13 de novembro de 2017, 12:53

MUNDO Vinte e três países da UE concordam em criar uma união militar

Vinte e três dos 28 países membros da União Européia (UE) concordaram hoje (13) em expandir significativamente sua cooperação militar. Os ministros das Relações Exteriores e da Defesa do bloco assinaram um documento em Bruxelas que deveria lançar as bases para uma futura união de defesa europeia. A informação é da agência alemã DPA. Segundo os líderes, a decisão de criar uma união de defesa europeia visa tornar a UE menos dependente dos Estados Unidos e fortalecer a cooperação entre parceiros europeus em projetos militares. “É importante para nós assumir uma posição independente, [principalmente] após a eleição do presidente dos EUA (Donald Trump). Assim, se houver uma crise no nosso bairro, devemos ser capazes de agir”, disse a ministra da Defesa alemã, Ursula van der Leyen. O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Sigmar Gabriel, falou da união como um “marco no desenvolvimento europeu”. A cooperação projetada é “um grande passo em direção à independência e ao fortalecimento da política de segurança e defesa da UE”, ressaltou.

Agência Brasil

13 de novembro de 2017, 12:24

MUNDO ONU oferece assistência a Irã e Iraque após terremoto que matou centenas

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, enviou hoje (13) condolências às famílias das pessoas atingidas por um terremoto ocorrido entre a fronteira do Irã e o Iraque. Em nota, emitida pelo seu porta-voz, o chefe da ONU enviou sua solidariedade aos governos iraniano e iraquiano e disse que a organização está pronta para assistir os países caso seja solicitado. A informação é da ONU News. Guterres manifestou profunda tristeza com a perda de vidas e desejou pronta recuperação aos feridos no sismo. A maioria das vítimas é da província de Kermanshah, no oeste do Irã.
A organização Crescente Vermelho informou que suas equipes estão ajudando com o resgate e primeiros socorros. De acordo com os profissionais, o quadro de destruição é arrasador. Voluntários no norte do Iraque e do Irã estão mobilizando ajuda e proporcionando abrigos para os atingidos nas cidades mais afetadas.

Agência Brasil

13 de novembro de 2017, 10:52

MUNDO Terremoto de 7,3 graus na fronteira entre Irã e Iraque mata mais de 300

Um terremoto de 7,3 graus na escala Richter destruiu uma região de povoados com construções precárias na fronteira entre Irã e Iraque. Pelo menos 341 pessoas morreram e mais de 4 mil ficaram feridas, segundo autoridades iranianas, que apontam que o número de vítimas deve aumentar à medida que equipes de busca e resgate chegam a áreas remotas do país. A região mais atingida foi a província iraniana de Kermanshah, no oeste do país. O tremor teve epicentro a 32 quilômetros da cidade iraquiana de Halabja, a uma profundidade de 23 quilômetros. Cerca de 30 réplicas, algumas de até 4,5 graus, foram sentidas em várias províncias iranianas. O tremor principal foi sentido às 21h18 em Teerã (16h48 em Brasília). O diretor dos Serviços de Emergência iraniano, Pir Hosein Kolivand, afirmou que os trabalhos de resgate eram atrapalhados pelo fechamento de algumas estradas rurais. As cidades mais afetadas foram Ghasr Shirin, Sarpul e Azgale. O número de vítimas aumentou rapidamente em relação aos primeiros relatos e era difícil quantificar os danos nos povoados atingidos, porque a comunicação por telefone e o serviço de distribuição de energia elétrica sofreram cortes. Centenas de pessoas aguardavam em uma fila em Teerã para doar sangue, em resposta a um pedido do governo local. As equipes esperavam que ao amanhecer os danos ficassem mais evidentes. Segundo a CNN, tremores tão fortes na região não ocorriam desde a década de 1990.

Estadão

13 de novembro de 2017, 10:31

MUNDO UE apoia embargo de armas à Venezuela e abre porta para sanções seletivas

Os ministros de Relações Exteriores da União Europeia (UE) apoiaram nesta segunda-feira (13) as sanções à Venezuela, como um embargo de armas e de material que pode ser utilizado para “repressão interna”, assim como um marco legislativo para impor medidas seletivas contra os responsáveis. A informação é da Agência EFE. “Além dos esforços políticos e diplomáticos para apoiar uma saída pacífica e negociada para a crise política, o Conselho de Ministros da União Europeia decidiu hoje por unanimidade adotar medidas restritivas, enfatizando sua preocupação com a situação no país”, anunciaram os ministros dos países-membros em comunicado. Os ministros explicaram que as medidas adotadas hoje serão utilizadas de forma “gradual e flexível” e que poderão ser “expandidas” para aqueles que “não respeitam os princípios democráticos e do Estado de Direito” ou estejam envolvidos na “violação de direitos humanos”. Para isso, o Conselho deu hoje sinal verde à base legal para criar uma lista de pessoas sancionadas que teriam seus bens congelados e sua entrada proibida em território comunitário, mas que, por enquanto, não conta com nenhum integrante.

