8 de agosto de 2018, 16:43

INTERIOR DA BAHIAIrecê: Prefeitura entra em guerra com universitários que moram em Salvador

Foto: Divulgação

Nova residência não agradou os cerca de 30 estudantes da que vivem na capital baiana

Depois de uma longa e cansativa batalha com os professores, que lutam sem sucesso pelo reajuste repassado pelo Governo Federal desde janeiro, a Prefeitura de Irecê compra mais uma briga. Dessa vez com os estudantes universitários que residem em Salvador. Alegando corte de despesas, o prefeito Elmo Vaz alugou outra casa, mas que não agradou em nada os cerca de 30 estudantes da que vivem na capital baiana. “A Prefeitura gastava cerca de R$30 mil por mês com a antiga casa, incluindo despesas de aluguel, IPTU, energia e água. Agora, com esse novo espaço, conseguimos reduzir esse valor para cerca de R$13 mil mensais”, justificou o prefeito em sua página no Facebook. Depois da publicação da Prefeitura, os estudantes invadiram a página oficial do município questionando a decisão. ”Como deturpante é economizar na educação. Se retirar investimento de crianças, jovens e adultos, é usurpar o direitos de quem se dedica anos, sacrifica laços familiares e pessoais para se tornarem qualificados e se dedicarem aos outros milhares de habitantes que não estiveram essa mesma oportunidade. Economizar é cortar gasto público, como dos excelentíssimos senhores prefeito e vice-prefeito, que ambos gastam R$ 37.500 base, de acordo com o TCM (Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia)”, desabafou um dos moradores da casa atual. O ex assessor de Comunicação do atual prefeito Elmo Vaz, Guel Dourado, também deixou um comentário criticando a atitude do gestor. “Quando se elege alguém o pensamento é a melhoria de todos os serviços e da qualidade de vida da população. Se estes estudantes estão tão indignados com esta mudança, fica claro que o poder público não está acertando nesta atitude. É muito fácil economizar trocando carne por ovos, é preciso dialogar antes de tomar atitudes. Outros serviços estão passando por questões delicadas, é necessário rever algumas ações antes de dar o tiro no próprio pé”, destacou Guel Dourado, que foi um dos principais apoiadores do atual gestor nas eleições.

Comentários