29 de abril de 2017, 13:01

BAHIA Atos causam divergências entre baianos

A greve geral que aconteceu ontem em todo o Brasil dividiu a opinião de políticos baianos. Presente nas manifestações ocorridas nas regiões do Iguatemi e do Campo Grande, a deputada federal Alice Portugal (PCdoB) acredita que os protestos serão suficientes para derrotar as reforma trabalhista e previdenciária.“Com esta greve de hoje, vamos inibir a votação da Reforma da Previdência na Câmara, a reforma mais cruel da história do Brasil, onde as pensionistas irão receber a metade da sua pensão, o trabalhador terá que se aposentar para a morte, pois a nossa expectativa de vida não é tão alta no Brasil”, disse a parlamentar, que discursou em um minitrio ao lado da vereadora Aladilce (PCdoB). “As mulheres são as mais prejudicadas, o relator abaixou a idade mínima para 62 anos de idade para as mulheres, mas manteve a exigência dos 25 anos de contribuição. As professoras se aposentarão com a mesma idade dos professores (60 anos). É uma reforma cruel e absurda e não dá para acreditar que quem a redigiu tenha nascido no ventre de uma mulher, deve ter sido parido em chocadeira”, acrescentou a comunista.Por outro lado, o vereador Duda Sanches (DEM) criticou o caráter político das manifestações, principalmente porque um militante supostamente ligado ao governo estadual teria participado da queima de pneus na passarela do metrô no Iguatemi.“É inadmissível a participação de um funcionário público de alto escalão em um triste episódio de depredação do patrimônio público. Ele é um braço forte do PCdoB da Bahia, figura conhecida nas eleições. Nós, cidadãos, teremos que continuar pagando o salário dele?”, questionou, acrescentando que “estão fazendo com o metrô o mesmo que fizeram com o Brasil”. “Protestar é democrático, agredir e usar táticas de vandalismo é inadmissível. Se nada for feito pela direção do partido ficará mais do que clara qual é a orientação do partido para os militantes nesse dia de greve. Essa política do terror só afasta os cidadãos de bem e fragiliza qualquer pleito que estejam fazendo. É lamentável um funcionário publico depredando o que o próprio governo do Estado fez, que se diz o pai do metrô”, acrescentou.

Tribuna da Bahia

29 de abril de 2017, 11:54

BAHIA Claudia Leitte e Bell devem mais de R$ 30 mi para a União

Foto: Divulgação

A cantora Claudia Leitte e o ex-integrante da banda Chiclete com Banana, Bell Marques, acumulam as maiores pendências junto à Dívida Ativa da União, que são débitos de pessoas jurídicas ou físicas com órgãos públicos, como INSS, Ministério do Trabalho ou Receita Federal, que não foram pagos espontaneamente. A baiana tem pendência com a União de R$ 22,5 milhões com as empresas Ciel Empreendimentos Artísticos e 2T’s. Em comunicado, o advogado da cantora, Alessandro Dessimoni, afirma que “os débitos fiscais das empresas 2TS e Ciel estão sendo discutidos judicialmente, portanto pendentes de julgamento —o que significa que estamos analisando o parcelamento dos débitos de acordo com o novo Programa de Regularização Tributária”. Já Bell acumula R$ 11,2 milhões em dívidas com cinco empresas ligadas ao seu nome. Segundo sua assessoria, “tais débitos serão objeto de regular parcelamento por meio do Programa de Regularização Tributária”. A cantora Daniela Mercury comparada com os outros cantores citados acima tem uma pequena dívida, de R$ 26 mil. De acordo com a sua mulher, Malu Mercury, “esse valor trata-se de uma multa de um processo envolvendo a DRT (Delegacia Regional do Trabalho). Não concordamos com essa multa e estamos recorrendo em juízo. Não é um dívida. É um processo.” Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Economia Aplicada (Ipea) em 2008, um processo de execução fiscal demora em média oito anos para ser julgado. Informações da Folha de S. Paulo.

