14 de maio de 2012, 08:02

ECONOMIA Reajuste de energia deve cair

A renovação dos contratos de concessão das empresas de energia elétrica deve vir acompanhada de uma mudança radical nas regras do setor. Está sendo estruturado em Brasília o fim dos reajustes anuais das tarifas, baseados nos índices de inflação. A ideia seria, a partir da prorrogação dos contratos, em 2015 e 2017, fazer apenas revisões tarifárias, a exemplo das que ocorrem hoje, de cinco em cinco anos. A medida vai na direção dos planos do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que já manifestou interesse em desindexar a economia. Segundo fontes ligadas ao processo de renovação, ainda não está definido qual seria o prazo ideal para fazer as revisões tarifárias. Uma ala do governo acredita que seja possível manter os cinco anos atuais, já que muitos ativos estão amortizados e os custos são baixos. As empresas, no entanto, poderiam pedir revisões extraordinárias a qualquer momento se comprovarem que há um desequilíbrio nas contas. Há ainda a energia comprada de Itaipu, cotada em dólar e cujo contrato não pode ser alterado. Leia mais na Tribuna.

14 de maio de 2012, 06:47

ECONOMIA De olho na Grécia, principais bolsas europeias operam em queda

As principais bolsas europeias abriram em forte baixa nesta segunda-feira temerosas com as notícias da Grécia. No domingo, fracassou a tentativa de formar um novo governo grego e, segundo o economista-chefe da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Pier Carlo Padoan, cresceu o risco de a Grécia abandonar o euro. Às 5h50, o índice DAX 30 da Bolsa de Valores de Frankfurt operava em baixa de 1,09%, aos 6.508 unidades. Em Londres, o índice da Bolsa de Valores, o FTSE-100, abriu em baixa de 61,84 pontos (1,11%), aos 5.513,68. O principal indicador da Bolsa de Valores de Madri, o Ibex-35, estava em forte queda de 2,12%, aos 6.847 pontos. O índice geral da Bolsa de Valores de Paris, o CAC-40, operava em baixa de 1,03%, cotado aos 3.097,54 pontos. Em Milão, o índice seletivo FTSE MIB da Bolsa de Valores abriu em baixa de 1,25%, aos 13.869,60 pontos. Já o índice geral FTSE Italia All-Share caía 1,20%, para 14.916,99 pontos. (G1)

13 de maio de 2012, 08:50

ECONOMIA Turismo brasileiro cria empregos nos Estados Unidos

Os turistas brasileiros estão aquecendo a economia dos Estados Unidos. A cada 65 vistos autorizados no Brasil, um emprego formal é criado no país, segundo dados da embaixada norte-americana. De janeiro a abril deste ano, 400.148 brasileiros obtiveram o visto para viajar aos Estados Unidos. Segundo as contas da embaixada, 6.156 novos postos de trabalho foram abertos em função dos viajantes brasileiros. Em 2011, foram concedidos 945 mil vistos a brasileiros. O volume rendeu 14.538 empregos formais aos norte-americanos. No que depender do interesse dos brasileiros em atravessar o continente, esse número deve continuar crescente. Só em abril, 103.511 novos vistos foram processados. O índice é 51% maior que o apurado no mesmo período de 2011. (Agência Brasil)

