4 de julho de 2017, 08:30

MUNDO Coreia do Norte diz ter lançado primeiro míssil intercontinental

A Coreia do Norte anunciou hoje ter lançado com sucesso seu primeiro míssil intercontinental. A mensagem do regime de Kim Jong-un contradiz autoridades da Coreia do Sul e dos Estados Unidos, que afirmaram que se tratava de um projétil de médio alcance. Se confirmado, esse teste intercontinental colocará um novo elemento no cenário dos países que tentam controlar os esforços norte-coreanos para obter um míssil nuclear que possa chegar a qualquer ponto do território dos Estados Unidos. De qualquer forma, o teste seguirá sendo o mais bem sucedido da Coreia do Norte até o momento, já que o míssil poderia chegar no Alasca. A Coreia do Norte realizou lançamentos no passado que foram vistos como provas de sua tecnologia de mísseis de longo alcance.

Associated Press

4 de julho de 2017, 07:33

MUNDO Maioria dos trabalhadores australianos é rastreada por empregadores sem saber

Um terço dos trabalhadores australianos está sendo rastreado por seus empregadores usando o software (programa de computador) do Sistema de Posicionamento Global (GPS). Pesquisa feita pela empresa de software TSheets revelou que dois terços dos que estavam sendo rastreados desconheciam que seu empregador estava fazendo isso.Entre os rastreados, 50% estavam sendo acompanhados por meio de uma aplicação em seu smartphone, enquanto o restante tinha dispositivos instalados em seus veículos.A grande maioria, no entanto, estava sendo rastreada durante o dia do trabalho, enquanto 10% eram rastreados 24 horas por dia.Sandy Vo, analista da TSheets, disse que os dados mostraram que a maioria dos trabalhadores estava confortável em ser rastreada.”Os dados mostram quantos empregadores estão usando o rastreamento de GPS agora e não apenas em vans e carros, mas também em aplicativos. Isso é realmente um reflexo da vida fora do trabalho”, afirmou Vo à imprensa australiana nessa segunda-feira (3).Dos entrevistados na pesquisa, apenas um terço dos que estavam sendo acompanhados dizia que o empregador lhes havia avisado da prática com antecedência. “Os funcionários estavam mais preocupados com a privacidade, por exemplo, e menos propensos a ver os benefícios na segurança”, disse Vo.Segundo ele, os trabalhadores também revelaram que alguns empregadores podem não estar seguindo o regulamento corretamente e isso é algo em que as empresas devem prestar muita atenção. “As regras variam muito de um estado para outro, o que não facilita”.Apesar de ter sua privacidade invadida pelos empregadores, mais da metade dos que estão sendo acompanhados disseram que sua maior preocupação era que a bateria do telefone estivesse sendo drenada e usando dados móveis demais.

Agência Brasil

3 de julho de 2017, 16:15

MUNDO Equador aprova moção de censura contra ex-controlador ligado ao caso Odebrecht

O Congresso do Equador aprovou no domingo uma moção de censura contra o ex-controlador Carlos Pólit Faggioni, com 132 votos a favor e 1 abstenção, informa a imprensa local. Segundo os legisladores do país, Pólit não cumpriu suas funções e há a suspeita de que ele tenha favorecido a construtora brasileira Odebrecht. O proponente da votação, o governista Daniel Mendoza, afirmou que ficou demonstrado que Pólit não cumpriu suas funções ao não auditar os contratos fechados entre a Odebrecht e o Estado equatoriano, informa o jornal El Universo. Com a moção de censura, Pólit fica inabilitado para assumir cargos públicos, mas não pode ser destituído, já que renunciou em 20 de junho, lembra o diário. O mesmo El Universo lembra que a promotoria equatoriana investiga quatro delitos no caso Odebrecht e que há 11 processados. Lavagem de dinheiro, associação ilícita, concussão e crime organizado são os crimes investigados, diz o jornal. Além disso, Pólit é investigado por concussão. Outro diário local, El Comercio, informa que os promotores têm se concentrado agora nos pagamentos que a Odebrecht fez a empresas locais desde 2010, quando a construtora brasileira voltou ao país.

