7 de novembro de 2013, 17:28

BRASIL Alice é contra flexibilização de pagamento de pensão

Foto: Divulgação

A deputada federal Alice Portugal

Única deputada federal da Bahia, Alice Portugal (PCdoB) pronunciou-se, na noite desta quarta-feira (6), no plenário da Câmara dos Deputados, contra o artigo 542 do Código de Processo Civil que, na sua opinião, fere direitos constituídos de menores que dependem de pensão alimentícia. Durante sessão de votação do projeto de lei do novo código, Alice destacou que o texto proposto representa grandes avanços, mas, “em relação às mulheres, às famílias e às crianças, apresenta uma proposta que é um retrocesso, segundo a lógica das mulheres e da bancada feminina desta casa. Flexibilizar a pensão alimentícia, lamentavelmente garantir que o devedor tenha, ao invés de três dias, dez dias para efetuar o pagamento, é adiar a comida na mesa das crianças do nosso País”. Ao citar a condição de dependência econômica de boa parte das mulheres no Brasil e a sua maior dificuldade de acesso ao mercado de trabalho, a deputada considerou que o artigo atinge sobretudo as mulheres, uma vez que, na maioria dos casos, é a mãe que arca com a guarda dos filhos. “Nesse País, 47% dos lares são regidos por mulheres. Não se pode admitir esse retrocesso no Código de Processo Civil”. disse. A deputada também defende a manutenção do regime prisional fechado para devedores de pensão alimentícia e não semiaberto, como prevê o novo texto, que também admite a possibilidade de prisão domiciliar, em alguns casos específicos. ”Se prendendo já não pagam, imaginem flexibilizando esse ordenamento jurídico para que se protejam as crianças e as famílias”, concluiu a deputada.

7 de novembro de 2013, 17:16

BRASIL França diz que aprovação do governo Dilma ‘é baixa’

Presidente do Diretório Estadual do PSB de São Paulo, o deputado Márcio França afirmou nesta quinta-feira, 7, que a avaliação positiva do governo Dilma Rousseff – apurada em pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) encomendada à MDA Pesquisa – “é baixa” para quem busca a reeleição. De acordo com França, a quantidade de eleitores que consideram o governo “ótimo” ou “bom”, de 39%, a menos de um ano da eleição, está num patamar que dificulta as chances de Dilma. Ele também minimizou os quadros de intenção de voto apresentados pelo levantamento, que apontam para a reeleição da presidente em primeiro turno, numa disputa com os presidentes nacionais do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e do PSB, governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Segundo França, esse cenário não corresponderá à realidade das eleições, uma vez que o levantamento descarta prováveis candidatos de partidos menores que poderão contribuir para empurrar a disputa para o segundo turno, como o pastor Everaldo (PSC).

Outro ponto que, conforme o presidente do Diretório Estadual do PSB de São Paulo e deputado, precisa ser considerado e que influenciará para que aconteça um segundo turno é o nível de desconhecimento dos eleitores sobre Campos – de acordo com a sondagem da CNT, 28,5% da população não conhecem ou nunca ouviram falar dele, enquanto que o número é de apenas 0,6% para Dilma e de 14,3% para Aécio. “O teto (de votos) do Eduardo é maior porque ele é desconhecido”, disse França. “Já 99% conhecem a presidente Dilma, ela está no teto dela”, afirmou. O presidente do Diretório Estadual do PSB de São Paulo também aposta num fortalecimento das intenções de voto para Campos à medida em que as eleições se avizinhem, com uma crescente associação do nome dele com o da ex-senadora Marina Silva (PSB-AC). “Não haverá ninguém que não saiba que estes nomes são associados”, concluiu. Como não conseguiu tornar viável na Justiça Eleitoral a Rede Sustentabilidade, Marina formalizou uma aliança com Campos e ingressou nas fileiras do PSB.

