9 de fevereiro de 2012, 17:20

EXCLUSIVA Batalhões da PM voltam as atividades normais

Notícias chegadas ao Política Livre informam que os Batalhões de Irecê, Brumado, Poções, Livramento de Nossa Senhora e Macaúbas, no interior do Estado, voltaram as atividades normais. Também retomaram aos trabalhos, em Salvador, o comando Bahia de Todos os Santos, que cobre do bairro da Barra até Valéria, passando por todo o subúrbio ferroviário. Esses locais já tem efetivo regular. (Victor Pinto)

9 de fevereiro de 2012, 16:35

EXCLUSIVA Presidente da Assembleia garante que vota projetos do governo beneficiando PMs em 48 horas

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado estadual Marcelo Nilo (PDT), disse agora ao Política Livre que os deputados estaduais baianos devem demorar no máximo 48 horas para votar os projetos do governo do estado beneficiando os policiais militares, depois que a greve acabar. A previsão de Nilo é feita com base, segundo ele, na coesão da base governista. “Dificilmente, os deputados oposicionistas ficarão contra os projetos do governo em favor dos policiais e a base governista, que é aguerrida e coesa, vai se unir ainda mais para ajudar (a votar)”, disse o deputado, cujo prognóstico é de que a greve não demore muito para acabar. Ontem, em seu tweetter, depois da reunião que a bancada federal teve com o governador Jaques Wagner, o deputado federal petista Nelson Pelegrino fez cálculos de que, com o pagamento das GAPs 4 e 5, o governo do Estado desembolsará R$ 173 mi até o ano que vem. O valor chegaria, também pelos cálculos de Pelegrino, à cifra estratosférica de R$ 490 mi até 2015. A fórmula para que o pagamento seja bancado ainda não foi apresentada pelo governo.

9 de fevereiro de 2012, 06:33

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: General é afastado do comando de operação contra grevistas da PM na Assembleia

Gonçalves Dias, o coronel-sentimental

Confirmado: o general Gonçalves Dias, comandante da 6ª Região Militar do Exército, foi afastado hoje pelo Palácio do Planalto efetivamente da operação contra os PMs grevistas da Bahia, depois que chorou, ontem, no dia de seu aniversário, ao receber um bolo de presente dos manifestantes. Mais cedo, este Política Livre chamou a atenção para o sumiço de Gonçalves Dias no dia de hoje das cercanias da Assembleia, antecipando, com exclusividade, que a cena de ontem, apesar de ter sido vista com simpatia por parte da imprensa, irritou profundamente os governos federal, do Estado e as Forças Armadas. Ainda não há confirmação sobre se ele permanece no comando da 6ª Região, mas a expectativa é de que deixe também a função assim que a poeira abaixar.

Leia também  Depois de bolo e choro, comandante de operação contra grevistas vira motivo de especulação

 

8 de fevereiro de 2012, 21:25

EXCLUSIVA Greve da PM: #desocupaPrisco está entre os assuntos mais comentados do Brasil

Foto: Reprodução/Twitter

Ranking dos assuntos mais comentados do Brasil no Twitter

A campanha iniciada na tarde de hoje, #desocupaPrisco, está entre os dez assuntos mais comentados do Brasil no Twitter. A manifestação começou, após o líder do movimento grevista da PM da Bahia, Marcos Prisco, ocupante da Assembleia Legislativa do Estado, declarar que o fim da greve só depende da revogação dos mandados de prisão que a justiça expediu contra ele e mais 10 policiais tidos como mentores da ação. Durante a tarde, rapidamente o assunto ficou no topo dos assuntos da rede social em Salvador e ganhou fama nacional nesta quarta à noite. A movimentação dos internautas também foi parar no Facebook. Com piadas, os usuários do microblog argumentam que a greve da PM, após o governo ter acatado os reajustes, ganhou uma causa de cunho pessoal, pedem a desocupação da sede do Legislativo baiano e o fim da paralisação. (Victor Pinto)

Leia mais aqui: Greve da PM: Internautas começam campanha #desocupaPrisco

8 de fevereiro de 2012, 19:09

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: General é afastado do comando de operação contra grevistas da PM na Assembleia

Gonçalves Dias, o coronel-sentimental

Confirmado: o general Gonçalves Dias, comandante da 6ª Região Militar do Exército, foi afastado hoje pelo Palácio do Planalto efetivamente da operação contra os PMs grevistas da Bahia, depois que chorou, ontem, no dia de seu aniversário, ao receber um bolo de presente dos manifestantes. Mais cedo, este Política Livre chamou a atenção para o sumiço de Gonçalves Dias no dia de hoje das cercanias da Assembleia, antecipando, com exclusividade, que a cena de ontem, apesar de ter sido vista com simpatia por parte da imprensa, irritou profundamente os governos federal, do Estado e as Forças Armadas. Ainda não há confirmação sobre se ele permanece no comando da 6ª Região, mas a expectativa é de que deixe também a função assim que a poeira abaixar.

