12 de julho de 2019, 15:16

BRASILSandro Régis e Paulo Azi acusam Rui Costa de “negligência” em rompimento de barragem

Foto: Secom/GOVBA

Os deputados democratas Sandro Régis (estadual) e Paulo Azi (federal) acusaram, nesta sexta-feira (12), o governador Rui Costa (PT) de “negligência” pela falta de monitoramento e fiscalização às barragens existentes na Bahia. Nesta quinta (11), houve o rompimento da barragem que fica no povoado de Quati, em Pedro Alexandre, e a água invadiu também o município vizinho, Coronel João Sá. Cerca de 500 pessoas estão desalojadas. Pelo Twitter, o governador Rui Costa informou que não havia rompimento da barragem apenas transbordamento do rio, mesmo sendo constatado pela Agência Nacional de Águas (ANA) e as duas prefeituras, mas em nota, o governo estadual recuou nesta sexta e confirmou o rompimento.

“Negligência. Mesmo depois de tantas tragédias que ocorreram no Brasil, o estado da Bahia em nenhum momento tem fiscalizado as barragens. De acordo com a ANA, há estruturas com risco nas barragens de Afligidos e Araci, em São Gonçalo dos Campos; Cipó, Mirante e Apertado, em Mucugê; Luiz Vieira, em Rio de Contas; RS1 e RS2, em Camaçari; Tábua II Ibiassucê, Zabumbão, em Paramirim, e Pinhões, entre Juazeiro e Curaçá. O governo estadual precisa tratar esse assunto como prioridade”, condenou Régis, membro da Comissão Especial de acompanhamento e fiscalização de barragens.

“Como sempre o governo da Bahia foge das suas responsabilidades. Que isso sirva de alerta para que Rui Costa possa determinar aos órgãos competentes uma avaliação completa de todas as barragens do Estado, já que a notícia que temos é que há anos que o governo da Bahia não monitora a estabilidade das barragens existentes no Estado”, criticou Azi.

O governador, que já havia anunciado que iria no local antes de cumprir agenda em Paulo Afonso, inverteu a agenda. “Conseguimos finalmente chegar em Paulo Afonso! Estou a caminho da Policlínica regional de saúde para fazermos a inauguração do equipamento, na sequência, irei a Coronel João Sá e Pedro Alexandre para acompanhar a situação das enchentes,” informou Rui pelo Twitter.

A barragem do Quati – construída pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e entregue em novembro de 2000 à Associação de Moradores da Comunidade do distrito de Pedro Alexandre – é responsável pelo represamento do Rio do Peixe para o período de estiagem. A ponte que passa sobre o rio, em Coronel João Sá, ficou submersa e os bombeiros foram obrigados a isolar a área. Com isso, moradores ficaram mais de 18 horas “ilhados” e só começaram a transitar com a ajuda dos bombeiros, no final da manhã desta sexta.

Raiane Veríssimo

Comentários