18 de abril de 2018, 09:18

MUNDO Cuba elege 1º presidente após 60 anos de governo dos irmãos Castro

A Assembleia Nacional de Cuba se reúne nesta quarta-feira (18) para escolher o próximo presidente da pequena ilha caribenha que, nas últimas seis décadas, foi governada pelos irmãos Castro: Fidel, que morreu aos 90 anos, e Raúl, que prometeu se aposentar aos 86. O novo líder será o primeiro, desde a Revolução Cubana, com outro sobrenome e representando uma geração mais jovem do que aquela que pegou em armas para derrubar a ditadura de Fulgencio Batista (1952-1959) e desafiar os Estados Unidos (EUA), estabelecendo um regime socialista a 150 quilômetros de sua costa.O novo presidente de Cuba assume em um momento delicado. A Venezuela, que fornece petróleo e sustentava o regime cubano, hoje enfrenta grave crise econômica, marcada pela hiperinflação, o desabastecimento e o isolamento internacional. Com a mudança de governo em 2017, os Estados Unidos voltaram atrás no processo de reaproximação – primeiro passo para o fim do bloqueio econômico, comercial e financeiro que continua impondo à ilha. O presidente Donald Trump, (eleito também com o voto dos cubanos que imigraram para os EUA e que exigem a derrubada do comunismo na ilha) voltou a limitar as viagens e os investimentos dos norte-americanos no país caribenho. Raúl Castro diz que foi eleito presidente para “defender, manter e continuar aperfeiçoando o socialismo cubano – e não para destruí-lo”.

Agência Brasil

18 de abril de 2018, 09:01

BRASIL Comissão do Senado vai pedir que Lula tenha acesso a mais visitas

Foto: Nilton Fakuda/AE

Ex-presidente Lula

A Comissão de Direitos Humanos do Senado deve requerer em seu relatório sobre as condições do cárcere de Luiz Inácio Lula da Silva que o ex-presidente precisa ter acesso a visitações, por ser “um preso político”, com “35% de preferência do eleitorado”. É o que defenderam os 11 senadores que visitaram nesta terça-feira, 17, a “cela” especial preparada para Lula na sede da Polícia Federal, em Curitiba, o berço da Operação Lara Jato, para início do cumprimento provisório da pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex do Guarujá (SP). “Isso que vamos pleitear no relatório”, disse o senador João Capiberibe (PSB-AP), relator da comissão, após vistoria dos parlamentares nesta terça na PF de cerca de duas horas, ao responder à imprensa se iam pleitear direitos especiais de visitas para Lula. “Porque ele tem hoje 35% da preferência do eleitorado. Não conheço nenhum preso comum assim”, completou. O senador afirmou que “Lula tem 72 anos e é um homem muito interativo”. “Passava os dias conversando, discutindo, trabalhando, e hoje ele está muito isolado. Esse isolamento é uma grande preocupação da comissão.” Para o senador, é preciso cumprir a Lei de Execução Penal que permite visitas de amigos e da família. “O advogado está sempre presente, mas ele precisa de ter diálogo com mais pessoas. Ele é um preso político. É um homem que tem hoje 35% da preferência do eleitorado brasileiro, então é um caso raríssimo na história do nosso País. Trata-se do maior líder popular da história do Brasil, não é um preso comum, é um preso político.” A vistoria da Comissão foi aprovada no dia 11, em requerimento da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). O pedido de visita ao local foi feito um dia após um grupo de 11 governadores, acompanhados dos senadores Gleisi Hoffmann (PR) – presidente do PT -, Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (MDB-PR).

Estadão Conteúdo

18 de abril de 2018, 08:45

ECONOMIA Mega-Sena acumula e poderá pagar R$ 8.500.000 na sexta-feira

Foto: Divulgação

Ninguém acertou as seis dezenas da Mega-Sena sorteadas nesta terça-feira (17), em Governador Valadares (MG) e o prêmio ficou acumulado, podendo chegar a R$ 8.500.000. Com o feriado de sábado (21), o próximo sorteio será sexta-feira (20).

