18 de janeiro de 2012, 08:01

ECONOMIA Copom define hoje nova taxa básica de juros

O Comitê de Política Monetária (Copom) define hoje a nova taxa básica de juros que remunera os títulos públicos depositados no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic). De acordo com a expectativa dos analistas de mercado entrevistados pelo Banco Central na última sexta-feira (13), a Selic deve cair dos atuais 11% para 10,5% ao ano. As reuniões do Copom ocorrem a cada 45 dias, em média, no total de oito por ano, e são desdobradas em dois dias, sempre às terças e quartas-feiras. O resultado do colegiado é conhecido quarta-feira, no início da noite.

17 de janeiro de 2012, 15:40

ECONOMIA Desaceleração da inflação deve prosseguir, diz FGV

Para o coordenador de análises econômicas do Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas), Salomão Quadros, a alta de 0,08%, registrada em janeiro noIGP-10 (Índice Geral de Preços-10), demonstra que a desaceleração da inflação deve prosseguir. Em dezembro, o índice registrou alta de 0,19%. “Após a queda registrada em dezembro no IGP-M [-0,12%] e no IGP- DI [-0,16%], a alta de 0,08% do IPG-10 mostra que talvez a deflação registrada em dezembro tenha sido passageira”, afirma o economista. (Folha)

17 de janeiro de 2012, 13:45

ECONOMIA Copom se reúne para decidir nova taxa básica de juros

O Copom (Comitê de Política Monetária) se reúne nesta terça-feira, em Brasília, para decidir sobre a mudança ou manutenção da Selic (a taxa básica de juros). O anúncio, no entanto, é sempre divulgado no segundo dia da reunião, ou seja, nesta quarta-feira. A estimativa do mercado é de que a taxa seja reduzida em 0,5 ponto percentual, o que levaria a taxa anual aos 10,5%. (Folha)

17 de janeiro de 2012, 11:24

ECONOMIA Preços no atacado ajudam IGP-10 a desacelerar a 0,08%

A inflação medida pelo IGP-10 (Índice Geral de Preços-10) desacelerou a 0,08% em janeiro, após alta de 0,19% em dezembro, informou a FGV (Fundação Getúlio Vargas) nesta terça-feira. O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) caiu 0,27%, contra deflação de 0,03% em dezembro. O IPA industrial passou de leve alta de 0,01% para recuo de 0,53%, enquanto o IPA agropecuário reverteu a queda de 0,12% para elevação de 0,44%. As principais quedas individuais de preços no atacado foram de minério de ferro (-6,04%), bovinos (-3,85%) e carne bovina (-3,06%). Já as maiores altas foram de mandioca (9,5%), banana (13,42%) e soja em grão (1,29%). O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) avançou 0,92%, frente a elevação de 0,65% no mês passado. Contribuíram para o aumento os grupos Educação, Leitura e Recreação, com alta de 1,92%, e Alimentação, com incremento de 1,77%. (Folha)

17 de janeiro de 2012, 11:07

ECONOMIA Eike Batista encontra petróleo na Bacia de Santos

Eike Batista encontra reservas de três bilhões de barris de petróleo na Bacia de Santos

A OGX, empresa de petróleo do grupo EBX do empresário Eike Batista, comunicou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), ter feito uma importante descoberta de petróleo e gás natural no bloco BM-S-57 no pós-sal na Bacia de Santos. A descoberta foi feita com a perfuração de um poço situado a 102 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro e em águas rasas de 155 metros de distância do nível do mar ao solo marinho. Essa é a primeira descoberta comercial no bloco, que tem um outro poço não comercial. Nota na coluna Ancelmo Gois, publicada nesta segunda-feira, afirmara que as estimativas de reservas no campo seriam de três bilhões de barris de petróleo leve. Ainda segundo o colunista, Eike Batista já teria comunicado a descoberta à presidente Dilma Rousseff e ao ministro de Minas e Energias, Edison Lobão. (O Globo)

17 de janeiro de 2012, 06:57

ECONOMIA Nordeste tem 9.353 vagas em concursos

O ano de 2012 reserva uma novidade para quem busca a estabilidade de um cargo público, mas não quer ter que se mudar para as outras regiões do país. A região Nordeste reserva um total de 9.353 vagas, para todos os níveis, fundamental, médio e superior. O número é fruto de levantamento feito pela reportagem de A Tarde e corresponde ao total de oportunidades em prefeituras, câmaras municipais, universidades, institutos federais, bancos, tribunais e conselhos de todos os nove estados que compõem nossa região. Com um total de 5.148 chances, as prefeituras lideram o ranking de vagas e são opções para candidatos que buscam acrescentar a tranquilidade das cidades do interior à realização financeira de um cargo público. Apesar da maioria das vagas oferecerem salários de no máximo R$ 5 mil, existe prefeitura pagando até R$ 10 mil para médicos que atuem nos Postos de Saúde da Família. Leia mais em A Tarde.

