4 de fevereiro de 2013, 19:33

ECONOMIA Após queda em 2012, Petrobras vê produção estável neste ano

A Petrobras prevê que a produção de petróleo no Brasil ficará estável este ano e voltará a crescer somente em 2014, depois de a estatal amargar no ano passado a primeira queda anual na extração desde 2004, por conta de paradas de plataformas e redução da eficiência na bacia de Campos. A produção média de petróleo da Petrobras no Brasil ficou em 1,98 milhão de barris por dia em 2012, registrando queda de 2 por cento em relação a 2011. “Em 2013 será possível alcançarmos uma produção de óleo somente no mesmo patamar de 2012. Isto porque, necessariamente, teremos grande concentração de paradas programadas de plataformas na primeira metade do ano”, disse a presidente da estatal, Maria das Graças Foster, na mesma nota em que foram divulgados os resultados financeiros do ano passado. A presidente da estatal afirmou que seis novas plataformas entrarão em operação nos campos de Sapinhoá, Baúna e Piracaba, Lula Nordeste, PapaTerra e Roncador este ano, “contribuindo para a elevação da produção a partir do segundo semestre, dando sustentação para o aumento significativo da produção previsto para o ano de 2014”. Leia mais no Estadão.

4 de fevereiro de 2013, 16:21

ECONOMIA Produção de gás natural bate recorde pelo terceiro mês consecutivo

A produção nacional de gás natural cresceu 3,9% em dezembro do ano passado, em relação a novembro, atingindo 76,2 milhões de metros cúbicos de média diária. Foi o terceiro recorde mensal consecutivo na comparação com o mês imediatamente anterior. Dados divulgados nesta segunda-feira (04) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) indicam que ante dezembro de 2011 o crescimento foi ainda maior: 6,8%. Os números indicam o Campo Manati, na Bacia de Camamu (BA), como o de maior produção, com 6,3 milhões de metros cúbicos diários. A produção total de petróleo no Brasil em dezembro foi de aproximadamente 2,1 milhões de barris diários, aumento de 2,9% em relação ao mês anterior. O Campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, foi o que mais produziu petróleo e o segundo com maior produção de gás, apresentando média de 346,3 mil barris por dia. A área do pré-sal registrou recorde de produção, alcançando a marca de 292,5 mil barris por dia, aumento de 7,5% em relação a novembro. Foram produzidos 242,7 mil barris de petróleo de média diária e 7,9 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural. Leia mais na Agência Brasil.

4 de fevereiro de 2013, 13:45

ECONOMIA Dilma anuncia investimento de R$ 115 bilhões para agricultura

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (4), em Cascavel (PR), que o governo vai disponibilizar todo o crédito que o agricultor precisar para melhorar a produção. Ela comentou que os R$ 115 bilhões liberados para o plano agrícola e pecuária 2012/13 jamais foi oferecido no passado e que, além dele, também foram destinados R$ 18 bilhões para a agricultura familiar. ‘Se gastarem o dinheiro, terá mais. O que gastarem, nós cobrimos. Estamos oferecendo 115 aqui, 18 ali, tudo bilhão, o que os produtores conseguirem tomar para custeio e investimentos, nós teremos disponível mais recursos’, disse ela, que visitou o Show Rural, evento de tecnologia agrícola promovido pela cooperativa Coopavel. No discurso, a presidente citou que o médio produtor, que antes era esquecido, foi lembrado nos programas. E anunciou que está na reta final para criar uma agência que vai cuidar de assistência técnica, que vai funcionar como um braço da Embrapa. Leia mais no G1.

