11 de julho de 2013, 09:17

EXCLUSIVA Ex-primeiro casal chama ACM Neto de “reizinho”

Foto: Divulgação/Arquivo

Tatiana e João Henrique no camarote no Carnaval

Nem o governo Jaques Wagner (PT) nem os partidos de esquerda com representantes na Câmara Municipal. Seis meses depois de assumir a Prefeitura, ACM Neto (DEM), com certeza, não esperava que seu antecessor e principal aliado na campanha do ano passado pudesse se transformar em seu maior opositor.

Aliás, não foi só o ex-prefeito João Henrique que colocou o prefeito na alça de mira. A mulher dele, Tatiana Paraíso, que foi secretária municipal de Saúde e teria ajudado diretamente na campanha do democrata à Prefeitura, anda na mesma batida de JH. O ex-primeiro casal passou a chamar ACM Neto de “reizinho” da “elite baiana”.

A quem pergunta o motivo do “apelido”, eles explicam se referir ao “estilo imperial” do prefeito e, ao mesmo tempo, embutir uma crítica ao comportamento “desleal”  que o ex-aliado teria adotado depois de eleito em relação a ambos. A revolta de João Henrique e Tatiana com ACM Neto é tamanha que dificilmente ele deixará de ocupar o centro dos debates e das críticas no programa de rádio que JH pretende estrear a partir de agosto.

O ingresso de João Henrique no rádio obedece à estratégia de garantir a ele espaço privilegiado na mídia com o objetivo de mantê-lo politicamente ativo, viabilizando planos que vão de uma eventual candidatura ao governo à disputa de uma vaga na Assembleia ou na Câmara dos Deputados em 2014.

O caminho não tem nada de original num estado onde a cultura local é absolutamente conivente com a lamentável mistura entre direito à informação e propaganda – política, partidária ou religiosa. Há meses o ex-primeiro casal se queixa, privadamente, de ACM Neto. Os lamentos começaram depois que o prefeito passou a insinuar ter herdado uma herança maldita na Prefeitura, atribuindo parte das dificuldades que enfrenta à suposta má gestão de JH.

Esta semana, no entanto, pela primeira vez, Tatiana deixou escapar uma cutucada pública no prefeito. Aproveitando post deste Política Livre sobre queixas da Prefeitura em relação aos gastos com os buracos que a Embasa, do governo estadual, faz nas ruas de Salvador, usou o espaço de comentários do site para ironizá-lo.

“Agora a culpa é da Embasa? E na época da gestáo anterior a própria tv bahia dizia q era do prefeito? Não estou entendendo!!! (sic)”, afirmou no espaço de comentários do post, o qual só pode ser utilizado mediante conta na rede social Facebook. A TV Bahia pertence à família de ACM Neto e é dirigida por seu pai, ACM Jr., e seu primo, Duquinho Magalhães.

Leia também: Tatiana usa caso da Embasa para ironizar ACM Neto

Exclusivo: João Henrique estreia no rádio e diz que ‘ficha caiu’ com Neto

Raul Monteiro

10 de julho de 2013, 19:10

EXCLUSIVA Universal deve ter outro candidato a federal em 2014

Foto: Divulgação

Pastor Alexandre Raposo

Afastado da direção nacional da Record, o pastor Alexandre Raposo deve retornar ao comando do canal na Bahia, o qual exerceu antes de ser promovido, envolvendo-se mais diretamente na política. O comentário na rede é que ele vai sair candidato a deputado federal pela Bahia em 2014, o que pode dificultar imensamente os planos de reeleição dos deputados Bispo Marinho e Popó, hoje os dois nomes mais fortes da Universal na Bahia no Congresso. No período em que foi gestor da Record no Estado, Raposo criou forte relacionamento com setores empresariais e políticos, motivo porque muitos acreditam na Rede que ele vai chegar com apoio forte para concorrer a deputado.

9 de julho de 2013, 12:02

EXCLUSIVA João Henrique estreia no rádio e diz que ‘ficha caiu’ com Neto

João não confirma, mas vai estrear programa de rádio

O ex-prefeito de Salvador João Henrique vai voltar à vida pública, só que desta vez no rádio. Ele vai atuar em uma grande emissora FM de Salvador. A informação não foi confirmada, mas dá conta de que o programa deve estrear no mês de agosto em horário nobre. Um produtor cultural de renome estará à frente do projeto que terá o ex-gestor municipal como comentarista e apresentador do programa. João Henrique está finalizando o curso de Rádio e já pode atuar na função de estagiário, além de comentar reportagens. Segundo o política livre apurou, alguns testes, conhecidos no jargão como programas pilotos, já foram gravados e o conteúdo deve mesclar esporte, cultura entretenimento e política. Personalidades baianas devem participar do programa como comentaristas. O conteúdo do programa também será retransmitido pela internet em forma de podcast e TV Web.