7 de novembro de 2013, 16:54

BRASIL Antonio Torres é eleito para Academia Brasileira de Letras

Foto: Reprodução/ O Diário de Pernambuco

O escritor baiano Antonio Torres

O escritor baiano Antônio Torres foi eleito hoje (7) para ocupar a cadeira 23 da Academia Brasileira de Letras (ABL), vaga desde o dia 3 de agosto, com a morte do jornalista e musicólogo Luiz Paulo Horta. Romancista, Torres obteve 34 dos 39 votos. A cadeira 23, fundada pelo primeiro presidente da ABL, Machado de Assis, já teve como ocupantes os escritores Lafayette Rodrigues Pereira, Alfredo Pujol, Otávio Mangabeira, Jorge Amado e Zélia Gattai. Nascido em 1940 em um povoado chamado Junco, hoje a cidade de Sátiro Dias, no sertão da Bahia, Antônio Torres estudou em Salvador, onde começou a trabalhar como repórter no Jornal da Bahia. Também foi publicitário em São Paulo, antes de ir para o Rio de Janeiro. Sua estreia na literatura ocorreu em 1972, com o romance Um cão uivando para a lua. Desde então, publicou outras 15 obras, entre elas os romances Essa Terra (1976) e Um táxi para Viena D’Áustria (1991), ambos traduzidos para o francês e que valeram ao escritor a condecoração de “Chevalier des Arts et Lettres”, concedida em 1998 pelo governo da França.

Antônio Torres também recebeu outros prêmios literários, entre eles o Machado de Assis, da própria ABL, concedido em 2000. Os romances e livros de contos do escritor têm como cenários tanto o meio rural como a vida urbana ou ainda a história do Brasil, como é o caso de Meu querido canibal (2000), que relata a saga dos índios tamoios, na época da fundação da cidade do Rio de Janeiro. Em 2011, Antônio Torres tentou ingressar na academia, mas foi derrotado pelo jornalista Merval Pereira Filho. Os outros escritores que concorriam à cadeira 23 são Blasco Peres Rego, Eloi Angelo Ghio, José Wiliam Vavruk, Felisbelo da Silva e Wilson Roberto de Carvalho de Almeida.

Cristiane Ribeiro, Agência Brasil

7 de novembro de 2013, 15:44

BRASIL Senado demite ‘ficha-suja’ do gabinete de Renan

O Senado determinou a demissão do assistente parlamentar júnior Nerigleikson Paiva de Melo do gabinete do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado. Em junho, ele havia sido admitido no escritório político de Renan em Alagoas. Nery, como é conhecido, perdeu a vaga na Câmara de Maceió em 2009 sob acusação de trocar dinheiro e combustível por votos nas eleições de 2008. À época, ele era do PV. A exoneração do auxiliar de Renan foi assinada pela diretora-geral adjunta do Senado, Ilana Trombka, e publicada nesta quinta-feira, 7, no Diário Oficial da União. O jornal O Estado de S. Paulo revelou nesta quinta, que, sob a gestão Renan, o Senado tem mais funcionários admitidos por apadrinhamento do que por mérito. A Casa tem 3.241 funcionários comissionados, nomeados por indicação, e 2.991 servidores efetivos, que em geral entraram por concurso público. A reportagem apontou que Renan emprega em seu gabinete 12 filiados e ex-filiados ao seu partido em Alagoas, entre eles Nerigleikson.

O Ministério Público Federal em Brasília abriu inquérito civil no mês passado para investigar o loteamento partidário nas nomeações de comissionados no Senado. A investigação parte da suspeita de possível abuso na contratação de um “número exacerbado” de indicados, em “prejuízo aos cofres públicos”. Após os protestos de junho, a Casa aprovou resolução que proíbe a nomeação, para cargos em comissão, de condenados, em decisão transitada em julgado ou de órgão colegiado, por delitos previstos na Lei da Ficha Limpa. Além de ter de apresentar certidões negativas de órgãos, como a Justiça, o pretendente tem de declarar que não tem vínculo de parentesco com senador ou servidor. A cassação do mandato do ex-vereador e agora ex-auxiliar de Renan, que recebia salário de cerca de R$ 4,3 mil por mês, foi por decisão unânime do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL). Nerigleikson recorreu, sem sucesso, ao Tribunal Superior Eleitoral. Segundo a resolução do Senado, é vedada a contratação de condenados por “corrupção eleitoral ou captação ilícita de sufrágio”.

