8 de outubro de 2012, 10:57

MUNDO Tropas sírias bombardeiam cidades de Aleppo e Karak

Foto: AFP

Crianças brincam em tanque destruído neste domingo

As tropas sírias bombardearam nesta segunda-feira redutos rebeldes em Aleppo (norte) e na cidade de Karak al-Sharqi, na província de Deraa, cercada há três dias pelas forças do regime, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Mais de 30 mil pessoas já morreram na Síria, em sua maioria civis, desde o começo da revolta há 18 meses, em um conflito que já é chamado de guerra civil por observadores internacionais. Vinte pessoas morreram em Karak al-Sharqi (sul) em uma ofensiva executada na madrugada pelo exército, segundo o OSDH. Pelo menos cinco rebeldes estão entre as vítimas em Karak. Algumas pessoas morreram em ataques contra veículos que transportavam feridos para os hospitais, destacou a ONG. A cidade é alvo de violentos bombardeios, está cercada e as condições humanitárias são péssimas, segundo fontes do OSDH. Leia mais no G1.

8 de outubro de 2012, 09:39

MUNDO Reeleito, Chávez convida a oposição a trabalhar junto

Foto: Reuters

Hugo Chávez cumprimenta milhares de pessoas no balcão do Palácio Miraflores, em Caracas

A Venezuela viveu no domingo uma eleição que mobilizou como poucas os cerca de 19 milhões de eleitores do país e que, com 90% dos votos apurados, segundo o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), abriu as portas para a terceira reeleição consecutiva do presidente Hugo Chávez, com 54,42% dos votos. O candidato da oposição, Henrique Capriles, protagonista da melhor campanha realizada pelos opositores do Palácio Miraflores na era Chávez, na opinião de analistas locais, obteve 44,97%, abaixo das expectativas dos antichavistas, mas o melhor resultado já obtido pelos adversários numa eleição presidencial. Em 2006, Chávez derrotou seu rival na época, Manuel Rosales, por cerca de 25 pontos percentuais. Leia mais em O Globo.

Janaina Figueiredo e Pedro Dória, O Globo

8 de outubro de 2012, 08:58

MUNDO Brasil oficializa acordo com a União Europeia para isenção de vistos

Os interessados em fazer viagens curtas, até três meses, para os países da União Europeia ficarão livres da necessidade de visto. Um acordo entre o governo do Brasil e a União Europeia determina a isenção do documento, exceto para o Reino Unido e a Irlanda. A medida vale para 25 países. Porém, unilateralmente, cada país poderá romper o acordo. As negociações já existentes permanecem em vigência. O acordo tem nove artigos que se dispõem em temas específicos, como a permanência do estrangeiro no país e o intercâmbio de informações entre as autoridades. Também relaciona as situações nas quais haverá isenção do visto. A medida é recíproca, portanto vale também para os europeus que vierem para o Brasil, por até três meses. O decreto da presidente Dilma Rousseff  está publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União, Seção 1, páginas 1 e 2.

7 de outubro de 2012, 18:13

MUNDO Eleitor é morto a tiros na fila de votação na Venezuela

Um eleitor de 30 anos foi morto na fila de votação do no município de Sucre, na Venezuela, neste domingo (7). Idenio De Jesús Morillo foi surpreendido por um homem armado enquanto aguardava em uma fila do lado de fora de um centro de votação. O homem fez os disparos diante dos outros eleitores que esperam para votar e fugiu. Idenio morreu no local. De acordo com o jornal venezuelano El Universal, o crime ocorreu por volta de 11h. No segundo mandato consecutivo, Hugo Chávez disputa as eleições com o opositor Henrique Capriles. Pesquisas de intenções de voto mostram que ambos estão empatados tecnicamente, mas Chávez tem uma ligeira vantagem. Leia mais no Correio.

7 de outubro de 2012, 17:58

MUNDO Capriles vota e promete falar com Chávez após divulgação de resultados

O candidato da oposição à presidência da Venezuela, Henrique Capriles, da Mesa de Unidade Democrática (MUD), votou neste domingo (7), em Baruta, na região metropolitana de Caracas e prometeu respeitar o resultado da eleição. “A primeira pessoa para quem telefonarei ao saber os resultados da eleição será o presidente da república”, disse Capriles. “Os venezuelanos estão dando exemplo (de democracia) e os líderes têm de dar exemplo também.” Capriles votou cercado de correligionários e beijou a cédula antes de depositá-la na urna. A votação vai até às 19h30, no horário de Brasília, e há grandes filas por todo o país. Leia mais no Estadão.

