3 de novembro de 2008, 10:03

Petistas tentam adiar renovação da executiva nacional do partido

A informação circulou hoje em São Paulo e Brasília: Parte da Executiva petista tenta adiar a troca da direção do partido em 2009. Pelas novas regras, cada integrante pode ficar no máximo dois mandatos de dois anos. Isso significa que 14 dos 21 integrantes, alguns deles há quase dez anos na Executiva, devem perder suas funções, que são remuneradas.

3 de novembro de 2008, 10:01

Aliados com mais repasses obtêm vitórias nas urnas

Partidos que integram nacionalmente a coalizão que dá sustentação ao governo Luiz Inácio Lula da Silva saíram vitoriosos das urnas em 28 das 30 grandes cidades que, proporcionalmente à população, foram mais beneficiadas com contratos para recebimento de verbas federais de investimento entre 2005 e maio de 2008, informa a Folha de S. Paulo. O “sucesso” eleitoral dos governistas difere do que foi observado em 2004, quando oposicionistas conseguiram crescer no grupo de cidades que mais dinheiro federal obteve naquele ano. Apesar dos dados, não é possível estabelecer relação direta entre o investimento federal nas cidades e o sucesso de seus aliados.

3 de novembro de 2008, 08:18

Com 114 Prefeituras e o Ministério, Geddel terá um “pibinho” para gastar de $ 16 bi, diz Veja

A revista Veja desta semana calcula que, com a eleição de 114 prefeitos na Bahia, entre os quais o de Salvador, João Henrique, o ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional) terá “um pibinho” para gastar. “A soma dos orçamentos dessas cidades com o de seu ministério dará a ele influência sobre R$ 16 bi. Além disso, 35% do eleitorado baiano vive em cidades que serão administradas por seus aliados. Com tanto poder e influência, Geddel multiplicou seu peso eleitoral”, diz a reportagem, que traz a seguinte declaração do presidente nacional da legenda, Michel Temer: “Ele (Geddel) foi o integrante do partido que mais encorpou nas urnas”. Segundo a Veja, o aumento de forças colocou Geddel – assim como todo o PMDB – diante de um dilema: o que fazer em 2010, quando serão eleitos os próximos governadores e o presidente da República?

3 de novembro de 2008, 08:17

Piritiba: Prefeitura faz concurso para 92 vagas

De 3 a 14 de Novembro estarão abertas as inscrições para o concurso público de provas e títulos da Prefeitura de Piritiba com vagas para cargos de nível superior, médio e fundamental. As cargas horárias semanais de trabalho variam de 20 a 44 horas, a depender dos cargos. Existem vagas para médicos, enfermeiros, professor de Geografia, professor de Língua Portuguesa, Matemática, de Língua Inglesa, Técnico de Radiologia, Fiscal de Serviços Públicos, Fiscal de Tributos, Operador de Máquinas Pesadas, Motorista C ou D, Mecânico, Auxiliar de Serviços Gerais, Agente de Limpeza, Agente de Vigilância, Carpinteiro, Encanador e Pedreiro. Os salários situam-se entre R$ 415,00 e R$ 1.210,00. As inscrições variam de R$ 20,00 a R$60,00 e serão realizadas no Centro Cultural Firmino Sampaio, centro, das 8 às 12 horas e das 14 às 17 horas, de segunda à sexta-feira. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.seletaconsultoria.com.br e pelos endereços eletrônicos contatos@eletaconsultoria.com.br e seletaconsult@ibest.com.br ou pelo telefone 75-3422-4846.

3 de novembro de 2008, 08:16

Cruz das Almas: Número de vereadores gera impasse

Em Cruz das Almas, decisão da juíza Lethéia Braga de proclamar a eleição de 15 vereadores – atualmente são 10 – a partir da próxima legislatura, com base na Lei Orgânica do Município, gera a maior polêmica. Críticos da medida dizem que a população da cidade tem três vezes menos eleitores do que, por exemplo, Vitória da Conquista, onde a Câmara Municipal tem 10 representantes, o que não justificaria o aumento no número de vereadores. Há quem preveja uma grande confusão na cidade se, eventualmente, a Justiça anular o inchaço da Câmara.

3 de novembro de 2008, 08:14

A TARDE diz que deputado embolsou R$ 12 milhões da Credieunápolis

O jornal A Tarde de hoje revela que chama-se Ronaldo Carletto (PP) o deputado que teria embolsado R$ 12 mi da Credieunápolis, segundo denúncia que, segundo o jornal, o português Agostinho Ferraz pretende fazer à Procuradoria Geral da República em Brasília. A A Tarde, Ferraz revelou que aplicou R$ 400 mil na cooperativa de Eunápolis “induzido” pelo ex-prefeito de Porto Seguro, Ubaldino Jr. (PMDB), e que, ao tentar reaver o dinheiro, foi ameaçado de morte. O caso é ni-tro-gli-ce-ri-na pura.