Procurado pela nossa reportagem, João Henrique não confirmou as informações e preferiu não falar sobre a nova carreira, mas não se furtou ao comentar a atual situação da capital baiana. “Salvador tem problemas de metrópole e agora a população já começa a ter um pouco a noção de que a ficha caiu. Se passaram sete meses e o que mudou?”, questionou se referindo a gestão de ACM Neto (DEM). João também reafirmou que está de olho na cobrança de tributos e que vai continuar de olho em possíveis aumentos na capital. “Tenho uma trajetória de vida política histórica que não será interrompida. Eu sempre lutei contra aumento de imposto e taxas ao contribuinte. Me mantive na decisão de não deixar cobrar estacionamento de shopping e Salvador é a única capital do Brasil que não cobra. Foram oito anos sofrendo pressão e resistindo. Essa luta vai continuar”, ressaltou.

Emerson Nunes

8 de julho de 2013, 18:36

EXCLUSIVA Juiz destitui Marcelinho da presidência do Bahia

Foto: Agência A Tarde

O atual presidente será substituído pelo interventor Carlos Ratis

O juiz Paulo Albiani Alves decidiu hoje pelo não conhecimento do recurso de apelação interposto pelo Esporte Clube Bahia contra a destituição de seu presidente, Marcelo Guimarães Filho, ratificando o nome de Carlos Ratis como como administrador/interventor do clube. Ele também nomeou como equipe de apoio ao administrador/interventor os advogados Cyrano Vianna Neto e Alexandre Valente Derschvm e o bacharel em direito e torcedor do Esporte Clube Bahia Danilo Pessoa de Souza Tavares. Albiani Alves determinou a intimação da decisão aos advogados das partes. Até agora à noite, entretanto, nenhum dos dois havia sido ainda notificado da decisão judicial. A sentença de Paulo Albiani Alves é um duro golpe nas pretensões de Marcelo Guimarães Filho de se perpetuar no cargo.

5 de julho de 2013, 09:48

EXCLUSIVA Em encontro secreto, petistas pedem cabeça de Santana

Foto: Agência Brasil

O baiano João Santana: eleito bode expiatório do isolamento de Dilma

Durante a passagem da presidente Dilma Rousseff (PT), ontem, por Salvador, um petista importante se aproximou do repórter do Política Livre e fez um desabafo. Segundo ele, apesar de todo o esforço feito pelo governador Jaques Wagner, no evento, para levantar a bola da presidente, ela permanece profundamente isolada no governo. Ele contou que, na última segunda-feira, num encontro que não vazou à imprensa, ocorrido entre a coordenação da bancada do PT no Congresso e os ministros pertencentes ao partido, a voz comum era de que ninguém consegue saber o que a presidente está pensando neste momento de crise. “Ela não se comunica com ninguém, exceto com Aloízio Mercadante (ministro da Educação), Fernando Pimentel (ministro da Indústria e Comércio) e João Santana”, revelou. Aliás, sobre o marqueteiro baiano, fez várias críticas, atribuindo a ele a idéia que considerou “estapafúrdia” de propor uma assembleia constituinte específica para a reforma política. “Não se pode propor uma coisa dessas sem ouvir o Congresso, meu caro. Só pode ter vindo dele (João Santana), que não conhece de política, do estatuto da Câmara nem de Constituição”, afirmou, acrescentando que formou-se, no encontro da última segunda-feira, um grupo determinado a pedir o afastamento de Santana da articulação política do governo. Na mesma reunião, um petista chegou a chamar Santana de “Rasputin de Tucano”, uma referência ao mesmo tempo ao monge Grigori Rasputin, que, mesmo sem ter formalmente cargo no governo imperial russo, exerceu uma enorme influência na última fase de vida da dinastia Romanov, antes da Revolução Russa, e à origem baiana do marqueteiro, nascido no pobre município de Tucano.