Estadão Conteúdo

3 de julho de 2017, 14:00

MUNDO Merkel destaca crescimento sustentável e acordo climático antes da cúpula do G20

A chanceler alemã, Angela Merkel, enfatizou ontem (2) o crescimento sustentável como sendo uma opção “vantajosa para todos”, dando a tônica para o tema a ser discutido esta semana durante a Cúpula do G20 (grupo das 20 economias mais desenvolvidas do mundo), a ser realizada em Hamburgo, Alemanha. A informação é da agência Xinhua. “Precisamos do acordo de proteção climática, de mercados abertos e acordos comerciais aprimorados em que a proteção do consumidor, normas sociais e ambientais sejam mantidas,” afirmou a chanceler alemã. Em um podcast de vídeo divulgado no domingo, Merkel disse que a próxima cúpula do G20 não deve ser apenas sobre o crescimento, “mas sobre o crescimento sustentável”. Os líderes do G20 se encontrarão em Hamburgo nos dias 7 e 8 de julho, com grandes questões a serem discutidas, como o crescimento econômico e o comércio global, políticas climáticas, disseminação da tecnologia digital, migração, saúde, África e outros.

Agência Brasil

3 de julho de 2017, 13:00

MUNDO ONU alerta para o aumento da fome no mundo

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), fez um alerta hoje (3) na abertura de sua 40ª. Conferência, em Roma, sobre o preocupante aumento do número de pessoas com fome no mundo desde 2015, ameaçando vários anos de progresso na área. A FAO ainda não pode precisar o número exato deste acréscimo, mas indica que terá os resultados em setembro. A informação é da ONU News. Em seu discurso na abertura da conferência, nesta segunda-feira, o diretor-geral da agência das Nações Unidas, o brasileiro José Graziano da Silva, disse que quase 60% das pessoas que passam fome no mundo vivem em áreas de conflitos e afetadas por mudanças climáticas. Graziano contou que os 19 países em situação de crise quase sempre enfrentam também problemas com secas e/ou cheias. A FAO destacou o alto risco de fome no nordeste da Nigéria, na Somália, no Sudão do Sul e no Iêmen, com quase 20 milhões de pessoas severamente afetadas no total. O diretor-geral da agência da ONU informou que os meios de subsistência da maioria das pessoas que vive em zonas rurais foram interrompidos e muitos ficaram sem qualquer opção a não ser migrar por causa da crise. Leia mais na Agência Brasil.

ONU News

3 de julho de 2017, 10:30

MUNDO Montagem publicada por Trump contra CNN causa polêmica

Foto: EPA/Agência Lusa/Cristobal Herrera

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

A publicação de um vídeo-montagem pelo presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, em seu perfil no Twitter causou polêmica no país no fim de semana. Ele aparece derrubando e espancando uma pessoa com a logomarca da CNN no rosto. Trump usou o vídeo para atacar a rede norte-americana, reconhecidamente democrata e uma das maiores críticas do governo. Em resposta, publicada no fim da tarde desse domingo (2), a CNN endureceu o tom contra Trump. Também no Twitter, a empresa disse que o presidente está se “comportando de forma juvenil, o que combina com a dignidade que o cargo exige”. A CNN acrescentou que vai continuar a fazer o seu trabalho, e que Trump deveria começar a fazer o dele. Originalmente, a montagem publicada por Trump era de 2007, de uma luta simulada entre ele e o presidente de uma empresa para um programa chamado A Batalha dos Bilionários. Desde o começo do mandato, Trump tem chamado a imprensa que publica denúncias contra ele de inimiga do povo e sempre adota uma postura de desqualificar os meios de comunicação que o criticam. Em outra postagem no Twitter, logo depois do vídeo-montagem, Trump diz a seus seguidores que a mídia falsa está tentando silenciá-lo, mas que as pessoas sabem a verdade e que é presidente e eles não.

