10 de dezembro de 2017, 18:31

BRASIL Líder do MTST diz que candidatura é tema para 2018

Foto: Facebook

Guilherme Boulos conversa com o rapper Criolo (D) antes de show no Largo do Batata em homenagem aos 20 anos do MTST

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, afirmou neste domingo, 10, que é preciso resistência contra os retrocessos ao trabalhador e, principalmente, a nova ofensiva do governo Michel Temer para aprovar a reforma da Previdência. Sobre sua possível candidatura à Presidência pelo PSOL, ele disse, em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, que temas de 2018 têm de ser tratados somente no ano que vem. “Não é uma questão de indefinição (sobre sua candidatura pelo PSOL). Isso não está em pauta neste momento. Temas de 2018 têm de ser tratados em 2018”, afirmou Boulos. Segundo ele, neste momento, foco do MTST é enfrentar os “retrocessos aos trabalhadores com resistência”. “Essa luta está ocorrendo com muito simbolismo e importância como a questão do acampamento de São Bernardo”, destacou. O mega-acampamento do grupo do MTST em São Bernardo do Campo, que abriga cerca de 7.000 famílias que cobram moradia em um terreno particular no Jardim Planalto, será, conforme ele, um dos destaques de sua fala durante o evento de comemoração que acontece neste domingo, no Largo da Batata, para celebrar os 20 anos do MTST. “Ainda temos um impasse sem solução”, ressaltou ele. Boulos disse que o objetivo de sua explanação, que ocorrerá um pouco antes do show de Caetano Veloso, previsto para começar às 18 horas, é a história do movimento e sua luta por moradia. Há menos de dois meses, o cantor foi impedido de se apresentar para o acampamento do MTST, em São Bernardo, onde prestaria apoio às famílias presentes. “Vivemos um retrocesso na questão dos direitos, com a retirada de direitos. A reforma trabalhista e a da Previdência é a forma mais escandalosa disso, com o governo comprando votos e, novamente, o Congresso desmoralizado e um presidente sem legitimidade fazendo um balcão de negócios para aprovar medidas antipopulares”, avaliou o líder do MTST. De acordo com Boulos, o evento que comemora os 20 anos do movimento deve reunir políticos, mas não está prevista uma intervenção dos presentes que serão apenas mencionados. Sem citar nomes, ele disse que o foco do ato de hoje é de confraternização. Iniciado por volta das 14 horas, o evento do MTST deve contar, além de Caetano, com a presença de seus convidados Maria Gadú, Péricles e Criolo. Também estão previstos shows de bandas do próprio movimento.

Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2017, 18:14

BAHIA Tempestade Guará se afasta da costa após transtornos na BA e ES

Depois de causar transtornos no sábado, 9, para embarcações no litoral do Espírito Santo e Sul da Bahia, a tempestade subtropical Guará está se afastando do litoral brasileiro neste domingo, 10, em direção ao sul. De acordo com o Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), a previsão para os próximos dias é que este sistema não influenciará a costa dos Estados de Rio de Janeiro e São Paulo. Com isso, não são esperadas condições de ressaca ou vento forte nessas áreas. No sábado, segundo o CHM, a tempestade ocasionou ventos muito fortes e ondas entre 3 e 5 metros de altura nos litorais do Espírito Santo e Bahia, o que levou a Marinha a pedir aos navegantes que evitassem a região e divulgassem a informação às comunidades de pesca. “A previsão para os próximos dias é que este sistema se afaste do continente em direção ao sul”, informou o CHM.

Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2017, 13:13

ECONOMIA Índices apontam melhora da economia, mas consumidor ainda está receoso em gastar