7 de outubro de 2012, 16:55

MUNDO Chávez vota em Caracas e promete aceitar resultado da eleição

O presidente da Venezuela Hugo Chávez votou no começo da tarde deste domingo (7) em um colégio do bairro 23 de Enero, reduto político do chavismo na região oeste de Caracas, e prometeu respeitar o resultado da eleição. O líder bolivariano ainda elogiou novas lideranças do chavismo e disse que seu projeto político não é ‘de um homem só’. “Mesmo que seja por um voto, nós, atores políticos responsáveis, temos de reconhecer os resultados”, disse o presidente à imprensa após votar. Questionado sobre o que dirá ao seu rival, Henrique Capriles, após o fechamento das urnas, Chávez foi evasivo. “Não sei o que direi a ele ainda, depende das circunstâncias.” O presidente, que se recupera de um câncer pélvico cujas proporções exatas são mantidas em segredo e provocou especulações sobre seu estado de saúde, também elogiou jovens lideranças do chavismo. “Rompemos o personalismo na política. Esse processo já não depende mais de Chávez”, disse. “O sucessor é o povo, mas há uma liderança coletiva: Elías Jaua (vice-presidente), Nicolás Maduro (chanceler), Cilia Flores (deputada)… todos jovens. Não se trata de um homem especificamente. Leia mais no Estadão.

7 de outubro de 2012, 15:49

MUNDO Primeiro-ministro da Líbia é retirado do cargo pelo Parlamento

O Parlamento da Líbia aprovou neste domingo uma medida que retira do cargo o recém-eleito primeiro-ministro do país, Mustafa Abu Shagur. Ele foi o primeiro premiê eleito do país desde a queda do ex-líder Muamar Kadafi, que foi morto em outubro. Durante a votação, a remoção de Shagur do cargo recebeu 125 votos a favor e 44 a contra. Houve 17 abstenções. Um novo premiê precisa ser escolhido em até quatro semanas. A decisão aconteceu após Shagur apresentar neste ao Parlamento um governo que classificou como “gabinete de crise”, composto por dez ministros, que provocou forte resistência. O primeiro-ministro interino anunciou ainda que assumiria o cargo de chefe de governo e a pasta das Relações Exteriores, até que um titular fosse nomeado. A nova lista foi um alternativa a outra, apresentada durante a semana, de 25 ministros. Parlamentares consideraram que ela não refletia o princípio de união nacional e que não era representativa de todas as regiões do país. (EFE)

7 de outubro de 2012, 12:40

MUNDO Bombas lançadas da Turquia atingem norte da Síria

Vários bombas lançadas da Turquia atingiram neste domingo os arredores da cidade síria de Tal Abiad, na província de Raqa, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, que não informou sobre o número de vítimas. Intensos bombardeios foram registrados em Tal Abiad e na zona próxima de Arus, assim como em território turco, indicaram os Comitês de Coordenação Local em comunicado. Por sua parte, várias cadeias de notícias turcas, como a “CNNTurk” e a “NTV”, informaram hoje que um projétil disparado do lado sírio da fronteira caiu no jardim de uma repartição pública na Turquia, a centenas de metros do centro de Akcakale. O bombardeio do exército turco foi uma represália por mais esse ataque que partiu da Síria.  Pelo menos 49 pessoas morreram hoje na Síria, segundo o Observatório, enquanto os Comitês de Coordenação Local aumentaram esse número para 75. Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, 21 corpos foram encontrados na cidade de Al Hama, na periferia de Damasco, onde nos últimos dias houve choques entre as forças leais e opositoras ao presidente Bashar al Assad. Além disso, treze pessoas morreram na cidade de Aleppo, a segunda maior do país, entre elas quatro combatentes rebeldes que enfrentaram as tropas do regime no bairro de Hanano. Leia mais no R7.

