20 de agosto de 2018, 18:15

BRASIL Candidatura de Garotinho é impugnada no Rio

Foto: Estadão

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho

A Procuradoria Regional Eleitoral do Rio impugnou nesta segunda-feira,20, a candidatura de Anthony Garotinho ao governo do Estado. O pedido para suspender o registro do candidato do PRP foi feito com base na Lei da Ficha Limpa pelo procurador regional eleitoral Sidney Madruga. De acordo com o BR18, blog de política do Estadão, Madruga contraria entendimento da defesa de Garotinho, que diz que, por não ter ocorrido enriquecimento ilícito do candidato, não haveria inegibilidade. O procurador afirma que Garotinho foi condenado em segunda instância por “ato doloso de improbidade administrativa com lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito de terceiro”. Garotinho foi condenado em maio deste ano por desvios de R$ 234,4 milhões da saúde no Rio de Janeiro em 2005 e 2006. Com isso ele ficaria inelegível por oito anos.

20 de agosto de 2018, 18:00

BRASIL Valmir acredita que Lula pode vencer no primeiro turno: “Cresce com a força do povo”

Mais uma pesquisa para presidente da República ratifica o crescimento e a liderança isolada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – que chegou aos 37% e venceria todos os candidatos em segundo turno com ampla vantagem. Entretanto, o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) acredita que Lula tem uma vantagem que pode levar ele a vencer ainda no primeiro turno. O levantamento da CNT/MDA foi publicado nesta segunda-feira (20) e mostra que o petista cresceu 5% em comparação à última pesquisa. Assunção ainda destaca que o candidato a vice-presidente, Fernando Haddad, chega nesta terça (21) a Bahia para trazer a mensagem de apoio de Lula para o governador Rui Costa (PT) e convoca a militância para o encontro. “Vamos caminhar com Haddad e ampliar nossa atuação na Bahia. Nas pesquisas Lula está engolindo todos os candidatos, que estão rodando o país gastando dinheiro e saliva, mas que não têm o mesmo projeto que o nosso. Lula como preso político não para de crescer. Foi Lula e o PT que transformaram a Bahia, e vão fazer muito mais. O governador Rui Costa é líder nas pesquisas, e o ex-governador Jaques Wagner será nosso representante no Senado. Vamos debater com Haddad o futuro do estado”, aponta Valmir. O deputado ainda diz que os governos do PT transformaram diversas áreas como educação, geração de emprego, políticas para o semiárido e agricultura familiar. Em um breve balanço da assessoria de campanha de Lula e Haddad, números importantes para a Bahia foram revelados. O PT criou quase um milhão de novos postos de trabalho (foram 973.877), ao mesmo tempo que no Brasil foram 20 milhões de novas vagas. No total, 1,4 milhão de cisternas foram construídas no semiárido, sendo 339.347 no estado baiano. Os governos do PT criaram também cinco novas universidades federais e a inclusão do povo baiano também se deu por meio da geração de emprego e renda. A energia elétrica chegou nas casas onde não havia luz, com o programa ‘Luz para Todos’ criado por Lula, que fez 568.242 ligações. O ‘Água para Todos’ instalou 286.333 cisternas para consumo e mais de 53 mil para produção agrícola por todo o estado.

20 de agosto de 2018, 18:00

BAHIA ‘Incompetência explica baixa posição da Bahia em ranking nacional’, diz líder da oposição

