26 de maio de 2017, 11:48

BRASIL Absolvição de Cláudia veio do ‘coração generoso’ de Moro, diz procurador da Lava Jato

Foto: Divulgação

Cláudia Cruz e Eduardo Cunha

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Operação Lava Jato, afirmou nesta sexta-feira, 26, que a absolvição da jornalista Cláudia Cruz, mulher do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), veio do ‘coração generoso’ do juiz federal Sérgio Moro. O magistrado livrou Cláudia dos crimes de lavagem de dinheiro e evasão fraudulenta de divisas nesta quinta-feira, 25. “Nós vamos recorrer, nós discordamos (da absolvição). Cremos que isso decorre muito mais do coração generoso do dr Sérgio Moro e na interpretação de um fato envolvendo a esposa de uma pessoa sabidamente ligada à corrupção. Mas uma pessoa como a sra Cláudia Cruz, jornalista com nível cultural que ela tinha e ausente qualquer justificativa para ganhos dessa natureza do seu marido, que nada mais era que um deputado, então, portanto com ganhos limitados, nós entendemos que é injustificável absolvição”, afirmou. A ação penal na qual Cláudia era ré teve origem em contrato de aquisição pela Petrobrás dos direitos de participação na exploração de campo de petróleo na República do Benin, país africano, da Compagnie Beninoise des Hydrocarbures Sarl – CBH. O negócio teria envolvido o pagamento de propina a Cunha de cerca de 1,3 milhão de franços suíços, correspondentes a cerca de US$ 1,5 milhão. Pelo menos US$ 1 milhão teriam abastecido a conta Kopec, de Cláudia, na Suíça. Moro apontou ‘falta de prova suficiente de que (Cláudia) agiu com dolo’ ao manter conta na Suíça com mais de US$ 1 milhão, dinheiro supostamente oriundo de propina recebida pelo marido. Para o juiz, Cláudia ‘foi negligente quanto às fontes de rendimento do marido e quanto aos seus gastos pessoais e da família’.

Estadão

26 de maio de 2017, 11:45

BRASIL Os grandes nomes para eleição indireta são FHC e Tasso, diz Alckmin

Foto: Miguel Pessoa / Estadão

Geraldo Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), defendeu publicamente nesta sexta-feira, 26, os nomes do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), para disputar uma eleição indireta na eventual saída do presidente Michel Temer (PMDB) do poder. O tucano reforçou que, nesse cenário, não é candidato. Ele pretende disputar as eleições gerais no pleito de outubro do ano que vem. A declaração foi dada um dia depois de Alckmin se reunir com Jereissati e com o prefeito João Doria na casa do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). A reunião foi organizada entre as lideranças como parte das viagens de Jereissati para ouvir os caciques do partido e decidir uma posição de permanecer ou desembarcar do governo Temer na semana que vem, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retoma o julgamento da ação que pode cassar o presidente. “Quero antecipar que nesta hipótese eu não sou candidato a nenhuma eleição indireta. Os dois grandes nomes do PSDB são o presidente Fernando Henrique e o Tasso Jereissati”, disse o governador, após cerimônia de abertura de um feirão da Caixa, na capital paulista. Ao Broadcast Político, Alckmin disse que a decisão de não ser candidato em uma eleição indireta é definita e reforçou que este não é o momento para discutir o cenário porque a prioridade é ajudar o País e o governo a manter a agenda de reformas. O ex-presidente FHC já afastou a possibilidade de ser candidato, mas é apoiado por liderenças do partido. Já Jereissati, depois da reunião no aptarmento de FHC, desconversou quando perguntado da disposição em concorrer. “Nem pensei nisso, ninguém pensou nisso”, disse o senador. Perguntado sobre o cenário diante das declarações de FHC e Jereissati, que deixariam apenas o senador como candidato tucano, Alckmin reforçou que nao gostaria de discutir isso neste momento. Além disso, ele defende que o PSDB não decida pelo desembarque do governo sem a garantia que as reformas vão andar no Congresso. “Nós não temos nenhuma decisão de fazer nenhuma medida. Neste momento é apoiar o governo, apoiar o Brasil.”

