19 de outubro de 2017, 07:29

BAHIA Lídice destina recursos para combate a incêndios na Chapada

O Ministério da Integração Nacional autorizou a abertura de licitação para a aquisição de dez torres para transmissão de sinal via rádio para a troca de informações para o combate aos incêndios florestais, muito comuns nessa época do ano, naquela região.Os recursos, da ordem de R$ 500 mil, oriundos de emenda parlamentar da senadora Lídice da Mata (PSB-BA), permitirá também a distribuição de cartilhas para a prevenção de queimadas e capacitação de pessoal. “É importante facilitar a comunicação numa região onde há uma grande dificuldade em usar telefones celulares. Isso dará uma agilidade para que os incêndios sejam debelados mais rapidamente”, afirmou a parlamentar.

Tribuna da Bahia

19 de outubro de 2017, 07:20

BRASIL Moro remarca para dia 27 depoimento de Dilma em defesa de Bendine

Foto: Evaristo Sá / AFP

Dilma Rousseff

O juiz federal Sérgio Moro marcou nova data e local para que a ex-presidente Dilma Rousseff seja ouvida como testemunha de defesa do ex-presidente da Petrobrás e do Banco do Brasil Aldemir Bendine, em processo da Operação Lava Jato. O executivo é acusado de receber R$ 3 milhões em propinas da Odebrecht. Dilma será ouvida no dia 27 por videoconferência, de Belo Horizonte (MG). Em decisão desta quarta-feira, 18, Moro informa que a defesa noticiou “que a testemunha Dilma Vana Rousseff estaria residindo temporariamente na cidade de Belo Horizonte/MG”. “Para acompanhar a sua genitora, internada naquela cidade desde 11 de outubro de 2017, sem previsão de alta hospitalar.” Por isso, solicitou ao juiz que o depoimento fosse transferido para a capital mineira. A ex-presidente seria ouvida por videoconferência, de Porto Alegre (RS), na quarta-feira, 25. “Redesigno, assim, pelos motivos apontados, excepcionalmente, a oitiva de Dilma Vana Rousseff para o dia 27 de outubro de 2017, às 11 horas, por videoconferência com a Subseção Judiciária de Belo Horizonte/MG.” É a primeira vez que Dilma vai depor a Moro. Ela faz parte de rol de 17 testemunhas de Bendine. Ele assumiu a presidência da Petrobrás em 2015, indicado pela petista, no lugar de Graça Foster. A missão do executivo, segundo amplamente divulgado pelo governo e por ele próprio ao tomar posse, era ajustar o balanço da companhia e contabilizar as perdas com a corrupção diante do escândalo que já fazia a petroleira sangrar desde março de 2014. O ex-presidente da Petrobrás está preso desde 27 de julho, alvo da Operação Cobra, fase 42 da Lava Jato. Nesse processo, além de Bendine, são acusados os operadores financeiros André Gustavo Viera da Silva e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior e Álvaro José Galliez Novis e os executivos Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, da Odebrecht. A força-tarefa da Lava Jato acusa o grupo pelos crimes de corrupção passiva, corrupção altiva, lavagem de dinheiro, pertinência a organização criminosa e embaraço à investigação de infrações penais.

Estadão

19 de outubro de 2017, 07:10

BRASIL Trocas no PSB resultam em votação menor

Foto: DIDA SAMPAIO / ESTADÃO

Oposição protesta durante votação na CCJ da Câmara

O placar com dois votos a menos para o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados é fruto da decisão do PSB de trocar, na última hora, integrantes do colegiado para garantir os quatro votos do partido contra o peemedebista. O governo, no entanto, atuou para garantir que as demais bancadas mantivessem a mesma configuração de votos da primeira denúncia. No PSD, por exemplo, o deputado delegado Éder Mauro (PA) foi substituído por Edmar Arruda (PR), que votou pelo não prosseguimento do processo. Com isso, o chamado Centrão – bloco formado pelo PR, PP, PRB, PTB, PSC – manteve a fidelidade a Temer e garantiu quase 100% dos votos para o governo. A exceção ficou com o Solidariedade, que, assim como na primeira denúncia, deu um voto a favor do governo e um contra. No PMDB, a novidade foi o voto favorável a Temer de Osmar Serraglio (PR), que na primeira denúncia não participou da votação pois estava descontente com o governo depois de ter sido demitido do Ministério da Justiça. Já esperando um placar favorável, os governistas não chegaram a fazer tantas mudanças de titulares do colegiado como ocorreu na votação da primeira denúncia contra Temer. As defecções vieram dos partidos que o governo já esperava. O PSDB repetiu o placar majoritário contra Temer. Foram cinco votos a três, contabilizando também o do relator Bonifácio de Andrada (MG), que permaneceu na comissão na vaga que cabia ao PSC. No DEM, dos quatro deputados, Marcos Rogério (RR) manteve a posição e foi o único a votar a favor do prosseguimento da denúncia. Minoritária, a oposição (PT, PDT, PC do B, Podemos, PPS, PSOL e Rede) votou fechada a favor da investigação contra Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