4 de fevereiro de 2013, 13:34

ECONOMIA Inflação medida pelo IPC-S sobe em quatro capitais da terceira para a quarta semana de janeiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) teve alta em quatro das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), da terceira para a quarta semana de janeiro. O maior aumento da taxa de inflação foi observado na cidade de Brasília: 0,26 ponto percentual (ao passar de 1,01% na terceira semana para 1,27% na quarta semana). Outras capitais que tiveram alta na inflação foram Belo Horizonte (0,05 ponto percentual, ao passar de 1,24% para 1,29%), Porto Alegre (0,05 ponto percentual, ao passar de 0,87% para 0,92%) e Recife (0,01 ponto percentual, ao passar de 1,16% para 1,17%). Três cidades tiveram queda na taxa de inflação no período: Rio de Janeiro (queda de 0,17 ponto percentual, ao passar de 1,05% para 0,88%), Salvador (0,14 ponto percentual, ao passar de 1,07% para 0,93%) e São Paulo (0,04 ponto percentual, ao passar de 1,02% para 0,98%).

4 de fevereiro de 2013, 09:45

ECONOMIA Projeção da inflação oficial em 2013 tem leve alta e chega a 5,68%

Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) elevaram pela quinta semana seguida a projeção para a inflação este ano. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desta vez, passou de 5,67% para 5,68%. Para 2014, permanece a projeção de 5,5%. É função do BC perseguir a meta de inflação, medida pelo IPCA, que tem como centro 4,5% e margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Ou seja, as projeções do mercado financeiro estão acima do centro da meta, mas abaixo do limite superior de 6,5%. Um dos instrumentos usados pelo BC para influenciar a atividade econômica e calibrar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic. Para as instituições financeiras, em 2013, essa taxa deve permanecer em 7,25% ao ano. Para 2014, a expectativa é que o BC eleve a taxa, que deve encerrar o período em 8,25% ao ano. Leia mais na Agência Brasil.

4 de fevereiro de 2013, 09:22

ECONOMIA Analistas mantêm em 3,1% estimativa para o crescimento da economia este ano

Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) mantiveram em 3,1% a estimativa de crescimento da economia este ano. Para 2014, a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, foi ajustada de 3,65% para 3,70%. Para a produção industrial, a estimativa de expansão este ano passou de 3,10 para 3,17%. Para 2014, a expectativa foi mantida em 3,70%. A projeção para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB permanece em 34%, este ano, e passou de 33% para 33,1%, em 2014. A expectativa para a cotação do dólar passou de R$ 2,07 para R$ 2,05, ao fim deste ano, e de R$ 2,09 para R$ 2,07, ao final de 2014. A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) foi ajustada de US$ 16,75 bilhões para US$ 15,5 bilhões, este ano, e mantida em US$ 16 bilhões, em 2014.

4 de fevereiro de 2013, 08:29

ECONOMIA Conta de luz: economia pode chegar a 30% com fim do desperdício

O brasileiro anda meio desligado de alguns hábitos de consumo adotados após o racionamento de energia elétrica de 2001/2002, quando aprendeu a não desperdiçar e controlar rigorosamente a conta de luz. Mais de dez anos depois do apagão, o consumidor residencial desperdiça, em média, 15% do que consome de energia por mês, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco). Se voltasse a poupar, poderia ampliar substancialmente a queda de 18% anunciada pela presidente Dilma Rousseff, que passa a valer este mês. Leia mais em O Globo.

Gabriela Valente, Danilo Fareillo e Cristiane Bonfanti, O Globo

2 de fevereiro de 2013, 07:33

ECONOMIA Conta de luz pode ter nova redução na Bahia

Foto: Haroldo Abrantes | Ag. A Tarde

Para Sampaio, indústria deve ficar mais competitiva

Uma boa notícia para os consumidores baianos: as tarifas de energia deverão sofrer uma nova redução ainda neste primeiro semestre do ano. É que, nesta sexta-feira, 1, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a proposta de terceiro ciclo de revisão tarifária periódica para a Coelba, que prevê uma redução média nas contas de luz de 4,16%. Os valores – que ainda passarão por consulta pública – entrarão em vigor a partir do dia 22 de abril. Na semana passada, a tarifa da concessionária baiana para os consumidores residenciais foi cortada em 18,96%, como parte do pacote do governo federal de redução do custo da energia elétrica. Se a nova proposta da Aneel for aprovada integralmente os baianos terão uma economia de 22,33% na conta de energia a partir de abril. Um cliente da Coelba, que consome 300 kWh por mês, por exemplo, iniciou 2013 pagando R$ 179,19. Com a primeira redução da tarifa (-18,96%) o valor caiu para R$ 145,21. Com o novo corte proposto pela agência reguladora (-4,16%) a fatura será reduzida para R$ 139,16. A medida vai beneficiar mais de 5,2 milhões de consumidores atendidos pela Coelba. Leia mais em A Tarde.