Agência Brasil

26 de maio de 2017, 11:41

BRASIL Temer se reúne com ministros para discutir plano de segurança para o Rio

O presidente Michel Temer está, neste momento, reunido com os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha; da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco; do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen; além dos ministros Osmar Serraglio, da Justiça; Raul Jungmann da Defesa; e Osmar Terra, do Desenvolvimento Social e Agrário; para discutir, entre outros assuntos, a inclusão do setor de turismo no plano de segurança pública que está sendo elaborado para o Rio de Janeiro. Na reunião, que começou pouco depois das 10h, no Palácio do Planalto, devem ser apresentadas as principais diretrizes do plano. Também deve ser discutida a integração entre órgãos de inteligência, de segurança pública e as Forças Armadas. Para tanto, também participam da reunião no Planalto representantes do Estado Maior das Forças Armadas, da Secretaria Nacional de Segurança Pública, da Agência Brasileira de Inteligência e das polícias Federal e Rodoviária Federal. A decisão de incluir o setor de turismo no plano de segurança ocorreu ontem (25) durante reunião dos ministros Etchegoyen e Raul Jungmann, com representantes de redes hoteleiras e promotoras de eventos da cidade. Preocupados com a escalada de violência na cidade e lembrando da importância do turismo para a economia do Rio, empresários do setor enviaram uma carta ao presidente Michel Temer pedindo ações emergenciais na área de segurança pública, sob o risco de a imagem da cidade se deteriorar, inclusive, no cenário internacional. De acordo com nota divulgada ontem pelo Ministério da Defesa, tanto a Embratur como a Riotur estarão envolvidas no plano, pois, para o turismo prosperar na cidade, é preciso haver “uma ação que permita ao turista circular pela cidade em segurança”.

Pedro Peduzzi, Agência Brasil

26 de maio de 2017, 11:40

EXCLUSIVA Para governistas, substituir Zé Neto não vai melhorar crise na Assembleia

Foto: Divulgação/Arquivo

Para bancada, Zé Neto tem feito o que pode, mas não possui "instrumentos" para impedir a rebelião

Ao avaliar a possibilidade de substituir seu líder na Assembleia Legislativa, Zé Neto (PT), por causa da rebelião silenciosa na base que impede as votações na Casa há mais de 30 dias, o governo busca tratar a doença e não a sua causa, dizem deputados governistas consultados por este Política Livre.

Para eles, Zé Neto está longe de ser o responsável pela crise. “Sem dar as condições (para que o líder trabalhe), não tem porque trocar. Agora se der, aí você pode cobrar do líder, ver se ele é o problema”, diz um deputado da base, avaliando que o petista tem sido vítima “da baixa atuação política” do governo na Casa.

Segundo ele, qualquer um na posição do líder enfrentaria as mesmas dificuldades, uma vez que o problema é o governo entender que os deputados precisam de “carinho”. O parlamentar refere-se principalmente à não liberação dos recursos relativos às emendas impositivas dos deputados, que não saem do papel desde 2015.

Pelos cálculos de um outro deputado, o governo deve cerca de R$ 2,7 milhões a cada deputado em emendas. “É recurso que, injetado nos municípios abatidos pela crise vira uma fortuna. Imagine uma via construída, uma ambulância comprada, qualquer obra é uma dádiva neste momento”, afirma ele.

Um deputado petista como Zé Neto afirma que “com uma crise dessa, se um deputado conseguir colocar um milhão no município, é a única coisa que o prefeito terá”. Para ele, “meu governo” sofre de um problema seríssimo, ao qual dá o nome de a “Síndrome de Paulo Souto em 2006″.

Em sua avaliação, a articulação política do governo Rui Costa passou a fazer uma avaliação, em sua análise equivocada, de que, “realizando um governo bom, os políticos virão por gravidade”. Para ele, o caso Paulo Souto mostra que a articulação de Rui não poderia estar fazendo avaliação mais equivocada do processo.

