27 de maio de 2012, 07:19

BRASIL Perillo esboça defesa com advogado em Búzios

Foto: Agência Senado

Marconi Perillo (PSDB), governador de Goiás

Prestes a ser convocado pela CPI do Cachoeira, Marconi Perillo, o governador tucano de Goiás, estrutura sua defesa no aprazível município de Armação dos Búzios –ou simplesmente Búzios, como é mais conhecido. Fica na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, a cerca de 165 quilômetros da capital. Perillo passa o final de semana na cidade. Seu advogado, Antonio Carlos de Almeida ‘Kakay’ Castro, o mesmo que defende o senador Demóstenes Torres, também voou de Brasília para Búzios. Juntos, repassam as acusações e alinhavam as respostas. Leia mais no Blog do Josias.

27 de maio de 2012, 07:09

BRASIL Manchetes do dia

– A Tarde: Rodoviários atendem TRT e acabam greve

– Correio*: Cabula e Pituba têm fila para alugar casa

– Globo: Previdência privada – Juros baixos vão dobrar gastos com aposentadoria

– Folha: Mantega dá um mês para banco privado cortar juros

– Estadão: Mais de 14 milhões de famílias no País estão superendividadas

– Correio: As regalias de Brunelli para se entregar

– Veja: Exclusivo – Fim do mistério

– Época: As mulheres (e o homem) de Avenida Brasil

– IstoÉ: Como vivem os astros da fé

– IstoÉ Dinheiro: A batalha do crescimento

– Exame: Especial imóveis: Hora de comprar ou de vender?

26 de maio de 2012, 22:19

BRASIL Jobim nega pressão de Lula sobre STF para adiar julgamento do mensalão

O ex-ministro da Defesa Nelson Jobim negou hoje que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenha pressionado o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a adiar o julgamento do mensalão, usando como moeda de troca a CPI do Cachoeira. Reportagem da revista Veja publicada neste sábado relata um encontro de Lula com Gilmar no escritório de advocacia de Jobim, em Brasília, no qual o ex-presidente teria dito que o julgamento em 2012 é “inconveniente” e oferecido ao ministro proteção na CPI, de maioria governista. Gilmar tem relações estreitas com o senador Demóstenes Torres (sem partido, GO), acusado de envolvimento com a quadrilha do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. “O quê? De forma nenhuma, não se falou nada disso”, reagiu Jobim, questionado pelo Estado. “O Lula fez uma visita para mim, o Gilmar estava lá. Não houve conversa sobre o mensalão”, reiterou. Leia mais no Estadão.

26 de maio de 2012, 20:21

BRASIL Vinte anos após impeachment, ex-primeira-dama prepara biografia sobre abandono e conflitos com Collor

Uma história de altos de baixos. Assim pode ser definida a vida da ex-primeira-dama Rosane Brandão Malta, 47. O glamour vivido no início dos 90, quando o então marido Fernando Collor de Mello assumiu a Presidência da República, deu lugar uma vida simples e solitária. Vinte anos após a saída do Palácio do Planalto, com Rosane vestida de tailleur rosa e segurando firme a mão do marido que acabara de renunciar à presidência (e que ainda teria os direitos políticos cassados), a vida da ex-primeira-dama é marcada por conflitos e pelo abandono do ex-marido –tudo fará parte de uma biografia que está sendo escrita pelo o biógrafo Fábio Fabrício Fabretti. O lançamento está previsto para o final deste ano ou início do ano que vem. O livro deve conter detalhes marcantes da convivência com o ex-presidente e atual senador pelo PTB de Alagoas. Contra a vontade da família Malta –uma das mais tradicionais de Alagoas–, Rosane casou-se aos 19 anos de idade com Collor, mais de dez anos mais velho. Enquanto estavam casados, ela dedicou-se a acompanhá-lo na vida política. Os dois viveram juntos até 2005, quando Collor saiu da mansão em que vivia com Rosane e nunca mais voltou. Leia mais no UOL.

