8 de agosto de 2012, 10:13

ECONOMIA Inflação para famílias que ganham até cinco mínimos fica em 0,43% em julho

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para famílias com renda até cinco salários mínimos fechou julho em 0,43%, o mesmo resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é a taxa oficial. O INPC está acima da taxa de junho deste ano (0,26%) e de julho do ano passado (0%). Os alimentos tiveram uma inflação de 0,89% e os produtos não alimentícios, de 0,29%. O maior índice foi registrado em Goiânia (0,7%) e o menor, em Belém (0,21%). O INPC acumula taxas de 3% no ano e de 5,36%, nos últimos 12 meses.

8 de agosto de 2012, 08:44

ECONOMIA Inflação medida pelo IPC-S sobe para 0,4% na primeira semana de agosto

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) registrou alta na primeira semana de agosto, ao apresentar variação de 0,4%, ou seja, 0,18 ponto percentual acima da taxa da semana anterior. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o principal impacto na alta da inflação veio do grupo alimentação, cuja taxa passou de 1,02% na última semana de julho para 1,62% na primeira semana de agosto. Entre os alimentos, as hortaliças e os legumes passaram de uma queda de preços de 18,4%, na última semana de julho para uma alta de 26,6% na semana seguinte. Mais cinco classes de despesa tiveram alta no IPC-S: saúde e cuidados pessoais (cuja taxa passou de 0,23% para 0,38%), vestuário (de -0,88% para -0,66%), educação, leitura e recreação (de 0,27% para 0,4%), comunicação (de 0,28% para 0,29%) e transportes (de -0,49% para -0,48%). Apenas a classe de despesa habitação teve redução da taxa, ao passar de uma inflação de 0,18% para uma taxa de 0,14%, com destaque para o item condomínio residencial (de 0,67% para 0,08%). Já a classe de despesas diversas repetiu a variação da última apuração (0,42%).

8 de agosto de 2012, 06:51

ECONOMIA Receita libera hoje consultas ao 3º lote de restituição do IR 2012

A Receita Federal vai liberar nesta quarta-feira, a partir das 9h, as consultas ao terceiro lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2012. No total, serão depositados R$ 2,2 bilhões em restituições referentes aos anos 2008 a 2012. A consulta ao lote poderá ser feita no site da Receita Federal na internet ou pelo Receitafone, no número146. Para o exercício de 2012, serão creditadas restituições para um total de 2.286.395 contribuintes, no valor de R$ 2,13bilhões, com correção da taxa selic de 3,06%. Desse total, 19.604 são contribuintes beneficiados pelo Estatuto do Idoso, ou seja, têm prioridade no depósito da restituição. O pagamento será feito a partir do dia 15. De acordo com a Receita, a restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá pedi-la por meio da internet.

7 de agosto de 2012, 12:17

ECONOMIA RF libera 3º lote de restituição do IRPF de 2012

A Secretaria da Receita Federal libera na quarta-feira, às 9 horas, a consulta ao terceiro lote de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, exercício 2012 e aos lotes residuais relativos aos exercícios de 2011, 2010, 2009 e 2008. Ao todo serão contemplados aproximadamente 2,3 milhões de contribuintes, totalizando R$ 2,2 bilhões em restituições. Grande parte desse total é relativa às restituições do exercício de 2012, já corrigidas pela taxa Selic, de 3,06%. O dinheiro será depositado na conta dos contribuintes no próximo dia 15. Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte poderá acessar a página da Receita na Internet (http://www.receita.fazenda.gov.br), ou ligar para o Receitafone 146. (A Tarde)

7 de agosto de 2012, 11:08

ECONOMIA Governo federal incentiva alta dos investimentos dos Estados

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anuncia nesta quinta-feira mais um incentivo para aumentar os investimentos dos Estados. Além de São Paulo, oito ou nove governadores receberão o aval do Tesouro Nacional para contratar financiamentos para obras, segundo apurou a reportagem do jornal O Estado de S.Paulo. Com dificuldades para estimular os investimentos considerados essenciais para a retomada sustentável do crescimento econômico, o Palácio do Planalto quer transformar os Estados e a iniciativa privada em parceiros na luta para destravar projetos de infraestrutura e de melhoria da malha logística no País. A seleção dos projetos será feita com base no potencial de geração de emprego após a conclusão da obra. “O critério de escolha será aquele investimento que tem maior impacto na atividade econômica”, disse uma fonte. Leia mais na Folha Vitória.

7 de agosto de 2012, 10:13

ECONOMIA Produção industrial cresce em 7 de 14 regiões em junho, mostra IBGE

A produção industrial cresceu em 7 dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em junho, sobre maio, segundo aponta pesquisa divulgada nesta terça-feira (7). Nesta apuração, o maior avanço, de 5,2%, foi verificado no Amazonas. Entre os outros resultados positivos estão os do Espírito Santo (2,3%), de Pernambuco (2,2%), da Bahia (2,1%), de Minas Gerais (1,3%), de São Paulo (1,0%) e da Região Nordeste (0,5%). Na contramão, a atividade fabril caiu em Goiás (-6,0%), Rio de Janeiro (-4,3%), Pará (-4,2%), Paraná (-3,7%), Rio Grande do Sul (-3,1%), Ceará (-2,2%) e Santa Catarina (-1,4%). Leia mais no G1.

