15 de março de 2017, 09:47

ECONOMIA Abates de frangos e suínos e produção de ovos batem recorde

O ano de 2016 fechou com recordes nos abates de frangos e suínos e também na produção de ovos. Os dados foram divulgados hoje (15), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano passado, foram abatidos 5,86 bilhões de frangos, um aumento de 1,1% em relação a 2015 e o maior valor desde o início da série histórica, iniciada em 1997. Em relação aos suínos, houve 42,32 milhões de animais abatidos, um aumento de 7,8% em relação a 2015, também o maior valor desde 1997. A atividade tem apresentado crescimentos anuais ininterruptos desde 2005. Outra atividade com recorde em 2016 foi a produção de ovos. No ano passado, foram produzidos 3,1 bilhões de dúzias, ou seja, 5,8% a mais do que em 2015. É o maior valor desde que o IBGE começou a acompanhar a atividade, em 1987.

Agência Brasil

15 de março de 2017, 09:07

ECONOMIA Inflação pelo IGP-10 cai de 0,14% para 0,05% e acumula 5,11% em 12 meses

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) ficou em 0,05% em março. A taxa apurada é inferior aos percentuais de fevereiro deste ano (0,14%) e de março de 2016 (0,58%). O IGP-10 acumula 1,07% no ano e 5,11% em 12 meses, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV). A queda da inflação entre fevereiro e março foi influenciada pelos preços no atacado e no varejo. O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que analisa o atacado, teve deflação (queda de preços) de 0,12% em março. Em fevereiro, a deflação havia sido de 0,03%. A inflação do Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, caiu de 0,54% em fevereiro para 0,32% em março. No entanto, o Índice Nacional de Custo da Construção, terceiro subíndice que compõe o IGP-10, teve alta de 0,36% em fevereiro para 0,59% em março.

Agência Brasil

15 de março de 2017, 07:00

ECONOMIA BNDES aprova financiamento para projetos de energia renovável na Amazônia

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou hoje (14) condições especiais de financiamento para projetos de geração renovável de energia elétrica a serem implementados em áreas isoladas da região amazônica em parceria com a Amazonas Energia, distribuidora de energia elétrica controlada pelo Sistema Eletrobras. De acordo com o BNDES, o Amazonas tem atualmente 225 usinas a diesel, com capacidade instalada de 683 megawatts (MW) que consomem, por ano, 687 milhões de litros do combustível. O sistema emite cerca de 2 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2), outros gases poluentes (NOx e SOx) e particulados, além do risco de poluição dos rios decorrentes de naufrágios ou vazamentos no transporte e armazenamento do combustível. Com a medida, os itens financiáveis dos projetos – a serem licitados na Segunda Etapa do Leilão 002/2016 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), agendado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) para o dia 11 de maio – poderão usar 15% de recursos do Fundo Nacional de Mudanças do Clima, com taxa anual de 1%. O financiamento poderá ainda ser complementado em taxa de juros de longo prazo (TJLP), cuja taxa atual é de 7,5% ao ano, até o percentual de 80% previsto nas novas políticas operacionais do BNDES. Os projetos de energia solar e micro, pequenas e médias empresas que usarem os recursos do Fundo Clima poderão complementar o financiamento com mais 65% em TJLP e as demais fontes renováveis, como eólica e biomassa, em até 55%. O prazo de carência do financiamento é de até seis meses após a entrada em operação comercial do projeto e o prazo de amortização será inferior, em pelo menos dois anos, ao término do prazo do Contrato de Compra e Venda de Energia. Segundo o BNDES, o leilão da Aneel já recebeu a inscrição de 36 projetos de energia renovável. O Fundo Clima poderá destinar até R$ 200 milhões para financiar esses empreendimentos, que terão prazo de até 24 meses para utilização dos recursos após a data do leilão. O Contrato de Compra e Venda de Energia terá prazo de até 15 anos.

