28 de junho de 2019, 10:00

ECONOMIADesemprego se mantém estável, mas subutilização bate novo recorde

A taxa de desemprego no Brasil se manteve estável no trimestre encerrado em maio deste ano, na comparação com o trimestre anterior até fevereiro, mas a subutilização bateu novo recorde, segundo dados do IBGE divulgados nesta sexta-feira (28). O número de desempregados no país fechou, no período de três meses até maio, em 13 milhões de brasileiros (12,3% da população), enquanto o contingente dos que não trabalharam ou trabalharam menos do que gostariam passou a compreender 28,5 milhões de pessoas (25%). O número de trabalhadores por conta própria subiu 1,4% em relação ao trimestre encerrado em fevereiro e também bateu recorde da série histórica, iniciada em 2012, chegando a 24 milhões em maio. A alta em relação ao mesmo período de 2018 é de 5,1%. A população desalentada -aquela que gostaria de trabalhar mas não procurou emprego no período- também é recorde. São 4,9 milhões de brasileiros nessa situação, estável em comparação com o mesmo período do ano passado e com o trimestre encerrado em fevereiro. O percentual da força de trabalho em desalento é de 4,4%. De acordo com o IBGE, a renda do trabalhador caiu 1,5% na comparação com o trimestre imediatamente anterior, chegando a R$ 2.289 no trimestre encerrado em maio.

Estadão

Comentários