26 de maio de 2012, 16:07

BRASIL Sogro de ex-secretário de Campinas ganhou 40 vezes na loteria

Em audiência na tarde desta sexta-feira em Campinas, o agente do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) do Ministério Publico (MP), Henrique Romanini Subi, revelou que o sogro do ex-secretário de Segurança e Finanças, Carlos Henrique Pinto, o empresário Joaquim Argemiro Tinarelli, ganhou 40 vezes na loteria no começo dos anos 2000. De acordo como o agente, o Gaeco encontrou os dados na declaração de imposto de renda do empresário, enviada a Receita Federal e seria uma forma de justificar o aumento no seu patrimônio. A revelação irritou Pinto, que é acusado pelo MP de corrupção e formação de quadrilha e fazer parte do grupo que desviava dinheiro de contratos de licitações na Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), em Campinas. Segundo o MP, Tinarelli seria proprietário da empresa Biguá Alimentos, que já foi fornecedora de arroz e feijão para a Secretaria de Educação de Campinas. Ele não foi localizado pelo Terra para dar sua versão. A audiência de instrução começou às 11h30 e ainda prosseguia no começo desta noite com a presença das seis testemunhas convocadas. Os réus foram convocados para acompanhar os depoimentos. Estiveram presentes também a ex-primeira-dama Rosely Nassin Jorge Santos, o ex-vice-prefeito Demétrio Vilagra (PT), o ex-secretário de Comunicações Francisco de Lagos, o ex-diretor de Planejamento Ricardo Cândia e o ex-presidente da Sanasa Luiz Castrillon de Aquino. Leia mais no Terra.

26 de maio de 2012, 12:57

BRASIL Dilma faz reuniões para aplacar ira de quem era contra os vetos

Presidenta Dilma Rousseff

Na reunião com líderes e ministros nesta sexta-feira cedo, antes do anúncio dos vetos, a presidente Dilma Rousseff mostrou grande preocupação em explicar muito bem as mudanças do Código Florestal tanto para a opinião pública — e dizer por que não atendeu aos apelos da campanha “Veta tudo, Dilma” — quanto para o Congresso, onde a tramitação das medidas complementares pode encontrar resistências na própria base. Uma cartilha com todos os dados usados para subsidiar os vetos e alterações está sendo editada e será divulgada segunda-feira junto com a publicação das medidas. Na quinta-feira da próxima semana, ela reunirá o Conselho Político e ministros para dar todas as respostas a dúvidas que existirem, para pavimentar a tramitação no Congresso sem reação de ruralistas e ambientalistas. Leia mais em O Globo.

26 de maio de 2012, 12:01

BRASIL Lula teria pedido ajuda a ministro para adiar julgamento do Mensalão, diz Veja

Foto: Gustavo Miranda / Ag. O Globo

Lula e Gilmar Mendes

A edição desta semana da revista Veja descreve um encontro no qual o ex-presidente Lula teria tentado cooptar o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ao plano alimentado por petistas de adiar o julgamento do Mensalão, previsto para o segundo semestre. A conversa teria ocorrido há um mês, no escritório do ex-presidente do STF e ex-ministro da Justiça Nelson Jobim. Mendes e Jobim confirmaram o encontro à revista. Com o adiamento do julgamento, muitos crimes prescreveriam e as eleições deste ano transcorreriam sem ser atingidas pelos estilhaços do julgamento dos 36 réus do mensalão. Na conversa, Lula teria deixado clara a intenção de agir junto a outros ministros do STF, como Cármen Lúcia e Ayres Britto. Além disso, no que teria sido o momento de maior constrangimento da reunião, teria, segundo a revista, oferecido proteção a Mendes na CPI do Cachoeira, cuja instalação foi municiada por petistas. Leia mais no Zero Hora.

26 de maio de 2012, 11:42

BRASIL Cachoeira plantou notícias na revista Época

Carlinhos Cachoeira

Reportagem da edição desta semana de CartaCapital, nas bancas a partir de sexta-feira 25, revela como o grupo do bicheiro Carlinhos Cachoeira plantou notícias também em veículos das Organizações Globo para fragilizar adversários. É um exemplo de como a quadrilha abastecia jornalistas investigativos por meio de arapongas para sedimentar seus interesses. Assinada por Leandro Fortes, a reportagem mostra também como o vice-presidente Michel Temer se tornou, desde o início da crise, interlocutor do Planalto com cúpula das Organizações Globo. CartaCapital mostra como Idalberto Matias Araújo, o Dadá, considerado o braço direito de Cachoeira, negociou com o diretor da sucursal da revista Época em Brasília, Eumano Silva, a publicação de informações contra a empresa Warre Engenharia, uma concorrente da empreiteira Delta em Goiás. Por causa da reportagem plantada pelo grupo (“O ministro entrou na festa”), a Warre figurou na lista de suspeitas da Operação Voucher da Polícia Federal, que mais tarde resultou na queda do então ministro Pedro Novais (Turismo). A Warre acabou sendo inocentada. Leia mais no site da revista Carta Capital.

