21 de maio de 2012, 07:24

BRASIL Professor é categoria com menor salário no país

Escolinha do Professor Raimundo

Na pele de professor Raimundo, Chico Anísio encerrava o quadro da escolinha com um gesto e um bordão. Apertando o indicador contra o polegar, exclamava: ‘E o salário óóó…’ De fato, quem vive de dar aulas no Brasil está condenado ao fim do mês perpétuo. Manuseando dados do censo do IBGE, os repórteres Antônio Gois e Demétrio Weber constataram: entre os profissionais com curso superior, os que se dedicam ao magistério continuam sendo os que recebem os contracheques mais miúdos. No ensino fundamental, a renda média de um professor equivale a 59% da remuneração paga aos demais profissionais com canudo universitário. No ensino médio, os professores recebem salários 72% menores. Como se vê, as estatísticas provam: países também se suicidam. Se é verdade que o futuro de uma nação depende da educação, a análise sobre os rumos do Brasil exige um certo distanciamento. Que começa na Idade da Pedra.

Josias de Souza

21 de maio de 2012, 07:22

BRASIL Após um mês, cantor Pedro Leonardo acorda do coma

O cantor Pedro Leonardo acordou do coma no início da noite deste domingo, informou um boletim médico divulgado pelo Hospital Sírio Libanês, onde ele está internado. “O paciente apresenta melhora progressiva neurológica, está acordado, tem movimentos voluntários e apresenta sinais de comunicação”, diz a nota. “A mãe dele falou ‘oi, Pedro’ e ele virou e falou ‘oi, mãe’. Os médicos entraram e foi aquela correria. Depois perguntaram o nome do pai e ele respondeu prontamente ‘Leonardo'”, contou Ede Cury, assessora do cantor Leonardo, pai de Pedro, no Fantástico. “O Leonardo está no palco em Goiás, no meio de um show, mas ele já soube e ficou enlouquecido”, completou. Na quarta=feira, o cantor será submetido a uma cirurgia na perna e, por isso, não deve deixar a UTI antes disso. Pedro Leonardo está em coma desde o dia 20 de abril, quando sofreu um grave acidente de carro. (Terra)

21 de maio de 2012, 07:20

BRASIL Se perder no STF, Cachoeira silenciará na CPI

Sob a bem remunerada orientação de Márcio Thomaz Bastos, Carlinhos Cachoeira tornou-se um depoente duro de roer. Se for atendido pelo STF, fugirá do banco da CPI batizada com o seu nome pela segunda vez num intervalo de uma semana. Desatendido, vai se abster de responder à inquirição dos congressistas, avisa seu advogado. Remarcado para esta terça, o depoimento de Cachoeira à CPI depende, de novo, de um despacho do ministro Celso de Mello, do STF. O magistrado digulgará nesta segunda sua decisão sobre a nova petição que recebeu de Thomaz Bastos há três dias. Há uma semana, Celso de Mello desobrigara Cachoeira de comparecer à CPI. Considerara que o presidente da comissão, Vital do Rêgo (PMDB-PB), havia violado os sacrossantos direitos do acusado ao sonegar à defesa o acesso aos inquéritos sigilosos disponíveis no Congresso. Em reação, a CPI franqueou sua sala-cofre à equipe do ex-ministro da Justiça de Lula e remarcou o depoimento de Cachoeira. Na nova petição, Thomaz Bastos reclama no Supremo que Vital não autorizou a extração de cópias. De resto, pede mais tempo. Leia mais no Blog do Josias.

Josias de Souza

21 de maio de 2012, 06:55

BRASIL Borges dá sinal para entendimento com Wagner

Longe da mídia desde a derrota na última eleição para o Senado, o agora vice-presidente de Governo do Banco do Brasil, César Borges, admite conversar com o governador Jaques Wagner, deixando a oposição na Bahia ainda mais fragilizada. Em entrevista exclusiva à Tribuna, ele diz que está aberto ao diálogo e que a ida para o governo Dilma, do PT, não condiciona o apoio do PR ao pré-candidato petista, Nelson Pelegrino> Leia entrevista completa na Tribuna.

