14 de novembro de 2008, 10:28

Mesmo com crise, governo não cortará nada do Orçamento, diz Wagner

Devido à crise financeira internacional, o governador Jaques Wagner (PT) afirmou, ontem, durante pronunciamento no jantar do PP, que mantém um monitoramento diário de suas influências no orçamento estadual, através das secretaria da Fazenda e do Planejamento. “2009 será um ano mais magro do que esperávamos. Mas, graças a Deus, até agora não teremos que cortar nada já previsto no orçamento que enviamos à Assembléia Legislativa”, afirmou. Para Wagner, o crescimento projetado para 2009 girava em torno de 4,5 a 5%. Hoje o governo trabalha, segundo ele, com a perspectiva de um crescimento de 3,1 a 3,5%.

14 de novembro de 2008, 10:24

Roberto Muniz descarta substituições em massa na secretaria

O novo secretário estadual de Agricultura, Roberto Muniz (PP), adiantou, em entrevista ao Política Livre, que não pretende mudar, de imediato, os quadros de direção da secretaria e dos órgãos subordinados à pasta. “Inicialmente vamos tratar do corpo mais próximo à administração do secretário, do gabinete do secretário. Depois, a partir da vontade do governador, trabalhando sempre em sintonia com ele, poderemos colocar nomes à disposição”. Muniz evitou tratar de nomes ou cargos envolvidos na mudança inicial. “A partir da posse, começamos a discutir isso. Vamos cuidar cada caso de uma forma. O mais importante é garantir a continuidade dos projetos”, afirmou. (Rafael Rodrigues)

14 de novembro de 2008, 10:20

Negromonte não acredita em redução de espaço do PP na Prefeitura

Em entrevista ontem ao Política Livre, o deputado federal Mário Negromonte, presidente estadual do PP, elogiou a articulação política do governador Jaques Wagner (PT) pelo ingresso do partido na administração. “Foram negociações demoradas, mas foi muito bom porque se formou uma aliança madura”. Questionado sobre a participação do PP na administração estadual, Negromonte afirma que “quem dá o tom é o governador, não podemos exigir uma maior participação”. Logo em seguida, entretanto, ressaltando o resultado das urnas e o capital político de seu partido, o deputado projetou: “O presidente Lula irá realizar uma rearrumação para 2010 no governo federal, que refletirá em todo o Brasil, e é claro que nós queremos mais espaço”, afirmou. Sobre a possibilidade de ter um de seus secretários em Salvador sacrificados devido à redução no número de secretarias, de 19 para 10, anunciada pelo prefeito João Henrique (PMDB), o presidente do PP afirmou: “Não fomos avisados sobre nada. Mas existe uma aliança, que aconteceu com o consentimento do governador. À época o nome de Walter Pinheiro (PT) nem estava posto no processo eleitoral, e as nossas secretarias são estratégicas. Acredito que não existe a intenção de sacrificá-las”. o PP ocupa hoje a secretaria municipal de Habitação e a de Emprego e Renda.

14 de novembro de 2008, 10:17

Em jantar, PP faz juras de amor a Wagner até 2010

Por Rafael Rodrigues 

Em jantar realizado ontem, no restaurante Sal e Brasa, o PP comemorou o resultado das eleições reunindo todos os prefeitos eleitos na Bahia, mas para abrilhantar a festa, já marcada há semanas, o partido trouxe seu convidado mais ilustre, o novo aliado e governador Jaques Wagner (PT). Os deputados estaduais e federais ressaltaram que o governador contará com o apoio do partido para governar. “Você tem uma bancada coesa que vai votar junto com o senhor”, garantiu o deputado estadual Luis Augusto (PP). O deputado federal Mário Negromonte, presidente estadual do PP, foi além: “Os deputados, quando a oposição lhe atacar, vão colocar a cara para lhe defender”.

O governador ressaltou a “alegria, satisfação e certeza do acerto” ao firmar a aliança com o PP. “Ao longo destes dois anos vamos verificar o quanto acertamos, eu e o PP, ao concretizar esta união”, disse. Wagner creditou a Rui Costa, secretário de Relações Institucionais, o sucesso das negociações. O governador ainda tratou sobre a polêmica com a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT). “Sou um homem de projeto e não tenho veto a nenhum nome. Falei isso porque sabia que as eleições municipais deixaram algumas tensões, mas passando a eleição, queremos reunir pessoas com vontade de ajudar”.

O novo secretário de Agricultura Roberto Muniz (PP) rasgou elogios a Wagner: “Seu gesto alarga os caminhos da democracia na Bahia. Sou uma das pessoas que lhe admiram não só pela sua forma de fazer política, mas pelo seu trato pessoal”, declarou. Muniz pautou seu discurso em agradecer a oportunidade e mostrar vontade de trabalhar: “A gente entra na política pela mão de amigos e não sai pela mão de inimigos”, afirmou. Para simbolizar que a aliança com o governador inclui também a reeleição, em 2010, o deputado federal Roberto Brito (PP) fez todos os presentes, em movimento ensaiado, dar um soco no ar dizendo: “Em 2010, juntos, venceremos!”