18 de abril de 2018, 08:31

BRASIL ‘Que Deus ilumine os desembargadores’, diz ex-presidente do PSDB

Foto: Divulgação/Arquivo

Eduardo Azeredo pode ser preso na próxima semana

O ex-governador de Minas e ex-presidente nacional do PSDB Eduardo Azeredo poderá ser preso na próxima semana, após finalizados os recursos à condenação em segunda instância no chamado mensalão mineiro. Os embargos infringentes, última apelação antes da execução penal após a sentença da 9.ª Câmara Criminal de Belo Horizonte, serão analisados no dia 24. Azeredo poderá ser o primeiro preso da versão tucana do mensalão.“Eu espero que Deus ilumine os desembargadores”, afirmou ao Estado o ex-governador, que insiste na tese de que seu processo e condenação são uma forma de compensação pela sentença de petistas no caso do mensalão e, mais recentemente, pela prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado na Lava Jato.“Os fatos agora mostram isso. Você vê que continua desse jeito. Você tem que achar alguém para poder compensar”, disse o tucano. “Não pode ser outra coisa do que uma tentativa de compensação. Os petistas mesmo, vira e mexe, falam isso: ‘E o Eduardo Azeredo? E o Eduardo Azeredo?’”O ex-governador foi condenado em segunda instância a 20 anos e 10 meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro em 23 de agosto de 2017. Em 21 de novembro, durante julgamento de embargos declaratórios, que foram negados, a pena foi reduzida para 20 anos e 1 mês. A sentença prevê o início do cumprimento da pena quando esgotados todos os recursos na Justiça de Minas. O julgamento dos embargos infringentes levam em conta diferenças nos votos apresentados pelos desembargadores.O mensalão mineiro, conforme denúncia da Procuradoria-Geral da República, é como ficou conhecido o esquema de repasse de recursos de estatais mineiras para a campanha pela reeleição de Azeredo ao Palácio da Liberdade, em 1998. O tucano foi derrotado por Itamar Franco, que morreu em 2011.Conforme a denúncia, o desvio, que utilizou agências de publicidade de Marcos Valério Fernandes de Souza, chegou a R$ 3,5 milhões (em valores da época). Entre as empresas que teriam repassado recursos à campanha estão a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e o extinto Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge).

Estadão

18 de abril de 2018, 08:20

BAHIA Arena Fonte Nova completa cinco anos e gera mais de 42 mil empregos

Foto: Divulgação

Gols históricos, shows marcantes, recorde de público em jogos e concertos nacionais e internacionais; público superior a quatro milhões de pessoas e milhares de empregos gerados. A Arena Fonte Nova, com operação multifuncional, completa cinco anos de funcionamento em abril e, somente em 2017, gerou 42 mil oportunidades de empregos diretos e indiretos.De acordo com a administração do equipamento, a Arena Fonte Nova conta com grande diversidade de funções que são ocupadas por pessoas de diferentes perfis e experiências. Funcionários próprios e terceirizados se somam às ocupações indiretas, como os comerciantes que ficam no entorno e as contratações feitas por setores como o turismo, por conta da atração de visitantes de fora.”A realização de eventos de peso confere sustentabilidade e continuidade a essa geração de empregos”, afirma o chefe de gabinete da Secretaria do Trabalho (Setre) Vicente Neto, que completa: “Trata-se de um grande equipamento que tem garantido a criação de postos de trabalho temporários e definitivos para as pessoas da nossa terra”. Afastada do mercado de trabalho por dois anos, Daniele Simões encontrou na Fonte Nova a chance de voltar à ativa e, atualmente, é supervisora administrativa de bilheteria. “Comecei no controle de acesso, uma função externa, mas minha líder identificou em mim um diferencial e me colocou na bilheteria, onde comecei emitindo ingressos, pois eu acredito que, para além da oportunidade, é preciso se destacar”, analisa a funcionária.A analista de negócios da Fonte Nova, Cristiane Ágata, ingressou no equipamento no início do funcionamento, há cinco anos. De funcionária terceirizada, passou a ser funcionária da casa e.diz que “há uma relação de parceria e aprendizado diário com os colegas. Sempre tem oportunidade, principalmente para quem desempenha um bom trabalho e vem para vestir, verdadeiramente, a camisa da empresa”.

