17 de novembro de 2017, 10:58

BRASIL Temer embarca para São Paulo acompanhado de ministro Imbassahy

Foto: Agência Brasil

O presidente Michel Temer estava por volta das 11h25 desta sexta-feira, 17, na base aérea de Brasília, de onde embarca para São Paulo. Não há informações da agenda do presidente na capital paulista e nem previsão de retorno. Temer está acompanhado no ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy. O tucano tem tido o cargo cobiçado na reforma ministerial que o presidente vai fazer, mas seu futuro no governo ainda é incerto.Interlocutores do presidente têm salientado que o momento é de cautela e que “a equação não é simples de ser montada”. Auxiliares afirmam que a situação real do PSDB, que tende a desembarcar do governo, só será decidida após a reunião do partido, marcada para o dia nove de dezembro. Temer gosta muito de Imbassahy e gostaria de mantê-lo ao seu lado, mas a pressão pela sua saída é enorme. O PMDB quer ter de volta o comando da articulação política para tocar a aprovação da reforma da previdência, as medidas de ajuste fiscal que estão no Congresso e até os projetos referentes à privatização da Eletrobrás que ainda serão enviados para votação. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com quem o presidente se reuniu no início da noite desta quinta-feira, 16, também será ouvido neste processo de escolha já que o governo precisará do apoio dele para aprovação das propostas.

Estadão

17 de novembro de 2017, 10:45

BRASIL “É uma mudança completa no padrão da saúde pública na Bahia”, diz secretário

Foto: Manu Dias

Secretário Fábio Vilas-Boas

Durante a inauguração da Policlínica Regional em Teixeira de Freitas, nesta sexta-feira (17), o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, destacou o novo modelo de gestão adotado para a unidade, que atenderá outros 13 municípios do extremo sul baiano. “Como a gente não quer que as pessoas tenham que esperar em filas, ninguém vai marcar a consulta aqui na Policlínica. As pessoas irão a um posto de saúde no seu município fazer a consulta, agendar o exame e aí vêm para cá com todo o conforto, no ônibus com ar-condicionado, para serem atendidas, depois voltam para casa. É uma mudança completa no padrão da saúde pública no nosso Estado”, afirmou. A unidade já começa a funcionar na segunda-feira (20). Ao todo, 460 mil moradores da região poderão usufruir do novo atendimento. Sete micro-ônibus farão a rota entre os municípios participantes do Consórcio Público de Saúde, que administra a unidade. Os veículos são equipados com ar-condicionado, televisão, poltronas reclináveis e acessibilidade para deficientes, a fim de conduzir pacientes agendados à policlínica da região. A Policlínica localizada em Teixeira de Freitas é a primeira inaugurada pelo Governo, do total de 18 que serão implantadas no estado. Ainda este ano, até o dia 22 de dezembro, mais três policlínicas serão entregues em Guanambi, Irecê e Jequié.

17 de novembro de 2017, 09:50

BRASIL Enigma da PF procura 30 do tráfico

Foto: Dida Sampaio / Estadão

Operação foi deflagrada nesta sexta-feira, 17, contra organização que distribuía 200 quilos de cocaína e crack na região de Curitiba

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, 17, a Operação Enigma, contra uma suposta organização criminosa dedicada ao tráfico internacional de entorpecentes oriundos do Paraguai e com destino a Curitiba e região metropolitana. Segundo as investigações, o grupo movimenta 200 quilos de cocaína por mês. Segundo a PF, o grupo adquiria entorpecentes no Paraguai e os transportava clandestinamente para o país com o objetivo de abastecer, principalmente, a capital paranaense e região metropolitana. Durante as investigações foram feitas várias prisões em flagrante e apreensão de entorpecente negociado pela quadrilha ora investigada. A PF dá conta de que, para driblar as investigações, os supostos integrantes da organização estabeleceram um esquema lavagem de dinheiro que envolvia a ocultação e fracionamento das operações financeiras, a utilização de “laranjas” para realização de negócios envolvendo bens adquiridos pelo grupo, a compra de veículos de luxo, imóveis rurais e outros de alto padrão no litoral de Santa Catarina. Um dos responsáveis por organizar todo o grupo já havia sido alvo de investigação por tráfico de drogas em outra ação da Polícia Federal e atua por muitos anos como traficante de drogas, de acordo com a corporação. Os investigadores acreditam que o grupo criminoso é responsável pelo tráfico de cerca de 200 quilos de cocaína e “crack” mensalmente para distribuição em Curitiba e região metropolitana. Cerca de 200 agentes da PF estão cumprindo 67 mandados judiciais nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, sendo 37 mandados de busca e apreensão, 20 mandados de prisão preventiva e 10 mandados de prisão temporária, todos expedidos pela Justiça Federal em Curitiba. Aos investigados estão sendo imputados, dentre outros, os crimes de tráfico internacional de entorpecentes, associação para o tráfico, associação criminosa e lavagem de ativos. A Operação foi batizada de enigma porque, em seu início, eram desconhecidos dos investigadores a estrutura de atuação e forma de comunicação dos alvos.

