15 de março de 2012, 06:39

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Base de João Henrique na Câmara resiste a candidatura de João Leão

Foto: Emerson Nunes/Política Livre

João Leão, ao centro, já colocou o bloco mais ou menos rua

Pelo visto, o chefe da Casa Civil da Prefeitura, João Leão, terá que se contentar apenas com a despedida festiva que teve do cargo, ao invés de um ato impactante de lançamento de sua candidatura à sucessão do prefeito João Henrique (PP), como chegou a ser anunciado aos quatro ventos.

Meio “queimado” junto a parte dos vereadores mais ligados ao prefeito, que não acreditam na viabilidade de sua pré-candidatura nem o consideram o nome ideal para defender o legado de João Henrique na campanha municipal, Leão tem sido alvo de críticas constantes em setores da base.

A principal delas é de que o PP jamais bateria de frente com o projeto petista de fazer o deputado federal Nelson Pelegrino prefeito de Salvador. Pelo contrário, na visão do mesmo grupo, o projeto do partido seria ganhar musculatura na campanha a fim de barganhar politicamente, mais adiante, com o nome do candidato.

“Você imagina que na campanha Leão vai criticar o governo do Estado ou o candidato do PT com o PP participando da máquina estadual? Nunca, meu caro! É muito risco”, afirma um vereador ao Política Livre. Segundo ele, para o grupo mais próximo do prefeito, não há o que justifique a aposta no nome de Leão nem o investimento no lançamento de seu nome.

“O que nos assegura que ele não pretende se fortalecer nos próximos meses para negociar uma adesão a Pelegrino mais à frente?”, pergunta um outro, convencido de que, no fundo, o PP pode estar mais interessado em aumentar sua participação no governo estadual, uma vez que sua gestão no municipal vai acabar.

No fundo, os questionamentos de que o prefeito tem sido alvo a respeito da estratégia de lançar um candidato de seu partido à sucessão refletem a divisão da base em torno de qual caminho seguir: sair com um nome próprio ou apoiar alguns dos existentes, de preferência, pelo visto, no momento, no campo oposicionista.

14 de março de 2012, 19:07

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Base de João Henrique na Câmara resiste a candidatura de João Leão

Foto: Emerson Nunes/Política Livre

João Leão, ao centro, já colocou o bloco mais ou menos rua

Pelo visto, o chefe da Casa Civil da Prefeitura, João Leão, terá que se contentar apenas com a despedida festiva que teve do cargo, ao invés de um ato impactante de lançamento de sua candidatura à sucessão do prefeito João Henrique (PP), como chegou a ser anunciado aos quatro ventos.

Meio “queimado” junto a parte dos vereadores mais ligados ao prefeito, que não acreditam na viabilidade de sua pré-candidatura nem o consideram o nome ideal para defender o legado de João Henrique na campanha municipal, Leão tem sido alvo de críticas constantes em setores da base.

A principal delas é de que o PP jamais bateria de frente com o projeto petista de fazer o deputado federal Nelson Pelegrino prefeito de Salvador. Pelo contrário, na visão do mesmo grupo, o projeto do partido seria ganhar musculatura na campanha a fim de barganhar politicamente, mais adiante, com o nome do candidato.

“Você imagina que na campanha Leão vai criticar o governo do Estado ou o candidato do PT com o PP participando da máquina estadual? Nunca, meu caro! É muito risco”, afirma um vereador ao Política Livre. Segundo ele, para o grupo mais próximo do prefeito, não há o que justifique a aposta no nome de Leão nem o investimento no lançamento de seu nome.

“O que nos assegura que ele não pretende se fortalecer nos próximos meses para negociar uma adesão a Pelegrino mais à frente?”, pergunta um outro, convencido de que, no fundo, o PP pode estar mais interessado em aumentar sua participação no governo estadual, uma vez que sua gestão no municipal vai acabar.

No fundo, os questionamentos de que o prefeito tem sido alvo a respeito da estratégia de lançar um candidato de seu partido à sucessão refletem a divisão da base em torno de qual caminho seguir: sair com um nome próprio ou apoiar alguns dos existentes, de preferência, pelo visto, no momento, no campo oposicionista.

