29 de fevereiro de 2012, 17:45

EXCLUSIVA CVM absolve Gabrielli da acusação de irregularidades na BM&F

José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) absolveu o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, da acusação de irregularidades em negócios realizados no mercado de futuros da BM&F em nome de fundos de investimento exclusivos do BB Milênio 6 Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo. A CVM absolveu ainda Almir Guilherme Barbassa, Arnaldo José Vollet, BB Gestão de Recursos DTVM S.A. e João Pinheiro Nogueira Batista. A Comissão, segundo a nota, encaminhará a decisão ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional. (Thiago Ferreira)

29 de fevereiro de 2012, 06:38

EXCLUSIVA Wagner, vice e secretários terão salários reajustados em 6,5%

O governador Jaques Wagner (PT), o vice-governador, Otto Alencar (PSD), e os secretários estaduais terão seus salários reajustados em 6,5%, mesmo índice concedido aos servidores. Com o aumento, o governador que recebe hoje um salário de, aproximadamente, R$ 16,2 mil, passará a receber R$ 17,2 mil, sendo este o teto do funcionalismo público na Bahia. Já o vice-governador e os secretários passarão de um salário de, aproximadamente, R$ 14 mil para R$ 14,9 mil. (Thiago Ferreira)

29 de fevereiro de 2012, 06:35

EXCLUSIVA Cargos federais indicados pelo PMDB baiano deixam base governista na “maaor” inveja

Foto: Manu Dias (Secom)

Governador ouviu queixas da base aliado durante reunião do conselho político

Durante a reunião do conselho político do governo Jaques Wagner (PT), segunda-feira pela manhã, partidos aliados lançaram várias queixas ao chefe do executivo por causa da demora da base em indicar cargos federais na Bahia. Pelos cálculos dos aliados de Wagner, o PMDB, dos irmãos Vieira Lima (Geddel e Lúcio), seus adversários, tem mais cargos federais na Bahia do que todos os partidos da base do governo juntos. “Um acinte”, disse um deputado, logo depois do encontro, referindo-se aos peemedebistas. Outro político governista que ia deixando a reunião na sequência acrescentou: “Uma lição de competência (do PMDB), você quer dizer!”

28 de fevereiro de 2012, 20:59

EXCLUSIVA Wagner, vice e secretários terão salários reajustados em 6,5%

O governador Jaques Wagner (PT), o vice-governador, Otto Alencar (PSD), e os secretários estaduais terão seus salários reajustados em 6,5%, mesmo índice concedido aos servidores. Com o aumento, o governador que recebe hoje um salário de, aproximadamente, R$ 16,2 mil, passará a receber R$ 17,2 mil, sendo este o teto do funcionalismo público na Bahia. Já o vice-governador e os secretários passarão de um salário de, aproximadamente, R$ 14 mil para R$ 14,9 mil. (Thiago Ferreira)

28 de fevereiro de 2012, 19:35

EXCLUSIVA Cargos federais indicados pelo PMDB baiano deixam base governista na “maaor” inveja

Foto: Manu Dias (Secom)

Governador ouviu queixas da base aliado durante reunião do conselho político

Durante a reunião do conselho político do governo Jaques Wagner (PT), ontem pela manhã, partidos aliados lançaram várias queixas ao chefe do executivo por causa da demora da base em indicar cargos federais na Bahia. Pelos cálculos dos aliados de Wagner, o PMDB, dos irmãos Vieira Lima (Geddel e Lúcio), seus adversários, tem mais cargos federais na Bahia do que todos os partidos da base do governo juntos. “Um acinte”, disse um deputado, logo depois do encontro, referindo-se aos peemedebistas. Outro político governista que ia deixando a reunião na sequência acrescentou: “Uma lição de competência (do PMDB), você quer dizer!”

Raul Monteiro

28 de fevereiro de 2012, 15:56

EXCLUSIVA Wagner confirma permanência de Wellington à frente do MP

Foto: Divulgação

Wellington Lima e Silva

O governador Jaques Wagner (PT) acabou de confirmar a permanência do procurador-geral do Ministério Público da Bahia,Wellington Lima e Silva, à frente do Ministério Público Estadual. Wellington foi o mais votado pelos procuradores, tendo encabeçado a lista tríplice enviada ao governador, com 341 votos. Ontem, ao noticiar, em primeira mão, a eleição de Wellington para a lista tríplice, este Política Livre antecipou que ele seria escolhido pelo governador. (Thiago Ferreira)

Leia mais:

Primeira mão: Chefe do MP baiano entra em lista tríplice e deve ser reconduzido ao cargo

