22 de maio de 2013, 13:35

ECONOMIA Gastos de brasileiros em viagens internacionais são recorde para abril

Gastos de brasileiros em viagens internacionais foram recorde em abril

Os gastos de brasileiros em viagem ao exterior chegaram a US$ 2,116 bilhões, em abril, o maior resultado para o mês na série histórica do Banco Central (BC), iniciada em 1969. No mesmo mês do ano passado, essas despesas ficaram em US$ 1,809 bilhão. De janeiro a abril, os brasileiros deixaram no exterior US$ 8,137 bilhões, contra US$ 7,189 bilhões, em igual período de 2012. Segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, o crescimento dos gastos de brasileiros no exterior é explicado pelo aumento da renda, por meio do aumento do emprego e do salário real. Além disso, ele citou que “surgem oportunidades” de viagens para países em que “o crescimento não mostra maior dinamismo”. Neste mês, segundo Maciel, a tendência de ampliação das despesas é mantida. Em maio, até o dia 20, as despesas de viagens internacionais ficaram em US$ 1,398 bilhão. Os estrangeiros em viagem ao Brasil geraram receitas de US$ 583 milhões, em abril, contra US$ 557 milhões no mesmo mês de 2012.

22 de maio de 2013, 12:45

ECONOMIA País registra fluxo cambial positivo de US$ 8,769 bilhões em maio, até dia 20

O saldo de entrada e saída de dólares do país, fluxo cambial, ficou positivo em US$ 8,769 bilhões, neste mês, até o dia 20, informou hoje o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel. Em maio até o dia 20, o fluxo comercial (operações relacionadas a exportações e importações) registrou entrada líquida (descontadas as saídas) de US$ 8,485 bilhões. O fluxo financeiro (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações) também registrou entrada líquida, de US$ 284 milhões. De janeiro até 20 de maio, o saldo do fluxo cambial ficou em US$ 10,185 bilhões.

22 de maio de 2013, 10:41

ECONOMIA Governo abaterá R$ 45 bi do superávit primário neste ano

O governo deve anunciar que abaterá R$ 45 bilhões da meta de superávit primário de 2013, fixada em R$ 155,9 bilhões, segundo versão preliminar do Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas fornecida à Reuters por uma fonte da área econômica do governo nesta terça-feira. “Embora o abatimento total permitido… seja de R$ 65,2 bilhões, optou-se por não utilizar toda a dedução permitida dadas as incertezas da economia internacional”, de acordo com o documento que está sendo elaborado pelos ministérios da Fazenda e do Planejamento e será divulgado na quarta-feira.

Leia mais em Governo abaterá R$ 45 bi do superávit primário neste ano, diz fonte

O Globo

22 de maio de 2013, 09:55

ECONOMIA Prévia da inflação sobe menos em maio, freada pelos alimentos

A prévia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) registrou variação de 0,46%, inferior à variação do índice de abril deste ano e de maio de 2012, ambas de 0,51%. Divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IPCA-15 mediu a variação de preços de 13 de abril a 14 de maio, comparando-os com os 30 dias anteriores. Com a redução, caiu o índice acumulado nos últimos doze meses, que era 6,51% em abril e passou para 6,46% em maio. A variação acumulada no ano, no entanto, é 3,06%, superior aos 2,39% do mesmo período do ano passado. Foi registrada queda na variação dos alimentos, que havia subido 1% em abril e desacelerou para 0,47% em maio. Alguns componentes desse grupo tiveram reduções acentuadas de preços, como o tomate (-12,42%) e o açúcar refinado (-6,46%). Já o feijão carioca subiu 10,13%, seguido pela cebola (5,63%) e a batata inglesa (5,45%).

21 de maio de 2013, 15:00

ECONOMIA ‘Ainda não jogamos a toalha’, diz Ideli sobre reforma do ICMS

A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, afirmou nesta terça-feira (21), após reunião com líderes da base governista na Câmara, que o governo ainda não “não jogou a toalha” sobre o projeto de reforma no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). De acordo com a ministra, devem ser realizadas ainda nesta terça reuniões para tratar do assunto. O projeto que altera alíquotas de ICMS nas transações interestaduais foi aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado e ainda precisa de aprovação no plenário. O texto desagrada o governo porque mantém três alíquotas na cobrança do imposto: 4% para produtos do Sul e Sudeste; 7% para transações com origem no Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Espírito Santo; 12% para a Zona Franca de Manaus e outras áreas de livre comércio. A intenção do governo ao enviar o projeto para o Senado era unificar as alíquotas. “Ainda não jogamos a toalha. Tem reuniões ainda hoje para ver se e possível avançar, porque a simplificação do ICMS é importante na questão tributária”, disse Ideli. Leia mais no G1.