Carol Aquino, A Tarde

1 de fevereiro de 2013, 16:16

ECONOMIA Balança comercial tem maior déficit mensal da história

A balança comercial brasileira fechou o primeiro mês do ano com déficit de US$ 4,035 bilhões, pior resultado mensal desde o início da série histórica em 1993. Anteriormente, o resultado mais fraco havia sido déficit de US$ 1,7 bilhão em dezembro de 1996. O saldo negativo é três vezes superior ao déficit de R$ 1,3 bilhão registrado em janeiro de 2012. A diferença é resultado do forte volume de importações e à queda nas vendas para os principais parceiros comerciais do Brasil. As compras do país ficaram em US$ 20,003 bilhões, resultado recorde para meses de janeiro, contra exportações de US$ 15,968 bilhões. Os dados foram divulgados hoje (1°) pelo Ministério do Desenvolvimemnto, Indústria e Comércio Exterior. As importações do Brasil cresceram 14,6% ante janeiro do ano passado e 3,9% em relação a dezembro.Na comparação anual, aumentaram as compras de produtos dos Estados Unidos. Houve elevação de 32,1% na aquisição de gasolina, veículos de carga, veículos para via férrea, motores geladores elétricos, aviões, óleos combustíveis e outros. Do Oriente Médio vieram petróleo, produtos químicos e eletroeletrônicos, com alta de 27,2% e da África crescimento de 21,2% em função do petróleo, gás e da castanha de caju. Na comparação mensal com dezembro, a compra de combustíveis e lubrificantes do exterior teve alta de 55,7%. Leia mais na Agência Brasil.

1 de fevereiro de 2013, 11:25

ECONOMIA Indústria: menos de 40% dos itens pesquisados pelo IBGE tiveram alta na produção em 2012

A queda de 2,7% da produção industrial brasileira em 2012 foi provocada pela retração em 17 dos 27 setores pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal, divulgada hoje , 38% dos 755 itens estudados tiveram alta na produção. Os números mostram que a queda da indústria no ano passado teve um perfil disseminado entre as atividades e os produtos pesquisados pelo IBGE. O desempenho é o pior desde 2009, quando a indústria brasileira sentia os efeitos da crise financeira internacional. Naquele ano, 28,3% dos produtos tinham apresentado alta. Em 2010 e 2011, os indicadores foram bem melhores: 76% e 47,8%, respectivamente. Segundo o coordenador da pesquisa, André Macedo, o desempenho negativo da indústria no ano passado tem vários motivos. “Fatores como a lenta recuperação da confiança do empresariado, combinados com níveis de inadimplência mais altos nas famílias e nível de comprometimento maior da renda das famílias, conjugados também com o cenário econômico internacional adverso e a presença de maior de produtos importados no mercado doméstico ajudam a explicar esse resultado”, disse.

1 de fevereiro de 2013, 07:50

ECONOMIA Taxa de desemprego em Salvador recua para 7,2%, diz IBGE

Foto: Erik Salles | Arquivo | Ag. A Tarde

RMS, no entanto, ainda lidera desocupação no País

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Salvador (RMS) fechou o ano passado em 7,2%, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados, divulgados nesta quinta-feira, mostram que o índice anual é o mais baixo dos últimos dez anos. Revelam ainda um aumento da remuneração média dos trabalhadores baianos, que passou de R$ 1.112,79, em 2003, para os atuais R$ 1.496,89, e um crescimento do percentual de empregados com carteira assinada. Apesar do avanço do mercado de trabalho local, a pesquisa do IBGE mostra que a RMS ainda lidera o desemprego entre as seis regiões metropolitanas analisadas. A menor taxa de desocupação, em 2012, foi encontrada em Porto Alegre (4%). Em seguida aparecem Belo Horizonte (4,4%), Rio de Janeiro (5%), São Paulo (6%) e Recife (6%). Leia mais em A Tarde.

