14 de abril de 2018, 09:05

MUNDO Ataque à Síria: presidente do Parlamento Europeu teme escalada do conflito

O italiano Antonio Tajani, presidente do Parlamento Europeu, afirmou hoje (14), em entrevista à rádio pública italiana RAI, que o uso de armas químicas é inaceitável e que é preciso “evitar uma escalada militar na Síria”. A declaração foi feita após os ataques desta madrugada realizados conjuntamente pelos Estados Unidos, pelo Reino Unido e pela França.Tajani disse ainda que a operação contra a Síria será discutida na segunda-feira (16) no Parlamento Europeu e que espera que haja uma solução pacífica que inclua a União Europeia e as Nações Unidas. “O futuro da Europa passa também pela política internacional e esta inclui a Síria”, afirmou.No entanto, Tajani admitiu temer que a situação se agrave e afirmou estar preocupado com a população civil. “O perigo é o que pode vir a seguir”, disse.

Agência Brasil

14 de abril de 2018, 07:10

MUNDO Estados Unidos encerram ataques após atingir instalações químicas da Síria

Os Estados Unidos encerraram os bombardeios aéreos lançados em conjunto com a França e Reino Unido sobre a Síria, na noite desta sexta-feira (13), após atingirem os três alvos descritos como locais de “capacidades químicas”: um centro de pesquisa científica localizado na capital, Damasco; uma instalação de armazenamento de armas químicas, localizada a oeste de Homs; e ainda uma terceira próxima ao segundo alvo, que serviria – segundo o Pentágono – de armazém de equipamentos de armas químicas, além de um posto de comando.Os ataques foram detalhados pelo Departamento de Defesa norte-americano em uma coletiva na noite da sexta-feira (13). O general Josefh Dunford, presidente do Joint Chiefs – um comitê de assessoramento do Pentágono – disse que os Estados Unidos identificaram alvos sírios. Segundo ele, a “rodada de ataques aéreos já havia sido encerrada”.“Os alvos que foram atingidos e destruídos estavam especificamente associados ao programa de armas químicas do regime sírio. Também selecionamos alvos que minimizariam o risco para civis inocentes”, disse o general, durante a entrevista.Também foi evitado o choque direto com a Rússia. “Identificamos especificamente alvos russos sírios, para mitigar o risco de envolvimento das forças russas”, afirmou Dunford. Além disso, ele afirmou que a linha direta com a Rússia foi usada no período que antecedeu os bombardeios, para liberação do espaço aéreo. “Nós usamos o canal de desconexão normal para desconstruir o espaço aéreo. Não coordenamos metas”, explicou.Menos duas horas antes, o presidente Donald Trump tinha anunciado que os bombardeios haviam começado. Os bombardeios, segundo o Pentágono já foram finalizados e são a resposta prometida pelos Estados Unidos ao suposto ataque químico atribuído ao governo de Bashar Al Assad, à cidade de Duma há sete dias.O secretário de Defesa, James Mattis, também participou da coletiva. Ele disse que até aquele momento não havia “relatos de perdas para o exército americano”. O Pentágono ainda não comentou as declarações da TV síria, de que pelo menos 13 misseis teriam sido interceptados em Homs, o que teria segundo a estatal de televisão, frustrado o ataque.Mattis não deu declarações sobre resultados, mas ponderou que, embora o ataque aos três locais tenha sido finalizado, isso não quer dizer que não haverá outros. “O objetivo é realizar uma campanha sustentada para que armas químicas deixem de ser usadas na Síria”, disse.Os ataques foram realizados por volta das 22h00 desta sexta-feira (horário de Brasília).

13 de abril de 2018, 18:00

MUNDO Presidente do Equador confirma morte de jornalistas na fronteira com a Colômbia

O presidente do Equador, Lenín Moreno, confirmou a morte de três funcionários da imprensa do país nesta sexta-feira, 13. Eles foram sequestrados na fronteira com a Colômbia no dia 26 de março por um grupo dissidente das Farc. O líder interrompeu sua participação na Cúpula das Américas, no Peru, e retornou ao país para lidar com o caso. Moreno fez a declaração quando o prazo de 12 horas dado aos sequestradores acabou. O presidente revelou que o governo obteve novas informações que confirmaram a morte dos dois jornalistas e o motorista do jornal El Comercio. Na quinta-feira, 12, redes de TV da colombianas disseram ter obtido fotos que comprovavam a morte dos três profissionais. A equipe estava na fronteira com a Colômbia para coletar informações sobre a violência gerada pelos grupos armados ilegais do país. Para a analista Grace Jaramillo, da Universidade de Queens em Kinston, no Canadá, o Equador enfrenta a atual situação porque “não articulou um sistema de inteligência focado no crime internacional organizado”, mas ressaltou que o país também não estava preparado para a violência na fronteira com a Colômbia. Jaramillo acrescentou que para lidar com questões de violência e grupos armados irregulares na fronteira, é necessário “um serviço de inteligência extraordinário e compartilhar inteligência com outros países fortes do continente, e o Equador não tem feito isso”.

