31 de maio de 2012, 09:21

ECONOMIA Selic em 8,5% é a menor da história e redução dispara gatilho da poupança

O Banco Central cortou nesta quarta-feira, o juro básico da economia pela sétima vez consecutiva. O tamanho do corte, porém, diminuiu para 0,5 ponto. Com isso, a Selic caiu para 8,5%, o menor nível da história. Em março e abril, os cortes haviam sido de 0,75 ponto. Antes, o menor juro foi de 8,75% entre julho de 2009 e abril de 2010. A decisão foi unânime. Além de baratear empréstimos, a taxa menor também dispara o gatilho que muda o cálculo da remuneração das novas cadernetas de poupança. A partir de agora, elas passam a pagar rendimento de 70% da Selic. A regra vale para depósitos a partir de 4 de maio. Ao explicar a decisão, os diretores do BC afirmam que “neste momento, permanecem limitados os riscos para a trajetória da inflação”. Além disso, “dada a fragilidade da economia global, a contribuição do setor externo tem sido desinflacionária”. Leia mais no Estadão.

Fernando Nakagawa, de O Estado de S. Paulo

31 de maio de 2012, 07:18

ECONOMIA Brasil cai duas posições em ranking de competitividade mundial

O Brasil caiu duas posições este ano no Índice de Competitividade Mundial (World Competitiveness Yearbook), divulgado nesta quinta-feira, pelo International Institute for Management Development (IMD). O levantamento, publicado anualmente desde 1989, avalia as condições de competitividade de 59 países a partir da análise de dados estatísticos nacionais e internacionais e pesquisa de opinião feita com executivos. No Brasil, a pesquisa é coordenada pela Fundação Dom Cabral. Entre os 59 países pesquisados, o Brasil caiu da 44ª, em 2011, para 46ª posição, em 2012. Em 2010, o país ocupava o 38º lugar. O ranking geral aponta, pela ordem, Hong Kong, Estados Unidos, Suíça, Cingapura, Suécia e Canadá como as economias mais competitivas do mundo.

30 de maio de 2012, 10:53

ECONOMIA Dólar sobe e volta a operar cotado a R$ 2; Bolsa abre em queda

Dólar voltou a operar cotado a R$ 2 nesta quarta-feira, com o aumento da aversão ao risco nos mercados internacionais. Por volta de 10h16m, a moeda americana subia 1,05% sendo negociada a R$ 2,005 na compra e R$ 2,007 na venda. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue a toada de pessimismo externo e abriu em forte queda. Às 10h15m, o índice já se desvalorizava 2,06%, regredindo ao patamar de 53.501 pontos. Na terça, o dólar comercial encerrou um sequência de quatro quedas e fechou em alta de 0,15%, cotado a R$ 1,984 na compra e R$ 1,986 na venda. Na máxima do dia, a moeda americana voltou a ser negociada a R$ 2,001 e, na mínima, chegou a R$ 1,981. No mês, a moeda americana sobe 4,16% e, no ano, 6,31%.O Banco Central não atuou no mercado de câmbio nesta terça. (O Globo)

30 de maio de 2012, 09:39

ECONOMIA Inflação do aluguel acelera para 1,02% em maio, mostra FGV

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), conhecido como a inflação do aluguel, porque é utilizado para reajustar a maioria dos contratos imobiliários, acelerou para 1,02% em maio, após ter registrado alta de 0,85% no mês anterior. Em 12 meses, o índice sobe 4,26% e, no ano, 2,51%. Os números foram divulgados nesta quarta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Usado no cálculo do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), também chamado de inflação no atacado, variou 1,17% em maio, depois de subir 0,97% no mês anterior. Dentro desse grupo, a variação do índice relativo a bens finais passou de 0,78% para 0,57%, em maio. O índice referente ao grupo bens Intermediários variou 1,59%. No estágio inicial da produção, o índice de matérias-primas brutas variou 1,32%, em maio. Em abril, o índice registrou variação de 0,97%. Leia mais no G1.

30 de maio de 2012, 08:05

ECONOMIA Com atividade fraca, Banco Central deve cortar juro em 0,5 ponto hoje

O Banco Central (BC) anuncia no início da noite desta quarta-feira a primeira decisão sobre o rumo do juro básico da economia com o detalhamento dos votos de cada um dos diretores. No mercado financeiro, a maioria prevê decisão unânime de corte da Selic em 0,5 ponto, para 8,5% ao ano. Confirmada a aposta, o juro cairia para o menor patamar da história e, ao mesmo tempo, passaria a valer a nova regra das cadernetas de poupança que prevê remuneração equivalente a 70% da Selic acrescida da Taxa Referencial (TR). Com uma economia que cresce em ritmo mais lento que o imaginado, analistas dão como certa a continuidade do corte de juro iniciado em agosto do ano passado. Para o mercado, o Banco Central deve manter a estratégia de baratear o crédito porque a atividade segue abaixo do potencial e não há grandes ameaças no radar da inflação. Ou seja, há espaço para incentivar a economia sem preocupação com os preços. Leia mais no Estadão.

