17 de dezembro de 2018, 16:29

EXCLUSIVA Elmar diz que Paulo Guedes mostra “juízo” ao defender reeleição de Rodrigo Maia

Foto: Estadão/Arquivo

Deputado federal Rodrigo Maia, futuro líder do DEM na Câmara dos Deputados

Apesar da cautela do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com relação à sua candidatura à reeleição ao cargo, demonstrada durante sua passagem hoje por Salvador, aliados do democrata adotaram postura contrária e bem mais agressiva. O futuro líder do DEM na Casa, o baiano Elmar Nascimento, que acompanhou o presidente da Câmara em todos os eventos de que ele participou, pela manhã, disse que Maia é o melhor candidato e acrescentou que o fato de o futuro super-ministro da Economia, Paulo Guedes, estar defendendo a reeleição do correligionário mostra que ele tem “juízo”. “Com a pauta de reformas que o país precisa ver executada, só alguém como Rodrigo Maia para poder tocar”, defendeu.

17 de dezembro de 2018, 11:50

EXCLUSIVA Vereadores criam bloco independente na Câmara

Foto: Divulgação

O vereador Maurício Trindade será o líder do bloco independente da Câmara

Os vereadores de Salvador Maurício Trindade (DEM), Carlos Muniz (Podemos), Joceval Rodrigues (PPS) e Fábio Souza (PHS) constituíram um bloco independente na Câmara Municipal. De acordo com documento enviado nesta segunda-feira (17) ao presidente da Casa, Leo Prates, o qual este Política Livre teve acesso, o grupo será liderado por Maurício Trindade e terá como primeiro vice-líder Carlos Muniz e segundo vice-líder, Joceval Rodrigues.

14 de dezembro de 2018, 16:11

EXCLUSIVA “Vida é democracia”, diz Jutahy em discurso de despedida da Câmara dos Deputados

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado federal Jutahy Magalhães Jr., que encerrou ciclo de vida como político e agora vai dedicar-se à advocacia

Em discurso de despedida na Câmara dos Deputados, esta semana, o deputado federal Jutahy Magalhãe Jr. (PSDB) lembrou de sua trajetória de 40 anos de vida pública, iniciada com um mandato de deputado estadual na Bahia, em 1978, e declarou estar feliz pelo fato de ter ajudado a cumprir os grandes objetivos de sua geração, que foram a luta pela Anistia, a qual permitiu o retorno ao país dos adversários do regime ditatorial, e pelas eleições diretas no país.

Jutahy lembrou que entrou na política por vocação, para servir, o que fez com honradez, dignidade, seriedade, responsabilidade e assuduidade. Ele advertiu que se a luta pela Anistia foi vitoriosa, a emenda Dante de Oliveira, pelo retorno das eleições diretas, não pode ser aprovada, mas a mobilização decorrente da iniciativa pela redemocratização conduziu o país à Constituinte, da qual teve a honra de participar como representante da população baiana.

O parlamentar aproveitou a oportunidade para fazer um elogio e um reconhecimento à figura do ex-deputado Ulysses Guimarães, que classificou como o maior parlamentar que teve a oportunidade de conhecer no exercício da presidência da Câmara dos Deputados. “Foi sua Excelência a maior autoridade que vi presidindo, com autoridade, com altivez, capacidade de diálogo e com a competência de saber quais eram os objetivos a serem conquistados”, disse sobre Ulysses.

Segundo Jutahy, “Ulysses Guimarães merece todas as homenagens, principalmente dos jovens, que não sabem, muitas vezes, qual é a importância do homem que conduziu o Brasil à democracia através de um projeto claro de fazer a democracia dentro de um objetivo pacífico e promover a transformação de que o Brasil precisava”. Ele lembrou que teve ainda a oportunidade, sem maiores satisfações, de participar e votar a favor dos dois impeachments – de Collor de Mello (PRN) e de Dilma Rousseff (PT), ambos dentro da democracia e da legalidade.

Jutahy recordou ter estado presente na luta contra a hiperinflação, com a aprovação ao Plano Real, no governo do ex-presidente Itamar Franco (MDB), mas concebido por seu então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), “o mais qualificado intelectual presidente do país”, que viria a se eleger na esteira do sucesso das medidas. “Ele (FHC) exerceu o seu mandato fazendo transformações fundamentais e contra a inflação como algo essencial à defesa dos mais pobres”, declarou.

O baiano afirmou que viu parte da história importante do país neste período e que agora encara o encerramento do ciclo parlamentar e da vida política iniciando uma nova atividade profissional, como advogado, em Brasília, no escritório do filho, Jutahy Magalhães Neto, atividade para a qual se preparou formando-se na Universidade Federal da Bahia e que exercerá com a mesma dedicação com que se pautou no exercício dos mandatos parlamentares.