Embora os indicadores econômicos mostrem uma retomada gradual da economia, os brasileiros ainda não sentiram grande diferença no bolso. Neste final de ano, os consumidores se empenham em pesquisas de preço e o amigo oculto vira uma saída para reduzir os gastos com presentes no Natal. Na família da aposentada Anaeli da Costa, 62 anos, a brincadeira já virou tradição. “Como sempre, a gente não dá presente. Se der para comprar alguma lembrancinha, a gente compra, senão, só participa mesmo das festas e do amigo oculto, que a gente faz todo ano”, diz. Nesta semana, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). De janeiro a novembro, o índice registrou um acumulado de 2,5%, o menor resultado nos primeiros 11 meses desde 1998, quando a taxa ficou em 1,32%. “Mas ainda não vimos nenhuma melhora. Os preços não estão diminuindo. O preço acompanha a gasolina, se a gasolina sobe todo dia, os preços também vão subir, porque o nosso transporte é todo terrestre”, diz Anaeli. A insegurança faz com que a dona de casa Maísa Flores, 50 anos, invista mais nas pesquisas de preço. “A gente não sabe o que vai acontecer, o desemprego é grande demais, as coisas estão caras demais, você precisa pesquisar e andar muito, senão não compra. É diferente dos outros anos, que você podia comprar porque sabia que lá na frente ia ter um retorno”, diz. “Vamos esperar para ver o que vai acontecer, meter os pés pelas mãos realmente não dá. As contas e as dívidas não param”, diz.

Mariana Tokarnia, Agência Brasil

10 de dezembro de 2017, 12:28

MUNDO Vaticano reitera posição em prol do status quo de Jerusalém

O Vaticano disse que o Papa Francisco está rezando para que os líderes das nações se comprometam a trabalhar para evitar uma nova “espiral de violência” sobre Jerusalém e está expressando tristeza pelos confrontos dos últimos dias, que produziram vítimas. O anúncio dos EUA reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel desencadeou a violência e, em uma declaração neste domingo o Vaticano recordou o apelo de Francisco na semana passada pela “sabedoria e prudência”, reiterando sua posição em prol do respeito ao status quo de Jerusalém. A mensagem do Vaticano diz que apenas uma solução negociada entre israelenses e palestinos pode levar a uma paz estável e duradoura e garantir a coexistência pacífica de dois estados dentro de fronteiras reconhecidas internacionalmente. O Vaticano chamou Jerusalém de “cidade sagrada para cristãos, judeus e muçulmanos de todas as partes o mundo”.

Estadão

10 de dezembro de 2017, 12:13

BRASIL Morre a atriz Eva Todor, aos 98 anos

A atriz Eva Todor morreu na manhã deste domingo, 10 de dezembro, em sua casa, no Rio de Janeiro. Ela tinha 98 anos. Eva Todor sofria de Mal de Parkinson e estava longe da TV desde a novela “Salve Jorge”, da rede Globo, exibida em 2012. Nascida em Budapeste, capital da Hungria, Eva atuou em 21 trabalhos entre telenovelas, minisséries e especiais. No gênero, seu papel mais marcante foi o de Kiki Blanche, na novela “Locomotivas” (1977). Foram 80 anos de carreira. De acordo com uma funcionária de um amigo de Eva, Marcelo Del Cima, ele foi à casa da atriz na manhã deste domingo, pois Eva estaria passando mal. Ela era viúva e não deixa filhos.

10 de dezembro de 2017, 11:57

BAHIA Médicos são capacitados pelo Detran para atender pessoas com deficiência

Neste final de semana, 60 médicos foram capacitados em Salvador para atuar na Junta Médica Especial do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA). Eles participaram do curso “O Exame de Aptidão Física e Mental da Pessoa com Deficiência”, realizado em parceria com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), com carga horária de 20 horas aulas teóricas e práticas sobre as regras do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (Abnt), realizadas no Centro de Convenções do Hotel Fiesta e na sede do Detran. “Por meio desse curso, vamos reduzir o tempo de espera por perícia médica e compensar a redução no quadro de médicos, em função da aposentadoria de mais de 50% do pessoal”, afirmou o diretor-geral do Detran, Lúcio Gomes. O presidente da Abramet na Bahia, Antônio Meira, destacou o papel do perito na avaliação de pessoas com deficiência física. “Observamos que 90% das pessoas que procuram o serviço no Detran não apresentam de fato uma deficiência ou incapacidade. Existe uma confusão com a isenção que garante até 32% de desconto na compra de veículos adaptados. Por isso, o órgão tem tido uma grande demanda. O médico não pode fazer restrições acima daquelas necessárias. Quando negamos o laudo a uma pessoa, estamos permitindo que ela dirija qualquer veículo, não estamos tirando dela o direito de dirigir”. A parte prática do curso, no Detran, teve a participação de instrutores de autoescolas da capital. Há três anos, Reginaldo Pereira dos Santos trabalha no setor e chama a atenção para o perfil de quem se submete à perícia. “Lidamos diariamente com candidatos que perderam algum membro em um acidente de trânsito e precisam voltar a dirigir. O nosso trabalho é mais psicológico do que técnico, pois eles querem ser reintegrados ao tráfego, mas em outra condição. A pessoa que tem paraplegia, por exemplo, deve dirigir um veículo com câmbio automático, acelerador e freios de mão, além de direção hidráulica”.

