4 de maio de 2012, 13:10

ECONOMIA BB anuncia nova redução de juros para pessoa física

O Banco do Brasil (BB) anunciou na manhã de hoje, uma nova redução nas taxas de juros para pessoa física, e reformulou linhas de crédito que contam com garantia de imóveis ou veículos. É o terceiro anúncio de corte desde o início de abril. Os clientes que tiverem conta-salário no BB e aderirem ao programa Bom pra Todos não pagarão mais do que 3,94% ao mês em nenhuma modalidade de crédito pessoal, segundo o banco. Para esses clientes, os juros do cheque especial foram reduzidos de 8,31% para 3,94% ao mês, em taxa única. Essa nova taxa vale a partir do dia 10 de maio. Outra redução no programa Bom pra Todos se refere aos juros de linhas de crédito pessoal (CDC automático e CDC renovação), que tinham taxa máxima de 5,79% e passarão a ter de 3,94% ao mês. Para clientes que não recebem salário pelo banco e, portanto, não podem aderir ao pacote, a instituição anunciou uma linha de crédito para pessoas físicas com garantia de imóvel próprio, com juros reduzidos de 1,52% a 1,6% ao mês e prazo de pagamento até 180 meses. Essa linha de crédito será disponível, no entanto, apenas para quem tem renda acima de R$ 6 mil. Os clientes podem financiar até 50% do valor do imóvel que está em seu nome.

4 de maio de 2012, 08:08

ECONOMIA Poupança muda e vai pagar 70% da Selic

Um senhor interrompeu o almoço do presidente da Ordem dos Economistas do Brasil, Manuel Enríquez Garcia, nesta quinta-feira, num restaurante do Ipiranga (SP). Queria saber se iam mexer no dinheiro dele, pois ouviu que o governo mudaria as regras da poupança. “Expliquei que não iam mexer no valor que ele tem, apenas tornar a poupança parecida com as outras aplicações, que estão perdendo rendimento – e que isso é bom para o País”, diz Garcia. Como esperava o senhor do restaurante e boa parte do mercado financeiro , a poupança mudou. O anúncio foi fito pelo Ministro da Fazenda, Guido Mantega, por volta das 18h. A Medida Provisória que altera a caderneta deve ser publicada amanhã no Diário Oficial da União. Atualmente, a poupança rende 0,5% ao mês, mais a Taxa Referencial (TR), o que resulta num rendimento anual de aproximadamente 6,17%. A nova regra determina que, se a taxa básica de juros (a Selic, atualmente em 9%), que é definida a cada 45 dias pelo Banco Central, cair para 8,5% ou abaixo disso, o rendimento da poupança passa a ser de 70% da Selic. (iG)

4 de maio de 2012, 06:46

ECONOMIA Feirão da Casa Própria da Caixa começa nesta sexta

Além da praticidade de escolher, negociar e assinar o contrato para a compra da casa própria em um mesmo lugar, o 8º Feirão da Casa Própria da Caixa Econômica Federal (CEF), que começa nesta sexta, e vai até domingo, no Centro de Convenções, é a oportunidade para quem quer começar a usufruir as taxas de juros até 24% mais baixas que aquelas praticadas até esta quinta-feira. As melhores condições de crédito ampliam a perspectiva de negócios, que segundo a Caixa devem ao menos igualar o ano passado, quando a venda de 5,3 mil unidades proporcionou uma movimentação financeira de R$ 500 milhões. E para convencer de uma vez por todas quem está em busca de um imóvel, no feirão deste ano houve um grande aumento na oferta de unidades prontas. Enquanto na última edição 10% dos produtos estavam prontos para morar, este ano o volume subiu para 40% das 18 mil unidades. “Nós temos diversas razões para esperar por mais um grande feirão”, diz o superintendente da CEF na Bahia, Aristóteles Menezes. Segundo ele, a elevada demanda por habitação costuma ser o principal atrativo para o feirão. Com o leque de serviços que serão oferecidos no evento, a tendência é de uma movimentação expressiva de público, acredita. Leia mais em A Tarde.