Estadão Conteúdo

13 de abril de 2018, 17:30

MUNDO Vice-presidente dos EUA se reúne com opositores venezuelanos no Peru

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, se reunirá nesta sexta-feira em Lima com quatro opositores venezuelanos, entre eles o ex-prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, e o ex-presidente do Parlamento venezuelano, Julio Borges, informou à Agência EFE uma funcionária da Casa Branca. Pence aterrissa hoje à tarde em Lima (15h15 horário local, 18h15 em Brasília) para participar da Cúpula das Américas, onde representará o presidente Donald Trump, que cancelou na terça-feira sua viagem para supervisionar a resposta do seu governo ao suposto ataque químico na Síria. Uma hora após o desembarque o vice-presidente se reunirá com opositores venezuelanos na residência do embaixador americano no Peru, Krishna Urs, “para falar sobre o compromisso dos EUA para restaurar a democracia na Venezuela”, explicou uma funcionária, que pediu o anonimato. Vão participar da reunião com Pence os opositores Borges, Ledezma, o coordenador político do partido Vontade Popular, Carlos Vecchio; e o ex-prefeito do município de Hatillo, David Smolansky, no exílio após ser destituído do cargo pelo Tribunal Supremo de Justiça no ano passado. “O governo Trump está comprometido a trabalhar com países na região para conseguir a paz e estabilidade no hemisfério e pedir a unidade para que os atores não democráticos na região prestem contas pelas suas ações”, segundo a funcionária. Após a reunião com os opositores venezuelanos, Pence se encontrará com o pessoal da embaixada americana no Peru, para depois participar da cerimônia de inauguração da Cúpula das Américas e do banquete de boas-vindas oferecido pelo presidente do Peru, Martín Vizcarra.

Agência Brasil

13 de abril de 2018, 08:36

MUNDO Partidos italianos não conseguem fechar acordo para formação de novo governo

Seis semanas após as eleições, a segunda rodada de conversas entre o presidente da Itália, Sergio Mattarella, e partidos políticos não teve sucesso em fechar um acordo para formação de governo.Mattarella afirmou nesta sexta-feira que ele pretende esperar alguns dias para definir como vai desfazer o impasse.”Da forma como as consultas políticas aconteceram, há evidências de que o debate entre os partidos sobre como formar uma maioria parlamentar para dar apoio ao governo não progrediu”, disse o presidente.O líder italiano teria dito aos partidos que o país precisa de um governo completamente operante por diversos motivos, inclusive o aumento da tensão comercial e política no mundo – uma referência clara às potenciais tarifas entre os EUA e a China, além do possível ataque americano na Síria.As eleições nacionais deixaram o Parlamento dividido em três blocos, com nenhum grupo atingindo votos suficientes para governar sozinho.Uma coalizão de centro-direita, liderada pelo partido anti-imigração Liga e incluindo o Forza Italia, de Silvio Berlusconi, emergiu como a maior coalizão, com 36% dos votos populares. O Movimento 5 Estrelas ficou logo atrás, com 32%, o que o tornou o partido único mais votado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Estadão

12 de abril de 2018, 14:44

MUNDO Senador republicano diz que Trump pediu estudo sobre nova entrada dos EUA no TPP

O senador republicano Ben Sasse (Nebraska) afirmou nesta quinta-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu que o representante comercial do país, Robert Lighthizer, e o diretor do Conselho Econômico Nacional, Larry Kudlow, estudassem a possibilidade do país de entrar novamente na Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), o acordo que Trump abandonou em seu primeiro dia no cargo. “Isso é realmente uma boa notícia para a América”, disse o senador. Trump afirmou que pode ser mais fácil chegar a um acordo agora que outras 11 nações assinaram o pacto, de acordo com Sasse. De acordo com Sasse, o presidente americano aparentou falar sério sobre a possibilidade dos EUA voltarem ao TPP. Os comentários foram feitos em uma reunião com senadores. Fonte: Dow Jones Newswires.