Agência Brasil

14 de março de 2017, 14:30

ECONOMIA Aneel vai devolver imediatamente valores cobrados a mais na conta de luz

Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai devolver imediatamente os valores cobrados a mais dos consumidores para o pagamento da usina de Angra 3 – ao todo, foi recolhido de maneira indevida R$ 1,8 bilhão a mais de todos os clientes pelo País. O anúncio foi feito pelo diretor-geral da agência, Romeu Rufino. De acordo com ele, o processo será julgado no dia 28 de março e deve reduzir as tarifas de clientes de todo o País. “Foi um equívoco”, afirmou Rufino, ressaltando que os valores já foram devolvidos para os consumidores cujas distribuidoras já passaram por reajuste tarifário, caso da Energisa Borborema e da Light. O processo da Aneel previa que a cobrança seria devolvida na data de aniversário do reajuste de cada empresa. Para os clientes da Eletropaulo, por exemplo, seria apenas em julho. Mas a diretoria da Aneel decidiu mudar o procedimento e corrigi-lo o mais rapidamente possível. ”Em vez de aguardar, faremos de uma vez só”, disse Rufino. “É um processo bastante trabalhoso, mas, excepcionalmente, vamos instruir o processo para retificar a tarifa de todas as concessionárias e orientar a pronta devolução daquilo que foi arrecadado com base em uma previsão errada.”

Estadão

14 de março de 2017, 12:16

ECONOMIA Etanol subiu em 6 Estados e DF, caiu em 19 e não se alterou no AP, diz ANP

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros subiram em seis Estados e no Distrito Federal, caíram em 19 e não se alteraram no Amapá na semana encerrada em 11 de março. No período de um mês, as cotações do produto acumulam alta em cinco Estados e no Distrito Federal, queda em 20 e estabilidade no Amapá. Os dados são da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação caiu 2,06% na semana, para R$ 2,613 o litro, e no período de um mês acumula baixa de 6,04%. Na semana, o maior avanço das cotações foi registrado em Alagoas (2,54%), enquanto o maior recuo ocorreu no Paraná (2,08%). A maior alta mensal, de 4,68%, foi em Alagoas e a maior queda foi em Goiás (7,21%).No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 2 15 o litro, em São Paulo, e o máximo foi de R$ 4,299 o litro, no Pará. Na média, o menor preço foi de R$ 2,613 o litro, em São Paulo, e o maior preço médio foi verificado no Amapá, de R$ 3,89 o litro.

Estadão Conteúdo

13 de março de 2017, 21:45

ECONOMIA Caixa vê possibilidade de saques do FGTS passarem de R$ 35 bi

Foto: Tânia Rego/ABr

O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, afirmou nesta segunda-feira, 13, que o primeiro dia de saques de contas inativas do FGTS, na sexta-feira, somou R$ 3,26 bilhões e que, com esse resultado, a expectativa é de que os saques ultrapassem a marca de R$ 35 bilhões, acima, portanto, da projeção inicial do governo federal, de R$ 30 bilhões. Os números foram informados pelo executivo após reunião com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto.Segundo Occhi, os R$ 3,26 bilhões sacados por meio das contas inativas na sexta-feira fazem parte de um total de R$ 4 bilhões que foram injetados na economia na sexta-feira, através do FGTS, considerando também os montantes a que têm direito os trabalhadores demitidos. E dos R$ 3,26 bilhões sacados, R$ 1,89 bilhão foi creditado em contas de correntistas da Caixa, que receberam o dinheiro automaticamente. O executivo afirmou que os correntistas da Caixa beneficiados com o depósito imediato foram 1,9 milhão de trabalhadores.O calendário da Caixa para os saques de contas inativas prevê que a partir do dia 10 de março poderão sacar aqueles que nasceram nos meses de janeiro e fevereiro. A expectativa de Occhi para quem nasceu nos dois primeiros meses é de que os saques cheguem a R$ 6,97 bilhões. Para nascidos nos meses de março, abril e maio, a projeção da Caixa é de R$ 11 bilhões. Os saques para os aniversariantes desses três meses começam no dia 10 de abril. Para todos os trabalhadores, o período de saques se encerra em 31 de julho.Occhi ressaltou também que a medida deve ter um impacto de 0,5% no PIB de 2017, segundo projeção do governo federal. “O presidente Michel Temer está muito satisfeito”, afirmou o executivo, em referência aos resultados do primeiro dia de saque. Ele disse que sugeriu ao presidente que visitasse uma agência da Caixa para acompanhar os trabalhos e que Temer lhe prometeu avaliar um dia e um local apropriados para a visita.