Estadão

19 de outubro de 2017, 07:00

BRASIL TJ nega indenização a Lula por capa de revista em que aparece ‘presidiário’

Foto: Ueslei Marcelino / Reuters

Ex-presidente Lula

A 10.ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo negou recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra a Editora Abril por causa de uma capa da Revista ‘Veja’ que, segundo os defensores, violou a honra do petista. A capa da edição, publicada em novembro de 2015, trazia uma montagem da foto de Lula com roupas de presidiário. As informações foram divulgadas pelo site do Tribunal de Justiça de São Paulo. A ação do ex-presidente objetivava o pagamento de indenização por danos morais sob o argumento de que a capa teria violado sua honra, a imagem e a dignidade. O relator do recurso, desembargador Ronnie Herbert Barros Soares, destacou em seu voto que, ao mesmo tempo que um político se submete a um processo de construção da imagem pessoal, destinado a conduzi-lo a ocupar um cargo, também fica subordinado a uma renúncia de privacidade, a que não se converte o cidadão comum. “Nisso se inclui a sua imagem pessoal, que é retratada, fotografada, reproduzida, sem que se busque prévia autorização e que muitas vezes é objeto de caricaturas e montagens, como a analisada nestes autos”, afirmou. Outro argumento para o pedido de indenização era que o ex-presidente não teria ação contra ele na época da publicação da revista. No entanto, consta da decisão que a reportagem não imputou nenhum crime ao ex-presidente, apenas transmitiu a ideia de que o autor da ação mantinha vínculos com pessoas investigadas por graves fatos, algumas condenadas e em cumprimento de pena. Também participaram do julgamento da apelação os desembargadores Carlos Alberto Garbi e João Batista Paula Lima. A votação foi unânime. “Observe-se que este processo não é palco para discussões sobre as acusações que pesam sobre o autor (Lula), por suposta calúnia, mas tão somente para se analisar se houve abuso do direito de imprensa e a conclusão é de que não houve”, destacou Ronnie Herbert Barros Soares, o relator. “A reportagem e a capa da revista não configuraram violação ao artigo 1.º, inciso III; 5.º, incisos V e X da Constituição Federal, ou aos artigos 12, 17 e 21 do Código Civil, não importando em ilícito previsto no artigo 186 do mesmo Código.”

Estadão

19 de outubro de 2017, 06:40

BRASIL Magno Malta ameaça processo após TV Senado se negar a mostrar nudez

Foto: Divulgação

Senador Magno Malta (PR-ES)

O senador Magno Malta (PR-ES) afirmou nesta quarta-feira, 18, que vai processar a direção da TV Senado e toda a equipe de comunicação da Casa após a transmissão da emissora pública não mostrar, em close, imagens de pessoas nuas. As imagens, segundo ele, foram exibidas em uma exposição de arte em que era permitida a presença de crianças. “Isso aqui é arte? É uma imagem de Nossa Senhora no pênis dele. Olha aqui, isso é uma imagem de Nossa Senhora, e isso aqui é um símbolo caro da Igreja Católica, para os católicos, é um símbolo sagrado para os católicos”, afirmou ele, que presidia a sessão no momento, por volta das 20h. As fotos de pessoas nuas eram exibidas em dois cartazes segurados por Malta na mesa do Senado. Ao lado, uma imagem de Nossa Senhora Aparecida. “Dá o close aqui. Dá o close aqui”, insistiu Malta por algumas vezes, sem ser atendido. “Eu eu vou ter que representar contra os funcionários? Eu vou entrar com uma representação contra a diretora da TV Senado?”, questionou. Após alguns minutos, ao ser avisado pelo senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) que não havia sido atendido, voltou a ameaçar. “Eu gostaria de pedir à minha assessoria jurídica que fizesse uma representação contra a direção de comunicação desta Casa e farei uma representação criminal. O que vocês estão fazendo é criminoso, vocês são servidores públicos. Isso aqui está na exposição. Isso aqui está para as crianças verem. Isso aqui está na rede social. Eu vou representar contra vocês, vou representar contra vocês. E vou representar contra vocês todos, todos, todos”, disse.

