22 de setembro de 2017, 08:18

SALVADOR Saúde promove I Simpósio de prevenção de suicídio

Acontece nesta sexta-feira (22), das 08 às 12 horas, no Complexo Municipal Clementino Fraga (antigo 5º Centro de Saúde, nos Barris, o primeiro Simpósio “O suicídio na linha da vida”. Em alusão ao Setembro Amarele, mês sensibilização do prevenção e posvenção do suicídio, o evento atualizará os profissionais da rede municipal da Saúde de Salvador para identificação precoce, acolhimento ou socorro de indivíduos com sinais de sofrimento. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o suicídio é um grave problema de saúde pública, que leva a óbito mais de 800 mil pessoas todos os anos, sendo a segunda causa de morte entre jovens. O Brasil ocupa a oitava posição mundial em números absolutos do suicídio, segundo o relatório da OMS, ainda que sua taxa de suicídio seja de apenas seis casos a cada 100 mil habitantes, muito abaixo da Guiana que possui uma taxa de 44 suicídio para cada 100 mil habitantes.

22 de setembro de 2017, 07:59

SALVADOR Detran promove gincanas de trânsito em escolas públicas

Composição de músicas, jogos e desenhos sobre como ser um motorista responsável foram algumas das provas da gincana do Colégio Estadual Rotary, na quinta-feira (21), no bairro de Itapuã, em Salvador. O evento, promovido pelo Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA), em parceria com Instituto Miguel Calmon (IMIC), celebrou a Semana Nacional de Trânsito. Cerca de 200 alunos do ensino médio, com idades entre 14 e 17 anos, participaram das atividades. A estudante Jaqueline Moraes, 16 anos, se mostrou motivada. “Amei executar as tarefas porque consegui aprender brincando sobre como me comportar com responsabilidade no trânsito”. O vice-diretor do colégio, Fernando Borges Leal, ressaltou a importância da iniciativa do Detran. “Não temos como desvincular o tema trânsito do nosso cotidiano. Por isso, acho essencial essa temática estar presente no ambiente escolar”. Nesta sexta-feira (22), a gincana será realizada na Escola Georgina Ramos da Silva, na Boca do Rio. “Enxergamos esse tipo de atividade como uma excelente estratégia de aprendizado para os adolescentes, que, de forma lúdica, promove a criação de uma consciência preventiva para a redução de acidentes”, destacou o diretor de Educação para o Trânsito do Detran, Carlos Moura.

22 de setembro de 2017, 07:46

MUNDO Maduro diz que não foi à ONU por temer ser vítima de atentado

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nessa quinta-feira (21) que não compareceu à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que está sendo realizada em Nova York, por razões de segurança, devido à suspeita de atentados. A informação é da Agência EFE.”Neste ano, decidi não ir às Nações Unidas por razões de segurança, porque tinha informação de possíveis atentados de setores extremistas que têm o poder nos Estados Unidos [EUA]“, disse Maduro durante a reinauguração de um hotel no estado de Aragua.O presidente venezuelano disse que “precisa se cuidar”, mas não fez mais comentários sobre as ameaças à sua segurança.Maduro lembrou que 91% dos discursos da Assembleia-Geral da ONU foram favoráveis à paz no país, um objetivo que estará sendo alcançado, segundo ele, com o acordo com a oposição.Ontem, em discurso na ONU, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que a Venezuela está à beira do “colapso total” e disse estar pronto para adotar novas medidas contra o país se Maduro insistir em impor um regime autoritário.Para o presidente venezuelano, as declarações de Trump representam uma ameaça de morte contra a sua pessoa.”A ameaça que Donald Trump fez ontem e hoje, se eu a interpretei corretamente, vou repassá-la ao povo: Donald Trump hoje ameaçou de morte o presidente da República Bolivariana da Venezuela”, disse Maduro em discurso em rede nacional de rádio e televisão.O presidente da Venezuela insistiu no assunto, garantindo que ontem foi dada, no Salão Oval da Casa Branca, a ordem para matá-lo. E responsabilizou por isso o presidente do Parlamento do país, Julio Borges, a quem acusa de buscar ajuda internacional para acabar com seu mandato.

