16 de junho de 2012, 08:30

BRASIL Mega-Sena acumulada pode pagar 31 milhões neste sábado

A Mega-Sena deste sábado pode pagar R$ 31 milhões pelo concurso 1.398, que ocorre a partir das 20h (horário de Brasília). A aposta mínima é de R$ 2 e pode ser feita até as 19h em qualquer uma das mais de 11 mil lotéricas do Brasil. Se apenas um apostador ganhar e o prêmio for depositado na poupança, o rendimento, já pelas novas regras do governo, seria de mais de R$ 150 mil no primeiro mês. Com o prêmio, o vencedor ainda poderia comprar mais de 1.200 carros populares (0 km). Se a opção for investir em imóveis, é possível adquirir 62 apartamentos na beira da praia, no Rio de Janeiro, no valor de R$ 500 mil cada. (Último Segundo/Ig)

16 de junho de 2012, 08:00

BRASIL O dia em que Garotinho contratou a Delta sem licitação

Anthony Garotinho bateu pesado em Sérgio Cabral por suas relações com Fernando Cavendish. Beleza. Mas esqueceu-se de que em abril de 1999, apenas quatro meses depois de virar governador do Rio de Janeiro, contratou, sem licitação, a Delta para obras de saneamento. Pagou 10,4 milhões de reais pelo serviço. O contrato foi assinado por Rosinha Garotinho, na ocasião presidente da Vida, um órgão de obras sociais do estado. (Radar On-line/Veja)

16 de junho de 2012, 07:30

BRASIL Multas ambientais dos grandes devedores somam 4,7 bilhões de reais

O Ibama calculou quanto os chamados “grandes devedores” precisam pagar ao governo devido a multas por crimes ambientais: 4,7 bilhões de reais. Grandes devedores são aqueles que devem 30 milhões ou mais para o governo. Em meio à Rio+20, Dilma Rousseff determinou que seja feito um esforço para a cobrança judicial dessa fortuna. (Radar On-line/Veja)

16 de junho de 2012, 07:25

BRASIL Eduardo Campos celebra aliança em nome de projeto nacional

Eduardo Campos

O presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, disse que a união com o PT em São Paulo foi o fim do processo de amadurecimento das diversas posições dentro do partido. Campos afirmou que não ficaram rusgas desse debate interno, apesar das diferentes opiniões no PSB. O governador de Pernambuco declarou que a conclusão da legenda foi apoiar Fernando Haddad em nome de um projeto nacional, apesar de ter falado em seu discurso que “um debate municipal deve ser colocado na instância municipal”. (Poder On-line/Ig)

16 de junho de 2012, 07:00

BRASIL As manchetes deste sábado

- A Tarde: Defesa do parto em casa mobiliza 23 cidades no país

- Correio: Cheias de greve

- Tribuna da Bahia: Bahia luta pela primeira vitória

- Globo: Dilma apela a líderes mundiais para superar impasse no Rio

- Folha: PF prende alunos da Unifesp após protestos em SP

- Estadão: Governo libera R$ 20 bi para investimentos dos Estados

- Correio: “Jovens, dirijam com responsabilidade”

- Zero Hora: RS terá 475 milhões do pacote anticrise de Dilma

15 de junho de 2012, 20:20

BRASIL Desgastado, Eduardo Braga, líder do governo, deixará o cargo

Três meses depois de assumir a liderança do governo no Senado, como uma escolha da presidente Dilma Rousseff e sem apoio de seu partido, o PMDB, o senador Eduardo Braga (AM) encerra a lua de mel com o Planalto e deve deixar o cargo a pretexto de disputar a prefeitura de Manaus em outubro. A gota d’água na já desgastada relação do líder com o Executivo foi a votação, nesta semana, da Medida Provisória 568, cujo texto original reduzia em até 50% o salário dos médicos dos hospitais federais, e teve que ser corrigida antes de ser votada. O Planalto nega a saída de Braga. O líder do governo foi o relator da MP e Dilma não gostou da forma como ele conduziu as negociações. Primeiro, Braga queria que o governo retirasse a MP do Congresso, e que não fosse feita apenas a correção do texto por meio de uma emenda. Ele não foi atendido e entrou em conflito com o Ministério do Planejamento. O senador declarou que a pasta havia feito uma “barbeiragem”. No final, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) reconheceu que houve “erro”, e o governo retirou a parte do texto que reduzia salários.

