11 de dezembro de 2017, 18:20

BAHIA Bahia recebe 14 navios de Cruzeiro em dezembro

A temporada de cruzeiros marítimos em Ilhéus tem início nesta segunda-feira (11), com a chegada do Costa Favolosa. A capacidade do navio é de 3,8 mil passageiros, que devem conhecer os atrativos turísticos da cidade. Até o fim do mês, o porto do município da Costa do Cacau recebe outras três embarcações turísticas.Já a capital baiana recebe o quarto dos 10 navios previstos para dezembro. Vindo de Recife, o Sovereign passa o dia em Salvador e segue para Santos no início da noite. Este mês, são esperados mais de 36 mil passageiros no porto de Salvador.O mês de dezembro responde por 23,5% do fluxo de toda a temporada. De acordo com dados da Companhia das Docas da Bahia (Codeba), 220 mil passageiros desembarcarão no estado por via marítima de novembro de 2017 até abril 2018.Pesquisa – Além de conheceram os principais atrativos turísticos de Salvador e Ilhéus, os turistas movimentam a economia baiana. Segundo pesquisa realizada pela Secretaria do Turismo do Estado (Setur) na última temporada, 33% dos visitantes que desembarcaram de navios contrataram diretamente serviços de agências baianas para conhecer melhor o destino.As compras também são foco dos visitantes; itens de artesanato foram os preferidos da maioria (89,3%), mas as listas de novas aquisições também incluíram roupas (12,6%), presentes/suvenires (8,7%) e pedras preciosas (1,9%).Em relação à satisfação dos visitantes, mais de 95% dos entrevistados entre novembro de 2016 e abril de 2017 declararam pretender voltar à capital baiana, e mais 96% disseram que recomendariam o destino a outras pessoas.Entre os aspectos que mais agradam os visitantes estão a hospitalidade dos baianos, a culinária local, as belezas naturais, as igrejas e o patrimônio histórico.

11 de dezembro de 2017, 18:15

BRASIL STF nega pedido para adiar julgamento de desmembramento do ‘quadrilhão do PMDB’

Foto: Carlos Moura/STF

O ministro do STF Edson Fachin

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido para adiar julgamento do desmembramento das investigações do chamado “quadrilhão do PMDB da Câmara”, marcado para acontecer nesta quarta-feira, 13. A discussão sobre o alcance da imunidade presidencial está no centro do debate. A solicitação de adiamento havia sido feita na última quinta-feira 7, pela defesa do ex-assessor especial da Presidência Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) – que virou réu nesta segunda-feira, 11, após juiz da 10º Vara Federal em Brasília aceitar denúncia do Ministério Público Federal por corrupção passiva. Depois de a Câmara dos Deputados barrar o prosseguimento da denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) em relação ao presidente Michel Temer e aos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência da República), o ministro Edson Fachin decidiu enviar ao juiz federal Sérgio Moro, da 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba, a parte da denúncia pelo suposto crime de organização criminosa que se refere ao restante do núcleo político do PMDB da Câmara – Loures, o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) e o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Os ministros do STF devem discutir na sessão plenária desta quarta os recursos de Loures, Cunha e Geddel Vieira Lima, que questionam a decisão de Fachin e pedem a suspensão do andamento da denúncia apresentada contra eles. Defensor de Loures, o advogado Cezar Bitencourt havia alegado ao Supremo que no mesmo dia previsto para a apreciação dos recursos está previsto um julgamento, em Porto Alegre, de um outro cliente seu, que sofre “grave risco de prisão”. “Diante do exposto e ante a impossibilidade de comparecer nos dois julgamentos (…), requer a Vossa Excelência examinar a possibilidade de adiar o julgamento pautado conjuntamente com outros agravos”, solicitou o advogado, pedindo que o julgamento fosse remarcado para a próxima sessão plenária da Corte, prevista para o dia 14 de dezembro. Ao negar o pedido, Fachin afirmou que há outros advogados, igualmente habilitados, para atuar em defesa de Rocha Loures, “acerca dos quais não se tem notícia de qualquer impedimento para comparecer à sessão de julgamento já agendada”. O ministro ainda mencionou que o Tribunal em Porto Alegre pautou os embargos mencionados pela defesa de Loures no dia 6 de dezembro de 2017, “data posterior à inclusão no calendário do presente agravo regimental, realizada pela Ministra Presidente desta Corte Suprema” no dia 29 de novembro deste ano.

