23 de outubro de 2008, 10:01

João Henrique pede mais empenho na campanha ao se referir à “falta de escrúpulos” de Pinheiro

Apesar de ter feito o discurso mais comedido da noite, o prefeito de Salvador e candidato à reeleição pelo PMDB, João Henrique, atacou o petista Walter Pinheiro no jantar organizado pelo seu partido, ontem, no Babagula. O prefeito agradeceu o apoio dos prefeitos eleitos no interior, considerando-o “importante”, mas ressaltou o acirramento da disputa na capital. O peemedebista disse que seu adversário “não tem escrúpulos” para tentar reverter o atual quadro apontado pelas pesquisas.

“Todos vocês aqui, como eu, temos parentes do interior que moram em Salvador. Nós estamos a três dias das eleições e estamos enfrentando um adversário que não está tendo escrúpulos para virar os 12 pontos de frente que nos colocam as pesquisas. Se nós não tivermos esta consciência de que esta frente tem que ser ampliada, nós podemos correr riscos. Em todas as nossas eleições, nós trabalhamos até o último minuto. Nós não podemos cair no clima de já ganhou, nós temos que ampliar a nossa vantagem”, ressalvou.

23 de outubro de 2008, 09:57

Lúcio promete “tsunami verde” contra “marola vermelha”

No jantar promovido ontem pelo PMDB no restaurante Babagula, Lúcio Vieira Lima, ironizou as pesquisas Vox Populi/A TARDE e IBOPE. “A pesquisa Vox Populi que foi contratada pelo PT e pelo A Tarde e que fez o absurdo de publicar um resultado velho no primeiro turno, dá ao prefeito uma vantagem de 12 pontos. (…) Só tá faltando o IBOPE dar a mão a bolo”, declarou.

Perguntado sobre uma possível reação do PT após após a divulgação dos resultados desfavoráveis das pesquisas ao seu candidato, Walter Pinheiro, o presidente do partido ironizou a legenda adversária. “Não tenho visto esta militância anunciada. Eu tenho visto desde o primeiro turno falando que vão virar e quem chegou em primeiro foi João. (…) O que tem é funcionário de comitê. A nossa sim, tem militância”, afirmou.

Durante discurso, o presidente do PMDB voltou a ironizar o seu adversário dizendo que eles fazem “marola vermelha”, após pedir que os prefeitos eleitos do interior se engajem na campanha pela reeleição do prefeito João Henrique. “Todos sabem qual é a tradição do PMDB. A tradição de lealdade, de companheirismo a todos aqueles que fazem parte da família peemedebista. (…) Fique certo, prefeito, que estes companheiros colocaram à disposição os seus familiares. Amanhã desembarcarão os militantes para fazer o que tenho chamado de tsunami verde para não deixar que esta marola vermelha se torne uma onda”, disse. 

23 de outubro de 2008, 09:50

UPB: Prefeitos acham que próximo presidente deve ser de oposição ao governo

Por Rafael Rodrigues

O principal tema discutido nos bastidores do encontro dos prefeitos eleitos da Bahia, iniciado ontem no Hotel Fiesta, numa promoção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), e que prossegue hoje, é a sucessão na UPB (União dos Municípios da Bahia). A eleição que definirá quem dirigirá a entidade no próximo biênio (2009/2010) deverá acontecer entre os meses de janeiro e fevereiro do ano que vem. O Política Livre conversou com vários prefeitos e conselheiros da UPB e constatou que ainda não há uma situação clara sobre como deverão se comportar os prefeitos na sucessão, apesar de já existirem alguns nomes. Há quase que um consenso velado, entretanto, de que “o nome que Jaques Wagner tocar, não será o próximo presidente”. Esta perspectiva se fortalece, como argumentam, porque a UPB sempre teve a característica de ser “um braço do governo”. Mas, na ultima eleição, elegeu o democrata Orlando Santiago, prefeito de Santo Estevão, a despeito de o governador ter “oferecido o mundo” para tentar emplacar a candidatura do prefeito Carlos Brasileiro (PT), de Senhor do Bonfim.

