4 de março de 2012, 17:39

EXCLUSIVA Propaganda preparada pelo PMDB com Kertész é definida como “impactante”

Está pronta a propaganda com que o PMDB baiano pretende mostrar à população de Salvador que está no páreo para a sucessão municipal deste ano. O protagonista do comercial político, Mário Kertész, pré-candidato do partido à Prefeitura, assim como fizeram vários quadros peemedebistas país afora, surge na telinha dando o seu recado. Quem viu o material finalizado, o definiu como “impactante”.

2 de março de 2012, 11:54

EXCLUSIVA Leitores do Política Livre souberam, mais uma vez, primeiro

Os leitores do Política Livre souberam primeiro que o deputado federal Zezéu Ribeiro perderia o cargo de secretário estadual de Planejamento, o qual está deixando, a pedido do governador Jaques Wagner, para cedê-lo ao ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Já no dia 6 de janeiro, o site informava que Zezéu passara a balançar nas avaliações que o governador estava fazendo sobre mudanças no secretariado, conforme pode ser lido no texto EXCLUSIVO: Rui chega e especulações sobre mudança no secretariado ganham fôlego. No dia 24 de janeiro, o site avançava na apuração dos fatos para informar que o governador já teria mandado avisar a Zezéu que o Planejamento ficaria com Gabrielli, o que também pode ser comprovado no texto EXCLUSIVO: Wagner já teria mandado avisar a Zezéu que Planejamento ficará com Gabrielli. De lá para cá, o Política Livre permaneceu noticiando a operação que acabou resultado no afastamento definitivo do secretário.

2 de março de 2012, 06:39

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Disputa na CNB emperrava indicação de Gabrielli

Anunciada há mais de um mês pelo governo da Bahia, a vinda de José Sérgio Gabrielli para integrar a administração estadual emperrou onde o petista menos esperava: sua tendência interna, a Construindo um Novo Brasil (CNB). Na Bahia, a tendência está rachada em duas – Articulação CNB e CNB -, e as duas partes não se entenderam sobre a permanência de Zezéu Ribeiro no governo. Parte dos integrantes defendia o ingresso de Gabrielli, mas não na mesma pasta de Zezéu. O próprio secretário demissionário e seus aliados chegaram a esboçar essa tese. A ideia era ter duas pastas sob controle da corrente.

A situação ficou tão ruim na CNB que uma reunião foi marcada para esta semana a fim de discutir a situação, mas acabou não acontecendo. Integrante da CNB, o presidente estadual do PT, Jonas Paulo, se irritou ao ser questionado por este Política Livre, sobre a reunião. Disse que não falava pela tendência, que representa o partido inteiro e mandou recado: “Se alguém estiver falando pela tendência está incorrendo em grave infração do Estatuto do partido. As tendências não têm posição pública”.

De fato, publicamente, nenhum parlamentar da CNB quis confirmar as informações que integrantes da tendência divulgavam nos bastidores. Tampouco, os deputados da Articulação CNB. Ouvido por este site, o deputado federal Emiliano José, um aliado próximo de Gabrielli, colocou panos quentes. “Não confirmo (a disputa). Não temos como interferir nisso (na nomeação de Gabrielli). Não é uma coisa de corrente. O PT todo encara com muito carinho a chegada de Zé Sérgio. Essa é uma decisão do governador”, declarou Emiliano, que apostou na nomeação de Gabrielli em poucos dias, fato que se consuma agora.

A CNB, então, apontou para a secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), mas aí foi outro problema que não deixou o processo andar. Apesar de estar de saída para ser candidato em Senhor do Bonfim, o secretário Carlos Brasileiro é de outra tendência, a Reencantar. O governador Jaques Wagner se viu, então, em uma sinuca de bico. Se desse a Sedes para a CNB, desagradaria a Reencantar, que não se vê contemplada com a Casa Civil, onde Rui Costa, integrante da tendência, foi nomeado por indicação pessoal de Wagner.