Fábio Fabrini e Ricardo Brito, Agência Estado

7 de novembro de 2013, 15:15

BRASIL ABL elege hoje novo ocupante da Cadeira 23

Está marcada para as 16h de hoje (7) a eleição para a Cadeira 23 da Academia Brasileira de Letras (ABL), vaga desde o dia 3 de agosto, com a morte do jornalista e musicólogo Luiz Paulo Horta. Concorrem à vaga os escritores Antonio Torres, Blasco Peres Rego, Eloi Angelo Ghio, José Wiliam Vavruk, Felisbelo da Silva e Wilson Roberto de Carvalho de Almeida. É eleito o candidato que conquistar maioria absoluta dos 39 votos da academia, que tem 40 membros. Como manda a tradição da academia, ao final do pleito, a presidenta Ana Maria Machado irá queimar os votos. A cadeira em disputa, a de número 23, tem como patrono José de Alencar, e o primeiro ocupante foi o próprio fundador da ABL, Machado de Assis, os dois mais importantes romancistas da literatura brasileira no século 19. Outros importantes romancistas ocuparam a cadeira, entre eles Jorge Amado (1912-2001), que foi sucedido pela viúva, a também ficcionista Zélia Gattai (1916-2008).

Paulo Virgilio, Agência Estado

7 de novembro de 2013, 14:40

BRASIL Deputado Arthur Maia viabiliza agências do INSS

Foto: Divulgação

Audiência aconteceu nesta quinta-feira

O deputado Arthur Maia (SDD/BA) manteve hoje audiência com o presidente do INSS, Lindolfo Alves, para tratar do andamento da construção da nova agência do órgão no município de Bom Jesus da Lapa, pelo Programa de Expansão da Rede de Atendimento da Previdência Social. A obra é fruto de emenda parlamentar no valor de R$500 mil. Além deste recurso,foi obtido mais R$700 mil com o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, no total de R$1,2 milhão, o necessário para a construção do prédio. “ À época em que meu irmão, Roberto Maia, era prefeito da Lapa, também viabilizamos a doação do terreno. Segundo Lindolfo, a nova Agência será inaugurada no primeiro semestre de 2014”, afirmou o parlamentar. Neste momento, acontece a licitação para compra do mobiliário.” Ficamos felizes com mais essa conquista para este querido município”, disse Arthur, que aproveitou a reunião para solicitar ao presidente do INSS mais duas agências para a Bahia, nos municípios de Ubaíra e São Felipe. Segundo o Diretor de Orçamento, Finanças e Logística do INSS, Lenilson de Araújo, esses dois municípios já possuem os terrenos, faltando apenas o envio de recursos. “Entendo a necessidade e ampliação deste importante atendimento, especialmente ao povo do interior do nosso Brasil, e por isso me comprometi a alocar recursos no Orçamento da União para este fim”, complementou o deputado.

7 de novembro de 2013, 14:06

BRASIL Bernardo afirma que pesquisa da CNT dá ‘um sinal bom’

Foto: Agência Brasil

Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta quinta-feira, 7, que a pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) sobre a corrida presidencial em 2014 dá “um sinal bom”. Mas Bernardo ressaltou que a disputa a governo é sempre “dura” e “difícil” e que não dá para “descansar”. O levantamento da CNT, em parceria com o MDA Pesquisa, apontou que a presidente Dilma Rousseff seria reeleita no primeiro turno, considerando o cenário da corrida à administração federal mais provável neste momento. Dilma alcança 43,5% das intenções de voto, enquanto a soma dos presidentes nacionais do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e do PSB, governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PE), chega a 28,8%. Aécio teve 19,3% e Campos, 9,5%. “Campanha presidencial é sempre uma campanha muito dura, muito difícil. Veja que todas as campanhas foram muito acirradas. Acho que a pesquisa está apontando uma coisa que me parece lógica: ela é presidenta da República, vai concorrer à reeleição, está fazendo muita coisa. Mesma situação de um governador que concorre. Normalmente, vai ser favorito e estar na frente. Mas eleição é sempre dura”, disse Bernardo, após participar de solenidade no Palácio do Planalto de assinatura de decreto de migração das rádios AM para FM. No cenário em que a cabeça de chapa do PSB é trocada de Campos pela ex-senadora Marina Silva (AC), a sondagem registra um empate técnico. Nessa simulação, Dilma tem 40,6% dos votos contra 39,1% da soma de Marina e o presidente nacional do PSDB. A ex-senadora do PSB do Acre conseguiu 22,6% e Aécio, 16,5%. Como a margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais, para mais ou para menos, não é possível determinar que a presidente seria reeleita.