18 de abril de 2018, 08:20

EXCLUSIVA Até onde Lídice da Mata pretende ir com a idéia de concorrer ao Senado

Foto: Divulgação/Arquivo

Senadora Lídice da Mata

Aliados dizem que a senadora Lídice da Mata (PSB) pretende esticar a corda com a idéia de sua candidatura à reeleição – avulsa ou na chapa de Rui Costa (PT)  – até ele a chamar para uma conversa a sós, tête a tête. Interlocutores já estão tratando de providenciar o encontro.

 

18 de abril de 2018, 08:07

BAHIA MP investiga irregularidades no curso de medicina da Unime

Foto: Divulgação

O Ministério Público estadual (MP) abriu inquérito para investigar possíveis irregularidades no curso de Medicina da Unime, oferecido pela instituição no campus de Lauro de Freitas. De acordo com denúncia que será apurada pelo MP, a entidade descumpriu a Lei Federal 9.870/99, que trata do valor das anuidades escolares, ao aumentar, “de modo arbitrário, a mensalidade do curso, gerando sérios prejuízos para os alunos”, especialmente para os beneficiários do Fies. Além disso, a denúncia aponta que a Unime não disponibiliza devidamente o contrato de prestação de serviços educacionais. A instituição não estaria, ainda, executando o curso “de forma satisfatória, adequada e eficiente, inexistindo recursos materiais e humanos que propiciem a qualidade das atividades ministradas e que justifiquem a elevada mensalidade”.Em matéria recente, o CORREIO apontou que o curso de Medicina da Unime é o mais caro da Bahia, com mensalidade de R$ 10 mil – valor informado por estudantes.

Coluna Satélite/Correio*

18 de abril de 2018, 07:46

BRASIL Ruralistas pressionam e Temer exonera presidente da Funai

Foto: Isaac Amorim

Franklimberg Ribeiro de Freitas

O presidente Michel Temer acolheu pedido apresentado pela bancada ruralista e exonerou o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Franklimberg Ribeiro de Freitas. A reportagem apurou que Franklimberg já foi comunicado da decisão e deverá deixar o cargo até a próxima segunda-feira.Cerca de 40 deputados e senadores da bancada ruralista apresentaram uma carta a Temer solicitando a demissão, sob argumento de que o atual presidente da Funai não estaria considerando projetos do setor.Em nota, a Frente Parlamentar Agropecuária afirmou que o pedido de “exoneração imediata” do então presidente da Funai foi “demanda trazida por populações indígenas insatisfeitas com o desempenho” de Franklimberg. Segundo a nota, mais de 170 líderes indígenas assinaram ofício entregue a Temer e, “a partir desta reivindicação, a FPA solicitou a substituição” do dirigente.A reportagem apurou que o Ministério da Justiça, ao qual a Funai é vinculada, tentou segurá-lo. Segundo fontes Franklimberg foi surpreendido com a decisão. O ministro da Justiça, Torquato Jardim, admitiu que o momento para a exoneração preocupa. “É uma semana difícil, pelas celebrações do Dia do Índio. E, na semana que vem, são esperados 5 mil índios”, afirmou. Entre os dias 23 e 27 será realizado, em Brasília, o Acampamento Terra Livre, o principal encontro indígena do País.Nesta terça-feira, 17, Franklimberg não quis comentar o assunto. A Funai também não se pronunciou. Entre os mais cotados para assumir o cargo estaria o diretor da Funai, Francisco Nunes, que teria a simpatia dos ruralistas.