26 de maio de 2017, 11:35

SALVADOR Passeio do Maio Amarelo deve receber 500 ciclistas neste domingo (28)

Quinhentos ciclistas são esperados no passeio de bike, realizado pela Transalvador, com apoio do Movimento Salvador Vai de Bike (MSVB), como parte das ações do Maio Amarelo. O evento, marcado para este domingo (28), terá um percurso de 8,7 km, com saída da sede da autarquia, nos Barris, com destino ao Farol da Barra e retorno ao meio-dia. O rolé dos pedaleiros ainda será marcado pelo sorteio de uma bike.A ação tem como objetivo sensibilizar os cidadãos soteropolitanos para a luta pela redução de mortes no trânsito. Quem não tem bicicleta não ficará de fora, já que o Salvador Vai de Bike disponibilizará “laranjinhas” gratuitamente. A Associação dos Bicicleteiros do Estado da Bahia (Asbeb) e a empresa Nutricash também são parceiras do evento.Desde o início do mês, a Transalvador realiza uma série de atividades educativas e campanha nas redes sociais para sensibilizar os cidadãos soteropolitanos para a luta pela redução de mortes no trânsito. O ‘Maio Amarelo’ coloca em pauta o tema segurança viária e mobiliza os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para promover ações que reduzam a violência no trânsito.

26 de maio de 2017, 11:25

ECONOMIA Setor público tem superávit primário de R$ 12,908 bilhões em abril, diz BC

O setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção da Petrobras e Eletrobras) apresentou superávit primário de R$ 12,908 bilhões em abril, informou nesta sexta-feira, 26, o Banco Central. Em março, havia sido registrado déficit de R$ 11,047 bilhões e, em abril de 2016 um superávit de R$ 10,182 bilhões. O resultado primário consolidado do mês passado ficou dentro das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de superávit de R$ 11,3 bilhões a superávit de R$ 14,5 bilhões. A mediana estava positiva em R$ 13 000 bilhões. O superávit primário de R$ 12,908 bilhões em abril é o melhor resultado para o mês desde 2015. A série histórica foi iniciada em dezembro de 2001. O resultado fiscal de abril foi composto por um superávit de R$ 11,451 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado positivamente com R$ 867 milhões no mês. Enquanto os Estados registraram superávit de R$ 828 milhões os municípios tiveram resultado positivo de R$ 39 milhões. Já as empresas estatais registraram superávit primário de R$ 590 milhões. O déficit primário do setor público consolidado considerado pelo Banco Central é de R$ 143,1 bilhões para 2017, parâmetro que consta na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Essa projeção leva em conta um rombo de R$ 139,0 bilhões para o Governo Central em 2017.

Estadão Conteúdo

26 de maio de 2017, 11:06

BRASIL Ex-gerente da Petrobras e ex-banqueiro são presos na Lava Jato

Foto: Tânia Rego/ABr

A força-tarefa da Operação Lava Jato, no Rio de Janeiro, prendeu na manhã de hoje (26) um ex-gerente da Petrobras e um ex-banqueiro, na 41ª fase da operação. Os dois são suspeitos de corrupção na compra de um campo seco de petróleo em Benin, na África, e teriam recebido S$ 5,5 milhões de em propina. O dinheiro foi pago pela empresa Companie Beninoise des Hydrocarbures SARL (CBH), que vendeu o campo à estatal brasileira.Policiais federais cumprem no Rio de Janeiro mandados na zona sul e na zona oeste da capital. Além de um mandado de prisão temporária contra o ex-banqueiro e outro, de prisão preventiva, contra o ex-gerente da Petrobras, os agentes também fazem buscas em cinco endereços. Três pessoas já foram conduzidas coercitivamente para depor. Dois mandados de busca estão sendo cumpridos em São Paulo e um em Brasília.Entre outros crimes, os suspeitos podem responder por corrupção, fraude em licitações, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O ex-gerente, o ex- banqueiro e outras cinco pessoas, relacionadas a cinco contas mantidas na Suíça e nos Estados Unidos, são suspeitos de terem recebido pagamentos ilícitos, entre 2011 e 2014, que totalizaram mais de U$ 7 milhões.Segundo o Ministério Público Federal, os pagamentos de propina que garantiram a venda do campo sem petróleo à Petrobras foram intermediados pelo lobista João Augusto Rezende Henriques, operador do PMDB no esquema que causou prejuízos à estatal. O lobista está preso desde setembro de 2015, no âmbito da Operação Lava Jato, e cumpre pena de sete anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, em decorrência dos mesmos fatos, mas em outro processo.No mesmo processo que sentenciou o lobista, foram condenados também o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha e o ex-diretor da Petrobras Jorge Luiz Zelada.Os fatos começaram a ser investigados em agosto de 2015, a partir da cooperação internacional com o Ministério Público da Suíça. Segundo o MPF, os documentos enviados pelo país europeu comprovaram o pagamento de subornos de cerca de R$ 36 milhões, para concretizar a aquisição, pela Petrobras, do campo de petróleo em Benin, por U$ 34,5 milhões.