Raul Monteiro

4 de julho de 2013, 10:39

EXCLUSIVA O novo recado de Wagner a petistas e aliados

Foto: Caetano, Gabrielli e Pinheiro devem abrir mão de candidatura em favor de Rui

Na entrevista que concedeu à edição de hoje do jornal A Tarde, o governador Jaques Wagner (PT) avisa ao público interno e externo, mais ao interno que ao externo, que o seu partido já não tem quatro candidatos à sua sucessão. Segundo Wagner, “alguns” devem anunciar nos próximos dias que “declinam” da ideia. Entre os que devem declinar, Wagner não cita, mas já se sabe à larga no PT, estão o ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, conforme já antecipado por este Política Livre, e o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, atual secretário de Planejamento. O senador Walter Pinheiro deve resistir um pouco até o “convencimento” final pelo próprio governador.

Com isso, sobraria como candidato único do PT o chefe da Casa Civil, Rui Costa, o que este Política Livre também já antecipou com distância de mais de um ano. A “cachoalhada”, termo usado por Wagner para definir o conjunto de manifestações no país que colocou em xeque a classe política e naturalmente quem está no poder, como a presidente Dilma Rousseff, ele e o PT, foi o principal motivo que levou o governador a tomar a iniciativa de antecipar a informação na entrevista. O partido e o governador já tinham definido novembro como prazo final para que seja escolhido o candidato do grupo à sua sucessão. Ocorre que a divisão interna não colabora com o plano traçado por eles.

Com o susto que a população deu nos petistas, o que inclui a queda na popularidade de seus principais líderes, eles têm claro que precisam agir rápido e assegurar a unidade interna se quiserem emplacar um candidato do PT a governador em 2014. Neste caso, trabalham para neutralizar principalmente a movimentação atenta dos partidos aliados, cuja avaliação de que podem se transformar em alternativa sucessória ao desgaste do partido e do governador só tem aumentado, embora reservadamente, desde que a população foi às ruas cobrar por melhoria de serviços e contra gastos milionários como os da Copa. Em outras palavras, Wagner e seu partido acham que seus maiores adversários podem surgir em seu próprio grupo político, ao invés de no campo das oposições, onde a esperança de que chegou a hora de derrotar os petistas também cresceu.

Raul Monteiro

2 de julho de 2013, 14:50

EXCLUSIVA 2 de Julho: Wagner é atingido por copo de cerveja; Veja vídeo

Foto: Mário Pinho/Reprodução

Wagner caminhava ao lado do vice-governador Otto Alencar no momento da agressão

O governador do Estado da Bahia, Jaques Wagner (PT), foi atingido na cabeça por um copo de cerveja enquanto desfilava pelas ruas do bairro do Santo Antônio Além do Carmo, no Centro Histórico de Salvador, durante o desfile em comemoração ao 2 de Julho, data alusiva à Independência do Brasil na Bahia. O objeto foi arremessado pela professora Michele Perrone, de 34 anos, que foi duramente reprimida pelos seguranças do governador após o ato e recebeu voz de prisão de um Capitão do Batalhão de Choque da PM, como pode se ver no vídeo abaixo. O registro foi feito com exclusividade pela reportagem deste Política Livre, que, por questões de segurança, não acompanhou a condução da mulher à delegacia. Segundo informações do repórter Cláudio Cassiano, da TV Bandeirantes, que havia permanecido no local, a professora cedeu suas informações pessoais à polícia e foi liberada em seguida. No momento do ataque, o governador Wagner era vaiado pela população, que o chamava de “cara de pau” e “traíra”, gesto que se repetiu durante boa parte do cortejo.

Mário Pinho

29 de junho de 2013, 11:11

EXCLUSIVA Juventudes partidárias lideram manifestações em Salvador

Basta participar de dois ou três encontros de manifestantes em Salvador para identificar a presença das mesmas caras em destaque, compondo mesas em assembleias ou puxando gritos de guerra com megafones durantes os protestos. Boa parte destes jovens militantes integram as chamadas juventudes partidárias, uma espécie de estágio inicial na trajetória de poder para os jovens filiados aos mais diversos partidos políticos do Brasil.

Não seria novidade se estes partidos se aproveitassem da influência da juventude dentro do movimento estudantil para conduzir as manifestações. Foi o que aparentemente aconteceu no sábado passado, exatamente há uma semana, durante o terceiro ato do movimento Passe Livre de Salvador.