14 de março de 2012, 06:41

EXCLUSIVA Nilo considera “equívoco” notícia de que faltas dos deputados não serão divulgadas

A informação divulgada, na última segunda-feira, na coluna Tempo Presente do jornal A Tarde, de que a Assembleia Legislativa não disponibilizaria para acesso as faltas dos deputados da Casa fez crescer o burburinho de que existe uma “operação abafa” das informações. Alguns deputados da oposição, em contato com o Política Livre, insinuaram a possibilidade, a partir da notícia veiculada, de que a ação foi tomada por conta da ação do DEM que quer tirar a vaga do deputado Rogério Andrade (PSD), por exercer o número de faltas. Procurado pelo Política Livre, o presidente do Legislativo, deputado Marcelo Nilo (PDT), considerou um “equívoco” a veiculação da notícia, pois a contabilidade dos ausentes e presentes nas sessões continua disponível. Nilo ainda informou que já enviou uma correspondência ao jornal para retificar a nota.(Victor Pinto)

13 de março de 2012, 21:38

EXCLUSIVA Nilo considera “equívoco” notícia de que faltas dos deputados não serão divulgadas

A informação divulgada, ontem, na coluna Tempo Presente do jornal A Tarde, de que a Assembleia Legislativa não disponibilizaria para acesso as faltas dos deputados da Casa fez crescer o burburinho de que existe uma “operação abafa” das informações. Alguns deputados da oposição, em contato com o Política Livre, insinuaram a possibilidade, a partir da notícia veiculada, de que a ação foi tomada por conta da ação do DEM que quer tirar a vaga do deputado Rogério Andrade (PSD), por exercer o número de faltas. Procurado pelo Política Livre, o presidente do Legislativo, deputado Marcelo Nilo (PDT), considerou um “equívoco” a veiculação da notícia, pois a contabilidade dos ausentes e presentes nas sessões continua disponível. Nilo ainda informou que já enviou uma correspondência ao jornal para retificar a nota.(Victor Pinto)

13 de março de 2012, 18:48

EXCLUSIVA Governo e Prefeitura trabalham juntos para acomodar suplentes

De olho na posse dos deputados João Leão (PP) e Afonso Florence (PT), amanhã, na Câmara, o governo do Estado trabalha rápido para assegurar o retorno, já na próxima semana, dos deputados suplentes Sérgio Carneiro (PT) e Emiliano José (PT). O governo do Estado trabalha por uma solução conjunta com a prefeitura de Salvador no sentido de atrair dois deputados para os secretariados estadual e municipal, garantindo, assim, a permanência dos petistas suplentes.

Leia também: Sob golpe da demissão de Florence, governo tenta saída para manter Sérgio e Emiliano na Câmara

13 de março de 2012, 10:57

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Subsecretário pode assumir cargo de Martins na Sefaz

Carlos Martins, secretário estadual da Fazenda

O subsecretário da Secretaria Estadual da Fazenda, Carlos Alberto Batista, teve seu nome fortemente ventilado para assumir o cargo de Carlos Martins na pasta. Martins deve sair nos próximos dias para disputar o cargo de prefeito de Candeias. Seu último compromisso público oficial acontece amanhã, quando ele apresenta o balanço quadrimestral das contas do Estado.

13 de março de 2012, 09:26

EXCLUSIVA Waldenor Pereira é lembrado para Sedes para manter suplentes em Brasília

Waldenor Pereira (PT)

O deputado federal Waldenor Pereira (PT) pode ser indicado para a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social caso o atual gestor da pasta, Carlos Brasileiro, deixe-a para ser candidato a prefeito em Senhor do Bonfim. O nome de Pereira foi lembrado por um petista graúdo, em conversa com o Política Livre, que ressaltou o fato do parlamentar também ser da Reencantar, mesma tendência de Brasileiro, e contar com a confiança do governador Jaques Wagner. Pereira foi líder do governo na Assembleia durante todo o primeiro mandato do governador. Se confirmada a  indicação, ficaria mantido na Câmara o deputado federal Emiliano José, primeiro suplente. O petista diz ainda que a indicação facilitaria a vida do prefeito João Henrique (PP), que está inclinado a indicar um deputado federal para seu governo, a fim de manter o seu irmão, Sérgio Carneiro (PT), em Brasília. O senão para a indicação de Pereira, na opinião do presidente estadual do PT, Jonas Paulo, é o fato de que Brasileiro voltando para a Assembleia, derruba o deputado estadual Joacy Dourado, representante petista de Irecê, onde, na opinião do dirigente, a disputa municipal está “renhida”. Lá a oposição está unida em torno do deputado Luizinho Sobral (PTN) para enfrentar o prefeito Zé das Virgens, do PT. “Vamos jogar a toalha em Irecê?”, questionou o dirigente do PT em entrevista ao Política Livre. Há um outro porém: Brasileiro ainda não definiu se será candidato e, inclusive, pode apoiar outro nome da base do governo na cidade da região Norte do Estado. (Thiago Ferreira)