Donaldson Gomes, A Tarde

3 de maio de 2012, 22:41

ECONOMIA Receita da LinkedIn supera previsões do mercado

A LinkedIn registrou aumento de 101 por cento em sua receita no primeiro trimestre para 188,5 milhões de dólares, superando a previsão média de analistas de 178,58 milhões de dólares, de acordo com o serviço Thomson Reuters I/B/E/S. A ação da empresa subiu 8,7 por cento nos negócios do after-market. O lucro líquido da empresa cresceu para 5 milhões de dólares ante 2,1 milhões de dólares no mesmo trimestre do ano anterior. (Reuters)

3 de maio de 2012, 15:40

ECONOMIA Banco do Brasil vai reduzir ainda mais taxas de juros das linhas de crédito

A estratégia de apostar no poder de consumo da nova classe média brasileira continuará a ser seguida pelo Banco do Brasil (BB), que deve anunciar, amanhã, novas medidas envolvendo o programa Bom pra Todos, com linhas de crédito ainda mais acessíveis. As novas reduções na taxa de juros cobrada sobre os financiamentos, no entanto, só devem contemplar, desta vez, as operações voltadas para as pessoas físicas. Segundo o balanço financeiro da instituição divulgado hoje, o Bom pra Todos, lançado no mês passado com linhas de financiamento a juros menores, tanto para pessoas físicas quanto para pequenas e médias empresas, encerrou abril com adesões superiores a 124 mil pacotes de serviços. O vice-presidente de Gestão Financeira, Mercado de Capitais e Relações com Investidores do BB, Ivan Monteiro, informou que, no caso das pessoas físicas, os desembolsos diários aumentaram em mais de 50% passando de R$ 190,5 milhões para R$ 288,5 milhões.

3 de maio de 2012, 13:30

ECONOMIA Mudança na poupança ajudará a manter queda dos juros, diz ministro

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, confirmou que a presidente Dilma Rousseff anunciará nesta quinta-feira mudanças nas regras de correção da poupança. “A poupança, a presidente vai anunciar hoje [quinta] à tarde. Vai discutir com os trabalhadores, com os empresários com o conselho político”, afirmou após a cerimônia de posse do deputado Brizola Neto (PDT-SP) no comando do Ministério do Trabalho. Na agenda oficial de Dilma para esta quinta, estão previstas reuniões do Conselho Político (14h); com representantes das centrais sindicais (15h30); e com empresários (16h30). Nos encontros, o ministro Guido Mantega (Fazenda) deverá fazer uma exposição para explicar as mudanças. Segundo Carvalho, as medidas são necessárias para que a taxa Selic, atualmente em 9%, continue a baixar. “É importante criar as condições para continuarmos podendo baixar os juros e continuar financiando a produção de forma adequada”, declarou o ministro. Leia mais no G1.

Nathalia Passarinho, G1

3 de maio de 2012, 09:34

ECONOMIA Produção industrial tem queda de 0,5% em março, aponta IBGE

A produção da indústria brasileira registrou ligeira queda de 0,5% em março, em relação a fevereiro, que havia registrado alta de 1,3%, segundo aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em pesquisa divulgada nesta quinta-feira. Na comparação com março de 2011, a atividade fabril recuou 2,1%, sétimo resultado negativo consecutivo nesse tipo de comparação. Nos últimos 12 meses, o indicador acumula perda de 1,1%. De acordo com o IBGE, essa taxa negativa é a mais intensa desde fevereiro de 2010, que registrara recuo de 2,6%. No ano, até março, a queda acumulada é de 3%. (G1)

