19 de setembro de 2017, 17:45

MUNDO Trump chama regime de Cuba de “corrupto” e diz que não suspenderá embargo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira (19), em seu discurso na Assembleia-Geral da ONU que o regime de Cuba é “corrupto e desestabilizador” e reiterou que não irá retirar o embargo econômico se não houver reformas na ilha. “Não levantaremos as sanções ao governo cubano até que haja reformas fundamentais”, destacou Trump. A informação é da EFE. Em junho do ano passado, em um discurso em Miami, Trump anunciou o “cancelamento” da política de seu antecessor, Barack Obama, para Cuba. O ex-presidente promoveu uma aproximação com o regime de Raúl Castro e normalizou as relações bilaterais entre os dois países, o que propiciou a abertura de embaixadas em Washington e Havana. As principais mudanças ordenadas por Trump são uma proibição para que as empresas dos EUA façam negócios com companhias cubanas de propriedade ou controladas pelas Forças Armadas Revolucionárias de Cuba e a restrição das viagens de cidadãos americanos à ilha. “Faremos o embargo ser cumprido”, disse na época Trump, reiterando a intenção hoje na ONU.

Agência EFE

19 de setembro de 2017, 16:52

MUNDO Terremoto de 7,1 graus de magnitude abala Cidade do México

Um forte terremoto de 7,1 graus de magnitude na escala Richter foi registrado nesta terça-feira, 19, na Cidade do México apenas 12 dias depois de um tremor de 8,2 graus atingir a costa sul do país. O fenômeno sacudiu edifícios e causou pânico, forçando a saída de pessoas de edifícios para as ruas, no mesmo dia em que se completa 32 anos do poderoso tremor que deixou milhares de mortos na capital do país. No momento em que foi registrado, alguns indivíduos participavam de um treinamento para lidar com sismos. O Centro Geológico dos EUA (USGS, na sigla em inglês) estimou a magnitude do tremor em 7,1, enquanto o Instituto Sismológico do México o calculou em 6,8, e informou que o epicentro do tremor localizou-se 7 km a oeste de Chiautla de Tapia, no Estado de Puebla. Luis Felipe Puente, coordenador nacional de Proteção Civil da Secretaria de Governo, escreveu em sua conta no Twitter: “No momento, não há relatos de danos. Os protocolos de atenção e resposta estão ativados”. Pouco depois, o departamento de proteção civil mexicano informou que vários incêndios foram reportados em diversos prédios da Cidade do México após o tremor e algumas pessoas ainda estariam presas nos edifícios. O serviço de emergências disse que o aeroporto do México suspendeu as operações após o abalo. ”Estou consternada, não consigo conter o choro, é o mesmo pesadelo de 1985″, disse Georgina Sánchez, de 52 anos, que chorava em uma praça. No dia 19 de setembro de 1985, um terremoto matou mais de 10 mil pessoas na Cidade do México. / EFE, REUTERS, AFP e AP

Estadão

19 de setembro de 2017, 13:30

MUNDO Trump diz na ONU que Coreia do Norte “será destruída” se ameaças continuarem

O presidente Donald Trump disse hoje (19), em seu primeiro discurso na Assembleia Geral da ONU. que se o regime de Pynongang não desistir de seu programa nuclear os Estados Unidos não terão outra escolha a não ser “destruir totalmente a Coreia do Norte. Temos paciência, mas não temos outra opção”, afirmou. Trump chamou o regime de Kim Jong-Un de “depravado e responsável pela morte, opressão, tortura e prisão de muitos cidadãos do país”. E afirmou que a busca da Coreia do Norte por armamento nuclear é irresponsável e ameaça o mundo inteiro com uma perda “impensável da vida humana”. Ele disse que o líder norte-coreano está em uma missão suicida para si mesmo e o seu regime. ”Estamos dispostos e preparados para  tomar uma ação militar, mas esperamos que isso não seja necessário”, frisou Trump, observado de perto pelo representante norte-coreano, que acompanhou o discurso na primeira fila, por causa do sorteio de lugares realizado pela organização dos debates.
Trump também pediu que as Nações Unidas pressionem os países que financiam a Coreia do Norte para interromper os financiamentos que estão alimentando o programa nuclear do país.