26 de maio de 2012, 11:35

BRASIL Governistas convocarão Perillo na CPI e PT pode rifar Agnelo

Os partidos aliados aceleraram o fechamento de um acordo para aprovar apenas a convocação do governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira, na reunião administrativa prevista para terça-feira. Diante do mal-estar e de ameaças do PMDB, os petistas concordaram em manter a blindagem ao governador do Rio, Sérgio Cabral. Por ora, a estratégia é tentar poupar o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), mas setores do PT já admitem deixá-lo à própria sorte se a oposição ameaçar paralisar a CPI. A alegação para poupar os governadores de partidos da base aliada é de que eles não aparecem envolvidos diretamente com o esquema ilegal do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Leia mais no Estadão.

Eugênia Lopes, Estadão.com.br

26 de maio de 2012, 11:25

BRASIL Dilma queria vetar todo o texto do Código Florestal

Se dependesse apenas da vontade da presidente Dilma, o texto do Código Florestal aprovado na Câmara seria vetado totalmente. Mais de um assessor próximo a ouviu expressar isso claramente, com irritação, depois da aprovação do texto do deputado Paulo Piau (PMDB) na Câmara. Dilma classificou de “traição” a manobra de pessoas próximas ligadas ao PMDB que implodiram de vez a já esgarçada “base aliada”. A expectativa do Palácio do Planalto era a de que as negociações no Senado definiriam o texto final que não deveria sofrer mudanças na Câmara e seria sancionado pela presidente. Não foi o que aconteceu. O enorme descontentamento do PMDB com a divisão de poder estabelecida pelo PT justificou o contragolpe da quase totalidade dos deputados peemedebistas (dos 74 parlamentares apenas 3 votaram contra o relatório). O governo se recusou a negociar novamente qualquer mudança e Dilma assumiu a responsabilidade pela solução final. Doze vetos e 32 modificações depois, o que sobrou do novo Código só fará sentido com o suporte de uma nova medida provisória que será anunciada segunda-feira. Caberá aos especialistas na área do Direito explicar se esse conjunto de remendos fará algum sentido, se garantirá segurança jurídica no campo e livrará o país de uma “batalha de liminares”.

André Trigueiro, G1

26 de maio de 2012, 10:10

BRASIL STF rejeita pressão em julgamentos, adverte Ayres Britto

Foto: Fernando Amorim /Ag. A Tarde

Ministro e corregedora participam de Congresso Brasileiro de Direito do Estado

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto disse, ontem, que os membros do STF são “vacinados” contra as pressões que vêm o correndo às vésperas do julgamento do mensalão e que os ministros são imunes a eventual “faca no pescoço” para julgar o caso. “Por mais emocional e até política que seja a ambiência de um determinado processo, nosso dever é julga-lo com isenção, imparcialidade, observando as normas técnicas regentes do tema. Para nós do Judiciário, nenhuma ‘faca no pescoço’ significará perda do foco, da objetividade, da tecnicalidade no nosso julgamento. Ainda está para aparecer alguém que ponha uma faca no pescoço dos ministros do STF para que eles julguem com isenção”, declarou, pouco antes de participar do encerramento do XII Congresso Brasileiro do Direito do Estado, realizado em Salvador. Britto explicou que o julgamento pode começar no dia 5 de junho. Depende do ministro revisor, Ricardo Lewandowski disponibilizar o processo para ser colocado na pauta da corte. Indagado como via o fato do ex-presidente Lula propagar a tese que o mensalão teria sido uma Britto disse: “Não sei se o presidente Lula tem essa opinião. Não parto desse pressuposto. O mensação vai demandar do Supremo a confirmação do que, historicamente, o Supremo tem feito, julgar com competência, isenção, desassombro, independência. Leia mais em A Tarde (para assinantes).