Estadão Conteúdo

11 de abril de 2018, 14:44

MUNDO Rússia vai enviar tropas à cidade do suposto ataque químico

Militares russos afirmaram nesta quarta-feira, 11, que vão enviar tropas à cidade síria de Douma, onde aconteceu o suposto ataque químico que matou 40 civis no último sábado. A declaração veio do Tenente-General Viktor Poznikhir, do Estado Maior das Forças Armadas Russas. Segundo ele, o objetivo é garantir a segurança da cidade. Poznikhir disse que mais de 40 mil pessoas, incluindo 3,3 mil rebeldes e 8,7 mil de seus parentes já deixaram Douma com a ajuda de militares russos.

Estadão Conteúdo

10 de abril de 2018, 14:44

MUNDO Conselheiro de Segurança de Trump pede demissão um dia após posse de John Bolton

O assessor de segurança interna do presidente Donald Trump, Thomas Bossert, pediu demissão do cargo nesta terça-feira, 10. A informação foi divulgada pela secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders. Ela afirmou que Trump é “grato pelo comprometimento de Tom com a segurança” do país. Bossert foi um funcionário de importância crucial na Casa Branca ao proteger o país de ameaçar cibernéticas e de terrorismo. Ele também ajudou na resposta do governo aos furacões que aconteceram no Texas, Flórida e Porto Rico. Sua demissão é a mais recente na onda de saídas de funcionários do governo Trump e acontece um dia depois que o novo conselheiro de segurança nacional, John Bolton, assumiu o cargo

Estadão Conteúdo

9 de abril de 2018, 08:41

MUNDO Papa pede ajuda aos pobres e critica os que “gastam alegremente”

O papa Francisco pediu ajuda aos pobres e necessitados e criticou os que “gastam alegremente” quando outros têm que se conformar em olhar “desde fora enquanto sua vida passa e acaba miseravelmente”. A crítica foi feita em sua terceira exortação apostólica intitulada Gaudete et Exsultate, que foi publicada nesta segunda-feira (9) pelo Vaticano. O papa abordou a “santidade no mundo contemporâneo”, seus “riscos, desafios e oportunidades”. “Não podemos planejar um ideal de santidade que ignore a injustiça deste mundo, onde alguns festejam, gastam alegremente e reduzem sua vida às novidades do consumo, ao mesmo tempo que outros só olham desde fora, enquanto sua vida passa e acaba miseravelmente”, disse. No documento, o papa também critica “a alegria consumista e individualista tão presente em algumas experiências culturais de hoje” e sublinha que “o consumismo só enche o coração; pode brindar prazeres ocasionais e passageiros, mas não gozo”. Além disso, avisa que “o consumo de informação superficial e as formas de comunicação rápida e virtual podem ser um fator de atordoamento que nos afasta da carne sofrente dos irmãos “. “As constantes novidades dos recursos tecnológicos, o atrativo das viagens, as inumeráveis ofertas para o consumo às vezes não deixam espaços vazios onde ressoe a voz de Deus”, afirmou.

Agência Brasil

8 de abril de 2018, 11:40

MUNDO Ataque com gás na Síria deixa mais de 40 mortos em Duma e governo nega autoria

Um ataque com gás venenoso ontem na cidade de Duma, próxima à capital da Síria, Damasco, deixou mais de 40 mortos, de acordo com a ONG Defesa Civil Síria. O acontecimento se deu em meio a uma nova ofensiva das forças do governo após o fim de uma trégua com o grupo rebelde Exército do Islã. O governo nega a autoria do ataque. De acordo com paramédicos, pessoas foram encontradas dentro de suas casas e abrigos com espuma saindo pela boca. O porta-voz do Defesa Civil Síria, Siraj Mahmoud, disse que foram contabilizadas 42 mortes, mas a ONG não conseguiu continuar as buscas devido ao forte odor e às dificuldades de respiração. Em comunicado conjunto, a Defesa Civil Síria e a Sociedade Médica Síria Americana disseram que mais de 500 pessoas, a maioria mulheres e crianças, foram levadas a centros médicos com dificuldade de respirar, espumando pela boca e olhos ardendo. Os pacientes teriam descrito um cheiro semelhante a cloro. Alguns tinham a pele azulada, em sinal de privação de oxigênio. Os sintomas seriam consistentes com exposição química. Lideranças internacionais condenaram o ataque. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse em sua conta no Twitter que o presidente russo, Vladimir Putin, a Rússia e o Irã são responsáveis por apoiar o regime de Bashar al-Assad. “Outro desastre humanitário por razão nenhuma”, escreveu. O conselheiro de segurança da Casa Branca, Thomas Bossert, disse que não descarta opções em resposta ao ataque. A Turquia, que critica o regime de Bashar al-Assad desde o início da guerra civil, disse que o governo “ignorou mais uma vez” os acordos internacionais de banimento de armas químicas. Aliada a Assad, a Rússia negou que as forças sírias tenham usado armas químicas no ataque. Fonte: Associated Press.