Agência Brasil

26 de maio de 2017, 10:59

BAHIA Rui entrega rodovia BA-884 restaurada no trecho entre Nilo Peçanha e Cairu

A restauração da pavimentação de 22 quilômetros da rodovia BA-884, no trecho entre Nilo Peçanha e Cairu, no baixo sul baiano, será inaugurada pelo governador Rui Costa neste sábado (27), às 10h, na sede do município de Cairu. A obra envolveu recursos da ordem de R$ 8,5 milhões, e vai beneficiar os 120 mil moradores dos municípios de Nilo Peçanha, Cairu, Camamu e Ituberá.

26 de maio de 2017, 10:43

SALVADOR Prefeitura lança programa Salvador 360 nesta segunda-feira (29)

Na contramão da crise econômica que atinge o Brasil nos últimos anos, Salvador dará um grande “olhar de 360 graus” para a promoção do desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda nas diversas esferas e em variados pontos da cidade, com investimento previsto de R$3 bilhões, entre operações de créditos nacionais e internacionais, recursos próprios e transferências da União. Este é o propósito do programa Salvador 360, que será lançado pelo prefeito ACM Neto e pelo titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), Guilherme Bellintani, nesta segunda-feira (29), às 9h, no Sheraton da Bahia Hotel, no Campo Grande. O Salvador 360 reúne as diversas iniciativas promovidas pelos órgãos municipais com foco na geração de emprego e renda e atração e promoção de empreendimentos. A meta é impulsionar o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da primeira capital do Brasil. Para isso, o programa terá oito eixos de atuação. O primeiro será o Salvador 360 Simplifica, que tem como objetivo reestruturar o modelo atual de licenciamento e abertura de empresas, obras e publicidade, promovendo facilidades no atendimento aos cidadãos. Serão cerca de 60 iniciativas anti-burocracia, que vão reduzir em muito o tempo de abertura de imprensas na cidade, por exemplo, bem como a liberação de documentos de órgãos como a própria Sedur e a Transalvador. O Salvador 360 Simplifica será detalhado na próxima segunda-feira pelo prefeito ACM Neto, que também vai explicar como irão funcionar os demais eixos do programa: Salvador 360 Negócios (atração e potencialização de empreendimentos), Salvador 360 Centro Histórico (resgate do potencial econômico da região), Salvador 360 Investe (investimentos municipais realizados em outras áreas da cidade), Salvador 360 Cidade Inteligente (estímulo ao uso da tecnologia), Salvador 360 Cidade Criativa (estímulo à economia criativa), Salvador 360 Cidade Sustentável (ações de sustentabilidade e resiliência) e Salvador 360 Inclusão Econômica (atenção à economia informal).

26 de maio de 2017, 10:33

BAHIA Em Brasília, temos muitos paladinos da moralidade, ironiza Lúcio

Foto: Divulgação

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) defendeu na manhã desta sexta-feira, 26, “o benefício da dúvida e o amplo direito de defesa” ao comentar a situação do seu correligionário, o presidente Michel Temer (PMDB). O presidente da comissão de Reforma Política no Congresso, Lúcio afirmou que Temer não pode ser condenado antes do esclarecimento dos fatos. “Houve a gravação [de Joesley Batista, da JBS] e está no Supremo com inquérito. Aqui no Brasil tem a coisa de que com inquérito a pessoa já está condenada e não é nada disso. Em Brasília, temos muito paladinos da moralidade, temos que aguardar a parte jurídica”, afirmou. O parlamentar aproveitou para destacar contas “positivas” do governo. “Eu lamento porque o Brasil estava voltando a crescer. Nós tínhamos sinal positivo da economia, ontem as contas do governo deram sinal positivo. Acabou aquela farra de gastação que havia no governo. O momento agora é para voltar a trabalhar”, disse. O deputado disse acreditar ainda no fim da crise com o avanço das reformas. “O Temer sempre diz que seu governo é um governo congressual. O Congresso está andando numa normalidade. A tendência é sair dessa crise avançando nas reformas”, concluiu.