21 de maio de 2013, 13:56

ECONOMIA Intenção de consumo das famílias recua pelo terceiro mês seguido em medição da CNC

A disposição de consumo dos brasileiros caiu pelo terceiro mês consecutivo. O dado foi apurado na pesquisa Intenção de Consumo das Famílias (ICF), divulgada hoje, referente a maio, produzida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). De acordo com os dados, houve recuo de 2,2% em comparação com abril e retração de 6,2% em relação a maio de 2012. O índice está em seu menor nível na série iniciada em janeiro de 2010. Segundo a CNC, o principal fator que contribui na queda da intenção de consumo é o comprometimento da renda das famílias, causado por endividamento e inadimplência ainda elevados, e inflação mais alta registrada nos primeiros meses do ano. Para o economista Bruno Fernandes, da CNC, o governo vem adotando as medidas corretas em relação à economia, mas fatores exógenos como secas ou enchentes – que provocam a quebra nas safras de alimentos, incluindo a histórica alta do tomate – estão afetando negativamente o resultado da política de combate à inflação.

21 de maio de 2013, 13:26

ECONOMIA Cai percentual de cheques devolvidos em abril

O percentual de cheques devolvidos em abril ficou em 2,09% do total de documentos compensados em todo o país. O percentual foi menor do que os 2,36% registrados em março, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. Na comparação com abril do ano passado (2,08%), o resultado ficou praticamente estável. Quando avaliados o acumulado de janeiro a abril deste ano, houve 2,09% de devoluções, contra 2,05% no mesmo período de 2012. Quando analisadas as regiões, o Norte apresentou 4,48% de cheques devolvidos, enquanto em março deste ano esse percentual foi 5% e, em abril de 2012, 4,5. Já no Nordeste, a devolução de cheques em abril chegou a um índice de 4,21% do total de cheques compensados, menor que os 4,73% registrados em março. Em abril do ano passado, o Nordeste teve 3,67% dos cheques devolvidos. Na Região Sudeste, a proporção ficou em 1,64% em abril, ante 1,84% em março de 2013 e 1,67% em abril do ano passado. No Sul, o percentual de cheques devolvidos chegou a 1,98%  em abril, inferior ao registrado no mês anterior (2,30%), mas superior ao de abril de 2012 (de 1,93%).

21 de maio de 2013, 12:57

ECONOMIA CNI lança compromisso para dobrar produtividade da indústria até 2022

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou hoje, em Brasília, o documento intitulado Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022, que estabelece metas e objetivos visando à melhoria da indústria nacional e ao aumento da competitividade até 2022, ano em que o Brasil completa 200 anos de independência. O documento define que, no período até 2022, a participação dos produtos manufaturados brasileiros deve subir dos atuais 1,7% para 2,2% da produção mundial. O mapa estratégico também prevê que a produtividade média da indústria nacional dobre, no mesmo período. O índice alcançaria 4,5% ao ano, ante a média de 2,3%, alcançada nos últimos 20 anos. O Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 é resultado de pesquisa de nove meses entre 500 representantes empresariais que, durante esse período, identificaram os fatores-chave para aumentar a capacidade de produção da indústria e ampliar a participação do segmento na economia nacional. Segundo o presidente da CNI, Robson Andrade, o trabalho desenha a visão da indústria no país e destaca os principais obstáculos do segmento. “O grande desafio é elevar os níveis de produtividade e eficiência, atuando nos fatores-chave de competitividade. A indústria pode ser maior e melhor”, disse.

21 de maio de 2013, 12:34

ECONOMIA Aumenta exigência de produção nacional para montadoras

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou nesta segunda-feira que empresas habilitadas no Regime Automotivo, o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto), deverão realizar mais etapas produtivas no Brasil para continuar a ter direito à redução de até 30 pontos percentuais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). As produtoras de automóveis e comerciais leves deverão cumprir, em 2013, oito etapas produtivas de um total de 12. Antes, a exigência era de seis etapas. No caso das fabricantes de caminhões, o mínimo passou de oito para nove, de um total de 14; e, das empresas de chassis com motor, passou de cinco para sete, de um total de 11 etapas.

Leia mais em Regime automotivo: aumenta exigência de produção nacional para montadoras

Cristiane Bonfanti, O Globo

21 de maio de 2013, 12:25

ECONOMIA Prévia da FGV indica alta de 1,1% da confiança da indústria em maio

A prévia do Índice de Confiança da Indústria (ICI) aponta aumento de 1,1% em maio, na comparação com o resultado de abril, informou hoje a Fundação Getulio Vargas (FGV). O aumento reflete a melhor avaliação dos empresários sobre o momento presente e o crescimento do indicador Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci). Em abril e março, o indicador havia apresentando queda 0,8% e 1,5%, respectivamente. Entre os componentes do ICI, o Índice da Situação Atual (ISA) subiu para 106,4 pontos, o maior nível desde janeiro, e ficou acima da média de 104,2 pontos. Já o Índice de Expectativas (IE), que tenta captar a expectativa dos empresários para os três próximos meses, caiu 0,6% e ficou em 104,3 pontos, atingindo o menor nível desde novembro.

21 de maio de 2013, 09:37

ECONOMIA Com boato, 900 mil beneficiários do Bolsa Família sacaram R$ 152 mi

A Caixa Econômica Federal informou ontem, por meio de nota, que houve 900 mil saques do pagamento do Bolsa Família, durante o último fim de semana, quando um boato de que o benefício seria suspenso chegou a pelo menos 12 estados. Ao todo, R$ 152 milhões foram retirados pelos beneficiários. Segundo a assessoria do banco, o movimento das agências foi normalizado ao longo desta segunda-feira. As agências que registraram maior movimentação no último fim de semana estão localizadas nos estados do Pará, Piauí, Paraíba, Bahia, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte, Amazonas, Tocantins e Rio.