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2017, 18:06

BRASIL Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016

O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novembro chegou à marca de 355.238, um decréscimo de 9% em relação ao mesmo período de 2016. No entanto, quando avaliada somente a natureza da indenização, os casos de morte cresceram 24% em relação ao mesmo período do ano passado, correspondendo a 37.492 indenizações.Os dados foram divulgados hoje (11) pela Seguradora Líder, administradora do Seguro Dpvat. Na cobertura por invalidez permanente, total ou parcial, foram registradas 263.923 ocorrências. Embora representem o maior volume de indenizações pagas no período, esse montante foi 15% inferior ao registrado no mesmo período do ano anterior.Segundo a Seguradora Líder, a redução de quase 10% no total de indenizações pagas, em comparação com o mesmo período de 2016, reflete, por um lado, a conscientização da população; e, por outro, o rigor adotado pela companhia para combate a fraudes. De acordo com a empresa, foram evitadas, de janeiro a outubro, perdas de R$ 831,9 milhões, sendo R$196,7 milhões em indenizações indevidas não pagas por fraudes comprovadas.“O Seguro Dpvat é de todos os brasileiros e tem como principal missão amparar as vítimas em momentos de vulnerabilidade. Por isso, estamos investindo em modernização de sistemas e no uso de tecnologias de última geração para pagar certo a quem tem direito”, afirmou, em nota, Ismar Tôrres, diretor-presidente da Seguradora Líder.

Agência Brasil

11 de dezembro de 2017, 18:00

BRASIL Comissão vai investigar Imbassahy e mais cinco ministros por caronas em voos da FAB

Foto: Divulgação

O ex-ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy

A comissão de ética da Presidência da República instaurou investigação contra seis ministros para apurar se houve irregularidade na oferta de caronas a parentes e lobistas em voos da FAB (Força Aérea Brasileira). De acordo com o site do jornal Folha de S.Paulo, o órgão federal irá investigar o comportamento dos ministros Helder Barbalho (Integração Nacional), Sarney Filho (Meio Ambiente), Gilberto Kassab (Comunicações), Maurício Quintella (Transportes), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Dyogo Oliveira (Planejamento). A norma que regulamenta a utilização das aeronaves oficiais não autoriza expressamente o embarque de pessoas sem cargo ou função pública. O presidente da comissão de ética, Mauro Menezes, solicitou às pastas a relação dos ocupantes nos aviões militares e ressaltou que pessoas estranhas à gestão pública não deveriam acompanhar viagens pelo princípio da impessoalidade.

11 de dezembro de 2017, 18:00

SALVADOR Prefeitura realiza última audiência para apresentação do Plano de Mobilidade

A terceira e última audiência pública para apresentação do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável de Salvador (PlanMob Salvador) será realizada na próxima segunda-feira (18), às 8h, no auditório do Ministério Público, no bairro de Nazaré. Promovido pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), o plano foi elaborado a partir dos resultados de trabalhos envolvendo análises de documentos, estudos, pesquisas e escutas setoriais. A partir daí, foi traçado um perfil da cidade, observando fatores como topografia, conectividade viária, modais de transporte, ocupação desordenada e renda familiar da população. O evento marca o fim da elaboração do PlanMob, e contará com a presença de gestores municipais e representantes de associações e entidades ligadas à mobilidade, meio ambiente, desenvolvimento sustentável e da sociedade civil, entre outros. Na ocasião, serão apresentados também resultados obtidos ao longo do processo, a partir do prognóstico referendado em dois workshops e em dez oficinas participativas sobre o PlanMob Salvador, realizadas nas sedes das Prefeituras-Bairro, ao longo do mês de setembro deste ano. O PlanMob foi elaborado a partir de estudos baseados na Lei Ordenamento do Uso e da Ocupação do Solo (Louos) e o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU), ambos aprovados em 2016. Além disso, o plano tem origem ainda no diagnóstico já discutido e consolidado na primeira e segunda audiência pública, realizadas nos meses de agosto e novembro deste ano.