12 de março de 2012, 15:18

EXCLUSIVA Pelegrino “faz social” com vereadores em churrasco oferecido por Carballal

Foto: Política Livre

Nelson Pelegrino conversou à vontade com vereadores de Salvador

Um dos principais articuladores no PT da campanha do deputado federal Nelson Pelegrino à Prefeitura de Salvador, o vereador Henrique Carballal levou para sua casa pelo menos 15 vereadores, além de várias lideranças municipais e representantes petistas, no último final de semana. Em torno de um churrasco que os convivas definiram como muito bom, todos conversaram muito e se divertiram moderadamente. E Pelegrino, que nunca ficou tête-a-tête com tanto vereador ao mesmo tempo, pode circular à vontade, falar de seus planos para a cidade e mostrar que, pessoalmente, é mais simpático do que na televisão, isto é, quando aparece. No final, petistas, Carballal incluso, e convidados encerraram o encontro convencidos de que o churrasco foi uma iniciativa que deveria ser repetida mais vezes até a eleição. Só não ficou acertado mesmo quem bancaria a farra de agora em diante.

12 de março de 2012, 13:11

EXCLUSIVA Com a volta de Leão à Câmara, Emiliano perde mandato

Emiliano perde mandato para João Leão e volta à suplência

Com o retorno de João Leão (PP) à Câmara Federal, o segundo suplente da coligação, Emiliano José (PT), perdeu o seu mandato de deputado. Leão se desincompatibilizou da chefia da Casa Civil da Prefeitura soteropolitana para poder lançar candidatura a prefeito de Salvador. A saída do petista era previsível, principalmente com a volta de Afonso Florence ao Congresso após a saída do Ministério do Desenvolvimento Agrário, o que forçou a queda do terceiro suplente, Sérgio Carneiro (PT). O único substituto que usufrui do mandato de deputado é Acelino Popó (PRB) que está no lugar de Rui Costa (PT), atual secretário da Casa Civil do governo do estado. Há especulações que existem movimentações políticas para reconduzirem os dois petistas, hoje na suplência, a volta do exercício parlamentar. (Victor Pinto)

12 de março de 2012, 11:33

EXCLUSIVA Planserv: Presidente da AHSEB confirma problema e diz que glosa é de R$ 14 milhões

Marcelo Brito

O presidente da Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia (AHSEB), Marcelo Brito, em entrevista ao Política Livre, confirmou a informação passada por fontes do Planserv de que há um problema com o sistema biométrico do plano de saúde dos servidores. De acordo com ele, cerca de 5% dos usuários têm encontrado problema com o sistema e, por conta disso, hospitais e clínicas teriam efetuado o atendimento, arcando com uma glosa de R$ 14 milhões no mês de janeiro. O ressarcimento foi prometido pela coordenadora-geral do Planserv, Sônia Magnólia, mas, até o momento, não foi efetuado. Ainda segundo Brito, os hospitais, por determinação do plano, têm orientado os pacientes a se dirigir ao SAC regularizar a situação e, posteriormente, ter o seu atendimento concluído. O presidente da AHSEB afirmou que os únicos casos que não se enquadram nesta situação são os pacientes com risco de morte. Questionado por este site sobre qual a opinião que ele tem sobre o sistema biométrico do Planserv, Brito respondeu que entende a alegação do Planserv sobre fraudes, mas que “quem tem que gostar ou não gostar é o usuário”, cabendo a ele apenas cumprir ordem. (Thiago Ferreira)

Leia também Associação promete suspender atendimento de emergência do Planserv por falhas no sistema biométrico

12 de março de 2012, 09:05

EXCLUSIVA Associação promete suspender atendimento de emergência do Planserv por falhas no sistema biométrico