6 de agosto de 2012, 19:33

ECONOMIA Pesquisa indica queda de 80,40% na geração de empregos nos bancos

A geração de empregos no sistema bancário brasileiro caiu 80,4% no primeiro semestre de 2012 com relação ao mesmo período do ano passado. Nos primeiros seis meses deste ano, foram criadas 2.350 vagas contra 11.978 no primeiro semestre de 2011. Além disso, no mesmo período, os bancos contrataram 23.336 empregados e desligaram 20.986. No entanto, o salário médio dos que foram admitidos foi de R$ 2.708,70 e o dos demitidos de R$ 4.193,22, uma redução de 35,40%. Os dados são da 14ª edição da Pesquisa de Emprego Bancário, realizada trimestralmente pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego. A pesquisa mostra ainda que a rotatividade no setor bancário tem sido maior do que 7% ao ano. (Agência Brasil)

6 de agosto de 2012, 16:11

ECONOMIA Graça Foster diz que aumento da gasolina não foi totalmente sentido

Foto: O Globo

Presidente da Petrobras, Graça Foster

Os efeitos dos dois aumentos de combustíveis anunciados pela Petrobras este ano ainda não foram totalmente sentidos nos resultados da estatal. A avaliação é da presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, ao reafirmar que a defasagem entre o preço internacional do petróleo e o praticado no Brasil pela estatal não é o único fator a explicar o prejuízo de R$ 1,3 bilhão no segundo trimestre. Os reajustes de combustíveis anunciados pela Petrobrás em 25 de junho (gasolina 7,83% e diesel 3,94%) e 16 de julho (6% no diesel) só impactarão os resultados do terceiro trimestre. Por isso, os dados registrados entre abril e junho refletem apenas o aumento de 10% na gasolina e de 2% no diesel em vigor a partir de novembro do ano passado. Graça afirmou que a companhia está sempre brigando para trabalhar com paridade de preços, entretanto, precisa se preparar para momentos de maior defasagem. Para isso, é necessário focar na melhoria operacional, como a maior eficiência dos poços da Bacia de Campos. Essa é uma estratégia depende da Petrobras. “precisamos fazer um bom planejamento e seguir a risca”, disse. Segundo ela, a companhia já conseguiu bons resultados na área de refino, que bateu em junho recorde de processamento de derivados de petróleo. (Estadão)

6 de agosto de 2012, 12:45

ECONOMIA Resultado fraco traz mais um tropeço para Petrobras na bolsa

As ações da Petrobras caem forte nesta segunda-feira na Bovespa após a empresa apresentar um balanço que ficou muito abaixo do esperado pelo mercado. “Não importa como olharmos, os resultados da Petrobras foram fracos”, resumem os analistas do BTG Pactual. Na mínima do dia, os papéis ordinários (PETR3) caíam 5,8% e os preferenciais (PETR4) recuavam 5,6%. A estatal de petróleo registrou o seu primeiro prejuízo líquido em 13 anos, com uma perda de 1,3 bilhão de reais. A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Petrobras de 10,6 bilhões de reais ficou muito abaixo do consenso de 15,7 bilhões de reais. O prejuízo líquido foi o que mais surpreendeu. A expectativa do mercado era de um resultado positivo de 3,4 bilhões de reais. Leia mais na Exame.

Gustavo Kahil, Exame

6 de agosto de 2012, 10:44

ECONOMIA Mercado reduz projeção de PIB e juros, mas sobe previsão para a inflação

O mercado acordou mais pessimista nesta segunda-feira, 6. Os analistas reduziram a projeção para o crescimento da economia. Ao mesmo tempo, também diminuíram a estimativa para o juro e aumentaram para a inflação. Os dados são do relatório Focus, do Banco Central. Após duas semanas sem mudança dos números, o mercado financeiro voltou a reduzir a previsão de crescimento da economia brasileira em 2012. A mediana das estimativas para o avanço do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano caiu de 1,90% para 1,85%. Há quatro semanas, estava em 2,01%. Para 2013, em igual trajetória, a aposta recuou de 4,05% para exatos 4%, abaixo dos 4,20% verificados há quatro semanas. A projeção para o desempenho do setor industrial em 2012 também piorou. De acordo com o levantamento, a mediana das estimativas para este ano passou de uma contração da atividade do setor de 0,44% para uma queda ainda maior, de 0,69%. Essa foi a décima semana seguida de piora das expectativas para a indústria brasileira. Leia mais no Estadão.