29 de abril de 2017, 11:00

BAHIA “Perco o cargo mas não perco a vergonha”, diz Uldurico Júnior

Foto: Reprodução/Metropress

Após votar contra a aprovação da reforma trabalhista, o deputado federal da base aliada Uldurico Júnior (PV/BA) já sofre pressão por se posicionar contra os interesses do governo. Sem nenhuma apresentação de argumento de caráter técnico, um dos cargos de indicação do parlamentar baiano no Instituto Brasileiro Meio Ambiente Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) foi exonerado nesta sexta-feira (28). “O cargo do IBAMA era uma indicação técnica, de um servidor que vinha exercendo as funções de maneira íntegra e totalmente satisfatória. Não há motivo algum que explique a exoneração senão revide político por conta da minha posição de não acompanhar a base do governo na votação da reforma trabalhista”, justificou. Apesar da punição, Uldurico declarou não temer futuras perseguições por conta de seu posicionamento. “Perco o cargo mas não perco a vergonha. Jamais trairei o povo que me elegeu de forma legítima para defender outros interesses. Permaneço com minha consciência tranquila independente das pressões que venham daqui para frente porque estou convicto que apoiei minha decisão a favor do trabalhador brasileiro”, reafirmou. Na quinta-feira (27), o governo convocou uma reunião com os líderes da base para discutir as punições e exonerações dos membros que tiveram o chamado ‘votos de traidores’. Uma das razões para as retaliações está no fato de o governo encarar a votação da reforma trabalhista como uma espécie de ensaio para a reforma da Previdência.

29 de abril de 2017, 09:04

BAHIA Deputados levam debate sobre “fortalecimento da cadeia produtiva do cravo da índia” à Valença

No próximo dia 25, a cidade de Valença será palco de debate sobre o “fortalecimento da cadeia produtiva do cravo da índia e seus efeitos”. Trata-se de audiência pública promovida pelas comissões de Agricultura e Política Rural e de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, da Assembleia Legislativa da Bahia, proposta pelo deputado estadual, Hildécio Meireles, cujo objetivo é promover o reconhecimento e zoneamento da produção do cravo da índia pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, bem como o seu registro no banco de dados do IBGE.”O que irá proporcionar melhores condições para o crescimento do cultivo e comercialização de importante produto regional, com o esperado avanço tecnológico, abertura de linha de crédito, dentre outros incentivadores que, até a presente data, não são acessíveis a esta classe, que hoje vem sofrendo impactos na produção”, destacou Meireles, complementando que a escolha por Valença se deu, levando em conta que o território do Baixo Sul, formado por 14 municípios, tem na Agricultura a sua maior vertente de Desenvolvimento Econômico, principalmente a agricultura familiar, com destaque para o cravo da índia. “O cravo da índia, cultura que embora nativa da parte oriental do planeta, se encontra presente em quase toda região e por décadas representa uma importante atividade econômica para os agricultores familiares, mas vem sofrendo com uma grande mortalidade de suas árvores, o que vem impactando muito a produção local, ocasionando uma situação bastante crítica para os seus produtores”, concluiu, reforçando que : “diante deste cenário, e após diversas solicitações que nos chegam através dos pequenos agricultores, a realização da audiência”.

28 de abril de 2017, 21:58

BAHIA Eduardo Salles comemora acordo que garante segurança jurídica para produtores da região Oeste