16 de janeiro de 2012, 12:10

ECONOMIA Após três meses seguidos de queda, economia voltou a crescer

A atividade econômica voltou a crescer em novembro no Brasil, após três meses seguidos de retração, de acordo com o indicador divulgado há pouco pelo Banco Central, que mede o desempenho da economia. O índice de atividade econômica do Banco Central (IBC-Br) registrou em novembro expansão de 1,15% na comparação com outubro, na série com ajuste sazonal. O dado sem ajuste mostrou queda de 0,16%. Nos três meses anteriores, houve retração de 0,50% (outubro), queda de 0,06% (setembro) e baixa de 0,54% (agosto), sempre na comparação com o mês imediatamente anterior, conforme os dados revisados pelo BC da série dessazonalizada. Nos 12 meses encerrados em novembro do ano passado, a economia brasileira acumulou um crescimento de 3,04%, de acordo com os dados da série ajustada. No acumulado de janeiro a novembro, o crescimento foi de 2,88%, com ajuste. (Estadão)

16 de janeiro de 2012, 07:07

ECONOMIA Possibilidade de aumento para servidor público só em 2013

A pré-anunciada greve geral do funcionalismo por reajuste salarial, que pode mobilizar até 1 milhão de trabalhadores e deve ocorrer em abril, parece não assustar o governo federal. Em entrevista à Agência Brasil, o secretário de Recursos Humanos, do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva, afirmou que a mobilização é “natural” visto que as classes sindicais unificam um grupo grande de funcionários públicos da União. De qualquer forma, ciente da importância do nível de relacionamento e diálogo com o funcionalismo e dos prejuízos de uma greve para a população, o governo vai criar uma nova secretaria exclusivamente para intermediar os debates com as centrais sindicais. “Achamos natural. É o papel do sindicato mobilizar mesmo, já esperávamos que acontecesse, todo ano acontece. O que vai evitar o conflito é termos instrumentos adequados para tratar isso e o instrumento mais adequado é a negociação. Estamos preparados para negociar, para ouvir, fazendo o exercício exaustivo do diálogo, para evitar que o conflito chegue no limite, que é a greve. Temos competência política para chegar a um entendimento com as entidades sindicais dos servidores federais”, ponderou. (Agência Brasil)

15 de janeiro de 2012, 10:25

ECONOMIA Novo salário mínimo beneficia mais a classe C

Cálculos da consultoria Datapopular indicam que os consumidores da classe C serão os principais beneficiários do aumento do salário mínimo, já em vigor. Neste mês, o piso nacional foi reajustado em 14,13%, para R$ 622. Segundos a consultoria, isso representará um incremento de R$ 63,98 bilhões na economia. A maior parte desse valor, R$ 48,3 bilhões, vai ser incorporada ao orçamento das famílias da classe C. (Folha)

13 de janeiro de 2012, 18:29

ECONOMIA Bancos e telefonia lideraram queixas no Procon em 2011

A exemplo de anos anteriores, bancos e operadoras de telecomunicações foram os campeões nacionais de reclamações de consumidores nos Procons em 2011, segundo boletim divulgado hoje pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça. Do total de 1,6 milhão de atendimentos realizados pelos Procons no ano passado, 81.946 ocorrências diziam respeito ao grupo Itaú, seguido por Oi (80.894), Claro-Embratel (70.150), Bradesco (45.852) e Tim (27.102). De acordo com o documento, os problemas mais recorrentes enfrentados pelos consumidores no Brasil são relacionados a cartões de crédito (9,21%), telefonia móvel (7,99%), serviços bancários (7,26%), telefonia fixa (5,56%) e aparelhos celulares (5,44%). Além disso, 35,46% das queixas dizem respeito a cobranças indevidas ou com informações insuficientes, enquanto 19,99% tratam de ofertas não realizadas. Outros 11,62% das reclamações estão relacionados a contratos não cumpridos e 11,19%, a denúncias de má qualidade em produtos e serviços prestados. (Agência Estado)