Leia mais em Com boato, 900 mil beneficiários do Bolsa Família sacaram R$ 152 milhões

O Globo

20 de maio de 2013, 15:04

ECONOMIA Inflação do aluguel fica estável na segunda prévia de maio

Na segunda prévia do IGP-M de maio a inflação subiu 0,01%, abaixo da taxa de 0,28% registrada na segunda prévia de abril. O resultado, anunciado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE-Projeções, que esperavam de queda 0,09% a elevação de 0,25%, e se posicionou acima da mediana das expectativas (-0,01%). A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem a segunda prévia do IGP-M de maio. O IPA-M caiu 0,20% na prévia anunciada há pouco, ante alta de 0,11% em igual prévia do mesmo índice em abril. Por sua vez, o IPC-M teve alta de 0,31% na segunda prévia deste mês, em comparação com o aumento de 0,57% na segunda prévia do mês passado. Já o INCC registrou taxa positiva de 0,68% na segunda prévia do indicador deste mês, após registrar elevação de 0,74% na segunda prévia de abril. O resultado acumulado do IGP-M é usado no cálculo de reajuste nos preços dos aluguéis. Até a segunda prévia de maio, o IGP-M acumula aumentos de 0,99% no ano e de 6,22% em 12 meses. O período de coleta de preços para cálculo da segunda prévia do IGP-M deste mês foi do dia 21 de abril a 10 de maio. (Estadão)

20 de maio de 2013, 14:30

ECONOMIA Brasil criou 4 milhões de empregos formais desde 2011, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff disse na manhã desta segunda-feira (20), durante seu programa de rádio “Café com a presidenta”, que o Brasil criou 4,139 milhões de empregos formais desde janeiro de 2013. “Chegamos a essa marca histórica agora no mês passado, em abril, quando foram gerados quase 200 mil novos postos de trabalho”, disse a presidente, antecipando dados oficiais do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) que devem ser divulgados ainda esta semana pelo Ministério do Trabalho. Segundo a presidente, o setor de serviços foi o responsável pela geração de quase metade desse número desde janeiro de 2011, alavancadas principalmente pelos setores de saúde, educação, comércio e serviços financeiros. “Ampliou-se muito também as oportunidades de trabalho no setor de serviços financeiros, devido à chamada bancarização da nossa população, ou seja, nossa população, que antes não usava banco, passou a usar banco”, disse Dilma. Leia mais no G1.

20 de maio de 2013, 13:30

ECONOMIA Governo reduz IPI sobre extratos de açaí, guaraná e frutas usados em refrigerante e refresco

A redução das alíquotas do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) incidentes sobre extratos concentrados de sementes de guaraná, de açaí e sucos de frutas destinados à elaboração de refrigerantes e refrescos será retomada. A determinação faz parte do Decreto 8.017 publicado hoje no Diário Oficial da União. Os benefícios foram concedidos em 2011, por meio do Decreto nº 7.660. No entanto, a redução da isenção foi extinta em 1º de outubro de 2012. Segundo a publicação, o extrato de semente de guaraná ou de açaí terão o imposto reduzido em 50%. Já para os extratos usados na elaboração de refrigerantes que contenham suco de fruta, a redução será de 25%. A publicação de hoje retoma a alíquota menor aos produtores que comprovarem o padrão do produto. O texto especifica que ficam “reduzidas as alíquotas do IPI relativas aos refrigerantes e refrescos classificados no código 2202.10.00, desde que atendam aos padrões de identidade e qualidade exigidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e estejam registrados no órgão competente”.

20 de maio de 2013, 12:40

ECONOMIA Número de empresas que buscaram crédito aumenta 3,9% de março para abril

O número de empresas que buscaram crédito aumentou 3,9% em abril na comparação com o mês anterior, período em que havia crescido 7,7%, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito. Em relação a abril do ano passado, a procura por crédito cresceu 1,4%. No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, no entanto, o índice registrou queda de 4,9% ante o mesmo período do ano passado. Por porte, o destaque em abril ficou com as micro e pequenas empresas, que tiveram crescimento de 4,2% na demanda por crédito na comparação com março. As médias empresas registraram queda de 0,3% as grandes, aumento de 0,6%. No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas apresentam queda de 5,9% na procura por crédito. Mas, no acumulado do ano, tanto as médias quanto as grandes tiveram altas, de 9,4% e 19%, respectivamente. Todos os setores registraram crescimentos mensais na demanda das empresas por crédito em abril, sendo que o maior aumento foi registrado em serviços (4,4%), seguido pelas empresas industriais (4,3%). No comércio, houve alta de 3,4%. No acumulado do ano, todos os setores tiveram queda na busca por crédito, sendo que a menor foi observada em serviços (-1,1%). Já no comércio e na indústria, houve recuo de 7,5% e 6,8%, respectivamente.