20 de março de 2012, 06:40

EXCLUSIVA Alexandre Brust nega apoio do PDT a Pelegrino no primeiro turno

Presidente estadual do PDT, Alexandre Brust

O presidente estadual do PDT, Alexandre Brust, em contato com o Política Livre, negou apoio a candidatura de Nelson Pelegrino à Prefeitura de Salvador já no primeiro turno. “Nada contra a coligação PT-PSD. É um aliado importante para a candidatura de Pelegrino, mas acho que, com todo respeito, o fato do PDT estar na base do governo não quer dizer que nós nos subordinamos aos partidos majoritários da base, inclusive o PT. Torcemos para que Pelegrino vá bem nas eleições, mas antes de tudo queremos o êxito do candidato do nosso partido, que é Marcos Medrado (PDT)”, afirmou. Brust disse ainda que o PDT vai lançar candidatura nos principais municípios do Estado. “Dos partidos que fazem parte da base de Dilma na Bahia, o PDT foi o que mais cresceu. “Nós saímos de 8 para 30 prefeitos, nas eleições passadas e agora pretendemos dobrar esse número em 2012. A meta é alcançar 60 prefeituras na Bahia, até porque o ano de 2012 sinaliza o 12 na cabeça”, brincou. (Emerson Nunes)

19 de março de 2012, 19:08

EXCLUSIVA Alexandre Brust nega apoio do PDT a Pelegrino no primeiro turno

Presidente estadual do PDT, Alexandre Brust

O presidente estadual do PDT, Alexandre Brust, em contato com o Política Livre, negou apoio a candidatura de Nelson Pelegrino à Prefeitura de Salvador já no primeiro turno. “Nada contra a coligação PT-PSD. É um aliado importante para a candidatura de Pelegrino, mas acho que, com todo respeito, o fato do PDT estar na base do governo não quer dizer que nós nos subordinamos aos partidos majoritários da base, inclusive o PT. Torcemos para que Pelegrino vá bem nas eleições, mas antes de tudo queremos  o êxito do candidato do nosso partido, que é Marcos Medrado (PDT)”, afirmou. Brust disse ainda que o PDT vai lançar candidatura nos principais municípios do Estado. “Dos partidos que fazem parte da base de Dilma na Bahia, o PDT foi o que mais cresceu. “Nós saímos de 8 para 30 prefeitos, nas eleições passadas e agora pretendemos dobrar  esse número em 2012. A meta é alcançar 60 prefeituras na Bahia, até porque o ano de 2012 sinaliza o 12 na cabeça”,  brincou. (Emerson Nunes)

19 de março de 2012, 11:02

EXCLUSIVA EXCLUSIVA: Composição de lista sêxtupla mostraria dificuldade de Saul fazer sucessor na OAB

Saul pode ter dificuldade de transferir prestígio pessoal para candidato a sucessor

A baixa performance do advogado Custódio Lacerda Brito na disputa na OAB pela indicação para a vaga de desembargador, na qual amargou o penúltimo lugar na lista sêxtupla, está sendo interpretada como um prenúncio das dificuldades que o atual presidente da Ordem, Saul Quadros, terá para fazer seu sucessor na próxima eleição da entidade. Custódio seria o candidato da manga do colete de Saul para sucedê-lo, mas, surpreendentemente, caiu do terceiro lugar para o quinto em relação à última disputa de que participou para ser indicado à lista sêxtupla.

18 de março de 2012, 11:23

EXCLUSIVA PT coliga na proporcional com o PSD e estuda mesma aliança com PDT

Dr. Pitangueiras é um dos que devem ser salvos com a coligação com o PT

Ainda que a hipótese de o deputado estadual Alan Sanches (PSD) ser indicado para vice na chapa de Nelson Pelegrino (PT) não esteja confirmada, é certa a unidade dos dois partidos na campanha municipal deste ano em Salvador e, mais do que isso, uma coligação formal entre as duas legendas para as eleições à Câmara Municipal.

Com a aliança com o PT, o PSD estima eleger quatro vereadores – os atuais Dr. Pitangueiras, David Rios, Edson da União e provavelmente o filho do próprio Alan, Duda Sanches -, o que naturalmente fará com que os petistas reduzam o número de quadros que pretendiam fazer na Câmara. A expectativa é de que a coligação encabeçada pelo PT eleja até 11 vereadores.

O número daria para assegurar a reeleição da atual bancada por inteiro, que conta com sete integrantes, diz uma fonte da legenda, observando que a decisão de fazer coligação proporcional com o PSD passa pela estratégia do PT de ajudar aliados de primeira hora como o partido, que anuncia formalmente sua opção pela candidatura petista à Prefeitura esta semana.