Estadão

17 de novembro de 2017, 09:40

BRASIL Manifestantes comemoram 1 ano de prisão de Cabral e pedem que deputados sigam na cadeia

Foto: FABIO MOTTA/ESTADÃO

Grupo levou bolo e champanhe para 'festa de aniversário' da prisão de Cabral

Um grupo de manifestantes está desde o início da manhã desta sexta-feira, 17, na porta da Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na região central do Rio, comemorando um ano da prisão do ex-governador Sérgio Cabral. Ele foi preso no dia 17 de novembro de 2016 na Operação Calicute, acusado de receber milhões em propina em troca de contratos com o governo. Com cartazes, bolo de aniversário, champanhe e sambas que ironizam a corrupção, os manifestantes também dão ‘boas vindas’ aos deputados estaduais que passaram a primeira noite na cadeia: Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Vários protestos previstos para esta sexta, em frente à penitenciária e no entorno da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), vão tentar pressionar os demais parlamentares a decidirem pela manutenção das prisões – decretadas por unanimidade pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região. Desde cedo, também já havia uma pequena manifestação na porta da Alerj, com um imenso pano preto esticado na escadaria do prédio pedindo prisão para os corruptos. A sessão da Assembleia que vai decidir se mantém ou revoga a prisão dos deputados deve começar depois das 15 horas. Servidores públicos fluminenses, prejudicados pela crise financeira causada principalmente pela má gestão do Estado, prometem se reunir em frente à Alerj a partir do meio-dia. A tendência é de que a maior parte dos deputados vote por colocar em liberdade os colegas.

Estadão

17 de novembro de 2017, 08:00

BRASIL Mais de 1,5 milhão de pessoas farão o Encceja neste domingo em todo o país

Mais de 1,5 milhão de pessoas que ainda não concluíram os cursos do ensino fundamental e médio terão neste domingo (19) mais uma oportunidade de atingir esse objetivo. O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2017 será realizado em 564 municípios de todos os estados. De acordo com o Ministério da Educação, este ano serão 301.583 participantes do ensino fundamental e 1.272.279 do ensino médio. O exame será aplicado em dois turnos. De manhã, os portões serão abertos às 8h e fechados às 8h45, os testes começam às 9h e terminam às 13h, no horário de Brasília. Os candidatos do ensino fundamental farão provas de ciências naturais, história e geografia. Para o ensino médio, as provas serão de ciências da natureza e suas tecnologias,além de ciências humanas e suas tecnologias. No turno da tarde, os portões abrirão às 14h e fecharão às 15h15. O exame começa às 15h30 e vai até as 20h30. Os candidatos do ensino fundamental farão as provas de língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes, educação física, matemática e redação. Para o ensino médio, haverá os testes de linguagens e códigos e suas tecnologias, redação e matemática e suas tecnologias. De acordo com o MEC, as provas objetivas terão, cada uma, 30 questões de múltipla escolha. “Para obter o certificado ou a declaração de proficiência, o participante deve fazer, no mínimo, 100 dos 200 pontos possíveis em cada uma das áreas de conhecimento”. “No caso de língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes e educação física, para candidatos do ensino fundamental e de linguagens e códigos e suas tecnologias, para ensino médio, é preciso obter, também, a proficiência em redação. Para isso, é necessário alcançar nota igual ou superior a 5 pontos, em uma escala que varia de 0 a 10”. Para obter o certificado ou a declaração de proficiência, o candidato deve fazer, no mínimo, 100 dos 200 pontos possíveis em cada uma das áreas de conhecimento, diz o ministério. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) divulgou os locais de provas que podem ser acessados pelos candidatos no site do instituto.