Estadão Conteúdo

7 de abril de 2018, 17:34

MUNDO Imprensa internacional repercute decisão de Lula se entregar à PF

Alguns dos principais veículos de imprensa do mundo destacam em suas páginas na internet a decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de se entregar à Polícia Federal (PF) neste sábado, 7, depois de discursar por mais de uma hora a uma multidão de apoiadores no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo. Jornais norte-americanos como Washington Post e The Wall Street Journal ressaltaram do discurso do ex-presidente que ele voltou a defender sua inocência, após ter sido condenado a 12 anos de prisão por corrupção. “Cumprirei a ordem. Dessa forma, eles saberão que não tenho medo. Eu não estou correndo. Eu vou provar a minha inocência”, destacou o Washington Post. A rede britânica BBC também repercutiu o anúncio do ex-presidente de se entregar e lembrou que Lula era o favorito nas pesquisas de intenção de voto para as eleições presidenciais deste ano. O periódico francês Le Monde pontuou que o ex-chefe de Estado desafiou novamente as acusações contra ele e disse que quer provar que seu julgamento é um “crime político”. O jornal argentino Clarín ressaltou do discurso do ex-presidente o trecho em que ele disse ter negado asilo político. “Eu tive a chance de ir ao Uruguai. Eles me disseram para fazer isso. Deixe-o ir para a embaixada da Bolívia, do Uruguai, da Rússia. Eu disse que não aceito isso. Eu vou cumprir o mandato. Não estou me escondendo”.

6 de abril de 2018, 20:20

MUNDO Mídia internacional destaca decisão de Lula de descumprir prazo para apresentação

Os principais veículos de imprensa do mundo destacam em suas páginas na internet a decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de descumprir o prazo para uma apresentação voluntária à Polícia Federal (PF) estipulado no mandado de prisão do juiz Sérgio Moro.O New York Times, principal jornal dos Estados Unidos, ressalta que Lula “desafiou” o prazo das 17h para se entregar voluntariamente e acrescenta que a decisão do petista pode ser o prenúncio de uma “disputa dramática” com autoridades de segurança.A atitude “desafiadora” do petista também faz parte da abordagem do Washington Post, que destaca que a resistência do ex-presidente se dá enquanto multidões se manifestam tanto contra quanto a favor dele.A emissora americana CNN escreve na página inicial de seu site que Lula “falhou” em se apresentar para ser levado à prisão.O britânico Financial Times afirma em uma parte de menor destaque da sua página inicial que “o presidente que transformou o Brasil faz sua última resistência”. Também na página inicial, o alemão Die Zeit ressalta que o advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, afirmou ter recorrido ao Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) para evitar a prisão.O espanhol El País noticia que Lula “negocia com a Justiça sua entrega para ir ao cárcere” e faz uma cobertura em tempo real do caso.O português Público vai além e, no principal destaque de seu site, afirma que “Lula não quer entregar-se hoje”, também com atualizações ao vivo.No italiano Corriere della Sera, a manchete da página inicial diz que, após não se entregar à polícia, o petista está “entrincheirado” na sede do Sindicato dos Metalúrgicos.O argentino La Nación é mais um a evidenciar a cobertura do caso de Lula no maior destaque de seu site, com a manchete “Tensão máxima no Brasil: entrega de Lula à Polícia Federal é negociada”.