14 de novembro de 2008, 08:12

Bassuma ataca Geddel e diz que João Henrique se elegeu “com dinheiro de secretarias e Ministério”

Hoje, é dia de os petistas baterem em Geddel Vieira Lima, ministro da Integração Nacional. Além do deputado federal Geraldo Simões, que em entrevista defendeu o rompimento do governo com o ministro, em artigo hoje no jornal A TARDE seu colega petista de Câmara Luis Bassuma defende o mesmo, sob argumento parecido de que o ministro não é confiável.

“(…) é inadiável um rompimento político com essas forças lideradas por Geddel sob pena de o governo Wagner continuar sofrendo uma sangria em virtude do uso intensivo das estruturas de Estado para beneficiar exclusivamente seus redutos eleitorais ao mesmo tempo em que faz a cooptação de outros”, diz Bassuma.

Segundo Bassuma, “milhões de reais teriam sido despejados às vésperas da campanha através das secretarias de Estado e do Ministério comandados por Geddel, recuperando de maneira artificial e ilusória a elevada rejeição popular do prefeito João Henrique”, que, segundo o deputado, faz um governo marcado pela “inércia e a incompetência”.

Bassuma diz que o maior beneficiário de orientação do governo que priorizou neo-aliados “oportunistas” foi Geddel, “cacique do PMDB que por realizar uma política ao estilo dos “velhos coronéis” tem atraído naturalmente todas as forças que poderíamos chamar de “viúvas do carlismo”, fortalecendo uma prática tolerante à truculência e às perseguições políticas que esperávamos ver banidas na Bahia após 2006.”

14 de novembro de 2008, 07:47

Em entrevista, Wagner abre espaço para Rui Costa deixar governo: “Se ele quiser…”

Em ping-pong que concedeu hoje ao jornal A TARDE, o governador Jaques Wagner (PT), apesar de cobrir de elogios seu secretário de Relações Institucionais, Rui Costa, como sempre faz, abriu pela primeira vez a porta para que ele deixe o governo. Vale a pena ler o que disse Wagner:

“Realmente, (Rui Costa é) uma pessoa da minha mais absoluta confiança, política, ética. Eu, como já sentei na cadeira que Rui está sentado, só que trabalhando para o presidente, sei do desgaste que é construir uma relação política com 417 prefeitos, com 39 federais, com 63 estaduais, com secretários, com movimentos sociais, então não é um trabalho fácil. Muitas vezes a pessoa apanha em nome do governador. Problemas sempre vão existir. Ele faz um trabalho que considero com resultado positivo. Ele está falando em ampliar sua equipe e, portanto, eu diria que, se ele quiser sair da articulação política, porque é um trabalho desgastante, eu só tenho agradecer o trabalho que ele vem fazendo.”

14 de novembro de 2008, 07:43

Geraldo Simões bate duro em comunicação do governo

Em sua primeira entrevista como deputado federal, ontem, em Brasília, o ex-secretário de Agricultura Geraldo Simões ressaltou que o governo estadual tem feito muitas obras e programas, mas alertou que “está faltando uma política de comunicação melhor”. E frisou: “Wagner dá um banho no governo passado, só não ganha em comunicação, em gastar com publicidade – nisso ele perde feio”. É ou não um petardo na direção do companheiro Robinson (Almeida, secretário de Comunicação do governo)?

14 de novembro de 2008, 07:37

Geraldo Simões defende rompimento com Geddel: “PMDB não reconhece generosidade de Wagner”

O ex-secretário de Agricultura Geraldo Simões (PT) deixou claro ontem que esperava apenas retomar o mandato na Câmara dos Deputados para mirar pesado no PMDB baiano. Em sua primeira entrevista como deputado federal, em Brasília, ontem, declarou que, se fosse o governador, romperia logo com o ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional).

“Eu romperia logo, mas Wagner tem mais equilíbrio do que eu, por isso está administrando essa situação de dormir com o PMDB, que vai ser mais inimigo ou menos inimigo a depender de como esteja a avaliação do governo da Bahia. “Wagner foi importante para que Geddel virasse ministro, para que o PMDB tivesse uma bancada de deputados”, disse o deputado.

Segundo ele, “não foi por conta dos olhos do ministro que o PMDB, que tinha 15 prefeitos, foi para 120. Foi por conta da estrutura do PMDB no governo da Bahia, principalmente no Ministério da Integração, pelas secretarias e empresas que o governo Jaques Wagner compartilhou. E o reconhecimento do PMDB à generosidade do governador Jaques Wagner é pequeno”.