Agência Brasil

17 de novembro de 2017, 07:50

BRASIL Brasil deve enviar tropas para missão de paz na República Centro-Africana

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse hoje (16), em Washington, Estados Unidos, que o Brasil deve enviar um batalhão com efetivo de mil homens e mulheres para a Minusca, como é chamada a Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana. A declaração vem depois de o ministro ter se reunido com o chefe do Departamento de Missões de Paz da ONU, Jean-Pierre Lacroix, ontem (15), em Vancouver, no Canadá, onde ele participou de uma reunião ministerial de Defesa das Nações Unidas para a Manutenção da Paz. O convite formal para que o Brasil envie tropas deve ser feito pela Organização das Nações Unidas (ONU) até o primeiro semestre do ano que vem, e depois a decisão deve ser aprovada pelo Congresso para que o país possa levar adiante o envio. O ministro também afirmou que o Brasil gostaria de assumir o comando militar da Minusca, assim como fez com a Minustah, a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, que se encerrou em outubro. Segundo o ministro, “o comando militar é um desejo nosso”, e, apesar de a ONU ainda não ter feito o convite, ele acredita que isso também é do interesse da organização. Jungmann também afirmou que o Brasil recebeu um convite para ter o comandante da Monusco, a Missão de Estabilização das Nações Unidas na República Democrática do Congo, posto que foi ocupado pelo general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz até 2015. “Nós temos responsabilidades globais com a estabilidade e paz no mundo”, afirmou.

Paola De Orte, Agência Brasil

17 de novembro de 2017, 07:30

BRASIL PMDB entra na disputa por pasta das Cidades

Foto: Nilton Fokuda / Estadão

Líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi

O PMDB entrou na disputa pelo Ministério das Cidades. O líder na Câmara, Baleia Rossi, diz que, se forem comparados os ministérios que o partido ocupa com os do Centrão, não há como Michel Temer deixar de contemplar a legenda. “Se você olhar para a Esplanada, não há como não vir para o PMDB. Existe uma expectativa da bancada pela importância e capilaridade e pelo PMDB não ter nenhum ministério de ponta”, afirma ele. Com orçamento de R$ 15,4 bilhões, a pasta comanda programas com impacto nas bases eleitorais, como moradia. Apesar da avaliação, o líder do PMDB pondera que a solução tem de ser pacífica. “Não dá para a base brigar”, diz ele. A pasta também é cobiçada por PP, DEM e PSD. O deputado Alexandre Baldy (sem partido-GO), próximo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), entrou na lista dos cotados para assumir a pasta das Cidades. Ele avalia se filiar ao PMDB ou ao PP. Os peemedebistas dizem que ele é um bom nome para o ministério.

Estadão

17 de novembro de 2017, 07:20

BRASIL Começa a segunda etapa de pagamento do PIS-Pasep a idosos

Os aposentados com valores nas contas do PIS-Pasep na Caixa e no Banco do Brasil (BB) podem sacar a partir de hoje (17). É a segunda etapa do calendário de pagamento, divulgado em setembro por esses bancos.Na última terça-feira (14), 417 mil aposentados, correntistas do BB e da Caixa, foram beneficiados com o crédito em conta, representando pagamentos no valor de R$ 446 milhões.Os pagamentos começaram em outubro. Na primeira fase, homens e mulheres com mais de 70 anos foram beneficiados. Para aqueles que ainda não sacaram, não há data limite para retirar o dinheiro, os recursos continuarão no fundo à disposição dos correntistas.Até quarta-feira (15), R$ 764 milhões já haviam sido pagos, beneficiando 693 mil pessoas.Mais de R$ 9 bilhões, pertencentes a cotistas com mais de 70 anos – ou seus herdeiros, em caso de falecimento – continuam à disposição. Os bancos lembram que se a pessoa não puder comparecer à agência, por motivo de saúde por exemplo, o saque poderá ser feito por procuração.Os cotistas do Pis-Pasep que têm contas na Caixa e no Banco do Brasil, mas que não receberam o crédito automático, devem procurar as agências para atualizar os cadastros. A falta do CPF, por exemplo, impede o depósito automático. Regularizando os dados cadastrais, o saque pode ser feito.Tem direito às cotas o trabalhador cadastrado no Fundo entre 1971 e 04/10/88, que ainda não tenha sacado o saldo total da conta individual de participação. A MP 797/2017 alterou a idade para saques. Passaram a ter direito não apenas os trabalhadores com idade superior a 70 anos, mas também os aposentados e as mulheres com 62 anos ou mais e homens a partir de 65 anos.Maiores informações podem ser obtidas nos sites da Caixa e do Banco do Brasil ou pelos telefones 0800 726 0207 (Caixa/Pis), 0800 729 0001 e 4004-0001 (BB/Pasep)