Nesta quinta-feira (27), um acordo foi firmado, na Câmara de Vereadores de Formosa do Rio Preto, entre os produtores do Oeste da Bahia e o senhor José Valter Dias, que teve a reintegração de posse de terras, de uma área de 340 mil hectares, concedida pela Justiça. A área é cultivada por cerca de 300 famílias há mais de 30 anos. O acordo foi firmado na presença do presidente da ALBA (Assembleia Legislativa da Bahia), Ângelo Coronel, representantes da Corregedoria Geral e das Comarcas do Interior do Tribunal de Justiça da Bahia , da Procuradoria Geral do Estado da Bahia e das associações de produtores AIBA e Aprochama. O deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura da ALBA, Eduardo Salles, intermediou audiência dos produtores com o presidente da Assembleia Legislativa no início do mês de abril, quando o clima de tensão na região Oeste se intensificou em função de mais uma liminar que concedeu a posse das terras ao senhor José Valter Dias. “Estive com os representantes dos produtores em audiência com o presidente Ângelo Coronel na busca de uma solução para o impasse. Naquele momento, começamos a construir o acordo que foi celebrado ontem”, explica o parlamentar. Ainda no início deste mês, o presidente da Comissão de Agricultura também esteve com os produtores em audiência na Secretaria de Segurança Pública e, na ocasião, solicitou ações para evitar um conflito armado entre as partes. O assunto também foi discutido pelo parlamentar em audiência com o governador Rui Costa, o vice João Leão, e o deputado Antônio Henrique. “Desde o primeiro momento me coloquei ao lado dos produtores e estive em reuniões com diversas instâncias do Legislativo, Judiciário e Executivo para articular um acordo que preservasse os direitos dos agricultores e os milhares de emprego gerados no nosso estado”, pontua Eduardo Salles. O deputado afirma que o consenso entre as partes é o caminho mais viável para oferecer segurança jurídica aos produtores que dedicaram suas vidas ao cultivo dessas terras. Entretanto, Eduardo Salles pondera que as condições negociadas não são as ideais, pois acredita que o valor poderia ser menor. Ele ainda afirma que tem certeza que os produtores ganhariam a posse das terras na Justiça, mas levaria muitos anos para que isso acontecesse e o acordo resolve de imediato a questão e dá tranquilidade aos produtores. “Parabenizo as partes por terem encontrado uma solução, mas não considero o valor negociado razoável. Estamos falando de famílias que estão há mais de 30 anos trabalhando nessas terras e sei que o valor pactuado é algo que vai pesar no bolso deles”, ressalta Salles.

28 de abril de 2017, 18:00

BAHIA Greve geral: Sindipetro comemora adesão de petroleiros

Foto: Divulgação

Mais de 90% dos petroleiros da Bahia aderiram à greve geral, diz Sindipetro

Na manhã desta sexta-feira (28) o Sindipetro Bahia, em apoio a greve geral convocada pelas centrais sindicais, movimentos sociais, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, realizou ato e fechamento da Av. ACM em frente a Sede da Petrobras contra o desmonte da empresa e as reformas trabalhista e previdenciária. Atos também ocorreram em todas as unidades da empresa na Bahia e foram aprovados em assembleias por 99,7% da categoria. O diretor Jairo Batista lembrou que a categoria petroleira aderiu massivamente a greve. “Os petroleiros estão se conscientizando e hoje mais de 90% da categoria cruzou os braços”, afirma. Já o diretor do sindicato e da Fup, Leonardo Urpia lembrou que “só com apoio do povo brasileiro vai se conseguir barrar essas propostas maléficas para o trabalhador e para o sistema Petrobras”.

28 de abril de 2017, 17:45

BAHIA Galo condena ação da PM contra manifestantes em Lauro

Foto: Divulgação

O deputado Marcelino Galo (PT)

O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa, deputado Marcelino Galo (PT), condenou a ação de agentes da Polícia Militar, o que chamou de repressão, com o uso de bombas de gás nos trabalhadores que protestavam, pacificamente, na Estrada do Coco, nesta sexta-feira (28), contra as reformas da previdência e trabalhista propostas pelo governo Michel Temer (PMDB). Uma mulher, segundo a Associação dos Trabalhadores Municipais da Educação de Lauro de Freitas (ASPROLF), foi atingida pelo artefato. “A Polícia Militar tem que ser uma garantidora de direitos, e não uma repressora de manifestações legítimas e pacífica da classe trabalhadora contra esse conjunto de reformas que vai, inclusive, atingir e prejudicar os próprios policiais. Condeno, portanto, a ação da polícia, desproporcional, inclusive, contra a classe trabalhadora em Lauro de Freitas, que protestava na estrada do coco por direitos coletivos, de toda população que sofre os desmandos desse governo golpista e usurpador que pretende tirar o couro do trabalhador para beneficiar os especuladores do mercado financeiro”, afirmou Galo, que colocou á Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública a disposição dos trabalhadores.