Agência Brasil

19 de setembro de 2017, 10:12

MUNDO Tribunal secreto autorizou escuta telefônica de ex-chefe da campanha de Trump

Um tribunal secreto dos Estados Unidos autorizou a realização de escutas telefônicas a Paul Manafort, ex-chefe de campanha do então candidato à presidência, Donald Trump, segundo informou hoje (19) a emissora de televisão CNN. O tribunal, de acordo com uma das fontes que a CNN citou sob condição de anonimato, autorizou as escutas sob a Lei de Vigilância de Inteligência Estrangeira (FISA) em 2016, mas suspendeu a ordem por falta de provas. No entanto, o FBI conseguiu uma nova ordem através da FISA e espiou Manafort até 2017, período em que Trump já era presidente e ambos se comunicavam, segundo as fontes da CNN. A emissora assegurou que o interesse do FBI em Manafort está relacionado aos seus contatos com autoridades russas. Manafort está no centro da investigação do FBI e do Departamento de Justiça sobre a suposta ingerência do Kremlin na campanha presidencial americana, bem como os possíveis laços da campanha de Trump com autoridades russas, segundo a Agência EFE. A investigação contra Manafort acontece mais de um ano depois da sua aparição em uma lista de pagamentos por meio de envelopes feitos pelo partido do presidente deposto da Ucrânia, Viktor Yanukovich, aliado da Rússia.

Agência Brasil

19 de setembro de 2017, 09:29

MUNDO Primeiro-ministro diz que Dominica perdeu tudo durante passagem do furacão Maria

O primeiro-ministro de Dominica, Roosevelt Skerrit, afirmou nesta terça-feira (19) que seu país perdeu tudo e que a “devastação é generalizada” após a passagem do furacão Maria, que alcançou a categoria 5 ao atravessar a pequena ilha caribenha, mas que perdeu força. A informação é da Agência EFE. Skerrit, que precisou ser resgatado depois que sua casa sofreu graves danos, disse em sua conta no Facebook temer a confirmação de que há pessoas mortas e feridas, “como resultado dos prováveis deslizamentos de terra provocados pelas chuvas persistentes”. “Eu fui resgatado”, disse o premier, antes de avisar que estava a “mercê do furacão. A casa está inundando”. “Até agora, perdemos tudo o que o dinheiro pode comprar e substituir”, disse ele, em sua mensagem. Os “ventos varreram os telhados das casas de quase todas as pessoas com quem já conversei. O telhado da minha própria residência oficial foi um dos primeiros a sair voando”, disse Skerrit. Ele acrescentou que não se sente realmente preocupado com os danos físicos causados pelo furacão, mas que sua prioridade era “resgatar as pessoas e assegurar assistência médica aos feridos” por esse fenômeno que classificou de “alucinante”. “Nós precisaremos de ajuda, precisaremos de ajuda de todo tipo. É muito cedo para falar da situação dos portos marítimos, mas suspeito que eles não estarão operando nos próximos dias”, afirmou.

Agência Brasil

19 de setembro de 2017, 09:15

MUNDO Partido de Evo Morales pede anulação de normas que impedem sua reeleição

Legisladores do partido Movimento para o Socialismo (MAS) pediram, nessa segunda-feira (18), ao Tribunal Constitucional que declare ilegais vários artigos da Constituição e da Lei de Regime Eleitoral que impedem o presidente da Bolívia, Evo Morales, de buscar a reeleição em 2019. O líder dos deputados do MAS, David Ramos, e o presidente da Comissão de Justiça do Senado, o governista Milton Barón, lideraram a apresentação da demanda ao Tribunal Constitucional na cidade de Sucre, sede do órgão judicial. Os legisladores explicaram aos jornalistas que se trata de uma “ação abstrata de inconstitucionalidade” contra os artigos 52, 64, 65, 71 e 72 da Lei do Regime Eleitoral, pois, na opinião deles, afetam os direitos políticos do presidente. Além disso, a ação apresentada solicita que sejam declarados inaplicáveis os artigos 156, 168, 285 e 288 da Constituição, que estabelecem limites para a reeleição não apenas do presidente, mas de outras autoridades como governadores, prefeitos, vereadores e legisladores. Esta é a primeira iniciativa concreta assumida pelo partido de Morales para conseguir qualificação como candidato para as eleições de 2019, apesar de um referendo popular ter vetado essa tentativa em fevereiro de 2016. Ramos argumentou que os artigos questionados atentam contra o Artigo 26 da Constituição, que estabelece que todos os cidadãos têm o direito de participar livremente na formação, no exercício e controle do poder politico. Ele acrescentou que os artigos observados contradizem a Convenção Interamericana de Direitos Humanos, que ampara o exercício do direito e poder político. Barón disse que vários correligionários do MAS assinaram a demanda ao Tribunal Constitucional, mas também os deputados opositores Víctor Gutiérrez e Santos Paredes, da Unidade Democrática. A consulta a esse tribunal é uma das quatro opções que o MAS considera para permitir nova candidatura de Morales. Mais duas opções consistem em buscar reformas constitucionais que devem ser submetidas a referendo popular, e a quarta, a renúncia do próprio Morales do seu mandato seis meses antes de terminá-lo, para argumentar que ele não foi completado e, por isso, tem direito a outro.