3 de novembro de 2008, 08:13

Walter Pinheiro e o “vácuo” pós-eleitoral. Hum!!!!

A repórter Ludmilla Duarte, da sucursal de Brasília do jornal A TARDE, captou hoje um toque sutil de Walter Pinheiro, candidato derrotado à Prefeitura de Salvador pelo PT, sobre a “conformação” pós-eleitoral da política baiana. “É muito cedo para falar em novo cenário, até porque muita coisa vai se diluir (…) Mas não dá para achar que isto (as montagens e remontagens necessárias no governo Wagner) pode esperar (…) porque se ficar um vácuo alguma coisa vai ocupar (…) 2008 é uma preparação para 2010. E em 2010 não teremos Lula para exibir”. Este site é capaz de dizer que, ao concluir a frase, Pinheiro deu aquela indefectível piscadinha de olho. Cá para nós: É ou não é o velho Pinheiro?

3 de novembro de 2008, 06:58

EXCLUSIVO: Aliados querem forçar recomposição no governo Wagner à luz das eleições de outubro

Os partidos que marcharam com a candidatura de Walter Pinheiro (PT) à Prefeitura de Salvador aguardam apenas a chegada, prevista para hoje, do governador Jaques Wagner (PT) de uma viagem que iniciou na quarta-feira passada aos EUA para marcar uma reunião com ele com o propósito de discutir a relação com o governo.

Liderados pelo PT, eles pretendem sugerir a Wagner “um novo olhar” sobre a aliança que o elegeu e hoje compartilha espaços na administração à luz dos resultados da sucessão municipal, na qual, na visão deles, um dos principais aliados do governador, o PMDB, “desgarrou-se” com a candidatura do prefeito João Henrique.

“A força da esquerda baiana é inegável. Elegemos juntos, nestas eleições, 104 prefeitos”, diz um petista a respeito das comparações constantes entre o grupo e o do ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional), principal liderança do PMDB na Bahia, que fez 114 Prefeituras, entre as quais a da capital baiana.

O crescimento dos partidos aliados nas eleições de outubro será o principal argumento que apresentarão ao governador no sentido de forçar uma recomposição de seu governo a partir de agora. A segunda tese diz respeito ao comportamento “imprevisível” que o PMDB, bombado pela eleição, poderá tomar na sucessão de 2010.

“Não podemos esquecer que o PMDB, apesar de travar uma disputa em Salvador no âmbito da coalizão, aliou-se com o principal inimigo do nosso projeto na Bahia e nacionalmente”, diz o mesmo petista, referindo-se ao deputado federal ACM Neto (DEM) – que apoiou João Henrique no segundo turno – como “o inimigo” local e nacional do PT.

A apresentação do quadro ao governador é o ponto de partida para uma discussão que o leve a entender a “necessidade” de reavaliar os rumos políticos da administração no momento pós-eleitoral, tendo em mente, por exemplo, o que as legendas avaliam como necessidade de fortalecer as forças verdadeiramente “leais a seu projeto”.

Por recomposição, os aliados entendem uma reforma administrativa que implique num outro nível de participação de cada parceiro no governo com base, “tecnicamente”, no resultado de cada qual nas urnas. No entendimento deles, o PMDB, entretanto, ficaria de fora da rearrumação, apesar de o partido, sozinho, ter feito mais Prefeituras.

O argumento é que a legenda do ministro teria perdido a confiança do governo e dos aliados ao ter se unido ao DEM. Afinal, como teria dito o presidente estadual do PT, Jonas Paulo, ao presidente nacional da legenda, Ricardo Berzoini, e ao próprio presidente da República “ACM Neto não é qualquer político. É o líder da Oposição a Lula”.

3 de novembro de 2008, 06:42

Manchetes do dia

– A Tarde: PT discute aliança com PMDB

– Correio da Bahia: Os segredos das melhores escolas de Salvador

– Tribuna da Bahia: Bancos devem elevar juros

– Folha: Governo conclui estudo para adiar tributo de empresa

– Globo: Cariocas consideram van o melhor transporte

– Estadão: Crédito escasso ameaça 324 grandes obras no País

– JB: Crise dificulta crédito para as empresas

– Valor: Empréstimo a empresa encolhe e juros disparam

– Gazeta Mercantil: Petrolífera descumpre regra de nacionalização

– Correio: Repetência custa R$ 10 bi ao Brasil

– Valor: Empréstimo a empresas encolhe e juros disparam

– Gazeta Mercantil: Petrolífera descumpre regra de nacionalização

2 de novembro de 2008, 12:36

EXCLUSIVO: PMDB deve evitar envolver-se em disputa por Assembléia Legislativa

Colhendo os louros da vitória no Estado desde que conquistou a Prefeitura de Salvador e de pelo menos 113 outras cidades do interior, o PMDB deve evitar envolver-se diretamente na disputa pela presidência da Assembléia Legislativa, na qual já se lançaram, pelo partido, os deputados Arthur Maia e Luciano Simões.