23 de outubro de 2008, 09:42

UPB: Chapa única à sucessão não está descartada

Alguns políticos do interior justificam que, como a função da UPB é justamente a de pressionar o governo, muitos prefeitos, mesmo que de partidos da base governista, perceberam que é mais interessante manter a independência da entidade: há rejeição a um presidente chapa-braca. O que não quer dizer, entretanto, que o nome do próximo presidente não possa surgir de um partido da situação. Ainda há muita especulação sobre como se articulará o governador. Há a possibilidade da formação de uma chapa única, com um nome neutro, sem a interferência de Wagner, que optaria por evitar o desgaste de um conflito em que tem grandes chances de sair perdedor. (Rafael Rodrigues)

23 de outubro de 2008, 09:38

UPB: Eleição em Salvador terá repercussão sobre sucessão na entidade

Há ainda uma grande expectativa com relação às eleições em Salvador para que se possa saber como ficará a relação entre o PT e o PMDB e, consequentemente, a disputa pela UPB. O PMDB, com 116 prefeitos eleitos, espera a orientação do ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional), mas já se fala em nomes como o prefeito peemedebista Luis Amaral, de Jequié. O PT, com 64 prefeituras, não estaria unido: o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), já manifesta interesse na disputa, mas não deve contar com o apoio do governo, já que o secretário de Relações Institucionais, Rui Costa, estaria em busca de um outro nome para a a. O atual prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM), é uma liderança regional que, em caso de disputa, poderá ser a balança na decisão: com sua popularidade, consegue reunir em torno de si cerca de 50 prefeitos. (Rafael Rodrigues)

23 de outubro de 2008, 07:40

Em comício de Pinheiro, Wagner chama João Henrique de mentiroso e o acusa de boicotar seu governo

O governador Jaques Wagner fez duras críticas ao candidato a prefeito João Henrique, durante comício da coligação “Salvador – Bahia – Brasil” (PT, PSB, PCdoB e PV), na noite de ontem, na Praça da Revolução, em Periperi, que, segundo a assessoria do candidato Walter Pinheiro, reuniu cerca de 15 mil pessoas. Segundo os petistas, Wagner usou, entre os adjetivos para qualificar o adversário e sua gestão, as palavras “mentiroso, falsário, incompetente, ingrato e covarde”, o que teria feito a platéia explodir em gritos e aplauos.

“Prefeito João Henrique, olhe no espelho e admita que não tem preparo para governar uma cidade como Salvador!”. Wagner disse que o prefeito usa o termo traição para esconder a incompetência. “No momento eleitoral, é fácil cuspir pra baixo”, disse, numa referência à tática do candidato à reeleição de transferir responsabilidades das questões negativas do seu governo para ex-auxiliares. E emendou: “Esses partidos sofreram durante 40 meses, não boicotaram o seu governo como você agora faz comigo”, disse, citando a obra do Hospital do Subúrbio.

23 de outubro de 2008, 07:39

Wagner: “O (prefeito) que aí está é só de faz-de-conta, não é ele quem governa, quem comanda”

O governador também aproveitou para diferenciar o que considera subserviência de alinhamento político ao falar de sua relação com Pinheiro e Lula. “Lula não é meu chefe. Não vou ser chefe de Pinheiro porque a Prefeitura precisa de um homem que se respeite e a covardia é própria daqueles que não têm liderança”, disse Wagner, para quem, nos últimos meses trocaram o prefeito de Salvador. “O que aí está é só de faz-de-conta, não é ele quem governa, que comanda”, sentenciou.

Um dos momentos mais duros do discurso do governador foi quando acusou João Henrique de ingratidão, recordando o empréstimo que conseguiu, ainda como ministro do governo Lula, para que a Prefeitura pagasse os salários atrasados dos servidores. “Prefeito João Henrique, se o senhor tivesse um milímetro de gratidão, não se referia dessa forma ao meu governo”, afirmou.

23 de outubro de 2008, 07:38

Governador diz que prefeito preteriu campanha do pai em favor da mulher

No discurso do comício, o governador traçou um histórico da “ingratidão” do prefeito que revelou bastidores familiares e da campanha de 2006. Segundo Wagner, em 2006, João Henrique preteriu a campanha do pai ao Senado para jogar peso na candidatura da esposa que disputava um mandato de deputada estadual. “Cheguei a chamar a atenção dele na frente do pai, até comitê de João Durval em Salvador fomos nós que bancamos. Falo isso porque respeito meu pai e desejo o mesmo ao pai dos outros”, contou o governador.

Contundente, o governador afirmou que o novo para Salvador é Pinheiro, pois “ele é a crítica a uma gestão sem rumo, que viveu e bebeu o tempo todo no PDT e PSDB e depois traiu os que abrigaram a sua candidatura em 2004”. Em seguida, rebateu as insinuações feitas pelo prefeito, em recente debate na televisão, de que Wagner teria lhe pedido para ser o candidato a governador. “É mentira que eu tenha lhe pedido isto. Eu ofereci-lhe a candidatura, por estar melhor pontuado nas pesquisas, o senhor disse que não queria ser candidato a governador porque era uma tarefa difícil e o senhor não tem capacidade para realizar tarefas difíceis”, disparou.