Thiago Ferreira

1 de março de 2012, 19:39

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Disputa na CNB emperrava indicação de Gabrielli

Anunciada há mais de um mês pelo governo da Bahia, a vinda de José Sérgio Gabrielli para integrar a administração estadual emperrou onde o petista menos esperava: sua tendência interna, a Construindo um Novo Brasil (CNB). Na Bahia, a tendência está rachada em duas – Articulação CNB e CNB -, e as duas partes não se entenderam sobre a permanência de Zezéu Ribeiro no governo. Parte dos integrantes defendia o ingresso de Gabrielli, mas não na mesma pasta de Zezéu. O próprio secretário demissionário e seus aliados chegaram a esboçar essa tese. A ideia era ter duas pastas sob controle da corrente.

A situação ficou tão ruim na CNB que uma reunião foi marcada para esta semana a fim de discutir a situação, mas acabou não acontecendo. Integrante da CNB, o presidente estadual do PT, Jonas Paulo, se irritou ao ser questionado por este Política Livre, sobre a reunião. Disse que não falava pela tendência, que representa o partido inteiro e mandou recado: “Se alguém estiver falando pela tendência está incorrendo em grave infração do Estatuto do partido. As tendências não têm posição pública”.

De fato, publicamente, nenhum parlamentar da CNB quis confirmar as informações que integrantes da tendência divulgavam nos bastidores. Tampouco, os deputados da Articulação CNB. Ouvido por este site, o deputado federal Emiliano José, um aliado próximo de Gabrielli, colocou panos quentes. “Não confirmo (a disputa). Não temos como interferir nisso (na nomeação de Gabrielli). Não é uma coisa de corrente. O PT todo encara com muito carinho a chegada de Zé Sérgio. Essa é uma decisão do governador”, declarou Emiliano, que apostou na nomeação de Gabrielli em poucos dias, fato que se consuma agora.

A CNB, então, apontou para a secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), mas aí foi outro problema que não deixou o processo andar. Apesar de estar de saída para ser candidato em Senhor do Bonfim, o secretário Carlos Brasileiro é de outra tendência, a Reencantar. O governador Jaques Wagner se viu, então, em uma sinuca de bico. Se desse a Sedes para a CNB, desagradaria a Reencantar, que não se vê contemplada com a Casa Civil, onde Rui Costa, integrante da tendência, foi nomeado por indicação pessoal de Wagner.

Thiago Ferreira

1 de março de 2012, 18:55

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: ACM Neto tenta barganhar tempo do DEM em São Paulo para obter apoio de tucanos em Salvador

ACM Neto tenta viabilizar apoio dos tucanos por cima

Informes chegados há pouco ao Política Livre dão conta de que o deputado federal ACM Neto (DEM) se encontra em São Paulo neste momento trabalhando duro para tentar negociar o apoio do seu partido à candidatura do tucano José Serra à Prefeitura em troca do compromisso do PSDB ao seu nome em Salvador. A barganha ocorreria em torno do tempo de TV que o DEM possui em São Paulo, que pode ser usado para encorpar a campanha de Serra. O informante do Democratas não informou se ACM Neto conseguiu êxito na empreitada, mas a movimentação confirmaria o que já antecipou este Política Livre: o democrata é candidatíssimo à Prefeitura de Salvador. Esta semana, o PSDB de Salvador decidiu lançar a candidatura do deputado federal Antonio Imbassahy a prefeito, numa sinalização a ACM de que poderia não apoiá-lo.

1 de março de 2012, 17:28

EXCLUSIVA Com volta de Zezéu à Câmara, Joseph Bandeira perderá mandato; Próximo da fila é Sérgio Carneiro

Bandeira e Carneiro podem perder o mandato ainda este mês

Com a confirmação de que Zezéu Ribeiro (PT) deixará a secretaria estadual de Planejamento e reassumirá sua cadeira na Câmara Federal, o ex-prefeito de Juazeiro e então deputado Joseph Bandeira (PT) perderá o mandato. Bandeira é o quarto suplente da coligação PT/PRB/PP/PDT/PHS/PSB/PCdoB. Ainda neste mês, Sérgio Carneiro (PT), terceiro suplente, também deve deixar o parlamento, pois João Leão (PP) já anunciou a sua saída da secretaria municipal da Casa Civil no próximo dia 10. Leão volta a se tornar deputado para poder concorrer a Prefeitura de Salvador. Os dois ameaçados de perderem os mandatos declararam que esse jogo de arrumação faz parte do processo político e estão tranquilos. (Victor Pinto)

