14 de julho de 2017, 06:37

MUNDO Juiz ordena prisão de ex-presidente do Peru por corrupção no caso Odebrecht

O juiz peruano Richard Concepción Carhuancho ordenou a prisão do ex-presidente Ollanta Humala e sua esposa, Nadine Heredia, que são acusados de conspiração e lavagem de dinheiro relacionados ao caso Odebrecht. A ordem, que autoriza 18 meses de detenção para Humala e sua esposa, veio após procuradores argumentarem que o casal pode fugir do Peru para despistar a Justiça. O mesmo juiz já havia ordenado a prisão de um outro ex-presidente peruano, Alejandro Toledo, por acusações relacionadas. Toledo está nos Estados Unidos lutando contra pedidos de deportação por autoridades do Peru, que exigem que ele responda às acusações. O procurador Germán Juárez acusou o casal Humala e Heredina de lavar dinheiro nas campanhas presidenciais de 2006 e 2011. Ele explicou que ambos receberam recursos públicos da Venezuela para a campanha de 2006, quando Humala saiu derrotado nas eleições. Em 2011, quando Humala foi eleito, a Odebrecht e a OAS contribuíram com dinheiro que seria destinado a corromper funcionários e obter licitações, segundo o procurador. O empresário Marcelo Odebrecht declarou em abril que havia entregado US$ 3 milhões à campanha de Humala, que negou insistentemente as acusações. Autoridades de toda a América Latina têm se movido para cobrar políticos acusados de receber cerca de US$ 800 milhões em propinas da Odebrecht. A construtora reconheceu o pagamento de suborno em um acordo firmado com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos em dezembro. Apenas no Peru foram pagos US$ 29 milhões por obras construídas durante o governos Toledo, Humala e do ex-presidente Alan Garcia. (Matheus Maderal, com informações da Associated Press.

Estadão Conteúdo

13 de julho de 2017, 14:40

MUNDO Maduro chama procuradora-geral de “mentirosa”

Foto: Divulgação

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, voltou a atacar duramente a procuradora-geral do país, Luisa Ortega Díaz, qualificando-a de “mentirosa” e acusando-a de permitir a “impunidade criminal”. A informação é da agência Télam. ”Luisa Marbelia Ortega Díaz é uma mentirosa e cairá na memoria dela todo o sangue derramado, tão logo haja justiça”, sentenciou Maduro ontem (12) à noite em um ato no qual recebeu um informe de uma comissão do governo que investigou os fatos de violência ocorridos durante uma onda de protestas em 2014. ”O Ministério Público tem permitido uma impunidade criminal, é cúmplice dos delitos, e há sido cúmplice de crimes, da conspiração, e se lava a cara por um lado por outro mete um punhal contra a democracia”, disse Maduro.

Agência Brasil

13 de julho de 2017, 11:00

MUNDO Merkel ressalta importância de manter diálogo com os EUA, apesar das diferenças

Foto: Divulgação

Chanceler da Alemanha, Angela Merkel

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse que é importante que os países continuem conversando com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mesmo quando há claras diferenças. Em uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira, ao lado do presidente da França, Emmanuel Macron, Merkel afirmou que a cúpula de líderes do G-20 mostrou que há semelhanças com o novo governo americano, como a luta contra o terrorismo, mas “também devemos citar diferenças claras, por exemplo, lamentavelmente, a diferença sobre se precisamos ou não do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas”. Segundo Merkel, “não documentamos essas diferenças, mas o contato e a capacidade de falar é, naturalmente, importante”. Macron comentou que a Alemanha e a França concordam com a importância de laços estreitos com os EUA, apesar das diferenças. Trump foi convidado por Macron para participar do Dia da Bastilha. Os dois darão coletiva de imprensa às 13h25, após uma reunião bilateral. Fonte: Associated Press.