13 de março de 2017, 11:06

ECONOMIA Crescimento será baixo sem reforma da Previdência, diz analista

O economista Paulo Tafner, consultor do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), está convencido de que o Brasil vai cair na armadilha do crescimento baixo caso a proposta de reforma da Previdência não seja aprovada nos pontos centrais propostos pelo governo. Nas suas contas, o Produto Interno Bruto (PIB) seria negativo no segundo semestre, um pouquinho positivo no primeiro, fechando 2017 em torno de zero, e no ano que vem ficaria em torno de zero também. A despesa previdenciária, que cresce num ritmo três vezes maior que a receita tributária, vai comer o orçamento da União. “Vamos entrar numa enorme crise fiscal e o governo vai ter de ou emitir títulos públicos, ou imprimir dinheiro, ou simplesmente cortar benefícios”, diz o especialista em sistema previdenciário e contas públicas.Em qualquer dessas opções, seria dramático. “Ao emitir dívida, o governo aumenta o risco Brasil e, portanto, vai ter de subir a taxa de juros, o que obriga o Tesouro a pagar mais pelo serviço da dívida. Quando ele gira a maquininha e faz papel moeda, também gera inflação, que é uma violência aos mais pobres.”O problema mais grave, no entanto, é o desmonte dos investimentos, que provoca uma restrição na oferta de produtos e serviços. Num cenário como esse, sobra muito pouco ou nenhum dinheiro para o governo gastar com educação, saúde, justiça, segurança e infraestrutura. O setor privado também fica avesso ao investimento.”A gente não vai sair da rotina de um país de renda média, só que vamos ficar velhos com renda média baixa”, avalia o economista, ao citar que a taxa de envelhecimento da população brasileira é de 4% ao ano. “Crescimento zero com 4% a mais de gente entrando na Previdência só pode estrangular o País.”Hoje, o INSS já consome 41,8% da receita corrente líquida da União. Em 2020, vai para 51,7% e em 2015, sobe para 63,3%. Em 2035, os gastos previdenciários com trabalhadores da iniciativa privada vão consumir 87% da receita. “As pessoas não estão se dando conta, mas a bomba relógio da Previdência já começou a explodir em muitos Estados. Mais de dois terços do déficit dos orçamentos estaduais é previdência.”

Estadão Conteúdo

13 de março de 2017, 10:03

ECONOMIA Câmbio para o fim de 2017 segue em R$ 3,30, prevê Focus

Foto: AE

O relatório Focus divulgado na manhã desta segunda-feira, 13, pelo Banco Central (BC) não trouxe grande alteração nas previsões dos analistas para o mercado de câmbio. Na pesquisa, a mediana das estimativas para o dólar no fim de 2017 seguiu em R$ 3,30 pela terceira semana. Há um mês, a expectativa estava em R$ 3,36. O câmbio médio de 2017 permaneceu em R$ 3,18 ante R$ 3,26 de um mês antes. A projeção dos analistas do mercado financeiro para o câmbio no fim de 2018 seguiu em R$ 3,40 pela terceira pesquisa seguida. Quatro semanas antes, estava em R$ 3,49. Já a projeção do Focus para o câmbio médio no próximo ano teve leve alta de R$ 3,37 para R$ 3,38. Quatro semanas antes, estava em R$ 3,44.