28 de fevereiro de 2012, 13:50

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Políticos deixam reunião do conselho político de Wagner convencidos de que sucessão municipal não é prioridade

Foto: Manu Dias/Secom

Jaques Wagner discursa durante a reabertura da Assembleia Legislativa

Os políticos que participaram ontem da reunião do conselho político do governo Jaques Wagner (PT) saíram com uma avaliação: não faz parte dos planos do governador priorizar as eleições deste ano, mesmo em municípios importantes e estratégicos – a exemplo de Salvador e Feira de Santana, para citar os mais destacados. Ele estaria olhando muito mais adiante, isto é, para a sua própria sucessão, em 2014, quando, aí sim, quer que todos os aliados trabalhem juntos e coesos. Por este motivo, não fará exigências de unidade para os aliados já para outubro, nem para Salvador -onde a conquista da Prefeitura é um sonho antigo do PT -, deixando que a disputa corra mais ou menos solta entre os partidos da base a fim de evitar o surgimento de arestas ou fraturas desnecessárias por agora. Um sinal para aqueles aliados que pretendiam barganhar apoio ao deputado federal Nelson Pelegrino à Prefeitura de Salvador em troca, por exemplo, de mais espaço no governo estadual, de que a missão pode se tornar impossível.

Raul Monteiro

27 de fevereiro de 2012, 14:37

EXCLUSIVA Carballal nega que PT possa trocar rejeição de contas da Prefeitura por apoio a Pelegrino

Foto: A Tarde

Henrique Carballal, líder do PT na Câmara de Salvador

O líder do PT na Câmara de Vereadores, Henrique Carballal (PT), negou, em entrevista ao Política Livre, que sua legenda possa trocar a rejeição de contas do prefeito João Henrique (PP) por apoio da Prefeitura à candidatura de Nelson Pelegrino (PT). “Nós estamos em reunião com a bancada, estamos aqui praticamente fechados de que vamos votar em unidade contra as contas do prefeito João Henrique. O vereador Alcindo, inclusive, disse que não deu as declarações que foram publicadas. Nunca foi cogitado trocarmos qualquer postura por apoio à candidatura do deputado Nelson Pelegrino. Eu repudio de forma veemente qualquer tipo de ilação sobre qualquer movimentação nossa nessa direção”, afirmou Carballal. O vereador respondeu ainda as críticas do deputado federal e presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima, que disse que o PT estava praticando uma “inidoneidade” ao, supostamente, propor esta troca. “Lúcio deveria se preocupar com a bancada do PMDB, que ele não controla. Lúcio deveria ficar com as barbas de molho porque as contas da prefeitura são da época que o PMDB mandava na gestão, que Lúcio e Geddel falavam pela Prefeitura. O mandato de Lúcio inclusive ele deve agradecer muito a João Henrique. Se houve irregularidade, a responsabildiade é do PMDB e do DEM. A situação em que a cidade se encontra se expressa nas contas”, atacou. Carballal afirmou que o PT pretende ainda fazer um ciclo de debates com a sociedade para expor as razões pelas quais as contas municipais devem ser rejeitadas. (Thiago Ferreira)

27 de fevereiro de 2012, 13:45

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Com saída de Zezéu do Planejamento, setores da CNB tentam emplacar Sedes

Com a secretaria de Planejamento já pedida pelo governador Jaques Wagner (PT) a Zezéu Ribeiro para entregar a José Sérgio Gabrielli, setores da CNB (Construindo um Novo Brasil), tendência petista a que o secretário pertence, já começam a se articular para tentar emplacar uma nova pasta na administração. Argumento do grupo: Apesar de pertencer à mesma corrente, Gabrielli vai para o governo praticamente na cota de Wagner. O posto preferido pelo time da CNB, o qual poderia ser ocupado pelo próprio Zezéu, tão resistente a deixar o Planejamento quanto a ir para o Tribunal de Contas do Estado (TCE), segundo se comenta, seria a secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). A Sedes deverá ficar vaga com a saída de Carlos Brasileiro para disputar as eleições em Senhor do Bonfim. Quanto a Zezéu, deixando o Planejamento, volta para a Câmara Federal, desalojando o suplente petista Joseph Bandeira.