 

Estadão Conteúdo

13 de julho de 2017, 10:06

MUNDO Condenação de Lula é sinal de que Justiça está funcionando, diz Transparência Internacional

Foto: Divulgação

Ex-presidente Lula

O presidente da Transparência Internacional, José Ugaz, afirmou, nesta quarta-feira, 12, que a condenação do ex-presidente Lula a 9 anos e 6 meses de prisão proferida pelo juiz federal Sérgio Moro é ‘é um sinal significativo de que o estado de direito está trabalhando no Brasil e que não há impunidade, mesmo para os poderosos’. A entidade diz ver ‘ataques de todos os lados’ às investigações e exige ‘garantias’ de que a Lava Jato siga em frente sem ‘interferências de partidos políticos’. O petista foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro de R$ 2,25 milhões em razão de supostamente ter aceitado para o triplex no Guarujá e suas respectivas reformas como forma de propinas da OAS oriundas de desvios na Petrobrás.  “A condenação do ex-presidente Lula é um sinal significativo de que o estado de direito está trabalhando no Brasil e que não há impunidade, mesmo para os poderosos”, afirmou Urgaz. O presidente da Transparência Internacional ainda disse que ‘Lula não é o único político de alto nível que é foco das investigações de corrupção. O atual presidente, Michel Temer (PMDB), que é do extremo oposto do espectro político, também está enfrentando acusações de corrupção, assim como o senador Aécio Neves (PSDB), que concorreu contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) nas últimas eleições’ . O presidente da entidade ainda afirma que o ‘escândalo da Lava Jato atingiu políticos de todos os partidos e os mais poderosos empresários brasileiros’ e que ‘não é surpreendente’ o fato de que ‘os juízes e investigadores estejam sendo atacados de todos os lados’. “Esta é a prova de que a corrupção não distingue entre ideologias ou partidos políticos. A Transparência Internacional exige garantias de que as investigações possam prosseguir e que todos os processos judiciais permaneçam independentes e livres de interferências de qualquer partido político”, afirmou o presidente da Transparência Internacional.

Estadão

12 de julho de 2017, 19:12

MUNDO Evo Morales diz que condenação de Lula é golpe judicial

Foto: Agência Brasil

O presidente da Bolívia, Evo Morales, usou sua conta no microblog Twitter para manifestar solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O petista foi condenado nesta quarta-feira, 12, a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Em sua postagem, Evo disse que Lula sofre um “golpe judicial” e afirmou que ele é um candidato potencial que garantiu a vitória do povo brasileiro. “Irmão Lula Da Silva nosso apoio neste caça às bruxas, digo que com o apoio do seu povo, você será bem sucedido”, postou.

12 de julho de 2017, 11:45

MUNDO Ministro russo se diz surpreso com controvérsia envolvendo Trump Jr.

O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, se disse surpreso em relação à controvérsia que envolve Donald Trump Jr., filho mais velho do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre um encontro com uma advogada russa durante a campanha presidencial americana do ano passado. Em uma coletiva de imprensa em Bruxelas, Lavrov afirmou que não entendeu o motivo da reunião de Trump Jr. e da advogada Natalia Veselnitskaya se tornar uma questão tão grande. “Qual é o problema com isso?”, questionou o ministro russo. Na terça-feira, Trump Jr. revelou que estava ansioso para ouvir informações supostamente prejudiciais sobre a democrata Hillary Clinton do governo russo, revelando uma série de e-mails que o mostravam conversando com um publicitário sobre o encontro com a advogada russa. Veselnitskaya nega ter qualquer informação comprometedora sobre Hillary ou relações com o Kremlin. Fonte: Associated Press.

Estadão Conteúdo

11 de julho de 2017, 16:00

MUNDO Trump Jr. divulga e-mail que mostra oferta russa para informações sobre Hillary

Donald Trump Jr., filho mais velho do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, divulgou, em seu perfil no Twitter, um e-mail trocado com o publicitário Rob Goldstone, o qual mostra que o governo da Rússia tentou fornecer informações comprometedoras sobre a democrata Hillary Clinton à campanha de Trump. “Para ser totalmente transparente, estou liberando todos os meus e-mails com Rob Goldstone sobre a reunião que tive em 9 de junho de 2016″, disse Trump Jr. em um comunicado publicado no Twitter. “Para colocar isso em contexto, isso ocorreu antes que a atual febre russa entrasse em vigor.” Nos últimos dias, a imprensa americana havia divulgado que Trump Jr. e outros integrantes da equipe de governo do republicano, como Jared Kushner, genro do presidente, e o chefe da campanha, Paul Manafort, haviam se encontrado com a advogada russa Natalia Veselnitskaya, por intermédio de Goldstone, para a obtenção de supostas informações comprometedoras sobre Hillary Clinton, que concorreu com Trump à Casa Branca no ano passado. O encontro teria ocorrido a pedido do cantor pop russo Emin Agalarov, que tem ligações com os negócios da família Trump. “Esta é, obviamente, uma informação de alto nível e bastante sensível, mas faz parte da Rússia e de seu apoio do governo a Trump”, diz um dos e-mails. Em um dos conteúdos, referindo-se às informações sobre Hillary, Trump Jr. afirmou a Goldstone que “se é o que você diz, eu adoro”. Apesar da alegação anterior de Trump Jr. de que não sabia sobre os supostos laços da advogada russa com o Kremlin, Goldstone declarou, explicitamente em um dos e-mails, que ela era uma “advogada do governo russo”. Goldstone é um dos publicitários ligados ao cantor Emin Agalarov e também tem conexões com o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Estadão Conteúdo