Rafael Moraes Moura, Agência Estado

7 de novembro de 2013, 13:44

BRASIL Juiz suspeito de favorecer frigorífico voltará ao cargo

Liminar concedida na terça-feira, 05, pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), garantiu ao juiz federal Nery da Costa Júnior, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (com sede em São Paulo), sua volta ao cargo, após ter sido afastado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Há suspeitas de que Nery da Costa Júnior e o juiz federal Gilberto Rodrigues Jordan tenham favorecido um frigorífico em Ponta Porã (MS) com a liberação de bens que estavam retidos para pagamento de dívidas tributárias. Com a decisão, fica garantida sua permanência no cargo enquanto as investigações estiverem em curso. De acordo com Marco Aurélio, o magistrado só deveria ser afastado se houvesse constatação de que tentava obstruir ou impedir a investigação. O afastamento neste caso, acrescentou o ministro, foi açodado. Em setembro, por dez votos a quatro, o CNJ decidiu abrir processo administrativo disciplinar contra o juiz e afastá-lo para garantir a continuidade das investigações. No julgamento, o presidente do conselho, ministro Joaquim Barbosa, ressaltou a suspeita de que o magistrado teria dado tratamento especial ao caso. “Salta aos olhos o especial zelo do magistrado em relação a esse feito específico”, afirmou o ministro.

Felipe Recondo, Agência Estado

7 de novembro de 2013, 13:19

BRASIL Nem com mídia Campos atingiu 2 dígitos, diz cientista

Foto: Divulgação

Eduardo Campos (PSB)

Depois de semanas em grande exposição na mídia, em que apareceu repetidas vezes ao lado da ex-senadora Marina Silva (PSB-AC), o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, não atingiu dois dígitos na pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), em parceria com o MDA Pesquisa, divulgada nesta quinta-feira, 7. O fato foi destacado pelo cientista político Marco Antônio Carvalho Teixeira, professor da Fundação Getulio Vargas (FGV), que avalia que Campos, caso não consiga subir nas próximas pesquisas, pode ver Marina passar rapidamente de aliada à principal sombra. “Há uns meses, eu disse que o Campos tinha até dezembro para encostar no Aécio (Neves, presidente nacional do PSDB e senador de Minas Gerais) e até março ou abril para se colocar como alternativa forte para o segundo turno. Se estes cenários não vierem, e eles não estão vindo, a pressão por uma candidatura de Marina vai aumentar”, analisa. No levantamento feito pela CNT e MDA, a presidente Dilma Rousseff tem 43,5% das intenções de voto. Aécio tem 19,3%, enquanto Campos tem 9,5%. Teixeira afirmou acreditar ainda que a ex-senadora do PSB do Acre seria, dentre todos os possíveis candidatos postos no momento, a maior ameaça à Dilma. De acordo com ele, Marina seria capaz de atrair o voto dos descontentes com o desgaste do governo do PT e poderia também tentar trazer parte do eleitorado do presidente nacional do PSDB e senador de Minas Gerais, majoritariamente formado por antipetistas.

José Roberto Castro, Agência Estado

7 de novembro de 2013, 12:49

BRASIL População rejeita atuação dos black blocs, diz pesquisa da CNT

A ação dos manifestantes mascarados, os chamados black blocs, nas ruas do Rio de Janeiro e de São Paulo, nos últimos meses, é desaprovada por 93,4% dos entrevistados em pesquisa divulgada hoje (7) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Outros 6% declararam apoiar a ação dos mascarados. Para 91,5%, a maneira de manifestação desse grupo não é legítima. O direito dos cidadãos de ir às ruas em manifestações pela garantia de direitos, no entanto, é defendido por 81,7% dos entrevistados. Somam 17,3% os que rejeitam o direito de manifestações. De acordo com a pesquisa, 91,5% das pessoas ouvidas responderam estar muito preocupados com a violência no país. Para os próximos seis meses, a expectativa de 40,9% dos ouvidos é que a situação da segurança pública vai continuar com está, 29,3% tem a expectativa que piore e 27,7% acreditam que vai melhorar. Para a pesquisa, foram entrevistadas 2.005 pessoas, em 135 municípios de 21 unidades da Federação, entre os dias 31 de outubro e 4 de novembro. A margem de erro é 2,2 pontos percentuais.