 

Raul Monteiro

27 de fevereiro de 2012, 10:21

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: JH rechaça chantagem e evita conversar com Pelegrino antes de aprovação de contas, conta assessor

João Henrique teria sido procurado por emissário para manter conversa com Pelegrino

Depois que o vereador Alcindo da Anunciação (PT) admitiu publicamente hoje, na Tribuna, que o partido está disposto a aprovar as contas de João Henrique (PP) desde que, em troca, ele assuma a candidatura do deputado federal petista Nelson Pelegrino à Prefeitura, um assessor próximo ao prefeito revelou a este Política Livre que mais uma vez, ontem, um emissário o procurou na tentativa de marcar um encontro seu com o candidato petista para que discutissem a sucessão de outubro. Segundo a mesma fonte, João Henrique reagiu à proposta com um “não seco”, acrescentando que só conversa com Nelson Pelegrino após a aprovação de suas contas pela Câmara Municipal. O argumento do prefeito é de que o PT abriu guerra contra ele e sua administração. Segundo o assessor, foram citados como ações contra o prefeito o Movimento Desocupa, que, segundo ele, de forma antidemocrática, pede a saída de João Henrique antes do final do mandato, e a hostilidade da bancada petista durante a votação da LOUS (Lei de Ordenamento e Uso do Solo) e do Metrô da Paralela. “Assim não dá. O PT bate às claras, tenta inviabilizar a atual gestão municipal, mas quer um encontro de bastidores entre João Henrique e Pelegrino para falar do apoio do prefeito ao candidato do PT. É melhor passar mais tarde”, finalizou o assessor.

26 de fevereiro de 2012, 12:32

EXCLUSIVA Pelo twitter, vice-líder de JH lança nome de Cláudio Silva à Prefeitura

Foto: Max Haack (BN)

Pedras rolam e Cláudio Silva surge como alternativa a João Leão à Prefeitura no PP

Depois de insistir na tese de uma lista tríplice do PP para a escolha do candidato a vice na chapa de Nelson Pelegrino (PT), o vereador Geraldo Júnior (PTN), vice-líder do governo na Câmara Municipal, mudou de tática e está apresentando o nome do superintendente Cláudio Silva, da Sucom, para a sucessão do prefeito João Henrique (PP). Ele fez a defesa do nome de Cláudio em seu site e no twitter. “Cláudio Silva, foi o responsável por acabar com as filas da matricula da rede municipal de ensino e transformar a SUCOM em modelo de eficiência, ações como essas devem ser expandidas para outras áreas da prefeitura”, disse o vereador. Geraldo Júnior lembrou ainda que o superintendente esteve à frente de outras questões importantes como a retirada das barracas de praia e a reorganização do Carnaval. Até agora, o chefe da Casa Civil do prefeito, João Leão, aparecia como candidato único no PP à Prefeitura.

26 de fevereiro de 2012, 11:38

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Porque petistas e o resto querem o fígado de João Henrique

João Henrique: único político baiano a se submeter ao teste da "pipoca"

Sob a repentina mira do PT e de partidos aliados dos petistas como o PSD, que anunciam agora o desejo de confirmar na Câmara Municipal o parecer do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) que rejeitou suas contas relativas aos exercícios financeiros de 2009 e 2010, o prefeito João Henrique (PP) paga o preço de ter passado a exibir uma exuberante autonomia, expressa na hesitação ante o projeto petista de eleger a qualquer custo o deputado federal Nelson Pelegrino à Prefeitura e no desejo antecipadamente manifesto de disputar a sucessão do governador Jaques Wagner (PT), em 2014.

Antes de vocalizar suas pretensões, que pareciam um verdadeiro sonho até o início do ano passado, ele resolveu submeter-se a um teste prático de popularidade: mergulhou de corpo e alma com a nova mulher, Tatiana Paraíso, na pipoca do Carnaval baiano e, segundo assessores, saiu aprovadíssimo. “O que João Henrique fez nenhum político baiano ousou fazer. Enquanto o governador escondeu-se, seu candidato à Prefeitura, Nelson Pelegrino, que em tese não teria rejeição, desapareceu no Carnaval”, diz um assessor do prefeito ao Política Livre, acrescentando que, antes de jogar-se na folia, o prefeito monitorou com cuidado o pulso da rua.

Em outras palavras, João Henrique que, em sete anos à frente da Prefeitura, evitou inúmeras vezes expor-se ao público com medo de vaias, soube levantar tecnicamente, por meio de pesquisas, o humor do soteropolitano durante o ano de 2011 de forma a escolher o melhor momento para buscar uma reconciliação com o eleitorado da capital. Julgando ter obtido sucesso na estratégia, não demorou a anunciar que voltou ao jogo para 2014, o que significa que vai devotar-se ao projeto com a mesma obsessão que o levou a eleger-se prefeito de Salvador numa época em que o carlismo ainda dava as cartas na política baiana.

