9 de maio de 2017, 11:29

EXCLUSIVA Para barrar Lava Jato, adversários do PT já admitem apoio a Lula em 2018

Foto: Facebook

Lula visita Feira no Nordeste

Políticos adversários do PT igualmente investigados na Lava Jato ou sob a mira do Ministério Público Federal nas inúmeras ações contra a corrupção existentes hoje no país já admitem abertamente que podem fechar apoio ao ex-presidente Lula, caso ele se candidate à Presidência em 2018. O argumento é simples: acham que ele é o único capaz de barrar as investigações. Nos eventos políticos de que participa, Lula só faz reforçar a tese. No último congresso do PT, em São Paulo, na semana passada, ameaçou prender os procuradores da Operação conduzida de Curitiba pelo juiz Sérgio Moro que já trancafiou inúmeros empresários e políticos no país. Também tem prometido regulamentar a Comunicação, caso vire presidente de novo.

8 de maio de 2017, 18:43

EXCLUSIVA Assembleia não vota nada em 20 dias e Rui Costa chama base para almoço

Foto: Arquivo/Divulgação

Mais uma vez quem paga o pato é o secretário Josias Gomes, de Relações Institucionais

A dificuldade de a bancada governista colocar em plenário número de deputados suficientes para garantir o quórum de votações pode comprometer, inclusive, a votação do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias, sem a qual a Assembleia Legislativa não entra em recesso no meio do ano. Pelos cálculos de parlamentares da oposição e do governo, há pelo menos 20 dias não se vota nada na Assembleia.

Neste momento, quatro projetos sobrestam (travam) a pauta, o que, caso a se situação se prolongue, pode inviabilizar a votação da LDO até o mês de junho. Percebendo a insatisfação da bancada governista, os deputados de oposição chegam cedo em plenário, discursam normalmente no pequeno expediente, inclusive dirigindo críticas ao governo, mas se retiram antes de os governistas chegarem.

Assim, as sessões são derrubadas, já que a bancada do governo tem dificuldades de mobilizar seus integrantes para lhes dar continuidade. O risco de a situação vir a emperrar a apreciação da LDO e outros interesses do governo na Assembleia acendeu a luz amarela no Palácio de Ondina. Tanto que o governador Rui Costa (PT) chamou hoje os parlamentares da base para um almoço. No encontro, teria pedido empenho e compreensão aos correligionários.

Os deputados governistas continuam se queixando, no entanto, do baixo nível de atendimento a seus pleitos por parte do governo, voltando a concentrar críticas à articulação política de Rui. Muitos alegam que o secretário de Relações Institucionais, Josias Gomes, tem até boa vontade em atendê-los e encaminhar os pedidos ao secretariado. O problema é que suas solicitações seriam constantemente desconsideradas pelos colegas.

8 de maio de 2017, 08:31

EXCLUSIVA Lula já indica como eventualmente governará, por Raul Monteiro

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Mais do que fazer a própria defesa ou mesmo apresentar justificativas para uma eventual prisão, o ex-presidente Lula (PT) já começou a revelar o que pretende fazer no país, caso consiga concorrer de novo e conquistar um terceiro mandato na Presidência da República. Na última de suas aparições, na semana passada, coincidentemente depois da delação do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, que o acusou de ser o chefe da organização criminosa investigada pela Lava Jato, Lula ameaçou prender aqueles que, na operação, o responsabilizam pela rede de corrupção descoberta na Petrobras.

Em outras ocasiões, sob a mesma pressão das revelações que os investigadores vão colhendo contra ele, o petista tem dirigido sua ira contra veículos de comunicação e jornalistas que dão cobertura aos fatos revelados pela Lava Jato, quer dizer, todos os grupos de comunicação do país, garantindo que, uma vez eleito de novo, não só vai acabar com o que classifica de monopólios do setor como ainda regulamentar a comunicação no país, projeto que, por pouco, não conseguiu implantar em seus dois mandatos, para sorte da sociedade brasileira.

Enfim, se alguém tinha dúvidas, elegendo-se mais uma vez, o que parece cada vez mais distante e difícil, a despeito do favoritismo de que desfruta nas intenções de voto apuradas pelas pesquisas, Lula vai chegar, como se diz, causando, assumindo, segundo suas próprias promessas, postura absolutamente autoritária, igualzinha à de muitos dos chefetes que comandam hoje algumas das conhecidas republiquetas da América Latina. Não deve ter sido por outro motivo que o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, resolveu respondê-lo e o fez de forma impecável.

