26 de março de 2017, 07:00

BRASIL Manchetes do dia

- A Tarde: Roubos de carga sobre 105% na Bahia

- Correio*: Bahia tem 21 cursos com nota máxima

- Folha: Odebrecht cometia fraude no exterior para pagar propina

- Estadão: Exportação de carne perde US$ 130 mi em uma semana

- O Globo: Uma nova igreja surge a cada hora no Brasil

25 de março de 2017, 13:00

BRASIL Vice-governador do Rio está internado devido a cirurgia urológica

O vice-governador do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, de 82 anos, está internado desde o início da semana no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, zona sul da cidade. Segundo a assessoria do governo, ele se submeteu a uma cirurgia urológica na última segunda-feira, 20. “O procedimento foi bem-sucedido, o vice-governador passa bem e deve ter alta amanhã”, informou, em nota, o governo do Estado, que também classificou a cirurgia como “de rotina”.

Estadão

25 de março de 2017, 12:30

BRASIL Temer diz estar confiante de que mais países retomarão compra de carne do Brasil

Depois de a China anunciar, hoje (25), a reabertura do mercado para a carne exportada pelo Brasil, o presidente Michel Temer disse que a decisão é um reconhecimento da confiabilidade do sistema de defesa agropecuária brasileiro. Em nota, Temer destacou que o posicionamento chinês é resultado do trabalho de esclarecimento empreendido pelo governo nos últimos dias com os parceiros comerciais e diz estar confiante de que outros países seguirão o exemplo da China. “Nosso país construiu grande reputação internacional neste segmento. E o posicionamento chinês é a confirmação de todo trabalho de esclarecimento levado a termo pelo governo brasileiro nestes últimos dias em todos os continentes”, diz Temer na nota. O presidente também faz um agradecimento o governo do presidente chinês, Xi Jinping. “Temos uma parceria que gerou muitos frutos e, com certeza, muitos ganhos ainda teremos com a sólida relação entre nossas nações. Estamos plenamente confiantes de que outros países seguirão o exemplo da China”, disse. A China havia suspendido as importações de carnes do Brasil no início da semana, após a deflagração da Operação Carne Fraca pela Polícia Federal (PF). As investigações da PF apontaram a existência de esquema criminoso que envolve empresários do agronegócio e fiscais agropecuários que facilitavam a emissão de certificados sanitários para alimentos inadequados para o consumo.

25 de março de 2017, 12:15

BRASIL Temer telefona para presidente do BNDES e diz que ela fica na equipe

Foto: Estadão

O presidente Michel Temer (PMDB)

O presidente Michel Temer telefonou neste sábado para a presidente do BNDES, Maria Silvia, e garantiu a permanência dela no governo. Na conversa, Temer disse que ela fica na sua equipe até dia 31 de dezembro de 2018 e destacou que ela tem “a total confiança do seu governo”. A Coluna do Estadão revelou, neste sábado, que em encontro com empresários na última quinta, em São Paulo, Temer ouviu duras críticas a gestão de Maria Silvia no BNDES. Os dois problemas são demandas não atendidas de empréstimos e pedidos de audiência com a executiva negados. O BNDES não comenta as críticas.

Estadão

25 de março de 2017, 12:00

ECONOMIA Previ tem primeiro superávit em 5 anos

A Previ fechou 2016 com superávit de R$ 2,19 bilhões em seu principal plano. Foi o primeiro resultado anual no azul em cinco anos, reduzindo o déficit acumulado da fundação para R$ 13,9 bilhões. Apesar disso, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil ainda corre o risco de ter de pedir contribuições extraordinárias dos participantes do Plano 1, o maior e mais antigo do fundo. Isso porque o déficit ajustado, obtido após a precificação dos títulos na carteira do fundo, ficou acima do limite de tolerância da Previc, órgão regulador do setor. Na prática a Previ terá de lidar com um rombo de R$ 1,44 bilhão ao longo de 2017 para evitar a cobrança de aportes extras. ”Estamos bastante confiantes. No ano passado, a gente não implementou (o plano de equacionamento) com R$ 2,9 bilhões. Este ano é metade disso”, disse o presidente da Previ, Gueitiro Genso em apresentação dos resultados aos participantes do Plano 1. Ao comentar os resultados da Previ, o executivo destacou a superação da meta atuarial (de rentabilidade) de 11,91%, apesar do cenário adverso em 2016. Genso citou o impeachment, a CPI dos Fundos de Pensão o aprofundamento da Operação Lava Jato e eventos externos como o Brexit e a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos. A retomada da atividade econômica foi adiada e o País fechou o ano com queda de 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB), a segunda seguida. No Plano 1, a rentabilidade foi de 15,03%, enquanto no Previ Futuro (plano de contribuição definida) atingiu 22,52%. O principal plano da fundação terminou o ano passado com patrimônio de R$ 160,6 bilhões, enquanto o Previ Futuro fechou com R$ 9,46 bilhões, somando R$ 170 bilhões em ativos. Genso destacou a recuperação do valor dos principais ativos da Previ em renda variável. Juntos, Vale, Banco do Brasil, Neoenergia, Petrobrás e Bradesco retomaram R$ 6,6 bilhões, após perdas de R$ 13,4 bilhões em 2015. “As dificuldades que enfrentamos em 2015 eram conjunturais.”