11 de julho de 2017, 11:40

MUNDO Iraquianos comemoram vitória histórica sobre o Estado Islâmico em Mosul

Milhares de iraquianos comemoram nas ruas de Bagdá a vitória histórica sobre os militantes extremistas do Estado Islâmico na cidade de Mosul. Desde segunda-feira (10), após o anúncio oficial da vitória, longas filas de carros de civis decorados com rosas, buzinam e percorrem as principais ruas da capital iraquiana, enquanto centenas de pessoas em grupos levantavam bandeiras do país, dançam e cantam canções de vitória e se cumprimental em muitos bairros de Bagdá, incluindo Tahrir Square Mansour e distritos de Bagdá al-Jadida. “Felicito todos os iraquianos pela grande vitória sobre o grupo terrorista Estado Islâmico que foi alcançada pelo sangue dos mártires de nossas forças de segurança e pela unidade de todos os iraquianos sob a liderança do primeiro-ministro Abadi,” disse o jovem Ismail Hameed à Agência Xinhua. “Esta celebração é de todos os iraquianos, não importa sua religião ou grupo étnico, porque o EI é inimigo de todos nós e isso é uma reviravolta em nossa vida,” disse Hameed, que estava comemorando com outros jovens na Praça Tahrir, no centro de Bagdá. “Eu tenho sentimentos misturados de felicidade por derrotar o Estado Islâmico em Mosul e tristeza por meus colegas que morreram nas batalhas anteriores. No entanto, eu quero felicitar todos os iraquianos por esta grande vitória,” disse Saad Aziz, um soldado do bairro de Mansour, no oeste de Bagdá.Para garantir a segurança nas comemorações, as forças iraquianas intensificaram as medidas de segurança e bloquearam algumas vias. Dezenas de policiais estão nas principais ruas e áreas comerciais da cidade. Mosul Ontem, Abadi declarou oficialmente Mosul livre do Estado Islâmico depois de quase nove meses de luta para expulsar os militantes extremistas de seu último grande refúgio no Iraque.
“Eu declaro ao mundo inteiro o fim, o fracasso e o colapso do Estado Islâmico,” disse Abadi em um discurso em Mosul. “Temos outras missões agora: a reconstrução e a limpeza de células do EI – que precisarão de esforço de inteligência”. O Iraque também “precisa de unidade, assim como nós nos unimos para eliminar o EI, temos que estar unidos para restaurar a estabilidade dessas áreas e auxiliar no retorno das pessoas deslocadas e reconstruir as áreas que liberamos,” acrescentou Abadi em seu discurso. Mosul fica 400 km ao norte da capital do Iraque e estava sob o controle do Estado Islâmico desde junho de 2014, quando as forças do governo abandonaram suas armas e fugiram, permitindo que os militantes extremistas tomassem o controle de partes das regiões do norte e oeste do Iraque.

Agência Brasil

10 de julho de 2017, 14:45

MUNDO Conselho de Segurança da ONU aprova nova missão para a Colômbia

O Conselho de Segurança da ONU decidiu nesta segunda-feira (10) que a Missão das Nações Unidas na Colômbia terá como sucessora a Missão de Verificação no país. A nova estrutura deve acompanhar a execução dos pontos previstos no Acordo Final entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que incluem a reinserção política, econômica e social do grupo que durante anos fez oposição militar ao regime. A informação é da ONU News. A resolução do Conselho prevê ainda que Missão de Verificação da ONU na Colômbia confirme as garantias de segurança além de estabelecer programas sobre medidas de segurança e proteção para comunidades e organizações em áreas afetadas pelo conflito. O Conselho quer que o secretário-geral da ONU comece os preparativos para instalar a missão, que inclui recomendar em 45 dias os detalhes sobre o seu tamanho, os aspectos operacionais e o mandato a serem decididos pelo órgão. O mandado inicial da Missão de Verificação é de 12 meses com início em 26 de setembro de 2017, um dia após terminar a atual operação. Atualmente, a Missão da ONU na Colômbia monitora e verifica a entrega de armas, o cessar-fogo bilateral e a cessação de confrontos entre o governo da Colômbia e as Farc. O Conselho de Segurança pede ainda à operação de paz que antecipe as ações da Missão de Verificação “dentro da sua configuração e capacidade atuais, até o momento do fim do seu mandato em 25 de setembro”.