23 de outubro de 2008, 07:37

Wagner: “Não adianta me agradar e atacar o meu partido”

No comício, O governador reiterou sua condição de “homem de partido” e disse que “não adianta tentarem me agradar dizendo que eu sou bom, mas o meu partido não presta. Nós ganhamos a eleição para plantar na Bahia a semente do novo, da liberdade”. Ao final, mesmo reconhecendo a postura correta do presidente da República em manter-se distante da disputa em Salvador, Wagner confidenciou, fazendo um chamamento em praça pública: “Peço seu voto para Pinheiro e Lídice, em meu nome e do presidente Lula, que, nas conversas reservadas, torce para que dê o 13!”.

23 de outubro de 2008, 07:10

Manchetes do dia

– A Tarde: João abre 12 pontos de vantagem

– Tribuna da Bahia: João 50 x 40 Pinheiro

– Correio da Bahia: João Henrique 50% Walter Pinheiro 40%

– Globo: Lula dá superpoderes a bancos oficiais e assusta o mercado

– Folha: Governo autoriza BB e Caixa a comprar bancos e empresas

– Estadão: BB e CEF podem estatizar bancos em dificuldade

– JB: Governo abre caminho para estatizar bancos

– Correio: O Brasil no olho da crise

– Valor: Crise se agrava e governo age

– Gazeta Mercantil: Caixa e BB recebem aval para comprar bancos

23 de outubro de 2008, 07:04

Agenda dos candidatos hoje

O candidato Walter Pinheiro (PT) grava para programa eleitoral, na parte da manhã, e faz caminhada no Centro, às 15h. O prefeito João Henrique (PMDB), faz caminhadas no Uruguai, às 9h30, em Engomadeira, às 10h, e em Sussuarana, às 15h. Depois, grava o programa eleitoral e realiza comício no Campo da Pronaica, em Cajazeira X, às 19h.

22 de outubro de 2008, 19:37

DataFolha: João Henrique aproveita números para criticar ainda mais Pinheiro

“O Datafolha só fez confirmar o crescimento que já sentimos nas ruas. E creio que a diferença de 10 pontos nos votos estimulados e de 12 pontos nos votos válidos está aquém da força que recebemos diretamente da população. A cidade já percebeu quem tem proposta de verdade e quem só sabe criticar”, disse o prefeito João Henrique (PMDB) a respeito do último DataFolha. Para João Henrique, “as farsas que o candidato do PT tem divulgado em seu programa eleitoral, na verdade, nos fortalece porque as pessoas não caem mais em conversa fiada. Quero continuar trabalhando com a humildade de sempre para continuar realizando obras, ultrapassando mais capitais em qualidade de ensino, melhorando o atendimento nos postos de saúde e fazendo de Salvador uma cidade muito mais bonita e feliz”.

22 de outubro de 2008, 19:13

MST chega a Salvador para dar força em campanha de Pinheiro

Chegaram hoje a Salvador mais de 200 militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) para pedir voto para o candidato do PT a prefeito, Walter Pinheiro, especialmente na Universidade e em setores onde o grupo tem trânsito. O trabalho será comandado pelo coordenador estadual do MST, Eudes Valeriano, e foi articulado pelo membro da executiva nacional Ivan Alex e o secretário estadual Walmir Assunção (Desenvolvimento Social).

22 de outubro de 2008, 19:10

Vox Populi/A TARDE também colocaria prefeito na liderança

Informações que circularam agora há pouco dão conta de que pesquisa Vox Populi/A TARDE confirmaria a liderança do prefeito João Henrique (PMDB) com 49% das intenções de voto contra 37% de Walter Pinheiro (PT). A conferir na edição de amanhã do matutino.

22 de outubro de 2008, 18:20

Santa Cruz Cabrália: Justiça suspende demissão de 300 servidores

A Justiça Eleitoral concedeu hoje liminar a pedido formulado pelo Ministério Público, suspendendo os efeitos do decreto municipal baixado pelo prefeito José Ubaldino Alves Pinto, que exonerou cerca de 300 servidores públicos de Santa Cruz Cabrália, no Extremo Sul, uma semana após a eleição municipal. A exoneração de servidores até a data da posse dos candidatos eleitos é vedada pela Lei nº. 9.504/1997 (Lei das Eleições), e foi denunciada através de representação formulada pelo promotor eleitoral Dioneles Leone Santana Filho na última quinta-feira ao juiz eleitoral Otaviano de Souza Sobrinho. O prefeito – que era candidato à reeleição mas foi impugnado a pedido do MP e viu o candidato que indicou como substituto ser derrotado nas urnas – justificou no decreto que a exoneração dos servidores se dava em razão da “necessidade de redução da folha de pessoal”, em função da Lei de Responsabilidade Fiscal e da “dificuldade para pagamento de servidores contratados até 31 de dezembro de 2008”.