Estadão

19 de outubro de 2017, 06:30

BRASIL Manchetes do Dia

– A Tarde: CCJ da Câmara rejeita 2ª denúncia contra Temer

– Correio*: Meu escritório é na rua

– Tribuna da Bahia: CCJ aprova parecer que rejeita a 2ª denúncia contra Temer

– Estadão: Temer vence na CCJ e Maia marca votação de denúncia no dia 25

– Folha de S. Paulo: Comissão da Câmara rejeita a 2ª denúncia contra Temer

– O Globo: Câmara deve absolver Temer por ampla maioria

18 de outubro de 2017, 21:59

BRASIL Governistas vão trabalhar por vitória mais expressiva no plenário, diz Mansur

Aliado do presidente Michel Temer, o deputado Beto Mansur (PRB-SP) admitiu que o resultado da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer reflete como está a base aliada. Ele disse que os governistas vão passar os próximos dias trabalhando para conquistar um resultado mais expressivo na votação do plenário.Mansur admitiu que a vitória de hoje na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), por 39 votos a 26, foi abaixo do esperado – no início da manhã, ele acreditava que Temer conseguiria 42 votos favoráveis no colegiado. “Mas o importante é dizer que nós vencemos, vamos para o plenário e vamos trabalhar para ter uma votação expressiva no plenário. Temos que tirar isso da frente, pois temos que votar temas de interesse da sociedade brasileira” declarou Mansur.O deputado também disse que, após a votação, caso Temer saia vitorioso, o governo deve voltar a discutir as reformas previdenciária e tributária a partir da próxima quarta-feira, 25.

Estadão

18 de outubro de 2017, 21:46

BRASIL Moro manda PF descobrir autor da fórmula de propina atribuída a Lula

O juiz federal Sérgio Moro mandou, nesta terça-feira, 18, a Polícia Federal fazer perícia na planilha Italiano do departamento de propinas da Odebrecht para descobrir quando e por quem foi criada a fórmula matemática que levou a Lava Jato a identificar supostas propinas de R$ 12,4 milhões da empreiteira ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Os R$ 12,4 milhões em propinas da Odebrecht, segundo a Procuradoria da República, são referentes ao imóvel onde seria sediado o Instituto Lula e o apartamento 121 no edifício Hill House, em São Bernardo do Campo, supostamente ocultados por meio de contratos com terceiros, como a DAG engenharia, de Demerval Souza, amigo de Marcelo Odebrecht e Glaucos da Costamarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, que tinha passe livre no Palácio do Planalto no governo Lula.A equação ((3* 1057)+ 8217 + 1034) = 12.422 estava nos arquivos cifrados do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht – que fechou delação e leniência na Lava Jato em janeiro 2017. Ela estava no mesmo registro de valores do “Amigo”, codinome de Lula. Segundo a Lava Jato, ela representa o cálculo de gastos que a construtora teria com o imóvel vizinho ao apartamento de Lula em São Bernardo do Campo e ao terreno onde seria sediado o Instituto.A fórmula estava em um dos itens da conta “Italiano”, que chegou a ter R$ 300 milhões à disposição de Lula e do PT. O próprio “Italiano”, o ex-ministro Antonio Palocci, e o empresário e delator Marcelo Odebrecht, confessaram o acerto da “conta corrente”.Para a Lava Jato, a primeira parte da equação “(3* 1057) = 3.171” é o valor de R$ 3,1 milhões, do saque em dinheiro vivo das contas do setor de propinas da Odebrecht, usados para as despesas “por fora” da operação.A segunda parte “8217” registra os R$ 8,2 milhões gastos pela DAG Construtora, do amigo de Marcelo Odebrecht – preso desde junho de 2015 -, usada como “laranja” da Odebrecht na compra do prédio para o Instituto Lula. E a terceira parte “1.034” é do R$ 1 milhão gasto com o apartamento 121 do Hill House e as comissões para o “laranja” de Lula, o aposentado Glaucos da Costamarques – primo do pecuarista José Carlos Bumlai – e o advogado Roberto Teixeira, compadre do petista.Em ofício enviado à Polícia Federal, o magistrado pede “as providências necessárias para a realização de perícia no arquivo denominado ‘Planilha Especial Italiano’ (arquivo esse que se encontra em posse da Polícia Federal em Curitiba/PR), no prazo de 30 dias”.