Estadão Conteúdo

13 de março de 2017, 08:17

ECONOMIA Previdência põe em xeque ‘saúde das contas públicas’, diz Meirelles

Foto: Divulgação

Em mais um esforço para conseguir apoio para a reforma da Previdência, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que a saúde das contas públicas depende dessas mudanças, sem as quais o País não sairá da crise econômica e não voltará a crescer. A declaração fez parte do discurso de abertura de mais um evento da série Fóruns Estadão, uma iniciativa do Grupo Estado, que debateu o tema com autoridades, acadêmicos, especialistas e representantes dos trabalhadores.“A Previdência no Brasil é ponto fora da curva mundial”, disse o ministro, mostrando em números que a situação do País está fora dos padrões internacionais. A idade média de aposentadoria atualmente é de 59,4 anos, enquanto no México, país de renda similar à brasileira, o trabalhador se aposenta, em média, com 72 anos. Na comparação com mais de 30 países desenvolvidos e emergentes, Luxemburgo é o único que tem média de idade de aposentadoria menor que o Brasil, segundo o ministro.

13 de março de 2017, 07:49

ECONOMIA Consumidor tem até hoje para comprar passagem com franquia de bagagem garantida

Quem comprar passagem aérea a partir de amanhã (14) vai ter que ficar atento às regras de cobrança de bagagens que deverão ser implementadas pelas companhias aéreas. Entra em vigor nesta terça-feira o novo regulamento aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para o transporte aéreo de passageiros, que prevê a possibilidade de as empresas cobrarem por qualquer bagagem despachada.Cada empresa está definindo como será feita a cobrança pela bagagem, por isso os passageiros devem se informar antes de comprar a passagem. A GOL e a Azul anunciaram que terão uma classe tarifária mais barata para os clientes que não despacharem bagagens. A Latam disse que continuará com a franquia de 23 quilos nos próximos meses, mas ainda este ano passará a cobrar R$ 50 pela primeira mala e R$ 80 pela segunda despachada nos voos domésticos. A Avianca disse que não vai cobrar pelo despacho de bagagens no início da vigência da nova resolução, pois prefere estudar a questão mais profundamente durante os próximos meses.A possibilidade de cobrança de bagagens vai valer para quem comprar passagem a partir de amanhã (14), ou seja, quem já tiver a passagem comprada antes desse dia não vai sofrer as alterações. Atualmente, as companhias são obrigadas a oferecer um limite de bagagem sem custo para os passageiros (23 quilos, no caso de voos domésticos, e duas malas de 32 quilos para voos internacionais). Com a mudança, as empresas terão total liberdade para oferecer passagens com ou sem franquia, que poderá ser contratada na hora da compra do bilhete ou no momento do check-in.Além da liberdade para a cobrança da bagagem despachada, a Anac determinou que a franquia de bagagem de mão deve passar de 5 para 10 quilos.

12 de março de 2017, 12:30

ECONOMIA Agências da Caixa abrem mais cedo nesta segunda-feira para saques do FGTS