8 de fevereiro de 2012, 16:19

EXCLUSIVA Greve da PM: Internautas começam campanha #desocupaPrisco

Foto: Reprodução/Twitter

Postagens no twitter pedem a desocupação da Assembleia

Após o líder do movimento grevista, Marco Prisco, declarar que o único ponto de negociação com governo para declarar fim a greve da PM seria a revogação dos mandados de prisão e a anistia e não mais o processo salarial da classe, os usuários do Twitter começaram a campanha #desocupaPrisco. Os internautas do microblog argumentam que a luta da categoria já foi atendida pelo Executivo estadual e agora a liderança começa a reivindicar assuntos de cunho pessoal. Eles pedem para que a Assembleia Legislativa deveria ser desocupada e fazem piadas com a situação. (Victor Pinto)

8 de fevereiro de 2012, 10:53

EXCLUSIVA Wagner promete enviar projeto de reajuste de PMs no primeiro dia de retorno da Assembleia

Por meio de sua conta no twitter, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo (PDT), informou ter se reunido há pouco com o governador Jaques Wagner (PT), que prometeu enviar à Assembleia Legislativa, no primeiro dia de retorno do Poder às suas atividades, projeto de lei com o aumento dos valores de gratificação (GAPs 4 e 5) para a Polícia Militar, além de uma proposta de reajuste linear de 6,5% para os policiais. Nilo disse que, no momento, o maior objetivo do governador é acabar com o movimento de forma pacífica, tarefa na qual diz estar ajudando.

7 de fevereiro de 2012, 18:44

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Para Wagner, articulação nacional de grevistas impediu solução de impasse em negociação que acabou há pouco

Em entrevista agora há pouco à jornalista Leilane Neubarth, da Globo News, o governador Jaques Wagner (PT) insinuou que a articulação de um movimento nacional pela aprovação da PEC 300, que estabelece um piso nacional para os policiais militares, seria a responsável pelo fracasso das últimas negociações em torno de uma solução para a greve da PM baiana, depois de mais de sete horas ininterruptas de reunião. Segundo Wagner, há uma mistura de dois movimentos, um reivindicatório, ao qual o governo ofereceu um reajuste que chegaria a 35% até 2015, e outro, que classificou de minoritário, que teria intersecção com o movimento que eclodiu em outros estados, como Roraima, Maranhão e Ceará, e gostaria de “esticar” o movimento. Ele disse que em função do impasse pediu aos negociadores que atuam pelo lado da PM e ao comandante-geral que se dirigissem diretamente à tropa em seu nome, informando sobre os acenos no campo salarial feitos pelo governo, chamados de Gap 4 e 5, conforme exigidos pelos policiais. Com relação ao pedido de anistia aos PMs que tiveram prisão decretada, o que se tornou uma das exigências mais fortes dos líderes do movimento, ele disse que foi uma determinação do Poder Judiciário na qual não poderá intervir, dando a entender que não vai capitular em relação ao que já tinha prometido antes.

7 de fevereiro de 2012, 17:41

EXCLUSIVA Termina sem avanço última reunião para discutir solução para greve da PM

Confusão em Itapuã, onde tentativa de assalto a joalheria terminou com homem baleado

Depois de mais de sete horas seguidas de negociações, terminou agora há pouco sem qualquer avanço a reunião entre o governo do Estado e os grevistas da PM que discutia a solução para o impasse do movimento, que já dura oito dias. Os líderes do movimento continuam exigindo anistia para os grevistas, todos com prisão decretada, o que os representantes do governo não aceitam.

7 de fevereiro de 2012, 13:39

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Depois de aceno salarial do governo, anistia a policiais seria ponto pendente para fim da greve da PM

Foto: Emerson Nunes

Grevistas continuam exigindo anistia como condição para desocupar Assembleia Legislativa

Informes chegados com exclusividade hoje ao Política Livre dão conta de que a greve pode caminhar para um desfecho ainda hoje à tarde, depois dos acenos de atendimento do governo às reivindicações salariais dos PMs, embora a principal exigência deles se fixe neste momento com relação ao pedido de anistia dos policiais amotinados.