Agência Brasil

17 de novembro de 2017, 07:20

BRASIL Alexandre Baldy é cotado para Ministério das Cidades

Foto: Divulgação

Deputado Alexandre Baldy (sem partido-GO)

O deputado Alexandre Baldy (sem partido-GO), próximo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), entrou na lista dos cotados para assumir o Ministério das Cidades. Ele avalia se filiar ao PMDB ou ao PP, duas siglas que disputam a pasta. Peemedebistas dizem que ele é um bom nome para o ministério. Baldy tem trânsito em todos os partidos da base por seu perfil discreto e agregador. São frequentes jantares na casa dele reunirem políticos de vários partidos. O aniversário do presidente Temer foi comemorado lá.

Estadão

17 de novembro de 2017, 07:10

BRASIL PSDB governista tenta ‘saída negociada’

Foto: PSDB/BSB

Antonio Imbassahy (PSDB)

Empenhados em salvar a aliança com o PMDB para as eleições de 2018, tucanos que integram a “ala Jaburu” – composta por frequentadores da residência oficial do presidente Michel Temer – combinaram com o Palácio do Planalto o script do desembarque. A estratégia foi articulada para diluir a saída do PSDB da coligação e não parecer que o governo está a reboque dos tucanos. Auxiliares de Temer afirmam que, dependendo da forma como o PSDB “descasar”, pode haver uma porta aberta para uma dobradinha em 2018. Alegam, no entanto, que é preciso saber qual PSDB sobreviverá da convenção de 9 de dezembro. “Temer não será o divisor de águas da eleição de 2018. Não haverá uma disputa nem um plebiscito entre os que são a favor ou contra Temer”, disse ao Estado o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira. “A pretexto de defender uma candidatura presidencial do PSDB, a tese do desembarque passou a ser um biombo para ocultar a posição de ruptura daqueles que não querem votar a reforma da Previdência.” Diante da fratura exposta pelo PSDB, Aloysio apresentou a Temer a ideia de renovar o Ministério em dezembro, substituindo os nomes que, a exemplo dele, estão dispostos a concorrer no ano que vem. O chanceler confirmou ao Estado que será candidato à reeleição ao Senado. Além de condicionar a manutenção dos aliados na Esplanada à aprovação da reforma da Previdência na Câmara, o movimento foi planejado para que o Planalto não ficasse em posição reativa. Com tudo combinado, o então ministro das Cidades, Bruno Araújo (PE), saiu na frente e nesta segunda-feira, 13, entregou uma das mais cobiçadas cadeiras da Esplanada. Para o seu lugar, o nome mais cotado, até agora, é o do presidente da Caixa, Gilberto Occhi, indicado pelo PP. Em entrevista ao Estadão/Broadcast nesta quarta-feira, 16, Occhi desconversou: “Prefiro ficar na Caixa e concluir esse trabalho. Mas, se for inevitável….”. Antes da viagem a quatro países, Aloysio Nunes disse a amigos que também deixaria o cargo após a convenção do PSDB. Os outros dois ministros do partido que sairão são os baianos Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Luislinda Valois (Direitos Humanos).