21 de maio de 2012, 06:30

BRASIL Manchetes do dia

– A Tarde: Semana começa chuvosa e com transtorno na capital

– Correio*: Água com açúcar

– Tribuna: Promotoria admite reabrir caso Neylton

– Globo: Professor tem salário mais baixo do país

– Folha: Volume de investimento do governo cai em 2012

– Estadão: Mensalão e Cachoeira terão impacto em eleições, diz ministro

– Correio: Governistas se apegam à mordomia do 14° e 15°

– Valor: CGU vê irregularidades em aplicações do FGTS

– Estado de Minas: Basta subir na moto para tirar a carteira

– Jornal do Commercio: Costa vence, não leva e PT do Recife expõe racha

– Zero Hora: Burocracia emperra utilização de escolas fechadas no Estado

20 de maio de 2012, 19:04

BRASIL Vingadores

Em reunião na quinta-feira, a cúpula do PMDB desistiu de avalizar a estratégia do PT contra a imprensa e o Ministério Público na CPI do Cachoeira. Por isso Cândido Vaccarezza disse que a relação entre as siglas tinha ”azedado”. Na conversa, da qual participou o vice-presidente, Michel Temer, o PMDB concluiu que comprar briga pelo PT era um erro. “Por que vamos entrar nisso se não queremos nos vingar de ninguém?”, resumiu um dos participantes.

Vera Magalhães, Folha de S. Paulo

20 de maio de 2012, 18:58

BRASIL Muda a agenda econômica da presidente Dilma (Editorial)

Dilma Rousseff assumiu para fazer um governo de “continuidade”. Não poderia ser diferente. Eleita pela força do carisma de Lula, a presidente não teria motivos, até pela boa avaliação popular da gestão anterior, de que ela foi ministra, para mudar rumos.

Mas os fatos precisam ajudar os planos. Quando não ajudam, é preciso agir.

No plano político, Dilma passou o primeiro ano em faxina. Quisesse ou não, afastou ministros atingidos por denúncias irrespondíveis.

Seis deixaram o ministério e, na substituição, a presidente usou método próprio: com a equipe montada segundo as regras do toma lá dá cá do fisiologismo, os partidos continuaram com as respectivas pastas, mas não só a presidente fez questão de escolher o novo ministro, como esteve, e está, atenta ao segundo escalão de cada ministério.

Teve substanciais ganhos de popularidade, com índices superiores aos de Lula em início de primeiro mandato.

Na agenda econômica, a vida real também conspira para o governo Dilma fazer um ajuste de rota. Que, de alguma forma, já começou.

Na gestão Lula, o governo pôde surfar a onda histórica do crescimento mundial sincronizado, no vácuo do salto da China num modelo de “socialismo de mercado”, executado sob as armas de uma férrea ditadura política.

Num primeiro momento, as exportações rebocaram o país, que, depois, tracionou pela força do mercado interno, anabolizado pela política de aumentos reais do salário mínimo, benesses assistencialistas, estímulo ao crédito.

Na Era Dilma, a economia mundial mudou de sinal, com o agravamento da crise iniciada nos EUA, e o modelo de crescimento impulsionado pelo consumo interno se mostra de fôlego rarefeito. O BC tem feito cortes substanciais na taxa básica de juros e o governo pressiona para reduções nas taxas de mercado.

O endividamento do consumidor, porém, parece ter atingido um limite. Em abril, segundo o Serasa, a inadimplência subiu 4,8% em relação a março, o maior salto deste 2002. Os bancos, por sua vez, veem ampliarem-se os atrasos nos financiamentos à compra de veículos, enquanto lotam os pátios nas fábricas.

Tudo leva a previsões de que a economia, no máximo, crescerá 3% este ano. Bateu no teto.

Leia a íntegra em Agenda econômica em fase de mudança 

O Globo

20 de maio de 2012, 18:50

BRASIL ‘Cosa Nostra’, por Dora Kramer

O que é a máfia?

Uma organização de alicerces criminosos que se sofistica, investe na formação de “quadros”, infiltra-se nas instituições para conferir feição legal aos seus negócios. Ao longo do tempo senta praça no Estado mediante cooptação de agentes públicos e privados permeáveis aos atrativos da corrupção.