13 de janeiro de 2012, 11:30

ECONOMIA Para Ipea, cinco fatores causaram a desaceleração do PIB em 2011

A desaceleração do PIB (Produto Interno Bruto) –a soma de toda a riqueza produzida por um país– em 2011, para estimados 3%, teve cinco fatores determinantes, segundo análise do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). São eles: a apreciação do real, o aperto monetário iniciado no final de 2010, as características da política fiscal em 2011 em relação a 2010, o acúmulo de estoques em 2011 e a crise econômica na Europa. A conclusão está no comunicado intitulado “Algumas considerações sobre a desaceleração do PIB em 2011”, divulgado nesta sexta-feira pelo instituto, ligado à Presidência da República. No primeiro trimestre, quando foi registrada alta de 1,3%, a atividade não chegou a ser tão afetada porque foi bastante influenciada pelos efeitos das políticas anticíclicas do governo, utilizadas para minimizar os efeitos da crise financeira global, iniciada no final de 2008. (Folha)

13 de janeiro de 2012, 09:04

ECONOMIA Dilma quer turbinar PIB com investimento em infraestrutura

O aumento dos investimentos para turbinar a economia é uma das prioridades da presidente Dilma Rousseff em 2012. Para isso, a ordem dada à equipe econômica é tirar do papel, o mais rápido possível, projetos importantes na área de infraestrutura, que ficaram para trás em 2011. O principal exemplo é a concessão dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Campinas. Estão na lista também a nova distribuição dos royalties do pré-sal, a aprovação do código da mineração e o trem-bala. O pacote de bondades, no entanto, ainda está longe do que o setor privado considera como o mínimo necessário para atender à demanda que o Brasil tem por recursos na área de infraestrutura. Cálculos da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) mostram que o país precisa de, pelo menos, R$ 188,6 bilhões em investimentos por ano até 2015. (O Globo)

13 de janeiro de 2012, 07:51

ECONOMIA Índice Big Mac mostra real como a 4ª moeda mais cara do mundo

O índice Big Mac, calculado pela revista “The Economist”, aponta que o real é a quarta moeda mais cara do mundo. O sanduíche no Brasil só custa menos que o vendido na Suíça, na Noruega e na Suécia, em uma lista de 44 países. No Brasil, o Big Mac custa o equivalente a US$ 5,68 -nos EUA ele sai por US$ 4,20. Pela paridade do poder de compra, isso indica que o real está sobrevalorizado em 32% em relação ao dólar. Ou seja, levando-se em conta o índice utilizado pela “Economist”, o dólar deveria atualmente estar cotado em R$ 2,44. A revista considera que o ideal é que o sanduíche custe o mesmo que nos Estados Unidos. Isso porque, para a “Economist”, como o sanduíche usa os mesmos itens nos países em que é feito, o “valor justo” na conversão para o dólar seria o mesmo cobrado nas lojas norte-americanas. O real figurava como a moeda mais cara do mundo na divulgação anterior do índice, em julho do ano passado, quando a “Economist” considerou também o PIB per capita dos países. Na versão atual, o PIB não foi considerado. Na mesma comparação, o sanduíche vendido na Índia aparece como sendo o mais barato (US$ 1,62). Lá, porém, o Big Mac não é vendido e a pesquisa é feita com base no preço do Maharaja Mac, feito com carne de frango. (Folha)

12 de janeiro de 2012, 19:54

ECONOMIA Dólar fecha a R$ 1,785, menor valor desde 18 de novembro

O dólar à vista ampliou à tarde a queda exibida desde a abertura e fechou com a quarta baixa seguida no mercado de balcão, cotado a R$ 1,7850 (-0,89%), menor valor desde o encerramento em R$ 1,783, em 18 de novembro passado. Nos últimos quatro dias, a divisa acumulou perdas de 3,72%, que ampliaram a desvalorização em janeiro para 4,49%. Na BM&F, o dólar pronto encerrou pelo terceiro dia em baixa, de 1,15%, valendo R$ 1,7817 na venda. A aceleração do ajuste negativo da moeda norte-americana ante o real na sessão vespertina acompanhou a ampliação da alta do euro em relação ao dólar e também refletiu fatores domésticos. (Agência Estado)

12 de janeiro de 2012, 10:49

ECONOMIA Novo cálculo baixaria inflação em 2011

A inflação teria sido menor em 2011 se o novo cálculo do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) já estivesse sendo aplicado. A atualização do principal índice de preços do país, usado como referência pelo governo para definir a meta de inflação, começa a valer a partir deste mês. Simulação feita por economistas ouvidos pela Folha indicam que a inflação, em vez de ter fechado o ano em 6,5%, poderia ter ficado entre 6% e 6,1% se a nova estrutura tivesse sido aplicada. Em outras palavras, se o cálculo da inflação já incorporasse os novos hábitos de consumo do brasileiro, o custo de vida teria subido menos no ano passado. “A demora em incorporar as mudanças no consumo fez com que estivéssemos carregando uma inflação mais alta, que não aconteceu”, diz o economista-chefe da LCA Consultores, Bráulio Borges. (Folha)