11 de maio de 2012, 11:59

ECONOMIA Acionistas do Casino apoiam saída de Abilio Diniz do conselho

Foto: Germano Luders

Abilio Diniz

A maioria esmagadora dos acionistas do Casino votou nesta sexta-feira a favor da decisão do grupo varejista francês de remover dois membros do seu Conselho de Administração, entre eles o empresário Abilio Diniz, informou o Casino no Brasil ao G1. Casino havia informado em março que seu conselho de diretores havia proposto a não renovação do mandato do presidente do conselho do Grupo Pão de Açúcar, após disputa travada pela tentativa do empresário de adquirir o Carrefour no Brasil, principal rival do Casino na França. Também em março, o varejista francês havia informado ter enviado notificação ao empresário brasileiro sobre a decisão de exercer o direito de nomear o presidente do Conselho de Administração da Wilkes, holding de controle do Grupo Pão de Açúcar (GPA). A reorganização do controle acionário do GPA está prevista para 22 de junho. O conselho também propôs não renovar o mandato de Philippe Houze, presidente da varejista Monoprix, cujo controle é compartilhado pelo Casino e pela Galeria Lafayette. A Monoprix tem sido alvo de uma disputa por participação e controle entre ambas as companhias. Os acionistas do Casino votaram a favor das propostas relacionadas a Diniz e a Houze em 99,74% e 99,85%, respectivamente. Leia mais no G1.

11 de maio de 2012, 10:26

ECONOMIA Empresários pedem redução do custo da energia ao governo

A presidente Dilma Rousseff pediu pressa à equipe econômica para atender a uma demanda do setor produtivo, que ficou de fora da segunda etapa do plano Brasil Maior: a redução do custo da energia elétrica no país. Tributos e encargos podem ser reduzidos para tornar mais baratas as contas de luz da indústria, que estão entre as mais caras do mundo. O alto custo da energia foi um dos problemas apresentados à presidente por um grupo de grandes empresários convidados ao Palácio do Planalto para discutir estímulos à economia e novos investimentos. Ao Globo, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que o problema será resolvido até o fim do primeiro semestre. O governo quer reduzir a tarifa em pelo menos 10% e, para isso, estuda um corte de cerca de dois pontos percentuais em um dos principais encargos do setor, a Reserva Geral de Reversão (RGR). Além disso, estuda renegociar os contratos de concessão de empresas que vencem em 2015 para baixar custos. Leia mais em O Globo.

Martha Beck e Vivian Oswald, O Globo

11 de maio de 2012, 10:11

ECONOMIA Metalúrgicos cobram ação de Mantega para evitar demissõe

A queda nas vendas de veículos nos primeiros quatro meses do ano está levando a um movimento de ajustes no ritmo de produção das montadoras. Férias coletivas, redução nas jornadas semanais e a suspensão do trabalho extra aos sábados são expedientes que vêm sendo adotados pelos fabricantes na tentativa de diminuir seus estoques. No fim de abril, havia 366 mil unidades nos pátios de fábricas e concessionárias, o equivalente a 43 dias de vendas. Trata-se do maior patamar desde novembro de 2008, auge da crise financeira internacional, segundo a Anfavea, entidade que reúne as montadoras. Temendo que o cenário se agrave e caminhe para uma onda de demissões mais adiante, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC enviou na quinta-feira pedido de audiência ao ministro da Fazenda, Guido Mantega. Os trabalhadores querem discutir ações de estímulo ao crédito para a venda de veículos, que caíram principalmente por causa da reação dos bancos à alta da inadimplência. Leia mais em O Globo.

Ronaldo D´Ercole e Lino Rodrigues, O Globo

11 de maio de 2012, 07:18

ECONOMIA Maior banco de investimentos dos EUA prevê perdas de US$ 2 bi

O JPMorgan Chase – maior banco de investimentos dos Estados Unidos – anunciou na quinta-feira que vai registrar provavelmente grandes perdas no 2º trimestre que podem superar os US$ 2 bilhões. Segundo o diretor Jamie Dimon, as perdas estão relacionadas com “contenciosos de cerca de 200 milhões de dólares” e “perdas de corretagem antes do imposto de mais de 2 bilhões de euros”, a metade deles compensados com os lucros de outras operações. O grupo investiga a origem das perdas, mas Dimon já adiantou que foram cometidos “muitos erros” e que houve “falta de rigor e decisões equivocadas” (France Press)