11 de dezembro de 2017, 17:49

ECONOMIA Número de devedores fica estável em novembro, mas volume de dívidas cai

O número de devedores no Brasil ficou estável em novembro em relação a outubro, com uma variação de 0,15%. Em comparação com o mesmo mês do ano anterior, a alteração foi maior, de 0,23%. Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).No total, são 59,9 milhões de pessoas com contas em atraso ou nomes negativados, aqueles incluídos em cadastros de devedores. Esse número representa 39,5% da população com idades entre 18 e 95 anos.A inadimplência é maior entre brasileiros de 30 a 39 anos. Em novembro, 49% das pessoas nesse grupo estavam nessa condição. Na comparação por faixas etárias, em seguida vêm as de 40 a 49 (47%), 25 a 29 (46%), 65 a 84 anos (31%) e 18 a 24 anos (21%).Entre as regiões, a Norte apresenta maior taxa de devedores, com 46% dos cidadãos residentes nos estados nessa condição. A segunda região com maior índice de pessoas inadimplentes é a Centro-Oeste (44%), seguida pela Nordeste (42%) e Sudeste e Sul (37%).

Agência Brasil

11 de dezembro de 2017, 17:46

BRASIL Procuradoria pediu prisão de auditor da Receita por propina de R$ 160 mi

Foto: Polícia Federal

Carro apreendido na Operação Baixo Augusta da Polícia Federal

A procuradora Anamara Osório Silva, do Ministério Público Federal, em São Paulo, afirmou nesta segunda-feira, 11, que requereu a prisão preventiva do auditor Cloves da Costa Oliveira da Receita, alvo da Operação Baixo Augusta. O fiscal é suspeito de ser beneficiário de um esquema de R$ 160 milhões em propina da JBS para agilizar a liberação de créditos tributários do Fisco para a empresa. Cloves é auditor desde 2006. Seu contracheque é R$ 26.821. Na posse do auditor, a PF e a Receita apreenderam um Camaro, uma BMW e uma Land Rover. Em nome de familiares de Cloves foram apreendidos outros 19 veículos. Ele ocupava um gabinete na sede da Receita localizada na rua Augusta. O auditor teria agido para garantir ao grupo JBS um crédito de R$ 2 bilhões. A investigação mostra que no setor de Clóvis atuam dezenas de outros auditores, mas nenhum deles está sob suspeita. “A imensa maioria dos auditores é honesta. Este é um caso pontual”, observou o auditor Guilherme Bibiani, chefe da Delegacia Especial de Administração Tributária. Bibiani destacou que Cloves era um “auditor da ponta nos processos de análise de direitos creditórios, uma área muito sensível, complexa, que envolve muito poder”. Sobre a operação, Bibiani ressaltou. “A gente deve isso para a sociedade”. A Operação Baixo Augusta surgiu de uma investigação interna da Receita, via Corregedoria, a partir da delação de três executivos do Grupo J&F/JBS – Valdir Aparecido Boni (ex-diretor tributarista da companhia), Demilton Antônio de Castro e Florisvaldo Caetano de Oliveira. A delação foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal. A Corregedoria abriu investigação por meio da portaria número 106, de 22 de maio. Até ser afastado, o fiscal atuou sob monitoramento do Fisco. “Para a agilização da análise dos créditos tributários, o auditor teria recebido em propina 8% de todos os valores então creditados ao Grupo JSB. Foi feito um pedido ao juiz da 10.ª Vara, e a Justiça Federal deferiu o afastamento do auditor, o afastamento do trabalho”, declarou a procuradora Anamara Osório Silva. Segundo ela, a Justiça entendeu que o afastamento do fiscal de suas funções “já atendia a necessidade de não cometer mais crimes”. O delegado Alberto Ferreira Neto, presidente do inquérito da Baixo Augusta, detalhou o esquema de R$ 160 milhões. “É claro que o servidor da Receita Federal não atuava de forma isolada. Existia um grupo que trabalhava com ele. São intermediários que faziam essa propina chegar até o auditor da Receita Federal. Nós temos esse montante de R$ 160 milhões pagos pela empresa ao fiscal, mas por óbvio que passava por alguns intermediários”. Ferreira Neto destacou que do valor total de R$ 160 milhões, R$ 100 milhões foram pagos por intermédio de doleiros, R$ 40 milhões pagos em espécie e R$ 20 milhões pagos por meio de notas fiscais fictícias. “Ou seja, faziam a simulação da prestação dos serviços só para que pudessem o dinheiro chegar às mãos das pessoas certas”, relatou o delegado.