“Só saímos de lá com a anistia de todos os policiais, inclusive a de (Marco) Prisco. Queremos sair daqui fardados e marchando, pois só estamos lutando pelos direitos da categoria. Existe sim a negociação e também queremos resolver tudo logo”, afirmou por telefone ao Política Livre um PM grevista que está na Assembleia e pediu anonimato.  Em entrevista à Rede Record Bahia, o governador Jaques Wagner (PT), afirmou hoje que a greve pode acabar ainda nesta terça-feira, caso avancem as negociações entre o secretário de Comunicação, Robinson Almeida, o presidente da OAB-BA, Saul Quadros, o comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Alfredo Castro, e representantes de associações que representam a Polícia Militar na residência episcopal do arcebispo de Salvador, Dom Murilo Krieger.

“Estou otimista para o fim da greve. A população está cansada e está pedindo ao governo e a Polícia Militar que essa greve acabe. Essa é a vontade da Polícia Militar e a minha vontade. Sou experiente em negociação e uma reunião que dura dez horas é porque vai sair algo. Creio que a gente vai ter uma boa notícia na tarde desta terça-feira. Não há nada que seja interminável”, afirmou.  Sobre o pedido de anistia do ex-soldado Marco Prisco, líder do movimento grevista, o governador afirmou que não vai conceder.

“Nós estamos em um estado de direito. Todos viram as cenas de policiais tomando ônibus de assalto. É uma lei e nós temos que fazer cumprir essa lei. É melhor que ele se entregue para que as negociações entre a Polícia e o Governo continuem”.  “A expectativa é que essa greve acabe entre hoje e amanhã. Torcemos que acabe hoje. A Polícia também torce para que acabe esse impasse termine hoje para poder começar a Operação Carnaval”, concluiu.

Emerson Nunes

7 de fevereiro de 2012, 06:40

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Líder grevista já fez campanha para Wagner e Geddel; veja vídeo

Foto: Lúcio Távora/A Tarde

Prisco foi o dono do contracheque que ajudou Wagner a mostrar nível salarial da PM na propaganda de 2006, mas em 2010 apareceu na campanha de Geddel atacando governador

Marco Prisco, o polêmico presidente da Associação dos Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (ASPRA) que conseguiu parar a Polícia Militar da Bahia, já passou por quase todos os lados da política baiana. O ex-policial, que ingressou na vida de servidor público em 1999 e foi expulso da corporação por conta das  ações grevistas da PM em 2001, participou da campanha eleitoral do PT em 2006 que elegeu Jaques Wagner governador da Bahia. Além de ter sido cabo eleitoral do petista entre os militares, Prisco teria sido o dono do contracheque que embalou a propaganda do então candidato e, à época, serviu para evidenciar o quadro de baixos salários da corporação.

Após ganhar os holofotes, tanto pela coordenação da greve no governo César Borges, como por fazer parte da campanha do PT, o líder grevista passou por várias siglas, como indicam informações da Folha de S. Paulo e do jornal Correio*. Prisco já foi filiado ao PTC, legenda em que se lançou candidato a deputado estadual, ao PCdoB e ao PSOL. Na última campanha para o governo, em 2010, mesmo período em que postulou uma vaga na Assembleia, o ex-policial apareceu no horário eleitoral do PMDB, do então candidato Geddel Vieira Lima, atacando Wagner por, segundo ele, compromissos assumidos em 2006 e não cumpridos em seu primeiro mandato  (veja o vídeo aqui).

Há três meses, Prisco é filiado ao PSDB, onde acalenta o projeto de sair candidato a vereador em Salvador em outubro próximo. O próprio deputado Antônio Imbassahy, ex-presidente regional do partido, confirmou a informação da filiação do grevista. Durante a eclosão da atual greve, o ex-PM fez denúncias graves. Acusou, conforme matéria veiculada no jornal O Globo, a cúpula do PT e de outros partidos de esquerda, citando nomes como os de Nelson Pelegrino (PT), Lídice da Mata (PSB) e do governador Jaques Wagner como financiadores do movimento grevista de 2001. Lídice prometeu processá-lo por causa da acusação e Wagner o desmentiu por meio de sua assessoria.

As movimentações sindicais de Prisco não estão restritas apenas à Bahia: ele coordenou ações no Maranhão e em Roraima, onde, neste último Estado, teria, segundo denúncias, chegado a se apresentar como deputado estadual baiano. Hoje, ele e mais onze integrantes da diretoria da ASPRA são tidos como foragidos da polícia, pois um mandado de prisão já foi expedido pela justiça mas apenas um dos acionados foi notificado. Policiais Federais foram à Assembleia Legislativa., onde eles estavam aquartelados, cumprir o mandado, mas não conseguiram notificá-los.