7 de outubro de 2012, 11:20

MUNDO Milhares de pessoas marcham na Espanha em protesto contra cortes sociais

Milhares de pessoas iniciaram neste domingo uma manifestação em Madri e outras cidades espanholas, convocada por mais de 150 organizações reunida num movimento batizado de Cúpula Social, para protestar pelas medidas econômicas do governo de Mariano Rajoy e contra um orçamento que consideram “anti-social”. Com o lema “Mais desemprego, mais cortes, menos proteção. Querem arruinar o país! É preciso impedir”, os manifestantes, entre eles representantes dos dois principais sindicatos do país, UGT e CCOO, marcharam pelo centro da capital. Os secretários gerais das centrais CCOO e UGT, Ignacio Fernández Toxo e Cándido Méndez, respectivamente, disseram hoje que o restritivo orçamento geral de 2013 aprovado neste mês pelo governo provocará “mais recessão e mais desemprego” e opinaram que a convocação de uma greve geral depende do Executivo. Em entrevista coletiva antes da manifestação, os líderes sindicais exigiram que o governo convoque um referendo sobre os cortes antes que a situação social fique “explosiva e insustentável”. A Espanha sofre com uma altíssima taxa de desemprego, que atinge mais de 23% da população ativa, e que no caso dos jovens supera 50%. Leia mais no R7.

7 de outubro de 2012, 09:00

MUNDO Chávez põe em jogo sua cruzada socialista em eleição na Venezuela

Os venezuelanos votavam neste domingo em um dia importante para o futuro da potência petrolífera, que definirá se o polêmico projeto socialista do presidente Hugo Chávez se aprofundará ou se haverá uma mudança com o plano liderado pelo jovem opositor Henrique Capriles. Os candidatos encerraram uma frenética campanha na qual Capriles percorreu “casa por casa” em todos os Estados do país, enquanto que Chávez, que se declarou curado do câncer em julho, optou por um ritmo menos intenso, mas com uma fabulosa demonstração de força na reta final da corrida presidencial. Pela primeira vez em muitos anos, as pesquisas não oferecem um panorama claro. A maioria dos principais levantamentos deu vantagem a Chávez, mas dois reconhecidos institutos desenham um cenário de empate técnico com chance para o candidato opositor. Após quase 14 anos no comando do país caribenho com as maiores reservas petrolíferas do planeta, durante os quais conquistou uma sólida popularidade graças a uma política assistencialista e um inegável carisma, o militar aposentado de 58 anos enfrenta o maior desafio eleitoral de sua carreira política. Mas o investimento de bilhões de dólares da renda petrolífera em programas sociais, que vão desde a entrega de casas gratuitas a caros tratamentos de saúde em Cuba, foi de encontro desta vez com um rival que promete corrigir as “falhas” da revolução e atacar problemas graves como a insegurança e o desemprego. Leia mais no R7,

7 de outubro de 2012, 07:48

MUNDO Três autoridades brasileiras acompanham de perto as eleições venezuelanas

Três autoridades brasileiras acompanharão de perto hoje, as eleições presidenciais na Venezuela. Foram convidados pelo governo venezuelano o assessor de Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, o alto representante do Mercosul, Ivan Ramalho, e o diplomata Clemente Baena Soares, do Departamento de América do Sul do Ministério das Relações Exteriores. O chefe da missão da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) nas eleições venezuelanas, o ex-vice-presidente argentino Carlos Álvarez, conhecido como Cacho,  elogiou o sistema eleitoral.  “O sistema eleitoral venezuelano é uma referência para muitos países da América Latina”, disse ele, destacando que a identificação por meio de documento e do sistema biométrico é eficiente.

6 de outubro de 2012, 17:05

MUNDO Rebeldes da Síria matam 40 soldados na fronteira com Turquia, diz oposição

Quarenta soldados e nove rebeldes morreram neste sábado em combates na cidade de Khirbet al-Joz, na fronteira com a Turquia, onde a rebelião expulsou as forças do regime, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). “Os combates deixaram 40 mortos entre os membros das forças regulares, incluindo cinco oficiais, e nove rebeldes”, destacou o OSDH. O boletim precedente informava 25 soldados e três rebeldes mortos “nos combates em Khirbet al-Joz (…) onde a rebelião assumiu o controle da região”. Segundo Rami Abdel Rahman, que dirige esta ONG com sede no Reino Unido, os rebeldes tomaram o controle de Khirbet al-Joz, perto de Jisr al-Choghour, a 2 km da fronteira com a Turquia. Segundo ele, os combates foram travados nas imediações desta localidade totalmente deserta, após a fuga de 4 mil a 6 mil moradores, que se refugiaram na Turquia. Leia mais no G1.

