8 de novembro de 2017, 16:36

EXCLUSIVAGoverno atribui boato que resultou em invasão em Correntina a “ecochatos”

Foto: Divulgação/Arquivo

Linhas de transmissão destruídas por vândalos que invadiram fazenda produtiva em Correntina

Enquanto alguns deputados federais da base governista preferem tratar a invasão de uma fazenda produtiva da Igarashi, em Correntina, como um “protesto” legítimo de uma população revoltada com a seca dos rios da região, atribuída ao sistema de irrigação da propriedade, o governador Rui Costa (PT) tem dito a assessores que não vai deixar “de barato” os atos de vandalismo que resultaram em prejuízos de mais de R$ 60 milhões e na interrupção da produção local. Ao invés de trabalhadores do Movimento dos Sem Terra, o governo culpa principalmente ambientalistas irresponsáveis, mais conhecidos como “ecochatos”, pela disseminação do boato de que a atividade da fazenda estaria secando o leito dos rios. “A empresa atua de forma legal, com todas as outorgas e licenças concedidas pelo governo”, afirma um membro da equipe do governador. A investigação do caso foi designada diretamente ao secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa.

Comentários