3 de maio de 2012, 09:21

ECONOMIA Lucro do Banco do Brasil recua para R$ 2,5 bilhões no 1º trimestre

Banco havia registrado ganhos de R$ 2,932 bilhões um ano antes

O Banco do Brasil anunciou ter encerrado o primeiro trimestre de 2012 com lucro líquido de R$ 2,5 bilhões, após ter registrado ganhos de R$ 2,932 bilhões no mesmo período de 2011, queda de 14,7%, conforme dados divulgados nesta quinta-feira, em meio a maiores provisões para perdas diante da tendência de aumento da inadimplência. Sem considerar efeitos extraordinários, o maior banco do país em ativos apurou lucro recorrente de R$ 2,7 bilhões de reais entre janeiro e março, o que equivale a recuo de 7,5% ano a ano. De um lado, o banco viu sua carteira de crédito crescer 19% no espaço de 12 meses encerrado em março, para R$ 473,1 bilhões. Em contrapartida, o BB teve despesas com provisões para perdas com devedores duvidosos de R$ 3,576 bilhões no período, um crescimento de 36% em um ano e o maior nível desde pelo menos o quarto trimestre de 2009. O índice de inadimplência da carteira, medido pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias, foi de 2,2%, ligeiramente maior ante os 2,1% em igual etapa de 2011. Os ativos do BB somavam R$ 1 trilhão ao final de março. (G1/Reuters)

3 de maio de 2012, 08:37

ECONOMIA Ex-rei da soja descobre reserva de metal raro na Bahia

Conhecido como “rei da soja” por conta do pioneirismo no plantio de soja no Centro-Oeste brasileiro, o empresário Olacyr de Moraes, da Itaoeste, anunciou ontem ao governador Jaques Wagner que encontrou na Bahia a maior reserva mundial de scandium – um mineral raro que é utilizado para a fabricação de foguetes. A expectativa é de investimento de US$ 30 bilhões (aproximadamente R$ 57 bilhões) na extração e no beneficiamento do minério considerado estratégico. A descoberta ainda não foi anunciada ao Departamento Nacional de Pesquisa Mineral (DNPM). “Estivemos com o governador para anunciar esta importante descoberta e para dizer a ele que o interesse do nosso grupo é o de desenvolver a cadeia do produto aqui”, explicou o diretor de negócios internacionais da Itaoeste, André Guzman. Segundo ele, o beneficiamento do produto vai exigir um grande investimento, com um significativo impacto positivo para o Estado. “E um proieto de US$ 30 bilhões, que trará impactos a curto e médio prazos”, garante. Com uma descoberta de vanádio na região oeste, a Itaoeste estima faturar R$ 10o milhões este ano na Bahia. Leia mais em A Tarde (para assinantes).

2 de maio de 2012, 18:20

ECONOMIA Mudança na poupança seria positiva, segundo Febraban

Um possível movimento do governo para alterar a remuneração da caderneta de poupança seria bem-vindo, segundo Rubens Sardenberg, economista-chefe da Febraban. “Na medida em que as taxas de juros diminuem é razoável remover algumas regras antigas, de um período de inflação mais alta”, afirmou Sardenberg em coletiva de imprensa. A Febraban prevê que a Selic, a taxa básica de juros, caia dos atuais 9,0% para 8,5% até o final do ano – com quedas de 0,25 ponto percentual nas duas próximas reuniões do Copom. Com essa taxa, a poupança pode funcionar como um obstáculo, segundo o economista. Hoje, o cálculo dos rendimentos de poupança é feito com base na remuneração básica (Taxa Referencial) mais 0,5 ponto percentual ao mês. A poupança não recolhe imposto de renda sobre os rendimentos e é livre da taxa de administração cobrada pelos bancos.

2 de maio de 2012, 14:42

ECONOMIA Entrada de dólares supera saída em US$ 5,8 bilhões em abril

A entrada de dólares no país superou a saída em US$ 5,803 bilhões, em abril, até o último dia 27 (19 dias úteis), segundo dados do fluxo cambial divulgados hoje pelo Banco Central (BC). Os dados do mês fechado serão divulgados na próxima quarta-feira, quando será incluído o último dia de abril. No mês passado, até o dia 27, o segmento comercial (operações relacionadas a exportações e importações) registrou entrada líquida (descontada a saída) de US$ 6,567 bilhões. Já o segmento financeiro (investimentos em títulos, ações, remessas de lucros e dividendos ao exterior, entre outras operações) registrou mais saída do que entrada de dólares, com saldo negativo de US$ 765 milhões. De janeiro até 27 de abril, a entrada líquida de dólares chegou a US$ 24,530 bilhões, ante US$ 37,133 bilhões registrados em igual período de 2011.