Foto: Divulgação

Um estado com 1,5 milhão de analfabetos e que tem sido apontado como um dos mais violentos do país, com o maior número de homicídios registrados no ano de 2017. Essa realidade da Bahia, divulgada anteriormente pelos institutos prova o que indicou o Ranking de Eficiência dos Estados – Folha (REE-F) sobre o Estado administrado pelo PT há 12 anos, conforme avaliação da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). Segundo o estudo, a Bahia está na 16ª posição em eficiência no país, estando abaixo da média nacional, nas áreas de segurança, educação e saúde. “A pesquisa mostra a ineficácia do governo em áreas que deveriam ser prioritárias, a exemplo da saúde, segurança pública e educação. Sem o bom aproveitamento dos recursos e programas e sem os investimentos necessários, esses setores não andam e o Estado não se desenvolve. Somente a incompetência do governo na aplicação dos recursos públicos explica a pouca eficiência da Bahia na saúde, educação e segurança”, enfatiza o líder da Bancada de Oposição, deputado Luciano Ribeiro (DEM). A pesquisa divulgada pelo jornal Folha de São Paulo neste último domingo (19), mostrou quais estados fazem mais com menor volume de recursos e a Bahia apresentou resultado baixo, sendo colocada atrás de outros estados do Norte e Nordeste, como Pernambuco, Ceará, Paraíba, Piauí, Maranhão e Tocantis. A Oposição lembra ainda que apesar de o Estado ter passado na média no setor das finanças, no Ranking, vale chamar a atenção para a situação apontada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), quando o governo de Rui Costa (PT) foi alertado em relação ao excesso nas Despesas de Exercícios Anteriores (DEA), deixando R$1.587,8 milhões para pagar este ano. Além disso, foi constado o abuso no contrato por Reda, que deveria ser tratado apenas de forma excepcional e o déficit dos dois sistemas da previdência do estado (Baprev e Funprev). Em meio a isso, os salários dos servidores estão congelados desde 2015.

20 de agosto de 2018, 17:45

BRASIL ‘Excesso de malignidade levou país à calamidade’, diz Marina, em resposta a FHC

Foto: Estadão

A candidata da Rede à Presidência, Marina Silva

A candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, renovou nesta segunda-feira, 20, as críticas a declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). O tucano disse, em entrevista publicada na edição desta segunda-feira do jornal O Globo, que falta à ex-senadora um pouco de “malignidade”. “O excesso de malignidade foi que levou o Brasil a esta situação de calamidade. É preciso que a gente bote uma forcinha na virtude”, rebateu Marina, em entrevista após participação em fórum com presidenciáveis da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústria de Base (Abdib), em São Paulo. Via Twitter, Marina já havia respondido a FHC. “Com todo o respeito e admiração que tenho por FHC, o que trouxe o País à crise atual não foram boas intenções, mas sim o excesso de malignidade – aliás, muito presente na coligação do candidato tucano”, escreveu a candidata. Após a participação na Abdib, Marina reforçou que, se for eleita, vai governar com “pessoas de bem de todos os partidos e da sociedade”. Ela se esquivou ainda de falar em apoios na segunda etapa da eleição. “O segundo turno a gente discute no segundo turno.” A candidata da Rede criticou ainda o modo como o Brasil lida com a violência na fronteira com a Venezuela. “É preciso uma coalizão humanitária de países da região para resolver a situação. O Brasil negligenciou-se politicamente da Venezuela”, disse.

Estadão

20 de agosto de 2018, 17:45

BRASIL Filha de Eduardo Cunha pede inelegibilidade de Dilma

Foto: André Dusek/Estadão

A ex-presidente Dilma Rousseff

A filha do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha ingressou no Tribunal Regional Eleitoral de Minas nesta segunda-feira (20) com pedido para barrar a candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) ao Senado Federal. Ela alega que Dilma está inelegível por ter sofrido um processo de impeachment. “A candidata ao Senado Dilma Rousseff está absolutamente inabilitada para concorrer a qualquer cargo eletivo, por força da consequência natural e indissociável da sua condenação por crime de responsabilidade em sessão realizada em 31/08/2016”, diz Danielle Cunha, que é candidata a deputada federal pelo MDB. Danielle diz, ainda, no documento que “requer o indeferimento do presente registro de candidatura, tendo em vista que a Sra. Dilma Rousseff não possui capacidade eleitoral passiva, em razão de sua inabilitação temporária para o exercício de qualquer cargo ou função pública que decorre de sua condenação por crime de responsabilidade”. O ex-deputado está preso pela Lava Jato. Como presidente da Câmara, Cunha aceitou a denúncia apresentada contra a petista, permitindo que o processo que levou ao impeachment de Dilma tramitasse no Congresso. A denúncia foi apresentada pelos juristas Janaina Paschoal, Miguel Reale Júnior e Helio Bicudo.