Agência Brasil

12 de novembro de 2017, 10:00

MUNDO Trump diz que acredita em agências dos EUA e em ingerência russa nas eleições

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse neste domingo em Hanói que acredita na informação das agências do seu país que averiguam a suposta ingerência da Rússia nas eleições americanas. As informações são da Agência EFE. Em resposta a perguntas dos jornalistas após uma entrevista coletiva compartilhada com o presidente do Vietnã, Tran Dai Quang, Trump esclareceu que ele nunca disse que tivesse acreditado no presidente russo, Vladimir Putin, que garantiu não ter interferido nas eleições dos EUA. “O que eu disse, e me surpreende que continue havendo um conflito nisto, o que disse é que eu creio que [Putin] acredita (…) Eu acho que ele acredita que nem ele nem a Rússia interferiram nas eleições”, explicou o presidente, segundo nota oficial da entrevista coletiva. “Sobre se eu acredito ou não, eu estou com a nossa agência. Eu acredito na informação das nossas agências”, acrescentou Trump. O diretor da CIA, Mike Pompeo, disse ontem que apoia o relatório da inteligência sobre a ingerência eleitoral da Rússia em 2016. Trump e Putin falaram em várias ocasiões e passearam juntos durante a cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) que terminou no sábado na cidade portuária de Danang, situada na região central do Vietnã. Trump conclui hoje uma visita de Estado ao Vietnã, a primeira que faz como chefe da Casa Branca, e viajará à tarde para Manila para participar da cúpula da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean).

Agência EFE

11 de novembro de 2017, 09:04

MUNDO Putin e Trump confirmam decisão de derrotar Estado Islâmico na Síria

Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, confirmaram hoje (11) a decisão de derrotar o Estado Islâmico (EI) na Síria, numa declaração conjunta adotada durante a cúpula da Apec em Danang (Vietnã) e da qual informou em Moscou o serviço de porta-voz do Kremlin. A informação é da Agência EFE. “Os dois expressaram sua satisfação com os esforços bem-sucedidos de EUA e Rússia para evitar mais eficazmente incidentes perigosos entre militares americanos e russos, que permitiram elevar consideravelmente as baixas do EI nos campos de batalha nos últimos meses”, segundo a declaração. Putin e Trump destacaram que “estes esforços continuarão até a derrota definitiva do EI”. Ao mesmo tempo, os presidentes concordaram em que “o conflito na Síria não tem solução militar”, reiterando que “o acerto político definitivo para o conflito deve ser achado dentro do processo de Genebra, de conformidade com a resolução 2254 do Conselho de Segurança da ONU”. Eles confirmaram seu apoio à soberania, independência e integridade territoriais da Síria e chamaram “todas as partes sírias para participar ativamente no processo político de Genebra e a apoiar os esforços que apontem para garantir seu sucesso”.

Agência EFE

10 de novembro de 2017, 21:11

MUNDO Três brasileiros são presos no Zimbábue com mais 22 pessoas de países africanos

Três brasileiros foram presos hoje (10) no distrito de Mutare, a cerca de 270 quilômetros de Harare, capital do Zimbábue, quando participavam de um evento no país. Segundo informações da Plataforma Plataforma Brasileira de Direitos Humanos Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais (Dhesca), ligada à Unesco, e que atua na defesa dos direitos humanos, eles foram detidos com mais 22 pessoas de cinco países africanos quando participavam de atividade sobre exploração de minérios em comunidades e levados por policiais locais para uma delegacia.O Ministério de Relações Exteriores informou à Agência Brasil que recebeu a informação sobre a prisão e acionou a embaixada brasileira em Harare, que está apurando os fatos.De acordo com a Plataforma Dhesca, foram presos o frei Rodrigo Peret, da Comissão Pastoral da Terra de Uberlândia (MG), além de Maria Julia Gomes Andrade e Jarbas Vieira, do Movimento pela Soberania Popular na Mineração e membros da secretaria do Comitê em Defesa dos Territórios Frente à Mineração.Ainda de acordo com a Dhesca, os policiais locais alegaram que a prisão foi motivada porque o grupo estaria violando uma área de propriedade privada, pertencente a uma mineradora chinesa que explora diamante na região.