Fernando Nakagawa, da Agência Estado

6 de agosto de 2012, 09:34

ECONOMIA Inflação medida pelo IGP-DI aumenta e fecha julho em 1,52%

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) aumentou em julho deste ano e chegou a 1,52%. No mês anterior, a taxa havia sido 0,69% e, em julho do ano passado, o índice havia apresentado deflação (queda de preços) de 0,05%, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). O IGP-DI acumula inflação de 7,31% nos últimos 12 meses e de 5,16% no ano. O aumento de junho para julho foi provocado por altas nos subíndices de Preços ao Produtor Amplo e de Preços ao Consumidor. O Índice de Preços ao Produtor Amplo aumentou de 0,89% em junho para 2,13% em julho, com destaque para os alimentos processados, cuja inflação passou de 0,12% para 0,82%, e combustíveis, que passaram de 1% para 4,22%.

6 de agosto de 2012, 09:06

ECONOMIA Crise já afeta criação de novas vagas

A crise chegou ao mercado de trabalho. As empresas seguem ampliando o quadro de funcionários, mas o ritmo de criação de vagas perdeu fôlego e hoje é o mesmo do início da turbulência global em 2008, depois do quebra do banco americano Lehman Brothers. Foram geradas 858 mil novas vagas no primeiro semestre, 407 mil a menos comparado igual período de 2011, quando foram criados 1,265 milhão de postos de trabalho, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Descontando-se efeitos sazonais, o saldo entre admissões e demissões foi de 68 mil, segundo cálculos feitos pelo Bradesco. O patamar é similar aos 65 mil de novembro de 2008 e quase metade da média mensal de 115 mil vagas criadas no início do governo Lula, em janeiro de 2003. “É um ritmo bem mais lento de geração de empregos”, diz Leandro Câmara Negrão, economista do Bradesco. “A desaceleração começa a ter impacto no mercado de trabalho”, diz Caio Machado, economista da LCA Consultores. “O emprego não foi atingido na mesma proporção pela crise, mas não se gera mais tantas vagas”, acrescenta Clemente Ganz Lúcio, diretor do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio Econômicos (Dieese). Leia mais no Estadão.

Raquel Landim, Agência Estado

4 de agosto de 2012, 12:45

ECONOMIA Indústria vai à Justiça contra Anvisa por prejuízo com greve

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) entrou nesta sexta-feira na Justiça Federal com um novo mandado de segurança contra a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na tentativa de que produtos farmacêuticos sejam liberados pela agência reguladora nos entrepostos comerciais do Rio de Janeiro. O escoamento das mercadorias está sendo afetado pela greve dos funcionários do órgão federal de fiscalização. Além do mandado, a Firjan enviou ofício ao Ministério da Saúde reivindicando que os serviços prestado pela Anvisa sejam mantidos com a contratação de pessoal terceirizado. “A argumentação do mandado é que a greve envolve um serviço público essencial, que não pode parar de forma alguma”, afirmou a advogada chefe da Divisão Tributária da Firjan, Cheryl Berno. “Não é só uma questão de prejuízo para as empresas. São medicamentos e vacinas que não chegam ao destino. Muitos deles sequer estão disponíveis no Brasil”. Leia mais na Veja.

4 de agosto de 2012, 08:55

ECONOMIA Mantega recua e diz que não aceita demissões na GM

Ministro da Fazenda, Guido Mantega

Depois de irritar o Palácio do Planalto ao dizer que o importante para o governo era o saldo de empregos gerado pelo setor automotivo e não a situação específica de uma fábrica, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, mudou o tom do discurso. Diante da iminente possibilidade da General Motors demitir 1,5 mil empregados de sua unidade em São José dos Campos (SP), o ministro da Fazenda afirmou ontem que não vai tolerar o descumprimento dos acordos de não demissão firmados com as empresas que foram beneficiadas com a redução de impostos. Por meio de assessores, Mantega disse que demissões serão interpretadas como descumprimento do acordo acertado pelo governo quando foi reduzido o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) como forma de estimular a produção de setores beneficiados com a medida. Leia mais no Estadão.

4 de agosto de 2012, 08:30

ECONOMIA Petrobras investiu mais de R$ 38 bilhões no primeiro semestre do ano

Os investimentos da Petrobras no primeiro semestre do ano totalizaram R$ 38,6 bilhões, com destaque para a área de exploração e produção de petróleo e gás natural com 53% do total. Houve um crescimento de 38% em relação aos primeiros seis meses do ano passado quando foram investidos R$ 14,8 bilhões, com prioridade para a exploração no pré-sal da Bacia de Santos, segundo a empresa. O setor de abastecimento e refino recebeu o segundo maior volume de recursos, com R$ 13,25 bilhões, significando um crescimento de 8% em relação ao semestre anterior. O dinheiro foi destinado principalmente para os projetos de modernização e ampliação do parque de refino, objetivando melhorar a qualidade e aumentar o volume de derivados produzidos no país. Assim, a Petrobras espera “suprir a crescente demanda e reduzir a dependência do mercado externo de derivados – principalmente gasolina e óleo diesel”, diz a nota da empresa. (Agência Brasil)