Agência Brasil

25 de março de 2017, 11:45

ECONOMIA China anuncia retomada das importações de carne brasileira

Foto: Divulgação

O ministro Blairo Maggi

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou que a China anunciou hoje (25) a “reabertura total do mercado de carnes brasileiras”. O país suspendeu as importações de carnes do Brasil no início da semana, após a deflagração da Operação Carne Fraca pela Polícia Federal (PF). As investigações da PF apontaram a existência de esquema criminoso que envolve empresários do agronegócio e fiscais agropecuários que facilitavam a emissão de certificados sanitários para alimentos inadequados para o consumo. Em nota, assinada pelo ministro Blairo Maggi, a pasta destaca que a decisão das autoridades chinesas de retomar as importações de carne brasileira resulta de negociações intensas. “Nos últimos dias, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Itamaraty e a rede de embaixadas do Brasil no exterior trabalharam incansavelmente para o êxito que se anuncia hoje.” “Trata-se de atestado categórico da solidez e qualidade do sistema sanitário brasileiro e uma vitória de nossa capacidade exportadora”, destaca o ministro. Na nota, Blairo Maggi agradece o “gesto de confiança” da China e ressalta que o país asiático nunca fechou mercado aos produtos brasileiros, “apenas tomou medidas preventivas para que tivéssemos a oportunidade de oferecer todas as explicações necessárias e garantir a qualidade da nossa inspeção sanitária”. Para o ministro, “a regularização do ingresso da carne brasileira na China mostra o espírito de confiança mútua entre os dois países e a disposição para dialogar com boa-fé”.

Agência Brasil

25 de março de 2017, 11:30

BAHIA Importância da Biofábrica de Cacau para Bahia é discutida em Ilhéus

O papel e a importância socioambiental e econômica do Instituto da Biofábrica de Cacau para a Bahia foram debatidos na sexta-feira (24) no parque fabril, em Ilhéus, em audiência pública presidida pelo coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Marcelino Galo (PT). O evento reuniu a comunidade interessada no fortalecimento da Biofábrica, como técnicos, agrônomos e agricultores, movimentos sociais e secretários de agricultura e meio ambiente das cidades de Cícero Dantas, Santa Bárbara, Cruz das Almas, São Sebastião do Passé e Santa Luzia, com a participação do prefeito Antônio Guilherme, presidente do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica. O instituto da Biofábrica de Cacau trabalha na produção de mudas fundamentais para o fortalecimento da agricultura familiar e também desenvolve projetos de restauração de matas ciliares. “A Biofábrica tem papel fundamental no reflorestamento, no diálogo e fortalecimento da agricultura familiar, na diversificação agrícola e agroindustriais no estado, além de auxiliar em programas ambientais em diversos ecossistemas encontrados na Bahia. Também é referência na produção de mudas de cacau, fruteiras e essências, sendo responsável pelo abastecimento local e pela introdução de cacaueiros como novo pacote tecnológico em áreas não tradicionais de cacau. É, portanto, fundamental para o desenvolvimento sustentável e inclusivo da Bahia, para o fortalecimento da agricultura familiar, tendo em vista que seu trabalho alcança todo território do nosso estado através de parcerias com prefeituras e entidades rurais”, considerou Galo, que também é vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da Assembleia Legislativa.

25 de março de 2017, 11:15

BRASIL Cidades brasileiras apagam as luzes hoje em ação contra o aquecimento global