Agência Brasil

10 de novembro de 2017, 15:43

MUNDO Unesco confirma ex-ministra da França como nova diretora

Os Estados-membros da Unesco votaram pela confirmação da ex-ministra da Cultura da França Audrey Azoulay como a nova líder da organização. Com 45 anos, Azoulay foi nomeada pelo conselho executivo da agência cultural da Organização das Nações Unidas (ONU). A conferência geral da agência, que inclui todos os 195 membros, aprovou formalmente o mandato de quatro anos de Azoulay nesta sexta-feira. A ex-ministra francesa espera restabelecer a posição internacional da Unesco, principalmente após os Estados Unidos anunciarem sua saída da organização após alegarem que ela tem um viés anti-Israel. A nova diretora estabelecerá prioridades para o programa de Patrimônio Mundial da Unesco, que protege tradições culturais. Fonte: Associated Press.

Estadão Conteúdo

10 de novembro de 2017, 12:05

MUNDO Unesco confirma ex-ministra francesa como nova diretora-geral da organização

A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) confirmou nesta sexta-feira (10) a escolha da ex-ministra da Cultura da França Audrey Azoulay para comandar o organismo durante os próximos quatro anos. O principal órgão reitor da Unesco validou a decisão do último dia 13 de outubro do Conselho Executivo da agência. Hoje, Azoulay, que precisava de 76 votos para ser eleita, obteve 131 a favor e apenas 19 contra. Em toda a história da Unesco, fundada em 1945, a Conferência Geral nunca rejeitou o candidato eleito previamente, razão pela qual sua vitória era dada como certa. Azoulay, de 45 anos, assumirá o cargo no próximo dia 15 em substituição à búlgara Irina Bokova, que esteve no comando da Unesco durante oito anos. A francesa chega ao cargo em um momento crítico, menos de um mês depois que os Estados Unidos e Israel anunciaram a saída do órgão por descontentamentos com seu funcionamento e sua suposta “tendência antiisraelense”.

8 de novembro de 2017, 08:40

MUNDO Principais partidos separatistas catalães disputarão eleições separadamente

Os principais partidos independentistas da Catalunha se apresentarão separadamente às eleições regionais de 21 de dezembro, já que o ERC (republicanos de esquerda) e o PDeCAT (centro-direita) não concorrerão unidos como nos pleitos anteriores, realizados em setembro de 2015. A informação é da Agência EFE.A Junta Eleitoral Central (JEC) da Espanha recebeu quatro propostas de coalizões eleitorais para esses pleitos, cujo prazo de registro terminou ontem (7) à noite.Com o nome de En Comú Podem-Catalunya en Comú (ECP-CatComú) se apresenta a coalizão formada pelo Podemos, Catalunya en Comú, Barcelona en Comú, Iniciativa per Catalunya Verds e Esquerra Unida i Alternativa.Estes partidos esquerdistas já concorreram juntos em 2015 com o nome da Catalunya Sí Que Es Pot, que tem se mantido equidistante entre o governo espanhol e os soberanistas catalães para defender um referendo estipulado entre as partes sobre a independência dessa região espanhola.Por sua parte, o ERC e o Catalunya Sí formam a coalizão denominada Esquerra Republicana-Catalunya Sí, com as siglas ERC-CatSí.

8 de novembro de 2017, 07:40

MUNDO Trump desembarca na China para sua primeira visita ao país como presidente

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acompanhado por sua esposa Melania, chegou nesta quarta-feira (8) a Pequim (China), onde realizará uma visita de Estado destinada a melhorar os laços entre as duas potências mundiais. A informação é da Agência EFFE. O avião presidencial aterrissou no Terminal 3 do Aeroporto de Pequim por volta das 14h35 (horário local, 4h35 de Brasília), onde o presidente foi recebido por autoridades do regime comunista, uma guarda de honra do Exército de Libertação Popular e entusiasmadas crianças com as bandeiras dos dois países.Trump e Melania desceram a escadinha cerca de 20 minutos depois da aterrissagem do avião, caminharam pelo tapete vermelho desdobrado para a ocasião e entraram numa limusine Cadillac.Na sua primeira visita ao país como presidente, Trump deve se reunir com o mandatário chinês, Xi Jinping, com o qual presidirá amanhã fórum de negócios e assinatura de vários acordos bilaterais no Grande Palácio do Povo.A visita segue ao encontro que Xi e Trump efetuaram em abril, na residência privada do magnata americano em Mar-a-Lago (Flórida), uma reunião que marcou diferenças entre dois governos tradicionalmente confrontados por questões comerciais e diferenças ideológicas.O dia de hoje inclui uma série de atividades privadas com Xi e a sua esposa, a soprano Peng Liyuan.

