24 de agosto de 2019, 18:15

BRASILDiscurso de Bolsonaro sobre Amazônia passa ideia de apoio ao desmatamento, diz Maia

Foto: Estadão

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou neste sábado (24), em Vitória (ES), que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) mudou o discurso que vinha fazendo sobre a crise ambiental no país ao afirmar tolerância zero às queimadas na Amazônia. Ele disse que o discurso “radical” do presidente pode ter passado a ideia de apoio ao desmatamento, mas afirmou não crer que o governo dê “qualquer incentivo a esses criminosos”. “O que o presidente da República diz é muito forte, tem peso. O que eu digo talvez não tenha a mesma força. Então, por isso, temos que compreender que muitas vezes o que falamos tem um impacto muito maior do que a gente imagina”, afirmou Maia. “Uma verbalização malfeita pode gerar grandes crises. Quando vocaliza polemizando no tema, qual impressão que dá? Que há algum tipo de apoio. Acho que o presidente certamente percebeu isso e ontem fez um discurso reafirmando a tolerância zero. E tem que ser mesmo.” A declaração foi feita durante o Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), que acontece no Palácio Anchieta, sede do Governo do Espírito Santo, onde se reuniram governadores das duas regiões para discutir sobre investimentos nos estados brasileiros. Maia reconheceu que a forma radical como o presidente tem se comunicado pode ter agravado a relação com governos internacionais. “O presidente compreendeu que está passando uma sinalização de algo que talvez ele não esteja fazendo, que é estimular as queimadas”, afirmou o presidente da Câmara. “Todo discurso mais radical a alguma instituição do estado democrático de direito, quando se polemiza da forma que o presidente fez nos últimos dias, em relação às queimadas, acaba gerando uma insegurança”, completou, referindo-se a acusações do presidente da República contra ONGs e movimentos ambientais.

Folhapress

Comentários