Agência Brasil

22 de setembro de 2017, 07:46

BRASIL Presidente da Câmara está ‘mal informado’, diz Jucá

Foto: Estadão

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR)

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse nesta quinta-feira, 21, que o PMDB não tem assediado outros parlamentares e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está “mal informado”. Segundo Jucá, o partido – ou o MDB, nome da sigla a partir de 4 de outubro – é que está sendo procurado porque é “uma marca muito forte”. “Não estamos assediando ninguém, ao contrário. Mas a marca MDB, toda a sua história, todo o trabalho que estamos fazendo de fortalecimento, reconstrução do partido, com muitos companheiros, é uma marca muito forte que atrai muita gente”, disse o senador em entrevista à TV Estadão. “O Rodrigo Maia está mal informado.” Para Jucá, que é presidente do PMDB, “com o o fim das coligações se consumando”, deputados de partidos pequenos devem buscar abrigo em legendas maiores. “Vão procurar outros partidos, o PSDB, o PSB…” O plenário da Câmara adiou de 2018 para 2020 a entrada em vigor do fim das coligações para as eleições de deputados e vereadores. O texto inicial, relatado pela deputada Shéridan (PSDB-RR), previa a medida já para as próximas eleições. Os deputados, no entanto, fizeram um acordo e aprovaram um destaque do PPS para que a medida comece a valer depois. Jucá também comentou a tramitação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara após a decisão do Supremo Tribunal Federal, que negou o pedido da defesa de suspensão da acusação formal. De acordo com o senador, Temer e a coordenação política do governo têm consciência “da inépcia da denúncia”.

Estadão

22 de setembro de 2017, 07:30

BAHIA Rui visita Itacaré e Ubatã e autoriza construção do Centro de Canoagem e novos convênios

Em viagem a Itacaré, no sul da Bahia, o governador Rui Costa autoriza, neste sábado (23), às 9h, a construção do Centro de Treinamento para Canoagem, investimento de R$ 1 milhão, que irá impulsionar o desenvolvimento do esporte na região. Durante a solenidade, que ocorre na Praça da Bandeira, Rui também autoriza a Secretaria de Desenvolvimento Rural a celebrar convênio no âmbito do Programa Bahia Produtiva; assina Ordem de Serviço para a construção do novo Colégio Estadual; autoriza a SDR a iniciar as obras de reforma da cobertura do Centro de Abastecimento Municipal.

22 de setembro de 2017, 07:27

BRASIL PF vê ‘conluio, ajuste e combinação’ de Joesley e Wesley

Foto: Divulgação

Os empresários Joesley e Wesley Batista

A Polícia Federal cravou no relatório de indiciamento criminal dos empresários Joesley e Wesley Batista – delatores da JBS – que eles realizaram operações no mercado de ações mediante ‘conluio, ajuste e combinação’ para alcançar lucros extraordinários. Joesley e Wesley foram enquadrados criminalmente por uso indevido de informações privilegiadas e manipulação de mercado. Os irmãos estão presos na PF em São Paulo desde a semana passada. As operações ilícitas atribuídas aos irmãos JBS ocorreram, segundo os investigadores, por meio do uso de informações que ambos detinham sobre o acordo de delação que eles próprios firmaram com a Procuradoria-Geral da República. A delação JBS mergulhou o governo Michel Temer na grande crise política e embasou as flechadas do procurador Rodrigo Janot contra o presidente – duas denúncias criminais, a primeira por corrupção passiva, já barrada pela Câmara, a segunda por organização criminosa e obstrução de Justiça, que o Supremo Tribunal Federal, por 10 votos a 1, decidiu enviar para apreciação dos deputados. Quando vieram a público os detalhes da colaboração premiada de Joesley, Wesley e outros executivos do Grupo J&F, os irmãos entraram em cena no mercado de ações, dizem os investigadores. Leia mais no Estadão.