28 de abril de 2017, 11:10

BAHIA Estado concederá três mil bolsas permanência para professores prestes a se aposentar

Os professores da rede estadual que já completaram as exigências para a aposentadoria voluntária, com efetiva regência de classe dos Ensinos Fundamental e Médio, que estejam interessados na ‘Bolsa de Estímulo à Permanência em Atividade de Classe’ já devem se dirigir ao SAC Educação ou às sedes dos Núcleos Territoriais de Educação (NTE) para formalizar o pedido. As normativas sobre o procedimento foram divulgadas na quinta-feira (27), no Diário Oficial pela Secretaria da Educação do Estado, por meio de Portaria. Para dar entrada no pedido, o professor deve preencher a documentação disponível, em anexo à Portaria, no Portal da Educação . As inscrições também serão feitas nas escolas onde os professores interessados lecionam.Ao todo são três mil bolsas, com valores de R$ 800 e R$ 1.600, para os professores com carga horária de 20 e 40 horas, respectivamente. Para o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, “a Bolsa de Estímulo à Permanência em Atividade de Classe é uma iniciativa que reflete os esforços empreendidos pelo Governo do Estado para melhorar a educação pública. Afinal, estamos tratando de professores com larga experiência, profissionais que dedicaram suas vidas à escola e que, portanto, podem optar em continuar contribuindo com a educação e com a formação dos nossos estudantes”, avalia.A Portaria também divulga o quantitativo de bolsas por unidade escolar e disciplina, para que os professores possam dar entrada na solicitação do benefício. A Bolsa de Estímulo à Permanência será paga pela Secretaria da Educação do Estado, mensalmente e exclusivamente durante o ano letivo, e serão levadas em consideração, ainda, áreas do conhecimento em que haja carência de docentes na rede estadual.Pré-requisitos – Para ser beneficiado, o professor deverá atender a requisitos, como ter completado as exigências para a aposentadoria; estar lotado em uma unidade escolar e ter optado por permanecer em efetiva regência de classe. O benefício será pago por dois anos, prorrogáveis por mais dois, e sobre ele não incidirá contribuição previdenciária. Também não poderá ser utilizado para cálculo de aposentadoria e pensão.Poderão ser contemplados servidores que obtiverem desempenho individual satisfatório e que não possuem em seus registros funcionais mais de seis faltas injustificadas no ano letivo imediatamente anterior ao do início da percepção da vantagem. O desempenho individual será aferido pelo chefe imediato do servidor interessado em perceber o benefício e comprovado mediante certidão específica. Aquele que exercer as suas atribuições em mais de uma unidade escolar da Rede Estadual de Ensino deverá ser avaliado em ambas as unidades.O setor de Recursos Humanos da Secretaria da Educação apreciará os pedidos, para a publicação dos contemplados por meio do Diário Oficial do Estado.

28 de abril de 2017, 10:04

BAHIA Rui inaugura sistema de água em Itaguaçu da Bahia e visita obras da policlínica de Irecê

O Sistema de Abastecimento de Água dos povoados de Tabatinga e Lages, Várzea Grande e Carnaúbas, no município de Itaguaçu da Bahia, no Vale do São Francisco, será inaugurado neste sábado (29), às 9h30, com a presença do governador Rui Costa. A solenidade ocorre no povoado de Lages. Em seguida, às 10h30, o governador inaugura a creche municipal do Programa Brasil Carinhoso e autoriza a Secretaria de Desenvolvimento Rural a celebrar dois convênios no âmbito do Programa Bahia Produtiva. No início da tarde, às 13h20, já no município de Irecê, Rui entrega a Escola Municipal no distrito de Itapicuru, visita as obras da Policlínica Regional e autoriza a abertura de licitação para construção do acesso à Policlínica. Ao final da viagem, Rui ainda visita a 19ª EXPOAGRI – Exposição Agropecuária e Feira de Negócios da Região de Irecê.