11 de maio de 2012, 07:16

ECONOMIA Operação Baco: Sonegação causa prejuízo de R$ 15 milhões

Sete pessoas foram presas nesta quinta, em Salvador e Feira de Santana acusadas de fazerem parte de uma quadrilha especializada em sonegação fiscal. As prisões – todas temporárias e pelo prazo de cinco dias – foram decretadas pela Operação Baco, realizada pela Secretaria da Segurança Pública (SSP), Secretaria da Fazenda (Sefaz) e Ministério Público do Estado da Bahia. Estima-se que os prejuízos aos cofres públicos sejam superiores a R$ 15 milhões. Dezoito mandados de busca e apreensão foram executados nas duas cidades e nos municípios de Lauro de Freitas, São Francisco do Conde e Candeias, na Região Metropolitana de Salvador. Foram presos Analice Araújo Santos da Paixão, Jackson Borges Sapucaia, seu filho Luiz Borges Sapucaia, Leia Pereira do Nascimento, Junília Silva Barbosa e suas filhas Jordânia Barbosa e Juliana Barbosa. Noilton Macedo da Paixão que é apontado como cabeça do esquema, está foragido. Os presos serão encaminhados para os presídios de Salvador e Feira de Santana. Leia mais em A Tarde.

Alean Rodrigues, A Tarde/Sucursal Feira de Santana

10 de maio de 2012, 19:28

ECONOMIA Carteira imobiliária da Caixa cresce 40,6% e tem saldo de R$ 164,6 bilhões

A carteira imobiliária da Caixa Econômica Federal encerrou o mês de março com saldo de R$ 164,6 bilhões, o que representa crescimento de 40,6% em relação ao mesmo mês de 2011, como mostra o balanço de ações do banco oficial relativas ao primeiro trimestre, divulgado hoje. As operações com recursos do sistema brasileiro de poupança e empréstimo (SBPE) somaram R$ 85 bilhões, enquanto as linhas de financiamento com dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) usaram R$ 79,4 bilhões. Houve evoluções de 37,7% e de 44,3% respectivamente. Os contratos feitos de janeiro a março, no âmbito do Programa Minha Casa, Minha Vida, somaram R$ 10,8 bilhões, dos quais R$ 5,9 bilhões com recursos do FGTS, R$ 1,5 bilhão de subsídios e R$ 3,4 bilhões em arrendamentos residenciais e repasses. No acumulado de 12 meses, as contratações de 601,7 mil moradias do programa de habitação somam R$ 42,9 bilhões.

10 de maio de 2012, 09:51

ECONOMIA Alta da inflação põe em risco novos cortes nos juros

A inflação brasileira triplicou em abril. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) saiu de 0,21% em março para 0,64% — a maior taxa em um ano. Apenas três itens (cigarro, empregado doméstico e remédios) concentraram quase 40% da taxa de abril. Mas os preços maiores, frisam analistas, aparecem disseminados na economia. Assim, o índice acumula variação de 1,87% no ano e 5,10% nos últimos 12 meses. Números que já levantam dúvidas no mercado: uma inflação mais salgada pode dar um basta aos cortes dos juros? A princípio, não. Mas a resposta, para especialistas, depende do nível da atividade da economia e dos desdobramentos da crise internacional — indicadores que mexem com câmbio, demanda e, naturalmente, com a inflação. Na semana passada, o governo mexeu no rendimento da caderneta de poupança, com a intenção de permitir um corte maior dos juros. Leia mais em O Globo.

Fabiana Ribeiro, O Globo

9 de maio de 2012, 15:48

ECONOMIA Juro ao consumidor cai em abril ao menor patamar desde 1995

As taxas de juros das operações de crédito caíram em abril tanto para pessoa física como para empresas. Segundo pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac) foi a terceira queda no ano para pessoas físicas e a quarta para pessoas jurídicas e é o menor patamar desde 1995, quando a entidade iniciou a série. De acordo com o diretor de estudos econômicos da Anefac, Miguel Ribeiro de Oliveira, a queda de juro promovida pelos bancos públicos e seguida pelas instituições privadas estimulou a competição no setor e foi um dos motivos que levaram à nova redução. “Há quatro motivos para a queda dos juros no crédito. A redução da taxa básica de juros Selic, que está atualmente em 9% ao ano, em março e abril; a expectativa de que esta taxa continue caindo; a redução dos níveis de inadimplência e maior competição no sistema financeiro após os bancos públicos – Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal promoverem reduções em suas taxas de juros, o que foi acompanhado pelas principais instituições financeiras privadas”, diz Ribeiro de Oliveira. (O Globo)