Estadão

22 de setembro de 2017, 07:26

BRASIL Braço direito de Janot pode ser investigado, diz procurador

Foto: Reprodução

A Procuradoria-Geral da República deve investigar Eduardo Pelella, ex-chefe de gabinete de Rodrigo Janot. A informação é da Folha de S. Paulo, que presenciou conversa entre o procurador Sidney Pessoa Madruga e uma mulher não identificada por mais de uma hora nesta quinta-feira (21) no restaurante Taypá, no Lago Sul, em Brasília. A reportagem estava na mesa ao lado da de Madruga. Dodge tomou posse na segunda (18) em substituição a Janot. Ambos são adversários dentro da Procuradoria. Madruga foi escolhido por Dodge para ser coordenador do Genafe (Grupo Executivo Nacional da Função Eleitoral). No almoço desta quinta, Madruga se referia à atuação de Pelella, braço direito de Janot na Procuradoria, na negociação da delação da JBS. Procurador da República, Pelella é mencionado em diálogos de delatores da JBS como um interlocutor da PGR. Ele teve reunião com um deles, o advogado Francisco Assis e Silva, dias antes do encontro, em 7 de março, entre Joesley Batista e o presidente Michel Temer no Jaburu. Janot e seu ex-assessor negam qualquer irregularidade. “Não é para punir, é pra esclarecer”, disse Madruga. O procurador afirmou que é preciso entender “qual é o papel do Pelella nessa história toda, porque está todo mundo perguntando”.A conversa entre Madruga e sua interlocutora começou por volta das 13h30 e se estendeu até 15h. Foram servidos uma entrada, prato principal, água e uma garrafa de vinho tinto.A Folha ouviu Madruga afirmar que a nova gestão da PGR precisa construir outra relação com a força-tarefa dos procuradores da Lava Jato em Curitiba, com mais interlocução e controle do que a anterior. Ele chegou a criticar Janot por, em sua avaliação, deixar a força-tarefa muito solta. Na conversa, Madruga questionou o papel de Pelella, que na função de chefe de gabinete, teria trabalhado intensamente nas investigações e acordos da Lava Jato. A frase foi dita no momento em que os dois presentes à mesa abordavam a atuação do ex-procurador Marcello Miller no caso da JBS.

22 de setembro de 2017, 07:15

BRASIL Temer tenta evitar rebelião na base após ataque de Maia

Foto: Estadão

Rodrigo Maia (DEM) e o presidente Michel Temer (PMDB)

Após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acusar o PMDB e o governo de dar uma “facada nas costas” do DEM, o presidente Michel Temer assumiu nesta quinta-feira, 21, mesmo a articulação para tentar contornar a insatisfação na base. Horas depois de chegar de Nova York, onde participou da Assembleia-Geral da ONU, Temer reuniu auxiliares e disse que marcaria uma conversa com Maia para resolver o problema e conter a rebelião. As declarações do presidente da Câmara foram feitas no momento em que Temer precisa de apoio parlamentar para barrar a segunda denúncia contra ele no plenário. Nesta quinta-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 10 votos a 1, que a acusação apresentada pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o presidente, por organização criminosa e obstrução da Justiça, deve ser encaminhada aos parlamentares e entregou à Câmara a acusação. O desabafo de Maia foi feito após o assédio do PMDB a parlamentares do PSB que estavam prestes a ingressar no DEM. O partido de Temer conseguiu, recentemente, filiar o senador Fernando Bezerra Coelho (ex-PSB-PE). Pelo menos outros seis deputados do PSB, que estavam em negociação com o DEM, foram procurados pela cúpula peemedebista, enfurecendo Maia. Leia mais no Estadão.

Estadão

22 de setembro de 2017, 07:13

BAHIA Dia mundial sem carro: 200 mil baianos preferem utilizar o metrô todos os dias

Em Salvador, quase 800 mil pessoas estão habilitadas a dirigir uma frota de quase um milhão de veículos, segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Com a chegada do metrô até a estação de Mussurunga, cerca de 200 mil baianos deixam de usar carro ou pegar ônibus todos os dias, de acordo com a CCR Metrô Bahia. No Dia mundial sem carro, comemorado nesta sexta (22), as pessoas são convocadas a utilizar esse sistema. O investimento de R$ 8 bilhões do Governo do Estado no Programa Mobilidade Salvador está sendo feito para que, na capital baiana, todo dia seja um dia mundial sem carro.Com a implantação do metrô, que possui 19 estações em operação, além dos terminais para integração de ônibus urbanos e intermunicipais, muita gente já está deixando o carro em casa. O promotor de vendas Brás Hipólito é uma delas. “Facilita bastante, economizo tempo, gasolina e chego sempre no horário marcado”.Agente de portaria, Valdinei Brito passeia com a família de metrô. “É mais cômodo, mais prático, mais rápido. E a gente tem que aproveitar porque é uma coisa nossa. Deixo o carro em casa e vou com a mulher e os filhos na Lapa. Gostei muito”. A recepcionista Rita Vieira tinha carona certa para a rodoviária. Preferiu o metrô. “Moro em Stella Maris, pedi que me deixassem aqui. É mais prático, mais rápido e mais confortável”.