Mais de 100 cidades brasileiras aderiram este ano à mobilização da Hora do Planeta para incentivar a reflexão sobre como enfrentar o aquecimento global e preservar o meio ambiente. O projeto convoca pessoas, empresas e entidades públicas a apagarem as luzes durante uma hora hoje (25), das 20h30 às 21h30. Criado em 2007 na capital australiana, Sydney, pela organização não governamental WWF, a iniciativa está presente em mais de 7 mil cidades. No Brasil, a ação ocorre desde 2009. Alguns eventos pontuais vão marcar a data, como um passeio ciclístico em Brasília pouco antes do apagar das luzes de monumentos como o Congresso Nacional, o Museu da República e a Catedral Metropolitana. Segundo o diretor executivo do WWF-Brasil, Maurício Voivodic, as ações deste ano priorizaram o engajamento digital. “Fizemos vídeos que foram divulgados nas redes sociais, com pessoas comuns sobre o que ainda não conseguiram fazer para melhorar o planeta e o que o podem fazer para contribuir. É um convite à reflexão” disse. Além da conscientização individual, a campanha também busca despertar a população para o problema do consumismo. “O atual padrão de consumo também é uma questão abordada nas nossas ações. O consumismo é um tremendo problema para a sociedade e para o planeta, gerando desperdício”, alertou Voivodic. “Nestes dez anos, o balanço é muito positivo, tem tocado as pessoas e hoje é a maior campanha ambiental do mundo, é um momento para parar e pensar como podemos cuidar melhor do nosso planeta”, completou.

Agência Brasil

25 de março de 2017, 11:00

BRASIL A Moro, Marta elogia ex-assessor de Palocci preso na Lava Jato

Foto: Divulgação

A senadora Marta Suplicy (PMDB)

Em depoimento como testemunha do ex-assessor de Antonio Palocci, Branislav Kontic, na Lava Jato, a senadora Marta Suplicy (PMDB) elogiou Brani, como era conhecido, e alegou não ter conhecimento de nenhuma conduta que o desabonasse. Kontic foi casado com a irmã de Marta na década de 1980 e, posteriormente, trabalhou de 2002 a 2004 como assessor especial do gabinete da Prefeitura de São Paulo durante sua gestão. “Mantinha contato com ele ocasionalmente para o encaminhamento de atividades de sua competência. Nessas oportunidades sempre me pareceu uma pessoa muito envolvida com o trabalho, dedicado, competente íntegro, nada tendo chegado ao meu conhecimento que o desabonasse. Pelo contrário, sempre foi muito elogiado por pessoas com quem trabalhava”, relatou a senadora em depoimento por escrito ao juiz Sérgio Moro.

Estadão

25 de março de 2017, 10:45

BRASIL Temer apresenta defesa no processo que pode cassá-lo no TSE

Foto: Beto Barata

O presidente Michel Temer (PMDB)

A abertura de conta corrente própria e a introdução de provas irregulares no processo são os pilares da defesa do presidente Michel Temer à ação no TSE que pode cassar a chapa Dilma-Temer. Nas alegações finais da defesa, enviada para o ministro Herman Benjamin, na noite desta sexta-feira, 24, os advogados do peemedebista alegam que, no caso específico de Temer, vice e presidente teriam que ter as condutas avaliadas de forma separada pela Corte. A hipótese de exercer esta faculdade, além de responsabilizar-se integralmente por sua arrecadação, passa a ter o direito de ter sua conduta avaliada individualmente”, argumenta a defesa de Temer. “Em relação ao presidente Michel Temer, sob nenhuma ótica, a ação poderá prejudicá-lo, ante a necessária relativização da unicidade de chapa, diante de abertura de conta corrente própria para sua movimentação”, continuam os advogados. No documento de 55 páginas, os advogados Gustavo Guedes, Marcus Vinícius Coêlho e Paulo Henrique Lucon pedem também a anulação “dos depoimentos que extrapolaram a causa”. “Nenhuma das testemunhas ouvidas – e foram mais de 50 – disse ter havido doação de fornecedoras da Petrobrás para a campanha presidencial de 2014. Revelaram sim muitos pagamentos em pleitos passados, mas nada, absolutamente nada, oriundo da estatal”, escreveram. “As três ações eleitorais começaram com um desenho original restrito. Foram sendo gradativamente ampliadas, reconfiguradas. À medida que notícias novas (de duvidosa relação com o objeto original) foram surgindo, o objeto era dilatado”. Os advogados argumentam ainda entender “não ter havido gravidade suficiente nas condutas, especialmente para a desconstituição de mandato presidencial, devendo, por igual, haver a improcedência das demandas”.