Yara Aquino, Agência Brasil

7 de novembro de 2013, 12:26

BRASIL Controlador quer checar envolvimento de construtoras

Mais de uma semana após a operação que resultou na prisão de quatro fiscais acusados de fraudar o Imposto sobre Serviços (ISS) arrecadado pelo município de São Paulo, chegou o momento de verificar o envolvimento de construtoras e incorporadoras no esquema, segundo o controlador-geral do Município, Mário Vinícius Spinelli. “Precisamos entender se as construtoras foram vítimas ou se foram corruptoras”, disse em entrevista à Rádio Estadão, referindo-se à suspeita de que empresas tenham pago propina à quadrilha para conseguir a documentação necessária para o lançamento de projetos imobiliários. “Se foram vítimas de fato, devem procurar a Controladoria e o Ministério Público para contar o que aconteceu. Vítima se comporta como vítima. Tem que dizer como pagou, para quem pagou, quanto pagou e quando pagou.” Leia mais no Estadão.

GABRIELA LARA - Agência Estado

7 de novembro de 2013, 12:18

BRASIL Anbima: renda fixa concentra captações em outubro

As captações domésticas responderam pela maior parte do funding das companhias brasileiras em outubro, disse a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) em seu boletim mensal. De acordo com a associação, foram emitidos R$ 15,3 bilhões no mercado local, o segundo maior valor mensal de 2013, atrás apenas de abril, quando foram emitidos R$ 25,4 bilhões. O incremento de abril foi influenciado pela oferta inicial da BB Seguridade, de R$ 11,5 bilhões. O segmento de renda fixa concentrou as captações domésticas em outubro, com as debêntures na liderança. O total de emissões de debêntures de outubro foi de R$ 6,2 bilhões. A Anbima disse que, embora a maior parte do volume de emissões de debêntures tenha se concentrado em emissões com esforços restritos (R$ 3,9 bilhões), mereceu destaque a participação das registradas via ICVM 400, que corresponderam a 37,5% do total em outubro; e das debêntures de infraestrutura, que responderam por 22%. O destaque na renda fixa, no entanto, foram os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), que chegaram a R$ 4,8 bilhões no mês, volume superior ao total emitido entre janeiro e setembro deste ano (R$ 3,8 bilhões). O aumento das emissões de CRI é explicado, de acordo com a Anbima, por duas grandes operações via ICVM 476. As quatro operações com ações realizadas em outubro somaram apenas R$ 1,6 bilhão, elevando o montante captado com estes ativos no ano para R$ 20,4 bilhões. As captações externas, que permanecem concentradas no segmento de renda fixa, também apresentaram volume modesto no mês, de US$ 2,5 bilhões. Com isso, o volume acumulado em 2013, de US$ 34,3 bilhões, apresentou redução de 23% em comparação ao mesmo período de 2012, quando foi de US$ 44,6 bilhões.

Cynthia Decloedt, Agência Estado

7 de novembro de 2013, 12:12

BRASIL Ministério da Justiça prorroga atuação da Força Nacional em Goiás

O Ministério da Justiça publicou hoje (7), no Diário Oficial da União, portaria que dispõe sobre a prorrogação do emprego do efetivo da Força Nacional de Segurança por mais 180 dias em Goiás. De acordo com a norma, a prorrogação será dirigida especialmente para a região metropolitana de Goiânia, em apoio às ações de elucidação dos crimes de homicídio. O texto da portaria informa que o governo federal atende à manifestação expressa do governador de Goiás quanto à necessidade de apoio “nas ações de segurança pública e para preservação da ordem pública, da incolumidade das pessoa e do patrimônio, e na elucidação dos crimes de homicídio”. Leia mais na Agência Brasil.