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2018, 17:29

BAHIA “Continência” de Kannário é considerada deboche por candidato do PHS

Foto: Divulgação

Cláudio Silva é candidato a deputado federal pelo PHS

Cláudio Silva, candidato a deputado federal pelo PHS, protestou contra uma “peça publicitária” do vereador Igor Kannário, de seu partido, em que o candidato a deputado federal aparece batendo continência, uma saudação exclusivamente militar, segmento cuja atuação ele costuma criticar. Silva, que gravou um vídeo (clique aqui) criticando a atitude sem citar diretamente Kannário, afirmou que “a continência individual é a saudação que o militar utiliza para cumprimentar seus pares, superiores, subordinados e saudar os símbolos nacionais e que um determinado candidato, lamentavelmente do meu partido e que não tem formação militar, utilizou essa saudação como deboche na foto da sua peça publicitária”. Para Silva, “é necessário respeito aos valorosos e guerreiros integrantes do Exército Brasileiro, Marinha, Aeronáutica e Polícia Militar”. O candidato é capitão da reserva do Exército, apoia o presidenciável Jair Bolsonaro e tem como bandeiras para a eleição o resgate de ideias patrióticos, geração de empregos e defesa da família. Na semana passada, Kannário se desentendeu com Daiane Pimentel, presidente na Bahia do PSL, partido de Jair Bolsonaro, que o chamou de “elemento” e a seus eleitores, de “marginais”, numa demonstração do desconforto que tem provocado em eleitores do presidenciável a aliança que seu partido celebrou com o PHS.

20 de agosto de 2018, 17:29

BRASIL ‘A ofensiva internacional vai aumentar’, diz Haddad sobre candidatura de Lula

O candidato a vice-presidente pelo PT, Fernando Haddad, afirmou nesta segunda-feira, 20, que o partido vai aumentar as ofensivas internacionais para tentar garantir que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril pela Operação Lava Jato, esteja presente na disputa eleitoral de 2018. A afirmação foi dada na saída da visita de Haddad e da presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, a Lula na cela da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba. “Ele considera muito importante e histórica essa participação da ONU (Organização das Nações Unidas) nos assuntos internos e com a concordância do Brasil, porque o País internalizou a convenção que torna a ONU uma autoridade no âmbito nacional. Nossa ofensiva internacional vai aumentar a partir disso”, afirmou Haddad, na saída da PF. O Comitê de Direitos Humanos (CDH) das Nações Unidas recomendou na sexta-feira, 17, que o Estado brasileiro “tome todas as medidas necessárias” para que o ex-presidente Lula possa exercer seus direitos políticos enquanto estiver preso e não tenha sua candidatura à Presidência barrada até que todos os recursos tenham sido esgotados. Para Haddad, as autoridades brasileiras não devem desafiar a recomendação das Nações Unidas. Gleisi ainda completou dizendo que a eleição brasileira assumiu “relevância internacional”. “Não é pouca coisa o que a ONU decidiu, o que determinou ao Brasil, garantir a candidatura (de Lula). A democracia do Brasil está sendo observada pelo mundo”, disse.