Estadão

18 de outubro de 2017, 21:18

BRASIL Organizações sociais discutem novas regras para migrantes no Brasil

Começam a valer a partir de novembro as novas regras da Lei 13.445, conhecida como Lei de Migração, aprovada pelo Congresso em maio passado. A norma substituiu o Estatuto do Estrangeiro, aprovado em 1980, durante a ditadura militar. Mas ainda é preciso definir os detalhes em relação a vários aspectos da aplicação da nova lei. Essas previsões fazem parte de um processo chamado de regulamentação (as normas infralegais que a complementam).Esse debate é uma das pautas centrais do 13º Encontro Nacional da Rede Solidária para Migrantes e Refugiados (RedeMir), que ocorre em Brasília até esta quinta-feira (19). Vários pontos da nova lei para imigrantes necessitam de regulamentação, como a aplicação dos diversos tipos de visto. A atualização legislativa trouxe mais direitos para quem vem ao Brasil com o objetivo de estudar, viver temporariamente ou procurar um novo lar, além de tratar também das situações de refúgio.

Agência Brasil

18 de outubro de 2017, 21:03

SALVADOR Aeroporto de Salvador é o mais mal avaliado do país

Foto: Divulgação

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil divulgou hoje (18) os resultados da Pesquisa de Satisfação do Passageiro referente ao terceiro trimestre de 2017. Um total de 14 dos 15 aeroportos pesquisados apresentou avaliação positiva acima da média 4. Em geral, a média do índice de satisfação foi de 4,38 entre os 14 com resultado positivo. Apenas Salvador ficou abaixo da média com nota 3,95.Os números revelam que 92% dos entrevistados consideram os aeroportos como “bons”ou “muito bons”, com índice médio de satisfação geral de 4,38. O resultado é o mesmo obtido no trimestre anterior, mas 3,3% maior do que aquele obtido no mesmo período de 2016. No ranking geral, o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), foi o mais bem avaliado, recebendo nota 4,78, numa escala de 1 a 5.Os dados, divulgados pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil se referem ao terceiro trimestre de 2017. O terminal Afonso Pena, em Curitiba (PR), ficou em segundo lugar com média de 4,74. Em seguida aparece o aeroporto de Natal (RN), com 4,53. Completam a relação dos cinco terminais mais bem avaliados, os aeroportos de Confins (MG) e Guarulhos (SP), ambos com nota de 4,49.O levantamento distribui os terminais em três categorias, de acordo com o número de passageiros transportados: até 5 milhões de passageiros/ano; de 5 a 15 milho es de passageiros/ano; e acima de 15 milho es de passageiros/ano. Ao todo, foram entrevistadas 13.649 pessoas, sendo 8.743 passageiros de voos domésticos e 4.906 de voos internacionais.A maioria dos entrevistados, 58%, disse viajar a negócio. O lazer, com 30%, aparece como o segundo maior motivo de viagem; e lazer e negócios aparece em terceiro, com 9%. Os números mostram também que o transporte privado é o meio de deslocamento mais utilizado para acessar os terminais: 44,5% dos entrevistados responderam que se deslocam dessa forma. Em segundo lugar aparecem os táxis, com 22,3%. Em seguida, os veículos intermediados por aplicativos, com 14,6%.

