11 de dezembro de 2018, 14:30

INTERIOR DA BAHIAValmir repudia aumento de tarifa de transporte em Porto Seguro: “Não tem cabimento”

O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) se pronunciou, nesta terça-feira (11), contra o aumento da tarifa de transporte público no município de Porto Seguro, no sul da Bahia. Ele repudiou o fato divulgado – na última segunda-feira (10) – pela prefeitura local. Esse aumento se deu por meio de edital, e a tarifa do coletivo passa de R$ 3,25 para R$ 3,50. Conforme informações do decreto da prefeitura, o valor começa a valer já no dia 1º de janeiro de 2019. “Não tem cabimento esse aumento. A população mais uma vez sendo penalizada com a situação. Primeiro que o valor é abusivo, visto que a cidade de Porto Seguro tem uma das piores frotas de coletivos do Brasil, e segundo que já é uma das passagens mais caras do país”, critica o petista. Valmir ainda salienta que em 2018, a população tem reclamado dos inúmeros veículos sem qualidade que circulam na cidade baiana. De acordo com ele, são ônibus quebrados, velhos, com superlotação, não cumprem horários, e deixam a população sempre na mão. “É preciso uma ação mais rígida dos órgãos de fiscalização, principalmente do Ministério Público. É fundamental que a prefeitura e a Câmara possam rever não só esses reajustes anuais, mas também fixar preços justos, adequados considerando as distâncias, a segurança e o conforto dos usuários. Ou seja, é preciso revisão, por que a situação já é insustentável”, frisa. Em 2017, na mesma data, as tarifas já tinham sido reajustadas de R$ 3,10 para o preço atual. Em 2016, a passagem que custava R$ 2,70 passou para R$ 2,90. “Ou seja, o histórico mostra aumentos anuais. E isso tem motivo: o contrato de concessão das empresas com o município, de acordo com a prefeitura, prevê a necessidade de reajustes anuais para a recomposição inflacionária, baseados nos custos administrativos, pessoal, combustíveis e Índice Geral de Preços ao Consumidor [IGPM]”. Assunção questiona que “o empenho da prefeitura em cumprir com os reajustes anuais não é visto para cobrar qualidade das frotas de ônibus”. Duas empresas prestam serviço ao município, a ‘Brasileiro’ e a ‘Viação Cidade de Porto Seguro’. Essa última foi suspeita de envolvimento em fraudes de licitação, em 2011. A empresa venceu uma licitação em 2011, obtendo um prazo de concessão de 20 anos, com faturamento previsto estimado em R$ 230,5 milhões. “Imagine se não existisse o transporte alternativo? Quero destacar a luta da Cooperativa de Transporte Alternativo Urbano e Intermunicipal de Porto Seguro, que faz um trabalho importante para a segurança e transporte na cidade”.

Comentários