10 de dezembro de 2017, 11:30

MUNDO Mercosul e UE podem anunciar acordo na quarta

Mercosul e União Europeia iniciam neste domingo, dia 10 de dezembro, uma rodada de reuniões que tem chances de terminar com um anúncio histórico: que as negociações do acordo de associação entre os dois blocos foram concluídas do ponto de vista político depois de 20 anos de altos e baixos. No melhor dos cenários, alguns pontos ainda ficarão em aberto, mas haverá um rumo claro a ser percorrido pelos técnicos até a efetiva assinatura do acordo. As conversas ocorrerão em Buenos Aires, a partir deste domingo, em paralelo à reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC). Para os negociadores, o ideal é anunciar o “acordo político” durante o evento, que termina na quarta-feira, dia 13. O presidente Michel Temer participará da cerimônia de abertura da reunião da OMC neste domingo ao lado do argentino Maurício Macri, e dos presidentes do Paraguai, Horácio Cartes, do Uruguai, Tabaré Vázquez, e do Chile, Michelle Bachelet. “O acordo é o primeiro grande lance de inserção do Mercosul na economia mundial”, disse ao jornal ‘O Estado de S. Paulo’ o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes. E o bloco sul-americano foi criado, há 26 anos, para ser uma zona de livre comércio e para buscar essa integração.

Agência Brasil

10 de dezembro de 2017, 11:15

BAHIA Rui inaugura Ponto SAC em Itapetinga na segunda-feira

O governador Rui Costa entrega nesta segunda-feira (11) mais uma unidade do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) no interior do estado, desta vez na cidade de Itapetinga. O ato de inauguração será às 9h na sede do Ponto SAC, localizado na avenida Presidente Kennedy, no centro da cidade.