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2017, 17:45

BRASIL Servidores intensificam protestos contra reforma da Previdência

Com a expectativa de votação da reforma da Previdência no plenário da Câmara na próxima semana, sindicatos ligados aos servidores públicos intensificaram protestos em todo o País para pressionar deputados e senadores a votarem contra a proposta. As manifestações são planejadas nos principais aeroportos do País e até mesmo nos apartamentos funcionais em que os parlamentares moram em Brasília. Na manhã desta segunda-feira, 11, por exemplo, integrantes do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário e do MPU (Sindijus) e do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (SindiReceita) recepcionaram parlamentares que desembarcavam no Aeroporto de Brasília. Eles eram abordados por servidores, que erguiam faixas e usavam apitos para chamar atenção ao protesto. Coordenador-geral do Sindijus no Distrito Federal, José Rodrigues Costa Neto explica que as manifestações se intensificaram há duas semanas, após a retomada das negociações para votar a reforma. As ações acontecem em vários aeroportos, entre eles, o de Fortaleza, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba e se concentram nos dias em que parlamentares costumam viajar para Brasília, entre segundas e terças-feiras, e quando retornam aos Estados, geralmente às quintas-feiras. “Os sindicatos nos Estados recepcionam os deputados e senadores no embarque e nós, na chegada e saída deles aqui em Brasília”, explicou Costa Neto ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. Segundo o dirigente, os servidores também programaram protestos nesta semana nas quadras em que há muitos apartamentos funcionais em Brasília. “Nosso objetivo é constranger deputados e senadores para barrar a reforma e mostrar também que, se eles votarem, não voltam para o Parlamento”, disse. Governistas trabalham para começar a discussão da reforma da Previdência no plenário da Casa na próxima quinta-feira (14). O objetivo é encerrar essa fase o mais rápido possível para tentar votar a proposta na próxima semana, antes do início do recesso parlamentar, previsto para 22 de dezembro. Para aprovar a matéria, o governo precisa de pelo menos 308 votos nas duas votações no plenário.

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2017, 17:34

BAHIA Fazendários paralisam atividades em Salvador e RMS terça e quarta-feira

Os fazendários do Estado voltam a paralisar atividades nesta terça (12) e quarta (13) em Salvador e cidades da região metropolitana da capital. Estarão parados os postos fiscais vinculados a Diretoria Metro da Sefaz, bem como em todos os SACs e postos de atendimento das inspetorias. A categoria vem realizando uma série de mobilizações desde outubro.A paralisação de 48 horas ocorrerá na Diretoria Metro da Sefaz, que inclui o posto fiscal Honorato Viana (BR 324/Simões Filho) e o do aeroporto, bem como os SACs e inspetorias de Salvador, Lauro de Freitas e Camaçari. Outros setores da Secretaria também vão parar, a exemplo das volantes fiscais, fiscalização de estabelecimentos, Malha Antecipa (mercadorias com imposto antecipado) e fiscalização de ITD (inventários e doações).Segundo o Sindsefaz, que representa os fazendários, no PF Honorato Viana os caminhões não serão parados. No aeroporto, as mercadorias não serão conferidas. Já nos SACs, postos de atendimento e outros setores não haverá agendamento e nem recepção ao contribuinte. O pessoal que trabalha com ordens de serviço se dirigirão aos locais onde ocorrerá mobilização.A categoria reivindica a reabertura de negociações e o atendimento imediato de quatro pleitos: mudança na gratificação dos técnicos administrativos, concurso público para todos os cargos do fisco, correção da indenização de transporte (congelada há 10 anos) e mudança no valor do ponto da gratificação fiscal.