1 de março de 2012, 17:16

EXCLUSIVA Zezéu confirma saída da Seplan; Gabrielli assume depois de Wagner retornar da Alemanha

Foto: Tribuna

Zezéu Ribeiro, secretário estadual do Planejamento

O secretário estadual de Planejamento, Zezéu Ribeiro, conforme antecipado por este Política Livre, confirmou que está deixando a pasta. No seu lugar, assumirá o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. A troca deve ser confirmada após o retorno do governador Jaques Wagner (PT) à Alemanha, onde integrará a comitiva da presidenta Dilma Rousseff. Zezéu reassume o seu mandato de deputado federal.

Leia mais:

EXCLUSIVO: Wagner já teria mandado avisar a Zezéu que Planejamento ficará com Gabrielli

Gabrielli pode ir para Planejamento e Zezéu, para o Tribunal de Contas do Estado

EXCLUSIVO: Wagner pede Planejamento a Zezéu

EXCLUSIVO: Com saída de Zezéu do Planejamento, setores da CNB tentam emplacar Sedes

29 de fevereiro de 2012, 18:48

EXCLUSIVA Construtora residencial vence licitação para reforma do Terminal Marítimo de Salvador

A empresa Chroma Construções Ltda ganhou a licitação para a reforma do Terminal Marítimo de Salvador. A empresa foi escolhida por ter apresentado o menor valor global de aporte (R$ 30,21 milhões). A Chroma é uma empresa baiana, fundada em 1989, e especializada na construção de prédios residenciais. O anúncio da vencedora foi feito depois de meses de mistério. As dúvidas agora se voltam para o IPHAN, que vinha dificultando a liberação da obra, e se a construtora terá condições de manter a entrega do novo terminal para maio de 2013, conforme a Codeba anunciou (Thiago Ferreira)

29 de fevereiro de 2012, 17:45

EXCLUSIVA CVM absolve Gabrielli da acusação de irregularidades na BM&F

José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) absolveu o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, da acusação de irregularidades em negócios realizados no mercado de futuros da BM&F em nome de fundos de investimento exclusivos do BB Milênio 6 Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo. A CVM absolveu ainda Almir Guilherme Barbassa, Arnaldo José Vollet, BB Gestão de Recursos DTVM S.A. e João Pinheiro Nogueira Batista. A Comissão, segundo a nota, encaminhará a decisão ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional. (Thiago Ferreira)

29 de fevereiro de 2012, 06:38

EXCLUSIVA Wagner, vice e secretários terão salários reajustados em 6,5%

O governador Jaques Wagner (PT), o vice-governador, Otto Alencar (PSD), e os secretários estaduais terão seus salários reajustados em 6,5%, mesmo índice concedido aos servidores. Com o aumento, o governador que recebe hoje um salário de, aproximadamente, R$ 16,2 mil, passará a receber R$ 17,2 mil, sendo este o teto do funcionalismo público na Bahia. Já o vice-governador e os secretários passarão de um salário de, aproximadamente, R$ 14 mil para R$ 14,9 mil. (Thiago Ferreira)

29 de fevereiro de 2012, 06:35

EXCLUSIVA Cargos federais indicados pelo PMDB baiano deixam base governista na “maaor” inveja

Foto: Manu Dias (Secom)

Governador ouviu queixas da base aliado durante reunião do conselho político

Durante a reunião do conselho político do governo Jaques Wagner (PT), segunda-feira pela manhã, partidos aliados lançaram várias queixas ao chefe do executivo por causa da demora da base em indicar cargos federais na Bahia. Pelos cálculos dos aliados de Wagner, o PMDB, dos irmãos Vieira Lima (Geddel e Lúcio), seus adversários, tem mais cargos federais na Bahia do que todos os partidos da base do governo juntos. “Um acinte”, disse um deputado, logo depois do encontro, referindo-se aos peemedebistas. Outro político governista que ia deixando a reunião na sequência acrescentou: “Uma lição de competência (do PMDB), você quer dizer!”