Correio*

18 de outubro de 2017, 20:43

BRASIL Senadores tucanos deixam para Aécio decisão sobre renúncia à presidência do PSDB

Após o retorno do senador Aécio Neves (PSDB-MG) a seu mandato e da primeira reunião com a bancada de seu partido, o presidente interino da legenda, senador Tasso Jereissati (CE), disse que a “decisão final” sobre o futuro do PSDB será tomada pelo próprio Aécio, que está licenciado da presidência da sigla.Tasso, que mais cedo havia defendido a renúncia de Aécio do comando do PSDB, disse que o colega de partido fará uma “avaliação pessoal e política” sobre sua situação.Ontem (17), por 44 votos a 26, o plenário do Senado derrubou as medidas cautelares impostas ao senador pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal no último dia 26. Na opinião de integrantes da legenda, o processo todo acabou gerando um constrangimento ao PSDB, o que fez com que senadores e deputados tucanos passassem a defender mais incisivamente a saída de Aécio da presidência da sigla.No entanto, segundo Tasso, a decisão caberá a Aécio Neves, sem interferência da bancada. “Fizemos uma avaliação profunda dos últimos acontecimentos, sobre o futuro próximo do partido, os rumos que o partido deve tomar nos próximos dias, e definimos que a decisão final sobre qualquer medida que venha ser tomada para essa definição ficará a critério do senador Aécio Neves”, declarou.A definição deve sair na próxima semana, segundo Tasso Jereissati. “Vivemos um momento delicado, que exige uma definição, qualquer que seja. Nós não podemos ficar em situações provisórias. O senador Aécio participou da discussão, é evidente que ele tem plena consciência da crise que vivemos, que o partido vive, dos deveres dele para o país e com o partido”, afirmou o senador cearense.

Agência Brasil

18 de outubro de 2017, 20:35

BRASIL Maria da Penha pede veto de Temer a mudanças na lei que leva seu nome

A farmacêutica Maria da Penha, que dá nome à lei que pune violência doméstica e familiar, criticou o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 07/2016, que altera a norma, e pediu que o presidente Michel Temer vete as mudanças. Aprovado no Senado na semana passada, a proposta aguarda sanção presidencial.Maria da Penha alerta que as alterações propostas pelo deputado Sergio Vidigal (PDT-ES) podem ter sua constitucionalidade questionada e provocar um retrocesso no combate à violência contra a mulher. “Mudanças casuísticas na lei Maria da Penha colocam em risco uma proposta que foi construída com o acúmulo das lutas dos movimentos de mulheres há mais de 40 anos e com minha própria história de vida. Por isso, eu peço, senhor Presidente Michel Temer, não sancione o PLC 07/2016”, afirma a ativista, em nota.O PLC 07/2016 permite ao delegado de polícia conceder medidas protetivas de urgência às mulheres que sofreram violência e a seus dependentes, uma prerrogativa que hoje é exclusiva dos juízes. A autoridade policial deverá comunicar a decisão ao juiz e também consultar o Ministério Público em até 24 horas, de acordo com a proposta, para definir pela manutenção da decisão.

Agência Brasil

18 de outubro de 2017, 20:31

SALVADOR Prefeitura vai elaborar plano de marketing turístico para Salvador

A Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), busca serviços de consultoria para elaborar o plano de marketing turístico da capital baiana. A iniciativa conta com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e faz parte do Programa Nacional de Desenvolvimento Turístico em Salvador (Prodetur). A finalidade é que o plano seja um guia para a Prefeitura orientar as ações de marketing das áreas e produtos turísticos prioritários. O prazo para que as empresas se manifestem vai até o próximo dia 6 de novembro.

18 de outubro de 2017, 20:21

BRASIL Ministro do STJ manda soltar filho de Fernandinho Beira-Mar

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Nefi Cordeiro concedeu liberdade ao filho do traficante Fernandinho Beira-Mar, Marcelo Fernando de Sá Costa. Na decisão, o ministro entendeu que a sentença motivadora da prisão preventiva de Costa usou argumentos genéricos para justificar que o acusado não pode recorrer da decisão em liberdade. O filho de Beira-Mar foi condenado a 11 anos e sete meses de prisão por tráfico de drogas em regime aberto.A decisão do ministro foi tomada no dia 10 de outubro, mas divulgada somente nesta quarta-feira. O entendimento de Nefi Cordeiro é válido até o julgamento do mérito do habeas corpus protocolado pela defesa. Com a decisão, a Justiça do Rio de Janeiro, responsável pela sentença, também poderá aplicar medidas cautelares diversas da prisão ao condenado, como recolhimento noturno e uso de tornozeleira eletrônica.“Como se vê, o decreto não trouxe qualquer motivação concreta para a prisão, apenas mencionando que persiste o periculum libertatis [razões contra libertação], valendo-se de fundamentação, portanto, abstrata e com genérica regulação da prisão preventiva, evidenciando a ausência de fundamentos para a manutenção da custódia cautelar”, argumentou o ministro.