Além de desejar sucesso a todos os políticos que se elegeram este ano, nas mãos dos quais disse reconhecer que está o futuro do país, Jutahy enfatizou acreditar na democracia como único instrumento capaz de transformação e da luta por mais igualdade social, conquista que ainda não se realizou no Brasil, só possibilitada pela derrota da inflação. Referindo-se a uma corrida de bastão, disse que “cumpriu sua etapa e passa o bastão para os seguintes”.

“E esses podem fazer do Brasil um grande país, respeitando a diversidade, respeitando o contraditório”, declarou o parlamentar, observando sentir uma tristeza gigantesca quando vê o debate descambar para ataques pessoais, o que nunca permitiu durante a sua atuação parlamentar e política. “Não se faz política sem a concórdia”, declarou o baiano, completando:

“Posso dizer que há uma medalha para mim: estou há praticamente 32 anos neste Parlamento, nesta Casa, em que, com muito orgulho, tenho representado o meu Estado e nunca estive em um bate-boca; não agredi, nem fui agredido, porque sempre respeitei o adversário como alguém que tem sempre a contribuir, porque nós aprendemos com a posição divergente. Nós temos que ter essa visão de mundo. E eu faço apenas uma sugestão aos que chegarem: entendam que a vida é diversidade! Vida é democracia”.

14 de dezembro de 2018, 09:35

EXCLUSIVA PT quer arrecadar dinheiro privado, apesar dos R$ 93 mi que vai receber em 2019

Foto: Divulgação/Arquivo

Gleisi Hoffman, presidente nacional do PT, é um exemplo vivo do horror à responsabilidade fiscal partidária

O PT planeja lançar nacionalmente uma campanha de arrecadação de recursos pela internet, além de pedir contribuições a parlamentares e filiados. O partido calcula que o dinheiro do Fundo Partidário para o ano que vem, da ordem de R$ 93 milhões, é insuficiente para honrar todos os seus compromissos. Brincadeira um partido, qualquer partido, ter direito a quase R$ 100 milhões de dinheiro público para custear suas despesas num país de miseráveis e ainda assim precisar de mais recursos privados para pagar as contas. Pelo visto, a presidente Gleisi Hoffman trata as contas do partido do mesmo jeito que Dilma Rousseff tratava as do país.

13 de dezembro de 2018, 20:43

EXCLUSIVA Em encontro com o DEM, ontem, Bolsonaro fez elogios ao ex-senador ACM

Foto: Divulgação/Arquivo

Prefeito ACM Neto, presidente do DEM, se encontra com presidente eleito Jair Bolsonaro

No encontro que teve com o DEM ontem, em Brasília, para discutir o relacionamento com o partido a partir do ano que vem, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), segundo a falar na reunião, começou seu discurso fazendo elogios ao ex-senador Antonio Carlos Magalhães, avô do prefeito de Salvador e presidente do Democratas, ACM Neto. Bolsonaro lembrou que quando era vereador no Rio de Janeiro agendou uma audiência com ACM, na época ministro das Comunicações, para tratar de um assunto importante da capital carioca, e não só foi atendido com presteza por ele como teve a questão rapidamente resolvida.

13 de dezembro de 2018, 19:41

EXCLUSIVA Rui Costa se diverte com tentativa de indicação de auxiliares pela imprensa

Foto: Divulgação/Arquivo

Governador Rui Costa reprova tentativa de setores de influir na escolha de membros de seu governo

Fidelíssimo ao princípio instituído pelo antecessor Jaques Wagner (PT) de que a imprensa nunca deve ser ouvida em seu processo de tomada de decisão, o governador Rui Costa tem dito a amigos estar se divertindo com a tentativa de alguns setores de influir na escolha de seus auxiliares aproveitando os rumores de que fará uma reforma administrativa. “Parece que não aprenderam ainda a lidar comigo”, teria comentado a um deles.