9 de maio de 2012, 15:34

ECONOMIA Caixa abrirá 500 agências no sábado para oferecer crédito

A Caixa Econômica Federal abrirá 500 agências em todo o país, no próximo sábado, com o objetivo de oferecer serviços em dia alternativo para quem trabalha em horário comercial durante a semana. As unidades estarão abertas entre 9h e 16h, com atendimento dirigido aos produtos do Programa Caixa Melhor Crédito, para pessoas físicas e jurídicas. Neste dia, de acordo com nota do banco, “quem procurar uma agência do banco vai receber informações sobre a forma consciente e responsável de contrair empréstimos e alongar suas dívidas”. Ainda segundo a Caixa, “os clientes poderão fazer simulações, envolvendo diferentes valores, prazos e prestações, conforme suas necessidades e capacidade de pagamento”. Os demais serviços prestados pela Caixa também estarão disponíveis, exceto penhor e movimentação em dinheiro nos guichês de caixas. A relação das agências que abrirão no sábado está publicada no site da instituição.

9 de maio de 2012, 13:00

ECONOMIA BB anuncia nova redução de juros para pequenas empresas

O Banco do Brasil anunciou nesta quarta-feira uma nova redução nas taxas de juros das operações de crédito para micro e pequenas empresas (MPEs). Segundo o banco, as medidas fazem parte do programa “Bompratodos”. No cheque especial, para as empresas que aderirem à assessoria financeira pessoa jurídica, a taxa foi reduzida para 3,94% ao mês. No início do programa, o juro era de 9,13%. Também fora reduzidos os juros de duas linhas de capital de giro. Na modalidade BNDES Capital de Giro Progeren, a taxa passa de 096% ao mês para 0,89%. Na linha BB Capital de Giro Mix Pasep, a taxa mínima passa de 2,14% ao mês mais a variação da Taxa Referencial (TR) para 0,99% mais TR. (G1)

9 de maio de 2012, 10:40

ECONOMIA Inflação oficial acelera para 0,64% em abril, aponta IBGE

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país usada como base para as metas do governo, acelerou de 0,21% em março para 0,64% em abril, segundo informou, nesta quarta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse foi o maior índice mensal desde abril de 2011, quando o indicador havia ficado em 0,77%. No ano, o IPCA acumula alta de 1,87% e, em 12 meses, de 5,10%. Em abril, entre os grupos de gastos pesquisados pelo IBGE, os cigarros tiveram o maior destaque. Os preços subiram 15,04% – no início do mês, houve reajuste médio de 25%. “Com 0,12 ponto percentual, constituíram-se no principal impacto no mês.” O item cigarros e os salários dos empregados domésticos, que tiveram alta de 1,38% de março para 1,86% em abril, exerceram a maior influência na variação de preços do grupo de despesas pessoais, que foi a maior do mês entre os pesquisados, de 2,23%. Leia mais no G1.

8 de maio de 2012, 21:00

ECONOMIA Dólar fecha o dia cotado a R$ 1,937, o maior valor desde julho de 2009

O receio de que a crise de endividamento dos governos da Europa se agrave alimentou o clima de aversão ao risco nessa terça-feira, 8. Os investidores buscaram proteção no dólar, que fechou em alta de 0,83%, cotado a R$1,937, o maior valor desde o dia 14 de julho de 2009. Analistas explicam que o dia foi marcado pela preocupação com o cenário político da Grécia, que pode dificultar o comprometimento da país com as condições para resgate financeiro.  (Estadão)