7 de novembro de 2013, 12:05

BRASIL Dilma assina decreto para rádios migrarem para FM

A presidente da República, Dilma Rousseff, disse nesta quinta-feira, 7, que “faz justiça” ao assinar o decreto de migração das rádios AM para a frequência FM. “Faço justiça a milhares de radialistas e às rádios AM espalhadas pelo país prestando serviços à população. Em muitas pequenas localidades do Brasil essas rádios são os instrumentos de conexão entre as pessoas que integram a nossa população. É importante que o Estado crie condições para que continuem funcionando e se adaptem às novas tecnologias de telecomunicações”, afirmou. De acordo com a presidente, a migração vai melhorar a qualidade da transmissão dessas rádios, que terão menos ruídos e interferências. “As rádios AM vão manter seus ouvintes e até ganhar mais audiência, propiciando maior poder de negociação com anunciantes. Além disso, com novos aplicativos, poderão transmitir para celulares e tablets via internet, chegando também às novas gerações que utilizam esses aparelhos”, completou.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, avaliou que a melhor qualidade do sinal de transmissão FM gerou ao longo dos anos um menor interesse pela frequência AM, que vem perdendo audiência. “Por exemplo, alguns rádios de veículos nem sintonizam mais a AM”, destacou, durante a solenidade de assinatura do decreto de migração das rádios. Segundo ele, o decreto possibilita a extinção do serviço AM em caráter local, migrando para FM. “O ministério tem se esforçado em políticas que incentivem a modernização do setor de radiodifusão. Os interessados poderão solicitar a mudança a partir de 1º de janeiro de 2014. Quem quiser continuar no AM poderá solicitar ampliação de cobertura para caráter regional e nacional”, afirmou.

De acordo com Bernardo, haverá uma fase de transição na qual os radiodifusores poderão transmitir nas duas frequências, até que a população se adapte. “Acreditamos que essa será uma transição rápida. Quero chamar atenção para um ponto da maior relevância: na hipótese de não haver canal de rádio disponível na localidade, serão utilizadas as frequências dos canais 5 e 6 da televisão”, acrescentou. O ministro explicou que futuramente outras medidas terão de ser adotadas para garantirem que os aparelhos de rádio possam sintonizar essas frequências. Já sobre o modelo brasileiro de rádio digital, Bernardo afirmou que novos testes ainda serão realizados pelo ministério em 2014.

Eduardo Rodrigues e Rafael Moraes, Agência Estado

7 de novembro de 2013, 12:03

BRASIL Suspeitos de envolvimento em fraude na Prefeitura de SP são exonerados

Foi exonerada na quarta-feira, 6, a servidora Paula Sayuri Nagamati, ex-chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Finanças de São Paulo na gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). A decisão saiu publicada na edição desta quinta-feira, 7, do Diário Oficial da Cidade, em uma portaria do secretário de Governo do prefeito Fernando Haddad (PT), Antonio Donato Madormo. Também perdeu suas funções na Prefeitura de São Paulo o auditor Moacir Fernando Reis, outro funcionário da Secretaria Municipal de Finanças. Sua saída, “a pedido”, foi assinada por Donato e consta da mesma edição do Diário Oficial. Reis é suspeito de desvios de recursos e vem sendo investigado pela Controladoria-Geral do Município (CGM). Paula Sayuri Nagamati  prestou depoimento acusando Donato de receber, em sua campanha a vereador, dinheiro da quadrilha que fraudava o Imposto sobre Serviços (ISS) arrecadado pelo município. Outro fiscal suspeito de envolvimento com o grupo, Arnaldo Augusto, também teve a saída anunciada. Investigado por enriquecimento ilícito, Arnaldo Augusto foi secretário de Planejamento de Santo André entre 2009 e 2012, na gestão do ex-prefeito Aidan Ravin (PTB). Em 2009, levou o auditor fiscal Ronilson Bezerra Rodrigues, tido como um dos chefes dos fraudadores do ISS, para ser secretário adjunto. Paula, por sua vez, foi chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Finanças durante a gestão Kassab, quando o titular da pasta era Mauro Ricardo. Na gestão de Haddad, foi nomeada como supervisora técnica na Secretaria Municipal de Assistência Social (SMADS), a cargo de Luciana Temer (PMDB), filha do vice-presidente Michel Temer (PMDB).

Agência Estado