13 de dezembro de 2018, 10:46

EXCLUSIVA PSB quer ver Lídice da Mata na secretaria estadual de Educação; senadora nega

Foto: Divulgação/Arquivo

Senadora Lídice da Mata, deputada federal eleita, segundo membros do PSB, gostaria de sentir o gostinho de sentar na cadeira

O PSB passou a pleitear para a senadora e deputada federal eleita Lídice da Mata (PSB) a secretaria estadual de Educação. Há críticas generalizadas à gestão da pasta, que continuaria sob a égide do senador Walter Pinheiro (sem partido), apesar de ele ter retomado seu mandato no Senado há poucos meses. A novidade no pleito de agora do PSB é o fato de a presidente do partido querer ela própria ocupar a posição de secretária. Em texto enviado a este Política Livre, a senadora nega, no entanto, qualquer negociação neste sentido entre o partido e o governo. Abaixo publicamos o texto na íntegra:
“A presidente do PSB da Bahia, senadora Lídice da Mata, nega que o partido tenha aberto negociação para comandar a Secretaria Estadual da Educação. “Estou em Katowice, na Polônia, onde participo da Conferência do Clima da ONU e não tratei, em momento algum, a ocupação dessa ou de outra secretaria com o governador Rui Costa”, disse.

13 de dezembro de 2018, 10:02

EXCLUSIVA Nome de Carballal começa a circular para a Limpurb

Foto: Divulgação/Arquivo

Vereador Henrique Carballal ainda está no páreo para a uma vaga na máquina municipal

Com a ida do marido da deputada federal eleita Dayane Pimentel (PSL), Alberto, praticamente fechada para a secretaria municipal de Trabalho e Esportes, o nome do vereador Henrique Carballal (PPS) passou a circular para a Limpurb ou para comandar outra empresa do município. A conferir.

13 de dezembro de 2018, 08:49

EXCLUSIVA Neto faz a ponte do momento com Bolsonaro, por Raul Monteiro*

Foto: Política Livre/Arquivo

Prefeito ACM Neto faz primeira ponte concreta com presidente eleito Jair Bolsonaro

Presidente nacional do DEM, ACM Neto, prefeito de Salvador, parece ter dado um passo importante na direção de um entendimento com o PSL do presidente eleito Jair Bolsonaro por meio da formalização de um acordo com a deputada federal eleita Dayane Pimentel, principal representante do partido do capitão reformado na Bahia, pelo qual ela indicará seu marido, Alberto Pimentel, para ocupar a secretaria municipal de Trabalho e Esportes. Dayane é uma novata na política e conquistou sua eleição com uma votação surpreendente numa campanha feita pela internet, na esteira da onda Bolsonaro.

Por causa da operação com a Prefeitura, passou a ser alvo nas redes sociais de variadas e duras críticas por utilizar-se de método típico do “tomaládácá” que a turma do PSL, Bolsonaro à frente, dizia que pretendia banir da política, o que os apoiadores incautos de ambos devem estar percebendo, com algum atraso, que não é absolutamente verdade. Mas enfronhou-se de tal forma com o futuro presidente e seus aliados mais próximos em Brasília que parece hoje o principal elo de ligação entre ele e a Bahia, cujo governador é do PT. É, portanto, a alternativa com que Neto conta no momento.

Pelo menos enquanto não se resolve a sucessão para a presidência da Câmara dos Deputados, para a qual a reeleição do amigo e correligionário democrata Rodrigo Maia (RJ) seria uma mão na roda para o prefeito de Salvador. Maia cooperou imensamente com Neto no plano de seu relacionamento com o governo federal num momento em que não era interessante ao prefeito de Salvador aparecer como protagonista da relação com o desgastado presidente Michel Temer. Reelegendo-se agora, cumpriria o mesmo papel na relação do presidente do DEM com o capitão reformado.

Como se sabe, o prefeito não apoiou Bolsonaro à Presidência. Adversário ferrenho do petismo, preferiu a linha da moderação e da previsibilidade representada pela candidatura do tucano Geraldo Alckmin, que naufragou ainda no primeiro turno. Se o presidente eleito não tem razões para guardar qualquer mágoa pessoal do prefeito, não teria agora qualquer motivo maior para fazer um gesto na sua direção, inclusive porque o DEM pulou com os dois pés em seu futuro governo emplacando três ministros, antes mesmo de qualquer acordo do partido pelo apoio formal à sua gestão.

Mas se pretende continuar fazendo um bom governo em Salvador, Neto sabe que, como prefeito, precisa manter a ponte livre com o futuro governo. O desejo de aproximação não parte só deste pressuposto. Há uma avaliação no grupo do prefeito de que, se acertar a mão na economia nestes dois anos, o próximo presidente será um eleitor importantíssimo em 2020, tal qual o próprio Neto, se continuar imprimindo o mesmo ritmo à atual gestão da cidade. Ele lá e Neto cá teriam força suficiente para fazer o sucessor do prefeito na próxima sucessão municipal, etapa fundamental para o plano do democrata de concorrer ao governo em 2022.

* Artigo do editor Raul Monteiro publicado na edição de hoje é editor da coluna Raio Laser e do site Política Livre e escreve neste espaço às segundas e quintas-feiras.