Estadão

6 de abril de 2018, 11:00

MUNDO Maduro, Morales, Zelaya e Cristina declaram apoio a Lula condenado

Foto: Marco Belo/Reuters

NIcolás Maduro

Líderes políticos e chefes de Estado da América do Sul declaram apoio ao ex-presidente Lula, que tem prazo até as 17 hs desta sexta-feira, 6, para se entregar à Polícia Federal de Curitiba, para iniciar o cumprimento da pena de 12 anos e um mês de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do caso triplex do Guarujá. As manifestações ocorreram antes da prisão de Lula ser decretada pelo juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato. O venezuelano Nicolás Maduro afirmou que ‘o mundo inteiro’ abraça Lula e que a ‘injustiça dói na alma’. “A direita, diante da incapacidade de ganhar democraticamente, elegeu o caminho judicial para amedrontar as forças populares”, disse Maduro. Evo Morales, da Bolívia, declarou que as oligarquias não se interessam ‘nem pela democracia e nem pela justiça’, além de cravar que Lula foi condenado para ‘impedir que volte a ser presidente do Brasil’. “A direita jamais o perdoará por ter tirado 30 milhões de pobres da miséria”, disse o chefe de estado. Manuel Zelaya, ex-presidente de Honduras que foi deposto em 2009 e se refugiou na embaixada do Brasil, disse que Lula é inocente. Zelaya afirma que ‘seu único pecado foi enfrentar os Estados Unidos’ e ‘não obedecer aos conservadores que governam o Brasil’. Cristina Kirchner, ex-presidente da Argentina, disse que ‘as elites nunca se interessaram por justiça ou democracia, além de utilizar o ‘aparato judicial’ em interesse próprio.

Estadão Conteúdo

6 de abril de 2018, 07:30

MUNDO Cristina Kirchner diz que Lula vai ganhar eleições após decisão judicial

Foto: Divulgação

Cristina Kirchner, ex-presidente da Argentina

A ex-presidente da Argentina Cristina Fernandez Kirchner disse nesta quinta-feira, 05, que “ficou definitivamente claro” que Luiz Inácio Lula da Silva vai ganhar as próximas eleições brasileiras, depois que o STF rejeitou um “habeas corpus” apresentado por sua defesa para evitar a prisão imediata. Cristina fez a declaração pouco antes do pedido de prisão de Lula ter sido decretado pelo juiz Sérgio Moro. “Hoje, no Brasil algo ficou definitivamente claro. Lula vai ganhar as próximas eleições presidenciais”, escreveu Cristina em sua conta no Twitter um dia depois de o Supremo Tribunal Federal divulgar sua decisão, que é o primeiro passo do pedido de prisão de Lula, condenado a doze anos e um mês de prisão por corrupção. Cristina fez referência às eleições gerais brasileiras previstas para outubro deste ano e para as quais o ex-presidente brasileiro encabeça as pesquisas de opinião.

Estadão

2 de abril de 2018, 13:45

MUNDO Terremoto na Bolívia é sentido em vários estados do Brasil

Um terremoto de magnitude 6,8 na escala Richter, oriundo da Bolívia, foi sentido no Distrito Federal, em São Paulo, no Paraná, no Rio Grande do Sul e em Minas Gerais, por volta das 11h de hoje (2). A intensidade do tremor foi dimensionada pelo Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP). Na Avenida Paulista, região central de São Paulo, diversos prédios chegaram a ser esvaziados. Imagens divulgadas pelas redes sociais mostram os trabalhadores ocupando as calçadas após descerem dos escritórios. No centro, o prédio do Ministério Público estadual também foi esvaziado. O tremor também foi sentido na região norte, segundo o Corpo de Bombeiros. No estado de São Paulo, municípios do interior, como Marília, e do litoral, como Santos, também sentiram o tremor. Em Brasília, prédios localizados em uma de suas principais avenidas, a W3, na altura da quadra 508 Norte, foram evacuados e seus ocupantes receberam orientações do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. “Recebemos vários chamados em todo o Plano Piloto, no Setor de Indústrias e no Guará. Não houve nenhum relato de vitimas e nenhuma estrutura foi comprometida. Houve a percepção das pessoas quanto ao tremor, mas não se constatou nenhum problema nas edificações vistoriadas”, informou o Capitão Ronaldo Reis, do Corpo de Bombeiros. Segundo ele, equipes de vários quartéis de Brasília e cidades vizinhas foram mobilizadas para o atendimento da população, além de membros da Defesa Civil. Em caso de tremor de terra, a orientação para quem sentir os efeitos do abalo é de aguardar o socorro dos bombeiros e da Defesa Civil distante do prédio ou edificação. Se o abalo for forte, sugere-se procurar uma equipe de engenheiros para avaliar as condições de sustentação do edifício.

Agência Brasil