Fernanda Krakovics, O Globo

15 de junho de 2012, 20:17

BRASIL ‘Economist’: salário de servidor no Brasil é ‘roubo’ ao contribuinte’

Uma reportagem na edição desta semana da revista britânica Economist afirma que altos salários pagos a parte dos funcionários públicos do Brasil são um “roubo ao contribuinte”. Os dados sobre a remuneração dos servidores foram revelados recentemente por meio da Lei de Acesso à Informação.

“A presidente Dilma Rousseff está usando a lei sancionada no mês passado, originalmente criada para ajudar a desvendar atrocidades cometidas pelo regime militar, para expor os gordos salários de políticos e burocratas”, diz a revista.

A Economist cita como exemplo de abuso o fato de mais de 350 funcionários da prefeitura de São Paulo ganharem mais que o presidente da Câmara, cujo salário líquido é de R$ 7.223, segundo a Economist.

A publicação compara o salário de uma enfermeira-chefe da prefeitura do município, de R$ 18.300, com a média salarial da iniciativa privada, e conclui que o salário da servidora é 12 vezes mais alto que o pago pelo mercado.

A reportagem lembra que, por lei, nenhum funcionário público pode ganhar mais que R$ 26.700 – a remuneração dos juízes de instâncias federais superiores.

Porém, um terço dos ministros e mais de 4 mil servidores federais teriam rendimentos superiores a esse teto. Incluindo o presidente do Senado, José Sarney, cujo salário chegaria a R$ 62 mil, devido a um acúmulo de pensões.

A revista também classifica como um “roubo ao contribuinte” o fato de membros do Congresso receberem 15 salários por ano, enquanto a maioria dos brasileiros recebe 13.

O Estado de S. Paulo

15 de junho de 2012, 20:15

BRASIL As tropas em choque na CPI, por Dora Kramer

A CPI mais famosa do Brasil teria feito jus à fama e dado um bom sinal à sociedade se tivesse aprovado ontem a convocação do empresário Fernando Cavendish e do ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Luiz Antonio Pagot.

A boa notícia é que a recusa venceu por pouco. A má é que suas excelências deixaram passar a melhor oportunidade até agora de marcar posição em favor do presumido foco da comissão: desvendar a triangulação entre organização criminosa, poder público e a empreiteira que saiu do nada e em dez anos virou “top” sustentada por negócios governamentais.

E deixaram por qual razão? Segundo o deputado Miro Teixeira, em decorrência da movimentação da “tropa do cheque”.

Autoexplicativa, a expressão surgiu na cena política há 20 anos para definir a motivação da “tropa de choque” que atuava em defesa do então presidente Fernando Collor quando da CPI que resultou no processo de impeachment.

Talvez haja algum excesso no juízo formado pelo deputado e caberá à comissão dirimir essa dúvida. Mas, como ele disse, a referência não foi mais específica, não apontou nomes porque isso só seria possível se a respeito deles os parlamentares ouvissem Pagot e Cavendish.

Ficou parecendo que a maioria governista da CPI não está suficientemente motivada para enfrentar a questão. É o que se depreende da alegação de que as convocações “no momento” não seriam produtivas.

Seria perfeitamente possível – mais que isso, necessário – aprová-las e marcar a data dos depoimentos depois, de acordo com a conveniência estipulada pelo surgimento de provas e indícios.

Sobretudo uma maneira eficaz de demarcar o terreno do antagonismo entre investigadores e investigados, já suficientemente prejudicado por parlamentares que abrem mão de questionar testemunhas para se ocupar do degradante ofício da bajulação. Vale para governistas e oposicionistas.