Victor Pinto

6 de fevereiro de 2012, 21:45

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Líder grevista já fez campanha para Wagner e Geddel; veja vídeo

Foto: Lúcio Távora/A Tarde

Prisco foi o dono do contracheque que ajudou Wagner a mostrar nível salarial da PM na propaganda de 2006, mas em 2010 apareceu na campanha de Geddel atacando governador

Marco Prisco, o polêmico presidente da Associação dos Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (ASPRA) que conseguiu parar a Polícia Militar da Bahia, já passou por quase todos os lados da política baiana. O ex-policial, que ingressou na vida de servidor público em 1999 e foi expulso da corporação por conta das  ações grevistas da PM em 2001, participou da campanha eleitoral do PT em 2006 que elegeu Jaques Wagner governador da Bahia. Além de ter sido cabo eleitoral do petista entre os militares, Prisco teria sido o dono do contracheque que embalou a propaganda do então candidato e, à época, serviu para evidenciar o quadro de baixos salários da corporação.

Após ganhar os holofotes, tanto pela coordenação da greve no governo César Borges, como por fazer parte da campanha do PT, o líder grevista passou por várias siglas, como indicam informações da Folha de S. Paulo e do jornal Correio*. Prisco já foi filiado ao PTC, legenda em que se lançou candidato a deputado estadual, ao PCdoB e ao PSOL. Na última campanha para o governo, em 2010, mesmo período em que postulou uma vaga na Assembleia, o ex-policial apareceu no horário eleitoral do PMDB, do então candidato Geddel Vieira Lima, atacando Wagner por, segundo ele, compromissos assumidos em 2006 e não cumpridos em seu primeiro mandato  (veja o vídeo aqui).

Há três meses, Prisco é filiado ao PSDB, onde acalenta o projeto de sair candidato a vereador em Salvador em outubro próximo. O próprio deputado Antônio Imbassahy, ex-presidente regional do partido, confirmou a informação da filiação do grevista. Durante a eclosão da atual greve, o ex-PM fez denúncias graves. Acusou, conforme matéria veiculada no jornal O Globo, a cúpula do PT e de outros partidos de esquerda, citando nomes como os de Nelson Pelegrino (PT), Lídice da Mata (PSB) e do governador Jaques Wagner como financiadores do movimento grevista de 2001. Lídice prometeu processá-lo por causa da acusação e Wagner o desmentiu por meio de sua assessoria.

As movimentações sindicais de Prisco não estão restritas apenas à Bahia: ele coordenou ações no Maranhão e em Roraima, onde, neste último Estado, teria, segundo denúncias, chegado a se apresentar como deputado estadual baiano. Hoje, ele e mais onze integrantes da diretoria da ASPRA são tidos como foragidos da polícia, pois um mandado de prisão já foi expedido pela justiça mas apenas um dos acionados foi notificado. Policiais Federais foram à Assembleia Legislativa., onde eles estavam aquartelados, cumprir o mandado, mas não conseguiram notificá-los.

Victor Pinto

5 de fevereiro de 2012, 13:50

EXCLUSIVA Lídice da Mata processará Marco Prisco

Foto: Agência Senado

Senador Lídice da Mata

Em postagem recente em seu perfil do Facebook, a assessora de comunicação da senadora Lídice da Mata (PSB), Carmela Talento, informou que a parlamentar processará o líder do movimento grevista da PM e presidente da ASPRA, Marco Prisco, pela denúncia, veiculada no jornal O Globo, de que Lídice havia financiado a greve dos Policiais Militares da Bahia em 2001. Carmela informou que Prisco deverá provar, sob judice, a acusação e completou: “Ele está mexendo com a pessoa errada”. (Victor Pinto)

3 de fevereiro de 2012, 17:45

EXCLUSIVA Democratas e PSDB vão estar juntos em Salvador, diz Sérgio Guerra

Democratas e Tucanos devem marchar juntos nas eleições municipais de 2012. Em contato com o Política Livre, o deputado Sérgio Guerra (PSDB-PE), presidente do PSDB, afirmou que em reunião com o senador José Agripino (DEM-RN), presidente do DEM, ficou definido que os dois partidos vão se aliar em quatro cidades: Salvador, Aracaju, Natal e Fortaleza.

Segundo Guerra, o único nome definido é o de João Alves, em Sergipe. O tucano preferiu não citar os escolhidos em outros estados. “Ainda não foi definido qual será o nome da unidade nos outros municípios. Em Salvador não tem esse negócio de apoiar Imbassahy ou ACM Neto. Só vamos definir isso lá para março”, afirmou.

Quando questionado se existe a possibilidade da união das oposições, proposta pelo vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa, Geddel Vieira Lima (PMDB), Sérgio Guerra não descartou. “Geddel tem muita relação com os dois partidos, no governo Fernando Henrique estivemos juntos”, concluiu.

Emerson Nunes