O que parece ser a rede montada sob a coordenação de Carlos Augusto de Almeida Ramos?

Pelos fatos já revelados, justamente uma organização originada na operação ilegal de bingos e caça-níqueis que se aperfeiçoou investindo em atividades de natureza lícita enquanto ampliava seus tentáculos formando relações e firmando contaminações na polícia, no Judiciário, no Ministério Público, no Executivo e, com especial desenvoltura, no Legislativo.

As gravações já conhecidas feitas pela Polícia Federal no curso das operações Vegas e Monte Carlo mostram a montagem de uma estrutura que já contava com a participação de parlamentares para influir até nas emendas ao Orçamento da União.

Previa a “compra” de um partido, articulava a eleição do senador Demóstenes Torres para a Prefeitura de Goiânia, incentivava sua aproximação com o governo federal na esperança de um dia vê-lo como ministro da Justiça.
Infiltrou “agente” na Controladoria-Geral da União, usou de espionagem para monitorar investigações do Tribunal de Contas da União e contou com informantes no alto escalão da polícia.

É com esse cenário de contorno nitidamente mafioso que a CPMI “do Cachoeira” se depara. Seu trabalho é revelar à sociedade o que fazia essa organização, quem participava dela, como trabalhava e por que conseguiu crescer.
Ainda não dá para dizer se a comissão soçobrou de vez ou se há chance de prosperar, mas uma coisa é evidente: perde fôlego, patina e vive um momento ruim.

Já gastou quase um dos seis meses previstos para as investigações e até agora o que se viu foi dispersão e perda de tempo com discussões sobre convocações de um jornalista, do procurador-geral da República e de sigilos de documentos.

Leia a íntegra em ‘Cosa Nostra’

 

Dora Kramer, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2012, 17:03

BRASIL CPI do Cachoeira é a mais lenta em 20 anos

Com potencial para envolver parlamentares e três governadores, a CPI do Cachoeira chega a quase um mês de existência com a marca de comissão mais lenta dos últimos 20 anos entre as destinadas a investigar corrupção. A Folha analisou outras dez grandes comissões de inquérito criadas desde a CPI do Collor (1992). Nunca antes, em seus primeiros 15 dias de trabalho (descontados fins de semana, feriados e recessos), uma comissão ouviu tão poucos envolvidos e demorou tanto para tomar seu primeiro depoimento público. Durante a semana a CPI foi alvo de acordo entre governo e oposição para restringir o alcance das investigações. Leia mais no UOL.

20 de maio de 2012, 13:59

BRASIL Com racha em Recife, Rands e João da Costa disputam prévia do PT

O PT do Recife decide hoje quem será seu candidato à prefeitura nas eleições de outubro. O atual prefeito João da Costa e o deputado federal e secretário de Estado licenciado, Maurício Rands, estão na disputa que termina neste domingo às 17h. A exceção dos locais de votação, mais agitados, o clima em diferentes bairros é de absoluta normalidade. O silêncio do começo de dia disfarça uma campanha interna disputada, com lances judiciais ocorrendo até as 19h20 do último sábado, como a decisão liminar do juiz Nilson Guerra Nery. Ele alterou a decisão da secretaria nacional do PT, que mandava apenas os filiados portando sua carteira de inscrição, quites com seus compromissos partidários até o dia 5 de maio, votar nas 71 urnas eletrônicas cedidas pelo TRE e distribuídas nas 13 zonas eleitorais. A organização nacional do PT também disse que os militantes que acertaram as contas com o PT municipal até o dia 10 votariam em urnas avulsas, com cédula de papel e processo manual. O juiz Nilson Nery determinou que todos, aptos a votar, utilizem o processo eletrônico. (Terra)

20 de maio de 2012, 13:44

BRASIL Os homens de Agnelo na CPI do Cachoeira

Governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT)