22 de setembro de 2017, 07:11

BRASIL Cedraz nega relação com a Brasil Trade

A “Brasil Trade”, sociedade capitaneada pelos lobistas Jorge Luz e Bruno Luz – pai e filho presos na Operação Lava Jato – foi objeto de questionamentos da Polícia Federal ao advogado Tiago Cedraz. O filho do ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União (TC), e a Brasil Trade são alvos da Operação Abate II, desdobramento 45 da Lava Jato. O advogado afirmou que ‘foi copiado em alguns e-mails relativos a negócios do Brasil Trade apesar de nunca ter feito parte’. Tiago Cedraz prestou depoimento em 23 de agosto. As declarações foram tornadas públicas nesta quinta-feira, 21. A Abate II apreendeu um documento com “diretrizes” para criação de uma empresa, denominada Brasil Trade, que pode ser a formatação de uma sociedade entre corruptos, corruptores e operadores de propinas, responsáveis por desvios em contratos com a Petrobrás, que beneficiaria PT e PMDB: 40% para os partidos. De acordo com os investigadores, Tiago e Sérgio fariam parte da sociedade. Cedraz relatou à PF que ‘em um dado momento Sérgio abordou o declarante sobre a possibilidade de outra parceria com Jorge, desta feita não de captação para serviços jurídicos e sim uma parceria comercial’. “Sérgio dizia que seu network associado ao de Jorge abriria muitas possibilidades de negócios de compra e venda de produtos de toda sorte (de minério de ferro a casas de praia). Então o declarante manifestou a Sérgio sua falta de interesse em assuntos não jurídicos os quais não tinha conhecimento que o habilitasse a conduzir com segurança o negócio”, afirmou o filho do ministro do TCU. Leia mais no Estadão.

Estadão

22 de setembro de 2017, 07:04

BRASIL Presidente da CCJ nega pressão por relatoria

Foto: Divulgação

O deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), presidente da CCJ da Câmara

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Rodrigo Pacheco (PMDB-RJ), deve anunciar na próxima terça-feira, 26, o nome do deputado indicado para relatar a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, por organização criminosa e obstrução da Justiça. Diferentemente da primeira, barrada pelo plenário da Câmara, Pacheco disse que agora não vem sofrendo pressões, seja do governo, seja da oposição, para a indicação do nome. “Pressão nenhuma. Está bem mais ameno”, disse o peemedebista. Como na primeira denúncia, Pacheco deve indicar para a relatoria do caso um parlamentar que seja advogado e repete o discurso de que escolherá um técnico, com “autoridade para exercer esse papel”. O vice-líder do governo na Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP), vai preparar uma lista de parlamentares “isentos” para oferecer como sugestão de relator a Pacheco. Mansur vai relacionar nomes dos deputados que não votaram na sessão que derrubou a primeira denúncia, tanto na CCJ como no plenário. Embora o governo avalie que o clima da votação agora é mais favorável, o vice-líder disse ser importante indicar um relator cujo posicionamento político sobre as investigações contra Temer seja desconhecido. “Pressão nenhuma. Está bem mais ameno”, disse o peemedebista. Como na primeira denúncia, Pacheco deve indicar para a relatoria do caso um parlamentar que seja advogado e repete o discurso de que escolherá um técnico, com “autoridade para exercer esse papel”. O vice-líder do governo na Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP), vai preparar uma lista de parlamentares “isentos” para oferecer como sugestão de relator a Pacheco. Mansur vai relacionar nomes dos deputados que não votaram na sessão que derrubou a primeira denúncia, tanto na CCJ como no plenário. Embora o governo avalie que o clima da votação agora é mais favorável, o vice-líder disse ser importante indicar um relator cujo posicionamento político sobre as investigações contra Temer seja desconhecido.

