11 de setembro de 2012, 20:25

MUNDO Polícia do Quênia investiga massacre que deixou 38 mortos

O vilarejo de Kelengwani, próximo ao Delta do Rio Tana, no Quênia, foi incendiado por um grupo de cerca de 200 homens, que cercaram a aldeia assim que o dia amanheceu. Armados com paus, ferramentas e pistolas, eles mataram 38 pessoas e feriram gravemente mais cinco. Em seguida, puseram fogo em tudo o que encontraram, como casas, tendas e automóveis. Animais que garantiam o sustento dos moradores, como bois e porcos, também foram mortos pelo bando. Só em uma escola, oito crianças e cinco mulheres foram espancadas até a morte. Alguns corpos foram retalhados a machadadas. Segundo as autoridades quenianas, ocorre no local uma disputa entre famílias e gangues rivais, que buscam o domínio das terras. Na região, o governo planeja construir uma estrada e uma grande valorização dos terrenos é esperada. O ataque teria sido uma vingança. O vilarejo destruído fica a apenas cinco quilômetros do lugar onde, no mês passado, uma ação semelhante deixou 22 mortos. A polícia do Quênia está investigando o caso. De acordo com a emissora de televisão NTV, de Nairóbi, as autoridades temem uma fuga em massa da população. O êxodo poderia provocar um grande problema humanitário, com a formação de campos de refugiados, comuns em regiões de conflito na África. (Agência Brasil)

11 de setembro de 2012, 16:50

MUNDO Obama: “Nosso país está mais seguro”

O presidente dos Estados Unidos, Barck Obama participou nesta terça-feira (11) da cerimônia em homenagem às vítimas dos ataques de 11 de Setembro. Na ocasião, ele disse que o atentado não destruiu a nação e não será lembrado com ódio, mas sim um legado de uma população mais unida e um mundo mais seguro. “Por mais doloroso que seja esse dia, e sempre será, ele nos dá a lição de que não há nenhum evento único que pode destruir o que somos. Nenhum ato de terrorismo pode acabar com aquilo pelo que lutamos. O legado histórico do ataque não será medo, ódio ou divisão. Será um mundo mais seguro, uma nação mais forte e uma população mais unida do que nunca”, defendeu o presidente. “Nosso país está mais seguro”. Mais cedo, Obama e a primeira-dama, Michelle, fizeram um minuto de silêncio no gramado da Casa Branca, em Washington D.C. (Blog de Cláudio Humberto)

11 de setembro de 2012, 15:45

MUNDO Sobreviventes de ataques de 11 de Setembro terão cuidados médicos gratuitos

Onze anos depois dos atentados de 11 de Setembro nos Estados Unidos, as autoridades norte-americanas anunciaram que os sobreviventes receberão acompanhamento e tratamento médico gratuito para 50 tipos de câncer. Especialistas acreditam que uma série de doenças ligadas aos ataques causou pelo menos mil mortes desde 2001. Anteriormente, o governo financiava o tratamento de doenças respiratórias, depressão e dores múltiplas. A decisão das autoridades dos Estados Unidos deve atender a cerca de 70 mil funcionários de equipes que prestaram socorro durante os ataques e pessoas que se encontravam nas imediações. Há suspeitas de que as pessoas foram expostas a componentes químicos presentes nos destroços dos ataques. A desconfiança é que alguns sobreviventes desenvolveram diferentes tipos de câncer. (Agência Brasil)

11 de setembro de 2012, 14:20

MUNDO Agência da ONU critica medidas de austeridade como forma de conter efeitos da crise

A Agência das Nações Unidas para Comércio e Desenvolvimento (cuja a sigla em inglês é Unctad) condenou hoje as propostas, analisadas por alguns países que sofrem com os impactos da crise econômica internacional, de aumento de impostos. Medidas de austeridade são defendidas pelas autoridades gregas, italianas e espanholas. Para o órgão, o ideal é reduzir as tarifas para que as famílias se sintam estimuladas a consumir. Pelo Relatório sobre Comércio e Desenvolvimento 2012, divulgado pela Unctad, haverá um crescimento econômico global de 2,3% este ano – 4 pontos a menos do que o crescimento registrado em 2011. De acordo com o documento, as políticas de austeridade “não conseguiram gerar crescimento econômico”, e são “claramente o caminho errado”. “Aumentar os impostos em um momento de recessão não é uma boa ideia, exceto, talvez, em certos casos”, disse o diretor da Divisão de Estratégias de Desenvolvimento da Unctad, Heiner Flassbeck. Para ele, a redução dos impostos para as empresas é “a coisa mais estúpida” e “os negócios não são determinados por impostos, mas pela procura”.