26 de maio de 2017, 10:27

SALVADOR Câmara aprova projetos da vereadora Lorena Brandão

Vereadora Lorena Brandão (PSC)

A vereadora Lorena Brandão (PSC) teve dois projetos aprovados na última quarta-feira (24) no Plenário Cosme de Farias, em sessão solene na Câmara Municipal de Salvador (CMS). Além disso, uma sessão especial pedida pela socialista cristã para homenagear as vítimas do Holocausto também foi deferida pela Casa. Entre as preposições, a alternância de denominação e qualificação para a utilização de nomes femininos nas ruas, praças, prédios e logradouros públicos em geral no município e a indicação para que a Procuradoria Geral de Justiça do Estado da Bahia promova todos os esforços e as ações judiciais e extrajudiciais para bloquear a página Baleia Azul e similares das redes sociais, impedindo totalmente as mesmas e responsabilizar seus autores pelos ilícitos praticados tiveram aprovação da CMS. “Precisamente nessas duas idealizações nossas, enfatizamos a valorização das mulheres que marcaram suas gerações e o cuidado com nossas crianças e adolescentes. Isso tudo tem a ver com educação, que é a nossa maior bandeira, mas procuramos sempre olhar as necessidades de todos os setores da nossa capital. Na questão dos nomes femininos em logradouros públicos, precisamos homenagear também nossas guerreiras, que às vezes não tem nem a história conhecida. Trazer essa igualdade é também ressaltar na população o respeito para a mulher. Já sobre o Baleia Azul, não podemos mais permitir que esse jogo tire vidas inocentes. Vamos buscar todas as maneiras para excluir esse jogo das redes sociais e fazer com que os responsáveis sejam punidos pelos atos”, disse Lorena.

26 de maio de 2017, 10:24

BAHIA Greve dos vigilantes de bancos compromete serviços

Foto: Reprodução

A greve dos vigilantes que já duram três dias têm causado transtorno aos clientes de bancos e pacientes do INSS. Agências do Banco do Brasil, Bradesco e Caixa Econômica Federal estão fechadas em shoppings e alguns pontos da cidade, a exemplo do Centro Histórico e Avenida Sete. Apenas os caixas de auto-atendimento estão funcionando normalmente. A greve já tem adesão de cidades por toda a Bahia, causou a suspensão das perícias do INSS ontem (25). De acordo com um comunicado em uma das agências do instituto em Brotas, as perícias serão remarcadas por meio do telefone 135. O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM) também suspendeu as atividades.Cerca de 32 mil vigilantes atuam em todo o Estado da Bahia. Deflagrada na última quarta-feira, por tempo indeterminado, a paralisação reivindica reajuste salarial de 7%, ticket refeição de R$ 20, cotas para as mulheres de 30% por posto de trabalho e piso salarial de R$1500. De acordo com lei Federal 7.102/1983, é vedado o funcionamento de qualquer estabelecimento financeiro onde haja guarda de valores ou movimentação de numerário, que não possua sistema de segurança. Segundo o presidente do Sindicato dos Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância do Estado da Bahia (Sindivigilantes), José Boaventura, a categoria está aberta a negociações, desde que beneficiem a classe.
“Os patrões do setor de segurança e vigilância ofereceram 1% de reajuste e permissão para fazermos horas extras em dias de folgas. Essa proposta é indecente, não tem nem o que se discutir”, afirmou. Os grevistas vão se reunir nesta sexta-feira, às 9h, na superintendência do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) para definir o impasse.
A funcionária pública Sara Menezes, que foi a agência da Caixa Econômica do Centro Histórico para pagar as contas, reclamou da paralisação. “Não consegui atendimento, não dá para fazê-lo nos caixas eletrônicos. É um absurdo essa greve que indiretamente afeta a economia do país”, disse. Já metalúrgica Laura Ferreira Nascimento apoiou a paralisação. “Os bancos não devem funcionar sem segurança, se com segurança é um assalto atrás do outro, imagine como será sem. É até bom para preservar nossa integridade física, só lamento o atraso nos pagamentos”, disse.

