas bases. “Não dá para ir a um jantar ouvir o cara dizer que teve três mil votos em Salvador numa campanha para deputado federal que ele não sabe de onde vieram porque não conhece ninguém nem tem relações com a cidade”, disse um edil ao Política Livre, assegurando que a melhor parte do encontro foi, além do jantar propriamente dito, a oportunidade de se divertir com os colegas.

Um outro relatou que deixou o evento, realizado na casa do vereador Leonardo Prates (DEM), presidente da Câmara Municipal de Salvador, desolado. Em seu primeiro encontro com José Ronaldo, o achou, segundo relatou, “pouco simpático, ruim de discurso e sem empolgação”. Para ele, se o candidato do DEM não sofrer um “retrofit” completo, fica difícil andar com ele pelos bairros da cidade. “Posso me queimar mais (com a população) do que espero, se pegar na mão dele em meu bairro sem levar nada”, admitiu.

Ele acredita ser necessário montar uma estratégia específica para tornar a chegada de Ronaldo nos bairros mais palatável. Ele teria que comparecer com uma pauta já definida, a qual seria atendida pela Prefeitura e atribuída ao candidato. “Assim, quem sabe, dá para melhorar o clima para ele nos bairros. Caso contrário, vai ser difícil”, pondera, afirmando que o candidato perdeu a oportunidade de, no primeiro encontro com a base do prefeito na Câmara, mostrar aos vereadores porque merece ser candidato.

“O cara deveria chegar falando porque ele foi escolhido por Neto para ser candidato, que tem condições de enfrentar o PT, que a situação da cidade vai mudar com ele no governo, mas nada disso”, afirmou um terceiro, observando que vai procurar o prefeito para uma conversa, na qual pretende dizer que, se a campanha de Ronaldo for um fracasso e a eleição dos deputados forem afetadas por isso, ACM Neto enfrentará dificuldades para fazer seu sucessor em Salvador, em 2022. Ele calcula que 14 vereadores, dos 31 que integram a base, compareceram ao jantar.

17 de maio de 2018, 08:00

EXCLUSIVA Lula, o candidato paralelo, por Raul Monteiro*

Foto: Reprodução/Arquivo

Lula quando de sua condução à prisão

A insistência com que o ex-presidente Lula se agarra à idéia de sua candidatura à Presidência, inviabilizando qualquer projeto alternativo no PT, apesar de, além de preso, estar declaradamente impedido de concorrer à luz da lei da Ficha Limpa, o transforma no máximo num candidato paralelo, no que isso tem de referência máxima àquele ministério paralelo com que seu partido, numa jogada de marketing que logo se esvairia na época, tentou se contrapor à equipe de governo do então presidente Fernando Collor de Mello, que ganhara a presidência da República para o petista em 1989.

Sem dúvida, como um autêntico candidato paralelo, sem poder efetivo de concorrer, se mostrar à sociedade ou tomar iniciativas pertinentes a qualquer postulante, o máximo em que Lula se transforma é num espectro, ou numa idéia, infelizmente para ele, não aquela em que julgou que poderia transmutar-se com a prisão, mas tal qual algo que não existe, a não ser na imaginação dele próprio e daqueles que o seguem cegamente, galeria em que se perfilam personalidades realmente exemplares em vários sentidos, como a presidente nacional do PT, senadora Glesi Hoffman (PR).

A estratégia que Lula deflagra a partir da prisão, é evidente, não pode resultar em nada concreto, a menos num grande prejuízo para o seu partido e os poucos nomes com alguma capacidade de tentar dar alguma sustentação ao chamado projeto petista, a despeito da derrota moral e política de toda a sua plataforma, a partir de equívocos que envolvem desde a escolha de uma figura como Dilma Rousseff para sucedê-lo até e, principalmente, os estragos que causou na economia e nas finanças do país, hoje à vista de todos, apesar da tentativa ideológica de os atribuírem ao atual e igualmente triste governo.

Numa excelente reportagem veiculada ontem, a revista Piauí fez um cálculo básico sobre o quanto o PT perdeu até agora com a indefinição que a imposição de Lula produz. Chegou à conclusão de que desde o momento de sua prisão, em 7 de abril, foram jogadas no lixo mais de quatro horas de exposições em debates, as quais teriam custado à candidatura petista uma audiência de pelo menos 310 mil eleitores na tevê aberta só na Grande São Paulo, segundo levantamento feito a partir de dados do Ibope. Na internet, a situação também teria seu custo mensurável para o lulo-petismo.

O cálculo da Piauí é que o PT deixou de participar de sabatinas na internet com público médio de 100 mil pessoas até agora, num processo que só deve se ampliar à medida que a pré-campanha avance, cobrando, naturalmente, seus custos para aqueles que se deixam submeter às idiossincrasias lulistas. A dúvida hoje deve ser saber até que ponto Lula vai conseguir impor a seu partido e a seguidores os ditames do que acha conveniente, uma vez que se torna cada vez mais improvável que obtenha algum habeas corpus capaz de liberá-lo do cárcere em Curitiba.

* Artigo do editor Raul Monteiro publicado originalmente na Tribuna.

Raul Monteiro*

16 de maio de 2018, 09:55

EXCLUSIVA PT pretende usar reportagem da Globo sobre BRT no Rio contra ACM Neto

Foto: Reprodução Rede Globo

Imagem do BRT no Rio de Janeiro alvo de reportagem crítica exibida pela Rede Globo esta manhã

O PT baiano se prepara para fazer uma divulgação ampla, via redes sociais, de reportagem exibida hoje no Bom Dia Brasil, da Rede Globo, com críticas ao funcionamento do BRT no Rio de Janeiro. Apesar de a abordagem ter se concentrado na precariedade da via exclusiva onde os ônibus articulados circulam, que reduziram a perspectiva de velocidade no sistema de 70 km/h para 20 km/h, os petistas acreditam que o assunto veio a calhar no momento em que setores da classe média reagem à construção do projeto em Salvador por mostrar “como o investimento pode não valer a pena”. O objetivo é ampliar o desgaste do prefeito ACM Neto (DEM) numa faixa do eleitorado que o partido do ex-governador Rui Costa (PT) busca penetrar já pensando na sucessão municipal de 2020.

15 de maio de 2018, 19:56

EXCLUSIVA João Henrique diz que PRTB sofre assédio de partidos das bases de Rui e Neto

Foto: Divulgação/Arquivo

João Henrique anda animado também com receptividade a seu nome tanto na capital quanto no interior

Animado com a receptividade a seu nome, especialmente no interior, onde diz que tem um exército de apoiadores fincados no funcionalismo, herdado de seu pai, o ex-governador João Durval, o pré-candidato do PRTB ao governo, João Henrique, conta que sua legenda vem sendo assediada tanto por partidos da base do governador Rui Costa (PT) quanto do grupo do prefeito ACM Neto (DEM), todos interessados em coligar-se para as eleições proporcionais (de deputados). Segundo João Henrique, nos últimos dias quatro legendas ligadas ao grupo de Rui teriam procurado o PRTB para discutir uma aliança, mesmo número de partidos alinhados ao prefeito de Salvador que a buscaram. Como não tem deputados eleitos, o PRTB pode eleger um parlamentar à Assembleia Legislativa com cerca de 20 mil votos. Para deputado federal, são necessários 50 mil votos na legenda. Estaria aí o motivo da cobiça das demais legendas.