Estadão

22 de setembro de 2017, 07:01

BRASIL Coronel amigo de Temer usou offshore no Uruguai para comprar duplex, diz PF

Apontado pelos delatores do Grupo J&F como recebedor de R$ 1 milhão em propina destinada ao presidente Michel Temer, o coronel aposentado João Baptista da Lima Filho se valeu de uma offshore sediada no Uruguai para comprar dois imóveis em São Paulo. Um deles, no qual Lima Filho mora e onde a Polícia Federal realizou busca e apreensão no âmbito da Operação Patmos, é um duplex. As informações sobre os imóveis e a ofsshore Langley Trade Co SA constam em relatório da PF sobre os itens apreendidos com o coronel no dia da deflagração da Patmos, em 18 de maio. O documento foi anexado pela Procuradoria-Geral da República na denúncia oferecida contra o presidente Michel Temer por obstrução de Justiça e organização criminosa. O Estado revelou em junho que a PF havia encontrado 17 recibos relacionados a offshore Langley na casa do coronel amigo de Temer. Na Receita Federal, a Langley está registrada como empresa domiciliada em Montevidéu. No banco de dados do Panamá Papers, do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, que teve participação de jornalistas do Estado, o endereço está atrelado a várias offshores. Leia mais no Estadão.

Estadão

22 de setembro de 2017, 06:59

BRASIL Cedraz diz que deputado do PMDB o apresentou a lobista

Foto: Reprodução

O advogado Tiago Cedraz

O advogado Tiago Cedraz afirmou à Polícia Federal que conheceu o operador do PMDB Jorge Luz ‘por intermédio do deputado Anibal Gomes (PMDB/CE)’ – antigo aliado do senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Tiago, filho do ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União, prestou depoimento na Operação Abate II, fase 45 da Lava Jato, em 23 de agosto. As declarações foram tornadas públicas nesta quinta-feira, 21. “Reitera que não tem relação com os fatos investigados por isso não tem crime a confessar”, afirmou Cedraz. Tiago Cedraz e o também advogado Sérgio Tourinho Dantas são investigados por suposta ligação com o ‘esquema criminoso’ instalado na Petrobrás. Segundo a investigação, os dois teriam atuado junto a estatal para favorecer a contratação de empresa privada e remunerar indevidamente agentes públicos. Jorge Luz e o filho Bruno Luz estão presos desde fevereiro pela Lava Jato. À PF, Tiago Cedraz afirmou que Anibal Gomes agendou agendou um horário em seu escritório e compareceu acompanhado de Jorge Luz e do lobista João Augusto Henriques, também ligado ao PMDB. “Foi feita uma consulta acerca de um processo que João Augusto Henriques respondia junto ao TCU da época em que havia sido diretor da BR Distribuidora. O escritório do declarante fez a análise do caso, mas não chegou a assumir o caso. Foram feitas apenas orientações. Não chegou a firmar contrato de honorários. Foi entregue apenas uma legal opinion”, narrou Cedraz. Leia mais no Estadão.

Estadão

22 de setembro de 2017, 06:49

BRASIL José Yunes vai processar Funaro por denunciação caluniosa

Foto: Estadão

Yunes, Funaro, Temer e Padilha

José Yunes, amigo e ex-assessor especial do presidente Michel Temer, vai processar o operador Lúcio Funaro por denunciação caluniosa. A ação é preparada pelo criminalista José Luis Oliveira Lima. Em março, Funaro processou Yunes por calúnia e difamação alegando ser mentirosa afirmação de que recebeu dele um “pacote” em 2014. O operador já perdeu essa ação. Em delação premiada, contudo, Funaro não só confirmou a versão de Yunes como acrescentou que no “pacote” tinha R$ 1 milhão. A história do “pacote” foi revelada pela Coluna do Estadão em dezembro.

Estadão

22 de setembro de 2017, 06:40

BRASIL Planalto quer candidato único da base em 2018

Um novo componente político deve esquentar ainda mais a disputa interna do PSDB para definir seu candidato à sucessão presidencial de 2018. A cúpula do governo se movimenta para que a base aliada de Michel Temer tenha um candidato único e que esse nome seja escolhido em conjunto. O recado é claro: não ficará restrita ao PSDB a decisão de lançar o governador Geraldo Alckmin ou o prefeito João Doria. No governo, a avaliação é que, se o PSDB se recusar a ouvir a opinião dos aliados, “marchará sozinho” na disputa presidencial. Leia mais no Estadão.

Estadão