14 de junho de 2017, 20:44

EXCLUSIVADeve ter deixado de acompanhar as atividades da OAB, diz vice-presidente sobre Torreão

A vice-presidente da OAB Bahia, Ana Patrícia Dantas, rebateu a declaração de Humberto Torreão e afirmou que o advogado “deve ter deixado de acompanhar as atividades da OAB da Bahia desde a derrota que sofreu na última eleição da Seccional junto com seu grupo”. Torreão disse recentemente disse que o presidente da OAB-BA, Luiz Viana, fez um discurso “demagógico-populista” numa manifestação de oposição ao governo do presidente Michel Temer (PMDB) na Bahia, que não reflete o pensamento de boa parte do membros da Ordem: “Essas reivindicações populistas já não levam em consideração o sentimento do conjunto dos advogados. Essa partidarização da entidade e consequente subordinação a um partido tem desagregado os advogados”. Torreão apela para que gestão do presidente, “Dr. Luiz Viana “não seja tão subserviente aos ditames do PT”. “Só isso pode explicar comentário tão disparatado e a insistência em factoides que a classe rejeitou enfaticamente nas urnas. As posições que o presidente Luiz Viana levou para a manifestação de domingo, impeachment e diretas já, foram deliberações do Conselho Seccional da OAB-BA, composto por profissionais dos mais diversos matizes políticos, que no último dia 17 de maio decidiram, por 35 votos unânimes, encaminhar ao Conselho Federal o pedido de abertura de um processo de impeachment do presidente Michel Temer. Na oportunidade, os conselheiros baianos decidiram também, por 28 votos a 7, apoiar a realização de eleições diretas para presidente da República, mediante emenda constitucional, após o processo de impeachment. Ressalte-se que como o presidente da OAB só vota em caso de empate, Viana nem votou sobre esses temas, mas respeitou, como sempre, as decisões de seu conselho. Críticas são sempre esperadas numa democracia e são bem vindas para esta gestão da OAB, mas um mínimo de informação e razoabilidade são necessários para se criticar qualquer coisa. E é isso que está faltando neste caso” conclui a nota.

Comentários