A chance só não foi inteiramente perdida porque foram ditas coisas tão fortes durante a sessão de ontem, a repercussão será tão negativa que dificilmente deixará de haver um recuo (no caso, resultando em avanço) na próxima reunião.

Se obscuros os motivos da recusa – sob o sofisma de que se trata de um “sobrestamento” -, as razões para a aprovação dos depoimentos configuram-se nítidas.

Leia a íntegra em Choque da tropa

Dora Kramer, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2012, 20:09

BRASIL Quem quer ouvir a resposta de Agnelo Queiroz?, por Ricardo Setti

A supermansão de Agnelo Queiroz e todas as suspeitas que levanta

Foi patético, e seria de morrer de rir se não revelasse a escuridão e falta de transparência que rege a vida de boa parte dos políticos “deste país”: o governador do Distrito Federal, o petista egresso do PC do B Agnelo Queiroz, passou quase dez horas depondo ontem na CPI do Cachoeira, se enrolou e enrolou os parlamentares diante de uma pergunta que qualquer brasileiro normal e probo responderia de bate-pronto.

Qual foi, afinal de contas, a forma de pagamento utilizada para comprar a espetacular mansão em que vive no Lago Sul, em Brasília? (Um portento de 550 metros de área construída, em meio a um gigantesco terreno e dispondo de todos os confortos possíveis e imagináveis, no valor estimado de 4 milhões de reais).

Esta é a pergunta — e pode e deve ser dirigida não apenas a Agnelo Queiroz, mas a muitos políticos que ostentam mansões e outros bens em nada condizentes com o que recebem dos cofres públicos.

Leia a íntegra em A verdadeira pergunta a que o governador do DF deveria responder é: como alguém que faz só política há 22 anos pode viver numa mansão nababesca, digna de um banqueiro?

Esta é a pergunta — e pode e deve ser dirigida não apenas a Agnelo Queiroz, mas a muitos políticos que ostentam mansões e outros bens em nada condizentes com o que recebem dos cofres públicos.

Leia a íntegra em A verdadeira pergunta a que o governador do DF deveria responder é: como alguém que faz só política há 22 anos pode viver numa mansão nababesca, digna de um banqueiro? 

Blog de Ricardo Setti

15 de junho de 2012, 19:32

BRASIL Demóstenes Torres agora pede que processo no Conselho de Ética seja adiado

Foto: Agência Senado

Demóstenes Torres (sem partido-GO)

A defesa do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) apresentou na tarde desta sexta-feira (15) ao Supremo Tribunal Federal (STF) novo pedido de liminar para tentar adiar a votação, marcada para a próxima segunda-feira (18), do relatório final do processo disciplinar a que responde no Conselho de Ética. A reunião de segunda para apresentação e apreciação do parecer do relator, Humberto Costa (PT-PE), está marcada para as 14h30. Demóstenes é suspeito de ter usado o mandato para favorecer o grupo do bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso em fevereiro sob acusação de corrupção e exploração de jogos ilegais. O processo apura se houve quebra de decoro parlamentar, o que pode levar à perda do mandato. Leia mais no G1.

15 de junho de 2012, 18:55

BRASIL Cachoeira deve continuar preso pelas investigações da Operação Saint-Michel

Mesmo com a decisão do desembargador Tourinho Neto, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, de liberar o bicheiro Carlinhos Cachoeira, ele ainda deve continuar preso. Isso porque, também nesta sexta (15), a juíza Ana Cláudia Barreto, da 5ª Vara da Justiça do Distrito Federal, indeferiu pedido da defesa de revogação da prisão de Cachoeira referente à Operação Saint-Michel. Cachoeira foi preso em fevereiro durante a Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, apontado como chefe de uma quadrilha que explorava o jogo ilegal em Goiás. A Operação Saint-Michel, da Polícia Civil do DF e do Ministério Público do DF, foi um desdobramento da Monte Carlo. Investigou as relações do grupo de Cachoeira com empresas e agentes públicos no Distrito Federal e levou à prisão de Cláudio Abreu, ex-diretor da Delta, construtora suspeita de repassar recursos para empresas fantasmas que abasteciam o esquema de Cachoeira, segundo a investigação da PF. Leia mais no G1.