Raul Monteiro*

11 de dezembro de 2018, 09:23

EXCLUSIVA PT torce nariz para Bellintani, eventual candidato a prefeito em 2020

Foto: Divulgação/Arquivo

Guilherme Bellintani: discurso de que teria formação esquerdista não convence o PT

Petistas têm torcido o nariz para o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, que supostamente teria interesse na sucessão municipal de 2020. Acham que, apesar de fazer o discurso de que tem mais identidade com a esquerda, corrente em que teria se formado politicamente, não é de confiança. Um evento recente do Clube em que o prefeito ACM Neto (DEM) foi homenageado só teria fortalecido a avaliação.

Raio Laser, Tribuna da Bahia

10 de dezembro de 2018, 09:40

EXCLUSIVA Bruno pode reassumir Semps, PSL, Semtel e MDB dançar: as mudanças no município

Foto: Política Livre/Arquivo

Vice-prefeito Bruno Reis retorna e pode assumir secretaria de Ação Social do município

A caixa de pandora das especulações sobre as mudanças no secretariado do prefeito ACM Neto (DEM) foi aberta nesta segunda-feira, com o retorno ao Brasil, neste final de semana, do vice-prefeito Bruno Reis (DEM), depois de um mês sabático na Europa. Bruno é cotado para assumir a secretaria municipal de Ação Social, posição que já comandou antes. Na pasta, teria espaço e tempo para fazer política e construir as bases para se lançar candidato à sucessão do prefeito, em 2020. Outro nome especulado para o time de Neto neste segundo mandato é o do marido da deputada federal eleita Dayane Pimentel, do PSL, Alberto Pimentel, uma forma do prefeito abrir o diálogo com a legenda na Bahia. As mudanças estudadas por Neto envolveriam ainda a pasta de Infraestrutura, onde Almir Melo, muito ligado à família Vieira Lima, pode cair, a secretaria de Obras Públicas, cujo titular Marcos Vinícius, indicado pelo grupo do ex-prefeito e deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB), também pode ser realocado e a área de Saúde. Indicado pelo deputado federal João Roma, o secretário Luis Galvão pode ser convidado a deixar o cargo. Outros que estão ainda sob a mira são o secretário de Educação, Bruno Barral, uma indicação do deputado federal João Gualberto, e a Seman, cujo diretor de operações, Luciano Sandes, pode ser aproveitado na Secop. A conferir!

10 de dezembro de 2018, 08:58

EXCLUSIVA Os secretários que os deputados querem ver pelas costas, por Raul Monteiro*

Foto: Divulgação/Arquivo

O secretário Bruno Dauster seria o campeão de queixas dos parlamentares

Agora que está claro que o governador Rui Costa (PT) pretende fazer uma reforma administrativa, depois do envio do pacotaço à Assembleia Legislativa, a bancada governista tem passado parte de seu tempo fazendo a caveira dos secretários estaduais na esperança de que o gestor se convença de que, da forma que está, não dá para continuar, como assinala um parlamentar da base. Há críticas de todas as espécies, mas a maioria se concentra na pouca aptidão de alguns auxiliares para as funções de que foram encarregados, embora não escapem aspectos de personalidade, como o mau humor e até o suposto complexo de superioridade de alguns deles.

O chefe da Casa Civil, Bruno Dauster, encabeça a lista de ataques dos deputados. É quase uma unanimidade. Pior que tudo, é criticado pelos próprios colegas, apontado como um secretário que atrapalha mais do que ajuda, que não se expressa muito bem e ainda saca da manga, quando é preciso, o que é quase sempre, idéias um pouco mirabolantes e de difícil execução. Ainda que incomode muita gente, os deputados dizem que permanece grudado no governador feito carrapato, passando a impressão, para eles lamentável, de que, apesar do desejo da maioria, talvez não seja agora a oportunidade que esperam há tanto tempo de se livrar dele.

A responsável pelo Inema, que também dá as cartas no Meio Ambiente, é outra de que ninguém gosta. Acusam-na de ser dona de um mal humor incomparável e de não retornar um telefonema sequer dos parlamentares. Por este motivo, não foi pouca a comemoração na Assembleia ante a má repercussão da previsão feita pelo órgão recentemente de que Salvador ia ser inundada por uma tromba d´água. Agora, os deputados dizem esperar que realmente desabe sobre o Inema uma tempestade capaz de levar a gestora pelas escadas para nunca mais voltar. A imagem é um pouco dura, mas, acreditem, por causa do ódio despertado pela cidadã, passou a ser repisada por alguns deles.