Encabeçado por militantes de partidos alinhados ao governo do Estado da Bahia, o movimento saiu do Campo Grande em direção ao Iguatemi, cercado por policias militares e seguindo o itinerário decidido em uma assembleia onde os eles próprios eram maioria, contrariando a vontade de muitos manifestantes que decidiram seguir para a Fonte Nova e entraram em confronto com a PM.

Durante o “trajeto da paz”, que seguiu pelo Vale do Canela, Garibaldi e Av. ACM, os “pelegos”, como eram chamados os jovens militantes, se esforçavam para afastar o movimento dos possíveis locais de enfrentamento com a polícia, nos acessos à Vasco da Gama e ao Alto de Ondina, residência oficial do governador Jaques Wagner, para onde setores mais radicais dos manifestantes pensaram em rumar.

A ação dos “pelegos” era entendida e apoiada pela maioria como uma questão de segurança, mas ocultava o interesse do Estado em evitar uma possível ação da Polícia Militar, que teria repercussão negativa posteriormente. Não adiantou.

Ao chegar no Iguatemi o protesto, conduzido pacíficamente durante todo o percurso, foi surpreendido por uma ação surpresa da tropa de choque da PM. Alegando ter sido alvo de pedradas e rojões de vândalos infiltrados no movimento, eles dispararam aleatoriamente bombas de efeito moral e tiros de borracha, atingindo até quem não tinha envolvimento com a manifestação e despertando a ira dos revoltosos, que transformaram o Iguatemi numa praça de guerra.

“Fomos conduzidos como bois ao abate. Eles confiaram o movimento à PM e ela agradeceu com gás lacrimogênio”, desabafava um manifestante enquanto se recuperava do efeito das bombas. O movimento foi dispersad sem cumprir o objetivo final e principal, que era pedir o passe livre para a população na porta do shopping, deixando um rastro de destruição que serviu somente como ponto negativo para o próprio Movimento Passe Livre.

Mário Pinho

21 de junho de 2013, 14:20

EXCLUSIVA Apavorada, Itália pede contato com liderança de manifestantes

Foto: Raul Spinassé | Ag. A TARDE

Seleção italiana desembarcou em Salvador nesta quinta

Apesar de ter classificado de “estúpida” a especulação de que poderia abandonar a Copa das Confederações por medo da insegurança decorrente dos manifestos de rua no Brasil, a Seleção da Itália está apavorada e chegou a pedir uma interlocução com o que seria uma liderança das manifestações na capital baiana.

A solicitação teria sido feita a um jornalista baiano que cobre a apresentação do time italiano, o qual vai jogar contra a Seleção do Brasil amanhã, na Arena Fonte Nova. A principal alegação dos italianos para fazer o pedido seria a de que a direção do time não tem uma dimensão exata do que acontece no país, motivo porque não sabe de que forma seus jogadores poderiam ser afetados pelos protestos.

Os jogadores se queixariam principalmente do tratamento da Fifa, organizadora da Copa, que, segundo eles, não estaria lhes repassando as informações solicitadas sobre o movimento de rua que toma conta de todo o país. A insegurança do time italiano teria se ampliado com o afastamento do presidente da Fifa, Joseph Blatter.

Descumprindo uma promessa de permanecer no Brasil durante todo o evento, Blatter deixou o país e viajou na quarta-feira à Turquia  para a cerimônia de abertura do Mundial Sub-20, que começou hoje. O jornalista contactado pelo time italiano tentava hoje pela manhã descobrir o nome de alguma liderança dos manifestantess para colocar em contato com a seleção estrangeira.

Para evitar o recrudescimento da tensão no time italiano e o fortalecimento da idéia de abandono do jogo, um pedido teria sido feito à Rede Globo para que evitasse divulgar imagens do choque entre a PM e manifestantes ontem em Salvador, onde várias pessoas ficaram feridas. Não se sabe se o pedido foi formulado pela Fifa ou o governo do Estado.

Apesar de a assessoria da Seleção Italiana ter negado, na mesma nota em que desmentiu o boato sobre o abandono da Copa, que as famílias dos jogadores os acompanhem na viagem à Bahia, policiais que dão cobertura ao time confirmaram a existência de várias mulheres e crianças na delegação.