Em nota, Cavalcanti observou que chefes do executivo não possuem poder para decretar a prisão de qualquer pessoa, a menos que estejam comandando ditaduras. “Apenas lamentar a frase, que soa como ameaça, de que – supõe-se legitimamente que depois de mais uma vez eleito presidente – mandará prender os que investigam”, disse o presidente da entidade, referindo-se às declarações dadas por Lula na última sexta-feira, num congresso petista, quando afirmou que, se eleito, “mandaria prender” quem espalhava mentiras sobre ele, ou seja, em sua avaliação, os procuradores que atuam na Lava Jato.

“Isso não deterá qualquer agente de Estado ou a marcha serena e impessoal da Justiça, mas não é uma declaração digna de quem por oito anos foi o supremo mandatário do País”, afirmou o presidente da ANPR, completando: “O ex-presidente sabe muito bem que chefes do executivo não ‘mandam prender’ ninguém em um Estado de direito. A justiça é que o faz.” Naturalmente, Lula sabe, mais do que ninguém, que, como eventual novo presidente do país não poderá tomar medida tão extremada, mas, é bom que se registre, é ele próprio que a promete e não nenhum dos seus acusadores.

* Artigo publicado originalmente no jornal Tribuna da Bahia

Raul Monteiro

5 de maio de 2017, 10:53

EXCLUSIVA Bancada governista fecha com nome de Jorge Khoury para Sebrae

Foto: Divulgação/Arquivo

Jorge Khoury é aposta da bancada governista baiana, depois que Paulo Câmara foi para ministério de Antonio Imbassahy

Com a nomeação de Paulo Câmara (PSDB) para a secretaria de Assuntos Federativos da secretaria de Governo, a bancada federal governista praticamente fechou apoio ao nome do ex-deputado federal Jorge Khoury para superintendência do Sebrae na Bahia, cargo inicialmente trabalhado pelo ministro Antonio Imbassahy para o vereador. De acordo com o deputado federal Benito Gama (PTB), um dos defensores da indicação do ex-parlamentar, pelo menos 19 deputados já estão fechados com a indicação de Khoury para o Sebrae, onde Imbassahy e Câmara já emplacaram a diretoria técnica, cargo que havia sido pensado originalmente para o ex-deputado federal.

4 de maio de 2017, 09:34

EXCLUSIVA José Sérgio Gabrielli surge como nome alternativo para dirigir PT baiano

Foto: Divulgação/Arquivo

Pode cair no colo do ex-presidente José Sérgio Gabrielli presidência estadual do PT

Apesar do acordo firmado ontem para assegurar a proporcionalidade das principais tendências petistas no Processo Eleitoral Direto (PED), garantindo a paz no PT até a realização da convenção estadual, muita gente na sigla já acredita na possibilidade de apresentação de um nome consensual à presidência do partido como forma de sanar definitivamente os conflitos internos decorrentes das acusações mútuas de fraude nas eleições para a renovação dos diretórios municipais e dos delegados ao encontro estadual. Entre os mais citados está o do ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Esta hipótese chegou a ser cogitada na semana passada pelo atual presidente da agremiação, Everaldo Anunciação, candidato à reeleição, ao avaliar o conturbado quadro sucessório no partido e os apoios que agregou para tentar se reeleger. Já contaria também com simpatizantes próximos ao governador Rui Costa e o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, que apóiam a reeleição de Everaldo. Pelo acordo firmado sob a batuta da direção nacional petista, ontem à noite, as tendências CNB, que apresentou a chapa encabeçada pelo atual presidente, e EPS, liderada pelo deputado federal Valmir Assunção, ficaram com 52% dos delegados à convenção estadual, o que praticamente assegura a recondução de Everaldo, a concorrente Muda PT, que apoiou a candidatura do deputado federal Waldenor Pereira, ocupará 45% das cadeiras do encontro e a corrente O Trabalho, 3%. Fez parte do acordo ainda o adiamento, para o próximo dia 19 de maio, do Congresso que o partido faria neste sábado para escolher seu novo comando.