Estadão

17 de novembro de 2017, 07:10

BRASIL Penas de até 300 anos ameaçam Sérgio Cabral

Foto: Reprodução

Sérgio Cabral

Doze meses na detenção, 72 anos de prisão em três sentenças e a possibilidade de, no mínimo, condenações a três séculos de cadeia em 13 denúncias já ajuizadas. Assim o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) completa nesta sexta-feira, 17, seu primeiro ano preso, enquanto se defende de acusações de crimes por corrupção, lavagem de dinheiro, pertencimento a organização criminosa e evasão de divisas. Ultimamente, sua defesa tem se concentrado em apresentá-lo como vítima de um juiz “parcial” (o titular da 7.ª Vara Federal Criminal do Rio, Marcelo Bretas) e de “histeria coletiva” em torno de seu nome. Bretas não quis comentar as acusações. O peemedebista conquistou, em sua reeleição, em 2010, a maior votação já recebida por um candidato ao governo do Estado em primeiro turno – 66% dos votos válidos). Chegou a ser aventado como possível vice na chapa com Dilma Rousseff em 2014. Hoje, ostenta outros “títulos”. Foi o primeiro governador condenado na Lava Jato, por exemplo. Também recebeu a sentença mais pesada da operação, 45 anos e dois meses de cadeia, em processo relativo a propinas em obras como a do Maracanã e o PAC das Favelas. No Brasil, um preso fica na cadeia por até 30 anos. O caso Cabral tornou-se ruidoso não só pelas cifras que envolveu. O esquema que, segundo o Ministério Público Federal, começou em janeiro de 2007, primeiro mês do primeiro mandato, teria movimentado cerca de R$ 1 bilhão. Também chocou pela exibição da riqueza adquirida de forma escusa, simbolizada pela casa em Mangaratiba, no litoral sul fluminense, avaliada em R$ 8 milhões, e que deve ser leiloada, além das viagens ao exterior. É a “corrupção ostentação”, apontam seus acusadores.

Estadão

17 de novembro de 2017, 07:00

BRASIL Notas fiscais de livros, cursos e consultorias mascararam repasses a Pucinelli, diz investigação

Foto: André de Abreu/TopMídiaNews

André Puccinelli foi levado pelos agentes da Policia Federal depor na PF

A Procuradoria da República em Mato Grosso do Sul vê indícios de que empresas indicadas pelo ex-governador André Pucinelli emitiam notas frias contra a concessionária Águas Guariroba, responsável pelo saneamento da capital Campo Grande. Puccinelli é alvo da Operação Papiros de Lama, quinta fase da Operação Lama Asfáltica, que investiga supostos desvios de R$ 235 milhões em obras com recursos públicos da União e esquema de propinas de R$ 20 milhões. O peemedebista foi solto nesta quarta-feira, 15, menos de 24 horas após ser preso, por decisão do desembargador Paulo Fontes, do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região. Em representação pelo encarceramento já revogado do ex-governador, o Ministério Público Federal ressalta elementos de que repasses da empresa concessionária de saneamento da capital do Mato Grosso do Sul ‘destinavam-se a pessoas jurídicas indicadas por André Pucinelli, sem prestação de serviços (notas frias)’. O procurador Davi Marcucci Pracucho destaca itens apreendidos na 4ª Fase da Lama Asfáltica, na sede da Águas Guariroba. Entre eles, notas fiscais de compra milhares de livros de direito de Pucinelli Filho, que também chegou a ser preso nesta semana. “Ora, mas a grande dúvida nessa questão diz respeito a saber qual a necessidade de tamanha quantidade de livros de direito em uma concessionária de serviços de água e esgoto? Considerando que a Águas Guariroba não utiliza livros de direito como insumos de suas atividades ordinárias, buscou-se imaginar a real utilidade para os 9.322 livros adquiridos”, questionou o procurador. A compra de livros jurídicos de Pucinelli foi calculada pela Controladoria-Geral da União e totalizou gastos de R$ 996,8 mil somente nas notas fiscais apreendidas. Já em um computador confiscado pela PF na diretoria da concessionária, conta uma proposta comercial do Instituto Ícone, pertencente a Pucinelli, para oferecer “soluções jurídicas por meio de assessoria nos procedimentos administrativos e judiciais relacionados à fraude/furtos e irregularidades de águas identificadas pela Contratante, com disponibilização de vídeo-aulas, ministradas por profissionais especializados nas legislações que permeiam o objeto dessa proposta, e elaboração de laudos”. O valor do contrato ficou em R$ 300 mil. “Percebe-se, de pronto, que embora o objeto do serviço oferecido pelo Instituto Ícone tenha sido alterado radicalmente, passando de cursos on-line para assessoria nos procedimentos administrativos e judiciais, o valor proposto não sofreu alterações. Além disso, a redação do serviço oferecido na segunda proposta ficou no mínimo incoerente, na medida em que se propôs assessoria nos procedimentos administrativos e judiciais juntamente com a disponibilização de vídeo-aulas e a elaboração de laudos, objetos que aparentemente não se comunicam”, anotou o procurador.