Agência Brasil

18 de outubro de 2017, 20:17

BRASIL Temer recebeu mais de 30 parlamentares nesta quarta-feira

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Michel Temer

Com o mesmo ritual da primeira denúncia, o presidente Michel Temer (PMDB) segue com as portas do gabinete abertas para receber parlamentares em audiência. O Palácio do Planalto divulgou na noite desta quarta-feira, 18, a agenda atualizada do dia, que inclui o encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e mais de 30 parlamentares que passaram pela sala de Temer. Entre os deputados recebidos, dez são membros ou suplentes da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, que rejeitou por 39 votos a 26 a denúncia contra o presidente e ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria do Governo). De acordo com a agenda oficial, Temer recebeu pela manhã o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen. Depois, teve uma reunião com o líder do PMDB na Câmara dos Deputados, deputado Baleia Rossi (PMDB/SP). Na sequência, o presidente se reuniu com Padilha e o ministro Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo). A reunião com representantes do setor imobiliário, que já estava prevista na agenda inicialmente contou também com a presença do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e com parlamentares. Pela lista divulgada pela presidência estiveram neste encontro: os deputados Bilac Pinto (PR-MG); Pauderney Avelino (DEM-AM); Luiz Fernando Faria (PP-MG). Além disso, participaram Luiz Antônio Nogueira de França, presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc); Antonio Setin, presidente da Setin; Ricardo Valadares Gontijo, presidente da Direcional Engenharia S/A, e Rubens Menin Teixeira de Souza, presidente do Comitê Abrainc. Depois dessa reunião, Temer voltou a receber Imbassahy, desta vez acompanhado do ministro interino do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa; do deputado Abel Mesquita Jr. (DEM-RR), coordenador da bancada do Estado de Roraima; e dos deputados Carlos Andrade (PHS-RR) e Édio Lopes (PR-RR), Hiran Gonçalves (PP-RR) e Jhonatan de Jesus (PRB-RR). Neste encontro esteve presente ainda o presidente da Fundação Nacional do Índio, Franklim Berg Ribeiro de Freitas. Ao meio dia, Temer recebeu pelo segundo dia consecutivo o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI). Nesta terça-feira, além de reunir-se com Heráclito no Planalto, Temer foi almoçar na casa do deputado. Depois, conforme já havia mostrado o Broadcast Político, o presidente almoçou com o Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES. Na parte da tarde, Temer esteve com o deputado Francisco Floriano (DEM-RJ). Depois, novamente com a presença de Imbassahy, o presidente reuniu: o Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos Substituto, Rodrigo Silvestre; os deputados Toninho Wandscheer (PROS-PR), coordenador da Bancada do Paraná; Sergio Souza (PMDB-PR); Reinhold Stephanes (PSD-PR); Osmar Serraglio (PMDB-PR); Osmar Bertoldi (DEM-PR); Nelson Meurer (PP-PR); Luiz Nishimori (PR-PR); Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR); Evandro Roman (PSD-PR); Dilceu Sperafico (PP-PR) e Alfredo Kaefer (PSL-PR). Às 15h30, numa reunião exclusiva, Temer esteve com a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ). Às 16 horas, recebeu parlamentes de Goiás, entre eles o senador Wilder Moraes (PP-GO), e os deputado Daniel Vilela (PMDB-GO), João Campos (PRB-GO), Pedro Chaves (PMDB-GO). Nesta audiência, estiveram presentes: Valéria Pettersen, Secretária Municipal de Projetos e Captação de Recursos de Aparecida de Goiâni, e Edgar Tollini, Secretário Municipal de Aparecida de Goiânia. Pela agenda oficial, o encontro com Rodrigo Maia aconteceu às 16h30. Depois de Maia, o presidente reuniu-se com os deputados Hiran Gonçalves (PP-RR), Geraldo Resende (PSDB-MS) e Raquel Muniz (PSD-MG). Na última agenda, até o momento, Temer teve um encontro, às 18h30, com os deputados Fábio Ramalho (PMDB-MG), Dimas Fabiano (PP-MG) e Renato Andrade (PP-MG).

Estadão Conteúdo