15 de junho de 2012, 18:30

BRASIL Lídice relata rede dos EUA para proteção contra tráfico humano

Foto: Thiago Ferreira.PL

Lídice da Mata

Relatora da CPI do Tráfico de Pessoas, Lídice da Mata (PSB) relatou visita aos Estados Unidos para conhecer mecanismos de enfrentamento ao problema. Acompanhada da presidente da CPI, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Lídice visitou Nova York e Washington. Ela informou que, além de encontros com autoridades, também tiveram contato com as organizações não governamentais da área. A senadora disse que a visita reforçou sua convicção de sugerir legislação específica. “O destaque foi conhecer a rede de proteção ao tráfico de pessoas e à violência doméstica, de proteção à mulher e à criança que sofrem violência. Há uma política avançada de proteção nos Estados Unidos”, relatou. (Jornal do Senado)

15 de junho de 2012, 18:25

BRASIL Cachoeira consegue alvará de soltura

Foto: Veja

Carlinhos Cachoeira

Depois de três meses e meio preso, o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, conseguiu alvará de soltura nesta sexta-feira (15). Cachoeira foi preso no dia 29 de fevereiro. Além dele dez de pessoas também foram detidas como resultado da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal. Cachoeira é acusado de chefiar esquema de corrupção e de exploração ilegal de jogos no Centro-Oeste. Atualmente, ele está detido no Presídio da Papuda, em Brasília. A decisão sobre Cachoeira foi uma extensão do pedido feito pela defesa de José Olímpio de Queiroga Neto, conhecido como Careca, acusado de ser um dos assessores de Cachoeira. Ele foi libertado na última quarta-feira, e a defesa de Cachoeira pediu, então, que o benefício também fosse aplicado ao empresário. (Agência Brasil)

15 de junho de 2012, 17:20

BRASIL Roseana Sarney sugere Pró-Investe para pagar dívidas com a União

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, propôs durante a reunião dos governadores com a presidenta Dilma Rousseff, que os R$ 20 bilhões destinados ao Pró-Investe possam ser usados pelos governadores para pagar dívidas já contraídas junto à União. Roseana argumentou que o Maranhão não tem grandes obras pela frente por não figurar entre as sedes da Copa 2014. A mensagem foi uma alfinetada sobre a demora do Palácio do Planalto em debater com os governadores um novo indexador para as dívidas que atualmente pesa nos orçamentos dos estados. Dilma não respondeu à sugestão. Disse apenas, ao final da reunião, de maneira genérica, que todas as sugestões haviam sido anotadas para avaliação da equipe econômica do governo federal. (Poder On-line/Ig)

15 de junho de 2012, 17:10

BRASIL Maluf ganha secretaria em ministério e decide apoiar Haddad em São Paulo

Foto: Agência Câmara

Paulo Maluf (PP)

O PP de São Paulo decidiu apoiar o pré-candidato do PT à Prefeitura da capital, Fernando Haddad. A decisão foi confirmada depois que o presidente estadual pepista, Paulo Maluf, conseguiu emplacar um aliado na Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades. A pasta é controlada pelo PP, por meio do ministro Aguinaldo Ribeiro, que conduziu as articulações com os petistas. Maluf, que dará uma entrevista na segunda-feira (18) para formalizar sua decisão, indicou para a secretaria o engenheiro Osvaldo Garcia – que é ligado, mas não filiado, ao PP paulista. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (15). Garcia assume a vaga de Leodegar da Cunha Ticoski, que passará a ocupar a Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos da pasta. O partido de Maluf pleiteava a Secretaria das Cidades, mas, por enquanto, ficou com Saneamento Ambiental. (Estadão)