De acordo com uma fonte peemedebista, o partido imagina que o governador Jaques Wagner (PT) deve usar todas as fichas para manter no cargo alguém de sua estrita confiança. Além disso, pelo menos por enquanto, o PMDB não pretende assumir qualquer batalha que ameace o título de grande vitorioso com que saiu destas eleições.

“Há uma forte tendência hoje no PMDB de a sucessão na Assembléia Legislativa ser encarada como uma batalha restrita aos deputados, em que a bancada deve buscar se resolver sozinha”, diz um deputado do partido com livre trânsito junto aos irmãos Vieira Lima (Geddel, o ministro da Integração Nacional, e Lúcio, o presidente do partido).

De acordo com o mesmo parlamentar, que já teria conversado com os dois parlamentares que postulam a vaga de presidente sobre o assunto, a postura do PMDB poderia ser diferente, no entanto, se o partido tivesse a certeza de que ganharia as eleições à presidência da Assembléia.

Confirmada, a estratégia do PMDB representará também um elemento surpresa nas avaliações que projetavam a disputa pelo Legislativo, considerado para o governador de plantão um cargo chave nas articulações que se desenrolarão com vistas à sua sucessão, como o próximo forte embate eleitoral entre  Wagner e Geddel.

Muito pelo contrário, demonstraria que pelo menos temporariamente o ministro estaria mais inclinado a permanecer comemorando os resultados da performance peemedebista nas eleições do que em continuar dando corda ao acirramento que eclodiu da beligerante disputa entre PMDB e PT em Salvador.

2 de novembro de 2008, 12:01

Senador pretende criar frente a favor do piso nacional dos professores

Presidente da Comissão de Educação do Senado, Cristovam Buarque (PDT-DF) pretende criar uma frente no Congresso contra a tentativa dos governadores de derrubar no STF o piso nacional dos professores. Os governadores do Paraná, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Ceará ingressaram, no STF, com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a lei que fixa piso salarial de R$ 950 aos professores. Além de considerarem o reajuste um “exagero”, alegam falta de orçamento para paga-lo. Os governadores de Roraima, São Paulo, Tocantins, Minas Gerais e Distrito Federal também apóiam a ação no Supremo.

2 de novembro de 2008, 11:47

Eduardo Campos convidou Gaudenzi para ser candidato em 2010

Ao confirmar à coluna de Cláudio Humberto que deixará o comando da Infraero em dezembro, o baiano Sérgio Gaudenzi informou haver recebido convite do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, seu partido, para disputar as eleições de 2010.

Gaudenzi, que já foi deputado estadual e federal, não revelou que cargo pretende disputar, mas afirmou que está preparado para “a qualquer momento” passar todos os projetos em andamento no País ao sucessor: “Mudanças fazem parte do processo democrático e da rotatividade de cargos de confiança do serviço público”.

2 de novembro de 2008, 10:23

Cooperativa de Eunápolis é acusada de dar golpe de R$ 12 mi em associados

O jornal A TARDE revela hoje que se encontra em poder da Procuradoria Geral da República e do Banco Central, em Brasília, denúncia de que a Cooperativa de Crédito Rural de Eunápolis (Credieunápolis) teria dado um golpe estimado em R$ 12 milhões em parcela de seus associados, emprestando dinheiro sem garantia real a prefeitos, empresários e até a um deputado cujo nome não é revelado. Só um dos cooperados – o português Agostinho Ferraz – teria perdido R$ 400 mil e ainda foi ameaçado de morte. A documentação em poder da Procuradoria denuncia que a cooperativa virou alvo de “uma quadrilha”.

2 de novembro de 2008, 10:08

PSB e PPS ainda são incógnitas na Câmara Municipal

Nos cálculos sobre a formação das bancadas na Câmara Municipal após as eleições não entram o PSB e o PPS. Ninguém sabe com quem ficarão os dois vereadores socialistas Lau e Palhinha, cujo partido apoiou o candidato Walter Pinheiro (PT), mas teriam sido vistos em atividades de campanha de João Henrique. Nem que posição adotará com relação a João Henrique (PMDB) o vereador eleito pelo PPS Joceval Rodrigues.

2 de novembro de 2008, 09:58

Passada a eleição, Serra lança ofensiva sobre PMDB, diz Folha

A Folha de hoje revela que passada a eleição, o PSDB e o governador José Serra vão se lançar numa investida sobre o PMDB. “Depois da conquista do partido em São Paulo, o ponto de partida está nos Estados em que a disputa municipal deixou abertas feridas na relação do PT com o PMDB. Um deles é a Bahia”, diz o jornal. Segundo a Folha, Serra tem conversado com o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima. “Em Salvador, Geddel e o governador Jacques Wagner (PT) entraram em confronto no segundo turno. Hoje, o ministro negocia com o PSDB uma aliança, também com o DEM, para 2010. A articulação também é uma maneira de Geddel pressionar o governo federal”, diz o jornal paulista.