Estadão

17 de novembro de 2017, 06:50

BRASIL Candidaturas ‘alternativas’ dão a largada

Foto: Pedro França

Senador Álvaro Dias (PR)

Foi aberta a temporada de lançamentos de candidaturas “alternativas” à Presidência. O PCdoB, o Novo e o PSC vão anunciar, oficialmente, neste fim de semana, seus pré-candidatos ao Planalto em 2018. Nem os partidos nem os nomes que serão lançados – respectivamente, Manuela D’Ávila, João Amoêdo e Paulo Rabello de Castro – figuram em posições de destaque nas pesquisas de intenção de voto, mas procuram ganhar musculatura política a tempo da formação dos palanques dos favoritos. Nesta sexta-feira, 17, o evento da filiação do ex-atacante da seleção brasileira Bebeto ao Podemos servirá também como mais uma agenda para “apresentar” o senador Álvaro Dias (PR), presidenciável do partido. Desde que sua pré-candidatura foi lançada, em julho, o parlamentar já esteve em cinco Estados acompanhando os candidatos aos governos locais. Segundo a deputada Renata Abreu (SP), presidente do Podemos, o partido tem conversado com siglas pequenas, como PRP e PTC, e médias, como a Rede. “A gente está procurando fazer uma coligação majoritária. O conceito político do Podemos é muito parecido com o da Rede”, disse a deputada. A Rede, apesar de não ter lançado oficialmente sua chapa, já tem um nome para a Presidência: a ex-ministra Marina Silva, candidata e terceira colocada nas duas últimas eleições.

Estadão

17 de novembro de 2017, 06:40

BRASIL Delator diz que ministro do Esporte dirigiu licitação

Foto: Divulgação

Leonardo Picciani

O marqueteiro Renato Pereira afirmou, em delação premiada à Procuradoria-Geral da República, que em 2016 o ministro do Esporte, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), direcionou uma licitação de R$ 55 milhões referente a serviços de publicidade da pasta para sua empresa, Prole Propaganda. Segundo o delator, o acordo foi fechado no gabinete do ministro, em Brasília. A Prole chegou a ser classificada entre as vencedoras da licitação, mas desistiu da conta dois dias depois da prisão do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB-RJ). Em nota, o ministro disse que a afirmação de Pereira é “mais uma mentira inventada por quem quer se safar dos próprios crimes que cometeu”. As informações foram reveladas pelo jornal Folha de S.Paulo. Em sua delação, o marqueteiro relatou irregularidades nas campanhas de políticos da cúpula do partido no Rio, como o governador Luiz Fernando Pezão, Cabral e o ex-prefeito Eduardo Paes, além da senadora Marta Suplicy, em São Paulo. Todos os políticos negam as acusações de Pereira. Em um dos anexos do seu acordo de colaboração premiada, Pereira também disse ter assinado um contrato falso com o Opportunity com o objetivo de fornecer dinheiro em espécie para o banco de Daniel Dantas. Em nota, o banco afirmou que as acusações do delator são falsas. “O Opportunity não contratou a Prole e nunca teve contato com Renato Pereira”, afirmou. “A afirmativa do marqueteiro de que teria simulado um contrato de prestação de serviços com o Banco Opportunity é falsa. A mentira de Renato Pereira visa a desacreditar os laudos que foram apresentados em demandas internacionais e serve sob medida para os concorrentes do Opportunity”.

Estadão

17 de novembro de 2017, 06:30

BRASIL Manchetes do Dia

– A Tarde: Cúpula da Assembleia do Rio é levada à cadeia

– Correio*: Violência impede acesso a serviços

– Tribuna da Bahia: 15 feriados em 2018. Nove deles, feriadões

– Estadão: Moradia popular impulsiona alta do mercado imobiliário

– Folha de S. Paulo: Temer freia incentivo a montadora por pacto comercial com Europa

– O Globo: Picciani é preso, mas pode ser solto hoje pela Alerj