Ainda não surgiu um elo definitivo e pessoal do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), com a quadrilha do contraventor Carlinhos Cachoeira. Mas diálogos obtidos pela Polícia Federal (PF) tornam delicada a situação da gestão petista na capital do país, que ainda não respondeu de forma contundente às acusações. Ao menos cinco figuras do primeiro e segundo escalões do governo mantiveram contatos suspeitos com o bando. São relações que podem ser esclarecidas pela CPI do Cachoeira no Congresso. O chefe de gabinete do governador, Cláudio Monteiro, caiu por suspeita de recebimento de propina. João Carlos Feitoza, o Zunga, foi subsecretário de Esporte. Também deixou o cargo quando surgiram indícios de que havia recebido dinheiro da quadrilha. Marcello de Oliveira, o Marcellão, foi assessor especial da Casa Militar. Acabou exonerado porque os investigadores descobriram que atuava como uma ponte entre o grupo de Cachoeira e o governo. Ao trio somam-se dois integrantes do primeiro-time de Agnelo: o secretário de Governo, Paulo Tadeu, e o de Saúde, Rafael Barbosa. Leia mais na Veja.

20 de maio de 2012, 13:29

BRASIL Comissão do CNPq que analisará fraudes em pesquisas científicas investiga primeiras denúncias

No próximo mês, a Comissão de Integridade na Atividade Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) vai examinar quatro denúncias de fraude em pesquisas científicas no Brasil. Essa será a primeira reunião da comissão instituída no ano passado e que funcionará como auxiliar à diretoria executiva do CNPq. Os processos estão sendo analisados sob sigilo pelas áreas técnicas do CNPq. A comissão foi criada para apurar se ocorreram, em pesquisas conduzidas no país, casos de falsificação e invenção de dados, plágio e autoplágio (quando o autor repete texto escrito e publica como fosse inédito).

20 de maio de 2012, 12:59

BRASIL Corredor da Morte

Pela praxe, o julgamento do Mensalão obedece a ordem de denúncia. Se isso ocorrer, a primeira defesa é de José Dirceu. Depois vem Genoíno, Delúbio e Marcos Valério. O 15º é o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) e o 29º é o presidente do PTB, Roberto Jefferson. (Blog do Noblat)

Ilimar Franco, O Globo

20 de maio de 2012, 12:10

BRASIL ‘A gente vai se sair bem, mas está muito atrasado’, diz Pelé sobre a Copa

Quando foi convidado pela presidente Dilma Rousseff para ser embaixador da Copa no Brasil, em julho do ano passado, Pelé não imaginou que teria de fazer o papel, como ele mesmo diz, de “bombeiro”. Sua função seria promover o evento de 2014 no País e no exterior. Afinal, ele participara dos comitês dos Mundiais dos Estados Unidos (1994), Coreia do Sul/Japão (2002) e África do Sul (2010). No Brasil, no entanto, Pelé se viu diante de obras atrasadas, indefinições, desentendimentos entre dirigentes, disputas clubísticas e construtoras sob investigação. “Não tem por que haver tantos problemas”, diz. “Há muita coisa atrasada, mas, se Deus quiser, vamos nos sair bem.” Outro motivo de desconforto para Pelé é a seleção. (Estadão)

20 de maio de 2012, 11:59

BRASIL Votação da PEC dos Jornalistas pode ocorrer na próxima semana

A diretoria executiva da FENAJ traçará, no início da próxima semana, novas ações para assegurar a votação da PEC 33/09 em 2º turno no Senado. Em pronunciamentos no plenário nesta quarta-feira, parlamentares voltaram a pedir que a matéria seja apreciada. Embora ainda haja uma medida provisória sobrestando a pauta, há um movimento para que algumas PECs sejam votadas na próxima semana. Após a leitura da PEC 33/09, de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE), na primeira sessão de discussão em segundo turno no plenário do Senado no dia 9 de maio, a matéria precisa ser posta em discussão em mais duas sessões deliberativas para ser votada. Nesta quarta-feira, dia 16, quando o senador José Sarney (PMDB/AM) presidia a sessão em plenário, os senadores Inácio Arruda (PCdoB/CE) e Walter Pinheiro (PT/BA) solicitaram a discussão da proposta que restitui a exigência do diploma para o exercício da profissão de jornalista. (Fenaj)