18 de abril de 2018, 07:42

SALVADOR Mau tempo: rajada de vento pode chegar a 61km/h em Salvador

O céu amanheceu cinzento em Salvador nesta quarta-feira (18). O tempo chuvoso fez a Marinha emitir um alerta de mau tempo para o trecho que compreende a capital baiana.As rajadas de vento, de acordo com a Marinha, podem ter velocidade entre 51 e 61 km/h. A área marítima vai de Caravelas, no sul do estado até Salvador. O aviso é válido até as 21h de hoje.Também há previsão de ressaca na cidade, com ondas que podem chegar a 2,5 metros. O aviso também é válido até as 21h.O tempo chuvoso também atinge outras áreas do estado. Entre Caravelas e Ilhéus, a Marinha alert para mar grosso, com ondas com altura de 3 a 3,5 metros.

Correio*

18 de abril de 2018, 07:25

BRASIL PSB quer candidatura de Barbosa até o dia 15

Foto: Fábio Motta/AE

Joaquim Barbosa

O PSB convenceu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa a se lançar pré-candidato à Presidência até 15 de maio. O principal argumento foi o de que, a partir desta data, pré-candidatos poderão arrecadar dinheiro para a campanha por meio de financiamento coletivo (crowdfunding), chamado de “vaquinha virtual”.Barbosa se filiou ao PSB em 6 de abril, mas, embora sua pré-candidatura seja dada como certa nos bastidores, ele resistia a oficializá-la para evitar ataques. Segundo interlocutores no PSB, o ex-ministro queria esperar esfriarem discussões de temas polêmicos para não ter de se pronunciar sobre, por exemplo, a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado e preso na Lava Jato, que o indicou para o STF em 2002.“Conseguimos convencê-lo de que tem de ser antes do dia 15. Acredito que vai ser entre a última semana de abril e a primeira de maio”, afirmou o líder do PSB na Câmara, Júlio Delgado (MG), um dos principais envolvidos na negociação com o ex-ministro.Resoluções do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovadas em dezembro estabelecem que partidos poderão arrecadar via crowdfunding antes da campanha. As doações de pessoas físicas poderão ser feitas por meio de cartão de crédito, cheque, boleto ou transferência bancária. Os recursos, porém, só poderão ser utilizados após o registro da candidatura. Caso o pré-candidato desista da disputa, o dinheiro tem de ser devolvido.Líderes do PSB já têm conversas adiantadas com o publicitário Roberto Meira, que criou uma companhia focada em crowdfunding para campanhas. “Por apelo popular, sem dúvida Joaquim Barbosa e (Jair) Bolsonaro são os que mais têm potencial de arrecadação”, afirmou. No PSB, a expectativa é arrecadar montante próximo do teto de gastos para candidatos ao Planalto, fixado pelo TSE em R$ 70 milhões para o primeiro turno.

Estadão

18 de abril de 2018, 07:14

EXCLUSIVA Discurso de unidade começa a fazer a cabeça de deputados da oposição

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputados querem que Gualberto e Ronaldo se entendam e formem uma chapa única

Se não serviu para diminuir a ansiedade dos deputados que se sentem desamparados desde que o prefeito ACM Neto (DEM) desistiu de encabeçar a chapa dos seus sonhos ao governo, a visita que o deputado federal João Gualberto, pré-candidato do PSDB a governador, fez ontem à Assembleia com o objetivo de conversar com a bancada governista levou os parlamentares a concluírem que o melhor que têm hoje a fazer é trabalhar a unidade em torno de uma chapa única das oposições ao governo do Estado. Na verdade, eles acreditam que, se chegarem a um entendimento, Gualberto e José Ronaldo, pré-candidato do DEM, podem fazer muito pela disputa, ajudando-os a se reelegerem e a confrontarem com mais força o projeto de Rui Costa (PT).