O secretário de Administração, Etelvino Góes, é outro que o time de Rui na Assembleia não topa. No pacotaço, enquanto os servidores se estribucham para não perder direitos, foi capaz de incluir menos de 20 cortes nos 675 cargos comissionados que o órgão, ninguém sabe como, possui. Nos corredores da Assembleia, é chamado de chefe de Gabinete do secretário da Fazenda, Manoel Vitório, que o indicou para o posto e dizem que é seu eterno mentor. Vitório é dos mais desgastados por conta do pacotaço. Sua idéia, que não prosperou, de substituir o salário dos desembargadores pelo do governador como teto para auditores fiscais colocou a categoria inteira contra ele.

Na Educação, os deputados dizem que o que o governador precisa é encontrar urgente alguém competente para administrá-la, já que, desde a saída de Walter Pinheiro, permanece acéfala, sob desentendimento profundo dos funcionários. Sobre a pasta de Desenvolvimento Econômico, os parlamentares dizem que não querem nem falar. Na de Desenvolvimento Rural, o petista Jerônimo Rodrigues virou alvo por, segundo deputados, tentar convencer a Heineken e a Ambev a fazerem uma cerveja de umbu. Enfim, pela vontade dos deputados, a mudança a ser tocada por Rui deveria ser profunda.

* Artigo publicado pelo editor Raul Monteiro na edição de hoje da Tribuna.

Raul Monteiro*

6 de dezembro de 2018, 11:40

EXCLUSIVA Só dois baianos votam contra liberar municípios para estourar limite de gastos

Foto: Divulgação

Aleluia e Jutahy

23 deputados federais baianos aprovaram a proposta de liberar municípios para estourar o limite de seus gastos, em votação ontem na Câmara dos Deputados. Os únicos que se posicionaram contra a medida foram os deputados José Carlos Aleluia (DEM) e Jutahy Magalhães Jr. (PSDB). 14 parlamentares não compareceram. Veja quem votou e como votou.

Votaram a favor:

Afonso Florence (PT)
Alice Portugal (PCdoB)
Antonio Imbassahy (PSDB)
Bacelar (Podemos)
Bebeto (PSB)
Benito Gama (PTB)
Caetano (PT)
Daniel Almeida (PCdoB)
Elmar Nascimento (DEM)
Felix Mendonça Jr. (PDT)
Irmão Lázaro (PSC)
João Carlos Bacelar (PR)
Jorge Solla (PT)
José Carlos Araújo (PR)
José Nunes (PSD)
Márcio Marinho (PRB)
Mário Negromonte Jr. (PP)
Nelson Pelegrino (PT)
Paulo Azi (DEM)
Paulo Magalhães (PSD)
Ronaldo Carletto (PP)
Sérgio Brito (PSD)
Waldenor Pereira (PT)

Votaram contra

José Carlos Aleluia (DEM)

Jutahy Magalhães Jr. (PSDB)

6 de dezembro de 2018, 10:49

EXCLUSIVA Adesão oficial de primeiro aliado de peso de Rui a Bolsonaro provoca constrangimento

Foto: agência Brasil

Deputado federal José Rocha anuncia apoio do PR, que lidera na Câmara dos Deputados, ao presidente eleito Jair Bolsonaro

Causou constrangimento em setores do governo estadual a primeira adesão oficial de um aliado de peso do governador Rui Costa (PT) ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Ontem, o deputado federal José Rocha, que se reelegeu na Bahia pregando o “Lula, livre”, anunciou, na condição de líder do PR na Câmara dos Deputados, a adesão do partido ao projeto do capitão reformado, que trata o PT como inimigo número 1 do Brasil. “Haja capacidade de conciliação de interesses”, disse um petista ligadíssimo ao governador a este Política Livre, que, sinceramente, achou que ele queria dizer outra coisa.

6 de dezembro de 2018, 09:20

EXCLUSIVA Lázaro é visto abraçado em oração com Magno Malta pedindo intercessão divina

Foto: NewsBA/Arquivo

Malta pediu votos na campanha para Irmão Lázaro na Bahia, mas o eleitorado derrotou os dois

O ex-candidato ao Senado e deputado federal Irmão Lázaro (PSC) foi visto abraçado em oração com o senador Magno Malta (PSC-ES), que perdeu a reeleição, esta semana no Congresso. Colegas disseram que os dois deveriam estar rezando a Deus para amolecer o coração do presidente eleito Jair Bolsonaro. Pelo visto, só mesmo uma intercessão divina para que Bolsonaro indique Magno Malta a um ministério e, ato contínuo, Lázaro possa ser nomeado seu assessor.