11 de setembro de 2012, 11:04

MUNDO Após confundir dinheiro com graveto, idosa queima cerca de R$ 10 mil

Uma chinesa queimou acidentalmente, uma quantia de 30 mil iuans, o equivalente a R$ 9,6 mil, após confundir o dinheiro com gravetos. A idosa procurava algo para acender o fogão de sua casa em Liuhe, na província de Jiangsu, na China, e acabou utilizando as cédulas, sem perceber que se tratavam de dinheiro. Segundo o jornal inglês “Daily Telegraph”, funcionários de um banco da cidade chegaram a juntar pedaços das notas para tentar salvar uma parte da quantia queimada. (iBahia)

11 de setembro de 2012, 10:47

MUNDO Número de refugiados na Síria em crise supera 250 mil, diz ONU

Foto: AP

Antonio Guterres e Angelina Jolie dão entrevista em campo de refugiados na Jordânia, nesta terça-feira

O número de refugiados sírios supera 250 mil pessoas, anunciou o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), cujo diretor, Antonio Guterres, e sua enviada especial, Angelina Jolie, estão atualmente na Jordânia. “As últimas informações mostram que mais de 250 mil refugiados sírios (253.106 pessoas) foram registrados ou esperam para ser registrados na região”, declarou o porta-voz do Acnur, Adrian Edwards. Na Jordânia, o Acnur contabilizou 85.197 refugiados, dos quais 35.961 esperam o registro. Diante da situação, o Alto Comissariado decidiu enviar ao local Guterres e a atriz americana Angelina Jolie. Ao desembarcar, a estrela de Hollywood, acompanhada por militares jordanianos, visitou as famílias que haviam acabado de chegar à fronteira. Nesta terça-feira, Guterres e Jolie visitam o acampamento Al Zaatri. Mais tarde terão uma reunião com o rei Abdullah II da Jordânia, com o primeiro-ministro Fayez Tarawneh e com o ministro das Relações Exteriores Nasser Judeh. (AFP)

11 de setembro de 2012, 08:13

MUNDO Sobreviventes de ataques de 11 de Setembro terão cuidados médicos gratuitos

Onze anos depois dos atentados de 11 de Setembro nos Estados Unidos, as autoridades norte-americanas anunciaram que os sobreviventes receberão acompanhamento e tratamento médico gratuito para 50 tipos de câncer. Especialistas acreditam que uma série de doenças ligadas aos ataques causou pelo menos mil mortes desde 2001. Anteriormente, o governo financiava o tratamento de doenças respiratórias, depressão e dores múltiplas. A decisão das autoridades dos Estados Unidos deve atender a cerca de 70 mil funcionários de equipes que prestaram socorro durante os ataques e pessoas que se encontravam nas imediações. Há suspeitas de que as pessoas foram expostas a componentes químicos presentes nos destroços dos ataques. A desconfiança é que alguns sobreviventes desenvolveram diferentes tipos de câncer. Uma medida anterior estabelecia um fundo no valor de US$ 4,3 milhões para a cobertura de  tratamentos médicos contra a asma e doenças respiratórias, além de depressão, ansiedade e dores múltiplas.