11 de dezembro de 2017, 17:30

BRASIL Para Gilmar, atos antecipados de campanha de Lula e Bolsonaro podem levar à condenação

Foto: Estadão

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, disse nesta segunda-feira, 11, que atos antecipados de campanha de Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro poderão levar à condenação por abuso de poder econômico e à cassação de uma eventual diplomação caso sejam financiados de maneira irregular. Na semana passada, Gilmar foi voto vencido em decisões que rejeitaram processos contra os dois pré-candidatos sob a acusação de antecipação da campanha eleitoral. Segundo ele, o tribunal voltará a discutir o assunto em fevereiro e poderá adotar uma posição mais “enfática”. Em sua avaliação, a pergunta que deve ser respondida é não apenas se há campanha antecipada, mas quem a está financiando. “Há estruturas aí que já passam – jatinhos, deslocamentos de caravanas, ônibus, reunião organizada de pessoas e tudo mais. Tudo isso precisa ser avaliado. Acho que esse vai ser o tema do tribunal já em fevereiro”, afirmou o ministro em Washington, onde participou de assinatura de convênio que prevê o envio de observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA) para acompanhar as eleições presidenciais do próximo ano. “Alguém está financiando isso.” Gilmar disse que os ministros terão de traçar uma “linha”, além da qual atividades de candidatos antes do início oficial da campanha serão consideradas irregulares. Para ele, esse limite já foi ultrapassado por Lula e Bolsonaro. “Quem está financiando? Isso pode levar ao reconhecimento de abuso de poder econômico, que pode levar à própria cassação do diploma. É preciso ter muito cuidado com isso”, afirmou. Leia mais no Estadão.

Estadão

11 de dezembro de 2017, 17:30

BRASIL Assessor ligado a Lúcio era convocado até para testemunhar

Foto: Divulgação

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB)

O ex-assessor parlamentar Job Ribeiro Brandão, que delatou os irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima, era um faz-tudo para a família. De acordo com o site da revista Época, além de contar dinheiro, Ele assinava como testemunha atos de constituição ou alteração contratual de empresas ligadas aos peemedebistas. Job foi alvo da Operação Tesouro Perdido após a PF identificar as digitais dele em cédulas do bunker com R$ 51 milhões, localizado em um apartamento de Salvador.

11 de dezembro de 2017, 17:16

SALVADOR Para Bacelar, aprendizado das crianças é emergência nacional

Foto: Anderson Borges/Divulgação

Bacelar participou do Painel da Educação promovido pela bancada de oposição da Câmara Municipal de Salvador

“Alfabetização nos primeiros anos escolares é determinante para o sucesso ou fracasso de uma criança”, sentenciou o deputado federal Bacelar, presidente do Podemos na Bahia, durante o “Painel da Educação”, promovido pela bancada de oposição da Câmara Municipal de Salvador, nesta segunda-feira (11), no Centro Cultural da Casa Legislativa. Bacelar apresentou indicadores nacionais sobre o nível de aprendizagem de mais de 2 milhões de crianças, em 48 mil escolas, com um resultado preocupante: metade das crianças brasileiras não está alfabetizada. “É um caso de emergência nacional. O cenário só mudará se a educação passar a ser prioridade política. Para isso, é fundamental a relação de cooperação entre estados e municípios, além do acompanhamento frequente da aprendizagem dos alunos”, ressaltou Bacelar. Participaram do evento vereadores, o subsecretário de Educação do Estado, Nildo Pitombo, representantes da APLB Sindicato e de entidades estudantis.

