13 de maio de 2017, 09:19

EXCLUSIVADEM faz “intervenção branca” em Camaçari por meio do ex-senador Waldeck

Foto: Reprodução

Helder, Neto, Elinaldo e Waldeck: na prática, Camaçari estaria sob nova direção, segundo adversários do grupo

Com medo do efeito da inexperiência administrativa do prefeito Elinaldo Araújo sobre a própria administração e de suas eventuais repercussões políticas e eleitorais para o projeto sucessório do prefeito ACM Neto (DEM) em 2018, o partido resolveu fazer uma intervenção branca em Camaçari por meio de um dos quadros mais respeitados na agremiação na Bahia quando o assunto é gestão. Trata-se do ex-senador Waldeck Ornelas, peça fundamental nos ajustes administrativos implementados até hoje nas duas gestões de Neto. Foi o prefeito de Salvador que deu a palavra final sobre a participação de Waldeck no governo Elinaldo. A idéia é a de que o novato se concentre na parte política de contato com a população e as lideranças do município, deixando o controle administrativo nas mãos de Waldeck, não se sabe ainda por quanto tempo. A preocupação com Camaçari decorre da avaliação que os democratas fazem da importância da cidade para a sucessão estadual, motivo porque o prefeito de Salvador fez um investimento pessoal na eleição na cidade metropolitana. A chegada de Waldeck causou um rebuliço político em Camaçari. Adversários passaram a acusar nas ruas Elinaldo de ter perdido completamente a autonomia para governar a cidade, vendendo a idéia ao eleitorado de que ele se tornou um fantoche que não manda mais em nada. A presença do ex-senador na administração representa ainda um duro golpe na conhecida e polêmica participação do ex-prefeito Helder Almeida no governo. Helder é apontado como uma espécie de “eminência parda” na administração da cidade que supostamente se aproveitava das limitações do prefeito para assumir cada vez mais poder no governo, situação que vinha desagradando há algum tempo o alto comissariado do DEM estadual.

Comentários