28 de abril de 2017, 09:23

BAHIA Aliados de Rui votaram a favor da reforma trabalhista

Foto: Divulgação

Mais uma vez deputados federais baianos de partidos da base do governador Rui Costa votaram a favor de projeto do governo federal, ao qual os aliados do comandante do Executivo estadual deveriam fazer oposição.Partido do vice-governador João Leão, o PP teve toda a sua representação baiana marcando posição a favor de Michel Temer na votação da proposta de reforma trabalhista, aprovada na noite de quarta-feira (26).Os progressistas Cacá Leão, Mário Negromonte Jr., Roberto Britto e Ronaldo Carletto disseram sim à proposta do governo no plenário da Câmara. Filiado ao PSD do senador Otto Alencar (eleito pela chapa de Rui em 2014), o deputado Paulo Magalhães também votou com o governo federal. Também da base de Rui, o PR baiano deu três votos a Temer: João Carlos Bacelar (PR), José Carlos Araújo (PR), José Rocha (PR). Daniel Almeida (PCdoB) e Sérgio Brito (PSD) não compareceram à votação.Um petista disse em anonimato à Tribuna que “o governador Rui Costa infelizmente não tem como controlar a fidelidade de cada deputado federal”, e que “essa questão de o partido ter uma posição no estado e outra posição com o governo federal complica muito na hora do voto”. “Na Bahia, o partido apoia Rui, mas lá em Brasília a legenda pode ter outra posição no Congresso.Não tem como controlar isso”, disse a fonte. O governador Rui Costa e seu núcleo político não se manifestaram até então.Votaram contra a reforma os baianos Afonso Florence (PT), Caetano (PT), Jorge Solla (PT), Nelson Pelegrino (PT), Robinson Almeida (PT), Valmir Assunção (PT), Waldenor Pereira (PT), Antonio Brito (PSD), José Nunes (PSD), Alice Portugal (PCdoB), Davidson Magalhães (PCdoB), Irmão Lázaro (PSC), Uldurico Júnior (PV), Bacelar (PTN), Bebeto (PSB) e Félix Mendonça Jr. (PDT).Os baianos favoráveis à reforma trabalhista foram, além dos já citados acima, Claudio Cajado (DEM), Elmar Nascimento (DEM), José Carlos Aleluia (DEM), Paulo Azi (DEM), Márcio Marinho (PRB), Pastor Luciano (PRB), Jutahy Júnior (PSDB), Arthur Maia (PPS), Benito Gama (PTB), Lúcio Vieira Lima (PMDB) e Erivelton Santana (PEN).
O outro ausente foi o deputado João Gualberto (PSDB). Entre os 39 baianos, o placar na votação foi de 19 a favor, 16 contra e três ausentes.

Tribuna da Bahia

28 de abril de 2017, 07:47

BAHIA Diretório oficializa resultado do PED que deu vitória a Everaldo

Foto: Divulgação

O diretório nacional do PT julgou na tarde desta quinta-feira, 27, recurso interposto pelo atual presidente do PT da Bahia, Everaldo Anunciação. No recurso era solicitado que o estatuto do Processo de Eleição Direta (PED) seja respeitado, na qual a apuração tem que ser feita pela Sorg Estadual. Por 9 a 6, o resultado do PED da Bahia que será validado é o Sorg Estadual, ma qual a soma dos votos do grupo de Everaldo Construindo um Novo Brasil (CNB) e da ex-prefeita de Uruçuca, Fernanda Silva, da Esquerda Popular Socialista (EPS), superou os votos de Walndenor Pereira, que tinha as tendências Democracia Socialista (DS); Esquerda Democrática Popular (EDP); 2 de Julho; Avante; Movimento PT e Reencantar. Já existe uma composição entre os grupos de Everaldo e Fernanda, com isso com a maioria dos delegados do congresso do partido no mês de maio o nome de Everaldo ou quem for lançado será eleito presidente do PT da Bahia.