7 de novembro de 2017, 18:10

MUNDO Evo Morales ameaça expulsar representante dos EUA por conspiração

O presidente da Bolívia, Evo Morales, ameaçou nesta terça-feira (7) expulsar o encarregado de negócios da embaixada dos Estados Unidos em La Paz, Peter Brennan, após acusá-lo de “planejar uma conspiração” relacionada com a corrupção e o narcotráfico. A informação é da agência EFE.”Se ele continuar conspirando, se continuar financiando a direita, se continuar planejando uma conspiração, não tremeria a mão para expulsar novamente o encarregado de negócios da Embaixada dos Estados Unidos, porque somos dignos”, disse Morales em discurso.Ele fez a ameaça durante um discurso na cidade de Llallagua, no oeste do país, no qual também criticou os opositores, acusando-os de “agir como selvagens” quando fazem acusações contra o governo.

Agência Brasil

7 de novembro de 2017, 07:50

MUNDO Trump diz que “tudo será consertado” com a Coreia do Norte

Foto: Reprodução

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira (7) – ao visitar uma base americana na Coreia do Sul – que “tudo será consertado” a respeito do desafio armamentício colocado pela Coreia do Norte, assunto que marca boa parte da agenda em sua passagem pela Ásia. “Vamos tratar com os principais generais sobre a situação na Coreia do Norte. Em última instância, tudo será consertado. Sempre se conserta. Tem que se ajeitar”, disse Trump, em Camp Humphreys, onde foi almoçar com as tropas americanas, logo após aterrissar na Base Aérea de Osan. As informações são da agência de notícias EFE. Quem participou do almoço de surpresa foi o presidente sul-coreano Moon Jae-in, num gesto que procura mostrar a solidez da união Seul-Washington contra o governo de Pyongyang, que se mantém tecnicamente em guerra com os dois aliados há quase 70 anos. Após o almoço, Trump viajou de helicóptero para Seul e em seguida foi conduzido por um comboio até a Casa Azul (residência presidencial), onde foi recebido com honras de chefe de Estado antes da reunião com Moon. O deslocamento do comboio do presidente Trump por Seul esteve rodeado por um forte esquema de segurança visando controlar as manifestações a favor e contra sua visita.

Agência Brasil

7 de novembro de 2017, 07:17

MUNDO Constituinte da Venezuela autoriza ação contra vice-presidente do parlamento

A Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela autorizou o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) abra um julgamento contra o vice-presidente do parlamento do país, o opositor Freddy Guevara. As informações são da EFE*.”Decisão histórica”, afirmou a presidente da Constituinte, Delcy Rodríguez, depois de uma sessão extraordinária do órgão nesta segunda-feira (6) para decidir se Guevara, que tinha imunidade, poderia ser processado.Na última sexta-feira (3), o TSJ pediu a suspensão da imunidade parlamentar de Guevara e declarou que ele deveria ser julgado porque “incorreu de maneira permanente nos crimes de associação, instigação pública contínua e uso de adolescente para delinquir”.Guevara é acusado de ter cometido os crimes pelo Ministério Público, que diz que ele atuou diretamente nos protestos antigovernamentais registrados neste ano e que terminaram com a morte de pelo menos 120 pessoas. “Chegou a hora da justiça”, disse Delcy Rodríguez.Para a sessão extraordinária, a Assembleia Constituinte convocou Guevara em “caráter de urgência”. No entanto, o opositor não compareceu por estar na embaixada do Chile em Caracas, após pedir proteção diplomática por considerar que sua segurança e integridade pessoal estão sob “iminente ameaça”.

6 de novembro de 2017, 16:15

MUNDO Deputados opositores são impedidos de entrar no Parlamento da Venezuela

Um grupo de deputados opositores denunciou hoje (6) que foram impedidos pela Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militarizada) de acessar a sede principal do Parlamento venezuelano por supostas ordens da Assembleia Nacional Constituinte (ANC). A informação é da agência EFE. A informação foi dada pelo Parlamento, controlado pela oposição, através de uma mensagem publicada no Twitter, na qual assinalam que, por “ordens da ilegal ANC”, a Guarda Bolivariana “se nega” a dar acesso aos deputados à sede do Palácio Federal Legislativo. Além disso, a segunda vice-presidente do Parlamento, a opositora Dennis Fernández, disse a jornalistas que também não foi permitida a entrada de funcionários e da imprensa. Ela tinha previsto dar uma entrevista coletiva na sede do Parlamento, mas devido ao impedimento da GNB, a opositora fez suas declarações do lado de fora do edifício, de onde também se aproximaram pessoas identificadas com o governismo para proferir ofensas ao grupo. Em outras ocasiões, os parlamentares opositores tiveram que enfrentar situações similares, pois não é a primeira vez que a Guarda Bolivariana impede o acesso à sede do Legislativo, onde também estava prevista a entrevista coletiva da coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD). Para amanhã foi convocada uma sessão do Parlamento, para a qual é esperada a presença de todos os deputados, pois a última foi suspensa devido a falta de quórum.

Agência EFE