Tribuna da Bahia

26 de maio de 2017, 10:06

EXCLUSIVA Presidente da Fieb deixa entidade ser entubada no Dia da Indústria

Foto: Valter Pontes

Cresceu na Fieb (Federação das Indústrias da Bahia) o sentimento de indignação contra o presidente Ricardo Alban

Cresceu na Fieb (Federação das Indústrias da Bahia) o sentimento de indignação contra o presidente Ricardo Alban devido à sua postura durante a solenidade de comemoração do Dia da Indústria, ontem. Esperava-se mais ênfase, em seu discurso, na defesa das reformas trabalhista e previdenciária, as quais passaram a perigar imensamente com a crise e o processo de fragilização do presidente Michel Temer (PMDB). As críticas contra Alban ocorrem especialmente por causa do show que figuras como o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner (PT), deram na festa, onde roubou a cena ao criticar, na casa dos empresários, as medidas que o segmento considera fundamentais para tirar o país do buraco. Colegas de diretoria de Alban alegam que ele deixou a entidade ser simplesmente entubada pelo ex-governador.

26 de maio de 2017, 10:05

BRASIL Em ofensiva para segurar governo, Temer reúne-se com Maia, Imbassahy e Maranhão

Foto: Divulgação

Presidente Michel Temer (PMDB)

O presidente Michel Temer (PMDB) reúne-se na manhã desta sexta-feira, 26, no Palácio do Jaburu com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro da Secretaria da Governo, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), e o senador José Maranhão (PMDB-PB). O encontro, que está fora da agenda oficial, faz parte da ofensiva de Temer de segurar a governabilidade e manter a base aliada em meio às ameaças de perda do mandato, que agora partem especialmente do Judiciário, com a proximidade do julgamento pelo Tribunal Superior Eleitora (TSE) da chapa em que concorreu à Presidência da República junto com Dilma Rousseff em 2014. Ao mesmo tempo em que o presidente tenta encaminhar os projetos do governo no Congresso, ele tem mantido conversas constantes com sua equipe de assessores jurídicos sobre o andamento de sua defesa no TSE. O início do julgamento no TSE está previsto para dia 6 de junho. O julgamento na corte eleitoral é visto por partidos da base como um marco que vai definir a permanência ou não do peemedebista no Planalto. O próprio PSDB aguarda seu resultado para tomar uma decisão sobre uma eventual saída do governo, segundo o presidente da sigla, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Como informou o Estado, ministros do TSE, ouvidos reservadamente, consideram que a governabilidade de Temer será levada em conta no tribunal. Auxiliares do presidente disseram que já o avisaram da realização da Operação Poço Seco, a 41ª fase da Lava Jato, deflagrada nesta manhã para investigar atividades financeiras da Petrobras na África.

Estadão

26 de maio de 2017, 09:53

BRASIL Poço Seco mira Fernanda Luz, ligada ao lobista Jorge Luz que atuava na Petrobras

No âmbito da Operação Poço Seco, deflagrada na manhã desta sexta-feira, 26, pela Polícia Federal, Fernanda Luz, ligada ao Lobista Jorge Luz, foi alvo de condução coercitiva. Jorge Luz e Bruno Luz, pai e filho, estão presos preventivamente desde o dia 25 de fevereiro, por corrupção e lavagem de dinheiro. A ação – 41ª fase da Operação Lava Jato – tem como alvo principal a investigação de complexas operações financeiras realizadas a partir da aquisição pela Petrobras de direitos de exploração de petróleo em Benin, na África, com o objetivo de disponibilizar recursos para o pagamento de vantagens indevidas ao ex-gerente da área de negócios internacionais da empresa. Agentes da PF cumprem mandados no Distrito Federal e nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

Estadão Conteúdo