21 de junho de 2013, 12:57

EXCLUSIVA Otto sugere plebiscito sobre realização da Copa de 2014

Foto: Emerson Nunes / Arquivo / Política Livre

Vice-governador Otto Alencar

O vice-governador do Estado, Otto Alencar (PSD), também secretário estadual de Infraestrutura, sugeriu hoje a realização de um plebiscito popular sobre a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, caso haja dúvida na população com relação à promoção do evento. Otto lembrou que a iniciativa do governo brasileiro de realizar a festa sempre contou com o apoio manifesto da população, segundo pesquisas de opinião, mas destacou que no momento em que o povo se insurge, em meio aos protestos que estouram em todo o país, contra os jogos, não faz sentido forçar sua realização no país. “Em respeito ao que tem sido expresso nas ruas, acho que deveria realmente haver um plebiscito pelo qual a população pudesse se manifestar”, disse o vice-governador em entrevista exclusiva ao Política Livre, lembrando que, de fato, as manifestações, principalmente a violência, têm assustado os organizadores da Copa, os jogadores e seus familiares. Ele referia-se ao fato de a Fifa ter ameaçado suspender a Copa das Confederações, que ocorre neste momento no Brasil, e o time da Itália ter pensado em deixar a Bahia, onde os jogadores estão hospedados com suas famílias à espera do jogo de amanhã, por causa do desdobramento das manifestações.

19 de junho de 2013, 08:55

EXCLUSIVA Clima de protestos pode afastar políticos do 2 de Julho

Foto: Arquivo/Agência A Tarde

Popular se prepara para festa do 2 de Julho no ano passado

Com a dimensão apartidária do movimento de rua que se espalha pelo país intensificada e, de certa forma, sua característica anti-políticos em ebulição, não são poucos os deputados ligados ao governador Jaques Wagner (PT) e ao prefeito ACM Neto (DEM) que os tem levado a refletir sobre a conveniência da participação nos festejos do 2 de Julho, maior festa popular da capital baiana com características políticas depois da Lavagem do Bonfim. A depender da “voz das ruas” até a data histórica, as sugestões vão desde uma ida “discretíssima” até a ausência completa do percurso da festa nas ruas do Centro Histórico, o que significa dizer que eles podem ser forçados a participar apenas da abertura do evento, no Largo da Lapinha. “Tudo vai depender de como vai estar o clima até lá, mas, pelo que temos assistido até agora no resto do país, se a situação esquentar e recrudescer por aqui é óbvio que o mais prudente é não se expor”, diz um deputado estadual que tem ouvido preocupações dos dois lados (do Democratas e do PT) com relação à participação de Wagner e ACM Neto no 2 de Julho. Exatamente por este motivo, o movimento programado pelas redes sociais para esta quinta-feira, dia do jogo da Copa das Confederações, será monitorado de perto por ambos os grupos políticos.

18 de junho de 2013, 19:34

EXCLUSIVA Invasão em SP deixa Prefeitura e governo baianos em alerta

Foto: R7

Manifestantes tentaram invadir Prefeitura de São Paulo

Assessores do prefeito ACM Neto (DEM) e do governador Jaques Wagner (DEM) assistiram agora há pouco com preocupação às imagens da tentativa de invasão ao prédio da Prefeitura de São Paulo por parte de manifestantes que protestam contra o aumento de ônibus e os gastos com a Copa. Apesar de o prefeito já ter anunciado que não haverá aumento em Salvador e o governo ter feito o mesmo, por meio do vice-governador Otto Alencar (PSD), com relação aos ônibus intermunicipais, há temor de que, inspirado no que ocorre em São Paulo e em outras partes do país, o movimento recrudesça na capital baiana, saindo do controle como parece ter ocorrido na capital financeira do país. A bem da verdade, o conflito em São Paulo é colocado na conta do prefeito Fernando Haddad (PT), que desconsiderou uma sugestão do Ministério Público local para criar uma mesa de negociação com os manifestantes. Na Bahia, tanto Wagner, por meio da polícia, quanto ACM Neto têm demonstrado flexibilidade e tolerância com relação às manifestações, as quais têm sido pacíficas e ordeiras. Mas nada garante que o posicionamento dos dois governantes será suficiente para evitar confrontos ou atos de vandalismo, como os verificados em São Paulo e no Rio de Janeiro. Por este motivo, a programação de uma reunião para amanhã, preparatória para um ato de protesto na quinta, dia do jogo da Copa das Confederações, deixa os dois governos em alerta.