Nesta segunda e terça-feira (13 e 14), todas as agências Caixa Econômica federal abrirão duas horas antes, ou seja, às 9h, para fazer o atendimento sobre contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Ao todo, 4,8 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro têm direto a sacar o saldo. Segundo a Caixa, no primeiro dia de saques das contas inativas do FGTS, na sexta-feira (10), 1, 4 milhões de trabalhadores sacaram R$ 1,8 bilhão, seja em agências, caixas eletrônicos ou lotéricas. Outros R$ 2 bilhões foram depositados automaticamente nas contas de quem é cliente do banco. Neste sábado (11), a Caixa abriu 1.841 agências em todo o Brasil, das 9h às 15h, para atender somente questões relacionadas às contas inativas do FGTS. Pode sacar a quantia parada em contas inativas quem teve contratos de trabalho encerrados até 31 de dezembro de 2015. Desde sexta-feira, têm acesso aos recursos somente aqueles que nasceram em janeiro e fevereiro. De acordo com o calendário divulgado pelo governo, será liberado o dinheiro dos nascidos em março, abril e maio a partir de 10 de abril. Em 12 de maio, é a vez de quem nasceu em junho, julho e agosto. Os aniversariantes de setembro, outubro e novembro poderão sacar os valores a que têm direito a partir de 16 de junho. Por fim, a partir de julho será liberado o dinheiro dos nascidos em dezembro. No total, há 49,6 milhões de contas inativas aptas a ter os valores liberados. A expectativa do governo é que, ao resgatar o dinheiro parado, os trabalhadores injetem mais de R$ 30 bilhões na economia.

Heloisa Cristaldo, Agência Brasil

11 de março de 2017, 13:03

ECONOMIA Previdência: diretor do Ministério da Fazenda fala sobre reforma

A reforma da Previdência em discussão na Câmara dos Deputados muda as regras da aposentadoria tanto para os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em sua maioria trabalhadores do setor privado, quanto para servidores públicos com regimes próprios. A reforma como um todo é motivo de polêmica, mas os funcionários públicos têm queixas específicas. Os servidores da União alegam que seu sistema de aposentadorias já passou por mudanças em 1998, 2003, 2005 e 2013, ano de implementação da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público da União (Funpresp). Segundo entidades representativas dos servidores, essas modificações estabilizaram o déficit no serviço público federal e ele tende a cair nos próximos anos. Servidores públicos argumentam ainda que não têm acesso a políticas concedidas a trabalhadores da iniciativa privada, como o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Eles alegam também que contribuem para a Previdência com alíquotas e valores maiores. O diretor do Departamento dos Regimes de Previdência do Serviço Público do Ministério da Fazenda, Narlon Gutierre Nogueira, em entrevista à Agência Brasil é a favor de uma reforma da Previdência que atinja também o funcionalismo.

Agência Brasil

11 de março de 2017, 11:45

ECONOMIA CVM questiona baixas contábeis na Petrobras

O questionamento da área técnica da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) à adoção da contabilidade de hedge pela Petrobras desde 2013 é apenas a ponta de um iceberg de processos em curso no órgão regulador a respeito de questões financeiras da companhia. Um dos principais pontos na mira são as baixas no valor recuperável de ativos (impairments) realizados pela petroleira no período recente. Em 2014 e 2015, esses ajustes resultaram em baixas contábeis de quase R$ 100 bilhões. A análise da metodologia utilizada pela companhia para chegar às baixas se concentra em processo aberto em abril de 2015 pela Superintendência de Relações com Empresas (SEP), mesma área que questiona o uso da política de hedge pela estatal e pede a republicação de seus balanços de 2013 a 2015. No processo RJ2015-3346 são analisadas as demonstrações financeiras de 2010 a 2014. No ano em que estourou a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, a Petrobrás registrou prejuízo de R$ 21,6 bilhões, primeiro resultado negativo anual desde 1991, causado por perdas relacionadas à corrupção (R$ 6,2 bi) e com a revisão no valor de investimentos em curso (R$ 44,6 bi), em especial refinarias. Em maio passado, a CVM abriu outro processo para analisar impairments referentes a 2015. Naquele ano, houve baixas contábeis no valor de R$ 49,7 bilhões, o que resultou em prejuízo recorde. O caso chegou à autarquia a partir de denúncia do investidor Claudio da Costa Oliveira, que contesta os critérios contábeis e a justificativa da Petrobrás para as baixas: a queda do preço do barril de petróleo no período. Oliveira diz que, ao contrário de outras petroleiras, a Petrobras não tem os preços de seus combustíveis (leia-se a geração de caixa) atrelados às oscilações internacionais do barril de petróleo. A empresa, diz, se beneficia da queda da cotação, que reduz custos com royalties e participações especiais. O investidor argumenta ainda que os elevados volumes recuperáveis do petróleo do pré-sal, principal ativo da estatal, não estão registrados no balanço de 2015, retirando sentido às baixas. Assim, pede que a CVM avalie o “inusitado ajuste contábil, que prejudica o nome da empresa, seus acionistas (dividendos) e funcionários (participação nos lucros)”.