Agência Brasil

10 de julho de 2017, 11:30

MUNDO Filho de Trump é acusado de participar da interferência russa nas eleições

As denúncias sobre a interferência russa nas eleições americanas chegaram a família de Donald Trump. De acordo com reportagem publicada na edição de domingo (9) do The New York Times, o filho mais velho do presidente americano, Donald Trump Jr, teria se encontrado com uma advogada da Rússia na sede da companhia da família em julho do ano passado. Este fato repercute hoje (10) em todos veículos de comunicação nos Estados Unidos. A reportagem relata que o Trump Jr, teria se reunido com a advogada russa Natalia Veselnitskaya. A reportagem relata que o Trump Jr, teria se reunido com a advogada russa Natalia Veselnitskaya. Ambas as partes teriam prometido trocar informações prejudiciais sobre Hillary Clinton, a adversária de Trump na disputa, presidencial. As informações foram repassadas ao jornal por três conselheiros da Casa Branca. O filho de Trump teria prometido repassar ao governo russo, dados prejudiciais sobre a então candidata adversária, Hillary Clinton. A advogada também teria dito que tinha dados sobre a participação de russos no financiamento da campanha democrata. O porta voz jurídico de Trump, Mark Corallo, disse em um comunicado por e-mail que o presidente dos Estados Unidos, não compareceu e não tinha conhecimento do encontro. Ele não fez comentários sobre a reportagem no Twitter, mas pela primeira vez as denúncias atingiram membros da família de Donald Trump. Mas o presidente se contradiz sobre o tema. Na semana passada antes de se encontrar com o presidente da Rússia, Vladmir Putin, na Alemanha, Trump admitiu que a Rússia pode ter interferido nas eleições. Mas ontem pelo Twitter, Trump disse que o fato de ter conversado sobre o tema com Putin, na reunião de sexta-feira (8), não significa que ele acredite que a interferência tenha acontecido.

Agência Brasil

10 de julho de 2017, 11:00

MUNDO Exército do Iraque avança para ocupar última zona rebelde de Mossul

O Exército do Iraque trabalha nesta segunda-feira na última frente de batalha para recuperar por completo a cidade de Mossul que foi tomada por milicianos do grupo extremista Estados Islâmico em 2014. As batalhas na região da Cidade Velha, a oeste do Rio Tigre, ocorrem um dia depois do primeiro-ministro do Iraque, Haider al-Abadi, visitar os soldados para felicitá-los das vitórias nos duros conflitos dos últimos dias. As forças especiais iraquianas, apoiadas por ataques aéreos da coalizão liderada pelos Estados Unidos, seguiam avançando e ganhando território, de acordo com o general de brigada Haider Fadhil. Os comandantes iraquianos creem que centenas de combatentes da milícia radical seguem no bairro e utilizam as famílias deles, incluindo mulheres e crianças, como escudos humanos. “Não há nenhuma estimativa fiável para os combatentes do Daesh (nome árabe para o EI) e as famílias que estão isoladas ali”, disse o tenente-general comandante das forças especiais, Abdul Ghani al-Asadi. A retomada de Mossul foi comemorada por líderes regionais. O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse estar “muito feliz” com a proximidade da conclusão da batalha na cidade iraquiana, que é vizinha da fronteira turca. O Irã prometeu ajuda para reconstrução da região e a Síria a prometeu trabalhar em conjunto.
Mossul é a segunda maior cidade do Iraque. Ela ficou sob poder dos terroristas do Estado Islâmico em 2014, quando a milícia avançou em grande velocidade sobre boa parte do noroeste do país e criou um autoproclamado califado na região que ia até a Síria. As forças de segurança lançaram em outubro a operação para recuperar Mossul e intensificaram as operações em junho.