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2018, 17:17

BRASIL Lula está inelegível, diz vice-procurador-geral eleitoral ao TSE

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O ex-presidente Lula

Em manifestação encaminhada nesta segunda-feira (20) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques, sustentou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – preso e condenado no âmbito da Operação Lava Jato – “está inelegível”. Jacques reiterou ao TSE o pedido para que o registro do petista seja rejeitado pela Corte Eleitoral. A candidatura de Lula ao Palácio do Planalto já é alvo de dez contestações, entre elas as impugnações apresentadas pelo Ministério Público Eleitoral, Partido Novo, pelo candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, e pelos candidatos a deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) e Kim Kataguiri (DEM-SP), líder do Movimento Brasil Livre (MBL). O pedido de registro do petista também foi contestado em quatro petições assinadas por três advogados e um bacharel em direito. Uma resolução do TSE prevê que qualquer cidadão pode, no prazo de 5 dias da publicação do edital ao pedido de registro, “dar notícia de inelegibilidade ao tribunal eleitoral competente”. No documento enviado ao TSE, Jacques ressaltou que a Lei da Ficha Limpa prevê que estão inelegíveis para qualquer cargo os políticos que forem condenados por órgão colegiado (desde a condenação até o prazo de oito anos após o cumprimento da pena) por crimes contra a administração pública e de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores, como é o caso de Lula. Em janeiro deste ano, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) condenou o ex-presidente a 12 anos e um mês de corrupção pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Jacques ressaltou que as petições apresentadas pelos quatro cidadãos noticiam a condenação do petista pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no TRF-4. “Tal circunstância implica na inelegibilidade do candidato”, destacou o vice-procurador-geral eleitoral. “Com efeito, o candidato está inelegível, e o mesmo fato fundamenta a impugnação apresentada pelo Ministério Público Eleitoral. (…) Diante do exposto, o Ministério Público Eleitoral manifesta-se pelo reconhecimento da causa de inelegibilidade noticiada, com o consequente indeferimento do registro de candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, reiterando-se, na oportunidade, todos os termos da impugnação apresentada”, concluiu Jacques. O relator do pedido de registro de Lula no TSE é o ministro Luís Roberto Barroso, vice-presidente do tribunal. Conforme informou o Estadão/Broadcast na última quinta-feira (16), Barroso pretende imprimir ao registro de candidatura de Lula o mesmo rito previsto para qualquer outro candidato que dispute o Palácio do Planalto. Na condição de relator do registro, caberá a Barroso ditar o ritmo do processo. O ministro já indicou que pretende deixar a decisão sobre o caso para o plenário da Corte Eleitoral, por se tratar de um tema institucionalmente relevante. Dessa forma, integrantes do tribunal acreditam que o plenário vai julgar o registro do ex-presidente apenas no início de setembro, com a propaganda partidária já sendo veiculada no rádio e na televisão. O horário eleitoral gratuito começa no dia 31 de agosto.

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2018, 17:11

BRASIL ‘Transferência do Ligue 180 para ouvidoria geral é a mostra de um governo machista’, diz Marta

A líder da oposição na Câmara de Salvador, vereadora Marta Rodrigues (PT), criticou a decisão do Governo Federal que quer transferir o Ligue 180, restrito a denúncias de violências contra as mulheres, para a ouvidoria do Ministério dos Direitos Humanos. Segundo ela, a tentativa de mudança é reflexo do governo machista que tomou o Palácio do Planalto por meio de um golpe e encontra eco na maioria dos candidatos ligados a Temer e aliados. “É mais um desmanche de uma conquista obtida com muita luta dos movimentos de mulheres no País. Estamos sob um governo que tenta fortalecer o patriarcado e atacar todas as políticas públicas que garantem o direito das mulheres e combatem o feminicídio”, disse. Marta explica que o Ligue 180 é o canal de denúncia e orientação da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SNPM) e presta um serviço especializado, com intenção de informar, orientar e empoderar as mulheres. “É uma porta de entrada das mulheres para acesso aos seus direitos, à legislação que dão subsídios a elas para decidirem ou não pela denúncia. Transferir esse serviço para a ouvidoria geral de um Ministério é um retrocesso sem tamanho, mais um, que descaracteriza a política pública como um instrumento de apoio”, disparou a vereadora. Ainda conforme a petista, a tentativa do governo federal de acabar com o serviço e a estrutura de atendimento específico, precisa ser denunciado. “Estamos vivendo um momento de discurso de ódio e intolerância, que reforça a discriminação por gênero, o machismo. As mulheres não podem perder esse canal importante”, reforçou.

20 de agosto de 2018, 17:10

BAHIA Marcelo Nilo exclui Angelo Coronel das peças de campanha

Foto: Reprodução/Twitter

Peça de campanha do deputado estadual Marcelo Nilo

O deputado estadual Marcelo Nilo (PSB) afirmou que não incluiu o candidato a Senador, Angelo Coronel (PSD) em suas peças de campanha por estar “seguindo as orientações do partido”. Em panfleto postado nas redes sociais, Nilo, que é candidato a deputado federal, aparece apenas com Jaques Wagner (PT) e Rui Costa (PT). Segundo o deputado, o PSB decidiu que irá votar em Rui para governador e Wagner para senador e que não existe uma definição se a sigla irá poiar outro candidato ao Senado.