28 de abril de 2017, 07:10

BAHIA Aleluia: “Reforma Trabalhista é uma revolução”

Foto: Divulgação

Deputado Aleluia

“Uma revolução nas relações de trabalho”. Assim o deputado federal José Carlos Aleluia (Democratas-BA) avaliou a aprovação da Reforma Trabalhista, que teve a votação do projeto (6787/16) finalizada na Câmara Federal, em Brasília, na madrugada desta quinta-feira (27/04). Para Aleluia, a atualização das leis trabalhistas corrige uma defasagem de 70 anos do código atual e cria um ambiente de negócios favorável à geração de empregos e ao fim da sangria de empresas que estavam migrando para países vizinhos. “O projeto que aprovamos foi elaborado na Câmara e avançou muito mais do que o modesto texto apresentado pelo governo. Construímos um documento que não é uma reforma, mas uma verdadeira revolução que atualiza um código de quando o país era essencialmente agrário”, explica. De acordo com Aleluia, houve um grande avanço que adequa as relações trabalhistas ao novo mercado global, digital e extremamente especializado. “Não se criam empregos nem se aumentam salários por decreto. Mas criando-se as condições de uma economia competitiva e moderna, com flexibilidade e liberdade para o trabalhador”, assinala. O projeto teve seu texto-base aprovado por 296 votos e, entre outras melhorias, institui a prevalência do acordado sobre o engessamento da lei, regras para o trabalho intermitente e o fim da obrigatoriedade de homologação de rescisões trabalhistas pelos sindicatos. De todos os itens, o que mais repercutiu na reforma foi o fim da contribuição sindical obrigatória. O deputado Aleluia ressalta que a medida vai acabar com a farra de 11.326 sindicatos de trabalhadores e 5.186 patronais que existem no país, o que vai fortalecer as verdadeiras entidades representativas no país. “Os bons sindicatos, aqueles que verdadeiramente representam e atuam em favor do trabalhador, vão continuar. O que vai acabar são essas entidades que só sobrevivem pela mamata do imposto sindical e funcionam apenas como cartórios que nada fazem pelo representado”, observa o deputado baiano, acrescentando que o mesmo vale para as entidades patronais. “Empresário que quer criar entidade vai ter que tirar do próprio bolso, não mais do povo brasileiro”.

27 de abril de 2017, 19:10

BAHIA “Golpistas querem couro do trabalhador e acabar com Caixa, BB e o SUS”, alerta Galo

O deputado estadual Marcelino Galo (PT) ratificou a necessidade da classe trabalhadora permanecer unida, mobilizada e nas ruas para além desta sexta-feira (28), dia marcado para a greve geral dos trabalhadores no Brasil em ato contra as reformas da previdência e trabalhista. O parlamentar avalia que há uma articulação “da direita associada com o grande empresariado e os grandes meios de comunicação nacional” que visam criar “uma cortina de fumaça” para desmobilizar a população, no jogo de contrainformação, e acelerar a aprovação da agenda neoliberal articulada no governo Michel Temer. Galo salienta que depois do congelamento dos gastos públicos em saúde e educação, da terceirização, das reformas da previdência e trabalhista, já há um consenso envolvendo o PMDB, DEM, PSDB, PPS e partidos satélites, “alinhado aos interesses dos setores que financiaram o impeachment, de privatizar a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e os Correios, e enfraquecer significativamente o Sistema Único de Saúde para favorecer descaradamente o mercado de plano de saúde populares”.”É fundamental que a classe trabalhadora compreenda essa conjuntura de ataques sistemáticos que visam destruir direitos e conquistas históricas do povo brasileiro, e permaneça vigilante e mobilizada contra esses desmandos sem precedentes em nossa história recente. Quem financiou o golpe quer a entrega da mercadoria custe o que custar. Tomaram o poder de assalto, financiados pelo capital financeiro e pela burguesia nacional estúpida, para isso. Querem garantir seus lucros exorbitantes à custa do couro do trabalhador e de setores médios da sociedade”, enfatizou Marcelino Galo. “Os golpistas já provaram que não tem compromisso com a soberania nacional, com o desenvolvimento inclusivo e com a classe trabalhadora, por isso é fundamental que os trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade compreendam esse quadro, permaneçam unidos e mobilizados, nas ruas, contra essas reformas”, afirmou o parlamentar.

