5 de novembro de 2008, 20:05

Geddel diz que PMDB baiano vai trabalhar por aliança com Lula, mas admite conversar com Serra e Aécio

O ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional) disse hoje que vai trabalhar para que o PMDB mantenha a aliança com o PT em favor de um candidato único para 2010. Irônico, Geddel admitiu a possibilidade de conversar com integrantes do PSDB, como os governadores José Serra e de Minas Gerais, Aécio Neves, informa a Folha de S. Paulo.

“Sou um político bastante amadurecido para aceitar qualquer tipo de patrulhamento – na hora que tiver de conversar com Serra, vou conversar à luz do dia e às claras”, afirmou Geddel, que se reuniu hoje com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto.

Porém, Geddel afirmou que não foi procurado por líderes tucanos nem conversou com eles por telefone. “É natural que o PSDB faça os investimentos que quiser. A mim não investiram ainda, vai ver estou sem prestígio. Converso com quantos queiram conversar comigo. Mas minha luta [é em favor da manutenção] do PMDB na aliança com o presidente Lula.”

Em seguida, o ministro reiterou que seu esforço é para que PT e PMDB estejam juntos em 2010. “O PMDB da Bahia vai trabalhar pela manutenção da aliança com o presidente Lula. Mas isso não me intimida a conversar com Aécio ou qualquer pessoa”, afirmou Geddel.

Geddel disse que a Bahia será uma espécie de diretório político em favor do candidato apoiado por Lula. “[Estamos] nos colocando à disposição e mostrando que a Bahia será um diretório e de forma muito clara em favor da aliança com o presidente Lula e seu projeto para 2010”, disse ele.

Comentários