Agência Brasil

19 de setembro de 2017, 08:15

MUNDO Chegada do furacão Maria gera alerta vermelho em San Martín e São Bartolomeu

O furacão Maria atinge nesta terça-feira (19) o arquipélago francês de Guadalupe, em particular o sul, onde as autoridades pediram à população que permaneça confinada, ao mesmo tempo em que decretaram alerta vermelho em outras duas ilhas, as de San Martín e São Bartolomeu. A informação é da Agência EFE. Segundo boletim do Guadalupe de Météo France, no sul são esperados ventos de 180 quilômetros por hora (km/h), com rajadas de 220km/h ou até superiores, durante várias horas. Como as ondas deviam superar os 10 metros de altura, a meteorologia advertiu sobre a possibilidade de “submersões localizadas” em pontos da costa. A prefeitura (delegação do governo) pediu à população que escute as previsões meteorológicas, que se mantenha abrigada e que não saia “sob qualquer pretexto”. O furacão tinha se aproximado de outra ilha francesa mais ao sul, a Martinica, causando apenas danos materiais limitados. Segundo as primeiras informações divulgadas pela prefeitura, 33 mil casas tinham ficado sem energia elétrica. Quanto a San Martín e São Bartolomeu, que sofreram destruições catastróficas com a passagem do furacão Irma, o serviço Météo France lembra, em seu boletim de vigilância vermelha para os territórios, que entre a tarde de hoje e amanhã haverá ventos de 80 a 90km/h, com rajadas de 120 a 140km/h e ondas de 6 a 7 metros. Além disso, estima-se que as chuvas podem superar os 100 litros por metro quadrado.

Agência Brasil

19 de setembro de 2017, 07:32

MUNDO Santos diz a Trump que América Latina não apoiaria intervenção na Venezuela

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse nessa segunda-feira (18) ao presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, que a América Latina não apoiaria nenhum tipo de “intervenção militar” na Venezuela. A informação é da Agência EFE.”Reiteramos ao presidente Trump, reiteramos também aos demais países, que qualquer intervenção militar não teria nenhum tipo de apoio da América Latina”, disse Santos, após se reunir com o presidente americano.Participaram também do encontro os presidentes Michel Temer; o panamenho Juan Carlos Varela e a vice-presidente argentina, Gabriela Michetti.Antes da reunião, Trump pediu a restauração “completa” da democracia e das liberdades políticas na Venezuela e assegurou que a situação era insustentável, “completamente inaceitável”. Ele lembrou as sanções dos EUA, em seu mandato, ao governo do presidente Nicolás Maduro.O presidente colombiano disse que está profundamente preocupado com o que acontece na Venezuela. “Nosso maior interesse é defender o povo venezuelano, que seus direitos sejam respeitados, que a democracia seja restaurada. Discutimos a forma e necessidade de coordenar para tentar produzir uma transição que seja pacifica, que mantenha a estabilidade e democrática”. O governante insistiu que é necessário trabalhar para recuperar a democracia na Venezuela.O presidente informou que não foram adotadas medidas exatas na reunião, mas que eles concordaram em “trabalhar em equipe”. Ele reiterou a necessidade de que a Venezuela liberte os presos políticos e faça eleições limpas, sem fraudes.