20 de agosto de 2018, 15:46

BRASIL Pesquisa reforça o absurdo que é a tentativa de retirada de Lula, diz Boulos

O candidato ao Planalto pelo PSOL, Guilherme Boulos, aproveitou os resultados da pesquisa MDA/CNT e saiu novamente em defesa da candidatura do ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva de participar do pleito. “Essa pesquisa reforça o absurdo que é a tentativa de retirada de Lula da campanha. Seguimos defendendo por uma questão de princípios a candidatura de Lula e sua liberdade”, disse, durante evento da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústria de Base (Abdib), nesta segunda-feira, 20, em São Paulo. Segundo apurou o instituto MDA, em parceria com a Confederação Nacional do Transporte (CNT), o ex-presidente Lula alcançou 37 3% das intenções de voto. Mesmo condenado no âmbito da Operação Lava Jato e preso, o petista continua crescendo na preferência eleitoral e saltou de 32,4%, em maio, para 37,3% neste momento. Atrás do petista aparecem Jair Bolsonaro (PSL), com 18,8%, e Marina Silva (Rede), com 5,6%. Na pesquisa, Guilherme Boulos aparece com 0,9%. Boulos destacou o caráter extraordinário desta corrida presidencial. “Estamos a 50 dias das eleições e ainda temos as eleições mais imprevisíveis desde 1989”, ponderou. Sobre seu próprio desempenho, argumentou que ainda é desconhecido de boa parte da população. “Essa campanha irá crescer, não temos a menor dúvida. A partir do momento que as pessoas nos conhecerem” argumentou. Assim como Boulos, vários candidatos de esquerda largaram na corrida presidencial apostando no Nordeste. Questionado se a região é mais receptiva aos candidatos de esquerda, retrucou: “quem defende o Temer (Michel Temer, presidente), aberto ou veladamente, é que tem de fugir do povo. Só conseguem ficar confortáveis dentro da Febraban ou da Findes, como (Henrique) Meirelles (candidato do MDB). Ele é o oficial, mas não o oficioso. Geraldo Alckmin (candidato do PSDB) é o favorito”, provocou, em referência a reportagem da Folha em que Temer disse que Alckmin parece candidato do governo. Na ocasião, Boulos defendeu mudanças no Judiciário. Segundo ele, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em seu governo, terá mais participação popular. Além disso, defendeu a criação de mandatos para juízes de tribunais superiores. Entretanto, negou intenção de mudar o número de juízes, proposta de seu adversário do PSL, Jair Bolsonaro.

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2018, 15:27

BRASIL Começam hoje inscrições para bolsas remanescentes do ProUni

A partir de hoje (20), estudantes interessados em concorrer a bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) podem fazer a inscrição pela internet. Ao todo serão ofertadas 106.252 bolsas que não foram preenchidas no processo de seleção regular, das quais 18.070 são integrais e 88.182, parciais de 50%. O ProUni oferece bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior do país. Podem concorrer brasileiros sem diploma de curso superior que tenham participado de alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010. É preciso ter obtido nota superior a 450 pontos nas provas e não ter zerado a redação. Os interessados precisam ainda preencher um ou mais dos seguintes requisitos: ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsista integral, ter alguma deficiência, ser professor da rede pública ou estar enquadrado no perfil de renda exigido pelo programa. As bolsas integrais são para estudantes com renda per capita de até um salário mínimo e meio. Já as bolsas parciais destinam-se a candidatos que têm renda familiar per capita de até três salários mínimos. O prazo para concorrer às bolsas varia. Os alunos já matriculados nas instituições de educação superior devem se inscrever até 28 de setembro. Para aqueles para aqueles não matriculados, o prazo é menor e vai até 24 de agosto.

Agência Brasil

20 de agosto de 2018, 15:12

BAHIA Rui Costa recebe Fernando Haddad amanhã para programação política

Foto: Reprodução/Twitter

O vice-presidência da República pelo PT, Fernando Haddad

O governador Rui Costa, candidato à reeleição, recebe o candidato a vice-presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, nesta terça-feira, em Salvador. O primeiro compromisso conjunto será uma reunião com as lideranças políticas e movimentos sociais, às 9h30, no Hotel Fiesta, no bairro do Itaigara. Participam do encontro os também candidatos a vice-governador da Bahia, João Leão, e a senador, Jaques Wagner e Angelo Coronel. No mesmo dia, às 16h, Haddad, Rui e a chapa majoritária da Coligação Mais Trabalho Por Toda a Bahia participam da “Grande Caminhada da Liberdade”, também em Salvador. A concentração será às 15h30 na Senzala do Barro Preto, no bairro da Liberdade.