10 de setembro de 2012, 14:43

MUNDO Taleban diz que tentará matar príncipe Harry no Afeganistão

O grupo insurgente Taleban afirmou nesta segunda-feira que tentará matar o príncipe Harry durante sua missão de quatro meses no Afeganistão. Harry, que é piloto de helicópteros Apache, chegou na quinta-feira à noite a Camp Bastion, a principal base britânica na província de Helmand, região onde o Taleban é mais forte no país e onde são registrados os combates mais intensos na luta entre insurgentes e forças da coalizão. “Faremos todo o possível para matar o príncipe Harry e os outros membros das forças britânicas baseadas em Helmand”, afirmou o porta-voz do Taleban, Zabihula Mujahid. “Não queremos capturá-lo, mas, sim, matá-lo”. (Último Segundo/Ig)

10 de setembro de 2012, 13:10

MUNDO Divergências com a Venezuela não serão entrave para volta do Paraguai ao Mercosul, diz embaixador

O fim da suspensão imposta pelo Mercosul ao Paraguai deve ocorrer depois de abril de 2013, período em que a presidência do órgão estará sob comando da Venezuela. As autoridades venezuelanas negam, entretanto, que antigas divergências entre os dois países interfiram no restabelecimento do Paraguai ao bloco. O embaixador da Venezuela no Brasil, Maximilien Sánchez Arveláiz, disse hoje, que essa discussão não está em curso. Sánchez Arveláiz acrescentou também que não haverá um debate sobre o ingresso da Venezuela no bloco, mesmo que os paraguaios não tenham chancelado a entrada dos venezuelanos no grupo. “O fim da suspensão do Paraguai não está condicionada nem depende de uma reconsideração sobre [o ingresso da] Venezuela no Mercosul”, disse. O Paraguai foi suspenso do Mercosul em junho deste ano após a destituição de Fernando Lugo do poder, por intermédio de um processo de impeachment que durou menos de 24 horas.

10 de setembro de 2012, 09:08

MUNDO Ministro japonês é encontrado morto

O ministro japonês dos Serviços Financeiros e da Reforma Postal, Tadahiro Matsushita, foi encontrado morto nesta segunda-feira, em sua residência, em um provável caso de suicídio, informa a imprensa nipônica. Matsushita, 73 anos, foi encontrado desacordado em sua casa de Tóquio. A morte foi confirmada pouco depois no hospital, segundo o canal público NHK. As agências Jiji e Kyodo afirmaram que o ministro cometeu suicídio e o canal privado Fuji TV informou que Matsushita havia se enforcado. Segundo a Kyodo, Matsushita teria alertado a Agência de Serviços Financeiros que não compareceria ao trabalho. Tadahiro Matsushita, dirigente do Novo Partido do Povo (NPP, nacionalista), uma pequena formação que integra a coalizão de centro esquerda no poder, havia sido nomeado ministro em junho. (AFP)

10 de setembro de 2012, 08:26

MUNDO Ataques no Iraque deixam mais de cem mortos

Foto: AP

Destroços de um carro-bomba em Basra, a 550 km de Bagdá, no Iraque

No mesmo dia em que pelo menos 100 pessoas morreram e 294 ficaram feridas, numa onda de violência no Iraque, a Justiça local condenou à morte o vice-presidente Tarek al-Hashemi, um dos principais dirigentes sunitas do país, refugiado na Turquia desde abril, agravando as tensões sectárias. Hashemi era alvo de 150 acusações, assim como membros de seu gabinete, acusados de comandar um esquadrão da morte sectário, responsável pelo assassinato de seis juízes e de vários dirigentes, incluindo um alto funcionário do Ministério da Segurança Nacional. Mas, tanto ele como seu secretário pessoal foram condenados à morte pelo assassinato de um advogado e do general Talib Belasim. Leia mias em O Globo.

10 de setembro de 2012, 07:28

MUNDO Chávez entra em fase final de campanha na disputa por mais um mandato presidencial

A menos de um mês das eleições na Venezuela, o presidente Hugo Chávez disse que está na “reta final para a vitória” que o consagrará. No poder há 13 anos, Chávez tenta mais um mandato presidencial na disputa com o candidato de oposição, Henrique Capriles Radonski. As eleições na Venezuela ocorrem no próximo dia 7. Ontem, Chávez fez um comício e pediu o apoio dos simpatizantes para o que chamou de “nova fase de crescimento e fortalecimento econômico”. Segundo ele, sua vitória vai ser marcada pelo placar de um voto para a oposição a cada dez dados em seu favor. A meta, de acordo com o presidente, é atingir 10 milhões de votos. Capriles porém, assim como Chávez, corre atrás dos indecisos que, de acordo com pesquisas eleitorais, são jovens e pertencem à classe média. “Eu espero a nossa vitória em 7 de outubro com não menos de 60% [dos votos]”, disse o presidente, que tenta seu terceiro mandato.