Carol Aquino, A Tarde

1 de fevereiro de 2013, 07:31

ECONOMIA Anatel aprova reajuste tarifário da telefonia fixa

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou nesta quinta-feira o reajuste tarifário da telefonia fixa no País. Os preços da cesta de serviços locais e de longa distância das operadoras deverão ser aumentados dois dias depois da publicação da medida no Diário Oficial da União, o que deve acontecer até a próxima semana. Para Telefônica, CTBC e Sercomtel, o aumento autorizado nas tarifas foi de 0,568%. Já a Oi/Telemar o reajuste aprovado foi de 0,553%. Por fim, as tarifas da Embratel subirão 0,554%. O último reajuste de tarifas de telefonia fixa havia ocorrido em dezembro de 2011.

Eduardo Rodrigues | Agência Estado

31 de janeiro de 2013, 13:11

ECONOMIA Renda melhora e shoppings faturam R$ 119 bilhões

As vendas em shopping centers de todo o país cresceram 10,65%, com faturamento de R$ 119,5 bilhões em 2012. As compras de Natal aumentaram 15% em comparação ao mesmo período de 2011, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira (31) pela Associação Brasileira de Shopping Centers. O presidente da entidade, Luiz Fernando Veiga, atribuiu o bom desempenho ao “baixo índice de desemprego, ao aumento da massa salarial e à oferta de crédito, que continua em níveis apreciáveis”, conforme salientou. Na projeção dele, as vendas devem continuar em alta e podem crescer 12% em 2013. De acordo com a associação, a procura de artigos no Natal foi maior nos setores de moda voltada os jovens, telefonia, cosméticos e brinquedos. No restante do ano, os destaques foram o comércio nas praças de alimentação, o lazer, as joias e os calçados. Leia mais na Agência Brasil.

31 de janeiro de 2013, 12:12

ECONOMIA Funpresp passa a valer para servidor nomeado a partir de amanhã

Foto: Ascom/PMDB

Ministro da Previdência Social (MPS), Garibaldi Alves Filho

Os servidores nomeados pela administração pública a partir de amanhã que ganharem acima do teto da Previdência (R$ 4.159) estarão submetidos ao regime da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (Funpresp). Segundo o ministro da Previdência Social (MPS), Garibaldi Alves Filho, amanhã será publicado no Diário Oficial da União um ato da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) aprovando o regulamento da Funpresp – que era o que faltava para as novas normas entrarem em vigor. De acordo com Garibaldi, que participou hoje do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, em parceria com a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), terá acesso à fundação os servidores dos Três Poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário. As novas normas da Funpresp não irão modificar a Previdência de funcionários aposentados ou dos que já estavam em exercício antes do dia 1º de fevereiro de 2013, cuja aposentadoria seguirá o regime atual. Leia mais na Agência Brasil.

Carolina Sarres, Agência Brasil

31 de janeiro de 2013, 10:53

ECONOMIA Setor de serviços começa 2013 mais confiante, diz FGV

O Índice de Confiança de Serviços (ICS), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), iniciou 2013 em alta, com um crescimento de 1,1% na comparação de janeiro deste ano com dezembro de 2012. O setor de serviços está mais otimista em relação ao momento atual, medido pelo subíndice da situação atual, que cresceu 4,2% entre dezembro e janeiro. O crescimento é resultado de uma melhor avaliação em relação à demanda atual por serviços. O percentual de empresas que percebem o volume de demanda atual como forte aumentou de 16,5% para 18,2% de dezembro para janeiro, enquanto aquelas que o consideram fraco recuaram de 20,3% para 16,6%. Leia mais na Agência Brasil.

Vitor Abdala, Agência Brasil