10 de dezembro de 2017, 11:00

BRASIL Em São Paulo, Alckmin equilibra contas, mas atrasa obras

Foto: ANDRE DUSEK/ESTADAO

Geraldo Alckmin

Após ocupar por 12 anos a cadeira de governador de São Paulo, em quatro mandatos diferentes, Geraldo Alckmin chega à presidência nacional do PSDB com a fama de político conciliador e gestor responsável do ponto de vista fiscal, mas descumpridor de prazos na execução de obras e entrega de promessas. Ao mesmo tempo em que os pagamentos estão em dia, o caixa registra superávit primário de R$ 1,5 bilhão e a reforma previdenciária estadual já tenha sido finalizada em 2011, Alckmin não transformou as facilidades de estar à frente de um Estado administrado há mais de duas décadas pelo mesmo partido em benefícios imediatos para a população. A lista de obras e cronogramas alterados é extensa. Até mesmo agora, quando inaugurar estações de metrô, por exemplo é vitrine essencial para a fase de pré-campanha de qualquer candidato, o planejamento registra atrasos. Em janeiro, o tucano havia prometido inaugurar até o fim deste mês nove estações da Linha 5-Lilás. A única que ficaria para 2018 seria Campo Belo. Passado quase um ano, só três foram abertas e as demais têm prazos escalonados entre janeiro e dezembro do ano que vem. Inicialmente, todo o ramal deveria ter sido entregue em 2014. A demora em concluir as promessas – há atrasos também nos canteiros de obras do Rodoanel Norte, do trem que chegará ao Aeroporto de Cumbica, do novo sistema de abastecimento de água São Lourenço, entre outros – tem relação direta, segundo a gestão Alckmin, com a crise econômica que fez a capacidade de investimento do Estado ser reduzida em 26% nos últimos três anos. Em 2014, quando se reelegeu, em primeiro turno, para o quarto mandato, Alckmin alcançou o teto de recursos investidos em novas obras ou programas: R$ 21 bilhões. No ano passado, esse valor caiu para R$ 15,6 bilhões, mesmo ritmo atual. Diante do quadro de queda na arrecadação de impostos no Estado e alta da taxa de desemprego no País, o governo afirma que precisou fazer escolhas. Os números oficiais mostram que foram quatro frentes: transporte público, transporte rodoviário, habitação e saneamento básico. As duas primeiras áreas consumiram mais da metade dos recursos aplicados em investimentos no ano passado. Entre os motivos estão o Trecho Norte do Rodoanel (previsto para fevereiro deste ano e prorrogado para março de 2018) e as obras não só da Linha 5-Lilás, mas das Linhas 4-Amarela (que começaram em 2004 e deveriam ter sido finalizadas em 2014), 17-Ouro e 15-Prata, esses dois últimos monotrilhos que deveriam já estar em operação. A primeira preocupação do governo tem sido pagar as despesas do dia a dia e evitar atraso de salários, aposentadorias e pensões. Diferentemente de outros Estados, como o Rio, em São Paulo os servidores recebem em dia – o pagamento da segunda parcela do 13.º salário foi até antecipado por Alckmin em cinco dias -, mas em compensação, grande parte das categorias não tem reajuste há pelo menos três anos, como os professores. Líder do PT na Assembleia Legislativa, o deputado Alencar Braga diz que é o funcionário público do Estado quem paga o preço do ajuste fiscal de Alckmin. “E nem sabemos ao certo se as contas do governo são assim tão equilibradas. Falta transparência. E, se o caixa está cheio, por que é necessário privatizar linhas de metrô, parques e a própria Cesp (Companhia Energética de São Paulo), como quer o governador?” Membro da base aliada de Alckmin, o deputado estadual Coronel Camilo (PSD) não poupa elogios à gestão do tucano, mas também avalia que ele poderia ter “equalizado” melhor a questão do funcionalismo.

Estadão

10 de dezembro de 2017, 10:36

BAHIA Aleluia: “Rui precisa tratar seu complexo de inferioridade”

Foto: Divulgação

Deputado José Carlos Aleluia

“Com esdrúxulos ataques a ACM Neto, o governador Rui Costa só revela seu evidente complexo de inferioridade”, afirma o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA). Para Aleluia, é até compreensível que o petista sofra desse transtorno psicológico: “afinal, mesmo sendo governador do estado, Rui do PT está sempre atrás do prefeito da capital em todas as pesquisas de opinião pública”. O que o deputado democrata não entende é o despudor do governador de ficar manifestando o problema frequentemente na imprensa, em vez de procurar um tratamento psicológico para vencer o trauma. “Rui, se quiser, existem bons profissionais em Salvador para lhe ajudar a superar esse complexo de inferioridade”. Aleluia observa que o problema do governador é grave. “No desespero de atingir Neto, Rui do PT não economiza nas mentiras. Esquece que as UPAs de sua responsabilidade não funcionam. Omite as várias creches construídas pela prefeitura sem um centavo dos governos estadual e federal. Além de negar que Neto está construindo o primeiro hospital municipal de Salvador”. Para o parlamentar, a saúde pública melhora a cada dia na gestão de ACM Neto, ao contrário do que ocorre no estado da Bahia. “Mas o que me preocupa é a saúde mental de nosso governador, afinal é temerário ter um líder que vive a delirar em vez de governar”.

10 de dezembro de 2017, 10:17

BRASIL Número de policiais militares mortos este ano no Rio chega a 126

A assessoria da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro informou, há pouco, que o policial militar (PM) reformado Reginaldo Pedrosa Gomes foi assassinado a tiros, em Comendador Soares, na Baixada Fluminense, na madrugada deste domingo (10). Reformado desde 2004, o soldado tinha 45 anos e era solteiro. Ele é o 126º PM assassinado no estado este ano. De acordo com informações do 20º Batalhão de Polícia Militar de Mesquita, o soldado Gomes envolveu-se em uma discussão ao sair de uma casa de shows e foi morto por um homem que fugiu em seguida. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense está investigando o caso. Dos 126 policiais militares mortos mortos em situação de violência no Rio de Janeiro desde janeiro, 26 foram assassinados em serviço; 77 quando estavam de folga; e 23 eram policiais reformados, informou a assessoria da corporação.