20 de agosto de 2018, 14:56

BRASIL Moro condena ex-vice-presidente da Câmara a seis anos por lavagem

Foto: Agência Câmara

A ex-deputado André Vargas (ex-PT-PR)

O juiz Sérgio Moro condenou o ex-deputado André Vargas (ex-PT-PR) a seis anos de prisão por lavagem de dinheiro. Vargas já está preso, por condenação em outro processo da Operação Lava Jato. Moro condenou ainda na sexta-feira, 17, o irmão do ex-parlamentar, Leon Vargas, a contadora do doleiro Alberto Youssef, Meire Poza, e o empresário Marcelo Simões. Na época do crime a ele atribuído, Vargas era vice-presidente da Câmara. “André Vargas interviu junto à Caixa Econômica Federal utilizando sua influência política, na época era deputado federal, para que a empresa IT7, de Marcelo Simões, fosse contratada em uma licitação fraudada para fornecimento de software para o banco”, acentuou Moro. “A culpabilidade (de André Vargas) é elevada. Conforme restou comprovado na ação penal supramencionada, o condenado recebeu propina não só no exercício do mandato de Deputado Federal, mas tambem da função de Vice-Presidente da Câmara dos Deputados, esta entre os anos de 2011 a 2014, período que abarca os fatos objeto desta ação penal (dezembro de 2013 a fevereiro de 2014). A responsabilidade de um Vice-Presidente da Câmara é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes.” No processo, os quatro foram considerados culpados pela lavagem de R$ 2.399.850,00 supostamente provenientes de crimes contra a administração pública. O montante estava ligado, segundo a Operação Lava Jato, a um contrato firmado entre a Caixa Econômica Federal e a IT7 Sistemas Ltda. Meire Poza foi condenada a dois anos e três meses de reclusão em regime aberto. O juiz substituiu a pena privativa de liberdade ‘por duas penas restritivas de direito, consistentes na prestação de serviço à comunidade e em prestação pecuniária’. Simões pegou cinco anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial fechado. O magistrado impôs a Leon Vargas cinco anos de reclusão, em regime inicial semiaberto. A reportagem está tentando localizar a defesa dos citados. O espaço está aberto para manifestação.

20 de agosto de 2018, 14:42

BRASIL Presidente do TSE, Rosa Weber critica baixa representação feminina na política

Foto: Divulgação

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, criticou na manhã desta segunda-feira, 20, a baixa representação feminina nos espaços de poder, frente a maioria de mulheres no eleitorado. Segundo a ministra, dos pedidos de registros de candidatura realizados para as eleições 2018, apenas 30,7% são de mulheres. “Há uma verdadeira sub-representação feminina na política brasileira”, disse. “Esses dados (52,5% do eleitorado brasileiro é composto por mulheres) confrontados com o número de pedidos de registro de candidaturas evidenciam a desproporcionalidade entre o número de mulheres candidatas e o de mulheres aptas a votar”, acrescentou a ministra, que falou no seminário ‘Elas por Elas’, promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Na mesa de abertura, o evento reuniu seis mulheres a frente do sistema judiciário brasileiro, além de Rosa, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge; a advogada-geral da União, Grace Mendonça; e a procuradora-geral junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Cristina Machado. Rosa ainda exaltou a importância do voto feminino para a construção de uma sociedade mais “igualitária, justa e inclusiva”. “Façamos, mulheres, ao exercer todas nós esse direito essencial da cidadania que é voto, a diferença para um fortalecimento para o estado democrático de direito, conquista diária e permanente de todos nós, com a consciência de que em nossas mãos, mulheres, está o destino do País, com a construção de sociedade que todas queremos, igualitária, justa e inclusiva”, disse a presidente do TSE.

Estadão