30 de maio de 2012, 06:52

ECONOMIA Bahia ganha condomínio de industrial de R$ 1,3 bilhão

Com um investimento de R$ 1,3 bilhão e previsão do início das obras ainda em 2012, está sendo instalado, no município de Simões Filho, o Cone Aratu, um condomínio de negócios voltado para o desenvolvimento de infraestrutura e competências logísticas integradas. Trazido para a Bahia pela empresa Cone S/A, o CEO do grupo, Marcos Roberto Dubeux, apresentou o empreendimento numa coletiva de imprensa ontem em Salvador. “Trata-se de uma plataforma de infraestrutura multimodal que está sendo montada no Complexo de Aratu, numa área de quatro milhões de metros quadrados. O investimento será aplicado até 2022 e visa fortalecer o plano logístico da Bahia”, diz. O Cone Aratu é um condomínio de negócios que somente na fase de construção vai gerar 20 mil empregos diretos e indiretos nos próximos dez anos. A expectativa de investimento inicial durante a fase de terraplanagem é de R$ 50 milhões. “A empresa Rapidão Cometa é a primeira a fechar parceria e irá ocupar uma área de 20 mil metros quadrados de galpões”, frisa o empresário. Leia mais na Tribuna.

Alessandra Nascimento, Tribuna

29 de maio de 2012, 12:33

ECONOMIA Fundo de investimentos anuncia venda da churrascaria Fogo de Chão

Fogo de Chão Churrascaria é vendida por US$ 400 milhões

O fundo de investimentos GP Investments anunciou nesta terça-feira, um acordo para a venda de 100% da FC Holdings, empresa de investimento que controla a Fogo de Chão Churrascaria, por um valor de US$ 400 milhões. A compra da FC Holdings foi realizada pelo fundo de investimento norte-americano Thomas H Lee Partners. A expectativa é que a efetivação da venda ocorra no terceiro trimestre de 2012, informou a GP em comunicado.  A Fogo de Chão inaugurou seu primeiro restaurante em 1979 e contava com nove lojas quando a GP Investments e coinvestidores adquiriram uma participação inicial de 35%. Os 65% restantes foram adquiridos em 2011. (G1)

29 de maio de 2012, 08:22

ECONOMIA Azul e Trip anunciam a fusão de suas operações

A Azul, terceira maior companhia aérea do Brasil, anunciou nesta segunda-feira a fusão com a concorrente no segmento de aviação regional Trip Linhas Aéreas. O negócio dará origem à holding Azul Trip S/A, para a qual serão aportadas as ações de ambas. A nova empresa do mercado brasileiro tem projeção de receita conjunta de mais de 4 bilhões de reais somente neste ano. Juntas elas terão 15% de ‘market share’ , 8.700 funcionarios, 112 aeronaves e 96 destinos. Não houve divulgação, contudo, do valor total da transação, nem das estimativas de sinergias. A Azul – fundada pelo empresário David Neeleman, quem tem nacionalidade brasileira e americana – será dona de dois terços da nova companhia, ao passo que a Trip deterá o capital da terça parte restante. A operação não envolve aporte nem saída de recursos financeiros. “Um dia podemos abrir capital, mas, por enquanto, não precisamos. Temos caixa suficiente”, afirmou Neeleman. Leia mais na Veja.

Naiara Infante Bertão, da Veja

28 de maio de 2012, 09:29

ECONOMIA Desvalorização do real pode derrubar Brasil em ranking de economias

Diretor do BRICLab, Universidade de Columbia – Um dos principais símbolos da recente ascensão do Brasil no cenário econômico mundial pode estar ameaçado pela crise europeia. A avaliação é do economista brasileiro Marcos Troyjo, diretor do BRICLab, da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, que escreveu o artigo a seguir, a pedido da BBC: O Brasil é sem dúvida afetado pela crise do euro. É também uma vítima dos efeitos colaterais da aversão ao risco global. O impacto, no entanto, é limitado, graças à política macroeconômica conservadora dos governos tanto de Fernando Henrique Cardoso quanto de Luiz Inácio Lula da Silva, que colocou a situação financeira do Brasil em ordem. Privilegiou estabilidade sobre crescimento nos últimos 16 anos. Se o epicentro da crise atual fosse a China, e não a Europa, os efeitos no Brasil estariam sendo mais intensos. (BBC Brasil)

27 de maio de 2012, 13:15

ECONOMIA Veículo é a principal razão do endividamento da classe C

A compra do carro é a principal razão do alto endividamento da classe C. Despesas com a prestação do veículo e outros gastos (documentação, seguro e manutenção) representam 27,6% das compras a prazo dessa fatia da população, revela estudo da MB Associados, com base na Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) do IBGE. Em seguida, aparecem a compra de imóveis e gastos com reformas (18,5%). Nas classes D e E, há uma concentração dos gastos com itens de menor valor: 21,6% das despesas a prazo são com aquisição de eletrodomésticos, eletrônicos e móveis. A prestação do carro é a segunda principal despesa (13,4%), enquanto a construção dos “puxadinhos” na casa ficam em terceiro lugar (10,5%). Para esses brasileiros, a casa própria ainda é um sonho: a prestação do imóvel representa apenas 4,2% das despesas a prazo. A concentração das despesas a prazo com veículos na classe C ajuda a explicar o aumento da inadimplência, já que é no financiamento de automóveis que está concentrado o calote. A taxa de inadimplência na compra de veículos bateu o recorde de 5,9% em abril. (Estadão)