Biaggio Talento, A Tarde

26 de maio de 2012, 09:48

BRASIL Caixa sorteia R$ 5 milhões da Mega-sena neste sábado

A Caixa Econômia Federal (CEF) sorteia o prêmio de R$ 5 milhões do concurso 1.392 da Mega-Sena às 20h deste sábado. O caminhão da sorte está em Piracicaba (SP). Com o prêmio, o ganhador poderia comprar, por exemplo, 200 carros populares ou 25 casas no valor de R$ 200. Se aplicado na poupança, prêmio pode ter rendimento mensal de R$ 26 mil. As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer uma das 11,2 mil lotéricas da CEF. A aposta mínima é de R$ 2. (Correio)

26 de maio de 2012, 09:36

BRASIL Após impor duas derrotas a Dilma, Câmara dará, novamente, ‘palavra final’ sobre Código Florestal

Foto: Lalo de Almeida

Plenário da Câmara

Ao ‘desmatar’ com 12 vetos e 32 ‘ajustes’ a versão de Código Florestal aprovada pelo Congresso Nacional, Dilma Rousseff pôs em pé um discurso para exibir na conferência ambiental Rio+20, marcada para 20 de junho. Não conseguiu, porém, decepar a polêmica. Ao contrário, reacendeu-a. O método escolhido por Dilma para impor sua vontade fez dela, novamente, refém da Câmara dos Deputados. Uma Casa que já lhe impôs duas derrotas. Em vez do veto total, defendido por ambientalistas, a presidente preferiu derrubar os pedaços do Código. Para preencher as lacunas, editou uma medida provisória. Reza a Constituição que as medidas provisórias entram em vigor na data da publicação. Porém, como o nome já insinua, a MP é uma ferramenta legislativa provisória. Para converter-se numa lei definitiva, precisa ser aprovada na Câmara e no Senado. O que devolve Dilma à condição de refém dos deputados é o rito de tramitação da medida provisória. Leia mais no Blog do Josias.

Josias de Souza

26 de maio de 2012, 09:14

BRASIL El Pais confundiu a ministra Izabella com Dilma

Ao noticiar o veto parcial de Dilma Rousseff ao Código Florestal, o diário espanhol El Pais confundiu a presidente brasileira com sua ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Dilma não há de ter gostado. Mas a injustiça foi maior com os cirurgia plástica do Brasil. Na época em que era ministra de Minas e Energia de Lula, Dilma até poderia passar por Izabella (repare na foto ao lado). Distanciou-se dela na proporção direta da ascenção funcional. Transferida para a Casa Civil, Dilma reformou o guarda-roupa. Guindada por Lula à condição de presidenciável, aposentou os óculos. Antes do início da campanha de 2010, passou parte das imperfeições faciais na lâmina. Para a propaganda de tevê, os marqueteiros receitaram-lhe a modernização do penteado. Alisa daqui, estica dali chegou ao dia da posse como personagem de uma revolução estética. De militante de mostruário, tornou-se presidente de vitrine. Noutros tempos, Dilma dava de ombros para a aparência pessoal. O batom já parecia uma concessão burguesa. Hoje, veste-se com apuro e não vai ao meio-fio sem levar uma camada de cosméticos à face que Deus lhe deu e que o bisturi retocou. Só o El Pais não se deu conta da extraordinária diferença.

Josias de Souza

26 de maio de 2012, 09:05

BRASIL Na cadeia, Cachoeira come ‘quentinhas amigas’

Carlinhos Cachoeira

Numa das centenas de escutas telefônicas que o levaram à cadeia, Carlinhos Cachoeira trata dos interesses da Cial Comércio e Indústria de Alimentos. A empresa brigava na Justiça para desbancar uma concorrente, a Coral, no fornecimento de marmitas aos presos da cadeia de Aparecida de Goiânia. No dia 9 de outubro de 2011, Cachoeira conversa com personagem identificado pela PF como Michel. A alturas tantas, o interlocutor pergunta se a Cial pertencia ao bicheiro. “Não é minha não, rapaz”, ele responde. “É de amigos. É Cial. A nossa é a Cial.” Em dúvida, Michel indaga: Cial ou Coral? E Cachoeira, peremptório: “Não. É para ser a Cial. A Coral tem de levar ferro.” Por uma dessas ironias que só o acaso é capaz de produzir, Cachoeira tornou-se consumidor involuntário das quentinhas que tentou favorecer. A Cial é uma das três fornecedoras de comida para os mais de 11 mil presos da Papuda, a hospedaria carcerária em que se encontra abrigado o bicheiro, em Brasília. Leia mais no Blog do Josias.

Josias de Souza