EPA/Agência Lusa/Cristobal Herrera

1 de julho de 2017, 09:30

MUNDO Tiroteio deixa 17 feridos em boate nos EUA

A polícia da cidade norte-americana de Little Rock, no Estado de Arkansas, está investigando um tiroteio em uma boate. O incidente, que deixou 17 pessoas feridas, não é tratado como terrorismo por enquanto. O chefe do departamento de polícia da cidade, Kenton Buckner, disse a redes de televisão locais que o tiroteio parece ter ocorrido “na sequência de algum tipo de disputa entre pessoas no recinto”. A polícia informou que todos os 17 feridos estão bem e que o caso mais sério já apresentou melhoras, passando de um estado crítico para estável. As autoridades reforçaram o entendimento de que “não acreditam que o episódio seja relacionado a um atirador ou terrorismo”.

Estadão Conteúdo

30 de junho de 2017, 21:40

MUNDO Mais de 440 mil deslocados internos sírios já voltaram para casa, diz a ONU

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), calcula que mais de 440 mil deslocados internos na Síria voltaram para suas casas nos primeiros seis meses desse ano. Além disso, o Acnur registrou o regresso de mais de 31 mil refugiados sírios que estavam em países vizinhos durante o mesmo período. A informada é da ONU News.Apesar de ter aumentado as operações de resposta para ajudar os sírios que estão voltando, o Acnur afirma que não pode promover ou facilitar o retorno dessas pessoas dada a situação de insegurança e humanitária ainda reinante no país.Em Genebra, o porta-voz do comissariado, Andrej Mahecic, declarou que entre os principais fatores que motivam a volta dos deslocados e refugiados estão a busca de parentes e a avaliação de como está a propriedade, casa ou apartamento em que moravam. Ele disse contudo que, em alguns casos, o regresso aconteceu pela melhora das condições de segurança em algumas partes da Síria.Segundo Mahecic, apesar do aumento da esperança por causa das recentes conversações de paz em Astana e Genebra, o Acnur acredita que a volta dos refugiados em condições apropriadas de segurança e dignidade ainda não é possível.Por outro lado, o Acnur vem enfrentando dificuldades financeiras para cumprir sua missão, já que do pedido de US$ 304 milhões para cobrir as operações de ajuda aos deslocados internos na Síria este ano, a agência recebeu somente um terço.O Alto Comissariado para os Refugiados busca um adicional de US$ 150 milhões até dezembro para aumentar a assistência a deslocados, às pessoas que retornaram às suas casas e a grupos considerados vulneráveis.O conflito na Síria, que já dura mais de seis anos, causou a morte de centenas de milhares de pessoas, deslocou 6,3 milhões de sírios dentro do país e forçou a fuga de 5,1 milhões para outras nações. Aproximadamente 13,5 milhões de sírios precisam de ajuda humanitária, incluindo 4,5 milhões que estão em áreas de difícil acesso ou sitiadas.

Agência Brasil

30 de junho de 2017, 20:37

MUNDO Vice-presidente da Venezuela defende autoridades acusadas de abusos

O vice-presidente da Venezuela, Tareck El Aissami, declarou apoio a duas graduadas autoridades suspeitas de cometer violações sistemáticas aos direitos humanos durante três meses de protestos contra o governo. Em telefonema à emissora VTV nesta sexta-feira, El Aissami qualificou as acusações da procuradoria como “alegações caluniosas”.O ex-chefe da Guarda Nacional Antonio Benavides Torres e o diretor da agência de inteligência, Gustavo González, foram convocados a depor na próxima semana como parte das investigações da procuradoria de abusos aos direitos humanos.O vice-presidente também defendeu a recente decisão do Tribunal Supremo de Justiça de impedir que a procuradora-geral Luisa Ortega Díaz deixe o país e congelar as contas bancárias dela. Ele qualificou as restrições como “medidas necessárias de justiça”.Ortega Díaz tem recentemente desafiado decisões do governo. Nesta sexta-feira, ela pediu à Comissão Interamericana de Direitos Humanos proteção para ela e todos os que trabalham em seu escritório.