18 de junho de 2013, 14:33

EXCLUSIVA Novo protesto já tem 38 mil confirmados pelo Face

Foto: Reprodução/Facebook

Mais de 300 mil pessoas foram convidados para o ato

Os detalhes dos novos rumos da manifestação denominada “Passe Livre Salvador” ainda serão definidos em uma reunião que ocorrerá às 14h de amanhã, no Passeio Público, Centro de Salvador. Mas o próximo ato já está confirmado para o mesmo horário da próxima quinta-feira, saindo da Praça do Campo Grande em direção à Fonte Nova, onde acontecerá a partida entre Uruguai x Nigéria pela Copa das Confederações. O evento possui mais de 325 mil convidados e já conta com cerca de 38 mil pessoas confirmadas através página “Movimento Passe Livre Salvador”, na rede social Facebook. No ato de ontem, os manifestantes saíram da região do Iguatemi de forma pacífica e seguiram pelas avenidas Tancredo Neves e Paralela. Sem uma pauta única, o grupo pedia melhorias no transporte público, criticava os gastos com a Copa e demonstrava insatisfação pela corrupção. O ato se junta à onda de protestos que acontecem em todo país.

Mário Pinho, com informações do A Tarde

12 de junho de 2013, 18:04

EXCLUSIVA Pesquisa: 47,9% preferem candidato de ACM Neto

Foto: Divulgação

Prefeito ACM Neto (DEM) e o governador Jaques Wagner (PT)

Na pesquisa encomendada por um grupo de deputados estaduais à Farani Consultoria e Pesquisa e divulgada ontem à noite com exclusividade por este Política Livre um dado chamou a atenção: ACM Neto, que aparece como líder absoluto da sondagem estimulada, com 55% das intenções de voto ao governo, surge também como o melhor cabo eleitoral da sucessão estadual de 2014. À pergunta “Se a eleição fosse hoje, você preferiria votar num candidato apoiado pelo governador Jaques Wagner ou da oposição apoiado por ACM Neto”, 47,9% responderam favoravelmente a um candidato da oposição apoiado pelo democrata, ao passo que 32,2% disseram preferir um nome indicado pelo governador. Para 14,7% dos entrevistados, tanto faz.

Leia também: Neto tem 55% das intenções de voto ao governo

11 de junho de 2013, 22:48

EXCLUSIVA Neto tem 55% das intenções de voto ao governo

Foto: Walter Pontes/Arquivo

Neto lidera pesquisa estimulada ao governo da Farani

Pesquisa encomendada pelos deputados estaduais de oposição à Farani Consultoria e Pesquisa fechada ontem e à qual este Política Livre teve acesso com exclusividade coloca, na sondagem estimulada, ACM Neto (DEM) como líder absoluto das intenções de voto ao governo em 2014 com 55% num cenário em que são relacionados Geddel Vieira Lima (PMDB), que surge em segundo lugar, com 8,5%, Lídice da Mata, com 7,5%, Otto Alencar (PSD), com 3,7%, Rui Costa (PT), com 1,3%, Marcelo Nilo (PDT), com 1,2% e João Gualberto (PSDB), com 0,5%. Em outra simulação, quando Paulo Souto (DEM) substitui ACM Neto na cédula, o ex-governador lidera com 28,2% das intenções de voto, seguido de Geddel, com 16%, Lídice, 10%, Otto com 5,5%, Rui com 1,8%, Nilo com 1,5% e Gualberto com 1,3%. Na sondagem espontânea, o atual governador, Jaques Wagner, aparece em primeiro lugar, com 8,4% das intenções de voto, seguido de ACM Neto, com 5,5%, Souto com 1,4%, Geddel, com 0,7%, Nilo com 0,6% e Otto com 0,4%; A pesquisa, que ouviu 2.075 pessoas em todo o Estado, também avaliou as intenções de voto ao Senado. No primeiro cenário, Souto aparece com 41,3% e Wagner, com 40,3%. Em outro, Souto lidera com 56,6% e Otto, com 18,5%. Um terceiro coloca Geddel com 42,6% e Otto com 23,8%.  A sucessão presidencial também foi pesquisada e coloca Dilma Rousseff (PT) com 56,5% das intenções de voto, Marina Silva, da Rede, com 20,3%, Aécio Neves, do PSDB, com 9,8% e Eduardo Campos, do PSB, com 2,5%.