11 de dezembro de 2017, 17:15

BRASIL Justiça solta irmã de Lúcio Funaro

Foto: Estadão

O corretor Lúcio Bolonha Funaro

O juiz Ricardo Leite, da 10* Vara Federal em Brasília, acatou pedido da defesa e soltou a irmã do corretor Lúcio Bolonha Funaro, Roberta Funaro. Com decisão, Roberta não precisa mais cumprir a prisão domiciliar estabelecida em junho pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), bem utilizar tornozeleira eletrônica. Roberta foi alvo da operação Patmos, desdobramento da delação dos executivos da JBS. Ela foi filmada pela Polícia Federal recebendo valores do Grupo J&F em nome do irmão. Os pagamentos, segundo os delatores da J&F, seriam uma forma de comprar o silêncio de Funaro e evitar que ele assinasse um acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal O pedido de soltura de Roberta aceito pela Justiça foi assinado pelos advogados Bruno Espiñeira e Victor Minervino Quintiere. Segundo o juiz Ricardo Leite, há indícios suficientes que “permitem concluir que Roberta não possuía ciência de que valores por ela recebidos seriam ilicitos”. O juiz cita como indícios as falas do próprio Funaro e do diretor jurídico do grupo J&F Francisco de Assis e Silva. Em seu depoimento, o ex-funcionário de Joesley Batista afirmou que a empresa tinha pendências financeiras com Funaro e que esses valores nao teriam origem ilícita. “Há, então, circunstância fática que autorizaria a ilação por parte de Roberta de que se tratava de dinheiro de procedência lícita”, afirma o juiz. “Todos os depoimentos indicam que a participação de Roberta foi meramente ocasional e em razão da situação experimentada por Lúcio Funaro, razão pela qual não vislumbro qualquer probabilidade de continuidade ou prosseguimento de atividades ilícitas eventualmente praticadas por Lúcio”, diz o juiz em seu despacho. No entendimento do juiz substituto da 10° Vara Federal em Brasília, no caso de Roberta, não cabe a troca do regime domiciliar em que ela estava por outra medida cautelar diversa da prisão. “Neste caso, parece-me que houve uma situação de má avaliação do contexto da participação de Roberta (fato esclarecido após a oitiva de várias declaracoes), e é uma suposição errônea da ciência de Roberta das atividades criminais de seu irmão”, explica o juiz.

Estadão

11 de dezembro de 2017, 17:13

ECONOMIA Imposto em produto para ceia de Natal ultrapassa 57%

Faltando duas semanas para o Natal, os brasileiros já começaram a abastecer a despensa com alimentos e bebidas. Mas, apesar do esforço de algumas famílias em pesquisar preços para economizar, não dá para escapar dos altos índices de imposto nos produtos mais comercializados nesta época do ano.Segundo um levantamento feito pela empresa de consultoria e auditoria BDO, o porcentual de tributos que compõem a ceia de Natal pode ultrapassar 57%. De acordo com o diretor da área de tributos da BDO, Valmir Oliveira, o valor dos produtos pode ter incidência de ICMS, PIS, Cofins e IPI, sendo que esses tributos já estão entre os mais altos do mundo. O espumante nacional tem impostos de 57,90%. Já os alimentos da categoria de peru, chester e pernil ficam com 25,41% de imposto. Para o panetone, consumido não apenas na ceia, 21,25% do valor é composto por tributos, enquanto as nozes têm 18% de imposto.

Estadão

11 de dezembro de 2017, 17:02

ECONOMIA Ibre revisa projeção de crescimento do PIB de 2017 de 0,9% para 1,0%

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) revisou sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2017 de 0,9% para 1,0%. Para 2018, a projeção é que a atividade econômica avance 2,8%. Os dados foram citados pela pesquisadora Silvia Matos, coordenadora do Boletim Macro do Ibre. A economista chamou atenção para o peso do PIB agropecuário no movimento do PIB. Nos cálculos do Ibre/FGV, a agropecuária crescerá 12,3% no PIB de 2017. Com isso, nas contas apresentadas por Silvia, o PIB de 2017 avançaria apenas 0,4%, caso o efeito da agropecuária fosse excluído. Como a FGV estima queda de 2,0% no PIB agropecuário do ano que vem, o crescimento da atividade em 2018 seria de 3,0%, se esse componente da oferta fosse excluído. Segundo a pesquisadora, haverá ligeira melhora na taxa de desemprego, e o consumo das famílias seguirá crescendo em 2018. O processo eleitoral seguirá como fonte de incerteza. “A grande preocupação hoje é ver a recuperação do investimento”, afirmou Silvia, em seminário de análise de conjuntura promovido pelo Ibre/FGV no Rio. O cenário para 2018 traçado por Silvia inclui uma preocupação com a questão energética. Por causa dos baixos níveis das hidrelétricas, o crescimento da demanda no próximo ano tenderá a elevar preços de energia elétrica. Nesse quadro, com a demanda ainda reprimida, o Ibre/FGV projeta que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) baixará a taxa básica de juros (Selic, hoje em 7,0% ao ano) para 6,75%, mas com perspectiva de elevação ainda em 2018, para 7 25%. A dúvida, segundo Silvia, é se, diante de uma demanda um pouco mais aquecida, o ajuste na política monetária será feito ainda em 2018 ou no início de 2019.

Estadão Conteúdo