Estadão

30 de junho de 2017, 19:57

MUNDO Oposição venezuelana pede que população intensifique participação em protestos

Líderes da oposição venezuelana pediram que a população intensifique sua participação nos protestos de rua antes que o presidente Nicolás Maduro consiga reescrever a Constituição do país. Líderes da coalizão Unidade Democrática disseram que estão recrutando venezuelanos para que se juntem aos Comitês para o Resgate da Democracia. No início do dia, os opositores denunciaram a detenção de mais de uma dúzia de manifestantes estudantis, que foram carregados em um caminhão. O líder estudantil Daniel Ascanio afirmou que 29 estudantes foram detidos em Caracas na quinta-feira, após participarem de um ato contra o governo.Os vídeos do incidente foram compartilhados nas redes sociais e mostram os alunos levados pela polícia com as mãos amarradas na parte traseira de um caminhão. Segundo Ascanio, alguns estudantes conseguiram falar com seus parentes e estão “fisicamente bem”.Uma pesquisa de uma universidade baseada em Caracas, divulgada nesta semana, descobriu que quase 20% dos venezuelanos participaram dos protestos. A maioria dos entrevistados também disse acreditar que era perigosa a participação nas manifestações. Ao menos 77 pessoas foram mortas em três meses de protestos contra o governo Maduro, que têm se espalhado quase diariamente no país

Estadão

30 de junho de 2017, 09:00

MUNDO Ativistas apontam pelo menos 12 mil mortes na Síria por bombardeios da Rússia

Pelo menos 12.249 pessoas morreram pelos bombardeios da Rússia, aliada do Governo de Damasco, na Síria, que começaram em 30 de setembro de 2015, revelou nesta sexta-feira (30) o Observatório Sírio de Direitos Humanos. A informação é da Agência EFE. Desses mortos, pelo menos 5.237 eram civis, dos quais 1.286 eram menores e 737 mulheres, segundo os dados da organização não governamental. Os ataques aéreos russos também causaram baixas no grupo terrorista Estado Islâmico, que perdeu 3.527 combatentes. Além disso, pelo menos 3.485 milicianos de facções rebeldes e islâmicas, entre as quais figura a ex-filial da Al Qaeda e outro grupo radical, morreram no território sírio pelos bombardeios da força aérea da Rússia. O Observatório lembrou que a aviação russa usou nos seus ataques bombas de cacho carregadas com uma substância composta de pó de alumínio e óxido de ferro, que provoca queimaduras porque sua combustão dura cerca de três segundos após ser lançada.Tanta Moscou como Damasco afirmam que os bombardeios têm como alvo organizações terroristas, mas o Observatório e opositores asseguram que os aviões russos também têm como alvo zonas residenciais e bases de brigadas opositoras, como o Exército Livre Sírio.

Agência Brasil

29 de junho de 2017, 21:12

MUNDO Análise mostra que governo dos EUA pode ficar sem dinheiro em meados de outubro

O governo dos Estados Unidos poderia ficar sem caixa para pagar suas contas já em meados de outubro, a menos que o Congresso eleve o limite de empréstimos federal, segundo nova análise da entidade apartidária Escritório para o Orçamento Congressual (CBO, na sigla em inglês), divulgada nesta quinta-feira.O Departamento do Tesouro tem lançado mão desde meados de março de medidas para conservar o caixa para continuar a cumprir as obrigações do governo. O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, tem insistido na necessidade de que os congressistas elevem o teto da dívida, sem precondições, antes de saírem para um recesso de cinco semanas em 28 de julho.O CBO havia estimado em março que o Tesouro ficaria sem dinheiro em algum momento do outono, mas disse que a data exata dependeria da perspectiva orçamentária para este ano. Mas a entidade advertiu que o cronograma e a magnitude das receitas nos próximos meses podem variar bastante em comparação com as projeções do CBO. Em outro relatório nesta quinta-feira, o CBO afirmou que a arrecadação tributária mais fraca neste ano levou a entidade a projetar um déficit orçamentário maior para 2017. O CBO espera agora que o déficit aumente para US$ 693 bilhões no ano fiscal até 30 de setembro, ou 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB), de US$ 587 bilhões, ou 3,2% do PIB, em 2016. Em janeiro, o CBO previu que o déficit no ano atual recuaria para US$ 559 bilhões, ou 2,9% do PIB.