14 de novembro de 2008, 07:30

Governo banca hospedagem apenas de prefeitos eleitos e reeleitos se revoltam

Prefeitos reeleitos foram surpreendidos ontem, ao tentar fazer o check-in no Hotel Pestana, com a informação de que sua estadia em Salvador, por conta do encontro do governador com os gestores, não seria bancada pelo governo do Estado, que decidiu pagar apenas a hospedagem dos prefeitos eleitos. Ao tomar conhecimento de que teriam que bancar do próprio bolso a hospedagem no Hotel, vários prefeitos reeleitos deram meia volta e foram embora ontem mesmo.

14 de novembro de 2008, 06:59

Manchetes do dia

- A Tarde: Wagner recua da reforma política

- Correio da Bahia: Ele vai voltar?

- Tribuna da Bahia: Empresa ligada à Fifa construirá prédios na Fonte

- Globo: Senado já ameaça devolver MP que perdoa filantrópicas

- Folha: Indústria fecha vagas e inadimplência cresce

- Estadão: Perícia aponta falhas de TAM, piloto, pista e Anac em acidente

- JB: Dengue volta a matar

- Correio: Crise reduz emprego e bancos elevam juro

- Valor: FMI alerta para o “efeito bumerangue” na crise

- Gazeta Mercantil: Crise faz crescer 20% as disputas contratuais

- Estado de Minas: DNIT multa seus próprios carros e ainda dá calote

13 de novembro de 2008, 18:15

Feira: Operação do MP e SSP prende dois policiais condenados por tortura

Em uma operação promovida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), do Ministério Público estadual, em parceria com o Comando de Operações Especiais (COE) e a Superintendência de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública (SSP), foram presos hoje, em Feira de Santana, os policiais civis Hércules Oliveira da Silva e Jomário Jorge Freitas de Souza. De acordo com a coordenadora do Gaeco, promotora de Justiça Ana Rita Nascimento, que comandou a ação, um mandado de prisão contra o policial José Luciano Matos dos Santos também está sendo cumprido. Os três foram denunciados em uma ação penal proposta pelo MP e condenados, em 2007, a quatro anos de reclusão pela juíza titular da 2ª Vara Crime da comarca, Isabela Kruschewsky da Silva, devido à prática do crime de tortura, sentença que foi recentemente confirmada à unanimidade pelo Tribunal de Justiça. As prisões foram efetivadas, segundo Ana Rita Nascimento, com o conhecimento do secretário da SSP, César Nunes, e com o apoio do corregedor-geral, Nelson Pires, e do coordenador do COE, Jardel Peres.

13 de novembro de 2008, 18:02

Itabuna: Prefeitura não apresenta plano e perde recursos para combater dengue

O município de Itabuna não está recebendo recursos para as ações de combate à dengue. A prefeitura não apresentou o Plano de Contigência, uma exigência do Ministério da Saúde para a liberação da verba. Segundo a secretaria estadual de Saúde, as verbas para combate à dengue saem do Ministério da Saúde para as Prefeituras e o valor que foi bloqueado para Itabuna corresponde a uma verba extra. Além de não apresentar o Plano de Contigência, a cidade não está desenvolvendo ações para combater a doença desde 2007.

13 de novembro de 2008, 17:43

Borges vai trabalhar em reforma de regimento interno do Senado

O senador César Borges (PR) foi designado membro da Comissão Especial da Reforma do Regimento Interno, criada para propor mudanças no processo legislativo da Casa que permita tornar ágil a aprovação de matérias. A indicação partiu do presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN). César Borges atribui ao atual regimento parte das dificuldades que o Senado enfrenta para colocar em dia a pauta de votações. “O Regimento Interno como está hoje é muito prejudicial ao desenvolvimento dos trabalhos da casa”, afirma o senador. A presidência da comissão ficou com o senador Marco Maciel (DEM-PE). A previsão é de que o trabalho possa se concluir no próximo ano.

13 de novembro de 2008, 17:39

Rafael Jambeiro: Vereador é preso por dirigir carro roubado

O vereador Estevão Francisco de Oliveira, do município de Rafael Jambeiro, 190 km de Salvador, foi preso ontem por estar dirigindo um carro roubado. Segundo policiais, o carro foi roubado em Feira de Santana, no início do ano. Estevão disse que o carro foi emprestado por um amigo, que em depoimento confirmou a compra do veículo em Feira de Santana. O vereador continua preso e vai responder por crime de receptação, podendo pegar pena de três a oito anos de prisão.

13 de novembro de 2008, 16:19

Deputados de Feira se unem e aprovam emenda de R$ 16 milhões no Orçamento

Em reunião da bancada de deputados federais da Bahia realizada ontem à noite, na Câmara dos Deputados, foi aprovada uma emenda de bancada ao Orçamento de 2009, no valor de R$ 16 milhões, que serão investidos em obras de infra-estrutura em Feira de Santana. O acordo foi possível graças à ação conjunta dos deputados baianos Fernando de Fabinho (DEM), Sérgio Carneiro (PT) e Colbert Martins (PMDB). Os recursos serão utilizados na abertura da Av. Noide Serqueira, que sai do final da Av. Getúlio Vargas até a BR-324, por meio de orçamento do Ministério das Cidades.