4 de maio de 2017, 07:59

EXCLUSIVA Pelo acesso ao Vale Encantado, por Raul Monteiro

Foto: Reprodução

Entende-se a preocupação que suscita em alguns o futuro do Vale Encantado e, fundamentalmente, sua preservação. Trata-se de área belíssima e privilegiada, com um milhão de metros quadrados, na região do bairro de Patamares, onde ainda é possível desfrutar do convívio com a mata atlântica, bioma brasileiro entre os mais importantes do mundo sob o risco constantemente denunciado de extinção. Não é preciso dizer que sua área abriga fauna e flora ricas e diversas em relação às quais a importância do trabalho de manter e preservar deve ser estimulado e divulgado.

Neste sentido, já atuam de forma espontânea grupos que se encarregam de promover visitas a suas lagoas e árvores centenárias, bem como de incentivar o uso de suas trilhas, colaborando para que cada vez um número maior de pessoas tome conhecimento sobre a qualidade do patrimônio natural de que Salvador dispõe e pertence à sociedade. Por isso, causa estranheza a reação a iniciativas que visam a permitir a construção de vias que dêem acesso ao Vale Encantado, assegurando que mais e mais cidadãos desfrutem de uma biodiversidade única que já não se encontra em muitos lugares.

Desde que acompanhada de ações que eduquem e ressaltem a importância de preservar o Vale, tais medidas só podem contribuir para que, por meio do acesso, os habitantes de Salvador que amam a natureza possam desenvolver um convívio saudável com uma área que, por definição, é de todos. Afinal, há inúmeros exemplos espalhados pelo mundo de que não se pode mais dissociar o sentido da preservação da utilização respeitosa, reverente mesmo, de espaços públicos formados pela natureza. O Hyde Park, em Londres, e o Central Park, em Nova Iorque, são alguns exemplos de que usuários podem ser os principais aliados na conservação.

Aliás, aqui mesmo em Salvador são pródigos os exemplos de que, quanto mais permanecem distantes da população, mais vulneráveis à toda sorte de depredações e ao banditismo se tornam os espaços os quais a sociedade teria o direito desfrutar se o acesso a eles fosse facilitado. O Parque da Cidade, recentemente recuperado pela gestão do prefeito ACM Neto (DEM), é um dos casos clássicos de que, ficando longe dos olhos da população a que pertence, áreas belas, que deveriam ser utilizadas para o prazer de todos, se tornam alvos fáceis, por exemplo, de invasões e do uso por bandidos, levando-as à destruição.

Para ficar apenas em outro exemplo ainda mais eloquente, basta lembrar do caso do Parque de Pituaçu, uma iniciativa do visionário governo de Roberto Santos, que já apostava no uso múltiplo de sua belíssima e encantadora área, na qual fez inserir esculturas de Mário Cravo, para o lazer de toda a população, mas infelizmente não contou com o apoio dos seus sucessores, os quais, além de terem dado pouca importância para o projeto grandioso que ali erigiu, não facilitaram em nada o acesso ao seu entorno, permitindo que se tornasse, em sua área mais profunda, um espaço para o desfrute praticamente exclusivo de marginais.

* Artigo publicado originalmente no jornal Tribuna da Bahia

Raul Monteiro*

3 de maio de 2017, 11:12

EXCLUSIVA Em protesto contra eleição no PT, deputados querem suspender dízimos

Foto: Arquivo

Robinson está entre os cinco deputados revoltados com o resultado da eleição à convenção petista deste domingo

Pelo menos cinco dos sete deputados da bancada federal do PT baiano estão dispostos a suspender o pagamento do chamado dízimo que fazem mensalmente ao partido em protesto contra a decisão da direção nacional de ter praticamente dado a vitória à chapa Construindo uma Nova Bahia (CNB), liderada pelo atual presidente Everaldo Anunciação, à sucessão no comando da agremiação no Estado. O candidato da concorrente Muda PT, Waldenor Pereira, mais os colegas Afonso Florence, Robinson Almeida, Nelson Pelegrino e Jorge Solla não se conformam em que a direção nacional petista feche os olhos para as denúncias que fizeram de fraude no processo que escolheu as direções municipais petistas e os delegados à convenção estadual que escolherão, no próximo domingo, o comando partidário. Aliás, em decorrência da disputa, as correntes petistas chegam ao encontro simplesmente em pé de guerra. De toda a bancada, só Luiz Caetano e Valmir Assunção fecharam com Anunciação e o secretário estadual de Relações Institucionais, Josias Gomes. Os parlamentares contribuem com 10% dos salários ao partido.