10 de setembro de 2012, 07:12

MUNDO Hollande anuncia pacote de recuperação econômica para a França

O presidente da França, François Hollande, disse hoje que organizou uma  “agenda para a recuperação” da economia do país nos próximos dois anos. O pacote foi anunciado depois de ser cobrado pela sociedade francesa a mostrar alternativas aos impactos da crise econômica internacional. Segundo ele, os vencimentos acima de 1 milhão de euros serão submetidos a impostos de  75%, “sem exceções”. Hollande disse ainda que sua prioridade é o combate ao desemprego. “Vou estabelecer uma agenda para a recuperação [do país]. Dois anos para pôr em prática uma política para o emprego de competitividade e destinada a equilibrar as contas públicas”, disse Hollande, em sua primeira entrevista após as férias de verão. “Não vou fazer em quatro meses o que os meus antecessores não fizeram em cinco ou em dez anos. Mas estou no combate, não quero olhar para o passado.” Depois de quatro meses no poder, Hollande vive queda de popularidade e críticas, mas disse que  “escuta a impaciência”.

9 de setembro de 2012, 13:35

MUNDO Farc e governo colombiano reiteram acordo de paz

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, reiterou a sua disposição para dar início ao processo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Santos disse neste sábado (8) querer que a transição seja “estável e duradoura”. O porta-voz das Farc disse que as negociações não serão interrompidas por divergências iniciais como o cessar-fogo. Enquanto os rebeldes querem decretá-lo em outubro, o governo prefere adiá-lo para o fim das negociações. “Temos de continuar [negociando] e eu disse às Farc que só no dia em que interromperem o conflito, cessarmos definitivamente, por nossa parte, as operações militares”, disse Santos. Dada a possibilidade de que essa divisão de opiniões possa interromper os esforços de paz, o líder guerrilheiro Marco Leon Calarcá acalmou os ânimos com a transmissão de uma mensagem tranquilizadora. A iniciativa de paz tem o apoio de 78% dos colombianos, aponta uma pesquisa feita pela organização Centro Nacional de Consultoría (CNC), que também constatou uma retomada dos índices de aprovação de Santos pela população do país. (Agência Brasil)

9 de setembro de 2012, 13:10

MUNDO Austrália quer legalizar maconha e ecstasy para controlar consumo

O último estudo sobre drogas ilegais feito na Austrália e divulgado neste domingo (9) propõe ao governo do país legalizar a maconha e o ecstasy para controlar o aumento de entorpecentes no país. O professor Bob Douglas, co-autor do relatório de 54 páginas, disse que ficou claro que a proibição das drogas não funciona e que é preciso adotar outros enfoques, como a legalização e o controle governamental do consumo, segundo a rádio ABC. O especialista acrescentou que “o relatório deixa patente que a polícia australiana, apesar de desempenhar um bom trabalho, não conseguiu ter um impacto sério no tráfico e consumo de drogas”. As estatísticas da Polícia em operações contra narcotraficantes no país durante o exercício fiscal julho 2011-junho 2012 revela que a apreensão de drogas aumentou 164% e de produtos químicos para elaborar narcóticos subiu 263%. Os dados evidenciam um aumento do tráfico de entorpecentes na Austrália e que a cocaína e as anfetaminas superaram em preferência a heroína e a maconha. Uma das propostas do documento é que o governo controle a venda de maconha e ecstasy, que se ofereça apenas aos cidadãos maiores de 16 anos com programas de assessoria e tratamento. O professor Douglas assinalou que projetos similares foram adotados na Europa com bons resultados, e opinou que a Austrália necessita ter um debate sério sobre este assunto. “As pessoas que adotaram posições duras contra as drogas obtiveram juros políticos, mas já há muitos políticos na Austrália que reconhecem que esta postura deve mudar”, disse Douglas. Cerca de 200 mil pessoas, de uma população de 22,3 milhões, fumam maconha na Austrália. (Terra)