Estadão

25 de março de 2017, 10:36

SALVADOR Mulheres do PSOL discutiram assédio sexual durante Sarau Feminista

As mulheres do Partido Socialismo e Liberdade realizaram, na noite desta sexta-feira(24), Sarau Feminista, que discutiu o assedio sexual e o feminismo, na sede da sigla, localizada no Campo Grande. O evento contou com apresentações musicais de Baraúna Eletroxote e Priscila e recitais poéticos de Meire Reis, Bruna Jacob e Bruno D’ Almeida. Laina Crisóstomo, advogada, militante feminista do Coletivo “Tamo Juntas”, destacou que as mulheres precisam começar a ocupar os espaços de poder e serem lançadas como candidatas às chapas Majoritárias e o Setorial vai contribuir muito para o fortalecimento das mulheres do PSOL. Segundo a advogada, o PSOL não pode ser um partido de elite, que dialoga apenas com o ambiente universitário. ” O PSOL tem que dialogar com a massa, com a população mais pobre”, defendeu a liderança. A historiadora e professora da Rede Pública Estadual de Ensino, Meire Reis, contou que começou a “despertar” para a questão do feminismo a partir dos movimento negro. Para a dirigente da Executiva Municipal, o assédio só acontece quando existem relações desiguais de poder e a violência, muitas vezes, é naturalizada, acaba não sendo percebida como assédio sexual.

25 de março de 2017, 10:23

BRASIL Empresa pode pagar mais, mesmo com acordo

As empreiteiras que firmaram acordos de leniência com a Lava Jato poderão ser cobradas a devolver aos cofres públicos valores mais altos que os já pactuados com o Ministério Público Federal. Em nota enviada ao Estado, a força-tarefa responsável pela operação em Curitiba informou que as empresas nessa situação – entre elas Odebrecht, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, que já se comprometeram a pagar R$ 7 bilhões ao erário brasileiro – não estão livres de arcar com quantia “sobressalente”. ”O valor das leniências (com o MPF) é uma antecipação do ressarcimento do dano. Eventual quantia sobressalente pode ser cobrada por outros órgãos públicos. Os acordos de leniência do MP não dão quitação, conforme está expresso em suas cláusulas”, explicou a força-tarefa sobre decisão do Tribunal de Contas da União (TCU). Na quarta-feira, após um acordo com a Lava Jato, o TCU declarou a inidoneidade de quatro empresas alvo da Lava Jato, envolvidas no cartel da usina de Angra 3. UTC, Queiroz Galvão, Techint e Empresa Brasileira de Engenharia ficarão impedidas, por cinco anos, de participar de licitações e firmar contratos bancados por recursos do governo federal. No entanto, Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, implicadas no mesmo esquema, tiveram o processo de punição suspenso pela corte. As penalidades não foram aplicadas de imediato porque, ao firmar os acordos de leniência (espécies de delações premiadas de pessoas jurídicas), elas colaboraram com as investigações do MPF e, por isso, foram consideradas merecedoras de uma “vantagem comparativa”.

Estadão Conteúdo

25 de março de 2017, 10:11

BRASIL Sem Lula, Gleisi é cogitada para presidir PT

Foto: Fábio Campana

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)

A desistência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de disputar a presidência do PT abriu a possibilidade de um racha inédito na corrente majoritária do partido, a Construindo um Novo Brasil (CNB). A corrente está dividida entre os grupos que apoiam o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha ou o tesoureiro do partido, Marcio Macedo. Para evitar a cisão, algumas lideranças da CNB voltaram a cogitar o nome da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). Indagada sobre a indicação, a senadora desconversou. “Isso não está posto. O temos são as candidaturas do Lindbergh (Farias, senador e candidato das correntes de esquerda), do Marcio e do Padilha”, disse Gleisi. Esta não é a primeira vez que ela é cogitada para suceder Rui Falcão na presidência do PT. Anteriormente, Gleisi recusou de forma cabal a possibilidade. Um dos motivos alegados é o fato de ela ser ré em uma ação da Operação Lava Jato ao lado do marido, o ex-ministro Paulo Bernardo. Líderes da CNB defendem que Lula chame a senadora para uma conversa e tente persuadi-la em nome da unidade da sigla. Anteontem, o ex-presidente convocou dirigentes petistas para dizer novamente que não aceita disputar a presidência do PT. Foi a terceira vez que Lula mudou de posição a respeito do assunto. Alguns integrantes da CNB, corrente que o pressionava a aceitar o cargo, ainda vão insistir no nome do ex-presidente. “Para mim ainda tem de ser o Lula”, disse o ex-ministro da Casa Civil Jaques Wagner.

Estadão Conteúdo

25 de março de 2017, 09:58

BRASIL Temer se irrita e não fala sobre acusações a Padilha

O presidente Michel Temer (PMDB) se irritou ontem, em São José do Rio Preto (SP), ao ser questionado sobre as delações de ex-executivos da Odebrecht. Enquanto falava sobre a recuperação da credibilidade do País, ele foi interrompido pela pergunta de uma jornalista. “Você me dá licença para terminar meu raciocínio? Falamos disso depois”, disse o presidente. Logo depois, entretanto, questionado se as novas delações complicam a situação do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e do PMDB, Temer virou-se e se afastou, passando o microfone para o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE).

Estadão Conteúdo