28 de fevereiro de 2012, 20:59

EXCLUSIVA Wagner, vice e secretários terão salários reajustados em 6,5%

O governador Jaques Wagner (PT), o vice-governador, Otto Alencar (PSD), e os secretários estaduais terão seus salários reajustados em 6,5%, mesmo índice concedido aos servidores. Com o aumento, o governador que recebe hoje um salário de, aproximadamente, R$ 16,2 mil, passará a receber R$ 17,2 mil, sendo este o teto do funcionalismo público na Bahia. Já o vice-governador e os secretários passarão de um salário de, aproximadamente, R$ 14 mil para R$ 14,9 mil. (Thiago Ferreira)

28 de fevereiro de 2012, 19:35

EXCLUSIVA Cargos federais indicados pelo PMDB baiano deixam base governista na “maaor” inveja

Foto: Manu Dias (Secom)

Governador ouviu queixas da base aliado durante reunião do conselho político

Durante a reunião do conselho político do governo Jaques Wagner (PT), ontem pela manhã, partidos aliados lançaram várias queixas ao chefe do executivo por causa da demora da base em indicar cargos federais na Bahia. Pelos cálculos dos aliados de Wagner, o PMDB, dos irmãos Vieira Lima (Geddel e Lúcio), seus adversários, tem mais cargos federais na Bahia do que todos os partidos da base do governo juntos. “Um acinte”, disse um deputado, logo depois do encontro, referindo-se aos peemedebistas. Outro político governista que ia deixando a reunião na sequência acrescentou: “Uma lição de competência (do PMDB), você quer dizer!”

Raul Monteiro

28 de fevereiro de 2012, 15:56

EXCLUSIVA Wagner confirma permanência de Wellington à frente do MP

Foto: Divulgação

Wellington Lima e Silva

O governador Jaques Wagner (PT) acabou de confirmar a permanência do procurador-geral do Ministério Público da Bahia,Wellington Lima e Silva, à frente do Ministério Público Estadual. Wellington foi o mais votado pelos procuradores, tendo encabeçado a lista tríplice enviada ao governador, com 341 votos. Ontem, ao noticiar, em primeira mão, a eleição de Wellington para a lista tríplice, este Política Livre antecipou que ele seria escolhido pelo governador. (Thiago Ferreira)

Leia mais:

Primeira mão: Chefe do MP baiano entra em lista tríplice e deve ser reconduzido ao cargo

28 de fevereiro de 2012, 13:50

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Políticos deixam reunião do conselho político de Wagner convencidos de que sucessão municipal não é prioridade

Foto: Manu Dias/Secom

Jaques Wagner discursa durante a reabertura da Assembleia Legislativa

Os políticos que participaram ontem da reunião do conselho político do governo Jaques Wagner (PT) saíram com uma avaliação: não faz parte dos planos do governador priorizar as eleições deste ano, mesmo em municípios importantes e estratégicos – a exemplo de Salvador e Feira de Santana, para citar os mais destacados. Ele estaria olhando muito mais adiante, isto é, para a sua própria sucessão, em 2014, quando, aí sim, quer que todos os aliados trabalhem juntos e coesos. Por este motivo, não fará exigências de unidade para os aliados já para outubro, nem para Salvador -onde a conquista da Prefeitura é um sonho antigo do PT -, deixando que a disputa corra mais ou menos solta entre os partidos da base a fim de evitar o surgimento de arestas ou fraturas desnecessárias por agora. Um sinal para aqueles aliados que pretendiam barganhar apoio ao deputado federal Nelson Pelegrino à Prefeitura de Salvador em troca, por exemplo, de mais espaço no governo estadual, de que a missão pode se tornar impossível.

Raul Monteiro