“Sem coligação com o PT, o PSD corre o risco de não eleger ninguém na Câmara este ano”, afirma um outro petista, observando que, com o tempo e a conquista do poder, o PT soube rever uma cláusula pétrea da legenda – a de nunca fazer eleições proporcionais.

O fato de o PT ter escolhido o PSD como parceiro preferencial para a sucessão municipal não significa que vá coligar-se apenas com ele. Outra legenda que tem pedido de coligação avaliado é o PDT, que também deve apoiar a candidatura de Nelson Pelegrino a Prefeitura. Os pedetistas querem eleger pelo menos três vereadores. O PT oferece as coligações fiando-se na força da candidatura de Pelegrino.

Raul Monteiro

16 de março de 2012, 14:28

EXCLUSIVA PT acredita que vice de Pelegrino pode ser indicado por João Henrique, PP ou Alice Portugal

Petistas ponderaram agora à tarde ao Política Livre que, embora o nome do deputado estadual Alan Sanches (PSD) tenha sido lembrado para vice do pré-candidato Nelson Pelegrino (PT) à Prefeitura de Salvador, o posto continua disponível para uma negociação que envolva um candidato de interesse – ou indicado – pelo prefeito João Henrique (PP), um nome do próprio PP, que tem como pré-candidato a prefeito o deputado federal João Leão, ou mesmo a deputada federal Alice Portugal, que foi lançada pelo PCdoB à sucessão municipal. Enfim, a idéia do vice de Pelegrino está longe de estar acabada.

15 de março de 2012, 16:25

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Direção de A Tarde pode ser afastada por decisão de herdeiros de Ernesto Simões

Informes chegados há pouco ao Política Livre dão conta de que pode haver mudanças na direção de A Tarde por decisão de herdeiros do fundador do jornal, Ernesto Simões Filho. Membros do clã teriam vindo a Salvador pedir mudanças, atendendo à recomendação de consultorias externas. Se confirmada a saída dos diretores, a previsão é de que haja mudanças em escala, a começar pela saída do editor-chefe, jornalista Ricardo Mendes. A família Simões está reunida hoje no Rio de Janeiro para decidir o futuro do periódico baiano, que completa 100 anos este ano. Há informes de que, recentemente, teria se abatido uma séria crise financeira sobre o jornal, com atraso de pagamentos de jornalistas, extinção de cadernos e cancelamento do Troféu Dodô & Osmar, organizado há quase 20 anos pelo grupo e pela Central do Carnaval. Em entrevista ao Política Livre, a presidente do Sindicato dos Jornalistas (Sinjorba), Marjorie Moura, confirmou que estas informações estão circulando, mas que o sindicato não tem nenhuma confirmação sobre as mudanças. Achou pouco provável, entretanto, a informação segundo a qual um executivo do grupo RBS assumiria o jornal. (Thiago Ferreira)

15 de março de 2012, 14:49

EXCLUSIVA Petista roda a baiana na Câmara por causa da perda de ministérios pelo Estado

Foto: Divulgação

“Queremos que a presidenta continue priorizando o Nordeste e a Bahia, como fez Lula”, disse Amauri

A bancada baiana na Câmara dos Deputados defende o “equilíbrio representativo das federações” por parte da presidente Dilma Rousseff, depois da queda, sem aviso, do ministro Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário). Ontem e hoje no plenário da Câmara, o deputado federal Amauri Teixeira (PT) chacoalhou os parlamentares baianos ligados ao governador Jaques Wagner. Ao lado do ex-ministro Afonso Florence – recém empossado -, e dos colegas Valmir Assunção e Geraldo Simões, o parlamentar petista soltou o verbo: “É claro que exigimos equilíbrio político. A Bahia não é um Estado qualquer! O Nordeste não é uma região qualquer!”, esbravejou Amauri e completou: “O Nordeste tem a sua importância e quer ser contemplado também nos cargos, para ter representantes no governo federal para aplicar as políticas voltadas para a região. Nós queremos ter representantes da Bahia para aplicar as políticas voltadas para o desenvolvimento da Bahia”. Amauri ainda recordou o tratamento dispensado pelo ex-presidente Lula ao nordeste, especialmente , segundo ele, à Bahia. “Queremos, sobretudo, deputado Afonso, que a presidenta continue priorizando o Nordeste e a Bahia, como fez Lula”, concluiu.

15 de março de 2012, 11:37

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Leão ignora críticas de vereadores e monta equipe para elaborar plano de governo

Apesar de criticado por vereadores governistas, que não acreditam em sua candidatura, conforme revelado por este Política Livre (veja aqui), o deputado federal João Leão (PP) já se dedica à elaboração do seu plano de governo para a campanha eleitoral à Prefeitura de Salvador. Segundo fonte próxima a Leão, ele já teria conversado com uma “grande referência em educação na Bahia”, que teria aceitado o convite para trabalhar no plano. De acordo com esta fonte, Leão está chamando nomes com perfis técnicos para auxiliar na elaboração do plano. As primeiras reuniões já aconteceram e ficou definido que educação, saúde e mobilidade urbana serão as prioridades da candidatura do pepista.

