12 de janeiro de 2018, 19:15

ECONOMIAVolume de serviços na Bahia registra queda de 6,4% em novembro de 2017

De acordo com os resultados da Pesquisa Mensal de Serviços, analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia, o volume de serviços marcou, em novembro de 2017, os seguintes resultados: na comparação com outubro de 2017, caiu 2,9%, com ajuste sazonal; na comparação com novembro de 2016, decresceu 6,4%; o indicador acumulado no ano retraiu 4,7%; o indicador acumulado em 12 meses caiu 5,0%. Na mesma pesquisa, a receita nominal de serviços apontou, em novembro de 2017, os seguintes resultados: na comparação com outubro de 2017, retraiu 3,5%, com ajuste sazonal; na comparação com novembro de 2016, caiu 2,4%; o indicador acumulado no ano expandiu 0,2%; o indicador acumulado em 12 meses recuou 0,3%. O volume de serviços retraiu 6,4% em relação ao mesmo mês do ano de 2016. Das cinco atividades, quatro puxaram o volume de serviços para baixo, com destaque, por ordem de magnitude, às atividades de Serviços profissionais, administrativos e complementares (-33,7%), Serviços de informação e comunicação (-7,6%), Serviços prestados às famílias (-6,4%), e Outros serviços (-1,0%). Por outro lado, apenas a atividade de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (17,5%), contribuiu positivamente no resultado do volume. O volume de serviços teve redução de 4,7% no acumulado do ano de 2017 em relação ao mesmo período de 2016. Nesta análise, quatro atividades retraíram, com destaque para Serviços profissionais, administrativos e complementares (-19,2%) que apresentou a maior queda; seguido pelas atividades de Outros serviços (-7,7 %); Serviços de informação e comunicação (-4,5%); e Serviços prestados às famílias (-2,2%). Apenas, Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio marcou expansão (4,6%). O volume no acumulado dos últimos 12 meses revelou retração de 5,0% em relação ao mesmo período do ano anterior. Por ordem de magnitude, a atividade de Serviços profissionais, administrativos e complementares (-18,1%) apontou a retração mais acentuada; seguida pelas atividades de Outros serviços (-7,9%); Serviços de informação e comunicação (-4,4%), e Serviços prestados às famílias (-2,1%). Apenas, a atividade de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio marcou expansão (2,9%).

Comentários