Estadão

11 de março de 2017, 08:30

ECONOMIA Agências da Caixa abrem neste sábado para saque do FGTS

Foto: Tânia Rego

Este será o único sábado de março no qual as agências abrirão

Funcionários de mais de 1.800 agências da Caixa estarão de plantão neste sábado (11) para saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A consulta às agências que funcionarão pode ser feita na página da Caixa. Este será o único sábado de março no qual as agências abrirão. O próximo plantão previsto para as agências será em 13 de maio, logo após a disponibilização do saque para nascidos em julho, julho e agosto. No sábado, o horário de atendimento será das 9 h às 15 h e as agências terão atendimento exclusivo para sacar o FGTS, fazer pagamento, solucionar dúvidas, promover acertos de cadastro dos trabalhadores e emitir senha do Cartão Cidadão. Ontem (10), primeiro dia de saques das contas inativas, muitas filas se formaram nas agências bancárias . As filas podiam ser vistas nas portas do banco desde cedo, mesmo com algumas agências abrindo antes das 8h. Aqueles beneficiários que têm uma conta-poupança na Caixa, mas não têm conta-corrente no banco, não precisam ir à agência para fazer o saque. O valor é transferido para a conta automaticamente. Caso não tenha conta na Caixa e precise ir à agência sacar o valor, o trabalhador não precisa sair da agência com o dinheiro no bolso. A transferência de recursos de contas inativas do FGTS da Caixa Econômica Federal para contas em outros bancos será feita sem cobrança de taxas, a pedido do trabalhador. Trabalhadores que têm até R$ 1,5 mil em contas inativas do fundo poderão resgatar o dinheiro em caixas eletrônicos usando apenas a senha do Cartão Cidadão, mesmo que tenha perdido o documento. Para valores até R$ 3 mil, o saque será feito com o cartão e a respectiva senha. Também será possível retirar o dinheiro diretamente em lotéricas – para saques até R$ 3 mil – e nas agências bancárias. A retirada do dinheiro das contas de FGTS inativas só poderá ser feita até o dia 31 de julho. Depois desse prazo, valerão as regras normais para saque, em casos como demissão sem justa causa, aposentadoria e aquisição de moradia própria.

Marcelo Brandão, Agência Brasil

10 de março de 2017, 17:35

ECONOMIA Temer se diz otimista com ‘recuperação do Brasil’

Foto: Divulgação

O presidente Michel Temer (PMDB) usou as redes sociais para comemorar o primeiro dia de liberação do saque das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O peemedebista afirmou ainda que está otimista com a recuperação do Brasil.A partir desta sexta-feira, 10, os trabalhadores que nasceram em janeiro e fevereiro que têm contas inativas do FGTS já podem sacar seus recursos na Caixa. Segundo o banco, 4,8 milhões de pessoas já terão acesso ao dinheiro. Neste mês, R$ 6,9 bilhões já estarão disponíveis.”Estou feliz por ver que uma decisão que tomamos já está melhorando a vida de milhares brasileiros”, escreveu o presidente em sua conta oficial no Twitter. “Estou otimista com a recuperação do Brasil”, completou. Junto com a declaração de Temer, o Planalto publicou uma imagem divulgando que a iniciativa teve início nesta sexta “para alegria do povo brasileiro”. Nesta sexta, Temer está em viagem para o Nordeste, onde inaugura obras da transposição do rio São Francisco.

Estadão Conteúdo