3 de maio de 2017, 09:27

EXCLUSIVA Assessores de Uldurico dizem que “perseguição” foi “idéia” de Imbassahy

Foto: Facebook

Imbassahy está "assim" com o presidente Michel Temer

Assessores do deputado federal Uldurico Jr. (PV) malhavam ontem abertamente em Brasília o ministro da Articulação Política do governo Michel Temer (PMDB), Antonio Imbassahy (PSDB). Atribuíam “ao típico estilo” do tucano a decisão do governo de “perseguir” deputados que se insurgiram contra a aprovação das reformas trabalhista e da Previdência, propostas pelo executivo. E diziam que o parlamentar verde lhe daria o troco “na hora certa”, embora não revelassem como. Uldurico Jr. está na lista dos deputados da base que viram indicados serem demitidos nos Estados por se rebelarem contra as medidas consideradas pelo governo essenciais para tirar o país da crise. E, embora seus auxiliares critiquem Imbassahy, era um infiel contumaz. O índice apurado de votação do parlamentar contra o governo era de 80%. “(Uldurico) Queria ser casado com vida de solteiro”, ironiza um colega da base, às gargalhadas.

3 de maio de 2017, 08:00

EXCLUSIVA Delatores vão cumprir prisão domiciliar no prédio mais caro de Salvador

Foto: Reprodução

Os delatores Bel Silva e João Santana

Responsável por um dos depoimentos mais contundentes à Lava Jato, entre os 77 executivos da Odebrecht que firmaram delação premiada, o baiano Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, o Bel Silva, vai viver seus dias de prisão domiciliar no mais caro edifício que está sendo construído em Salvador, o Mansão Wildberger, com entrega prevista para o final deste ano. Será vizinho de outro baiano, o publicitário João Santana, que o delatou e deve cumprir a pena dispondo também da vista mais chique e bonita da cidade. Os dois compraram apartamentos no prédio construído em parceria pela MRM no metro quadrado mais caro da capital baiana em que as unidades mais “em conta” custam em média R$ 7 milhões.

29 de abril de 2017, 09:15

EXCLUSIVA Moema e Robinson são os maiores derrotados no PED do PT na Bahia

Foto: Montagem/Política Livre

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, e o deputado federal Robinson Almeida aparecem como os dois principais derrotados no PED que definirá no próximo dia 7 de maio o comando do PT na Bahia. Os dois jogaram abertamente contra a reeleição de Everaldo Anunciação, em alguns casos, segundo interlocutores do presidente do PT, de forma excessivamente raivosa.

Conhecido pela ambição política, Robinson planejara, desde o primeiro momento, assumir o comando do partido. Como as restrições ao seu nome no PT são grandes e ficaram incontornáveis durante o processo, teve que se contentar em apoiar a chapa liderada pelo deputado Waldenor Pereira, a Muda PT, contra a Construindo a Nova Bahia, encabeçada pelo atual presidente.

Já Moema Gramacho, apesar das conhecidas ligações com o governador Rui Costa (PT) e o ex-governador Jaques Wagner, que apoiaram a reeleição de Anunciação, resolveu abrir dissidência em relação a eles sob o argumento, segundo se comenta no partido, de que o grupo do presidente do PT estava mais próximo dos dois do que a tendência a que ela e os líderes petistas pertencem, a Reencantar.

A vitória de Anunciação foi assegurada depois que a direção nacional decidiu validar os 20 mil votos totalizados pela Secretaria de Organização Partidária (SORG) no PED em que foram eleitos os diretórios municipais e os delegados à convenção estadual que escolherão no próximo sábado a direção estadual petista e ele celebrou uma composição com o grupo do deputado federal Walmir Assunção.