27 de maio de 2012, 08:23

ECONOMIA Bradesco negocia compra do Santander no Brasil

O Bradesco está próximo de fechar a compra das operações do Santander no Brasil. O negócio para o banco espanhol, que já se desfez de operações no Chile e na Colômbia, passou a ser imperativo em razão do agravamento da crise bancária na Espanha, que tem exigido novos aportes de capital para fazer frente ao aumento da inadimplência. O Bradesco não quis comentar a informação, e nenhum representante do Santander foi encontrado. Se confirmada, a operação catapultaria o Bradesco da terceira para a primeira posição no ranking dos maiores bancos de varejo do Brasil, ultrapassando de uma só vez o Itaú Unibanco e o Banco do Brasil (BB). Pelos números de março, Bradesco e Santander, juntos, somariam R$ 1,2 trilhão em ativos e R$ 108,4 bilhões em patrimônio líquido, contra R$ 896,8 bilhões e R$ 72,5 bilhões, respectivamente, do Itaú Unibanco. Já o BB fechou seu balanço no primeiro trimestre com R$ 1 trilhão em ativos (por ora, é a única instituição latino-americana a atingir essa marca) e R$ 60 bilhões de patrimônio líquido. Leia mais em O Globo.

Aguinaldo Novo, O Globo

25 de maio de 2012, 18:30

ECONOMIA Atividade econômica cresceu 5,3% no mês de março em Salvador

O Índice de Movimentação Econômica (Imec), que mede a atividade econômica no município de Salvador, apontou acréscimo de 5,3% no mês de março de 2012, em relação ao mês imediatamente anterior. Também foi registrado um comportamento de expansão no acumulado do ano (0,9%) e nos últimos doze meses (4,3%). Em contrapartida, o indicador registrou retração quando comparado com igual mês do ano anterior (-1,9%). O resultado no mês de março foi influenciado pela ampliação do número de postos de trabalho (Caged/RMS), a elevação da expectativa do consumidor e, sobretudo, o término da greve da Polícia Militar, que retraiu a movimentação da população na capital baiana no mês anterior.

25 de maio de 2012, 14:00

ECONOMIA Juro bancário é o menor desde 2010

Depois de oito meses do início dos cortes dos juros básicos da economia brasileira, efetuados pelo Banco Central, as instituições financeiras repassaram integralmente, em abril, as reduções para os clientes bancários, revelam informações divulgadas nesta sexta-feira, pela autoridade monetária. No mês passado, a taxa recuou para 42,1% ao ano, a menor desde dezembro de 2010 (40,6% ao ano). O processo de redução da taxa básica da economia brasileira começou em agosto do ano passado, quando estava em 12,5% ao ano. Atualmente, já está em 9% ao ano. (G1)

25 de maio de 2012, 13:45

ECONOMIA Dólar vira e passa a operar em queda nesta sexta-feira

Após abrir o pregão em alta, o dólar virou e passou a operar em queda nesta sexta-feira (25), em meio à desvalorização da divisa dos Estados Unidos no exterior e com os investidores atentos às atuações do Banco Central no mercado de câmbio brasileiro. Às 13h25 (horário de Brasília), a moeda norte-americana caía 1,79%, para R$ 1,9928 na venda. O dólar não fecha abaixo do patamar de R$ 2 desde o dia 14 de maio, quando terminou o pregão cotado a R$ 1,9899. A moeda passou a operar em queda após o Banco Central anunciar um leilão de swap cambial, ofertando até 40 mil contratos, dos quais foram vendidos 14 mil papéis, ou 35%.  (G1/Reuters)

25 de maio de 2012, 13:23

ECONOMIA Cheque especial tem em abril menor taxa de juros desde fevereiro de 2011, mostra BC

Os clientes de instituições financeiras pagaram menos pelo uso do cheque especial em abril, segundo dados do Banco Central (BC), divulgados hoje. A taxa anual caiu 10,9 pontos percentuais de março para abril, ao ficar em 174,1% ao ano. Esse é o menor nível da taxa desde fevereiro de 2011, quando ficou em 167,4% ao ano. Apesar da queda “significativa”, o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel, lembra que essa taxa ainda se mantém em patamar elevado. Os dados do BC também mostram que a taxa de juros média do crédito pessoal, incluídas operações consignadas em folha, caiu 4,1 ponto percentual, para 44,7% ao ano. Para a compra de carros, a taxa de juros diminuiu 0,5 ponto percentual de março para abril, ao ficar em 26% ao ano.