Agência Brasil

10 de dezembro de 2017, 09:54

BRASIL Temer viaja para Argentina com expectativa de concluir acordo com União Europeia

Começa neste domingo, em Buenos Aires, na Argentina, a 11ª Reunião Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC) e a grande expectativa para o encontro, que terá a participação do presidente Michel Temer, é a conclusão do acordo de comércio entre Mercosul e União Europeia. No entanto, os pontos mais sensíveis das negociações entre os blocos, a carne e o etanol, devem ficar de fora do acordo. A sessão de abertura do encontro da OMC está marcada para as 16h pelo horário local (17h no horário de Brasília). Antes, está previsto um encontro entre representantes do Mercosul para tratar das propostas apresentadas pela União Europeia. Após a sessão de abertura, representantes dos dois blocos sentarão à mesa para acertar as bases do acordo.“A ideia é que o acordo possa ser dado como concluído em Buenos Aires a depender do que for a oferta final da União Europeia”, disse o subsecretário-geral de Assuntos Econômicos e Financeiros do Itamaraty (SGEF), embaixador Carlos Márcio Cozendey, em entrevista concedida esta semana. Segundo Cozendey, como houve progressos na assinatura de acordos comerciais após as reuniões de ministros da OMC em Bali e Nairóbi, a expectativa, agora, é de “pouco avanços” em temas importantes para o Brasil, como subsídios agrícolas, comércio eletrônico e facilitação de investimentos, por exemplo. “A reunião de Buenos Aires vai ter que dar a orientação sobre como continuar a discussão de vários desses temas. A expectativa não é de ter grandes inovações, como houve em Bali e Nairóbi, mas que a OMC possa se organizar na continuação da discussão de todos esses temas”, afirmou.

Agência Brasil

10 de dezembro de 2017, 09:31

BRASIL Mega-Sena acumula e próximo prêmio pode chegar a R$ 33 milhões

O concurso 1995 da Mega-Sena, sorteado neste sábado (9) pela Caixa Econômica Federal, não teve acertadores para seu principal prêmio, a sena. O acumulado para o próximo sorteio é estimado em R$ 33 milhões. As dezenas sorteadas foram 14, 26, 29, 35, 37 e 39. Acertaram a quina 66 apostadores, que vão receber, cada um, R$ 38,617,02. Os 4.840 acertadores da quadra vão receber R$ 752,27, cada um.

Agência Brasil

10 de dezembro de 2017, 09:15

BRASIL Prefeito de Campinas será investigado na Ouro Verde

Foto: Gustavo Magnusson

Prefeito de Campinas, Jonas Donizete (PSB)