Na contramão do caminho trilhado por Robinson e Moema, Assunção consolida-se como a segunda força mais importante do partido, devendo ocupar fatia importante do comando da legenda a partir da convenção de sábado. Em conversa ontem com o Política Livre, Anunciação disse que, apesar da maioria obtida, pode lançar um nome alternativo à presidência no evento.

A iniciativa dependerá de uma conversa que ele deve ter com o governador, o ex e com o secretário de Relações Institucionais, Josias Gomes, mentor de sua candidatura e, individualmente, figura que sai mais fortalecida em todo o processo eleitoral interno do partido. Este Política Livre apurou, entretanto, que os três devem fazer um apelo para que ele permaneça no comando da agremiação.

28 de abril de 2017, 16:44

EXCLUSIVA Com vitória na mão, Everaldo pode passar comando do PT a outro

Foto: Divulgação/Arquivo

Presidente do PT, Everaldo Anunciação

Com a decisão da direção nacional do PT de validar os 20 mil votos totalizados pela Secretaria de Organização partidária na Bahia no PED que elegeu os novos diretórios municipais e os delegados à convenção estadual, o atual presidente do partido, Everaldo Anunciação, está praticamente reeleito na convenção do próximo sábado, já que seu grupo fechou uma aliança com o deputado federal Valmir Assunção que lhes dá a maioria na direção da agremiação.

Mesmo assim, Everaldo quer ter primeiro uma conversa com o governador Rui Costa (PT), o ex-governador Jaques Wagner e o secretário estadual de Relações Institucionais, Josias Gomes, antes de colocar seu nome à apreciação dos convencionais. “Tenho 10 anos no comando do PT. Acho que o partido precisa de uma oxigenação, por isso não descarto, a depender destas conversas, apresentar um nome alternativo”, diz Everaldo ao Política Livre.

Ele acha que poderiam se incumbir da tarefa de dirigir o partido neste mandato excepcional de dois anos tanto nomes tradicionais como o do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli e do ex-deputado federal Emiliano José quanto lideranças mais jovens, a exemplo dos sindicalistas Deivyd Barcelar, do Sindicato dos Petroleiros, e Rosângela Souza, da Fetrab (Federação dos Trabalhadores na Agricultura).

Este Política Livre apurou, no entanto, que Rui, Wagner e Josias devem fazer um apelo a Everaldo para que permaneça na direção petista, alegando que o mandato que se inicia será transitório. No caso de permanecer, o presidente, entretanto, vai buscar um pacto com as demais chapas concorrentes e construir a transição para uma mudança no comando da agremiação daqui a dois anos.

27 de abril de 2017, 10:48

EXCLUSIVA Em jogo combinado com Neto, Zé Ronaldo avalia ingresso em PP, PR, PSB e PRB

Foto: Arquivo

Não é de agora que Zé Ronaldo e ACM Neto sentam juntos e misturados

Além do PP, o prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM), avalia para eventual ingresso legendas como o PR, o PSB e o PRB. Qualquer uma delas serviria ao propósito de estar bem posicionado num partido alternativo ao DEM para integrar a chapa de ACM Neto (DEM) em 2018. Zé Ronaldo é também citado por assessores de Neto como um dos nomes com que o grupo pode marchar ao governo, na hipótese, muito remota, frise-se, de o prefeito de Salvador desistir de concorrer à sucessão estadual. Os outros nomes lembrados são os do ministro tucano Antonio Imbassahy (Relações Institucionais) e o do senador Otto Alencar (PSD), que, no entanto, hoje está no campo adversário do governador Rui Costa (PT). No caso de ser o candidato a governador, Ronaldo, entretanto, permaneceria no DEM. O jogo, portanto, é combinadíssimo com ACM Neto.

27 de abril de 2017, 08:48

EXCLUSIVA Deputado Bacelar dá sua mãozinha pelo sucesso da greve geral

Foto: Divulgação/Arquivo

Bacelar não quer ninguém trabalhando nesta sexta-feira em sua equipe

Empenhado pelo sucesso da greve geral convocada pelas centrais sindicais e partidos esquerdistas, o deputado federal Bacelar (PTN) resolveu dispensar na sexta-feira, dia em que normalmente chega a Salvador vindo de Brasília, inclusive a empregada. Seus gabinetes de Salvador e Brasília também estarão fechados no dia da paralisação. “Aqui (no meu time), a greve será geral na sexta”, avisa.