15 de março de 2012, 06:39

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Base de João Henrique na Câmara resiste a candidatura de João Leão

Foto: Emerson Nunes/Política Livre

João Leão, ao centro, já colocou o bloco mais ou menos rua

Pelo visto, o chefe da Casa Civil da Prefeitura, João Leão, terá que se contentar apenas com a despedida festiva que teve do cargo, ao invés de um ato impactante de lançamento de sua candidatura à sucessão do prefeito João Henrique (PP), como chegou a ser anunciado aos quatro ventos.

Meio “queimado” junto a parte dos vereadores mais ligados ao prefeito, que não acreditam na viabilidade de sua pré-candidatura nem o consideram o nome ideal para defender o legado de João Henrique na campanha municipal, Leão tem sido alvo de críticas constantes em setores da base.

A principal delas é de que o PP jamais bateria de frente com o projeto petista de fazer o deputado federal Nelson Pelegrino prefeito de Salvador. Pelo contrário, na visão do mesmo grupo, o projeto do partido seria ganhar musculatura na campanha a fim de barganhar politicamente, mais adiante, com o nome do candidato.

“Você imagina que na campanha Leão vai criticar o governo do Estado ou o candidato do PT com o PP participando da máquina estadual? Nunca, meu caro! É muito risco”, afirma um vereador ao Política Livre. Segundo ele, para o grupo mais próximo do prefeito, não há o que justifique a aposta no nome de Leão nem o investimento no lançamento de seu nome.

“O que nos assegura que ele não pretende se fortalecer nos próximos meses para negociar uma adesão a Pelegrino mais à frente?”, pergunta um outro, convencido de que, no fundo, o PP pode estar mais interessado em aumentar sua participação no governo estadual, uma vez que sua gestão no municipal vai acabar.

No fundo, os questionamentos de que o prefeito tem sido alvo a respeito da estratégia de lançar um candidato de seu partido à sucessão refletem a divisão da base em torno de qual caminho seguir: sair com um nome próprio ou apoiar alguns dos existentes, de preferência, pelo visto, no momento, no campo oposicionista.

14 de março de 2012, 19:07

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Base de João Henrique na Câmara resiste a candidatura de João Leão

Foto: Emerson Nunes/Política Livre

João Leão, ao centro, já colocou o bloco mais ou menos rua

Pelo visto, o chefe da Casa Civil da Prefeitura, João Leão, terá que se contentar apenas com a despedida festiva que teve do cargo, ao invés de um ato impactante de lançamento de sua candidatura à sucessão do prefeito João Henrique (PP), como chegou a ser anunciado aos quatro ventos.

Meio “queimado” junto a parte dos vereadores mais ligados ao prefeito, que não acreditam na viabilidade de sua pré-candidatura nem o consideram o nome ideal para defender o legado de João Henrique na campanha municipal, Leão tem sido alvo de críticas constantes em setores da base.

A principal delas é de que o PP jamais bateria de frente com o projeto petista de fazer o deputado federal Nelson Pelegrino prefeito de Salvador. Pelo contrário, na visão do mesmo grupo, o projeto do partido seria ganhar musculatura na campanha a fim de barganhar politicamente, mais adiante, com o nome do candidato.

“Você imagina que na campanha Leão vai criticar o governo do Estado ou o candidato do PT com o PP participando da máquina estadual? Nunca, meu caro! É muito risco”, afirma um vereador ao Política Livre. Segundo ele, para o grupo mais próximo do prefeito, não há o que justifique a aposta no nome de Leão nem o investimento no lançamento de seu nome.

“O que nos assegura que ele não pretende se fortalecer nos próximos meses para negociar uma adesão a Pelegrino mais à frente?”, pergunta um outro, convencido de que, no fundo, o PP pode estar mais interessado em aumentar sua participação no governo estadual, uma vez que sua gestão no municipal vai acabar.

No fundo, os questionamentos de que o prefeito tem sido alvo a respeito da estratégia de lançar um candidato de seu partido à sucessão refletem a divisão da base em torno de qual caminho seguir: sair com um nome próprio ou apoiar alguns dos existentes, de preferência, pelo visto, no momento, no campo oposicionista.