Após ser mencionado em grampos da Operação Ouro Verde, que investiga desvios na área da saúde, o prefeito de Campinas, Jonas Donizete (PSB), será investigado pela Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo. A Operação Ouro Verde, deflagrada no dia 30 de novembro, encontrou a fortuna de R$ 1,2 milhão na casa de um servidor público de Campinas, a cem quilômetros da capital São Paulo. O servidor disse que o dinheiro é oriundo da venda da fazenda de seu tio. A investigação aponta que um grupo por trás da organização social Vitale, que administra o Hospital Ouro Verde, usa a entidade, que não deveria ter fins lucrativos, para obter indevida vantagem patrimonial. Em meio às investigações, o Grupo de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Estadual de São Paulo afirma ter encontrado ‘indicativos de que o prefeito de Campinas, Jonas Donizete, detentor de foro por prerrogativa de função, poderia, ao menos, em tese, ter algum tipo de participação nos fatos investigados, com favorecimento de fornecedor da Organização Social em troca de indevida contraprestação’. “Constatados os fatos envolvendo autoridade com foro por prerrogativa de função, foram cessadas as atividades investigativas, com elaboração da presenta manifestação para a análise do Juízo, com o requerimento de encaminhamento dos autos ao Procurador-Geral de Justiça do Estado de São Paulo”, diz o MPE. Segundo narra o Gaeco, ’em agosto deste ano, quando a Vitale estava deixando de pagar fornecedores e os seus representantes estavam em plena negociação com o Poder Público buscando celebrar um aditivo ao contrato, visando a maiores recursos públicos, Ronaldo Foloni, que é Diretor Geral da Vitale no Hospital Ouro Verde, recebe uma ligação de Gustavo Khattar de Godoy, que passa a chamada para quem ele identifica como seu pai, Sylvino’. “Na conversa, Sylvino afirma ter conversado com o Silvio Bernardin, que é secretário Municipal de Assuntos Jurídicos, o qual teria garantido que o aditivo iria ser aprovado. Sylvino afirma que também havia falado com o Prefeito de Campinas, Jonas Donizete, o qual afirmou que novos recursos ingressariam nos cofres públicos, o que viabilizaria o aditivo pretendido. Ronaldo afirma que presisa de uma data até para poder passar uma data para o Gustavo, para ele se organizar, deixando claro que precisava da aprovação de novos recursos para poder pagar Gustavo”. Sylvino Godoy Neto é diretor presidente da Rede Anhanguera de Comunicação. “Em outra ligação, entre Foloni e Tata Bortoncello, presidente da Vitale, afirma ter ouvido de Gustavo Khattar que a ‘Vitale só havia vencido o certame em Campinas graças à intervenção do seu pai com o prefeito Jonas Donizette, uma vez que, em troca de cessar matérias negativas que eram realizadas pelo jornal contra a SPDM, entidade que antecedeu a Vitale na gestão do Hospital Ouro Verde, o prefeito garantiu ao seu pai que a nova OS contrataria os serviços de imagem de Gustavo”,narra o MPE.

Estadão

10 de dezembro de 2017, 09:00

BRASIL Odebrecht estende leniência com MPs nos Estados

Foto: Divulgação

Empreiteira compartilha provas entregues à Operação Lava Jato em Curitiba com investigações em ao menos 6 unidades da Federação

A Odebrecht fechou nos últimos meses acordos de leniência para compartilhar provas entregues à força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba com ao menos outros seis Estados. Como a equipe de procuradores no Paraná não tem atribuição sobre a totalidade dos fatos criminosos revelados pela empreiteira, há casos que precisam ser investigados por Ministérios Públicos Estaduais ou pelo Federal em outras regiões. Ao assinar o acordo de leniência, a Odebrecht se obrigou a colaborar com os demais órgãos de investigação, desde que isso não seja usado contra a própria empresa. Por isso, a Lava Jato e advogados da empreiteira estipularam no acordo um mecanismo de proteção, pelo qual outros promotores e procuradores podem obter as provas entregues desde que concordem com os termos assinados. Para a empresa, há benefício de não ser punida novamente e tentar garantir que os valores de indenização sejam descontados do total acertado com a operação. Um ano após a assinatura do acordo com Curitiba, a Odebrecht conseguiu firmar seis acordos com MPFs nos Estados e outros dois com MPEs. Há desde acordos globais – em que todos os fatos descritos pela Odebrecht de competência daquele Estado estão contemplados pela leniência – como negociações caso a caso. As tratativas são mantidas em sigilo pela empresa e pelos procuradores. São Paulo é um dos Estados que têm negociação para cada fato. Há cerca de 30 casos de crimes delatados pela Odebrecht de competência do MP paulista e cada promotor responsável vai analisar de forma individual se adere ou não à leniência. Em setembro, o MP paulista informou que não iria aderir ao acordo da empresa. Depois disso, no entanto, as negociações com os promotores estaduais tiveram avanços significativos, segundo fontes com acesso às tratativas. O Estado apurou que no Distrito Federal há acordo firmado no âmbito do MPF, mas não de maneira global, mas para operações específicas. Em Alagoas há negociações avançadas, porém ainda não concluídas. Na semana passada, a Polícia Federal deflagrou uma operação que tinha como alvo a gestão do ex-governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) com base em informações da Odebrecht.

Estadão