Estadão Conteúdo

10 de julho de 2017, 09:45

MUNDO Incêndio destrói parte do mercado de Camden, em Londres

Um incêndio de grandes proporções atingiu, na noite de ontem (9) o mercado de Camden, em Londres. De acordo com a London Fire Brigade (o corpo de Bombeiros inglês), três andares e o telhado de um dos edifícios do mercado, foram atingidos pelo fogo. O mercado é uma das principais atracções turísticas de Londres e tem mais de mil empresas. De acordo com relatórios preliminares não há feridos mas, por medida de precaução, as pessoas que vivem em edifícios próximos foram evacuadas. A polícia recebeu o chamado sobre o incêndio às 00h07, hora do Reino Unido (4h07, hora do Brasil).

Agência Brasil

9 de julho de 2017, 12:45

MUNDO Iraque anuncia vitória contra o Estado Islâmico em Mosul

O primeiro ministro do Iraque, Haidar Al Abadi, anunciou hoje (9) que as Forças Armadas do país conseguiram recuperar o controle de Mosul, cidade que foi tomada por integrantes do grupo terrorista Estado Islâmico. Segundo ele, a cidade está “liberada”. Mosul é a segunda maior cidade do país. Al Abadi visitou a cidade na manhã de hoje e felicitou os combatentes pela “grande vitória”. O anúncio foi feito na conta oficial do primeiro-ministro no Twitter. De acordo com o comandante das Forças Antiterroristas do Iraque, Ali Awad, ainda há regiões fora da cidade que são focos de resistência do Estado Islâmico. Segundo o comandante, as tropas do grupo terrorista estão revidando com ataques cada mais violentos, como atos suicidas com explosivos.

Agência Brasil

9 de julho de 2017, 10:45

MUNDO No Twitter, Trump diz que é hora de trabalhar de forma construtiva com a Rússia

Foto: Divulgação

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou há pouco em sua conta no Twitter que “é hora de seguir adiante e trabalhar de forma construtiva com a Rússia”. No mesmo post, Trump disse que a negociação do cessar-fogo no sudeste da Síria, acordada com a Rússia e a Jordânia, “salvará vidas”. Na série de posts feitos na manhã deste domingo, no entanto, Trump evitou comentar se ele aceitou ou não a declaração de Putin de que a Rússia não foi responsável por intromissões nas eleições norte-americanas de 2016. Trump escreveu na rede social após retornar do encontro do G20 na Alemanha, durante o qual teve uma longa reunião com o presidente russo Vladimir Putin. Disse que, na ocasião, “pressionou fortemente” Putin, duas vezes, sobre a intromissão do país nas eleições americanas, e que Putin “negou veemente” as conclusões das agências de inteligência dos EUA de que hackers e marqueteiros russos tentaram influenciar as eleições em favor de Trump. Trump não declarou se acredita ou não em Putin. Apenas postou que o líder russo “já sabe minha opinião”. O presidente dos EUA tem dito acreditar que a Rússia provavelmente hackeou e-mails do Comitê Nacional Democrata e da equipe de Hillary Clinton, acrescentando porém que outros países provavelmente estariam envolvidos na ação.

8 de julho de 2017, 11:15

MUNDO G-20: Trump sinaliza diversos acordos comerciais durante reunião na Alemanha

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu sinalizações de que parcerias com diversos países devem ser firmadas em breve. A fala veio após a maratona de reuniões feitas com líderes do Reino Unido, Cingapura e Indonésia. O presidente, entretanto, não entrou em detalhes sobre as possíveis parcerias. Entre as reuniões, Trump conversou com a premiê do Reino Unido, Theresa May, e sinalizou “conversas produtivas” e o desenvolvimento de “uma relação especial” entre as nações. Trump afirmou que eles estão trabalhando para o desenvolvimento de um acordo comercial que vai ser “ótimo para os dos lados”. O presidente, entretanto, não deu mais detalhes. Em outro momento, Trump também falou que planeja novas parcerias com a Indonésia. A fala veio logo no início da reunião com o presidente Joko Widodo. Atualmente, as relações comerciais entre as nações são limitadas. Parcerias com Cingapura também foram levantadas. Segundo Trump, as relações dos EUA com o país devem ser elevadas a um “nível muito maior”. O presidente dos EUA se reunião com o primeiro ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong.

Estadão Conteúdo