27 de abril de 2017, 08:24

EXCLUSIVA Imbassahy, Ronaldo e Otto, as alternativas de Neto, por Raul Monteiro

Foto: Montagem/Política Livre

Quem aposta em que o prefeito ACM Neto (DEM) reavalia sua possibilidade de se candidatar ao governo em 2018 está cometendo um engano. Ele tem relatado a amigos um “desejo crescente” de concorrer ao cargo contra o governador Rui Costa (PT) e atribui, em certa medida, parte do estímulo ao próprio petista, que, na avaliação de correligionários do prefeito, não pára de cutucar o democrata. Uma parte dos receios de Neto quanto a concorrer também estão sendo desfeitos. Eles envolvem a performance de seu eventual sucessor, Bruno Reis (PMDB).

Neto tem confidenciado a interlocutores que o vice-prefeito tem cumprido o estágio que lhe impôs na administração com média acima do esperado, o que lhe dá mais segurança para renunciar à Prefeitura no meio do seu segundo mandato para enfrentar a sucessão estadual. Em outras palavras, Bruno já mostrou que tem condições de segurar a peteca na ausência do líder, o que significa que o prefeito pode deixar o cargo e, mesmo na hipótese de perder a disputa pelo governo, encontrar um anteparo confortável para amortecer-lhe a queda.

O outro ponto que Neto avalia diz respeito à sucessão presidencial que, pela tradição na Bahia, costuma influir diretamente nas candidaturas estaduais. Como, para o grupo do prefeito, as chances de o ex-presidente Lula (PT) se tornar inelegível são grandes, em decorrência de uma eventual prisão pela Lava Jato ou mesmo por causa de uma condenação na mesma operação, não há fantasma no horizonte capaz de dificultar-lhe o caminho. Mas como Neto tem dito a amigos que se tornar governador não é uma obsessão, o prefeito também avalia a hipótese de não concorrer.

Neste caso, tem apresentado como alternativa para sua eventual ausência no páreo três nomes. O primeiro deles é o do ministro Antonio Imbassahy (PSDB), que cuida da articulação política do presidente Michel Temer (PMDB) e, pelo menos sob o aspecto da máquina e estrutura que o governo federal assegura, pode chegar forte em 2018, na avaliação de interlocutores do prefeito. O segundo nome é o do prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo, um democrata cuja inserção no interior é respeitada por Neto e vista por ele como um diferencial na disputa do lado das oposições.

A lembrança ao nome de Zé Ronaldo explica porque recentemente noticiou-se que ele estaria avaliando um novo partido para ingressar, o que também é um indicativo de que seu nome é avaliado por Neto para uma posição na sua própria chapa. A terceira hipótese envolveria um patamar de articulação que ainda não se consumou, mas integra uma parte do plano estratégico do prefeito. Seria representada pelo senador Otto Alencar (PSD), que, apesar de ser um aliado do governador, netistas acreditam que teria sua chance de ouro de concorrer e ganhar o governo, no caso de o democrata desistir da disputa e apoiá-lo.

* Artigo publicado originalmente no jornal Tribuna da Bahia

Raul Monteiro*

26 de abril de 2017, 13:50

EXCLUSIVA Rui segura Kátia Alves e assessores aumentam pressão por candidatura de Neto

Foto: Divulgação/Arquivo

Delegada de carreira, ex-vereadora Kátia Alves não conseguiu liberação do governo estadual para atuar na Prefeitura

A equipe é a maior incentivadora da candidatura de ACM Neto (DEM) ao governo do Estado. Assessores do prefeito dizem que não aguentam mais o que denomimam “perversidades” praticadas pelo governador Rui Costa (PT) com quem está fechado com Neto. O governo do Estado, por exemplo, não liberou até agora a delegada Kátia Alves para assumir a diretoria de Fiscalização da Sedur (Urbanismo), mesmo sabendo que, por sua história, ela não teria qualquer serviço de destaque a prestar à administração estadual. Kátia Alves é chamada de “Rainha do Grampo” por petistas, que a acusam de ter liderado um esquema de espionagem no Estado a mando do ex-senador ACM. “Há vários outros exemplos (das maldades de Rui), além do de Kátia”, diz um membro da equipe do prefeito ao Política Livre.