2 de maio de 2012, 13:00

ECONOMIA Caixa estreia juro novo com feirões em 11 capitais a partir de sexta

A Caixa Econômica Federal (CEF) estreia nesta sexta-feira, no 8º Feirão da Casa Própria, as novas taxas reduzidas de juros para o financiamento imobiliário anunciadas na semana passada. Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Belo Horizonte, Fortaleza e Brasília serão as primeiras capitais a receber o feirão, de sexta-feira a domingo. Até 10 de junho, outras cinco capitais, além das cidades de Campinas (SP) e Uberlândia (MG) também terão edições da feira (veja calendário abaixo) Segundo a CEF, serão oferecidos mais de 430 mil imóveis, entre novos, usados e na planta.No Rio de Janeiro, serão mais de 46 mil imóveis, sendo 29.087 na planta e 4.172 novos prontos, além de quase 13 mil usados. Leia mais no G1.

2 de maio de 2012, 06:48

ECONOMIA Mineração vai gerar mais de 4 mil empregos

Nos próximos cinco anos, a indústria da mineração vai investir R$ 141 bilhões no Brasil. Com projetos em andamento para a produção de minério de ferro, cromita, vanádio, cobre e ouro, a Bahia será o destino de R$ 12,7 bilhões, de acordo com dados do Instituto Brasileiro da Mineração (Ibram), o que dá ao Estado uma participação de 9% no volume total previsto. Os investimentos devem gerar mais de 4,3 mil novos empregos durante as fases de operação das minas que devem entrar em atividade no Estado. A atividade emprega mais de 165 mil trabalhadores nas minas espalhadas pelo Brasil. De acordo com um cálculo da Secretaria Nacional de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério das Minas e Energia (MME), cada emprego gera outros 13 diretos em diversas etapas da cadeia de transformação, como na operação logística e na indústria de transformação. O potencial da indústria brasileira de mineração e os entraves da atividade serão temas tratados no 2º Congresso Internacional de Direito Minerário, que será aberto nesta quarta, às 16h, no Hotel Pestana. Leia mais em A Tarde.

Donaldson Gomes, A Tarde

30 de abril de 2012, 19:11

ECONOMIA Na véspera do feriado, dólar sobe mais de 1% e fecha a R$ 1,90

Na véspera do feriado do Dia do Trabalho e último dia útil de abril, o dólar comercial subiu 1,05% e atingiu um novo patamar: R$ 1,90, a maior cotação desde 21 de julho de 2009, quando fechou a R$ 1,908. A moeda americana encerrou a sessão negociada a R$ 1,9070 na venda e R$ 1,9050 na compra. Na mínima do dia, o dólar bateu em R$ 1,8860 e na máxima chegou a R$ 1,9110. No mês, a divisa americana se valorizou 4,42% e no ano sobe 2,06%. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) passou a maior parte do dia em queda, mas no fim do pregão inverteu a tendência e fechou em alta de 0,21% aos 61.820 pontos, com volume negociado de R$ 4,8 bilhões, abaixo da média diária por causa do feriado. No mês, o Ibovespa caiu 4%, o pior desempenho desde setembro do ano passado. Na Europa, as Bolsas fecharam em queda pressionadas pela recessão anunciada na Espanha e dados mais fracos da economia americana. Nos EUA, os pregões também caíram. Leia mais em O Globo.

João Sorma Neto, de O Globo, com agências

30 de abril de 2012, 18:26

ECONOMIA Relatório da OIT mostra recuperação do emprego no Brasil depois da crise de 2008

O emprego no Brasil se recuperou da crise global que começou em 2008. A conclusão está no Relatório sobre o Trabalho no Mundo em 2012: Melhores Empregos para uma Economia Melhor, da Organização Internacional do Trabalho (OIT). A taxa de emprego no país, de 54,1% no quarto trimestre de 2011, está cerca de 2 pontos percentuais acima do nível pré-crise, e é o quarto maior aumento entre os países da região durante o período de crise. A taxa de desemprego nas principais regiões metropolitanas continuou a cair constantemente no Brasil desde o início de 2009. No quarto trimestre de 2011, ela tinha atingido 5,2%, 1,4 ponto percentual abaixo do nível em 2010 e perto de 3 pontos percentuais abaixo do nível pré-crise de 2007. Em comparação com outras economias da região, o Brasil tem a terceira menor taxa de desemprego, depois do México e de Barbados.