Não é por acaso que a reprovação de suas contas na Câmara passou da condição de ameaça para a de um objetivo concreto do PT, que se ressente de sua indiferença com relação à candidatura de Nelson Pelegrino. Caso as contas sejam reprovadas pelos vereadores, o prefeito pode ficar inelegível para além de 2014. “Ao que parece, o prefeito tem dois nomes para apoiar nestas eleições: um é o do candidato de seu partido, o desconhecido João Leão. O outro, muito mais palatável, é o do deputado federal ACM Neto (DEM). Mas isso não vai ficar assim, não”, sacode-se um petista, vermelho de raiva frente ao que chama de “excesso” de autonomia do prefeito de Salvador, atribuindo-lhe o adjetivo de “ingrato”.

Aliás, uma pecha que acompanha João Henrique desde o início de sua gestão, dada a capacidade de descartar aliados e adversários com a mesma frieza. O problema é que o termo é usado em via dupla. Para amigos do prefeito, Wagner só é governador hoje e o PT assumiu o poder no Estado por uma concessão feita pelo prefeito lá atrás, em 2006, quando João Henrique disparava nas pesquisas à sucessão de Paulo Souto (DEM) e o governador, patinava. “Naquela eleição, não importa hoje o motivo, João abriu mão para Wagner, que se tornou governador. Será que o PT e ele não reconhecem isso?”, questiona um deles.

Raul Monteiro

25 de fevereiro de 2012, 07:11

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Números animam sonho de ACM Neto de disputar Prefeitura mesmo sem PMDB

Foto: Emerson Nunes/Política Livre

ACM Neto abre o peito para a disputa, segundo amigos

De posse de números de uma nova pesquisa de opinião que supostamente o colocaria bem acima do patamar com que historicamente aparece – o qual já lhe confere a liderança das intenções de voto para a Prefeitura -, o deputado federal ACM Neto (DEM) confessou a amigos ontem à tarde que não tem mais quem lhe tire da cabeça o projeto de disputar a sucessão do prefeito João Henrique (PP) em outubro próximo. Ao mesmo grupo, ele teria revelado, também, a aliança que considera fundamental para que entre na disputa com condições plenas de competitividade. O arco incluiria partidos como o PSDB, o PTN e o PPS.

– E o PMDB? Você não acha que o PMDB é importante?, teria perguntado um dos presentes ao encontro.

Pela expressão de indiferença exibida pelo democrata ante a pergunta, os demais deduziram que foi se o tempo em que ACM Neto considerava essencial a presença do partido de Geddel Vieira Lima em seu palanque.

Raul Monteiro

24 de fevereiro de 2012, 21:58

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Números animam sonho de ACM Neto de disputar Prefeitura mesmo sem PMDB

Foto: Emerson Nunes/Política Livre

ACM Neto abre o peito para a disputa, segundo amigos

De posse de números de uma nova pesquisa de opinião que supostamente o colocaria bem acima do patamar com que historicamente aparece – o qual já lhe confere a liderança das intenções de voto para a Prefeitura -, o deputado federal ACM Neto (DEM) confessou a amigos hoje à tarde que não tem mais quem lhe tire da cabeça o projeto de disputar a sucessão do prefeito João Henrique (PP) em outubro próximo. Ao mesmo grupo, ele teria revelado, também, a aliança que considera fundamental para que entre na disputa com condições plenas de competitividade. O arco incluiria partidos como o PSDB, o PTN e o PPS.

– E o PMDB? Você não acha que o PMDB é importante?, teria perguntado um dos presentes ao encontro.

Pela expressão de indiferença exibida pelo democrata ante a pergunta, os demais deduziram que foi se o tempo em que ACM Neto considerava essencial a presença do partido de Geddel Vieira Lima em seu palanque.

Raul Monteiro

24 de fevereiro de 2012, 17:52

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Wagner pede Planejamento a Zezéu

Foto: Tribuna

Zezéu Ribeiro, secretário estadual do Planejamento

Informes chegados há pouco ao Política Livre dão conta de que o governador Jaques Wagner (PT) teria ligado hoje pela manhã para o secretário estadual de Planejamento, Zezéu Ribeiro, a fim de pedir-lhe o cargo. Apesar de a solicitação não ter sido nenhuma surpresa, já que havia sido antecipada por este Política Livre, a iniciativa do governador não deixa de abalar o relacionamento entre Zezéu e o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Afinal, para amigos de Zezéu, Gabrielli não teria feito qualquer movimento no sentido de impedir a queda do petista para assumir-lhe o cargo. Eles lembram, inclusive, que Zezéu chegou a ir a Brasília para vir no mesmo avião em que Gabrielli retornou à Bahia depois de deixar a presidência da Petrobras.

Leia mais:

EXCLUSIVO: Wagner já teria mandado avisar a Zezéu que Planejamento ficará com Gabrielli