14 de março de 2012, 06:41

EXCLUSIVA Nilo considera “equívoco” notícia de que faltas dos deputados não serão divulgadas

A informação divulgada, na última segunda-feira, na coluna Tempo Presente do jornal A Tarde, de que a Assembleia Legislativa não disponibilizaria para acesso as faltas dos deputados da Casa fez crescer o burburinho de que existe uma “operação abafa” das informações. Alguns deputados da oposição, em contato com o Política Livre, insinuaram a possibilidade, a partir da notícia veiculada, de que a ação foi tomada por conta da ação do DEM que quer tirar a vaga do deputado Rogério Andrade (PSD), por exercer o número de faltas. Procurado pelo Política Livre, o presidente do Legislativo, deputado Marcelo Nilo (PDT), considerou um “equívoco” a veiculação da notícia, pois a contabilidade dos ausentes e presentes nas sessões continua disponível. Nilo ainda informou que já enviou uma correspondência ao jornal para retificar a nota.(Victor Pinto)

13 de março de 2012, 21:38

EXCLUSIVA Nilo considera “equívoco” notícia de que faltas dos deputados não serão divulgadas

A informação divulgada, ontem, na coluna Tempo Presente do jornal A Tarde, de que a Assembleia Legislativa não disponibilizaria para acesso as faltas dos deputados da Casa fez crescer o burburinho de que existe uma “operação abafa” das informações. Alguns deputados da oposição, em contato com o Política Livre, insinuaram a possibilidade, a partir da notícia veiculada, de que a ação foi tomada por conta da ação do DEM que quer tirar a vaga do deputado Rogério Andrade (PSD), por exercer o número de faltas. Procurado pelo Política Livre, o presidente do Legislativo, deputado Marcelo Nilo (PDT), considerou um “equívoco” a veiculação da notícia, pois a contabilidade dos ausentes e presentes nas sessões continua disponível. Nilo ainda informou que já enviou uma correspondência ao jornal para retificar a nota.(Victor Pinto)

13 de março de 2012, 18:48

EXCLUSIVA Governo e Prefeitura trabalham juntos para acomodar suplentes

De olho na posse dos deputados João Leão (PP) e Afonso Florence (PT), amanhã, na Câmara, o governo do Estado trabalha rápido para assegurar o retorno, já na próxima semana, dos deputados suplentes Sérgio Carneiro (PT) e Emiliano José (PT). O governo do Estado trabalha por uma solução conjunta com a prefeitura de Salvador no sentido de atrair dois deputados para os secretariados estadual e municipal, garantindo, assim, a permanência dos petistas suplentes.

Leia também: Sob golpe da demissão de Florence, governo tenta saída para manter Sérgio e Emiliano na Câmara

13 de março de 2012, 10:57

EXCLUSIVA EXCLUSIVO: Subsecretário pode assumir cargo de Martins na Sefaz

Carlos Martins, secretário estadual da Fazenda

O subsecretário da Secretaria Estadual da Fazenda, Carlos Alberto Batista, teve seu nome fortemente ventilado para assumir o cargo de Carlos Martins na pasta. Martins deve sair nos próximos dias para disputar o cargo de prefeito de Candeias. Seu último compromisso público oficial acontece amanhã, quando ele apresenta o balanço quadrimestral das contas do Estado.

13 de março de 2012, 09:26

EXCLUSIVA Waldenor Pereira é lembrado para Sedes para manter suplentes em Brasília

Waldenor Pereira (PT)

O deputado federal Waldenor Pereira (PT) pode ser indicado para a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social caso o atual gestor da pasta, Carlos Brasileiro, deixe-a para ser candidato a prefeito em Senhor do Bonfim. O nome de Pereira foi lembrado por um petista graúdo, em conversa com o Política Livre, que ressaltou o fato do parlamentar também ser da Reencantar, mesma tendência de Brasileiro, e contar com a confiança do governador Jaques Wagner. Pereira foi líder do governo na Assembleia durante todo o primeiro mandato do governador. Se confirmada a  indicação, ficaria mantido na Câmara o deputado federal Emiliano José, primeiro suplente. O petista diz ainda que a indicação facilitaria a vida do prefeito João Henrique (PP), que está inclinado a indicar um deputado federal para seu governo, a fim de manter o seu irmão, Sérgio Carneiro (PT), em Brasília. O senão para a indicação de Pereira, na opinião do presidente estadual do PT, Jonas Paulo, é o fato de que Brasileiro voltando para a Assembleia, derruba o deputado estadual Joacy Dourado, representante petista de Irecê, onde, na opinião do dirigente, a disputa municipal está “renhida”. Lá a oposição está unida em torno do deputado Luizinho Sobral (PTN) para enfrentar o prefeito Zé das Virgens, do PT. “Vamos jogar a toalha em Irecê?”, questionou o dirigente do PT em entrevista ao Política Livre. Há um outro porém: Brasileiro ainda não definiu se será candidato e, inclusive, pode apoiar outro nome da base do governo na cidade da região Norte do Estado. (Thiago Ferreira)