Raio Laser, Tribuna da Bahia

18 de abril de 2018, 07:13

BRASIL Venda de subsidiárias da Eletrobras deve ser adiada para junho

Foto: Divulgação

Os desafios do governo para levar adiante o processo de privatização da Eletrobras não param de crescer. A venda das seis distribuidoras da Eletrobras, originalmente prevista para maio, deverá atrasar por causa do Tribunal de Contas da União (TCU). Além disso, mesmo após reuniões no Planalto, a oposição dominou os trabalhos na Câmara durante audiência pública com o presidente da empresa, Wilson Ferreira Jr. Em mais de quatro horas de discussões, apenas os deputados Darcisio Perondi (MDB-RS) e Alceu Moreira (MDB-RS) defenderam a proposta, considerada prioritária pelo governo.Cabe ao TCU dar o aval final ao edital de licitação da venda das distribuidoras. Nessa terça-feira, 17, o ministro José Múcio Monteiro reconheceu que há mais dificuldades em aprovar projetos de privatização às vésperas das eleições. Ele prevê pelo menos mais um mês para que o órgão possa avaliar o processo: “Em ano eleitoral, as coisas funcionam com mais dificuldades”.O governo pretendia licitar no dia 21 de maio as seis distribuidoras da Eletrobras, que atuam em Alagoas, Acre, Rondônia, Piauí, Amazonas e Boa Vista. Com a sinalização do TCU, não será mais possível manter a data. Considerado o intervalo padrão de 45 dias entre a publicação do edital e o leilão, a venda só será concretizada em junho, numa estimativa otimista.O atraso é preocupante porque as distribuidoras são operadas em caráter precário pela Eletrobrás, numa situação que só pode ser mantida até o dia 31 de julho. Depois disso, se não tiverem sido leiloadas, elas terão de ser liquidadas. “Liquidação significa fechar as empresas. E quem fica com a responsabilidade de prestar o serviço? Temos de encontrar uma fórmula que a sociedade não pague por isso”, disse Múcio.A venda das distribuidoras é um passo preparatório à privatização da Eletrobras. Nos corredores do tribunal, há quem veja nas dificuldades atuais uma prévia do debate em torno da Eletrobrás. Além do possível impacto político, conforme mostrou o Estado ontem, as indicações políticas de dirigentes de subsidiárias da companhia são um dos fatores a justificar a resistência de deputados e senadores em voltar o projeto.Os ministros de Minas e Energia, Moreira Franco, da Fazenda, Eduardo Guardia, e do Planejamento, Esteves Colnago, foram ontem ao gabinete de Múcio. “Não viemos falar de cronograma”, afirmou Moreira ao final. Minutos depois, numa entrevista em separado, Múcio informou: “os ministros vieram saber qual é o timing”. No Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer reuniu os lideres da base aliada na Câmara e o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, para discutir o projeto.(Colaboraram Carla Araújo e Tania Monteiro).

Estadão

18 de abril de 2018, 07:08

BAHIA Governo abre processos seletivos para as Policlínicas Regionais

Foto: Reprodução

Estão sendo construídas Policlínicas Regionais de Saúde pelo Governo do Estado em toda a Bahia. Essas unidades têm o objetivo de suprir uma lacuna de atendimento existente entre as Unidades Básicas de Saúde e os Hospitais, possibilitando que a população tenha acesso a consultas com especialistas e exames mais perto de casa.A contratação de trabalhadores para atuar nas Policlínicas é feita por meio de seleção pública ou simplificada, realizado por instituições que possuem muita experiência na realização de processos seletivos do tipo. Os editais ficam mais de um mês publicados e com inscrições abertas. A divulgação acontece de forma ampla, em veículos de comunicação e nas redes sociais. A contratação é feita via CLT pelo Consórcio de Saúde de cada região em que a unidade está sendo construída. No momento estão em aberto dois tipos de processo seletivo: para vagas temporárias e para vagas permanentes. Saiba mais clicando nos links: Editais dos processos seletivo público para preenchimento de vagas de emprego público e Editais de seleção simplificada.