18 de setembro de 2017, 18:31

MUNDO Grupos extremistas fortaleceram-se com Trump, dizem especialistas

Instigado pelo Congresso, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, promulgou na última quinta-feira (15) uma resolução que condena supremacistas brancos no violento episódio de Charlottesville – que há um mês terminou com a morte de uma ativista antirracismo. Internamente, questiona-se qual o papel do próprio Trump no fortalecimento de grupos extremistas, já que relatórios mostram aumento de 17% dos grupos extremistas desde que ele assumiu o poder.O levantamento foi feito pela Southern Poverty Law Center (SPLC, sigla em inglês para Centro de Lei de Pobreza do Sul, em livre tradução, uma organização não governamental, que monitora e combate a ação de grupos extremistas. A resolução bipartidária – aprovada por democratas e republicanos no Congresso – levou o presidente da República a reconhecer a participação de grupos racistas nos protestos.O texto que Trump assinou diz que o governo norte-americano “rejeita os nacionalistas brancos, os supremacistas brancos, a Ku Klux Klan [organização racista], os neonazistas e os outros grupos que defendem o ódio”.As mensagens enviadas por Trump na época foram contraditórias porque ele disse que os dois lados – supremacistas brancos e antirracistas – tinham culpa pelos protestos, ou que havia “erro dos dois lados”. A resolução também orienta o Departamento de Justiça a investigar com atenção os crimes de ódio.Ao assinar a resolução do Congresso, o presidente Trump comprometeu-se com essas metas. A Agência Brasil ouviu especialistas para saber se a retórica nacionalista de Trump contribuiu para o fortalecimento de grupos raciais extremistas. Majoritariamente, analistas e grupos defensores de direitos civis acreditam que sim.A doutora em sociologia do Instituto de Estudos Urbanos Deirdre Oakley disse à Agência Brasil que, embora as tensões raciais nunca tenham deixado de existir, alguns dos grupos se fortaleceram com Trump. “O racismo neste país é estrutural e está bem vivo desde seus primórdios. O Movimento dos Direitos Civis e a legislação apenas o fizeram mais sutil”, afirmou. Deirdree ressaltou, porém, que o que está ocorrendo é um “reagrupamento” dos grupos de ódio, que se sentiam “constrangidos” por Obama, porque ele era negro, e agora se sentem “fortalecidos” por Trump.

Agência Brasil

18 de setembro de 2017, 08:10

MUNDO Venezuela: negociador nega presença de Leopoldo López em reuniões com o governo

O deputado venezuelano Luis Florido, negociador da oposição para o processo de diálogo com o governo, negou nesse domingo (17) que o líder oposicionista Leopoldo López, que cumpre prisão domiciliar, tenha comparecido a essas reuniões, como afirmou o presidente Nicolás Maduro. A informação é da Agência EFE. “É falso. Maduro mente porque sabe que a comunidade internacional pressiona uma saída por meio de eleições democráticas e garantias”, disse o parlamentar em sua conta no Twitter. Maduro afirmou nesse domingo que ele mesmo autorizou que López comparecesse a essas reuniões, ainda na condição de “condenado”. Na última semana, representantes do governo venezuelano e da oposição se reuniram na República Dominicana, em encontros que os antichavistas qualificam de “exploratórios”, enquanto o governo considera um diálogo formal e claro. Segundo Maduro, a oposição mente ao negar as “dezenas” de reuniões ocorridas entre as duas partes desde o ano passado. De acordo com o governante, a reunião em Santo Domingo aconteceu depois de “meses” de trabalho. A oposição sustenta que não há diálogo e que não haverá até que o governo de Maduro garanta eleições presidenciais transparentes, liberdade de presos políticos e atenção à crise humanitária no país, entre outras condições. “A exploração não é um processo nem de diálogo, nem de negociação. Enquanto não estiverem estipuladas as condições, as garantias e a agenda clara, não vamos avançar no processo de negociação”, disse Florido em entrevista no fim de semana. As negociações iniciadas na República Dominicana devem continuar até o dia 27 deste mês.

Agência Brasil

17 de setembro de 2017, 13:01

MUNDO Tempestade Maria deve se tornar furacão neste domingo e atingir costa caribenha

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos divulgou hoje que a tempestade Maria deve se tornar um furacão neste domingo e aumentar ainda mais de nível no meio da semana, à medida que se aproxima de Porto Rico, República Dominicana e do Haiti. A tempestade tinha ventos de 105 quilômetros por hora na manhã deste domingo. Alertas de furacões estão em efeito para diversas ilhas no Caribe que ainda lidam com a devastação causada pelo furacão Irma, incluindo a ilha de São Martinho, St. Barts e Antígua e Barbuda. O furacão Jose está se movendo na direção norte da costa do Oceano Atlântico, mas não há estimativa sobre uma chegada na costa. No Pacífico, a tempestade tropical Norma parecia estar enfraquecendo e não deve atingir Los Cabos, no México, permanecendo na água, segundo meteorologistas. Enquanto isso, a tempestade tropical Lee se formava no Atlântico e a tempestade tropical Otis se formava no Pacífico, mas nenhuma ameaça atingir a costa. Fonte: Dow Jones Newswires.

Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2017, 12:30

MUNDO Alerta de terrorismo é rebaixado de “crítico” para “severo” no Reino Unido

As autoridades do Reino Unido rebaixaram o alerta de terrorismo no país de “crítico” para “severo”, após a prisão de um segundo suspeito de ligação com o ataque terrorista no metrô de Londres na sexta-feira. A secretária de Estado do Reino Unido, Amber Rudd, afirmou neste domingo que a decisão é um indicativo de que um “bom progresso” está sendo feito na investigação sobre o atentado que deixou 30 feridos, em número atualizado. Ela alertou que a investigação segue em andamento. O alerta de terrorismo em nível “severo” significa que as autoridades acreditam que um novo ataque é muito provável. Quando o alerta estava em “crítico”, significava que as autoridades acreditavam que um atentado terrorista era iminente. O nível de alerta de terrorismo é estipulado pelo Centro Conjunto de Análise de Terrorismo. Fonte: Associated Press.

Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2017, 11:00

MUNDO Presidentes da Coreia do Sul e dos EUA querem sanções à Coreia do Norte

Os presidentes da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e dos Estados Unidos, Donald Trump, concordaram neste domingo (17) em aplicar “a fundo” as sanções impostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) à Coreia do Norte. O intuito é fazer com que o país interrompa as provocações com os testes de armas. As informações são da Agência EFE. Os presidentes fizeram o acordo durante um telefonema, em que concordaram com a necessidade de “implementar a fundo” as medidas para que o governo norte-coreano veja que, se continuar com sua atitude, “só se isolará mais diplomaticamente e enfrentará mais pressão econômica”, o que levará o país “ao colapso”, segundo o escritório da presidência da Coreia do Sul. A conversa entre Moon e Trump ocorreu após o lançamento, na última sexta-feira, de um novo míssil por parte da Coreia do Norte. O míssil sobrevoou o território japonês antes de cair nas águas do Pacífico. O presidente sul-coreano destacou a importância de melhorar a capacidade defensiva do seu país, além de contar com o apoio das tropas norte-americanas. Trump reiterou o pleno apoio dos EUA à Coreia do Sul e assegurou que vai continuar dando toda a ajuda e apoio necessário para fortalecer ainda mais sua aliança, segundo comunicado da Coreia do Sul. Moon e Trump combinaram de continuar tratando o assunto em reunião em Nova York, durante a Assembleia Geral da ONU, na próxima semana.

Agência EFE

17 de setembro de 2017, 07:48

MUNDO Cerca de 60% dos americanos apoiam intervenção militar contra Coreia do Norte

A maioria dos americanos apoia uma ação militar contra a Coreia do Norte se os esforços econômicos e diplomáticos falharem, de acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto Gallup, em meio à crescente tensão sobre o programa de armas nucleares de Pyongyang e recentes lançamentos de mísseis. A pesquisa feita com 1.022 americanos na semana passada mostrou que 58% são a favor de uma ação militar contra a Coreia do Norte se os Estados Unidos não conseguirem alcançar seus objetivos por meios mais pacíficos. O apoio é significativamente maior do que uma pesquisa realizada em 2003, quando obteve 47%. No entanto, metade dos entrevistados ainda acredita que a situação pode ser resolvida com sanções e diplomacia.

16 de setembro de 2017, 12:00

MUNDO Justiça do Egito confirma pena de prisão perpétua para ex-presidente Mohamed Mur

O Tribunal de Cassação do Egito confirmou neste sábado, 16, de forma definitiva, a pena de prisão perpétua para o ex-presidente do país Mohamed Mursi. As informações são da agência de notícias EFE. Mursi e outros membros do seu partido, a Irmandade Muçulmana, foram acusados de transmitir informações sigilosas militares para o Catar, a fim de enfraquecer o Estado egípcio. Pelas leis egípcias, a pena é de 25 anos. O tribunal também ratificou a pena de morte para três membros da Irmandade Muçulmana e a de 25 anos de prisão e trabalhos forçados para outros dois por participação no mesmo caso.