Fontes do Planserv informaram, há pouco, ao Política Livre que a Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia (AHSEB) promete suspender o atendimento de emergência do Planserv por falhas no sistema biométrico instalado no plano de saúde dos servidores do Estado. Alguns aparelhos não têm identificado os beneficiários do plano, fazendo com que os hospitais arquem com o atendimento. Em janeiro, houve uma reunião entre a AHSEB e a coordenadora-geral do Planserv, Sônia Magnólia, em que os hospitais expuseram o fato de, por causa deste problema, terem registrado uma glosa de R$ 1 milhão. Na reunião, a coordenadora teria prometido que o problema não se repetiria em fevereiro, o que não aconteceu, tendo, novamente, os hospitais registrado outra glosa de R$ 1 milhão. Por conta disso, a AHSEB pediu outra reunião com a coordenadora do Planserv, que deve acontecer esta semana, informando a decisão de suspender o atendimento de emergência. (Thiago Ferreira)

12 de março de 2012, 08:20

EXCLUSIVA Petistas ironizam informação do PMDB sobre “quali” a respeito de propaganda de Kertész

Em telefonemas ao Política Livre, petistas ironizaram a avaliação de peemedebistas de que uma “quali” comprovando o sucesso da inserção comercial de Mário Kertész, supostamente mandada fazer por Nelson Pelegrino, teria sido o principal motivo de o pré-candidato do PT ter atuado rápido na Justiça para suspender a propaganda do adversário do PMDB. “Não tem quali produzida em menos de 24hs (tempo em que a propaganda foi retirada do ar, a pedido do PT). No máximo, um tracking poderia ter identificado algum resultado da propaganda (peemedebista). O que a quali diz sobre o candidato do PMDB, nós sabemos e eles, devem saber melhor ainda”, afirmou um dos petistas ao Política Livre.

11 de março de 2012, 12:10

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: “Quali” de Pelegrino teria recomendando bloquear propaganda de Kertész

O PMDB está convencido de que a iniciativa do PT de pedir, na Justiça, a retirada da propaganda à Prefeitura de Mário Kertész não foi tão natural assim, motivada pela simples avaliação de que candidatos que desrespeitam a legislação eleitoral precisam ser rapidamente acionados. Ela teria sido ordenada diretamente pelo pré-candidato petista Nelson Pelegrino, a partir de uma pesquisa “quali” que apurou um sentimento de simpatia em relação à candidatura peemedebista como consequência das inserções comerciais de Kertész. Pode ser “viagem” dos peemedebistas. Outras pesquisas que não a “quali” de Pelegrino podem responder.

11 de março de 2012, 11:50

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Dilma diz que Bahia não ficará sem ministério. Será César Borges o novo ministro?

Foto: Agência Câmara

Contou hoje um petista de quatro costados ao Política Livre que, ao comunicar ao governador Jaques Wagner que demitiria o ministro Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário), a presidente Dilma Rousseff insinuou que a Bahia não ficaria sem representação em seu ministério. Além de Florence, já caíram Mário Negromonte (Cidades) e José Sérgio Gabrielli (Petrobras) e está na iminência da queda Luíza Bairros (Promoção da Igualdade). Como as tratativas existentes até agora para uma nova indicação à Esplanada envolvem apenas o ex-senador César Borges, comandadas nacionalmente por seu partido, o PR, é natural que surjam expectativas quanto a ser ele o merecedor de uma indicação por parte da presidente. O problema é que Borges é adversário de Wagner. Não é inimigo, apenas adversário. A menos que Dilma considere que uma eventual indicação do ex-senador signifique que ele possa se aproximar, na Bahia, do governador. Ou mesmo que condicione a indicação de Borges ao seu ministério a essa aproximação. É aguardar para ver.

Raul Monteiro

11 de março de 2012, 07:18

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Wagner tenta compensar perda de ministérios e Petrobras com Codevasf

Jaques Wagner tenta compensar perdas

Trucidado pelas oposições porque na história recente da Bahia nunca o Estado tinha ficado sem nenhum ministro no governo federal, como está prestes a acontecer com a iminente demissão de Luíza Bairros (Igualdade Racial), depois da queda de Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário) e de Mário Negromonte (Cidades), além da saída do presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, que foi obrigado a abrigar em seu governo, o governador Jaques Wagner (PT) estaria tentando compensar as perdas com a indicação do comando da Codevasf. Os adversários continuam achando que a companhia é muito pouco, que o Estado nunca esteve tão desprestigiado como agora, mas… é melhor do que nada.

Manu Dias (Secom)