Estadão

29 de junho de 2017, 13:30

MUNDO Economia dos EUA cresce 1,4% no 1º trimestre

A economia dos Estados Unidos cresceu a um ritmo anual de 1,4% no primeiro trimestre de 2017, dois décimos a mais que o cálculo anterior, informou hoje o governo americano em sua terceira e última estimativa do comportamento do Produto Interno Bruto (PIB). A informação é da EFE. Este último cálculo da evolução do PIB dos EUA entre janeiro e março representa uma melhoria frente à debilidade do primeiro cálculo (0,7%) e a do segundo (1,2%). Apesar disso, a alta de 1,4% é inferior ao crescimento de 2,1% registrado entre outubro e dezembro do ano passado. O crescimento do PIB nesta terceira estimativa foi impulsionado pela revisão para cima da despesa dos consumidores, que supõe dois terços da atividade econômica e cresceu 1,1%, em relação ao anterior cálculo de 0,6%, segundo o relatório do Departamento de Comércio. As exportações no primeiro trimestre também cresceram mais do que o estimado anteriormente: 7% frente a 5,8% do relatório do mês passado. Os EUA estão há 11 anos consecutivos com crescimentos anuais do PIB inferiores a 3%. Em 2016,o país cresceu apenas 1,6%, o menor ritmo desde 2011.

Agência EFE

29 de junho de 2017, 07:16

MUNDO Oposição do Equador pede impeachment do vice-presidente envolvido em corrupção

Um total de 59 assembleístas da oposição do Equador apresentaram hoje um pedido de impeachment do vice-presidente Jorge Glas, a quem acusam de não controlar a corrupção em setores estratégico do país que estavam sob sua responsabilidade, incluindo no caso da Odebrecht. O requerimento deverá ser qualificado pelo Conselho de Administração da Legislatura (CAL), controlado pelo partido da situação, Alianza País, antes de ser enviado para a avaliação da Corte Constitucional. Glas foi vice do ex-presidente Rafael Correa entre 2013 e 2017, quando foi reeleito para o cargo, e iniciou seu novo mandato no dia 24 de maio, desta vez acompanhado pelo presidente Lenín Moreno. O assembleísta Roberto Gómez, do partido opositor Creo, apresentou o pedido e destacou que há “uma responsabilidade política, cuja punição… Não é a privação da liberdade, mas a destituição do cargo”. Soledad Buendía, uma das integrantes do CAL, do partido da situação, disse que esse órgão revisará o pedido e os documentos apresentados. Desde a campanha presidencial no início deste ano, Glas era apontado pela oposição como suposto responsável por uma rede milionária de corrupção no setor petroleiro, no caso do pagamento de propinas pela Odebrecht, mesmo que não tenham apresentado denúncia formal na justiça. Fonte: Associated Press.

Associated Press/AE

28 de junho de 2017, 16:45

MUNDO Embaixadora dos EUA na ONU alerta para agudização da crise na Venezuela

A embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Nikki Haley, está advertindo os congressistas americanos sobre a agudização da crise na Venezuela e o risco de que o presidente Nicolás Maduro possa liderar uma repressão mais agressiva contra a oposição e os manifestantes. Segundo Haley, Maduro “está dizendo que vai usar a ação militar”. De acordo com a embaixadora, “ele está dizendo que vai ficar mais agressivo e está culpando os manifestantes por tentarem derrubar seu governo quando tudo o que eles querem é a verdadeira democracia”. Os comentários de Haley foram feitos nesta quarta-feira no Comitê de Relações Exteriores do Senado. A manifestação foi a crítica mais aberta do governo de Donald Trump à Venezuela desde o início do ano.

Estadão Conteúdo