18 de abril de 2018, 07:00

BRASIL MDB promove jantar para filiados e Temer não fala sobre candidatura

Foto: Gabriela Biló/AE

Presidente Michel Temer

A cúpula do MDB se reuniu na noite de hoje (17) para dar boas vindas aos novos filiados. O encontro aconteceu em um restaurante em Brasília, com a presença do presidente Michel Temer e alguns ministros. Ao chegar no local, o presidente passou rapidamente pelos jornalistas e evitou falar se as últimas pesquisas eleitorais o fariam desistir de ser candidato“Essa pergunta eu não respondo”, disse. Antes de entrar no restaurante disse respeitar “todas as pesquisas”. Na última pesquisa do instituto Datafolha, Temer aparece com 1% de intenções de voto com Lula na disputa e 2% sem o ex-presidente petista.Em discurso para dezenas de medebistas que fecharam a maior parte do restaurante para o encontro, o líder do MDB na Câmara, deputado Baleia Rossi, afirmou que Temer “pegou um país destruído” e “conseguiu colocar o país nos trilhos”.O presidente Michel Temer também discursou aos correligionários e incentivou os parlamentares que o ouviam. “O meu desejo é que todos aqui sejam reeleitos. E trazer outros à nossa bancada”. Ele fez questão de lembrar de algumas medidas tomadas pelo seu governo e afirmou que “quem quiser fazer oposição tem que dizer que é contra o teto dos gastos, a favor de um ensino médio anacrônico, e daqueles juros de 14,25%, e não de 6,5%”. Em seguida, pediu para que os parlamentares defendam as ações do governo em seus discursos.O senador Romero Jucá defendeu uma candidatura do partido à presidência. “Nós temos que ter responsabilidade de ter uma candidatura própria para ganhar a eleição”. Nem todos os emedebistas, no entanto, estão convencidos da ideia. “Não tem a menor condição, com 1% de intenção de voto”, confidenciou um deputado do lado de fora do restaurante.

Agência Brasil

18 de abril de 2018, 06:50

BRASIL Definida lista tríplice para o cargo de defensor público-geral federal

A lista tríplice para o cargo de defensor público-geral federal foi definida no início da noite desta terça-feira (17). De acordo com a apuração, três defensores públicos federais dos estados de Santa Catarina, Rio de Janeiro e Minas Gerais estarão à frente da lista que será encaminhada ao presidente da República, Michel Temer. Com maior número de votos, Gabriel Faria de Oliveira, 391, seguido por Daniel de Macedo, 303 e Vinicius Diniz, com 228 votos.A votação foi realizada entre os mais de 600 defensores públicos federais que integram a carreira e ocorreu nesta segunda e terça, dias 16 e 17. Diferentemente de outras carreiras, a Lei Complementar 80/1994 que rege a regulamentação do processo para eleição do Defensor Público-Geral Federal, o presidente da República tem a obrigação legal de indicar um dos nomes apresentados na lista tríplice.De acordo com o presidente da Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais – Anadef , Igor Roque, o documento deverá ser encaminhado pela Defensoria Pública da União (DPU) já nessa quarta-feira (18). “É de extrema importância que o chefe do executivo federal faça sua escolha o quanto antes. Esperamos uma transição tranquila de administração, visando evitar qualquer prejuízo à prestação de assistência jurídica integral e gratuita aos milhares de assistidos em todo o Brasil”, destaca Roque. O escolhido ainda terá que passar por uma sabatina no Senado Federal. O indicado ocupará a cadeira nos próximos dois anos 2018/2019, a partir de julho deste ano.