27 de junho de 2019, 21:33

ECONOMIACriação de vagas formais é a menor para maio em 3 anos

Foto: Estadão

O dado veio bem abaixo de estimativas do mercado

O Brasil criou 32.140 vagas formais de emprego em maio, o pior resultado para o mês desde 2016, quando foram fechados 72.615 postos, indicam dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quinta-feira (27) pelo Ministério da Economia. O dado veio bem abaixo de estimativas do mercado. A consultoria LCA, por exemplo, previa geração de 78.200 postos. Em maio de 2018, foram 33.659 vagas de emprego. O resultado também significa uma queda brusca em relação a abril, quando foram criados 130.655 postos, segundo dados ajustados. No ano, o saldo está positivo em 351.063 vagas, aumento de 0,91% no estoque na comparação com o mesmo período de 2018. Em 12 meses, são 474.299 postos criados (+1,24%). Para Bruno Dalcolmo, secretário do Trabalho, o número de maio veio em linha com o crescimento dos últimos dois anos, “que obviamente não foram anos de grande desempenho econômico”. O presidente Jair Bolsonaro comemorou a criação de vagas, mas reconheceu que ainda é pouco diante dos atuais níveis de desemprego. Ele admitiu também que a economia brasileira não tem apresentado um desempenho favorável. Por setores, a agropecuária abriu 37.373 vagas, com destaque para cultivos de café e laranja. A segunda maior geração veio da construção civil, com 8.459 postos. Já no comércio, foram fechadas 11.305 vagas, enquanto na indústria de transformação o saldo ficou negativo em 6.136.

Folhapress

Comentários