27 de abril de 2017, 18:37

BAHIA Sefaz-Ba prorroga para dias 3 e 4 prazos para pagamento de IPVA

Devido a instabilidade no sistema do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) registrada nesta quinta (27), a Secretaria da Fazenda do Estado Bahia (Sefaz-Ba) prorrogou para depois do feriado do Dia do Trabalho os prazos de pagamentos do imposto. A medida inclui as datas-limite do desconto de 5% para pagamento em cota única referentes aos veículos com placas finais 3 e 4, cujos prazos venceriam nesta quinta (27) e na sexta (28), respectivamente. Os novos prazos vencem nos dias 3 (para placa final 3) e 4 (placa final 4).Esses contribuintes têm ainda a opção de pagamento do IPVA em três parcelas, desde que a primeira seja paga até os prazos estabelecidos para a cota única. Para a opção de pagamento em cota única sem desconto, as datas-limite são 29 de junho para placas de final 3 e 30 de junho para as de final 4.Também tiveram os prazos prorrogados os proprietários de veículos com placas de finais 1 e 2. Para os veículos com placas de final 1, a última cota do IPVA poderá ser paga até 3 de maio, e para aqueles com placa de final 2, o prazo para a segunda cota fica prorrogado até 4 de maio.Para efetuar o pagamento, o contribuinte deve dirigir-se a uma agência ou caixa eletrônico do Banco do Brasil, Bradesco ou Bancoob, com o número do Renavam em mãos. As datas de vencimento para as demais placas podem ser consultadas no calendário do IPVA 2017, disponível no site da Sefaz-Ba (www.sefaz.ba.gov.br), Canal Inspetoria Eletrônica, IPVA.

27 de abril de 2017, 18:09

BAHIA Bahia investiu o dobro da média nacional em 2016

Foto: Divulgação

A Bahia investiu o dobro da média nacional em 2016 e está, junto com o Ceará e o Piauí, no grupo dos três únicos estados brasileiros a destinar cerca de 11% de suas receitas a investimentos, destaca o jornal Valor Econômico em sua edição desta quinta-feira (27). Tomando por base estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), o jornal ressalta que o investimento é um índice de saúde financeira dos estados por constituir um “gasto de qualidade”, em contraposição, por exemplo, às despesas com a manutenção ou custeio do setor público. Os três estados nordestinos contrariam o desempenho do conjunto das administrações estaduais no país, que reduziram os investimentos. Ainda de acordo com o Valor, Bahia, Ceará e Piauí também têm em comum o endividamento baixo, distante do limite de 200% da receita previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal, e o fato de contarem com recursos mais do que suficientes para cobrir imprevistos orçamentários este ano.De acordo com o economista-chefe da Firjan, Guilherme Mercês, citado no texto, investir ou reforçar o caixa são opções à disposição dos estados nessas condições. “É uma decisão de gestão, mas tecnicamente tanto o caixa alto quanto o investimento alto são indicadores de saúde financeira, já que o investimento é possível de cortar em períodos de crise”, afirma o economista.