6 de outubro de 2012, 12:05

MUNDO “Seguiremos o modelo brasileiro”, diz candidato opositor na Venezuela

Foto: Reuters

Henrique Capriles Radonski

Primeiro candidato da oposição com chances reais de derrotar o presidente venezuelano, Hugo Chávez, há 13 anos no poder, o advogado Henrique Capriles Radonski, 40, diz seguirá o “modelo brasileiro” caso seja eleito nas eleições deste domingo (7). “Não se trata de limitar uma gestão de governo a um nome, somos seguidores do modelo brasileiro porque conseguiu uma importante transformação no país”, disse em entrevista por e-mail ao G1, ao ser questionado sobre as citações ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a campanha. No início da disputa, o candidato citou “o modelo Lula” como inspiração, mas mudou o discurso após o presidente gravar mensagem de apoio a Chávez. Capriles acusa a campanha rival de tentar confundir e de usar programas sociais para manipular os venezuelanos. O oposicionista diz que o Brasil, que vê como “um país que entende as relações internacionais como relações entre Estados e não entre governantes”, será um dos primeiros destinos que visitará se eleito. Leia mais no G1.

6 de outubro de 2012, 11:30

MUNDO Venezuela assume Presidência temporária do Mercosul em 2013

No Mercosul há pouco mais de dois meses, a Venezuela assumirá a Presidência pro tempore do bloco em 2013, ano em que o órgão deve encerrar a suspensão do Paraguai. O embaixador da Venezuela no Brasil, Maximilien Sánchez Arveláiz, disse à Agência Brasil que o objetivo dos venezuelanos no grupo é fortalecer a região e incrementar as relações econômicas, comerciais e sociais. O diplomata negou a possibilidade de a Venezuela fazer restrições ao Paraguai. “Não se pensa nisso. O Mercosul é uma prioridade para nós. Vamos trabalhar para ampliar o desenvolvimento nas regiões fronteiriças, buscar a complementaridade e o fortalecimento mútuo”, disse Sánchez Arveláiz. Venezuela e Paraguai têm divergências políticas e ideológicas. O Parlamento do Paraguai não reconhece a adesão da Venezuela ao Mercosul, pois o ingresso ocorreu em 31 de julho, quando os paraguaios estavam suspensos do bloco. O Paraguai foi suspenso do grupo por decisão unânime dos governos do Brasil, da Argentina e do Uruguai que discordaram da forma como o então presidente Fernando Lugo foi destituído do poder, em junho. Em dezembro, haverá uma reunião em Brasília quando é esperada a conclusão do processo de adequação da Venezuela ao protocolo do Mercosul. Essas negociações referem-se a termos, expressões, tarifas e siglas relativas aos produtos comercializados na região. Leia mais na Agência Brasil.

6 de outubro de 2012, 11:20

MUNDO Com discursos antagônicos, Chávez e Capriles tentam conquistar eleitores na reta final da eleição

Na véspera das eleições à Presidência da República na Venezuela, os principais candidatos – o atual presidente Hugo Chávez, que tenta o terceiro mandato consecutivo, e o opositor Henrique Capriles Radonski (Mesa de Unidade Democrática), que conseguiu o apoio de 14 partidos políticos – enfrentam o eleitorado indeciso. Com discursos antagônicos, Chávez e Capriles se empenham para ganhar a confiança dos mais de 18 milhões de eleitores aptos a votar neste domingo (7). Sem tradição de debates na Venezuela, Chávez e Capriles não se confrontaram em frente às câmeras nem em estúdios de emissoras de rádio. O atual presidente fez campanha em todo o país, concentrando-se em Caracas, a capital. O opositor também fixou seu núcleo de campanha na capital e arredores, mas tentou avançar pelo país. É diferente a forma como os candidatos à Presidência da República utilizam os horários nas emissoras de rádio e televisão. Cada candidato tem até três minutos por dia para fazer propaganda política nas emissoras. Se o candidato quiser mais tempo, deve pagar pelo uso do horário à emissora. Leia mais na Agência Brasil.